O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
TRANSGRE
SSORES
ESCOLARES
O QUE É?
A educação está em pauta: muito tem se
falado sobre novas formas de aprendizado,
plataformas de conteúdo e movime...
HORI
ZONTALI
ZAÇÃO
DEMOCRATIZAÇÃO
O livre acesso ao conhecimento se tornou
uma premissa dentro do mundo atual.
O eixo central de geração de v...
Escola Digital
Funciona como um amplo acervo,
organizado com base nos parâmetros
curriculares nacionais. São vídeos,
plata...
CROWDLEARNING
O crowdlearning é um modelo de ensino e
aprendizado coletivo de diversos assuntos.
Aqui a busca é subverter ...
Quora
Site para compartilhamento de
conhecimento. Através dele é possível
deixar perguntas para experts nos mais
variados ...
FORMALIZAÇÃO DA
ESCOLA DA VIDA
Nem só de conteúdos formais vivem os novos
estudantes. Conhecimentos altamente
conectados a...
School Of Everything
Escola que permite aprender e ensinar
o que quer, onde quer e quando quiser.
O site possibilita encon...
AUTO-
DIDATIS
MO
MOOC’S
A livre disponibilidade de conhecimento, em
grande parte já catalogado e categorizado,
aliado às novas plataformas ...
Knewton
Considerada a maior plataforma adaptativa
do mundo, oferece conteúdo para alunos
dos ensinos fundamental e médio, ...
DESCOLARIZAÇÃO
Insatisfeitos com o modelo de aprendizagem
ainda praticado, pais e alunos se unem em um
movimento de negaçã...
Uncollege
Programa que guia o aluno por um ano de
aprendizagem auto-dirigida. É dividido em 4
fases: vivência em uma casa ...
ENSINO
EXPERI
ENCIAL
DECONSTRUÇÃO DA
SALA DE AULA
Além de uma atmosfera educacional que
estimula a criatividade, a desconstrução da
sala de aul...
Escola na Praça
Projeto piloto para unir escolas públicas e
espaços públicos, usando recursos naturais
disponíveis para da...
GAMEFICAÇÃO
Processo de aprendizagem que aposta no uso
de jogos para a apresentar o conteúdo de uma
forma mais lúdica e di...
DreamBox Learning
Plataforma adaptativa de matemática que
utiliza a lógica da gamificação para
personalizar o ensino a par...
ENSINO
ADAPTA
TIVO
PLANIFICAÇÃO
No formato planificado de ensino as séries e
níveis são abandonados, a proposta curricular
é holística, alian...
Ginásio Experimental de Novas
Tecnologias Educacionais
Escola pública onde não há séries nem
turmas definidas e os estudan...
PERSONALIZAÇÃO
A p r e n d i z a d o p e r s o n a l i z a d o é a
desmassificação do ensino, onde o
aprendizado leva em c...
Summit Public Schools
Organização que reúne um grupo de 6
escolas públicas americanas onde os
alunos seguem planos de estu...
APRENDIZADO
BASEADO EM
PROJETOS
Neste modelo, os professores pensam em
como um conteúdo pode se tornar um projeto
que envo...
High Tech High
Grupo de 11 escolas da Califórnia que
aposta na educação baseada em projetos
para atender aos seus pilares:...
APRENDER FAZENDO
Aqui a ideia é que os alunos possam encarar
um problema real, colocando em em prática o
que se aprende e ...
D-School
Escola de design de Stanford baseado no
conceito de design thinking. Nas aulas, são
desenvolvidos projetos de ver...
BRAND
LEAR
NING
ENSINO DA PRÁTICA
No ensino da prática a ideia é que os alunos
aprendam diretamente da expertise do
mercado, através do co...
Farm Fashion Business
O curso é uma parceria da marca Farm
com a instituição de ensino Perestroika.
Nele a companhia abre ...
PRA SABER MAIS
• Livro | Volta ao Mundo em 13 Escolas
• Site | Born to Learn
• Site | Porvir
• TED Talk | Sir Ken Robinson...
lupa@lupa.etc.br
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Transgressores Escolares

1.174 visualizações

Publicada em

A educação está em pauta: muito tem se falado sobre novas formas de aprendizado, plataformas de conteúdo e movimentos de desescolarização. O fato é que os estudantes de hoje, com acesso a múltiplos canais de informação e novos formatos de experiência, não se enquadram mais em um sistema educacional unilateral e projetado em um contexto analógico.
Os papeis são gradualmente revisados – os próprios estudantes, indivíduos ávidos por conhecimento e aplicabilidade, não se enquadram mais no conceito que conota a receptividade passiva.
Diversas iniciativas tem ganhado força nesse contexto – a conectividade, a valorização do propósito, a descentralização do conteúdo e a busca por experiências educacionais que impactem de forma direta o cotidiano têm mobilizado diferentes atores sociais na criação de alternativas e na reformulação da lógica de aprendizado.

Publicada em: Educação

Transgressores Escolares

  1. 1. TRANSGRE SSORES ESCOLARES
  2. 2. O QUE É? A educação está em pauta: muito tem se falado sobre novas formas de aprendizado, plataformas de conteúdo e movimentos de desescolarização. O fato é que os estudantes de hoje, com acesso a múltiplos canais de informação e novos formatos de experiência, não se enquadram mais em um sistema educacional unilateral e projetado em um contexto analógico. Os papeis são gradualmente revisados – os próprios estudantes, indivíduos ávidos por conhecimento e aplicabilidade, não se enquadram mais no conceito que conota a receptividade passiva. Diversas iniciativas tem ganhado força nesse contexto – a conectividade, a valorização do propósito, a descentralização do conteúdo e a busca por experiências educacionais que impactem de forma direta o cotidiano têm mobilizado diferentes atores sociais na criação de alternativas e na reformulação da lógica de aprendizado.
  3. 3. HORI ZONTALI ZAÇÃO
  4. 4. DEMOCRATIZAÇÃO O livre acesso ao conhecimento se tornou uma premissa dentro do mundo atual. O eixo central de geração de valor deslocou- se da produção material para a produção do intangível, o livre conhecimento, tornando o acesso à produção intectual muito mais democrático. Alavancado pela Internet, que tem como marca a colaboração e a interatividade, o movimento acredita que todos devem ter a liberdade de usar, personalizar, melhorar e redistribuir recursos educacionais, sem restrições. Essa universalização do saber pode ser percebida com realização de encontros de troca de conhecimento, livre acesso à obras de domínio público, criação de repositórios digitais com o conteúdo completo de artigos científicos entre outras iniciativas.
  5. 5. Escola Digital Funciona como um amplo acervo, organizado com base nos parâmetros curriculares nacionais. São vídeos, plataformas, games, animações, videoaulas, infográficos, entre outros, categorizados por série, disciplina, tema, tipo de mídia, idioma, licença de uso, entre outras especificidades. O site também indica recursos digitais capazes de apoiar a criação de novos objetos de aprendizagem. Itunes U App gratuito que dá acesso ao maior catálogo online de conteúdo didático gratuito das maiores instituições de ensino. Project Gutenberg A biblioteca do Project Gutenberg oferece mais de 4.200 livros gratuitos, de domínio público.No site, é possível encontrar títulos variados de literatura, documentos históricos, livros de não ficção e obras clássicas e contemporâneas. Creative Mornings Evento mensal - um café da manhã com uma série de palestras gratuita para as comunidades criativas.
  6. 6. CROWDLEARNING O crowdlearning é um modelo de ensino e aprendizado coletivo de diversos assuntos. Aqui a busca é subverter a lógica verticalizada e hierarquizante da sala de aula tradicional, local onde o aluno não é elemento ativo, participante na construção do saber. No crowdlearning qualquer um pode aprender e ensinar. Cada projeto é uma espécie de chamada pública que precisa reunir um certo número de pessoas pra acontecer. A comunidade é quem decide se o curso deve ou não ganhar vida. Assim, diminui-se os riscos do organizador e são proporcionados apenas encontros aprovados por quem quer participar.
  7. 7. Quora Site para compartilhamento de conhecimento. Através dele é possível deixar perguntas para experts nos mais variados assuntos responderem e responder perguntas de questões do seu domínio. Polinize Plataforma de conhecimento, onde instituições de ensino, governo, empresas, organizações sem fins lucrativos e pessoas físicas podem compartilhar conhecimento com qualquer pessoa, disponibilizando cursos on-line. Nós.vc Plataforma onde qualquer um que tenha algo a ensinar pode viabilizar os seus próprios cursos e workshops através do financiamento coletivo. O organizador do curso define o número mínimo de inscritos e o prazo para alcançá-lo. Se chegar lá, o encontro é confirmado e realizado. Se não, todo mundo que pagou recebe o dinheiro de volta. Google Helpouts Plataforma de aprendizado colaborativo que oferece videochamadas - através do Google Hangout - com especialistas com experiência em uma variedade de tópicos.
  8. 8. FORMALIZAÇÃO DA ESCOLA DA VIDA Nem só de conteúdos formais vivem os novos estudantes. Conhecimentos altamente conectados ao dia-a-dia, à trivialidade do cotidiano de forma geral, e de imediata aplicação tem despertado o interesse tanto dos ansiosos por aprimoramento pessoal quanto daqueles que carregam uma bagagem suficientemente vasta sobre o que aprenderam com a vida. Nesta lógica, todos os conhecimentos não abordados em instituições formais, como escolas e universidades, e capazes de formar um indivíduo melhor ganham espaço – desde o desenvolvimento de aptidões voltadas para a resolução de pequenas questões rotineiras até o exercício de dinâmicas emocionais ou de socialização.
  9. 9. School Of Everything Escola que permite aprender e ensinar o que quer, onde quer e quando quiser. O site possibilita encontrar pessoas que estão dispostas a compartilharem seus conhecimentos com os outros por dinheiro vivo ou apenas amor. The Hop Plataforma que reúne diversas iniciativas culturais criativas de aprendizado, organizadas por pessoas apaixonadas pelo que fazem. The School of Life Escola que oferece cursos e oficinas projetados para fornecer informações em torno dos grandes temas da vida. Desde encontrar mais satisfação no trabalho até como ser cool, as aulas oferecem aos participantes maneiras inteligentes e de interpretar o mundo e seu lugar dentro dele. A Grande Escola Uma plataforma que possibilita às pessoas aprenderem e compartilharem experiências e habilidades que a escola não ensina.
  10. 10. AUTO- DIDATIS MO
  11. 11. MOOC’S A livre disponibilidade de conhecimento, em grande parte já catalogado e categorizado, aliado às novas plataformas de aprendizagem não só facilitaram a busca por informação, mas também transformaram a forma de aprender. A multiplicação de sites de vídeo aulas - Mooc’s (Massive Open Online Courses) são um exemplo prático de como o formato de auto-ensino vêm se popularizando, principalmente pela liberdade de absorver e abordar assuntos de interesse do aluno.
  12. 12. Knewton Considerada a maior plataforma adaptativa do mundo, oferece conteúdo para alunos dos ensinos fundamental e médio, além de proporcianar métricas de avaliação da proficiências dos alunos e da eficácia instrucional de conteúdo. A plataforma foi considerada a 47ª companhia mais inovadora do mundo pela Fast Company. Veduca Plataforma nacional gratuita de vídeo-aulas e exercícios de disciplinas ensinadas em grandes universidades americanas. Khan Academy Oferece educação em nível colegial, de forma gratuita para todo o tipo de público. Pais, professores e alunos podem aprender e tirar dúvidas em praticamente todas as matérias. O portal conta ainda com um sistema para acompanhar o progresso nas aulas. Coursera Plataforma de aprendizado com mais de 5 milhões de participantes. Conta com mais de 500 programas cadastrados, de 100 instituições parceiras e em diferentes línguas.
  13. 13. DESCOLARIZAÇÃO Insatisfeitos com o modelo de aprendizagem ainda praticado, pais e alunos se unem em um movimento de negação – a desescolarização prega o ensino descolado do formato tradicional de escola. Processos de aprendizagem autônoma, e n s i n o d o m i c i l i a r e c o - c r i a ç ã o d e possibilidades fazem parte dessa corrente que vê na dinâmica unilateral e vertical de ensino um limitador de potencialidades.
  14. 14. Uncollege Programa que guia o aluno por um ano de aprendizagem auto-dirigida. É dividido em 4 fases: vivência em uma casa Gap Year, viagem para o exterior, estágio e finalização de um projeto criativo. Durante o programa, o aluno aprende mais sobre si mesmo e do seu processo de aprendizagem, desenvolvendo as habilidades necessárias para ser bem sucedido. Escola com Asas Programa de aprendizado fora do muro das escolas. Nele propostas de atividades para autoconhecimento são enviados para os alunos que aprendem de forma-auto didata e e a partir da sabedoria da natureza. Project Unschool Comunidade de aprendizagem temporária, de co-criação de oportunidades de aprendizagem em ambientes naturais. Temas como arqueologia, etnobotânica, agricultura e sustentabilidade são abordados. Programa Famílias Educadoras Comunidade educadora onde os pais assumem a responsabilidade de educar seus filhos. A comunidade de prática se organiza por meio das Casas Anfitriãs: que abrem suas portas para receber as crianças, cuidar e organizar o grupo entorno das atividades e sistematizar os conhecimentos.
  15. 15. ENSINO EXPERI ENCIAL
  16. 16. DECONSTRUÇÃO DA SALA DE AULA Além de uma atmosfera educacional que estimula a criatividade, a desconstrução da sala de aula modelo propõe aulas que extrapolam os muros da escola e se espalham por toda a rotina do aluno, contemplando o território como uma fonte de conhecimento. As disciplinas curriculares associam-se ao cotidiano dos estudantes, para que os conteúdos façam sentido no processo de aprendizagem, sendo complementares às lições da sala de aula.
  17. 17. Escola na Praça Projeto piloto para unir escolas públicas e espaços públicos, usando recursos naturais disponíveis para dar novos usos a espaços comunitários pouco usados. Oportuniza aos participantes aprender geografia, ciências e artes fora da sala de aula. 4 Elementos Colégio nos moldes de uma mini-fazenda, onde os alunos estudam ao ar livre e aprendem a partir de experiências práticas. As crianças entendem o que é ser responsável ao terem tarefas específicas no cuidado com a horta e aprendem hábitos de higiene pessoal ao dar banho em um pônei. Minerva Project Projeto que vai reunir jovens de todo o mundo para estudar de forma itinerante em várias cidades do globo durante quatro anos, utilizando os recursos (museus, bibliotecas, estruturas) já disponíveis nas cidades. Islandwood Na Escola, 255 hectares de natureza fazem as vezes de salas de aula, a fim de oferecer a estudantes da região, por meio de projetos extraclasse, a integração entre ciência, tecnologia e artes.
  18. 18. GAMEFICAÇÃO Processo de aprendizagem que aposta no uso de jogos para a apresentar o conteúdo de uma forma mais lúdica e divertida, motivar os alunos, desenvolver a criatividade e o raciocínio e despertar o engajamento acerca dos temas abordados. Através dessa lógica é possível monitorar o desempenho dos estudantes e assegurar um adequada absorção do conhecimento.
  19. 19. DreamBox Learning Plataforma adaptativa de matemática que utiliza a lógica da gamificação para personalizar o ensino a partir de todas as decisões, resoluções, cliques e dúvidas de cada aluno. Faz Game Plataforma que permite que os professores desenvolvam os seus jogos de ensino. Disponíveis em três categorias: uma destinada à inserção de conteúdos curriculares; outra onde o professor pode buscar trabalhar temas como artes, música, projeto profissional e meio ambiente; e uma última de diversão, em que os jogos são criados para o entretenimento. Quest to Learn Escola pública da Nova York onde todos os conteúdos são passados aos estudantes por meio de games. Além de aprenderem jogando, os alunos também são estimulados a desenvolverem estratégias e criar seus próprios jogos. Geekie Games Plataforma brasileira que oferece ensino por meio de games para ajudar estudantes a se prepararem para o Enem. Depois que cada estudante realiza os simulados on- line, os algoritmos identificam necessidades e dificuldades e a melhor maneira de ensiná-lo.
  20. 20. ENSINO ADAPTA TIVO
  21. 21. PLANIFICAÇÃO No formato planificado de ensino as séries e níveis são abandonados, a proposta curricular é holística, aliando múltiplas inteligências (interdisciplinaridade) e promovendo a integração de conhecimentos de diversos campos (artístico, linguístico, científico, ético, físico) sem ser apenas um “pot-pourri” de atividades desencontradas. O professor normalmente assume o papel de tutor e os alunos passam a ser peças fundamentais na construção do ensino e na gestão dos espaços educacionais.
  22. 22. Ginásio Experimental de Novas Tecnologias Educacionais Escola pública onde não há séries nem turmas definidas e os estudantes se dividem por interesses em comum com a ajuda de um professor-mentor. Steve Jobs School Grupo de 7 escolas na Holanda que reinventaram o espaço, a estrutura e o seu funcionamento. Nas escola adeptas ao modelo, em vez de salas fechadas, existem amplos salões, onde as crianças são incentivadas a interagir. Os alunos são divididos em dois grupos: dos 4 aos 7 anos e dos 8 aos 12 e os professores assumem um papel de orientador do aprendizado. Escola da Ponte Escola de Portugal organizada segundo uma lógica de projeto e de equipe. Na escola não existem séries e sim núcleos e o currículo é articulado em dimensões fundamentais e não disciplinas. A sua estrutura organizativa exige a participação dos alunos em conjunto com os orientadores educativos, no funcionamento e organização de toda a escola, no planeamento das atividades, na regulação da sua aprendizagem e avaliação. Projeto Âncora Escola brasileira baseada no modelo da Escola Ponte.
  23. 23. PERSONALIZAÇÃO A p r e n d i z a d o p e r s o n a l i z a d o é a desmassificação do ensino, onde o aprendizado leva em consideração o perfil de cada aluno e adapta o conteúdo de acordo com as suas potencialidades. Através das novas tecnologias é possível customizar o ensino para as necessidade individuais, e cada um pode decidir o que, em que ordem e em que momento estudar. Com isto, o aluno é continuamente desafiado e incentivado de acordo com suas habilidades atuais, de modo que sua evolução seja constante.
  24. 24. Summit Public Schools Organização que reúne um grupo de 6 escolas públicas americanas onde os alunos seguem planos de estudo individualizados, podendo, com apoio de um professor-mentor, escolher como quer aprender os conteúdos indicados em sua lista. Colégio Catamarã Primeiro colégio brasileiro a adotar o conceito de Educação Personalizada. Proporciona aos alunos o desenvolvimento das potencialidades na aquisição de conhecimento e no desenvolvimento de aptidões de acordo com o projeto de vida e necessidades de cada um. School of One Projeto que desenvolveu um algoritmo permitindo criar planos de aprendizagem personalizados para estudantes de matemática, a partir da integração de várias "modalidades" de instrução: aulas baseadas em software, atividades colaborativas, tutores virtuais e prática individual - no mesmo espaço. NoRedInk Plataforma que ajuda os alunos a melhorar suas habilidades de escrita por meio da aprendizagem adaptativa e personalizada. A plataforma gera um feedback instantâneo que aponta os interesses e o progresso de cada estudante.
  25. 25. APRENDIZADO BASEADO EM PROJETOS Neste modelo, os professores pensam em como um conteúdo pode se tornar um projeto que envolva a sua disciplina e as dos demais docentes. Assim, os estudantes apresentam um produto final como resultado de suas pesquisas. Enquanto planejam, organizam e executam o projeto combinando diferentes conhecimentos, eles se deparam, na prática, com situações em que precisam trabalhar em grupo, lidar com opiniões diferentes, comunicar aquilo que estão pensando, defender seu ponto de vista e criticar os que não consideram adequados. Aqui o processo de aprendizagem é mais importante do que o resultado do projeto em si, contemplando o ensino de conteúdos que em geral não fazem parte da grade curricular tradicional, como o senso crítico e habilidade interpessoais.
  26. 26. High Tech High Grupo de 11 escolas da Califórnia que aposta na educação baseada em projetos para atender aos seus pilares: personalização, conexão com o mundo, interesse comum em aprender e professor como designer do aprendizado. Team Academy Uma faculdade de negócios da Finlândia onde os alunos precisam criar o seu negócio junto com colegas e desenvolvê-lo ao longo do curso. Roosevelt Innovation Academy Escola peruana de negócios e empreendedorismo focado na aprendizagem baseada em projetos, onde os alunos têm autonomia para decidir o que eles estudam. PBLU A Project Based Learning University é uma plataforma gratuita onde você pode baixar projetos e/ou se inscrever nas aulas oferecidas - todas baseadas na metodologia do aprendizado baseado em projetos.
  27. 27. APRENDER FAZENDO Aqui a ideia é que os alunos possam encarar um problema real, colocando em em prática o que se aprende e interagindo com outros profissionais e com empresas. Neste modelo de ensino colaborativo e interdisciplinar, os alunos, guiados por um curador de conhecimento, aprendem de forma prática, aplicando as suas expertises em projetos reais.
  28. 28. D-School Escola de design de Stanford baseado no conceito de design thinking. Nas aulas, são desenvolvidos projetos de verdade, através de parcerias com empresas, dando aos alunos os tipos de restrições e ambientes que lhes ensinam o funcionamento do mundo real. Mesa & Cadeira Escola paulista em que os participantes se sentam à mesa e trabalham num briefing real, coordenados por um profissional de destaque em sua área de atuação. Code School Escola que ensina tecnologias web no conforto do navegador com vídeo aulas, desafios de codificação e screencasts, para que os alunos possam aprender fazendo. Duolingo Plataforma que ensina línguas enquanto presta serviço de tradução. Quem precisa de uma tradução carrega no site o documento, que é apresentado aos alunos Duolingo que podem traduzir-lo, a fim de praticar a língua que estão aprendendo. Quando o documento é traduzido, ele retorna para o proprietário do conteúdo original que paga pelo serviço.
  29. 29. BRAND LEAR NING
  30. 30. ENSINO DA PRÁTICA No ensino da prática a ideia é que os alunos aprendam diretamente da expertise do mercado, através do contato com profissionais que possuem uma ampla bagagem profissional e muita experiência prática dos conteúdos. Aqui as próprias marcas, através de parcerias com instituições de ensino ou com um núcleo acadêmico próprio, desenvolvem cursos de capacitação dentro da sua área de atuação, passando para protagonistas na área de educação. Para a empresa, que pode se apropriar da produção realizada pelos estudantes, é uma chance de ter contato com jovens, por vezes até consumidores da marca, e ver uma questão de seu dia-a-dia discutida por um público qualificado, além de ter acesso a dezenas de talentos que poderão compor seus quadros em breve. Com isso, busca-se dimunuir a distância entre o atendimento de expectativas do mundo do trabalho, com a adoção de práticas mais relevantes ao emprego de profissionais, aos negócios e à indústria.
  31. 31. Farm Fashion Business O curso é uma parceria da marca Farm com a instituição de ensino Perestroika. Nele a companhia abre o seu modelo de negócio, compartilhando a sua expertise dentro do mundo da moda com os alunos. Hubble Curso da Empresa Cosmonauta - especializada em design de apresentações - que ensina os alunos a desenvolverem exatamente aquilo que a empresa vende: ppts fora do padrão tradicional Microsoft Virtual Academy Plataforma da Microsoft que ajuda profissionais de TI e desenvolvedores de todo o mundo a obterem treinamento com foco em Microsoft Cloud Technologies, em seu próprio ritmo através de aulas on-line gratuitas em 11 línguas. Ano do Código – Vem programar! Uma parceria entre a Locaweb e a Caelum que disponibiliza aulas e exercícios gratuitos e online, visando apresentar e ensinar programação a jovens interessados em tecnologia.
  32. 32. PRA SABER MAIS • Livro | Volta ao Mundo em 13 Escolas • Site | Born to Learn • Site | Porvir • TED Talk | Sir Ken Robinson: Changing Education Paradigms • Vídeo | Project Based Learning: Explained
  33. 33. lupa@lupa.etc.br

×