1
no
108
Ano 530 de abril de 2014
RESENHA
espíritaon line
a informação na medida certa
2 3
FDAGENDA
ivaldo ranco
Brasil
01/05/14 - São Paulo, SP
04/05/14 - Salvador, BA
2014
maio
RESENHARESENHA
Europa
7 e 8/05...
4 5RESENHARESENHA
MAIO DE 2014
7 e 8/05/14 - Dublin, Irlanda
9 a 11/05/14 - Londres, Inglaterra
12/05/14 - Bruxelas, Bélgi...
6 7RESENHARESENHA
País Cidade Data Horário Evento Tema Local Informação
Irlanda Dublin 08/05/14 19h Palestra Os quatro gig...
8 9
RIO GRANDE DO
SUL
Divaldo Franco atendeu extensa progra-
mação doutrinária em várias cidades do
Rio Grande do Sul, ent...
10 11RESENHARESENHA
H
á exatos dois anos, sua voz não
mais se fez ouvir nos auditórios
do Brasil e do mundo, em razão do
a...
12 13RESENHARESENHA
Em verdade, a cruz na qual se des-
pediu da jornada humana, não foi
uma fatalidade imposta, mas Sua
es...
14 15
damentos do Decálogo, antes eno-
brecendo-os com a existência rica de
dignidade.
Foi além das recomendações legal-
m...
16 17
Ao formares o teu lar, forma-o em
bases de carinho e respeito, de li-
berdade e de alegria, de responsabili-
dade e ...
18 19
Fruirás, sim, a paz porque
anelas, e defrontarás a
plenitude em ti mesmo, que
hoje te falta.
	 Não te aflijas pelo a...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Resenha espirita on line 108

323 visualizações

Publicada em

Notícias de Divaldo Franco e Raul Teixeira e o trabalho de divulgação de Espiritismo em todo o mundo.

Publicada em: Espiritual
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Resenha espirita on line 108

  1. 1. 1 no 108 Ano 530 de abril de 2014 RESENHA espíritaon line a informação na medida certa
  2. 2. 2 3 FDAGENDA ivaldo ranco Brasil 01/05/14 - São Paulo, SP 04/05/14 - Salvador, BA 2014 maio RESENHARESENHA Europa 7 e 8/05/14 - Dublin, Irlanda 9 a 11/05/14 - Londres, Inglaterra 12/05/14 - Bruxelas, Bélgica 13/05/14 - Luxemburgo, Principado de Luxemburgo 14/05/14 - Munique, Alemanha 15/05/14 - Mannhein, Alemanha 16/05/14 - Frankfurt, Alemanha 17/05/14 - Stuttgart, Alemanha 18 e 19/05/14 - Copenhague, Dinamarca 20/05/14 - Amsterdã, Holanda 21/05/14 - Praga, República Tcheca 22/05/14 - Brno, República Tcheca 23/05/14 - Lintz, Áustria 24 e 25/05/14 - Viena, Áustria 26 e 27/05/14 - Roma, Itália 28/05/14 - Milão, Itália 29/05/14 - Colônia, Alemanha 30 e 31/05/14 e 01/06/14 - Bonn, Alemanha Salvador Roma Copenhague
  3. 3. 4 5RESENHARESENHA MAIO DE 2014 7 e 8/05/14 - Dublin, Irlanda 9 a 11/05/14 - Londres, Inglaterra 12/05/14 - Bruxelas, Bélgica 13/05/14 - Luxemburgo, Principado de Luxemburgo 14/05/14 - Munique, Alemanha 15/05/14 - Mannhein, Alemanha 16/05/14 - Frankfurt, Alemanha 17/05/14 - Stuttgart, Alemanha 18 e 19/05/14 - Copenhague, Dinamarca 20/05/14 - Amsterdã, Holanda 21/05/14 - Praga, República Tcheca 22/05/14 - Brno, República Tcheca 23/05/14 - Lintz, Áustria 24 e 25/05/14 - Viena, Áustria 26 e 27/05/14 - Roma, Itália 28/05/14 - Milão, Itália 29/05/14 - Colônia, Alemanha 30 e 31/05/14 - Bad-Honnef, Alemanha JUNHO DE 2014 01/06/14 - Bad-Honnef, Alemanha 02, 03 e 05/06/14 - Paris, França 04/06/14 - Duai, França 06 a 09/06/14 - Zurique, Suíça 07/06/14 - Winterthur, Suíça jornada EUROPEIA2014 PRAGA
  4. 4. 6 7RESENHARESENHA País Cidade Data Horário Evento Tema Local Informação Irlanda Dublin 08/05/14 19h Palestra Os quatro gigantes da alma Bewleys Hotel - Merrion road, Ballsbridge Inglaterra Londres 10/05/14 14h30 Seminário A vitória do Evangelho at Lambeth Town Hall - Acre Lane, SW2 1RW www.buss.org.uk Londres 11/05/14 15h Seminário A psicologia do perdão Perrin Lecture Theatre, Queen Mary University of London Campus, NewarkStreet, off New Road, Whitechapel EI 2AX www.buss.org.uk Bélgica Bruxelas 12/05/14 19h30 Palestra A conquista da saúde integral Sala CEMO Rue de Danemark 15-17 - 1060 Saint- -Gilles http://www.neecafla. beinfo@neecafla.be Principado de Luxemburgo Luxemburgo 13/05/14 19h30 Palestra O Evangelho segundo o Espiri- tismo Rue Ermesinde, L-1469 Limpertsberg allankardeclux@ yahoo.fr Alemanha Munique 14/05/14 19h Palestra Como lidar com a culpa Jugendherberge München-Park Miesingstr.4 Mannhein 15/05/14 19h Palestra A gentileza como forma de ser feliz Jugendkulturzentrum FORUM Neckarpromenade 46 Frankfurt 16/05/14 19h Palestra Psicologia do Perdão Sallbau Gutleut Rottweiler Str. 32 Stuttgart 17/05/14 15h Seminário Despertar para ser feliz! SEELE Hackstraße 11 Holanda Amsterdã 20/05/14 18h30 Seminário Qual a finalidade da Reencarna- ção? Het Cultureel Educatief Centrum Zuidoost Bijlmerdreef 1289 info@nrsp.nl Alemanha Bad-Honnef 31/05/14 e 1/06/14 9h Retiro Espi- ritual A psicologia do perdão e saúde Hotel Seminaris, Bad Honnef Alexander-von-Humboldt-Str 20 spiritismus.duessel- dorf@gmail.com Programação das atividades de Divaldo Franco na Europa Informações disponíveis no momento maio de 2014
  5. 5. 8 9 RIO GRANDE DO SUL Divaldo Franco atendeu extensa progra- mação doutrinária em várias cidades do Rio Grande do Sul, entre os dias 15 a 20 de abril de 2014. Seguem algumas fotos dos eventos, gentilmente cedidas por Jor- ge Moehlecke: Santa Cruz do Sul 15/04/14 Soledades 16/04/14 Ijuí - 17/04/14 Erechim 18/04/14 Vacaria - 19/04/14 Flores da Cunha 20/04/14 Congresso Espírita Brasileiro Por ocasião do 4º Congresso Espírita Bra- sileiro, promovido pela Federação Espírita Brasileira, Divaldo Franco esteve presente em Manaus, AM, e em Vitória, ES, nos dias 11/04/14 e 13/04/14, respectivamente. Visitando cidades de Santa Catarina Na tarde do dia 24/04/14, em Florianópolis, SC, Divaldo foi agraciado com a Co- menda do Poder Legislativo Catarinense, e uma placa homenageando-o, e, à noi- te, proferiu palestra pública no Centro Multiuso de São José, na mesma cidade. Nos dias seguintes, esteve em Joinville (25/04/14), Blumenau (26/04/14) e Bal- neário Camburiú (27/04/14), quando, neste balneário, empreendeu mais um en- contro Você e a Paz. Florianópolis - 24/04/14 Joinville - 25/04/14 Blumenau - 26/04/14 Balneário Camboriú - 27/04/14
  6. 6. 10 11RESENHARESENHA H á exatos dois anos, sua voz não mais se fez ouvir nos auditórios do Brasil e do mundo, em razão do acidente vascular cerebral que o vitimou. Mas, os livros psicografados, as histórias a seu respeito, as palestras e seminários gravados são ouvidos e estudados por toda parte. Preces dos mais diversos lugares do globo se elevam em sua intenção de to- dos aqueles que, um dia, receberam os benefícios das suas palavras, um abraço festivo, um beijo na face, um sorriso de alegria. Notícias chegam daqui e dali informan- do que é visto trabalhando ativamente no plano espiritual durante o sono, que segue fazendo palestras, conversando, aconselhando, ensinando e aprendendo, quando seu corpo se encontra adorme- cido. Alguns amigos promovem encontros em benefício do Centro Espírita e da obra social que criou, junto com colaboradores anônimos, outros o convidam para par- ticipar de eventos onde autografa suas obras e é homenageado, com palmas de- moradas e reconhecidas ao seu intenso e fecundo labor. Amável e gentil, mesmo não podendo ainda movimentar plenamente o braço di- reito, estende a mão esquerda na dire- ção de quem o busca e também conversa cada vez melhor, menos hesitante e com frases mais longas. Continua em sua maratona de trata- mentos, empenhando-se ao máximo para obter a melhora possível a alguém com as limitações temporárias que possui. Passo a passo, num exercício de paciên- cia e recolhimento, sem perder a alegria que sempre o caracterizou, não recusa o desafio diário que a vida lhe trouxe, dan- do lições de otimismo e aceitação cons- trutiva. Afirma, sem nenhum receio, que se e mantendo as percepções que sempre teve, anotando, com frequência, a pre- sença do Espírito Camilo e de sua mãe, Dona Benedita. Nos instantes em que nos encontra- mos, quando a visitação é possível, en- laça-nos no carinho da amizade forjada no ouro da ternura, da afabilidade e da doçura, vibrando com nossas pequenas conquistas e dando-nos da água viva dos seus exemplos cristãos, nesta hora de grandes testemunhos. Não está exemplificando agora, pois sua vida e sua lida como cidadão, onde quer que estivesse, sempre foi correta e pautada nos ensinamentos de Jesus e Kardec, referências que adotou desde os albores da sua juventude. O que agora se dá são outras formas de testemunho e de aprendizado, para ele e para nós, que admiramos seu jeito de ser e de se en- tregar com fidelidade aos compromissos abraçados. Seu silêncio é deveras eloquente para os que tenhamos ouvidos de ouvir, pois, assim como sua vida, ele é pautado num sentido de humanidade, nunca se colo- cando acima ou abaixo de ninguém, sem- pre recusando qualquer santificação ou idolatria, reconhecendo suas imperfei- ções, rindo e chorando como qualquer um de nós e nisso ele se torna grande, um gigante do bem, ensinando que é pos- sível, mesmo com um passado obscuro, caminharmos para a luz, sermos luz. Que o silêncio fecundo e repleto de ensinamentos que Raul Teixeira segue dando, nos remeta a Jesus, o Mestre incomparável que ele sempre divulgou, procurando compreender e viver, sem deixar de nos ajudar também a enten- der e a internalizar, pois nunca desejou crescer sozinho, mas em comunhão com seus irmãos, que somos todos nós. Raul Teixeira silêncio que exalta o amor de Deuspor Cezar Braga Said encontra em um resgate, pois se vê uma alma endividada com as Leis Divinas. Não se vitima a fim de inspirar a comiseração alheia, nem lamenta o golpe recebido, ao contrário, coloca-se à disposição de Je- sus para que Ele utilize suas faculdades como lhe aprouver e o guie pelos cami- nhos que desejar. Segue médium, fazendo os registros “O amor, devidamente compreendido, é a energia que nos diviniza, é o traço que nos liga ao Cria- dor, impulsionando-nos a espalhar a Sua vontade pelo universo.” - Camilo (do livro Educação e Vivências, psicografia de Raul Teixeira)
  7. 7. 12 13RESENHARESENHA Em verdade, a cruz na qual se des- pediu da jornada humana, não foi uma fatalidade imposta, mas Sua escolha, que Ele poderia ou não ter elegido. Toda a Sua vida foi um hino vivo de lições inesquecíveis, que perma- necem aguardando a coletiva aceita- ção da sociedade, para a conquista inevitável da plenitude. Ninguém, antes, conseguira sinte- tizar as lições libertadoras, em perí- odo tão breve da existência, como aquele dedicado por Ele ao ministério da palavra, acompanhadas pelos su- blimes exemplos, qual O fez. Nos memoráveis diálogos, Ele sem- pre exaltou os valores que não eram considerados, numa cultura precon- V igem, lamentavelmente, em alguns círculos da fé cris- tã, a indevida informação de que Jesus veio à Terra, com espe- cial compromisso para o sacrifício da cruz. Noutras comunidades, de igual maneira desnorteadas, busca-se aco- modação injustificável ao afirmar-se que a regra de ouro, apresentada na montanha, é para ser decodificada e adaptada às circunstâncias moder- nas, em conclusão aberrante, por eli- minar os profundos conceitos morais nela estabelecidos. Outros grupamentos, também equivocados, asseveram que Jesus suavizou a severidade da lei antiga mediante a proposta edificante do amor. ceituosa e prepotente, com sede de poder e de tormentosas vinditas. Opôs-se com segurança às ilusões do mundo temporal, desde o momen- to em que optou por um berço de pa- lha, quase em direto contato com a natureza que muito amou, e viveu de maneira compatível com cada pala- vra e conceito que emitiu. Enfrentou o farisaísmo dos equivo- cados, cumpriu todos os deveres im- postos aos cidadãos, sem reservar- -se nenhum privilégio. Não temeu a soberba farisaica, nem as injunções adversas que lhe preparavam, mantendo-se acima das misérias humanas. Cultivou a simplicidade e a pureza, embora a condição de Messias, que preferiu servir a ser favorecido em qualquer circunstância. Todos os Seus, foram passos fir- mes na direção do porto da paz, o que culminou pela crucificação, con- sequência natural da opção pelo amor aos infelizes e excluídos. Ele não veio atenuar a severida- de das leis nem dos profetas. Pelo contrário, submeteu-se-lhes jubilosa- mente, pois que pagou o tributo de- vido a César, mas também atendeu os deveres de referência a Deus. Honrou as sinagogas e o templo, levou-lhes a palavra libertadora enfo- cada na divina Justiça, sem olvidar a misericórdia e a compaixão do Pai todo amor. Não transgrediu nenhum dos man- LIBERTADORAS lições
  8. 8. 14 15 damentos do Decálogo, antes eno- brecendo-os com a existência rica de dignidade. Foi além das recomendações legal- mente estatuídas, amando a todos. Enquanto a tradição mandava amar apenas àqueles que os amassem, Ele apontou o patamar elevado ao enun- ciar: - Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem, para que vos torneis fi- lhos de Deus... (Lucas, 6:35) Não há como servir a Deus, des- respeitando os códigos da humana legislação. Ele dignificou a mulher e aben- çoou a infância, que não eram tidas em alta consideração; não condenou a adúltera, embora não aprovasse o seu comportamento irregular,. A um jovem rico, desejoso de al- cançar o reino de Deus, estabeleceu como condição essencial a renúncia a todos os bens terrestres e a adoção de novo comportamento a partir da- quele instante... Jamais se permitiu qualquer deso- bediência, e, se trabalhou no sábado, violando o estabelecido código de re- pouso nesse dia, é porque o sábado foi feito para o homem servir e não para a sua inação. Nunca houve alguém mais submis- so aos códigos, alguns injustos, de Israel, que se lhe semelhasse. * A incomparável mensagem das bem-aventuranças não tem nenhum caráter simbólico. Toda ela é vívida página de ação eloquente em relação aos deveres. Trata-se de uma exaltação dos que eram rebaixados, de uma advertência aos poderosos, quão equivocados se encontravam e ainda permanecem no engodo. As imagens fortes continuam sen- do vigoroso apelo à humildade real que dignifica, à compreensão que eleva, ao amor que sublima. Na continuação dos conceitos con- fortadores, exprobou o adultério, a intemperança, os falsos juramentos, traçando as linhas de uma austera conduta que complementou a Lei e a tradição. Não somente, porém, enunciou as normativas, mas exemplificou-as, desde a compostura junto aos infeli- zes como diante dos indivíduos opu- lentos, do mesmo modo em relação aos rabinos honoráveis que o busca- ram. A regra de ouro é para ser vivida em toda a sua musicalidade extraor- dinária, e o cristão legítimo não se pode permitir interpretações benig- nas e complacentes com os vícios e licenças morais da atualidade. Conhecer Jesus é o passo inicial para viver com Ele a trajetória segui- da, a sexta-feira da paixão, o cami- nho do holocausto em serenidade. Se te identificas com o Mestre ga- lileu, não te permitas alterar as re- gras da Boa Nova, que suavizem a marcha, nem te enganes com inter- pretações benevolentes que anuem com os fugazes prazeres da ilusão corpórea. RESENHARESENHA Age sempre como Ele o faria, man- tendo-te em sintonia com a Sua con- duta incorruptível. Quando alguma adversidade tentar nublar a claridade da tua fé rutilante, alenta-te na evocação de que tam- bém Ele foi testado de formas varia- das, vencendo-as todas com tranqui- lidade e harmonia interior. Nunca te permitas concessões que violam as lições libertadoras que Ele te legou. * A cruz, na qual Ele expirou, foi o momento culminante para confirmar todos os ensinamentos, parábolas e curas realizadas, demonstrando que a conquista do reino de Deus depen- de de alta quota de sacrifício e de ab- negação. Entretanto, considera que sem a crucificação não teria havido a ressurreição triunfante para coroa- mento na vida imortal. Também ressuscitarás após o tes- temunho. Exulta, desde agora, e vive Jesus integralmente no dia a dia da tua vi- legiatura carnal. Joanna de Ângelis Psicografia de Divaldo Pereira Franco, na sessão mediúnica da noite de 9 de setem- bro de 2013, no Centro
  9. 9. 16 17 Ao formares o teu lar, forma-o em bases de carinho e respeito, de li- berdade e de alegria, de responsabili- dade e de trabalho, a fim de que nele se forje o ninho de amor mais rutilante. Institui no imo do teu refúgio domés- tico o hábito salutaríssimo da oração entre os teus amores, o mesmo a sós, permitindo a união dos teus dependen- tes afetivos com as faixas de luz e de paz que vibram em altas frequências, e que te trazem o clima refrigerante da celestial assistência. (...) O teu lar deve ser o aconchego onde te possas resguardar do tumulto das ruas, da agrestia das urbes e da exasperante solidão tecnológica. Tornando-se o teu ninho caseiro um oásis de paz no vasto deserto social que impera mundo afora, trabalha, en- sina e educa em família, de modo que não consintas brigas e outras formas de agressão em tua querência domésti- ca, mas transformando-a, isso sim, no cadinho de aprendizados e câmbios tão benfazejos quanto indispensáveis para o teu e para o progresso espiritual de todos os teus. Camilo (Livro: (Minha família, o mundo e eu. Camilo, Cap. 18. Raul Teixeira) Tem-se procurado reprimir a delin- quência sem se combaterem as causas fecundas da sua multiplica- ção. Muito fácil, parece, a tarefa re- pressiva, inútil, porém, quando não se transforma em um fator a mais para a própria violência. A terapêutica para tão urgente questão há de ser preventiva, exigin- do dos adultos que se repletem de amor nas inexauríveis nascentes da Doutrina de Jesus, a fim de que, mo- ralizando-se, possam educar as ge- rações novas propiciando-lhes clima salutar de sobrevivência psíquica e realização humana. A valorização da vida e o respei- to pela vida conduzirão pais, mestres, educadores, religiosos e psicólogos a uma engrenagem de entendimento fraternal com objetivos harmônicos e metódicos – exemplos capazes de sensibilizar a alma infantil e conduzi- -la com segurança às metas felizes que devem perseguir Joanna de Ângelis (Livro: SOS Família. Diversos, Cap. Delin- quência, perversidade e violência. Divaldo Franco) VIDAEM familia´ RESENHARESENHA OEvangelho SEGUNDO O ESPIRITISMO 150anos 2014
  10. 10. 18 19 Fruirás, sim, a paz porque anelas, e defrontarás a plenitude em ti mesmo, que hoje te falta. Não te aflijas pelo ama- nhã, nem te afadigues sob tormentos perfeitamente superáveis. Jesus ensinou-nos a descobrir os ínsitos valores de nós mesmos e estimu- lou-nos a transformá-los em estrelas fulgurantes, clare- ando a noite de nossa atual conjuntura. Não te entregues, por- tanto, à desnecessária afli- ção. Espera e ama desde hoje. Logo mais estarás tranquilo e feliz com o Cris- to, a quem já começas a sentir no imo da alma. Joanna de Ângelis (Livro: Rumos libertadores. Joanna de Ânge- lis, Cap.: 40. Divaldo Franco) Confia que a cada dia tudo se altera para melhor e que, se prosse- guires atento e confiante em Deus, a tua vida se transformará e conse- guirás vencer os tempos opressores e as agruras que se insurgem, trans- formando-te em alguém vitorioso e feliz, a fim de avançares para o pro- gresso pleno que almejas, pleno de vida e de harmo- nia, mergulhando nesse universo divino, que em toda parte trescala bên- çãos de aprendizado, de aprimoramento, de paz e de felicidade. Ivan de Albuquerque (Livro: Caminhos para o amor e a paz. Ivan de Albuquerque, Parte XIV. Raul Teixeira) Desafios da Educação: Em todas as perguntas elaboradas, vê-se claramente o interesse pelo melhor entendimento da vida, de modo a viver-se na Terra com menor risco, considerando-se os cuidados que devem ser tomados para que se faça tal travessia pelas rotas da humanidade. E porque a virtude da educação tem sido tão preterida, desdenhada e menos prezada, nessa época de tecnologia, de cibernética e de domínio econômico marcados por aterrorizante e ácido materialismo. Trabalhamos para demonstrar que as referidas interrogações representam verdadeira ânsia de aproveitar ao máximo as experiências cotidianas, enquanto se encontram pelas veredas terrenais. (http://www.editorafrater.com.br/) Párias em Redenção: Sob a forma de romance, o Espírito Victor Hugo apresenta um estudo da alma humana no seu caminho para a redenção. A obra é dividida em trás partes. Na primeira, relata uma trágica história de crimes, que se desenrola entre altas personalidades da nobreza da Toscana (Itália) do século XVIII. Na segunda, é narrado o infeliz despertar do crimino- so no Além, seu julgamento sob a acusação da cons- ciência culpada, a sua reencarnação e a de diversos personagens envolvidos nos laços da Lei de Causa e Efeito. Na última narra a forma usada pela Lei Divina para dar “a cada um segundo as suas obras”,permitindo aos párias a sua redenção, tanto na vida física – quando reencarnados no Brasil dos séculos XIX e XX – quan- to no Além, onde os personagens, então harmoniza- dos, experimentam a felicidade de constatar que “o presente apagava as sombras do passado e abria no- vas portas redentoras para o futuro”. (http://mansaodocaminho.com.br/livraria-leal/) RESENHARESENHA

×