Focando no SmartGrid: Visão e Atuação da Telefonica

748 visualizações

Publicada em

Fórum Smart Grid Setembro/2014: Focando no SmartGrid: Visão e Atuação da Telefonica | Vivo

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
748
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • O motivo desse reencontro é que a grande diferença em relação à infra-estrutura existente hoje é a adição de uma infraestrutura de tecnologia da informação e comunicação à rede de energia elétrica.

    Como um primeiro passo para as Redes Elétricas Inteligentes no Brasil esta capacidade de comunicação tem sido aplicada de forma cada vez mais intensa à necessidades imediatas e mais relevantes das concessionárias: redução das perdas não técnicas e comerciais, aumento da qualidade do serviço sendo os próximos passos a melhor gestão dos ativos e aumento de eficiência operacional.
  • Em médio e longo prazo, além de uma grande mudança nos processos operacionais e eficiência das concessionárias (toneladas de dados!), espera-se uma mudança significativa na relação das concessionárias com o consumidor (pré-pago, tarifa variável, microgeração).

    Esse já é o tipo de interação que as operadoras tem com seus consumidores e identificamos geração de novas fontes de receitas caso a regulação permita.
  • Conectividade

    3G/4G como uma tecnologia “future-proof”, um dos pilares da evolução M2M 3.0
  • Conectividade

    Assim como no mercado m2m ouvimos nossos clientes. Reconhecemos a necessidade de evoluir o nível de serviço para esse mercado.
  • M2M 3.0

    Conjunto de ações práticas para viabilizar a conexão celular nas SmartGrids do Brasil
  • Projetos complementares: Smart Metering é apenas o começo. Outros serviços são gerados a partir dos rollouts em massa.
  • Focando no SmartGrid: Visão e Atuação da Telefonica

    1. 1. Focando no SmartGrid: Visão e Atuação da Telefonica | Vivo Fórum SmartGrid Setembro/2014 1
    2. 2. Histórico : A Telefônica | Vivo é parte de um grupo com trajetória de internacionalização e crescimento 1989 2000 Jun14 1989 – Jun14 Clientes (Mill.) 12 68 316 x26 Países * 1 16 24 +23 * Incluye Republica Checa y Eslovaquia (Telefónica mantiene una participación del 4,9% en Telefónica Czech Republic), e Irlanda (Nota: el 15 de julio de 2014 se cerró la venta del 100% de la participación en Telefónica Irlanda). ** Dato FY 2013 2 Equipe (milhares de empregados) 71 149 120 x2 Receitas (Mill. €) 4.273 28.482 57.061 ** x13
    3. 3. É líder na América Latina e tem escala relevante no mercado europeu 3 Acessos: 90 Milhões Junho 2014 España: 40,9 Alemania: 25,1 Reino Unido: 24,0 Acessos: 224 Milhões Junho 2014 Brasil: 95,1 Argentina: 26,2 México: 21,8 Perú: 21,3 Colombia: 15,1 Chile: 13,6 Centroamérica: 12,3 Venezuela: 11,5 Ecuador: 5,2 Uruguay: 1,9 Notas: Centroamérica inclui Guatemala, Panamá, El Salvador, Nicaragua y Costa Rica. Os numeros de acesos totais inclui os acessos Internet de Banda estreita de Terra Brasil e Terra Colombia e os acessos Internet Banda larga de Terra Brasil, Telefónica de Argentina, Terra Guatemala e Terra México.
    4. 4. Posicionamento Estratégico: evolução para a Internet das Coisas 4 Até 2009  Rede celular CDMA  Liderança da Vivo baseada em melhor qualidade Entre 2009 e 2011  Definição estratégica de migração para o GSM. Migração nacional em 6 meses.  Início da construção do portfolio M2M - machine to machine  Desenvolvimento e lançamento dos primeiros produtos e atendimento diferenciado para M2M (ex. missão crítica) A partir de 2012  Criação da unidade global de serviços digitais  Definições estratégicas de atuação no mercado e de parcerias  Definição da estrutura comercial dedicada em M2M  Implementação de plataforma de gestão de conectividade  Projetos pioneiros rumo a Internet das Coisas
    5. 5. Evolução Brasil: Líder em crescimento m2m após foco no mercado Evolução de Planta (MM) Evolução Market Share (%) 50% 45% 40% 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5% 5 7.2 0.05 1.44 Claro TIM OI Vivo CTBC 7.8 8.0 8.3 0.06 0.06 0.05 8.7 9.1 0.05 1.84 2.07 2.36 2.63 0.05 2.93 1.07 1.05 1.04 0.97 0.96 1.00 1.23 1.32 1.30 1.27 1.31 1.37 3.39 3.50 3.57 3.64 3.72 3.76 1T 13 2T 13 3T 13 4T 13 1T 14 2T 14 0% Vivo TIM Claro OI 3T12 1T 13 2T 13 3T 13 4T 13 1T 14 2T 14
    6. 6. Convergencia: SmartGrid aprofundará a relação das utilities com telecom Origem em comum Setores Estratégicos Fortemente Regulados Rentabilidade de Grandes Investimentos Redução de custos operacionais SMART GRID 6
    7. 7. Benefícios: o encontro desses setores já apresenta resultados ... Infraestrutura do sistema elétrico Redução de perdas não-técnicas Aumento na Qualidade do Serviço Melhor Gestão de Ativos Infraestrutura de informação e comunicação Otimização da Eficiência Operacional
    8. 8. ... com impactos disruptivos no futuro para concessionárias e, principalmente, prosumidores Fonte: CGEE, ANEEL Geração Distribuída Demand- Response Veículos Elétricos Self-healing Casa Inteligente Energia pré-paga, ...
    9. 9. A Telefônica já está atuando no maior caso real de sucesso do mundo: Governo do Reino Unido – Projeto Nacional Smart Metering Implementation Programme - SMIP  Conquista do Contrato de Provedor de Serviços de Comunicações (CSP) ‒ Áreas: central e sul ‒ Tecnologia predominantemente celular ‒ Multi-Utility (Energia + Gás) ‒ Maior contrato m2m do mundo. Valor do contrato: £1,5 bilhão* ‒ Período: 15 anos ‒ # de hubs de comunicação: 23,5 M ‒ Medidores: 42,3 M * NOTA: Valor total do contrato é £1,5B - Há um extra de £112M devido à TEF incluídas 100% das taxas de financiamento 9 Redução do consumo de energia através de dados em tempo real Eliminação da estimativa de contas e leitura manual Porta de entrada para Casas Inteligentes
    10. 10. Benefícios Tangíveis do Caso do Reino Unido 9.0 1.0 1.5 0.8 6.0 10 Fonte: DECC ”Smart meter roll-out for the domestic and small and medium non-domestic sectors (GB)” Utilities  Economia de £9 bi para fornecedoras de energia  Economia de £1bi em operação de rede elétrica  Economia com geração e distribuição £800 mi Consumidores  Economia de energia de £6bi para UK Economia nacional  Economia de uso de carbono de £1,5bi
    11. 11. Ecossistema
    12. 12. 12 Solução Telefonica Arquitetura Cliente CSP DSP / DCC Hubs de comunicação  Apenas celular: 2G/3G ‒ 99,25%  Celular + RF MESH
    13. 13. 13 Arquitetura Elementos Hub de comunicação acoplado ao medidor elétrico: elemento que executa a comunicação com as redes HAN e WAN Smart Meter – Eletricidade substitui o medidor tradicional In-Home Display (IHD): Uma tela instalada na residência ou empresa do cliente, que fornece informações quase em tempo real sobre o uso e gasto de energia Smart Meter – Gás substitui o medidor tradicional
    14. 14. 14 Arquitetura Tecnologias  Protocolos: ‒ Atende ao DLMS/COSEM GBCS (Great Britain Companion Specification) ‒ Zigbee SEP 1.x (Smart Energy Profile)  Wide area network (WAN): Rede celular para fornecer comunicação segura entre os medidores e o Data Service Provider : 2G GPRS em GSM900 / 3G HSPA em U900  Neighborhood Area network (NAN): Rede RF mesh para conectar os hubs de comunicação com tecnologia de acesso complementar  802.15.4g @ 868MHz freq. não-licenciada  Home area network (HAN): Rede voltada para fornecer comunicação entre os componentes do sistema de medição inteligente dentro das residências : Zigbee SEP 1.x @ 2.4GHz frequência não-licenciada
    15. 15. 15 Pontos chave para o sucesso Rápida implementação. Telecom a cargo de especialistas Segurança total (tecnologia celular + rede virtual) que atende à classificação CNI Frequência Licenciada com cobertura de 99,25% Elementos de M2M dedicados: Rede (GGSN, HLR) Radiofrequencia complementar à comunicação predominante celular Gestão de conectividade e serviços
    16. 16. Conectividade Celular: A escolha adequada da tecnologia celular é fundamental para requisitos robustos e projetos de longo prazo 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 00 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 16 1G – AMPS 2G  2,5G: GPRS (total:~28 anos) Fonte: Qualcomm e análise interna Hoje Lançamento Volume Pico 3G (total: ~30 anos) 4G – LTE 8 anos 10 anos 9 anos Projeção Futura Primeiros projetos telemetria GPRS no Brasil Posicionamento em 3G/4G  Mais de 3,1 mil com 3G (87% da população)  Expansão Rural  98 municípios (35,4% da população) com 4G  Ecossistema com tecnologia segura e interoperável  Investimento de R$2,25 bi em frequências 3G/4G
    17. 17. Alguns casos no Mundo Duck River Electric: contrato de conectividade celular com AT&T(2013) • “AT&T Becomes Duck River Electric's Central Technology Provider with Comprehensive Smart Grid Package” – AT&T Ausnet: Migrando de WiMax para Celular (2013) • “…WiMax related expenditure over the 2012-2015 budget period represented a substantial departure from the commercial standard…” - Australian Energy Regulator (AER) • “SP AusNet secures 3G communications component for smart meter rollout” – Metering.com Entergy adotando celular para áreas afetadas por desastres naturais • “…That a company like Entergy – with utilities right in the thick of disaster-prone areas – would go through its due diligence and decide that cellular can be relied on is more than a nice deal. It's also a nice credibility boost for cellular.” – Smart Grid News 17
    18. 18. Case Study 1: Manhattan, New York 3G Site Locations, Smart Meter Density and 3G Capacity Utilization Item Description Value Comment Numbers of Cell-sites in Manhattan 359 3G site count of a tier-1 operator Number of sector-carriers in Manhattan 3,392 Each sector equipped with 4 carriers Total number of meters (domestic + business) in Manhattan 836,167 Average number of meters per sector-carriers 247 3G network utilization due to smart meters For Multi-Interval Meter Readings every 30 mins • Average UL Network Capacity Utilization: 1.17% For Multi-Interval Meter Readings every 8 Hours • Average UL Network Capacity Utilization: 0.07% Average DL Network Capacity Utilization for Firmware Upgrades: 4.75% (during the non-busy hour) Fonte: Qualcomm
    19. 19. Case Study 2: Los Angeles, CA 3G Site Locations, Smart Meter Density and 3G Capacity Utilization Item Value Comment Numbers of Cell-sites in LA County 3,308 3G site count of a tier-1 operator Number of sector-carriers 20,325 Total number of meters (domestic + business) 4,492,016 Average number of meters per sector-carrier 221 3G network utilization due to smart meters For Multi-Interval Meter Readings every 30 mins • Average UL Network Capacity Utilization: 1.05% For Multi-Interval Meter Readings every 8 Hours • Average UL Network Capacity Utilization: 0.065% Average DL Network Capacity Utilization for Firmware Upgrades: 4.26% (during the non-busy hour) Fonte: Qualcomm
    20. 20. Case Study 3: San Diego, CA 3G Site Locations, Smart Meter Density and 3G Capacity Utilization Item Value Comment Numbers of Cell-sites in San Diego County 558 3G site count of a tier-1 operator Number of sector-carriers 5,634 Total number of meters (domestic + business) 1,455,910 Average # of meters per sector-carrier 259 3G network utilization due to smart meters For Multi-Interval Meter Readings every 30 mins • Average UL Network Capacity Utilization: 1.23% For Multi-Interval Meter Readings every 8 Hours • Average UL Network Capacity Utilization: 0.077% Average DL Network Capacity Utilization for Firmware Upgrades: 4.99% (during the non-busy hour) “San Diego Gas & Electric has scrapped its plan to build a private, licensed WiMAX network to support all its smart grid applications.” Fonte: Qualcomm
    21. 21. Caso - SP Ausnet - Austrália “Australian Energy Regulator (AER) sought expert advice regarding whether SP AusNet’s (SPA) plans to incur WiMax related expenditure over the 2012-2015 budget period represented a substantial departure from the commercial standard that a reasonable business would exercise in the circumstances.” 21
    22. 22. E no Brasil ? 1) Legislação 22 Fonte: SindTelebrasil
    23. 23. 2) Furto de infra: Problema Crônico para manutenção de rede 23
    24. 24. 3) Investimentos e Carga Tributária 24 Bi R$ * Considera 365 dias por ano, não inclui pagamento de licenças Fonte: SindTelebrasil Fonte: Telesintese
    25. 25. Necessidades jurídico-regulatórias 25 Fonte: SindTelebrasil
    26. 26. Investimento em Tecnologia e Inovação: Fibra 26 Rede de Fibra  114, 7 mil km  Quase 3 voltas no planeta Terra
    27. 27. Investimento em Tecnologia e Inovação: Data Center 27 Novo DataCenter (2012)  R$ 400 Milhoes de investimentos  Integração dos sistemas de TI  Área de 72 Mil metros quadrados  Atendimento para os próximos 10 anos
    28. 28. Foco Telco Digital: A conectividade orientada para o setor de Utilities Reconhecemos os requisitos de telecomunicações robustas  Melhoria da disponibilidade da conexão  Atendimento especializado  Ferramentas de Gestão  Adaptação de modelos comerciais para este mercado Por isso, entendemos serem necessárias ações estruturantes para atender às demandas de Utilities 28
    29. 29. Programa M2M 3.0: conjunto de ações para comunicações críticas M2M 3.0 29 Cobertura, SLA, QoS e Atendimento Ecossistema para tecnologia 3G Plataformas de Gestão de Conectividade Novos modelos comerciais
    30. 30. Colaboração : Outras áreas em que ela é bem vinda 1 Piloto de Cidades Inteligentes: Águas de São Pedro... 30 2 Pré-pagamento: Zuum 3 Atuação junto ao cliente final... 4 Eficiência Energética 5 Segurança da Informação
    31. 31.  O Grupo Telefônica está comprometido em atender cada vez mais o mercado de Utilities, local e globalmente. Este processo está se acelerando.  O expertise na camada de telecomunicações é fundamental para o sucesso de projetos de SmartGrid, conforme foi o caso do Reino Unido  A regulação e legislação dos setores têm o desafio de acomodar a convergência de necessidades de evolução tecnológica e de modelos de negócio  Com soluções, estrutura e abordagem focadas, aliadas a parcerias estratégicas, temos segurança de que contribuiremos para viabilizar os projetos de SmartGrid, com benefícios para o consumidor, concessionárias e para o país. 31 Principais mensagens
    32. 32. 32 Obrigado!

    ×