Fotografia e artes visuais

36 visualizações

Publicada em

fotografia e artes visuais

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
36
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fotografia e artes visuais

  1. 1. Curso de Artes Visuais - Fotografia Fotografia e Artes Visuais/ 1º Ano/1º Semestre Ano lectivo: 2007-2008 Horas de Contacto: OT:15 TP:45 Horas de Contacto Semanal: 4 horas Créditos ECTS: 5 ECTS Avaliação Contínua Docente: Sílvia Pinto Definição e Objectivos: A Unidade Curricular Fotografia e Artes Visuais pretende levar os alunos a: - Reflectir e praticar a Fotografia enquanto Arte Visual, articulando visão e pensamento, sensibilidade e experiência, história, memória e invenção. - Adquirir instrumentos de leitura e produção crítica de imagens. - Iniciar um percurso de criação com autenticidade e sentido crítico. - Desenvolver a capacidade de argumentação na defesa dos trabalhos. Competências: Espera-se, após a frequência desta Unidade Curricular, que os alunos sejam capazes de: - Conhecer o percurso que levou às múltiplas identificações entre a Fotografia e as Artes Visuais, não obstante as suas diferenças morfológicas, técnicas, históricas ou antropológicas. - Ler, interagir e utilizar criticamente a linguagem visual. - Criar com autenticidade e sentido crítico. - Apresentar e defender os seus trabalhos em público, sabendo utilizar para o efeito, vocabulário específico.
  2. 2. 2 Conteúdos Programáticos: 1. Breve introdução ao conceito e processo na criação artística. - A arte como modelo relacional entre um esquema e uma correcção. - A descodificação da imagem pelo observador e o ajustamento a novos tipos de notação. - Da representação à expressão. Do olhar inocente à noção de “equivalência”. O enigma do estilo e os limites da individualidade. 2. As primeiras relações entre a Fotografia e as Artes Visuais. - As primeiras aspirações artísticas da Fotografia. A Fotografia entre a Fotografia e a Pintura, e as várias vagas picturialistas. - O modernismo e a afirmação da Fotografia como criação autónoma. - A utilização da Fotografia como documento das obras. 3. O Olhar - Breve introdução à história e fenomenologia do Retrato. - Do retrato como identidade à identidade como imagem política. Memórias e arquivos. - Da representação como mimesis à imagem como invenção e descoberta. 4. O espaço envolvente – o espaço natural e o urbano e quotidiano - Breve introdução à história e fenomenologia da Paisagem. - A “Cultura da Natureza” - Da Paisagem à Land Art. - A criação de um novo género em fotografia – a street photography. 5. A relação entre o olhar e o mundo real - A Natureza Morta em pintura e em fotografia – diálogo e confronto. - Da Natureza Morta à metafísica dos objectos. - Marcas, provas e vestígios como presenças reais. Da mimesis ao índice. A fotografia como protótipo da imagem indiciária. 6. As artes da reprodução e a fotografia como meta-linguagem. - Um percurso através da “Linha Analítica da Arte Moderna”. 7. A imagem de estúdio e a relação com as “Belas Artes”.
  3. 3. 3 Metodologia: 1. Exposições teóricas, leituras e conversas acompanhadas da visualização de imagens e filmes sobre os temas relativos aos conteúdos programáticos. 2. Acompanhamento individual dos trabalhos cujas propostas e prazos de concretização são entregues aos alunos, por escrito. 3. Visitas de estudo a exposições na cidade. 4. Actividades propostas nos Planos de Actividades da Escola. Avaliação: A avaliação é contínua e realizar-se-á de acordo com o cronograma académico para o Semestre em curso, prevendo também pontos de situação intercalares, de acordo com os prazos de concretização previstos para cada proposta de trabalho. Em síntese, prevê a realização de um trabalho teórico e a sua respectiva defesa oral, sendo o trabalho teórico avaliado qualitativamente, e a realização dos trabalhos práticos. A avaliação qualitativa é definida nos seguintes termos: A = Muito Bom (17/20) B = Bom (14/16) C = Suficiente (10/13) D = Insuficiente (menos de 10) Critérios de avaliação: 1. Assiduidade, pontualidade e participação nas aulas - 80% de presenças obrigatórias e 15m de tolerância. 2. Conhecimento dos conteúdos do programa. 3. Profundidade e criatividade na aplicação dos conhecimentos. 4. Resposta aos exercícios /conceitos propostos (Domínio crítico). 5. Eficácia Técnica - Articulação da técnica com a poética. - Desempenho técnico (Domínio dos materiais). 6. Relação entre as partes (Domínio da percepção visual). 7. Empenho, método e evolução dos trabalhos - Pesquisa e/ou experimentação. - Qualidade da apresentação dos trabalhos.
  4. 4. 4 Bibliografia ARCARI, Antonio, A Fotografia. As formas, os objectos, o homem. Edições 70, Lisboa, 1983. BAQUÉ, Dominique, La Fotografia Plástica, Editorial Gustavo Gili, Barcelona, 2003. BARTHES, Roland (1977) A Câmara Clara, Edições 70, Lisboa, 1989. BAUDELAIRE, Charles, “Il pubblico moderno e la fotografia” (Salon de 1859), in Scritti sull’arte, Einaudi, Torino, 1992. BAURIEL, Gabriel, A Fotografia. História – Estilos – Aplicações, Edições 70, Lisboa, 2006. BAZIN, André (1945), “Ontologie de l’Image Photographique”, Qu’est-ce que le cinéma?; Éditions du Cerf, 1981, p. 9-17*. BENJAMIN, Walter (1931), “Pequena História da Fotografia”, Sobre Arte, Técnica, Linguagem e Política, Lisboa, Relógio d’Água, 1992, p.115-135. BENJAMIN, Walter (1936), “A obra de arte na era da sua reproductibilidade técnica”, Sobre Arte, Técnica, Linguagem e Política, Lisboa, Relógio d’Água, 1992, p. 75-113. BERGER, John, Modos de Ver, Edições 70, Lisboa, 2002. BERGER, John (1959), Sobre las propriedades del retrato fotográfico, Editorial Gustavo Gili, SL, Barcelona, 2006. BOURDIEU, Pierre (dir.) (1965), Un art moyen, essai sur la fonction sociale de la photographie, Paris, Éditions de Minuit. CAMPANY, David, Art and Photography, Phaidon, Londres, 2003. CHEVRIER, Jean-François, La fotografia entre las bellas artes y los medios de comunicação, Editorial Gustavo Gili, SA, Barcelona. DUBOIS, Philippe (1992), O Acto Fotográfico, Vega, Lisboa, 1992*. FLUSSER, Vilém, Ensaio sobre a Fotografia. Para uma Filosofia da Técnica, Relógio D’Água, Novembro, 1998. FRADE, Pedro Miguel (1992), Figuras do Espanto. A Fotografia Antes da Sua Cultura, Edições Asa, Porto, 1992. FRIZOT, Michel, A New History of Photography, Éditions Adam Biro, Konemann, 1998. KRAUS, Rosalind, O Fotográfico. Editorial Gustavo Gili, Barcelona, 2002. MEDEIROS, Margarida (2000), Fotografia e Narcisismo, Assírio e Alvim, Lisboa, 2000. PICAUDÉ, V. - ARBAIZAR, P. (eds.) (2001), La confusión de los géneros en fotografia, Editorial Gustavo Gili, SA, Barcelona, 2004. WEIRMAIR, Peter, cat. da exposição, La Natura della Natura Morta. Da Fox Talbot ai nostri giorni, Galleria d’Arte Moderna di Bologna. *Livros existentes na Biblioteca da Escola. Data: Assinatura do Docente: 26 de Outubro de 2007 (Sílvia Pinto)

×