Agosto de 2013
AVISO LEGAL
2
Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem...
1
Exposição à Crescente
Demanda de Energia no
Brasil
Brasil é altamente dependente de geração hídrica
Novas hidrelétricas predominantemente a fio d’água, levando ao rápido
esg...
Novas usinas térmicas são necessárias para aumentar a confiabilidade do sistema
A capacidade de armazenamento de água
esta...
65.2
86.5
64.7
78.1
60.0
65.0
70.0
75.0
80.0
85.0
90.0
2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020
GWavg
Carga de energia (pre...
2
Visão geral da MPX
Caso único de investimento no mercado de energia do Brasil
Fluxo de receitas estável: Termelétricas
com benefícios fiscais...
9Nota : Receita Fixa é corrigida anualmente pelo IPCA (considerando data-base Novembro, 2012).
Capacidade
(100% do projeto...
10
Receita mínima anual de R$ 620 milhões virão de ativos de geração em construção
Adicionalmente 1,1 GW entrarão em opera...
11
CARVÃO
 Açu Carvão: 2,1 GW
 Sul + Seival: 1,3 GW
- Integrado a Mina de Seival: Licença de
operação emitida e 152 MM t...
E&P de Gás Natural
3
Recursos de gás natural onshore integrados suprirá as usinas da
MPX na Bacia do Parnaíba
Forte competitividade na geração ...
Com oportunidades atrativas para monetizar novas descobertas
Posição competitiva única em geração a gás
14
Campos de Gás U...
Destaques Financeiros
4
16
ENDIVIDAMENTO
Perfil de maturação da dívida bruta consolidada
(R$ million)
2.651
1.121 1.530
Projetos Holding
Dívida de...
Controle compartilhado
com a E.ON
5
EIKE BATISTAFREE FLOAT
Joint-Venture MPX E.ON (JV)
Amapari
Energia
Parnaíba
(expansão)
UTEs Açu
Ventos
Eólico
UTE Itaqui
U...
19
Aumento de Capital
Estrutura Acionária da MPX em 30 de junho de 2013
36,2% 29,0%
EIKE
BATISTA
FREE
FLOAT
34,8% ~38% ~24...
MPX está posicionada para capturar as oportunidades do mercado
Carteira de projetos térmicos robusta para atender a
necess...
Apêndice - Imagens
6
UTE PORTO DO PECÉM I & II
22
UTE ITAQUI
23
UTE PARNAÍBA I & II
24
BACIA DO PARNAÍBA: E&P DE GÁS NATURAL
25
Para mais informações, entre em contato com:
Relações com Investidores
(55 21) 2163-5604
ri.mpx@mpx.com.br
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mpx apresentação corporativa (agosto)

371 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
371
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
122
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Isso já considera plantas em default canceladas? Sim Onde posso achar esses dados?Garantia Física (projetos existentes): http://www.aneel.gov.br/aplicacoes/capacidadebrasil/energiaassegurada.aspGarantia Física (EXPANSÃO): Portarias de Garantia Física publicadas a cada ano antes dos respectivos leilões.Previsão de carga de Energia: deck Newave (necessário ser agente da CCEE), o mercado não tem acesso a essa previsão de carga
  • Mpx apresentação corporativa (agosto)

    1. 1. Agosto de 2013
    2. 2. AVISO LEGAL 2 Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ou expectativas da Companhia e de sua administração a respeito de seu plano de negócios. Afirmações prospectivas incluem, entre outras, todas as afirmações que denotam previsão, projeção, indicam ou implicam resultados, performance ou realizações futuras, podendo conter palavras como "acreditar", "prever", "esperar“, "contemplar", "provavelmente resultará" ou outras palavras ou expressões de acepção semelhante. Tais afirmações estão sujeitas a uma série de expressivos riscos, incertezas e premissas. Advertimos que diversos fatores importantes podem fazer com que os resultados reais divirjam de maneira relevante dos planos, objetivos, expectativas, estimativas e intenções expressos nesta apresentação. Em nenhuma hipótese a Companhia ou suas subsidiárias, seus conselheiros, diretores, representantes ou empregados serão responsáveis perante quaisquer terceiros (inclusive investidores) por decisões ou atos de investimento ou negócios tomados com base nas informações e afirmações constantes desta apresentação, e tampouco por danos consequentes, indiretos ou semelhantes. A Companhia não tem intenção de fornecer aos eventuais detentores de ações uma revisão das afirmações prospectivas ou análise das diferenças entre as afirmações prospectivas e os resultados reais. Esta apresentação e seu teor constituem informação de propriedade da Companhia, não podendo ser reproduzidos ou divulgados no todo ou em parte sem a sua prévia anuência por escrito.
    3. 3. 1 Exposição à Crescente Demanda de Energia no Brasil
    4. 4. Brasil é altamente dependente de geração hídrica Novas hidrelétricas predominantemente a fio d’água, levando ao rápido esgotamento dos reservatórios 4 Reservatórios Sudeste (~70% da capacidade total de armazenamento) Fonte: ANEEL Capacidade de Geração do Brasil: 131 GW (Divisão por fonte) Estação de Seca68.7% 9.9% 2.2% 1.6% 1.6% 16.0% Hidro Gás Natural Carvão Nuclear Eólica Outras 67% 56% 76% 29% 38% 46% 54% 62% 0% 25% 50% 75% 100% Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Média 2007-2011 2012 2013
    5. 5. Novas usinas térmicas são necessárias para aumentar a confiabilidade do sistema A capacidade de armazenamento de água estagnou, levando a uma diminuição da autonomia do sistema 5Fonte: ONS Capacidade de armazenamento (Sudeste = 70% capacidade total) Autonomia = Capacidade de armazenamento / (Carga – Geração Térmica) Estagnação da Capacidade de Armazenamento Autonomia Atual do Reservatório ~ 5 meses GW/mês
    6. 6. 65.2 86.5 64.7 78.1 60.0 65.0 70.0 75.0 80.0 85.0 90.0 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 GWavg Carga de energia (previsão) Energia Firme (com PPAs assinados) Fonte: ONS, ANEEL 6 2016 em diante: necessidade de nova geração ~8 GW médios necessários até 2020 O crescimento econômico aumentará a demanda de energia levando a um déficit de abastecimento em 2016 Default e atrasos em projetos greenfield podem aumentar ainda mais a necessidade de nova capacidade
    7. 7. 2 Visão geral da MPX
    8. 8. Caso único de investimento no mercado de energia do Brasil Fluxo de receitas estável: Termelétricas com benefícios fiscais entrando em operação a partir de 2012/13 Ativos de gás onshore: Elevadas margens operacionais e rápido retorno sobre o investimento Oportunidades relevantes do setor Em operação desde 2012 Gestão qualificada e comprometida Robusto portfólio de projetos Demanda: crescimento significativo no consumo de energia esperado para os próximos anos Suprimento: risco de atrasos no início de operação de projetos relevantes Matriz energética: predominante em hidrelétricas Equipe: preparada e alinhada com os interesses dos acionistas Administração: altamente qualificada e alinhados com a estratégia da empresa Projetos Térmicos: Para atender as necessidades do Brasil Companhia Diversificada: Integração eficiente de recursos de gás natural com produção de energia 8 Fluxo de caixa estável e posicionamento competitivo diferenciado
    9. 9. 9Nota : Receita Fixa é corrigida anualmente pelo IPCA (considerando data-base Novembro, 2012). Capacidade (100% do projeto) 1.756 MW Receita Fixa anual (ajustado partic. MPX %) R$ 878,2 milhões Combustível Carvão Carvão Gás – Ciclo aberto Participação pós-transação MPX 50%/EDP 50% 100% MPX 70% Petra 30% Capacidade Instalada (MW) 720 360 676 Receita Fixa (R$ MM/ano) 567,2 299,8 421,2 Início de Operação Mai/13 Fev/13 Abr/13 As usinas em operação irão gerar receita anual de no mínimo R$ 878 milhões MPX atualmente opera mais de 1,7 GW PECÉM I PARNAÍBA IITAQUI
    10. 10. 10 Receita mínima anual de R$ 620 milhões virão de ativos de geração em construção Adicionalmente 1,1 GW entrarão em operação em 2013 10 PECÉM II2 PARNAÍBA III Nova Venécia PARNAÍBA II Combustível Carvão Gás – ciclo combinado Gás – ciclo aberto Gás Participação pós-transação 100% 100% 70% 70% Capacidade Instalada (MW) 365 517 176 56 Receita Fixa (R$ MM/ano) 269,2 353,1 93,5 54,0 Início de Operação 3T13 4T13 4T13 4T13 PARNAÍBA IV Mercado Livre Note : 1 - Receita Fixa é corrigida anualmente pelo IPCA (considerando data-base Novembro, 2012; Parnaíba IV data-base Janeiro, 2013). 2 - Pecém II se sincronizou com o Sistema Interligado Nacional em 2 de junho, testes elétricos requeridos pelo ONS foram concluídos em 29 de junho e, em 2 de julho, a unidade atingiu capacidade plena. A operação comercial está agora condicionada à disponibilidade da nova subestação/linha de transmissão de 500kV em construção pela Chesf/TDG. Capacidade (100% do projeto) 1.114 MW Receita Fixa anual1 (ajustado partic. MPX %) R$ 619,6 milhões
    11. 11. 11 CARVÃO  Açu Carvão: 2,1 GW  Sul + Seival: 1,3 GW - Integrado a Mina de Seival: Licença de operação emitida e 152 MM toneladas de reservas provadas RENOVÁVEIS  Ventos Wind: até 1,2 GW - Ativos greenfield diferenciados em uma área com alto potencial para geração eólica no Brasil - Capacidade: 600 MW - Fator de Capacidade Estimado: 48% (P50) - Conexão com a rede básica a 30 km - Direitos fundiários assegurados - Licença ambiental emitida - Opção de compra de 600 MW adicionais GÁS  Expansão Parnaíba: 2,2 GW - Importante vantagem competitiva com a integração da produção de gás natural e geração de energia em uma região com benefícios fiscais  Capacidade UTE Açu: 3,3 GW - Localizado a 150km das acumulações de gás natural descobertas na Bacia de Campos em um porto com licença para construir um terminal de regaseificação Maranhão Rio de Janeiro Rio de Janeiro Rio Grande do Sul Rio Grande do Norte MPX possui um robusto portfólio de ativos greenfields 10 GW em projetos de geração de base e eólicos licenciados
    12. 12. E&P de Gás Natural 3
    13. 13. Recursos de gás natural onshore integrados suprirá as usinas da MPX na Bacia do Parnaíba Forte competitividade na geração a gás 13 MA OGX Maranhão Blocks Total area: 24,500 km² FAZENDA CHICOTE GAVIÃO BRANCO GAVIÃO REAL Parnaíba Power Generation Discovery Fields SANTA ISABEL SÃO RAIMUNDO MA MPX possui 33,3% da OGX Maranhão, empresa que possui e opera 8 campos de gás onshore 3 sondas operando simultaneamente: 2 focadas na exploração e 1 de completação no desenvolvimento da produção GAVIÃO REAL  Início da produção comercial em jan/13  Produção atual equivalente a 4,1 MM m3/dia GAVIÃO BRANCO  Declaração de comercialidade apresentada à ANP  Volume total in situ estimado: 0,2 a 0,5 Tcf de gás
    14. 14. Com oportunidades atrativas para monetizar novas descobertas Posição competitiva única em geração a gás 14 Campos de Gás UTG Geração de Energia EXPLORAÇÃO  No 2T13, 5 novos poços foram perfurados pela OGX, 3 deles eram “wildcats”*:  Prospecto Fazenda Alencar (OGX-112): 22 metros de net pay de gás descoberto  Prospecto Fazenda Sossego (OGX-114): 14 metros de net pay de gás descoberto  Prospecto Fazenda Havana (OGX-115): Em progresso  Adicionalmente, 2 “wildcats” adjacentes começaram a ser perfurados:  SE Bom Jesus (OGX-111), adjacente à Bom Jesus (OGX-88): 20 metros de net pay de gás descoberto  NW Fazenda Chicote (OGX-113), adjacente à Fazenda Chicote (OGX-107): Indícios de gás encontrados *Um poço “wildcat” é o primeiro poço perfurado num novo prospecto.
    15. 15. Destaques Financeiros 4
    16. 16. 16 ENDIVIDAMENTO Perfil de maturação da dívida bruta consolidada (R$ million) 2.651 1.121 1.530 Projetos Holding Dívida de Curto Prazo (R$ milhões) 100 350 Pago através do aumento de capital Debêntures de projetos 1.080 Debêntures de LP na holding 2.651 46% 3.082 54% Curto Prazo Longo Prazo Dívida de Curto Prazo (2T13): R$ 1.121,5 milhões em projetos: • R$ 845,2 milhões são referentes a empréstimos- ponte para Parnaíba I & II  a serem pagos com financiamento de longo prazo. • R$ 276,2 milhões são referentes a parcelas exercíveis no curto prazo das dívidas de project finance de Pecém II, Itaqui e Parnaíba I. • Planos da holding para eliminar empréstimos entre subsidiárias através da emissão de debêntures de projeto de longo prazo com taxas mais vantajosas com o objetivo de pagar empréstimos existentes • A dívida de curto prazo remanescente na holding será substituída por debênture de longo prazo, com prazo estimado de 5 a 7 anos Total: R$ 5.733 MM
    17. 17. Controle compartilhado com a E.ON 5
    18. 18. EIKE BATISTAFREE FLOAT Joint-Venture MPX E.ON (JV) Amapari Energia Parnaíba (expansão) UTEs Açu Ventos Eólico UTE Itaqui UTE Pecém II UTE Pecém I Mina de carvão Seival OGX Maranhão Parnaíba II CCGT Parnaíba I OCGT Blocos Exploratórios de Gás Natural na Bacia do Parnaíba 50% 100% 100% 51% 70% 100% 33% 70% 70% 35% 50% Suprimento & Trading 35% 50% 50% 36,2%29,0%34,8% UTEs Sul & Seival UTE Castilla 50% 50% 50% 50% Tauá Solar 100% 100% 100% 50% 18 Estrutura acionária atual da MPX
    19. 19. 19 Aumento de Capital Estrutura Acionária da MPX em 30 de junho de 2013 36,2% 29,0% EIKE BATISTA FREE FLOAT 34,8% ~38% ~24% EIKE BATISTA FREE FLOAT ~38% Estrutura Acionária da MPX após a conclusão do Aumento de Capital  Aumento de capital privado de R$ 800 milhões aprovado em Reunião do Conselho de Administração de 03 de julho;  81.235.437 das novas ações emitidas, equivalente a aproximadamente R$ 524 milhões, foram subscritas e integralizadas durante o Período Inicial de Subscrição, que se encerrou em 8 de agosto;  Primeiro Período Adicional de Subscrição se inicia em 14 de agosto e termina em 16 de agosto. Obs: Considera o não-exercício dos direitos de subscrição pelo Sr. Eike Batista e a subscrição de R$ 366,7 milhões pela E.ON
    20. 20. MPX está posicionada para capturar as oportunidades do mercado Carteira de projetos térmicos robusta para atender a necessidade brasileira de um sistema elétrico mais confiável Termelétricas com benefícios fiscais entrando em operação Oportunidades atrativas para monetizar o gás natural Controle compartilhado com a E.ON para acelerar o desenvolvimento de robusto portfólio de ativos de energia Administração experiente para executar visão estratégica Déficit em Oferta/ Demanda de energia Matriz energética predominate de hidrelétricas Capacidade de armazenamento estagnada Reservatórios em níveis semelhantes ao racionamento de energia em 2001 O preço spot (PLD) atingiu a máxima histórica dos últimos 10 anos Necessidade de aumentar a capacidade de geração de base OPORTUNIDADES CONSIDERAÇÕES PARA INVESTIMENTO 20 Fortalecimento da posição financeira e capacidade de execução para desenvolver robusta carteira de projetos térmicos licenciados greenfield
    21. 21. Apêndice - Imagens 6
    22. 22. UTE PORTO DO PECÉM I & II 22
    23. 23. UTE ITAQUI 23
    24. 24. UTE PARNAÍBA I & II 24
    25. 25. BACIA DO PARNAÍBA: E&P DE GÁS NATURAL 25
    26. 26. Para mais informações, entre em contato com: Relações com Investidores (55 21) 2163-5604 ri.mpx@mpx.com.br

    ×