Newsletter 3 - Internacionalização

616 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Newsletter 3 - Internacionalização

  1. 1. Newsletter 3: Março de 2014
  2. 2. Internacionalização das Empresas Portuguesas 2
  3. 3. O mercado interno é pequeno e as empresas nacionais necessitam de se expandir em mercados de maior dimensão para aumentarem vendas e permanecerem competitivas. No entanto, não basta querer, é preciso Saber Internacionalizar! Vá, mas não sozinho! 3
  4. 4. Serviços - Internacionalização A internacionalização é uma aventura arriscada que consome recursos financeiros e humanos que são sempre escassos. A Carmo&Cerqueira, SROC disponibiliza serviços para apoiar as empresas nos seus processos de internacionalização e no encontro de parceiros estratégicos e no desenvolvimento sustentado dos seus negócios:  Análise de potencias mercados e selecção de um mercado-alvo;  Conhecimento da legislação local e das regras de funcionamento de cada mercado;  Análise da viabilidade do Projecto;  Selecção de modos de presença no mercado;  Elaboração de um Plano de Internacionalização;  Fornecimento de uma vasta rede de contactos nos diversos países em diferentes sectores de actividade;  Possibilidade de agendamento/organização de reuniões/business trips no mercado-alvo. 4
  5. 5. Moçambique Moçambique é um país com cerca de 24 milhões de habitantes e com um território que é aproximadamente 9 vezes superior ao de Portugal Continental. O seu rendimento é baixo, o PIB per capita é de cerca de 500 USD e mais de 40% da população vive abaixo do nível de pobreza. A economia moçambicana cresce a taxas de cerca de 8% ao ano, com uma estabilidade macroeconómica e uma capacidade de resiliência às crises internacionais assinaláveis. 5
  6. 6. Moçambique – Pontos Fortes • Está entre os 10 países do mundo que mais cresceram na última década; • Tem um Mercado Interno de 20 milhões de habitantes; • Tem Acesso directo (isenção total de impostos) em exportar para UE/USA; • Sistema de tributação relativamente simples sem entraves significativos à importação; • Grandes projectos de investimento na extração de Carvão e Gás nos próximos 5 anos o que está e vai continuar a implicar grandes investimentos em infraestruturas; • Importação de máquinas para manufacturação isenta de taxas; • Diversas oportunidades de negócio; • País com relativa segurança para o padrão Africano. 6
  7. 7. Moçambique – Pontos Fracos • Moçambique está entre os 10 países mais pobres do mundo; • 80% da População tem fraco poder de compra (55% vive em Pobreza); • Falta de protecção contra importações (Banco Mundial); • Concorrência desleal de países Asiáticos (direitos humanos); • Concorrência desleal de ofertas/produtos em 2ª mão; • “Permeabilidade” das Alfandegas significam que produtos fabricados internamente, se respeitarem a lei, pagam IVA (17%) mas os mesmos produtos quando importados pouco IVA pagam; • Cidades fora de Maputo com escolas mais fracas; • Serviços de Saúde fora da capital bastante fracos. 7
  8. 8. Moçambique – Oportunidades • Obras Públicas e Construção Civil; • Energia; • Indústria Transformadora; • Agro-alimentares, incluindo Vinhos; • Produtos Farmacêuticos e Saúde; • Serviços e Logística; • Formação Profissional e Educação; • Turismo e Hotelaria. 8
  9. 9. Moçambique – Locais com maiores oportunidades • Maputo (Capital) • Tete (Carvão) • Pemba (Gás) Cidades Portuárias nos 3 Corredores de Moçambique, nomeadamente: • Nacala no Corredor de Nacala • Beira no Corredor da Beira • Maputo no Corredor do Maputo 9
  10. 10. Angola A economia angolana é a terceira maior economia da África subsariana. É uma nação em recuperação dos efeitos de mais de três décadas de guerra civil que destruiu o país e as suas infraestruturas. A ausência de infraestruturas, de capacidade e de recursos humanos, fazem deste período pós-guerra um grande desafio para o desenvolvimento do país. A economia angolana tem vindo a registar uma elevada taxa de crescimento na última década essencialmente devido ao clima de paz, à estabilidade política e ao bom desempenho do sector petrolífero. 10
  11. 11. Angola – Pontos Fortes • Economia diversificada e em crescimento, assentando sobretudo em grupos económicos angolanos; • Existência de ligação rodoviária entre todas as principais capitais de província; • Existência de linhas de crédito e incentivos aos pequenos grupos agrícolas; • Crescimento populacional de 3% ao ano; • Relação política agradável entre Portugal e Angola e experiência recíproca de investimentos. • Forte crescimento da actividade bancária e sólida presença da banca portuguesa; • Existência de financiamento para a construção de novos estabelecimentos comerciais em Luanda; 11
  12. 12. Angola – Pontos Fracos • Ausência de redes de distribuição e fragilidades a nível de logística; • Dificuldades nos pagamentos do Estado às empresas; • Sistema judicial pesa nas dificuldades do negócio; • Carência de empresas de qualidade para transporte de mercadorias entre cidades; • Fragilidades no sistema de ensino; • Pouca segurança. 12
  13. 13. Angola – Oportunidades • As oportunidades ao nível do investimento privado estão na agricultura, agro-indústria, indústria transformadora, logística, armazenamento e na formação; • Sectores da energia e águas; • Infraestruturas (rodovias e pontes) e habitação social (novas centralidades); • Potencialidades ao nível do turismo de pesca desportiva e safari; • Potencialidades ao nível do comércio, o mercado angolano é (quer pelo crescimento, como pela apetência e reconhecimento da qualidade do produto português) um mercado com grandes oportunidades para as exportações nacionais. 13
  14. 14. Brasil O Brasil é, atualmente, a primeira economia da América Latina e ocupa o sétimo lugar no ranking das maiores economias mundiais. É de assinalar que a economia brasileira registou elevadas taxas de crescimento nos últimos anos, resultado do progresso alcançado com as reformas económicas, das condições favoráveis a nível internacional e do desenvolvimento de políticas sociais. 14
  15. 15. Brasil – Pontos Fortes • Crescente recurso das grandes empresas brasileiras e estrangeiras à subcontratação; • Mercado em crescimento acelerado; • Inexistência de limites à aquisição de empresas brasileiras por empresas estrangeiras; • Sistema eficaz de controlo de pagamentos e disponível para consulta pública (devedor ao entrar em mora, é inserido num cadastro onde permanece por 5 anos, mesmo que, entretanto, tenha liquidado a dívida); • Crescente recurso das grandes empresas brasileiras e estrangeiras à subcontratação; • Inexistência de limite legal à entrada de capital estrangeiro no mercado. 15
  16. 16. Brasil – Pontos Fracos • Legislação proteccionista; • Elevadíssimas barreiras alfandegárias; • Sistema fiscal muito complexo; • Custo de vida muito elevado; • Salários elevados para técnicos qualificados; • Forte burocracia à entrada. 16
  17. 17. Brasil – Oportunidades • Infraestruturas de transportes • Energia - Energia Solar e Eólica • Medicina • Telecomunicações • Turismo • Construção Civil 17
  18. 18. Argélia A Argélia é o maior país africano em área e conta com uma população de cerca de 36 milhões. A economia argelina tem evidenciado um comportamento bastante favorável ao longo dos últimos anos, em resultado, fundamentalmente, do bom desempenho do sector do petróleo e do gás, que representa cerca de 31% do PIB, 80% das receitas do Estado e 98% das exportações. As projeções para 2014 e anos subsequentes apontam para taxas de crescimento acima dos 3%. 18
  19. 19. Argélia – Pontos Fortes • Mercado com crescimento económico acelerado; • Risco financeiro das operações de exportação é mínimo, já que a legislação do país determina que todas as importações sejam cobertas por carta de crédito irrevogável; • Abertura aos mercados internacionais iniciada na década de 90, consolidada no Acordo de Associação UE Argélia e na previsível adesão, a breve trecho, à OMC; • Falta de infraestruturas, a que se procura dar resposta; • Processo de privatização de parte significativa do sector empresarial público; • Tecido industrial fora do sector dos hidrocarbonetos a necessitar de grandes investimentos, tanto ao nível da modernização, como da diversificação (criação de novas unidades e indústrias). 19
  20. 20. Argélia – Pontos Fracos • Dificuldade de acesso à informação; • Importância do contacto pessoal directo - aconselha-se uma presença directa (que poderá ir de um escritório de representação, à criação de uma empresa de direito local, ou até à tomada de participações em empresas públicas em fase de privatização); • Demasiada burocracia, mudanças legislativas numerosas, sistema financeiro ineficiente; • Existem uma série de entraves ao desenvolvimento do sector privado; • Alguma inexperiência de negócio internacional por parte dos operadores argelinos. 20
  21. 21. Argélia – Oportunidades • Fornecimento de bens de equipamento e produtos industriais • Tecnologias de Informação e Comunicações • Construção civil e obras públicas • Agro-alimentares • Ambiente • Mobiliário • Metalomecânica • Têxteis-lar 21
  22. 22. Serviços - Internacionalização A internacionalização é uma aventura arriscada que consome recursos financeiros e humanos que são sempre escassos. A Carmo&Cerqueira, SROC disponibiliza serviços para apoiar as empresas nos seus processos de internacionalização e no encontro de parceiros estratégicos e no desenvolvimento sustentado dos seus negócios:  Análise de potencias mercados e selecção de um mercado-alvo;  Conhecimento da legislação local e das regras de funcionamento de cada mercado;  Análise da viabilidade do Projecto;  Selecção de modos de presença no mercado;  Elaboração de um Plano de Internacionalização;  Fornecimento de uma vasta rede de contactos nos diversos países em diferentes sectores de actividade;  Possibilidade de agendamento/organização de reuniões/business trips no mercado-alvo. 22
  23. 23. Largo Eng.º António de Almeida, n.º 70, Piso 9, Sala 422, 4100-065 Porto geral@carmoecerqueira.pt | Tel: 226 062 379 | Fax: 226 098 843 | NIF: 507 707 192 www.carmoecerqueira.pt Davide Cerqueira dcerqueira@carmoecerqueira.pt José Carmo jcarmo@carmoecerqueira.pt

×