Media participativos e a importância do jornalismo como ferramenta educativa, exemplos do projecto RadioActive

262 visualizações

Publicada em

14-16 abril de 2014: Brites, Maria J; Santos, Sílvio C.; Catalão, Daniel; Jorge, Ana; Navio, Catarina. Media participativos e a importância do jornalismo como ferramenta educativa, exemplos do projecto RadioActive,Cofibercom - II Congresso Mundial de Comunicação Ibero-americana, Braga, 2014.
http://www.lasics.uminho.pt/confibercom2014/wp-content/uploads/Programa.pdf

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
262
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Media participativos e a importância do jornalismo como ferramenta educativa, exemplos do projecto RadioActive

  1. 1. Media participativos e a importância do jornalismo como ferramenta educativa, exemplos do projecto RadioActive CONFIBERCOM - II Congresso Mundial de Comunicação Ibero-americana 13 a 16 de abril de 2014, a Universidade do Minho em Braga (Portugal) Maria José Brites, CIMJ/FCSH, ULP Sílvio Correia Santos, CIMJ, UC Daniel Catalão, ULP, RTP Ana Jorge, CIMJ/FCSH/NOVA Catarina Navio, CIMJ
  2. 2. RadioActive: implementação europeia • Rádio internet. • O projeto é aplicado na Alemanha, em Malta, no Reino Unido, na Roménia e em Portugal. • Formas de empoderamento que efetivamente constituam elementos de crescimento curricular dos jovens envolvidos e que possam ser usados na procura de emprego. RadioActive Europe: promoting engagement, informal learning and employability of at risk and excluded people across Europe through internet radio and social media (531245-LLP-1-2012- 1-UK-KA3-KA3MP). Projecto financiado com o apoio da Comissão Europeia, através do Lifelong Learning Programme.
  3. 3. Modelo de pesquisa • Investigação Ação Participativa • Educação para os media
  4. 4. Investigação-Ação Participativa: fundamentos • Investigação-Ação Participativa – Empoderar sujeitos comuns através da pesquisa (Kindon, Pain & Kesby: 2007a: 1). – Processo colaborativo de pesquisa, educação e ação com a intenção de promover, de alguma forma, uma determinada transformação social. – Ter em conta contextos pré-existentes. Identificar problemas e necessiadades Estabalecer objectivos realistas “…ensinar não é transferir conhecimento, é criar as possibilidades para a sua produção” (Freire, 2010/1996: 22)
  5. 5. Modelo educativo não formal • É um modelo pedagógico com perspetiva de inclusão através de rádio internet e de media sociais. A plataforma inicial foi pensada para a participação ativa em comunidade (Ravenscroft, Attwell, Blagbrough & Stieglitz, 2011). • Recurso a técnicas desenvolvidas por jornalistas.
  6. 6. RadioActive: implementação em Portugal • Portugal/Programa Escolhas: Porto (Metas e Catapulta) Coimbra (Trampolim) EntrEscolhas (Gondomar)
  7. 7. Centros, identidades diferentes Metas Catapulta Trampolim
  8. 8. Programas • Jornalismo como ferramenta de aprendizagem: – Vantagens: modelo formal, melhoria da expressão oral e escrita, conhecer os media, reflectir sobre processos mediátios através do saber fazer, desconstruir ideias pré-concebidas, aproveitar os ensinamentos no dia a dia. – Desvantagens: modelo menos criativo, perspectiva adultocêntrica • Processos criativos: – Letras, produção musical – Competências técnicas – Temas que reflectem as identidades comunitárias
  9. 9. Notas finais →Modelo pré-concebido de jornalismo →Entendimento pela prática →O que é rádio?
  10. 10. http://radioactive101.eu/
  11. 11. http://pt.radioactive101.eu/

×