Resenha espirita on line 94

446 visualizações

Publicada em

Notícias sobre Divaldo Franco e Raul Teixeira e o trabalho de divulgação do Espiritismo.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
446
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resenha espirita on line 94

  1. 1. 1 Resenha Espírita on line a informação na medida certa nº 94Ano 518 de setembro de 2013
  2. 2. 2 3 V Pazocê e a movimento A cidade de Maragojipe – BA, recebeu as quase 1000 pessoas que acorreram ao local, alegres e motivadas, na tarde- -noite do dia 1º de setembro, a partir das 17h, para mais uma edição do 16º Movimento Você e a Paz, com Divaldo Franco. O Movimento em Maragojipe representou o ecumenismo das ideias focadas na paz, tão necessária em nossos dias, contando com as presenças de representan- tes da Igreja Messiânica, da Igreja Adventista do 7º dia e da Igreja Batista. O Movimento em Assunção, Paraguai 7º Movimento de Tu y La Paz se deu no dia 15 de setembro de 2013, na cidade de Assunção, Paraguai, quando receberam menções: Pessoa física que se doa: para Nivalda Steffens, do Clube do Livro de Divaldo e para Gustavo Martinelliz, de Argentina No item instituição que realiza: para Remanso de Amor, de Colômbia, e Camino a la Casita, de Argen- tina Instituição que viabiliza: FEB - Federação Espírita Bra- sileira e FEP - Federação Espírita do Paraná. Família que semeia a paz: Casal Terezinha e Miguel Sardano e casal Irandi e João. Divaldo Franco no Paraná No dia 11 de setem- bro de 2013, Dival- do Franco proferiu conferência em Foz do Iguaçu, PR, su- perlotando as de- pendências do salão de convenções do Hotel Golden Tulip Internacional Foz (foto ao lado). Na noite de 12 de setembro de 2013, foi a vez da cidade de Cas- cavel, PR, receber a visita de Di- valdo, que se deu no Tuiuti Espor- te Clube, com a presença de mais de 2.500 pessoas. Na foto ao lado, Divaldo atenden- do as pessoas que o procuram nos momentos de autógrafo, com o carinho e ternura que lhe são pró- prias. Seja bem-vinda, Primavera Como acontece anualmente, a Mansão do Caminho promove um desfile em suas ruas internas, para saudar a chegada da Primavera, contando com a presença das crianças, seus pais, cola- boradores, Divaldo e Nilson, seus dirigentes. Neste ano, foi no dia 4 de setembro a caminhada.
  3. 3. 4 5 Aconteceu o 2º Congresso Espírita Sudamericano Assunção-Paraguai 13 a 15 de setembro de 2013 Reuniram-se espíritas e Institui- ções Espíritas da América do Sul, na cidade de Assunção, capital do Paraguai, nos dias 13, 14 e 15 de setembro de 2013, por ocasião do 2º Congresso Espírita Suda- mericano. O tema geral foi: El Evangelho en la Construccion del Hombre de Bien. Ocuparam a tribuna expositores dos diversos países convidados. Divaldo Franco esteve presente, proferindo a palestra de abertura, na noite de 13 de setembro, No dia 14, Divaldo apresentou em se- minário, o tema: Triunfo Pessoal. Divaldo Segue ao Canadá Já a partir do dia 22 de setem- bro de 2013, Divaldo Franco estará realizando uma série de Conferências sobre Espiritis- mo, no Canadá, prosseguindo em sua jornada pela divulgação doutrinária. A programação está assim definida: 22/09/13 – QUÉBEC – 14h. Local: Université Laval, Pavillon Alphonse- Desjardins, Sainte-Foy, QC G1K 7P4 - Auditório: Hydro-Québec. Tema: A psicologia da gratidão. 24/09/13 – MONTRÉAL – 19h30. Local: Hôtel Europa - Auditorium Mont Blanc - 1240, rue Drummond - Montréal, QC H3G 1V7. Tema: Saúde psíquica e mediunidade. 26/09/13 – TORONTO – 19h. Local: Innis Town Hall, University of Toronto – 2 Sussex Avenue, Toronto ON, M5S 1J5. Tema: A psicologia da gratidão. O Encontro Fraterno de 2013 será de 10 a 13 de outubro, no Hotel Iberostar Bahia, em Praia do Forte, o mesmo hotel de 2012. As inscrições estão abertas e podem ser feitas através da internet: http://www.en- controfraterno.com.br
  4. 4. 6 7 dimensão. Todos os que se envolvem nos ideais de engrandecimento da socieda- de interrogam, com frustração, se têm valido as propostas da honradez e as lições sublimes do Evangelho de Jesus com os seus mártires e apóstolos, pois que apraz aos viandantes carnais tudo quanto leva à consumpção, ao desar, ao invés da alegria pura e da harmonia in- dispensável ao equilíbrio e à plenitude. Há, é certo, predominância do ví- cio escancarado e, sob disfarces varia- dos, o aspecto pandêmico do cinismo e do desrespeito aos códigos de ética e de moral, prevalecendo a face zombe- teira dos triunfadores da desonestidade, famosos e difamados, nos postos que conquistaram mediante o suborno, a traição e a astúcia. Mas, não são realmente felizes, tranquilos... Estão hipnotizados, esses triunfa- dores de um momento, marchando ine- xoravelmente na direção do deserto que os aguarda, ardente e desolador. Sorridentes, mas receosos, insegu- ros embora prepotentes, empanturram- -se de poder e intoxicam-se no álcool e Há dias em que tudo se afigura de- solador, caracterizado pela perda de sentido, sem qualquer estímulo para o trabalho de divulgação e de preservação do bem na Terra. Há períodos na existência humana em que todas as florações da alegria e do entusiasmo emurchecem, demons- trando a aparente inutilidade da sua be- néfica ação. Há fases no percurso carnal, em que proliferam o mal e a agressividade em crescimento, asfixiando as débeis manifestações da bondade e da abnega- ção. Há ocasiões em que a predomi- nância da vulgaridade e do ressentimen- to golpeia as expressões da gentileza e da dignidade, parecendo conduzir tudo e todos ao caos. Há ocorrências perturbadoras que se multiplicam na condição de escalra- cho maldito, dominando o trigal das ex- periências de amor e de caridade direcio- nadas às criaturas humanas. Olhando-se superficialmente a cul- tura social vigente e os indivíduos, re- pontam alarmantes índices de perver- sidade, de gozo exaustivo e de loucura pelo poder e pelo prazer sem freio nem no deserto
  5. 5. 8 9 Também o ser humano, mesmo quando soberbo e ingrato, arbitrário e dominador, corroído pelas viroses da culpa, necessitando de afeto que não soube despertar pelo caminho transfor- ma-se, amolda-se, cede ao impositivo das inevitáveis alterações evolutivas. Ninguém consegue fugir de si mes- mo ou viver saudável sem um propósito, um sentido psicológico na sua existên- cia. O indivíduo mais inflexível nos seus ideais e convicções assim perma- nece até o momento em que a dor se lhe penetra, insinuante e contínua, passan- do a habitar-lhe as paisagens dos senti- mentos. Nesse deserto, porém, numa cami- nhada silenciosa e demorada, surgem os tesouros da reflexão, do entendimento dos valores espirituais, da necessidade de ser pleno. Não importa quando esse sublime fenômeno venha a acontecer, porquanto o importante é que sucederá. A bênção do tempo agora é res- ponsável pela edificação do anjo e do holocausto de amor, porque o sofrimen- to é uma dádiva que Deus confere aos Seus eleitos. * Após a visita de Jesus a Saulo, no deserto em Damasco, o prepotente ra- bino, déspota e criminoso, teve neces- sidade de três anos em outro deserto, para diluir a construção de ferro do orgu- lho em que se encarcerava e argamassar a realidade do amor no coração ralado de sofrimentos. Foi, portanto, reflorescendo as emoções que ele se deixou impregnar por Jesus e contribuiu vigorosamente para torná-lo conhecido e amado. Trabalha o teu deserto interior com os instrumentos do amor e da com- paixão e o transformarás em jardim de dádivas, tornando o mundo melhor, de onde o mal fugirá envergonhado. Joanna de Ângelis PsicografiadeDivaldoPereiraFranco,nareuniãomediúnica da noite de 4 de março de 2013, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia. nas drogas ilícitas, porque não suportam a lucidez da consciência ultrajada, a fim de fugirem da presença da culpa e do desamor. Reconhecem que ninguém os ama, embora se exibam ao seu lado, como cachorrinhos que aguardam as migalhas que venham a cair das suas mesas ricas. Na primeira oportunidade, abomi- nam-nos, abandonam-nos, execram-nos, porque tampouco se sentem amados e respeitados. Sabem que são utilizados na ruidosa corte da exibição, na qual um usa o outro, que é sempre descartável. ...Este é o deserto social! * Nunca duvides do êxito da verda- de. Nuvem alguma pode deter indefini- damente a luminosidade solar, por mais se demore em aparente impedimento. Foi num desses desertos que, às portas de Damasco, Jesus apareceu a Saulo, triunfante e enganado, que se- guia encarregado de infausta missão contra um dos Seus discípulos. Ao impacto da Sua presença, der- reou da animália ricamente adornada e percebeu a gloriosa figura luminescente, passando a sofrer o horror da cegueira que o tomou, acompanhada do tormen- toso arrependimento em torno da hórri- da conduta que se permitia. Nesse deserto, a viagem foi para dentro, para a necessidade do autoen- contro, do redescobrimento, da reiden- tificação com a vida e do retorno aos sagrados objetivos existenciais que des- prezara até aquele momento. Ali nasceu o apóstolo das gentes, o desbravador dos desertos humanos, expandindo o reino de Deus em todas as possíveis direções. A linguagem do tempo é um pre- sente agora, um contínuo suceder que altera todas as paisagens: as agrestes reverdecem-se, as montanhosas são corroídas, as pantanosas abrem-se em valas de liberação dos fluidos pútridos. A água suave, nesse largo, infinito tempo, vence a rocha, o vento cantante desgasta o granito vigoroso, o fogo alte- ra a floresta...
  6. 6. 10 11 Trate de não gerar insegurança na alma dos seus netos. Assiste-os, contudo, com o seu carinho, com a sua vivência alegre, honesta e útil, para que sir- va de exemplo aos rebentos dos seus filhos, caso seus netos não recebam exemplo no próprio lar ou para que reforce a diretriz que já os alumia, no âmbito doméstico. Com sua maturidade, ame-os sem apego; ajude-os sem tomar- -lhes os deveres; agrade-os sem envaidecê-los; fale-lhes de Jesus sem pieguice, para que sua par- ticipação na vida dos seus netos possa assemelhar-se a um ras- tro brilhante de espiritual cometa, apontando-lhes caminhos de hono- rabilidade e de paz, discreta e inte- ligentemente. Thereza de Brito (Livro: Vereda Familiar. Thereza de Brito, Cap. 31. Raul Teixeira) Não te creias responsável direto na provação que te abate ante o filho limitado, física ou mentalmente. Tu e ele sois comprometidos perante os códigos Divinos pelo pre- térito espiritual. O teu corpo lhe ofereceu os ele- mentos com que se apresenta, po- rém, foi ele, o ser espiritual, quem modelou a roupagem na qual compa- rece para o compromisso libertador. Ante o filhinho deficiente não te inculpes. Ama-o mais e completa- -lhe as limitações com os teus recur- sos, preenchendo os vazios que ele experimenta. Suas carências são abençoados me- canismos de crescimento eterno. Faze por ele, hoje, o que des- cuidaste antes. A vida em família é oportunida- de sublime que não deve ser descui- dada ou malbaratada. Joanna de Ângelis (Livro: S.O.S. Família. Diversos, Cap. Res- ponsabilidade no matrimônio. Divaldo Franco) Vida em família
  7. 7. 12 13 No Cristianismo você pode ocupar duas posições: cristão e crístico. Cristão é todo aquele que segue Jesus. Crístico é todo aquele que vive Jesus. Há muito cristão que segue o Senhor a distância, sem viver o Cris- to nas atitudes. E há muito crístico que, não se- guindo o Senhor consoante as con- venções do mundo, nunca se aparta d’Ele. Marco Prisco (Livro: Glossário espírita cristão. Marco Pris- co, Cap.: Registros. Divaldo Franco) Estudemos as mensagens do Consolador. Elas nos falam de libertação, de re- novação e de bênçãos de paz. Procuremos ascen- der, no continuado esfor- ço para o Bem, afugentan- do-nos, gradualmente, do carreiro das alucinações e das misérias da alma, a fim de que, desde hoje, inicie- mos a escalada de saúde e harmonia, sob a custódia de Jesus, deixando para trás os tempos de enfer- midades e agonias, de de- sesperos e lágrimas. Camilo (Livro:Cintilação das estrelas. Camilo, Cap. 13. Raul Teixeira) Desafios da educação: Em todas as perguntas elaboradas, vê- se claramente o interesse pelo melhor entendimento da vida, de modo a viver-se na Terra com menor risco, considerando- se os cuidados que devem ser tomados para que se faça tal travessia pelas rotas da humanidade. E porque a virtude da e d u c a ç ã o tem sido tão p r e t e r i d a , desdenhada e menos prezada, nessa época de tecnologia, de cibernética e de domínio e c o n ô m i c o marcados por aterrorizante e ácido materialismo. Trabalhamos para demonstrar que as referidas interrogações representam verdadeira ânsia de aproveitar ao máximo as experiências cotidianas, enquanto se encontram pelas veredas terrenais. ilumina-te: Iluminar-se é acender a claridade do discernimento na mente e do amor no sentimento. Joanna de Ângelis aborda neste seu novo mais livro, conflitivos, temas da atualidade, oferecendo fórmula eficaz para a vivência digni- ficante, mesmo em momento tão conturbado da Humanida- de, retirada do evangelho de Jesus, que se faz sempre ma- nancial de bên- çãos. Silêncio interior, busca da iluminação, lutas abençoadas, lazeres, divertimentos, sentimentos perversos, enfermidades da alma, renúncia, serenidade, perdão, rela- cionamentos, mediunidade e dever são alguns dos temas apresentados. Raul TEIXEIRA Divaldo franco

×