SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 60
Baixar para ler offline
EDITORA ABRIL S.A.
ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS


      SETEMBRO DE 2010
ÍNDICE



                                                         Página


Balanços patrimoniais                                     1-2

Demonstrações do resultado                                 3

Demonstração dos fluxos de caixa                          4–5

Notas explicativas às informações trimestrais            6 – 50

Comentário de desempenho da companhia no trimestre       51 – 54

Comentário de desempenho consolidado no trimestre        55 – 56

Relatório da revisão especial                            57 – 58
BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 30 DE SETEMBRO E 30 DE JUNHO DE 2010
                        (valores expressos em milhares de reais)


                                                 ATIVO

                                                          CONTROLADORA                 CONSOLIDADO
                                                   30/09/2010   30/06/2010    30/09/2010   30/06/2010
CIRCULANTE:
 Caixas e equivalentes de caixa                         37.395      15.467      37.995        15.824
 Títulos e valores mobiliários                         129.135     180.193     174.569       218.958
 Contas a receber de clientes                          297.996     287.492     303.178       293.222
 Provisão para créditos de liquidação duvidosa         (31.403)    (30.269)    (31.639)      (30.614)
 Estoques                                               93.319      85.948      97.302        89.367
 Adiantamento a fornecedores e outros                   17.161      17.597      17.340        17.754
 Pagamentos antecipados                                  7.387       7.046       7.390         7.118
 Impostos a compensar                                   47.324      19.540      52.314        23.528
 Bens destinados à venda                                   750         750         750           750

         Total do ativo circulante                     599.064     583.764     659.199       635.907

NÃO CIRCULANTE:
 Realizável a longo prazo
 Empréstimos e outros créditos com
   coligadas e interligadas                            233.697     149.552     233.437       149.292
 Contas a receber de clientes                            8.651       9.241       8.651         9.241
 Depósitos judiciais                                    24.460      23.710      26.034        25.230
 Imposto de renda diferido                              38.287      41.447      38.930        42.346
 Títulos e valores mobiliários                         306.424     321.945     306.424       321.945
 Impostos a compensar                                      563         563         563           563

 Imobilizado                                           176.503     158.188     260.633       242.994

 Intangível                                            167.034     165.427     167.047       165.441

 Investimentos                                         266.492     261.262            -             -

         Total do ativo não circulante             1.222.111      1.131.335   1.041.719      957.052

         Total do Ativo                            1.821.175      1.715.099   1.700.918     1.592.959




                                                   1
BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 30 DE SETEMBRO E 30 DE JUNHO DE 2010
                         (valores expressos em milhares de reais)

                                                   PASSIVO


                                                                  Controladora                Consolidado
                                                     30/09/2010     30/06/2010   30/09/2010    30/06/2010
CIRCULANTE:
 Instituições financeiras                               79.885         76.212       79.885        76.212
 Debêntures                                             53.146         45.177       53.146        45.177
 Fornecedores                                          136.551        148.414      137.337       149.709
 Salários e encargos sociais                           117.717         97.736      119.042        98.863
 Imposto de renda e contribuição social a pagar         50.866         20.848       56.115        24.054
 Recebimentos antecipados                               82.189         94.287       81.711        93.815
 Outros impostos e contribuições a pagar                10.235         10.207       10.605        10.621
 Tributos e contribuições sociais - PAES                36.047         36.040       36.449        36.442
 Aluguéis a pagar                                      131.137        129.991        2.133         2.138
 Outras contas a pagar                                  29.475         23.432       31.744        25.850
 Assinaturas de revistas                               221.041        214.423      242.118       234.191
     Total do passivo circulante                       948.289        896.767      850.285       797.072
NÃO CIRCULANTE:
 Exigível a longo prazo
 Empréstimos de coligadas e interligadas                87.159         89.292       45.129        46.746
 Instituições financeiras                               72.961         71.650       72.961        71.650
 Debêntures                                            225.883        225.883      225.883       225.883
 Imposto de renda diferido                              20.988         21.711       32.271        32.877
 Provisão para contingências                            24.032         25.103       24.160        25.224
 Provisão para perdas em controladas                         2              2            -             -
 Tributos e contribuições sociais - PAES e REFIS        85.339         87.169       93.443        95.748
     Total do passivo não circulante                   516.364        520.810      493.847       498.128
PARTICIPAÇÕES MONORITÁRIAS                                   -               -        264            237
PATRIMÔNIO LÍQUIDO:
 Capital realizado e atualizado                        111.978        111.978      111.978       111.978
 Reservas de capital                                       410            410          410           410
 Reservas de reavaliação                                46.676         47.985       46.676        47.985
 Reservas de lucros                                    197.458        137.149      197.458       137.149
     Total do patrimônio líquido                       356.522        297.522      356.522       297.522
     Total do passivo                                1.821.175       1.715.099   1.700.918      1.592.959




                                                      2
DEMONSTRAÇÕES DOS RESULTADOS
              PARA OS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE SETEMBRO DE 2010 E 2009
                           (valores expressos em milhares de reais)


                                                            Controladora                   Consolidado
                                                 30/09/2010   30/09/2009      30/09/2010    30/09/2009

VENDA DE PRODUTOS E SERVIÇOS                     1.488.625       1.373.414    1.535.141      1.414.303
 Impostos incidentes                               (64.080)        (57.041)     (66.717)       (59.454)

                                                 1.424.545       1.316.373    1.468.424      1.354.849

CUSTO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS                        (514.933)   (508.705)     (525.355)     (522.052)

  Lucro bruto                                        909.612      807.668       943.069       832.797

DESPESAS OPERACIONAIS:
 Vendas                                              (434.214)   (382.078)     (452.976)     (398.801)
 Administrativas                                     (258.660)   (236.154)     (252.021)     (237.576)
 Outras despesas operacionais, líquidas                (4.778)       (120)       (9.027)          (85)

EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL                              10.308         4.350            -              -

REVERSÃO DA PROVISÃO PARA PERDAS                         430         1.084            -              -

  Margem operacional antes dos
   itens financeiros                                 222.698      194.750       229.045       196.335

Receitas financeiras                                   43.255       35.823       46.179         39.195
Despesas financeiras                                  (66.912)     (80.679)     (69.209)       (82.720)
Variação cambial, líquida                              (7.053)     (70.091)      (6.961)       (70.020)

  Lucro antes do imposto de renda
   e da contribuição social                          191.988       79.803       199.054        82.790

PROVISÃO PARA IMPOSTO DE RENDA
 E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL                                (62.703)     (36.375)     (69.718)       (39.347)

  Lucro antes da participação dos minoritários       129.285       43.428       129.336        43.443

PARTICIPAÇÕES MINORITÁRIAS                                  -            -          (51)           (15)

  Lucro líquido do período                           129.285       43.428       129.285        43.428




                                                 3
DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA
            PARA OS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE SETEMBRO DE 2010 E 2009
                         (valores expressos em milhares de reais)

                                                                     Controladora              Consolidado
                                                             30/09/10    30/09/09   30/09/10      30/09/09

CAIXA LÍQUIDO DAS ATIVIDADES
 OPERACIONAIS:                                               167.725     105.863    182.767       114.605

Caixa gerado nas operações                                   184.005     198.439    194.043       212.328
 Lucro líquido do período                                    129.285      43.428    129.285        43.428
 Depreciações e amortizações                                  31.788      36.075     34.937        45.083
 Resultado de equivalência patrimonial                       (10.308)     (4.350)         -             -
 Provisão (reversão) para perdas em controladas                 (430)     (1.084)         -             -
 Baixas líquidas do imobilizado                                2.545       1.505      2.807         1.533
 Provisão (realização) do imposto de renda diferido           16.065      11.876     17.681        10.188
 Participações minoritárias                                        -           -         51            15
 Provisão para obsolescência do imobilizado                        -        (979)         -          (979)
 Provisão (reversão) para créditos de liquidação duvidosa    (18.967)        985    (18.944)        1.106
 Provisão (reversão) para contingências                         (466)     (2.342)    (8.566)       (1.471)
 Ganho adesão ao REFIS IV                                        403           -     (1.280)            -
 Juros e variação cambial provisionados                       34.090     113.325     38.072       113.425

Variação de ativos e passivos:                                27.211     (60.870)    32.047       (66.056)
 Contas a receber de clientes                                 (6.664)     61.780     (5.425)       60.650
 Estoques                                                    (22.563)     13.760    (23.452)       11.707
 Impostos a compensar                                        (33.412)       (722)   (36.629)         (739)
 Adiantamentos a fornecedores e outros                           208     (33.893)       119       (33.720)
 Contas a receber de longo prazo                              (8.651)     20.320     (8.651)       20.320
 Títulos e valores mobiliários com partes relacionadas             -         238          -           238
 Depósitos judiciais                                          (4.103)     (3.549)    (4.301)       (3.646)
 Fornecedores                                                 (2.879)   (136.943)    (2.982)     (136.109)
 Outros impostos e contribuições a pagar                        (512)         (6)      (684)         (153)
 Salários e encargos sociais                                  (2.462)    (12.877)    (2.653)      (13.088)
 Recebimentos antecipados de clientes                         14.444      12.624     14.077        12.498
 Imposto de renda e contribuição social a pagar               44.383       9.214     47.011         8.853
 Outras contas a pagar                                         2.431      (2.683)     2.283        (2.967)
 Assinaturas de revistas                                      40.189       7.868     45.087        10.074
 Alugueis a pagar                                              3.403       3.999         31            26
 Provisão para recuperação fiscal - REFIS - PAES               3.399           -      8.216             -

Outros                                                       (43.491)    (31.706)   (43.323)      (31.667)
 Juros e variações cambiais pagos                            (43.491)    (31.706)   (43.323)      (31.667)




                                                         4
DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA
             PARA OS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE SETEMBRO DE 2010 E 2009
                          (valores expressos em milhares de reais)



                                                                 Controladora            Consolidado
                                                        30/09/10     30/09/09   30/09/10    30/09/09
CAIXA LÍQUIDO DAS ATIVIDADES
 DE INVESTIMENTOS:                                      (17.686)      64.059     (29.499)    50.769
 Aquisições de:
  Imobilizado                                        (34.751)        (25.668)    (34.749)    (25.675)
  Intangível                                         (26.583)        (19.513)    (26.581)    (19.515)
 Dividendos recebidos                                 12.077          13.408           -           -
 Adiantamento para futuro aumento de capital            (260)         (1.566)          -           -
 Empréstimos concedidos para partes relacionadas    (286.472)         (1.373)   (286.472)     (1.373)
 Recebimento de créditos com partes relacionadas     318.303          98.771     318.303      97.332

CAIXA LÍQUIDO DAS ATIVIDADES
 DE FINANCIAMENTOS:                                 (185.542)       (235.837)   (186.086)   (235.931)
 Captação de empréstimos e financiamentos              3.230           2.968       3.230       2.968
 Pagamento de empréstimos e financiamentos            (2.974)        (99.959)     (2.974)    (99.959)
 Pagamento de créditos com partes relacionadas       (45.714)        (29.043)    (45.166)    (29.938)
 Pagamentos de recuperação fiscal PAES e REFIS IV    (27.029)        (35.739)    (28.121)    (36.549)
 Dividendos pagos                                   (113.055)        (74.064)   (113.055)    (74.064)
 Empréstimos obtidos com partes relacionadas               -               -           -       1.611

REDUÇÃO DE CAIXA E
 EQUIVALENTES DE CAIXA                                  (35.503)     (65.915)    (32.818)    (70.557)

Saldo Inicial de caixa e equivalentes de caixa          202.033      172.183    245.382     214.642
Saldo Final de caixa e equivalentes de caixa            166.530      106.268    212.564     144.085

MOVIMENTAÇÃO LÍQUIDA DE CAIXA,
E EQUIVALENTES DE CAIXA                                 (35.503)     (65.915)    (32.818)    (70.557)




                                                    5
NOTAS EXPLICATIVAS ÀS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS
                              EM 30 DE SETEMBRO DE 2010
                 (valores expressos em milhares de reais, exceto quando mencionado)


1. CONTEXTO OPERACIONAL

     A Editora Abril S.A. ("Companhia") é uma sociedade anônima com sede em São Paulo, Estado de
     São Paulo. Sua controladora é a Abril S.A. e, em conjunto com as sociedades controladas,
     compartilha as estruturas e os custos corporativos, gerenciais e operacionais.

     A Companhia e suas controladas atuam na atividade editorial e gráfica, compreendendo a edição,
     impressão e venda de revistas, anuários e guias, publicações técnicas, comercialização de propaganda
     e publicidade e “data-base marketing”.


2.   ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DAS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS

     As presentes Informações Trimestrais foram aprovadas pelo Conselho de Administração da
     Companhia em 9 de novembro de 2010.

     As Informações Trimestrais da Editora Abril S.A. e as Informações Trimestrais consolidadas foram
     elaboradas e estão apresentadas de acordo com a Lei das Sociedades por Ações nº11.638/07 e
     Normativos da Comissão de Valores Mobiliários.

     Na elaboração das Informações Trimestrais, foram utilizadas, quando necessário, estimativas
     contábeis determinadas pela administração em função de fatores objetivos para a seleção das vidas
     úteis do ativo imobilizado, provisões necessárias para passivos contingentes determinações de
     provisões para imposto de renda e outras similares.


3.   IMPLEMENTAÇÃO DOS NOVOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS

     Até 31 de dezembro de 2009, a Companhia apresentava suas demonstrações contábeis individuais e
     consolidadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que incorporavam as mudanças
     introduzidas por intermédio das Leis 11.638/07 e 11.941/09 (MP 449/08), complementadas pelos
     pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC, aprovados por resoluções do
     Conselho Federal de Contabilidade – CFC e de normas da Comissão de Valores Mobiliários – CVM
     até 31 de dezembro de 2008.

     Conforme estabelecido na Deliberação CVM 609/09, que aprovou diversos pronunciamentos
     técnicos, entre eles o CPC 37 - Adoção Inicial das Normas Internacionais de Contabilidade e o CPC
     43 - Adoção Inicial dos Pronunciamentos Técnicos CPC 15 a 40, a implementação dos novos
     pronunciamentos contábeis foi efetuada de forma retroativa a 1o de janeiro de 2009 (data de transição
     ou balanço de abertura).




                                                    6
Desta forma, apresentamos na sequencia os impactos relativos a implementação dos pronunciamentos
contábeis vigentes nesta data.

a) Pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC implementados a partir de 1º
   de janeiro de 2009:
                                                      Pronunciamento         Efeito   Referência
CPC 2 (R1) – Efeitos das mudanças nas taxas de câmbio e
            conversão de demonstrações financeiras                       Com ajuste        3.d.1
CPC 15 – Combinação de Negócios                                          Com efeito          3.b
CPC 16 – Estoques                                                        Com efeito          3.b
CPC 17 – Contratos de Construção                                         Sem efeito          3.c
CPC 18 – Investimento em Coligada e Controlada                           Com efeito          3.b
CPC 19 – Participação em Empreendimento Controlado
         em Conjunto (Joint Venture)                                     Sem efeito          3.c
CPC 20 – Custos de Empréstimos                                           Com ajuste        3.d.2
CPC 21 – Demonstração Intermediária                                      Sem efeito          3.c
CPC 22 – Informações por Segmento                                        Com efeito          3.b
CPC 23 – Políticas Contábeis, Mudanças de Estimativa
           e Retificação de Erro                                         Com efeito          3.b
CPC 24 – Evento Subsequente                                              Com ajuste        3.d.3
CPC 25 – Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes          Com efeito          3.b
CPC 26 – Apresentação das Demonstrações Financeiras                      Com ajuste        3.d.4
CPC 27 – Ativo Imobilizado                                               Com ajuste        3.d.5
CPC 28 – Propriedade para Investimento                                   Sem efeito          3.c
CPC 29 – Ativo Biológico e Produto Agrícola                              Sem efeito          3.c
CPC 30 – Receitas                                                        Com ajuste        3.d.5
CPC 31 – Ativo Não Circulante Mantido para Venda
         e Operação Descontinuada                                        Sem efeito          3.c
CPC 32 – Tributos sobre o Lucro                                          Com ajuste        3.d.7
CPC 33 – Benefícios a Empregados                                         Com efeito          3.b
CPC 35 – Demonstrações Separadas                                         Sem efeito          3.c
CPC 36 – Demonstrações Consolidadas                                      Com efeito          3.b
CPC 37 – Adoção Inicial das Normas Internacionais de Contabilidade       Com efeito        3.d.8
CPC 38 – Instrumentos Financeiros – Reconhecimento e Mensuração          Com efeito          3.b
CPC 39 – Instrumentos Financeiros – Apresentação                         Com efeito          3.b
CPC 40 – Instrumentos Financeiros – Evidenciação                         Com efeito          3.b
CPC 41 – Resultado por ação                                              Sem efeito          3.c
CPC 43 – Adoção Inicial dos Pronunciamentos Técnicos CPC 15 a 40         Com efeito          3.b

ICPC 06 - Hedge de Investimento Líquido em uma Operação no Exterior      Sem efeito          3.c
ICPC 07 - Distribuição de Lucros in Natura                               Sem efeito          3.c
ICPC 08 - Contabilização da Proposta de Pagamento de Dividendos          Com ajuste        3.d.3
ICPC 09 - Demonstrações Contábeis Individuais, Demonstrações
        Contábeis Separadas, Demonstrações Consolidadas e
        Aplicação do Método de Equivalência Patrimonial                  Com efeito          3.b
ICPC 10 - Interpretação sobre a Aplicação Inicial ao Ativo Imobilizado
        e à Propriedade para Investimento dos Pronunciamentos
        Técnicos CPCs 27, 28, 37 e 43                                    Com efeito          3.b
ICPC 11 - Recebimento em Transferência de Ativos dos Clientes            Sem efeito          3.c
ICPC 12 - Mudanças em Passivos por Desativação, Restauração
        e Outros Passivos Similares                                      Com efeito          3.b



                                                         7
b) O termo “Com efeito” identifica os pronunciamentos do CPC, aplicáveis a Companhia porém sem
   valor a ser contabilizado, e/ou o pronunciamento já era praticado pela Companhia e suas
   Controladas, anteriormente a sua vigência.

c) O termo “Sem efeito” refere-se aos CPCs não aplicáveis à Companhia, assim este pronunciamento
   não teve impacto sobre as demonstrações financeiras da Editora Abril S.A. e suas Controladas.

d) O termo “Com ajuste” identifica os pronunciamentos do CPC que produziram efeito no resultado
   e/ou patrimônio líquido da Companhia e/ou suas Controladas.

  Sumário das práticas contábeis modificadas:

  A Companhia e suas controladas reconheceram os efeitos da aplicação dos seguintes
  Pronunciamentos Técnicos (CPC) nas suas informações trimestrais:

  d.1)   CPC 2 (R1) – Efeitos das mudanças nas taxas de câmbio e conversão de demonstrações
         financeiras , aprovado pela deliberação CVM nº 534/08.
         O objetivo do CPC 02 é determinar como incluir transações em moeda estrangeira e
         operações no exterior nas demonstrações financeiras de uma entidade no Brasil e como
         converter as demonstrações financeiras de entidade no exterior para a moeda de
         apresentação das demonstrações financeiras no Brasil para fins de registro da equivalência
         patrimonial, de consolidação integral ou proporcional das demonstrações financeiras.
         A Companhia entende, que de acordo com o §4 do CPC 2 (R1), as Controladas Abril
         Investments Corporation e Abril Jovem Investments Corporation, por não possuírem,
         corpo gerencial próprio, autonomia administrativa, utilizarem a moeda da investidora
         como sua moeda funcional e funcionarem, na essência, como extensão das atividades da
         matriz, tiveram seus ativos, passivos e resultados incorporados aos saldos das respectivas
         contas na Controladora, como seria aplicado a uma filial.

  d.2)   CPC 20 – Custos de Empréstimos, aprovado pela deliberação CVM nº 577/09. O objetivo
         deste pronunciamento é o reconhecimento dos custos de empréstimos que são diretamente
         atribuídos à aquisição, à construção ou à produção de ativos qualificáveis para a sua
         capitalização, formando parte do custo de tais ativos.
         A Companhia capitalizava encargos financeiros somente para os empréstimos diretamente
         vinculados ao imobilizado e intangível em andamento. A partir de 1º de janeiro de 2009, a
         Companhia passou a capitalizar também encargos financeiros com base em uma taxa
         média de captação aplicada sobre os saldos citados acima.

  d.3)   CPC 24 Evento Subsequentes, aprovado pela deliberação CVM 593/09. O objetivo deste
         pronunciamento é determinar quando a entidade deve ajustar suas demonstrações contábeis
         com respeito a eventos subsequentes ao período contábil a que se referem essas
         demonstrações, as informações que a entidade deve divulgar sobre a data em que é
         concedida a autorização para emissão das demonstrações contábeis e sobre os eventos
         subsequentes ao período contábil a que se referem essas demonstrações, e estabelecer que a
         entidade não deva elaborar suas demonstrações contábeis segundo o pressuposto da
                                                8
continuidade se os eventos subsequentes ao período contábil das demonstrações indicarem
       que o pressuposto da continuidade não é apropriado.
       A Companhia tem divulgado regularmente essas informações em suas informações
       trimestrais, porém, tem divulgado os dividendos propostos ao término do exercício, quando
       a norma exige que a contabilização seja feita após a aprovação do conselho. Assim, no
       exercício findo em 31 de dezembro de 2009 foi reclassificado o montante de R$84.791 de
       dividendos a pagar para lucros acumulados, representando 75% do saldo total de
       dividendos, permanecendo como dividendos a pagar somente os dividendos mínimos
       obrigatórios de 25%.

d.4)   CPC 26 Apresentação das Demonstrações Contábeis aprovado pela deliberação CVM
       595/09. O objetivo deste pronunciamento é definir a base para a apresentação das
       demonstrações contábeis, para assegurar a comparabilidade tanto com as de períodos
       anteriores da mesma entidade quanto com as de outras entidades. Nesse cenário, este
       pronunciamento estabelece requisitos gerais para a apresentação, estabelece diretrizes da
       sua estrutura e os requisitos mínimos de conteúdo.
       A Companhia tem divulgado regularmente essas informações em suas informações
       trimestrais, exceto a Demonstração do Resultado Abrangente, que está demonstrada na
       nota 16.

d.5)   CPC 27 – Ativo imobilizado, aprovado pela deliberação CVM nº 583/09. O objetivo é
       estabelecer o tratamento contábil para ativos imobilizados, de forma que os usuários das
       demonstrações contábeis possam discernir a informação sobre o investimento da entidade
       em seus ativos imobilizados, bem como suas mutações. Os principais pontos a serem
       considerados na contabilização do ativo imobilizado são o reconhecimento dos ativos, a
       determinação dos seus valores contábeis, sua depreciação (vida útil estimada) e a avaliação
       da necessidade de reconhecimento de perda por desvalorização em relação aos mesmos,
       conforme CPC 01.
       A Companhia tem realizado anualmente o teste de “impairment” dos ativos intangíveis de
       vida útil indefinida incluindo o ágio, análise existencial de indicativo de “impairment”,
       revisão da vida útil estimada, método de depreciação e valor residual de seus ativos
       imobilizados e intangíveis.
       A Companhia e suas controladas optaram pela adoção da prática de revisão dos custos
       históricos dos bens do ativo imobilizado e utilização da prática do “custo atribuído”
       (“deemed cost”), conforme opção prevista nos parágrafos 20 a 29 do ICPC 10 -
       Interpretação sobre a Aplicação Inicial ao Ativo Imobilizado e à Propriedade para
       Investimento dos Pronunciamentos Técnicos CPCs 27, 28, 37 e 43, para registro do saldo
       inicial do ativo imobilizado na adoção inicial do CPC 27 - Ativo imobilizado e ICPC. Para
       tanto, a Companhia optou por adotar os pronunciamentos CPC com aplicação obrigatória
       prevista para as demonstrações financeiras de 31 de dezembro de 2010 o mesmo
       tratamento contábil adotado nos relatórios em IFRS divulgados ao seu investidor
       estrangeiro com influência significativa e está apresentando seu Imobilizado e Intangível
       ajustados pelos índices do IGP-M.


                                            9
d.6)   CPC 30 – Receitas, aprovado pela deliberação CVM nº 597/09, estabelece o tratamento
       contábil de receitas provenientes de certos tipos de transações e eventos. A Receita é
       definida no Pronunciamento Básico Estrutura Conceitual para Elaboração e Apresentação
       das Demonstrações Contábeis como aumento nos benefícios econômicos durante o período
       contábil sob a forma de entrada de recursos ou aumento de ativos ou diminuição de
       passivos que resultam em aumento do patrimônio líquido da entidade e que não sejam
       provenientes de aporte de recursos dos proprietários da entidade. As receitas englobam
       tanto as receitas propriamente ditas como os ganhos. A receita surge no curso das
       atividades ordinárias da entidade.
       A Companhia efetua operações de permutas de publicidade e sobre tais operações foi
       aplicado o conceito de valor justo para cada contrato sendo que os efeitos resultantes foram
       contabilizados no resultado do período. Como consequência, durante o trimestre findo em
       30 de setembro de 2010, foram reconhecidos nas informações trimestrais os ajustes
       conforme descrito abaixo:

                                          Controladora          Consolidado
       Receitas operacionais                        7.265              7.791
       Despesas comerciais                       (15.863)           (16.405)
       Despesas financeiras                          (16)               (18)


d.7)   CPC 32 – Tributos sobre o lucro, aprovado pela deliberação CVM nº 599/09, estabelece o
       tratamento contábil para os tributos sobre o lucro. A questão principal na contabilização
       dos tributos sobre o lucro é como contabilizar os efeitos fiscais atuais e futuros de:

       d.7.1) futura recuperação (liquidação do valor contábil dos ativos (passivos) que são
              reconhecidos no balanço patrimonial da entidade e;
       d.7.2) operações e outros eventos do período atual que são reconhecidos nas
              demonstrações contábeis da entidade.

       A Companhia tem divulgado regularmente essas informações em suas informações
       trimestrais.
       O efeito das diferenças temporárias entre a Legislação Societária (Lei 6.404/76, atualizada
       pela Lei 11.638/07 e 11.941/09) e a Legislação Fiscal (RIR/99) está contabilizado como
       imposto de renda e contribuição social diferidos.
       A Companhia também tem apresentado em suas informações trimestrais a conciliação entre
       a alíquota efetiva de tributo e a alíquota aplicável, divulgando também a base sobre a qual
       a alíquota aplicável de tributo é computada.

d.8)   CPC 37 – Adoção Inicial das Normas Internacionais de Contabilidade, aprovado pela
       deliberação CVM nº 609/09. O objetivo deste Pronunciamento é garantir que as primeiras
       demonstrações contábeis de uma entidade de acordo com as IFRSs – “International
       Financial Reporting Standards”, e as divulgações contábeis intermediárias para os períodos


                                            10
parciais cobertos por essas demonstrações contábeis contenham informações de alta
           qualidade, bem como que elas:
           a) sejam transparentes para os usuários e comparáveis em relação a todos os períodos
           apresentados;
           b) proporcionem um ponto de partida adequado para as contabilizações de acordo com as
           IFRSs; e
           c) possam ser geradas a um custo que não supere os benefícios.

           O “International Accounting Standards Board” - IASB exige, e o CPC reafirma que, ao
           efetuar essa adoção inicial, seja tudo feito como se tivessem sido sempre aplicadas todas as
           IFRSs, com exceção de alguns pontos e isenção de outros.

           De acordo com o “Apêndice D – Isenções de outras IFRSs”, um adotante pela primeira vez
           que tenha, pela prática contábil anteriormente adotada no Brasil, reconhecido uma
           reavaliação de ativos e mantida na data de transição para as IFRS, deve mantê-la como
           custo atribuído para fins de suas demonstrações em IFRS. Como a Companhia já elaborava
           relatórios em IFRS, da sua controladora, para seu investidor estrangeiro com influência
           significativa optou por adotar o mesmo tratamento contábil para o Imobilizado e o
           Intangível dos relatórios em IFRS, ajustados pelos índices do IGP-M.

e) Reconciliação do patrimônio líquido e do resultado

   Conforme exigido pelo CPC 37 - "Adoção inicial das normas internacionais de contabilidade",
   aprovado pela deliberação CVM 609/09, a Companhia apresenta a seguir as reconciliações de seu
   patrimônio liquido na data de transição e nada data das Informações Trimestrais, e os resultados
   dos trimestres findos em 30 de setembro de 2010 e 2009 pelas praticas contábeis vigentes até 31
   de dezembro de 2008 com as praticas contábeis obrigatórias em 31 de dezembro de 2010:

   Patrimônio líquido em 01/01/2009 “data de transição”

                                                                                      Consolidado
                                                                                    (atribuído aos
                                                                                         acionistas
                                                                     Controladora   controladores)

   Patrimônio líquido, conforme originalmente apresentado                 178.519          178.519
   Efeito dos CPCs 15 a 40
      Dividendos propostos aguardando aprovação em AGO                     55.548           55.548
      Imobilizado (Deemed Cost)                                               817              759
      Equivalência patrimonial dos ajustes dos CPCs em controladas          1.209                -
      Permutas - CPC 30                                                    27.907           28.851
      Imposto de renda e contribuição social sobre os ajustes               4.709            5.032

   Patrimônio líquido, ajustado                                           268.709          268.709


   Patrimônio líquido em 30/06/2010

                                                      11
Consolidado
                                                                                    (atribuído aos
                                                                                         acionistas
                                                                     Controladora   controladores)

Patrimônio líquido, conforme originalmente apresentado                    255.607          255.607
Efeito dos CPCs 15 a 40
   Imobilizado (Deemed Cost)                                                  259            (244)
   Imobilizado - Capitalização de juros - CPC 20                            5.138            5.138
   Imobilizado - Depreciação sobre capitalização de juros - CPC 20          (659)            (659)
   Equivalência patrimonial dos ajustes dos CPCs em controladas             1.353                 -
   Permutas - CPC 30                                                       34.957           36.555
   Imposto de renda e contribuição social sobre os ajustes                    867            1.130
   Participações minoritárias                                                   -               (5)

Patrimônio líquido, ajustado                                              297.522          297.522


Patrimônio líquido em 30/09/2010

                                                                                      Consolidado
                                                                                    (atribuído aos
                                                                                         acionistas
                                                                     Controladora   controladores)

Patrimônio líquido, conforme originalmente apresentado                    312.751          312.751
Efeito dos CPCs 15 a 40
   Imobilizado (Deemed Cost)                                                  335              336
   Imobilizado - Capitalização de juros - CPC 20                            5.424            5.424
   Imobilizado - Depreciação sobre capitalização de juros - CPC 20          (659)            (659)
   Equivalência patrimonial dos ajustes dos CPCs em controladas             1.778                 -
   Permutas - CPC 30                                                       36.763           38.501
   Imposto de renda e contribuição social sobre os ajustes                    130              174
   Participações minoritárias                                                   -               (5)

Patrimônio líquido, ajustado                                              356.522          356.522




                                                    12
Resultado do trimestre findo em 30/09/2009

                                                                    Controladora    Consolidado

Lucro líquido conforme originalmente apresentado                          32.553         32.553
Efeito dos CPCs 15 a 40
  Imobilizado (Deemed cost)                                                 (261)          (308)
  Imobilizado - Capitalização de juros - CPC 20                             3.674          3.674
  Imobilizado - Depreciação sobre capitalização de juros - CPC 20           (480)          (480)
  Equivalência patrimonial dos ajustes das CPCs em controladas               (40)              -
  Permutas - CPC 30                                                        13.605         13.615
  Imposto de renda e contribuição social sobre os ajustes                 (5.623)        (5.626)
  Participações minoritárias                                                    -              -

Lucro líquido ajustado                                                    43.428         43.428



Resultado do trimestre findo em 30/09/2010

                                                                    Controladora    Consolidado

Lucro líquido conforme originalmente apresentado                         134.832        134.832
Efeito dos CPCs 15 a 40
  Imobilizado (Deemed cost)                                                 (152)          (128)
  Imobilizado - Capitalização de juros - CPC 20                               526            526
  Imobilizado - Depreciação sobre capitalização de juros - CPC 20            (18)           (18)
  Equivalência patrimonial dos ajustes das CPCs em controladas                 15              -
  Permutas - CPC 30                                                       (8.614)        (8.632)
  Imposto de renda e contribuição social sobre os ajustes                   2.696          2.705
  Participações minoritárias                                                    -              -

Lucro líquido ajustado                                                   129.285        129.285




                                                   13
DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO PARA O
            PERÍODO FINDO EM 30 DE SETEMBRO DE 2010 E O EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE
                                     DEZEMBRO DE 2009
                                                    Reserva                   Reserva
                                                   de capital                 de lucros        Lucros       Atribuído     Participação      Total do
                                        Capital     Reserva     Reservas de   Reserva      (Prejuízos)   aos acionistas            não    patrimônio
                                          social     de ágio    reavaliação        legal   acumulados    controladores    controladores      líquido
SALDOS EM 31 DE
 DEZEMBRO DE 2009, ajustados           111.978         410         50.737     14.794        134.109         312.028               214      312.242

Realização da reserva de reavaliação                               (2.085)                     2.085                 -               -            -
Imposto de renda sobre realização
 da reserva de reavaliação                                            709                      (709)               -                -            -
Lucro líquido do trimestre                                                                   14.486           14.486               (4)      14.482
Destinação do resultado:
Ajustes CPC - Dividendos (CPC 24)                                                            (84.791)        (84.791)                      (84.791)
Ajustes CPC - P.L.                                                                                 -               -               (1)          (1)

SALDOS EM 31 DE
 MARÇO DE 2010, ajustados              111.978         410         49.361     14.794         65.180         241.723               209      241.932


Realização da reserva de reavaliação                               (2.085)                     2.085                 -               -            -
Imposto de renda sobre realização
 da reserva de reavaliação                                            709                      (709)               -                -            -
Lucro líquido do trimestre                                                                   55.799           55.799               25       55.824
Destinação do resultado:
Ajustes CPC - P.L.                                                                                  -                -              3            3

SALDOS EM 31 DE
 JUNHO DE 2010, ajustados              111.978         410         47.985     14.794        122.355         297.522               237      297.759

Realização da reserva de reavaliação                               (1.985)                     1.985                 -               -            -
Imposto de renda sobre realização
 da reserva de reavaliação                                            676                      (676)               -                -            -
Lucro líquido do trimestre                                                                   59.000           59.000               26       59.026
Destinação do resultado:
Ajustes CPC - P.L.                                                                                  -                -              1            1

SALDOS EM 31 DE
 SETEMBRO DE 2010                      111.978         410         46.676     14.794        182.664         356.522               264      356.786




                                                                              14
4.   PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS

     As principais práticas contábeis adotadas na elaboração destas Informações Trimestrais estão
     descritas a seguir:

     a)   Caixa e equivalentes de caixa

          Caixa e equivalentes de caixa incluem dinheiro em caixa, depósitos bancários, investimentos
          de curto prazo de alta liquidez e com risco insignificante de mudança de valor.

     b)   Instrumentos financeiros e títulos e valores mobiliários

          Classificação e mensuração:

          A Companhia classifica seus ativos financeiros sob as seguintes categorias: I) mensurados ao
          valor justo através do resultado; II) empréstimos e recebíveis; e III) ativos mantidos até o
          vencimento, não existindo, nas presentes Informações Trimestrais instrumentos disponíveis
          para venda e instrumentos financeiros derivativos. A classificação depende da finalidade para a
          qual os ativos financeiros foram adquiridos. A Administração determina a classificação de seus
          ativos financeiros no reconhecimento inicial.

          I)   Ativos financeiros mensurados ao valor justo através do resultado

               Os ativos financeiros mensurados ao valor justo através do resultado são aqueles mantidos
               para negociação ativa e frequente. Os ganhos ou as perdas decorrentes de variações no
               valor justo de ativos financeiros mensurados ao valor justo através do resultado são
               apresentados na demonstração do resultado em "resultado financeiro" no período em que
               ocorrem, a menos que o instrumento tenha sido contratado em conexão com outra
               operação. Neste caso, as variações são reconhecidas na mesma linha do resultado afetada
               pela referida operação.

          II) Empréstimos e recebíveis

               Incluem-se nesta categoria os empréstimos concedidos e os recebíveis que são ativos
               financeiros não-derivativos com pagamentos fixos ou determináveis e não cotados em um
               mercado ativo. São incluídos como ativo circulante, exceto aqueles com prazo de
               vencimento superior a 12 meses após a data de emissão do balanço (estes são classificados
               como ativos não-circulantes). Os empréstimos e recebíveis da Companhia compreendem
               os empréstimos à controladas, contas a receber de clientes, demais contas a receber e caixa
               e equivalentes de caixa, exceto os investimentos de curto prazo. Os empréstimos e
               recebíveis são contabilizados pelo custo amortizado, usando o método da taxa de juros
               efetiva.

                                                    15
III) Ativos mantidos até o vencimento

         São basicamente os ativos financeiros que não podem ser classificados como empréstimos
         e recebíveis, por serem cotados em um mercado ativo. Neste caso, os ativos financeiros são
         adquiridos com a intenção e capacidade financeira para sua manutenção em carteira até o
         vencimento. São avaliados pelo custo de aquisição, acrescidos dos rendimentos auferidos
         em contrapartida ao resultado do exercício.

     Valor justo

     Os valores justos dos investimentos com cotação pública são baseados nos preços atuais de
     compra. Para os ativos financeiros sem mercado ativo ou cotação pública, a Companhia
     estabelece o valor justo através de técnicas de avaliação. Essas técnicas incluem o uso de
     operações recentes contratadas com terceiros, a referência a outros instrumentos que são
     substancialmente similares, a análise de fluxos de caixa descontados e os modelos de
     precificação de opções que fazem o maior uso possível de informações geradas pelo mercado e
     contam o mínimo possível com informações geradas pela Administração da própria entidade.

     A Companhia avalia, na data do balanço, se há evidência objetiva de que um ativo financeiro
     ou um grupo de ativos financeiros está registrado por valor acima de seu valor recuperável
     (impairment).

c) Contas a receber de clientes

  O saldo de contas a receber refere-se substancialmente à veiculação de publicidade, serviços
  gráficos, assinaturas e venda de produtos a distribuidores. A provisão para créditos de liquidação
  duvidosa foi constituída com base na análise do nível de perdas históricas e no conhecimento e
  acompanhamento da situação individual de seus clientes, sendo considerada suficiente para fazer
  face às eventuais perdas na realização dos créditos.

d) Estoques

  Os estoques são demonstrados ao custo médio das compras ou da produção, inferior aos custos de
  reposição ou aos valores de realização e, quando aplicável, reduzido por provisão para
  obsolescência e para redução ao valor de mercado. As importações em andamento são
  demonstradas ao custo acumulado de cada importação.

  A Companhia efetuou provisão para perdas para os produtos acabados e matérias-primas com
  baixa movimentação. Tal provisão é constituída com base em percentual pelo tempo de
  permanência dos itens nos estoques até o limite máximo de três anos, quando são totalmente
  provisionados como prováveis de perda.




                                              16
e) Imposto de renda e contribuição social diferidos

  O imposto de renda e a contribuição social diferidos são calculados sobre os prejuízos fiscais do
  imposto de renda, a base negativa de contribuição social e as correspondentes diferenças
  temporárias entre as bases de cálculo do imposto sobre ativos e passivos e os valores contábeis das
  Informações Trimestrais. As alíquotas desses impostos, definidas atualmente para determinação
  desses créditos diferidos, são de 25% para o imposto de renda e de 9% para a contribuição social.

  Impostos diferidos ativos são reconhecidos na extensão em que seja provável que o lucro futuro
  tributável esteja disponível para ser utilizado na compensação das diferenças temporárias e/ou
  prejuízos fiscais, com base em projeções de resultados futuros elaboradas e fundamentadas em
  premissas internas e em cenários econômicos futuros que podem, portanto, sofrer alterações.

f) Depósitos judiciais

  Os depósitos são atualizados monetariamente e apresentados como dedução do valor de um
  correspondente passivo constituído, quando aplicável.

g) Investimentos em controladas

  Os investimentos em sociedades controladas são registrados e avaliados pelo método de
  equivalência patrimonial, reconhecida no resultado do exercício como receita (ou despesa)
  operacional. Para efeitos do cálculo da equivalência patrimonial, ganhos ou transações a realizar
  entre a Companhia e suas controladas são eliminados na medida da participação da Companhia;
  perdas não realizadas também são eliminadas, a menos que a transação forneça evidências de
  perda permanente (“impairment”) do ativo transferido.

  Quando necessário, as práticas contábeis das controladas são alteradas para garantir consistência
  com as práticas adotadas pela Companhia.

  g.1) Investimentos em controladas, resultado de equivalência patrimonial, provisão para perdas
       em operações de controladas, créditos, débitos, receitas e despesas relativos à transações
       intercompanhia são eliminados para fins de consolidação.

  g.2) A conta provisão para perdas em operação de controladas, no passivo não circulante, reflete
       as perdas efetivas nas operações das sociedades controladas com passivo a descoberto.

  g.3) Nas empresas consolidadas, as participações acionárias dos não controladores são calculadas
       com base na proporção de participação desses acionistas não controladores no patrimônio
       líquido de cada empresa consolidada e destacados em linha específica nas Informações
       Trimestrais consolidadas.




                                              17
h) Conversão em moeda estrangeira

  As transações em moeda estrangeira são convertidas para reais usando-se as taxas de câmbio em
  vigor nas datas das transações. Os saldos das contas de balanço são convertidos pela taxa cambial
  da data do balanço. Ganhos e perdas cambiais resultantes da liquidação dessas transações e da
  conversão de ativos e passivos monetários denominados em moeda estrangeira são reconhecidos
  na demonstração do resultado.

i) Imobilizado

  Máquinas e equipamentos industriais compreendem principalmente o parque fabril utilizado na
  produção gráfica; terrenos e edifícios compreendem principalmente as fábricas e escritórios. São
  demonstrados pelo custo histórico de aquisição, acrescidos de reavaliações espontâneas efetuadas
  em 31 de dezembro de 2005 pela Companhia e sua controlada direta Abril Gráfica Ltda., com base
  em laudo elaborado por empresa especializada, abrangendo tão somente seu parque gráfico,
  edifícios e terrenos.

  A depreciação é calculada pelo método linear, de acordo com as taxas divulgadas na nota 10.
  Terrenos não são depreciados.

  Conforme facultado pelo Pronunciamento CPC 13 - Adoção Inicial da Lei nº 11.638/07, a
  Companhia optou por manter os saldos das reavaliações até a sua plena realização.

  Ganhos e perdas em alienações são determinados pela comparação dos valores de alienação com o
  valor contábil e são incluídos no resultado. Quando os ativos reavaliados são vendidos, os valores
  incluídos na reserva de reavaliação são transferidos para lucros acumulados.

  Os custos dos encargos sobre empréstimos tomados para financiar a construção do imobilizado
  são capitalizados durante o período necessário para executar e preparar o ativo para o uso
  pretendido.

  Reparos e manutenção são apropriados ao resultado durante o período em que são incorridos. O
  custo das principais renovações é incluído no valor contábil do ativo no momento em que for
  provável que os benefícios econômicos futuros que ultrapassarem o padrão de desempenho
  inicialmente avaliado para o ativo existente fluirão para a Companhia. As principais renovações
  são depreciadas ao longo da vida útil restante do ativo relacionado.

  De acordo com a Deliberação CVM nº 527/07, que aprovou a CPC 01, “Redução ao valor
  recuperável de ativos”, a Companhia em conjunto com empresa especializada, realizou a revisão
  da vida útil econômica dos bens do imobilizado e registrou os efeitos desta revisão a partir de 1º
  de janeiro de 2009.

  Durante o trimestre findo em 30 de setembro de 2010, não foram identificadas diferenças
  significativas na vida útil-econômica dos bens que integram o ativo imobilizado da Companhia e
                                              18
de suas controladas, consequentemente, foram utilizadas as mesmas taxas de depreciação
     utilizadas no exercício findo em 31 de dezembro de 2009.

j)    Intangíveis

      (i) Programas de computador (software)
          Licenças adquiridas de programas de computador são capitalizadas e amortizadas ao longo
          de sua vida útil estimada (nota 11).

          Os gastos associados ao desenvolvimento ou à manutenção de softwares são reconhecidos
          como despesas na medida em que são incorridos. Os gastos diretamente associados a
          softwares identificáveis e únicos, controlados pela Companhia e suas controladas e que,
          provavelmente, gerarão benefícios econômicos maiores que os custos por mais de um ano,
          são reconhecidos como ativos intangíveis. Os gastos diretos incluem a remuneração dos
          funcionários da equipe de desenvolvimento de softwares e a parte adequada das despesas
          gerais relacionadas.

          Os gastos com o desenvolvimento de softwares reconhecidos como ativos são amortizados
          usando-se o método linear ao longo de suas vidas úteis, pelas taxas demonstradas na nota
          11.

      (ii) Outros ativos intangíveis
           Os custos com a aquisição de patentes, marcas comerciais, licenças são capitalizados e não
           são amortizados. Os ativos intangíveis não foram reavaliados.

k) Redução ao valor recuperável de ativos

     O imobilizado e outros ativos não circulantes e os ativos intangíveis, são revistos anualmente para
     se identificar evidências de perdas não recuperáveis, ou ainda, sempre que eventos ou alterações
     nas circunstâncias indicarem que o valor contábil pode não ser recuperável. Quando este for o
     caso, o valor recuperável é calculado para verificar se há perda. Quando houver perda, ela é
     reconhecida pelo montante em que o valor contábil do ativo ultrapassa seu valor recuperável, que
     é o maior entre o preço líquido de venda e o valor em uso de um ativo. Para fins de avaliação, os
     ativos são agrupados no menor grupo de ativos para o qual existem fluxos de caixa identificáveis
     separadamente.

l) Recebimentos antecipados

     Os recebimentos antecipados de clientes referem-se aos adiantamentos obtidos por conta de
     veiculação da publicidade futura e são registrados como receita quando da veiculação da
     publicidade.

m) Provisões

     As provisões são reconhecidas quando a Companhia e suas controladas tem uma obrigação
     presente, legal ou não formalizada, como resultado de eventos passados e é provável que uma


                                                 19
saída de recursos seja necessária para liquidar a obrigação e uma estimativa confiável do valor
  possa ser feita.

n) Assinaturas de revistas

  O saldo da conta assinaturas de revistas liquida-se pela produção e entrega contratada das
  publicações futuras e está demonstrado pelo montante líquido de valores a receber por conta de
  assinaturas vendidas.

o) Benefícios a funcionários

  (i)    Obrigações de pensão

         O plano de pensão da Companhia e de suas controladas é classificado como contribuição
         definida sendo que são pagas contribuições aos planos de pensão administrado pela
         Sociedade de Previdência Privada - Abrilprev em bases compulsórias, contratuais ou
         voluntárias. Assim que as contribuições tiverem sido feitas, a Companhia não tem
         obrigações relativas a pagamentos adicionais. As contribuições regulares compreendem os
         custos periódicos líquidos do período em que são devidas e, assim, são incluídas nos custos
         de pessoal.

  (ii)   Participação nos lucros

         A Companhia e suas controladas oferecem aos funcionários participação nos resultados, por
         meio do Superação, programa de participação nos resultados da Companhia vinculado ao
         atingimento de metas pré-estabelecidas.

         O reconhecimento desta participação é efetuado mensalmente e ajustado quando do
         encerramento do exercício, momento em que o valor pode ser mensurado de maneira
         confiável pela Companhia.

p) Demonstrações dos resultados

  p.1)    As receitas com publicidade (líquidas das bonificações de volumes), vendas de produtos e
          serviços de impressão são creditadas aos resultados quando da veiculação da propaganda,
          da entrega do produto e prestação dos serviços, respectivamente. As vendas de revistas
          para pontos de vendas são creditadas aos resultados nas datas de circulação, líquidas da
          estimativa de perdas. As receitas de assinaturas de revistas são reconhecidas
          proporcionalmente aos exemplares entregues. A Companhia efetua operações de permuta
          de publicidade e sobre tais operações foi aplicado o conceito de valor justo para cada
          contrato sendo que os efeitos resultantes foram contabilizados no resultado do período.

    p.2) Os custos são reconhecidos quando da veiculação da publicidade. Os custos de produção
         são apurados pelo método de lote específico e considera preços médios das compras ou
         produção. Os custos dos serviços prestados são reconhecidos quando da efetiva prestação
         dos serviços. Os custos de produção e venda de revistas são reconhecidos conforme a data


                                              20
de capa de cada edição e os custos de assinaturas e distribuição de exemplares são
                   apurados no momento da entrega aos assinantes.

5.   CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA

                                                                       Controladora                    Consolidado
                                                   30/09/2010             30/06/2010      30/09/2010      30/06/2010

     Caixa                                                   62                 55              74              67
     Bancos conta movimento                              37.333             15.412          37.921          15.757

                                                         37.395             15.467          37.995          15.824

     Títulos e valores mobiliários
      Certificados de depósitos bancários
       Destinados a negociação                      129.135                180.193         174.569         218.958
       Mantidos até o vencimento                    306.424                321.945         306.424         321.945

                                                    435.559                502.138         480.993         540.903

     Total                                          472.954                517.605         518.988         556.727

     Parcela do Circulante                          166.530                195.660         212.564         234.782
     Parcela do não Circulante                      306.424                321.945         306.424         321.945



6.   CONTAS A RECEBER DE CLIENTES

     6.1 Contas a receber

                                                             Controladora                               Consolidado
                                            30/09/2010         30/06/2010              30/09/2010        30/06/2010

             Publicidade                       98.259                   96.287           100.550             98.764
             Bancas e varejo                   71.804                   72.802            73.545             74.652
             Serviços gráficos                 27.283                   25.503            26.891             25.148
             Permuta                           65.997                   64.229            68.487             66.329
             Classificados                      3.496                    2.956             3.496              2.956
             Internet                           1.320                    1.154             1.320              1.154
             Direitos autorais                 16.256                   16.597            16.256             16.597
             Outras                            22.232                   17.205            21.284             16.863

                                              306.647                  296.733           311.829           302.463
             Provisão para créditos de
               liquidação duvidosa            (31.403)                 (30.269)          (31.639)           (30.614)

                                              275.244                  266.464           280.190           271.849

             Parcela do Circulante            266.593                  257.223           271.539           262.608
             Parcela do não Circulante          8.651                    9.241             8.651             9.241



                                                                  21
6.2 Movimentação da provisão para créditos de liquidação duvidosa:

                                                         Controladora            Consolidado

        Saldos em 30 de junho de 2010                         30.269                 30.614
         Adições                                               1.925                  1.925
         Reversões/baixas                                       (791)                  (900)
        Saldos em 30 de setembro de 2010                      31.403                 31.639



7. IMPOSTOS A RECUPERAR

                                                     Controladora             Consolidado
                                           30/09/2010 30/06/2010    30/09/2010 30/06/2010
   IR sobre aplicação financeira               1.721       2.427         2.500         3.500
   COFINS                                        952         961           981         1.041
   IR e CS antecipados                        34.931      15.093        39.005        17.700
   IPI                                             -           -             -           187
   PIS                                           224         226           230           232
   I.L.L. (i)                                  8.720           -         8.720             -
   Outros                                      1.339       1.396         1.439         1.431
                                              47.887      20.103        52.875        24.091

   Parcela do circulante                      47.324      19.540        52.314        23.528
   Parcela do não circulante                     563         563           563           563
                                              47.887      20.103        52.877        24.091

  (i) Refere-se ao ganho de ação judicial relativa ao direito de compensar o Imposto sobre o Lucro
  Líquido




                                                   22
8.   INVESTIMENTOS

     8.1 A participação direta da Editora Abril S.A. em empresas controladas em 30 de setembro e em
        30 de junho de 2010 está a seguir demonstrada:

                                                                      30 de Setembro de 2010                   30 de Junho de 2010
                                                                                Investimentos                         Investimentos
                                                              Patrimônio            (Provisão      Patrimônio             (Provisão
                                                    Parti-        líquido                para          líquido                 para
                                                  cipação      (Passivo a          perdas) em       (Passivo a           perdas) em
                                   Controladas         %      descoberto)         controladas      descoberto)          controladas
         Abril Gráfica Ltda.                      100,00         202.108             202.108          201.194              201.194
         Abril Vídeo Distribuição Ltda.           100,00          37.603             37.603            37.621              37.621
         ATB Agência de Talentos
          Brasileiros Ltda.                        99,90              (2)                 (2)               (2)                   (2)
         Distmag - Distribuidora Magazine
          Express de Publicações Ltda.             99,90            374                 374               375                   375
         Editora Novo Continente S.A.             100,00          11.626             11.626             8.728               8.728
         Magazine Express Comercial,
          Importadora e Exportadora
          de Revistas Ltda.                       100,00           1.866               1.866            1.721               1.721
         SCP – Femininas                           98,00          13.179             12.915            11.860              11.623

         Provisão para perdas em controladas                                              (2)                                     (2)

         Total dos investimentos                                                    266.492                               261.262

     8.2 A equivalência patrimonial e a provisão para perdas em controladas das participações diretas
         da Editora Abril S.A. em 30 de setembro de 2010 e de 2009 está a seguir demonstrada:

                                                                  30 de Setembro de 2010           30 de Setembro de 2009
                                                    Parti-
                                                  cipação     Resultado      Equivalência        Resultado        Equivalência
                                   Controladas         %     do período       Patrimonial       do período         Patrimonial
         Abril Gráfica Ltda.                      100,00         (1.288)           (1.288)          (3.284)             (3.284)
         Abril Vídeo Distribuição Ltda.           100,00          1.309             1.309             (523)               (523)
         ATB Agência de Talentos
          Brasileiros Ltda.                         99,90             (1)                (1)            (2)                 (2)
         Distmag - Distribuidora Magazine
          Express de Publicações Ltda.             99,90             (2)                (2)          (260)               (259)
         Editora Novo Continente S.A.             100,00          7.571              7.571          7.629               7.629
         Magazine Express Comercial,
          Importadora e Exportadora
          de Revistas Ltda.                       100,00            735                735          1.086               1.086
         SCP – Femininas                           98,00          2.463              2.414            803                 787

         Efeito líquido no resultado do período                                     10.738                              5.434
         Composto de:
          - Equivalência patrimonial em controladas                                 10.308                              4.350
          - Reversão da provisão para perdas
            em controladas                                                             430                              1.084




                                                             23
8.3 Movimentação dos investimentos:

                                         Saldo em    Equivalência    Ajustes          Saldo em
                          Controladas   30/06/2010    patrimonial    CPC (i)         30/09/2010
    Abril Gráfica Ltda.                   201.194            582           332         202.108
    Abril Vídeo Distribuição Ltda.         37.621             (18)                      37.603
    Distmag - Distribuidora Magazine                                                          -
     Express de Publicações Ltda.            375               (2)           -             373
    Magazine Express Comercial,                                                               -
     Importadora e Exportadora                                                                -
     de Revistas Ltda.                      1.721             146            -           1.867
    Editora Novo Continente S.A.            8.728           2.898            -          11.626
    SCP – Femininas                        11.623           1.292            -          12.915

    Total dos investimentos               261.262           4.898          332         266.492
    ATB Agência de Talentos
     Brasileiros Ltda.                         (2)              -            -              (2)
    Total da provisão para perdas
     em controladas                            (2)              -            -              (2)

    (i)O valor de R$332 refere-se a ajuste CPC do patrimônio líquido da investida.




                                               24
9.   TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS

     9.1 As transações e saldos que a Editora Abril S.A. (controladora e consolidado) efetuou e mantém
         com partes relacionadas para os períodos findos em 30 de setembro e em 30 de junho de 2010
         estão sumariados a seguir:

                                                                                                                          Controladora
                                                                                               Período findo em 30 de Setembro de 2010
                                                                    Circulante                     Não circulante
                                                                                    Empréstimos Empréstimos
                                                                                         e outros        e outros      Vendas       Receitas
                                                       Contas a      Contas a            créditos        créditos     (gastos)    (despesas)
                                 Partes relacionadas    receber        Pagar       concedidos (ii)    obtidos (ii)    líquidos   financeiras

         Abril S.A.                                          -             -              72.891               -            -         2.471
         Abril Comunicações S.A.                            32           272                   -          33.951            -       (2.093)
         Abril Gráfica S.A. (i)                            670       129.038                   -               -      (3.200)             -
         Abril Marcas Ltda.                                174             -                   -               -        2.187             -
         DGB - Logística S.A. Distribuição
          Geográfica do Brasil                               1              -             34.353               -             -        4.071
         Abril Radiodifusão S.A.                         1.944              -             13.133               -          741           282
         Abril Vídeo Distribuição Ltda.                      1              -                  -          42.031             -            -
         Canais Abril de Televisão Ltda.                    24             44                  -               -        (351)             -
         Casa Cor Promoções e Comercial Ltda.               15            100                  -               -           (9)            -
         Dinap S.A. - Distribuidora
          Nacional de Publicações                       33.540            141              5.114               -     181.212            327
         Editora Ática S.A.                              3.130              -                  -               -       4.488          1.746
         Editora Caras S.A.                              1.347            630                  -          10.807      16.140             (6)
         Editora Novo Continente S.A.                    1.196            908                  -               -       2.209               -
         Editora Scipione S.A.                           1.684              -                  -               -       1.088          1.551
         Fundação Victor Civita                          3.699            150                  -               -       5.189               -
         Instituto Abril                                 1.562              -
         Magazine Express Comercial,
          Importadora e Exportadora
          de Revistas Ltda.                                 16              5               260                -         (75)              -
         SCP - Femininas                                    54            382                  -               -        2.879              -
         Treelog S.A. Logística e Distribuição           1.194            838             3.492                -      (4.645)           466
         TVA Communications Ltd.                              -             -            17.435                -            -              -
         Outros                                             74              -             7.410              370          152           429
                                                       50.357        132.508           154.088           87.159      208.005         9.244
         Contas a receber:
         Abril S.A. (nota 9.2)                                  -              -          79.609                 -           -               -
                                                       50.357        132.508           233.697           87.159      208.005         9.244

         Títulos e valores mobiliários:
          Abril Comunicações S.A.                                                       306.424                                       2.723

         (i) Refere-se ao aluguel do parque gráfico com a controladora no valor de R$129.038 .
         (ii) Referem-se à empréstimos de mútuos




                                                                    25
Controladora
                                                                                            Período findo em 30 de Junho de 2010
                                                          Circulante                      Não circulante
                                                                        Empréstimos        Empréstimos
                                                                             e outros           e outros      Vendas      Receitas
                                             Contas a      Contas a          créditos           créditos     (gastos) (despesas)
                       Partes relacionadas    receber        Pagar     concedidos (ii)       obtidos (ii)    líquidos financeiras
Abril S.A.                                         -             -                    -               -            -        1.780
Abril Comunicações S.A.                           64           112                    -          35.011            -      (3.153)
Abril Gráfica S.A. (i)                         1.339       127.886                    -               -      (1.241)            -
Abril Marcas Ltda.                               252             -                    -               -        1.629            -
DGB - Logística S.A. Distribuição
 Geográfica do Brasil                              1              -           32.826                  -             -       2.008
Abril Radiodifusão S.A.                        1.483              -            4.089                  -          225            -
Abril Vídeo Distribuição Ltda.                     1              -                -             42.547             -           -
Canais Abril de Televisão Ltda.                   25             49                -                  -        (194)            -
Casa Cor Promoções e Comercial Ltda.              31              2                -                  -           (4)           -
Comercial Cabo TV São Paulo S.A.                   -              -                -                  -          138            -
Dinap S.A. - Distribuidora
 Nacional de Publicações                      39.296             27            4.984                  -     115.814           197
Editora Ática S.A.                               933             10                -                  -       2.342         1.746
Editora Caras S.A.                             2.400          1.012                -             11.383      10.687         (582)
Editora Novo Continente S.A.                     491            164                -                  -       1.439             -
Editora Scipione S.A.                            483              -                -                  -         590         1.551
Fundação Victor Civita                         3.576            506                -                  -       2.614             -
Instituto Abril                                1.562              -                -                  -           -             -
Magazine Express Comercial,
 Importadora e Exportadora
 de Revistas Ltda.                                17              6              260                  -         (47)            -
SCP - Femininas                                  121            341                 -                 -        1.869            -
Treelog S.A. Logística e Distribuição          1.173            649            1.808                  -      (2.426)          422
TVA Communications Ltd.                             -             -           18.265                  -            -        1.132
Outros                                            51             33            7.711                351            4          428
                                             53.299        130.797           69.943             89.292      133.439        5.529
Contas a receber:
Abril S.A. (nota 10.2.a)                              -           -           79.609                  -            -            -
                                             53.299        130.797          149.552             89.292      133.439        5.529
Títulos e valores mobiliários:
 Abril Comunicações S.A.                                                     321.945                                       18.245

(i) Refere-se ao aluguel do parque gráfico com a Controladora no valor de R$127.886
(ii) Referem-se à empréstimos de mútuos




                                                            26
Consolidado
                                                                                             Período findo em 30 de Setembro de 2010
                                                           Circulante                        Não circulante
                                                                             Empréstimos      Empréstimos
                                                                                 e outros          e outros       Vendas         Receitas
                                              Contas a      Contas a             créditos          créditos      (gastos)      (despesas)
                        Partes relacionadas    receber        Pagar         concedidos (i)       obtidos (i)     líquidos     financeiras

Abril S.A.                                          -                -            72.891                 -             -           2.471
Abril Comunicações S.A.                            32              272                 -            33.951             -         (2.093)
Abril Marcas Ltda.                                174                -                 -                 -         2.188               -
DGB - Logística S.A. Distribuição
 Geográfica do Brasil                               1                -            34.353                    -           -          4.071
Abril Radiodifusão S.A.                         1.978               14            13.133                    -        761             282
Canais Abril de Televisão Ltda.                    24               44                 -                    -      (351)               -
Casa Cor Promoções e Comercial Ltda.               15              100                 -                    -         (9)              -
Dinap S.A. - Distribuidora
 Nacional de Publicações                       35.664              142             5.114                 -       191.217          2.073
Editora Ática S.A.                              3.130                 -                -                 -         4.489               -
Editora Caras S.A.                              1.347              630                 -            10.807        16.140             (6)
Editora Scipione S.A.                           1.684                 -                -                 -         1.088          1.551
Fundação Victor Civita                          3.699              150                 -                 -         5.189               -
Instituto Abril                                 1.562                 -
Treelog S.A. Logística e Distribuição           1.194              853             3.492                  -       (4.735)            466
Outros                                             73                 -           24.845               371            153            429
                                              50.577            2.205           153.828            45.129       216.130           9.244
Contas a receber:
Abril S.A. (nota 9.2)                                  -                -         79.609                    -             -               -
                                              50.577            2.205           233.437            45.129       216.130           9.244

Títulos e valores mobiliários:
 Abril Comunicações S.A.                                                         306.424                                           2.723

(i) Referem-se à empréstimos de mútuo.




                                                           27
Consolidado
                                                                                           Período findo em 30 de Junho de 2010
                                                                                         Não circulante
                                                                           Empréstimos Empréstimos
                                                          Circulante           e outros        e outros    Vendas e       Receitas
                                              Contas a     Contas a            créditos        créditos    (gastos),    (despesas)
                        Partes relacionadas    receber        Pagar       concedidos (i)     obtidos (i)    líquidos   financeiras

Abril S.A.                                         -             -                     -             -            -       1.780
Abril Comunicações S.A.                           64           112                     -       35.011            -       (3.153)
Abril Marcas Ltda.                               252             -                     -             -       1.629            -
DGB - Logística S.A. Distribuição
  Geográfica do Brasil                             1             -               32.826              -            -        2.008
Abril Radiodifusão S.A.                        1.503             -                4.089              -         226             -
Canais Abril de Televisão Ltda.                   25            49                     -             -        (194)            -
Casa Cor Promoções e Comercial Ltda.              31             2                     -             -           (4)           -
Comercial Cabo TV São Paulo S.A.                   -             -                     -             -         139             -
Dinap S.A. - Distribuidora
 Nacional de Publicações                      42.469             20               4.984              -     122.401          197
Editora Ática S.A.                               933             10                    -             -        2.344      (1.746)
Editora Caras S.A.                             2.400          1.012                    -       11.383       10.687         (582)
Editora Scipione S.A.                            483              -                    -             -          591      (1.551)
Fundação Victor Cívita                         3.576            506                    -             -        2.615           -
Instituto Abril                                1.562              -                    -             -             -          -
Treelog S.A. - Logística e Distribuição        1.173            657               1.808              -       (2.483)        422
TVA Communications Ltd.                            -              -              18.265              -             -      1.132
Outros                                            49             33               7.711           352             4         428

                                              54.521          2.401              69.683        46.746      137.955       (1.065)
Contas a receber:
 Abril S.A. (nota 10)                              -              -              79.609              -            -           -
                                              54.521          2.401             149.292        46.746      137.955       (1.065)

Títulos e valores mobiliários
 Abril Comunicações S.A.                                                        321.945                                   18.245

(i) Referem-se à empréstimos de mútuo.


a) Remuneração do pessoal-chave da Administração

     O pessoal-chave da Administração inclui o presidente, os conselheiros e vice-presidentes, os
     membros do comitê executivo e o responsável da auditoria interna. A remuneração paga ou
     a pagar por serviços de empregados, está demonstrada a seguir:

                                                                       set/10                       jun/10

      Salários e encargos                                             11.978                        7.917
      Honorários da diretoria                                          3.001                        1.981
                                                                      14.979                        9.898

     Os honorários da diretoria foram contabilizados como despesas com pessoal. Além desses,
     não foram pagos outros valores ou benefícios adicionais aos administradores.


                                                         28
9.2. Outras informações relevantes sobre partes relacionadas

    (a) A Editora Abril S.A., em face do processo de reestruturação societária iniciado durante o
        exercício findo em 31 de dezembro de 2001, transferiu para a sua controladora Abril S.A. os
        créditos com a Abril Comunicações S.A. e os investimentos de certas controladas. Como
        consequência dessa transferência, posteriores reestruturações, transferências e dos
        pagamentos ocorridos ao longo do período, que inclui, a liquidação de dividendos no valor
        de R$113.055, a Companhia tem registrado um contas a receber no realizável a longo prazo
        com a Abril S.A. no montante de R$79.609 em 30 de setembro e em 30 de junho de 2010,
        sobre o qual não incide juros.

    (b) As transações de vendas e gastos com partes relacionadas foram efetuadas por valores,
        prazos e condições usuais de mercado, e referem-se a vendas de serviços gráficos, vendas de
        produtos e serviços. Adicionalmente, os custos e gastos gerais e administrativos são
        repassados às controladas pelos valores incorridos.

    (c) Exceto quanto aos valores decorrentes das operações mencionadas na nota 9.2.a e ao
        empréstimo obtido da controlada Abril Vídeo Distribuição Ltda., sobre o qual não incide
        juros, sobre os demais empréstimos concedidos ou obtidos por meio de contratos de mútuo
        com partes relacionadas incidem juros médios de mercado.

    (d) A Companhia possui créditos de mútuos, contas a receber e títulos e valores mobiliários
        com partes relacionadas no montante de R$426.376 em 30 de setembro de 2010 e
        R$440.218 em 30 de junho de 2010, classificados no ativo não circulante. A Administração
        da Companhia entende que a realização total desses saldos está condicionada à conclusão da
        reorganização societária e não prevê perdas na realização desses créditos.

9.3 Avais concedidos a controladas e partes relacionadas.

    O total dos avais concedidos pela Companhia em favor das sociedades controladas e outras
    partes relacionadas, em 30 de setembro de 2010, totaliza R$27.497 (R$25.630 em 30 de junho de
    2010).




                                               29
10. IMOBILIZADO

   Movimentação do imobilizado:

                                                                                                                         Controladora
                                                                                                                                 2010
                          Taxas anuais           Saldo                                                                          Saldo
                                    de      líquido em                     Baixas       Depre-        Transferência        líquido em
                           depreciação      30/06/2010     Adições       líquidas       ciação                   (i)       30/09/2010

   Terrenos                    -                9.265           -              -            -                    -             9.265
   Edifícios                  3%                5.894           -              -          (45)                   -             6.104
   Instalações                9%                8.278           -              -         (363)                 325             8.240
   Máquinas e
    equipamentos
    industriais              7%               104.629       1.917              -        (2.933)                 27           103.640
   Móveis e utensílios       10%                3.876       1.006              -          (163)                  -             4.718
   Veículos                  20%                7.243       1.928              -          (818)                  -             8.353
   Equipamentos de
    computação              47%                 7.798         181          (744)        (1.006)                339             6.568
   Outras imobilizações   20% a 27%             1.673           -             -           (129)                  -             1.289
   Imobilizações em
     andamento                 -                9.532      19.694              -             -                (901)           28.326

                                              158.188      24.726          (744)        (5.457)               (210)          176.503

                                                                                                                          Consolidado
                                                                                                                                 2010
                             Taxas anuais          Saldo                                                                        Saldo
                                       de     líquido em                     Baixas       Depre-        Transferência      líquido em
                              depreciação     30/06/2010     Adições       líquidas       ciação                   (i)     30/09/2010

   Terrenos                      -               38.170              -              -        (1)                    -         38.169
   Edifícios                    3%               48.452              -              -      (113)                    -         48.339
   Instalações                  9%               10.605              -              -      (420)                  325         10.510
   Máquinas e
    equipamentos
    industriais                 7%              115.583       1.917          (262)        (2.959)                  27        114.306
   Móveis e utensílios         10%                3.909       1.006             -           (165)                   -          4.749
   Veículos                    20%                7.243       1.928             -           (821)                   -          8.350
   Equipamentos de
    computação                47%                 7.827         181          (744)        (1.006)                 339          6.597
   Outras imobilizações     20% a 27%             1.673           -             -           (384)                   -          1.289
   Imobilizações em
     andamento                     -              9.532      19.692                 -             -              (901)        28.324

                                                242.994      24.724         (1.006)       (5.869)                (210)       260.633

   (i) Considera movimentações entre itens do ativo imobilizado com o ativo intangível.




                                                               30
11. INTANGÍVEL

   Movimentação do intangível:

                                                                                          Controladora
                       Taxas anuais        Saldo                                                 Saldo
                                de    líquido em                             Transfe-       líquido em
                       amortização    30/06/2010   Adições    Amortização    rência (i)     30/09/2010

   Sistemas de
     computação          13%            121.839         125        (5.545)      2.195         118.614
   Marcas e Patentes             -       15.974           -             -           -          15.974
   Software em
    desenvolvimento              -       27.614     6.817               -      (1.985)         32.446

                                        165.427     6.942          (5.545)        210         167.034

                                                                                           Consolidado
                       Taxas anuais        Saldo                                                 Saldo
                                de    líquido em                             Transfe-       líquido em
                       amortização    30/06/2010   Adições    Amortização    rência (i)     30/09/2010

   Sistemas de
     computação          13%            121.844         125        (5.545)      2.195         118.619
   Marcas e Patentes             -       15.983           -             -           -          15.983
   Software em
    desenvolvimento              -       27.614     6.816               -      (1.985)         32.445

                                        165.441     6.941          (5.545)        210         167.047

   (i) Considera movimentações entre itens do ativo imobilizado com o ativo intangível.


12. EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS E DEBÊNTURES

   Os empréstimos e financiamentos sujeitos à variação cambial estão atualizados pela respectiva taxa
   de câmbio de venda vigente no último dia útil do período. Os demais estão atualizados
   monetariamente, quando aplicável, pelos correspondentes encargos contratuais.

   Os empréstimos e financiamentos apresentam as seguintes características:




                                                   31
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril
Balanço da Abril

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1Q06 Results Presentation
1Q06 Results Presentation 1Q06 Results Presentation
1Q06 Results Presentation RiRossi
 
Exercicios contabilidade gabarito 01
Exercicios contabilidade gabarito 01Exercicios contabilidade gabarito 01
Exercicios contabilidade gabarito 01capitulocontabil
 
Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008
Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008
Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008Endesa Brasil
 
Contabilidade decifrada 13
Contabilidade decifrada 13Contabilidade decifrada 13
Contabilidade decifrada 13simuladocontabil
 
Contabilidade decifrada 16
Contabilidade decifrada 16Contabilidade decifrada 16
Contabilidade decifrada 16simuladocontabil
 
30 06-2012 - itr 2 t12
30 06-2012 - itr 2 t1230 06-2012 - itr 2 t12
30 06-2012 - itr 2 t12sonaeri
 
Banco sintetico 11806_13
Banco sintetico 11806_13Banco sintetico 11806_13
Banco sintetico 11806_13Paraná Banco
 
Anexo Iii Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
Anexo Iii   Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuidaAnexo Iii   Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
Anexo Iii Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuidaguestf90a779
 
Contabilidade geral resolução comentada
Contabilidade geral resolução comentadaContabilidade geral resolução comentada
Contabilidade geral resolução comentadasimuladocontabil
 
Anexo Vii Demonstrativo Do Resultado PrimáRio
Anexo Vii   Demonstrativo Do Resultado PrimáRioAnexo Vii   Demonstrativo Do Resultado PrimáRio
Anexo Vii Demonstrativo Do Resultado PrimáRioguestf90a779
 
Anexo Iii Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
Anexo Iii   Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuidaAnexo Iii   Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
Anexo Iii Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuidaguestf90a779
 
Analise Financeira e Demontrações Contábeis 2009
Analise Financeira e Demontrações Contábeis 2009Analise Financeira e Demontrações Contábeis 2009
Analise Financeira e Demontrações Contábeis 2009Petrobras
 
Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11Cteep
 
Anexo Iii Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
Anexo Iii   Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuidaAnexo Iii   Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
Anexo Iii Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuidaPortalCabo
 
Relatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla Energia
Relatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla EnergiaRelatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla Energia
Relatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla EnergiaAmpla Energia S.A.
 

Mais procurados (20)

1Q06 Results Presentation
1Q06 Results Presentation 1Q06 Results Presentation
1Q06 Results Presentation
 
Exercicios contabilidade gabarito 01
Exercicios contabilidade gabarito 01Exercicios contabilidade gabarito 01
Exercicios contabilidade gabarito 01
 
Abamec resultados do 4 t02
Abamec   resultados do 4 t02Abamec   resultados do 4 t02
Abamec resultados do 4 t02
 
Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008
Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008
Relatorio de Sustentabilidade Ampla 2008
 
Contabilidade decifrada 13
Contabilidade decifrada 13Contabilidade decifrada 13
Contabilidade decifrada 13
 
Contabilidade decifrada 16
Contabilidade decifrada 16Contabilidade decifrada 16
Contabilidade decifrada 16
 
30 06-2012 - itr 2 t12
30 06-2012 - itr 2 t1230 06-2012 - itr 2 t12
30 06-2012 - itr 2 t12
 
Natura 2
Natura 2Natura 2
Natura 2
 
Banco sintetico 11806_13
Banco sintetico 11806_13Banco sintetico 11806_13
Banco sintetico 11806_13
 
Anexo Iii Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
Anexo Iii   Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuidaAnexo Iii   Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
Anexo Iii Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
 
Contabilidade geral resolução comentada
Contabilidade geral resolução comentadaContabilidade geral resolução comentada
Contabilidade geral resolução comentada
 
Anexo Vii Demonstrativo Do Resultado PrimáRio
Anexo Vii   Demonstrativo Do Resultado PrimáRioAnexo Vii   Demonstrativo Do Resultado PrimáRio
Anexo Vii Demonstrativo Do Resultado PrimáRio
 
Exerc pract irc 2008
Exerc pract irc 2008Exerc pract irc 2008
Exerc pract irc 2008
 
Fevereiro 2012
Fevereiro 2012Fevereiro 2012
Fevereiro 2012
 
32678 066
32678 06632678 066
32678 066
 
Anexo Iii Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
Anexo Iii   Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuidaAnexo Iii   Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
Anexo Iii Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
 
Analise Financeira e Demontrações Contábeis 2009
Analise Financeira e Demontrações Contábeis 2009Analise Financeira e Demontrações Contábeis 2009
Analise Financeira e Demontrações Contábeis 2009
 
Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11
 
Anexo Iii Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
Anexo Iii   Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuidaAnexo Iii   Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
Anexo Iii Demonstrativo Da Receita Corrente LíQuida
 
Relatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla Energia
Relatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla EnergiaRelatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla Energia
Relatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla Energia
 

Destaque

Balanço patrimonial 2010
Balanço patrimonial 2010Balanço patrimonial 2010
Balanço patrimonial 2010amave
 
JBS - resultados do 2º trimestre
JBS - resultados do 2º trimestreJBS - resultados do 2º trimestre
JBS - resultados do 2º trimestreBeefPoint
 
Press Releases 3 T06
Press Releases 3 T06Press Releases 3 T06
Press Releases 3 T06TIM RI
 
Apresentação SABE Invest
Apresentação SABE InvestApresentação SABE Invest
Apresentação SABE InvestMarcelo Dias
 
Apresentação institucional 1_t13
Apresentação institucional 1_t13Apresentação institucional 1_t13
Apresentação institucional 1_t13Arezzori
 
Mrv apresentação institucional mai16 - por
Mrv apresentação institucional   mai16 - porMrv apresentação institucional   mai16 - por
Mrv apresentação institucional mai16 - porMRVRI
 
A importancia das_informacoes_contabeis_na_elaboracao_de_um_plano_de_negocio123
A importancia das_informacoes_contabeis_na_elaboracao_de_um_plano_de_negocio123A importancia das_informacoes_contabeis_na_elaboracao_de_um_plano_de_negocio123
A importancia das_informacoes_contabeis_na_elaboracao_de_um_plano_de_negocio123Ronne Seles
 
DRE e Balanço Patrimonial 2013 da ACET - Associação Comercial e Empresarial d...
DRE e Balanço Patrimonial 2013 da ACET - Associação Comercial e Empresarial d...DRE e Balanço Patrimonial 2013 da ACET - Associação Comercial e Empresarial d...
DRE e Balanço Patrimonial 2013 da ACET - Associação Comercial e Empresarial d...Felipe Brugg
 
Planejamento Financeiro para consultoras e diretoras Mary Kay
Planejamento Financeiro para consultoras e diretoras Mary KayPlanejamento Financeiro para consultoras e diretoras Mary Kay
Planejamento Financeiro para consultoras e diretoras Mary KayTássia Brandão
 
Visita a la biblioteca virtual digital
Visita a la biblioteca virtual digitalVisita a la biblioteca virtual digital
Visita a la biblioteca virtual digitalW1MFH3R
 
A INTERDEPENDÊNCIA ENTRE ESTADO E MST NA CONSTITUIÇÃO DE UM ASSENTAMENTO DE R...
A INTERDEPENDÊNCIA ENTRE ESTADO E MST NA CONSTITUIÇÃO DE UM ASSENTAMENTO DE R...A INTERDEPENDÊNCIA ENTRE ESTADO E MST NA CONSTITUIÇÃO DE UM ASSENTAMENTO DE R...
A INTERDEPENDÊNCIA ENTRE ESTADO E MST NA CONSTITUIÇÃO DE UM ASSENTAMENTO DE R...UFPB
 
Avaliando Scrum em um ambiente CMMI 5
Avaliando Scrum em um ambiente CMMI 5Avaliando Scrum em um ambiente CMMI 5
Avaliando Scrum em um ambiente CMMI 5Joao Paulo Coelho
 
Oculos de sol
Oculos de solOculos de sol
Oculos de solSandryx
 

Destaque (20)

Balanço patrimonial 2010
Balanço patrimonial 2010Balanço patrimonial 2010
Balanço patrimonial 2010
 
JBS - resultados do 2º trimestre
JBS - resultados do 2º trimestreJBS - resultados do 2º trimestre
JBS - resultados do 2º trimestre
 
Press Releases 3 T06
Press Releases 3 T06Press Releases 3 T06
Press Releases 3 T06
 
Apresentação SABE Invest
Apresentação SABE InvestApresentação SABE Invest
Apresentação SABE Invest
 
Apresentação institucional 1_t13
Apresentação institucional 1_t13Apresentação institucional 1_t13
Apresentação institucional 1_t13
 
Mrv apresentação institucional mai16 - por
Mrv apresentação institucional   mai16 - porMrv apresentação institucional   mai16 - por
Mrv apresentação institucional mai16 - por
 
A importancia das_informacoes_contabeis_na_elaboracao_de_um_plano_de_negocio123
A importancia das_informacoes_contabeis_na_elaboracao_de_um_plano_de_negocio123A importancia das_informacoes_contabeis_na_elaboracao_de_um_plano_de_negocio123
A importancia das_informacoes_contabeis_na_elaboracao_de_um_plano_de_negocio123
 
DRE e Balanço Patrimonial 2013 da ACET - Associação Comercial e Empresarial d...
DRE e Balanço Patrimonial 2013 da ACET - Associação Comercial e Empresarial d...DRE e Balanço Patrimonial 2013 da ACET - Associação Comercial e Empresarial d...
DRE e Balanço Patrimonial 2013 da ACET - Associação Comercial e Empresarial d...
 
Apostila analise de balanco ii
Apostila analise de balanco iiApostila analise de balanco ii
Apostila analise de balanco ii
 
Slides Equalização - Contabilidade 2014A
Slides Equalização - Contabilidade 2014ASlides Equalização - Contabilidade 2014A
Slides Equalização - Contabilidade 2014A
 
Planejamento Financeiro para consultoras e diretoras Mary Kay
Planejamento Financeiro para consultoras e diretoras Mary KayPlanejamento Financeiro para consultoras e diretoras Mary Kay
Planejamento Financeiro para consultoras e diretoras Mary Kay
 
Feira noivas e_festas
Feira noivas e_festasFeira noivas e_festas
Feira noivas e_festas
 
Visita a la biblioteca virtual digital
Visita a la biblioteca virtual digitalVisita a la biblioteca virtual digital
Visita a la biblioteca virtual digital
 
A INTERDEPENDÊNCIA ENTRE ESTADO E MST NA CONSTITUIÇÃO DE UM ASSENTAMENTO DE R...
A INTERDEPENDÊNCIA ENTRE ESTADO E MST NA CONSTITUIÇÃO DE UM ASSENTAMENTO DE R...A INTERDEPENDÊNCIA ENTRE ESTADO E MST NA CONSTITUIÇÃO DE UM ASSENTAMENTO DE R...
A INTERDEPENDÊNCIA ENTRE ESTADO E MST NA CONSTITUIÇÃO DE UM ASSENTAMENTO DE R...
 
Stage
StageStage
Stage
 
Phonicsworkbook2
Phonicsworkbook2Phonicsworkbook2
Phonicsworkbook2
 
Avaliando Scrum em um ambiente CMMI 5
Avaliando Scrum em um ambiente CMMI 5Avaliando Scrum em um ambiente CMMI 5
Avaliando Scrum em um ambiente CMMI 5
 
TV Cultura - Produção
TV Cultura - ProduçãoTV Cultura - Produção
TV Cultura - Produção
 
Res 0024 enero_06_de_2016
Res 0024 enero_06_de_2016Res 0024 enero_06_de_2016
Res 0024 enero_06_de_2016
 
Oculos de sol
Oculos de solOculos de sol
Oculos de sol
 

Semelhante a Balanço da Abril

O balanço financeiro do Náutico em 2015
O balanço financeiro do Náutico em 2015O balanço financeiro do Náutico em 2015
O balanço financeiro do Náutico em 2015Cassio Zirpoli
 
Analise demonstracoes financeira_aula04
Analise demonstracoes financeira_aula04Analise demonstracoes financeira_aula04
Analise demonstracoes financeira_aula04contacontabil
 
Hypermarcas df anual_2009_23022010_port Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Hypermarcas df anual_2009_23022010_port  Attain to 051.812.955.17 Sandro SuzartHypermarcas df anual_2009_23022010_port  Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Hypermarcas df anual_2009_23022010_port Attain to 051.812.955.17 Sandro SuzartSandro Suzart
 
051.812.955.17 folder to Tax Return
051.812.955.17 folder to Tax Return051.812.955.17 folder to Tax Return
051.812.955.17 folder to Tax ReturnSandro Suzart
 
Balanco do Banco Original da JBS-Friboi do 2 trimestre 2015
Balanco do Banco Original da JBS-Friboi do 2 trimestre 2015Balanco do Banco Original da JBS-Friboi do 2 trimestre 2015
Balanco do Banco Original da JBS-Friboi do 2 trimestre 2015Aryantipt Aryantipt
 
Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11Cteep
 
Programacao Visual na Contabilidade
Programacao Visual na ContabilidadeProgramacao Visual na Contabilidade
Programacao Visual na ContabilidadeFlávia Santos
 
Exercicio análise
Exercicio análiseExercicio análise
Exercicio análisevaniasiquei
 
Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016
Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016
Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016Cassio Zirpoli
 
Balanço sintético 2012
Balanço sintético 2012Balanço sintético 2012
Balanço sintético 2012Paraná Banco
 
Ambev dfp controladora_consolidado Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Ambev dfp controladora_consolidado  Attain to 051.812.955.17 Sandro SuzartAmbev dfp controladora_consolidado  Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Ambev dfp controladora_consolidado Attain to 051.812.955.17 Sandro SuzartSandro Suzart
 
Analise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeisAnalise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeisadmcontabil
 
Analise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeisAnalise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeisapostilacontabil
 

Semelhante a Balanço da Abril (20)

O balanço financeiro do Náutico em 2015
O balanço financeiro do Náutico em 2015O balanço financeiro do Náutico em 2015
O balanço financeiro do Náutico em 2015
 
Analise demonstracoes financeira_aula04
Analise demonstracoes financeira_aula04Analise demonstracoes financeira_aula04
Analise demonstracoes financeira_aula04
 
Demonstracao resultado ii
Demonstracao resultado iiDemonstracao resultado ii
Demonstracao resultado ii
 
Demonstrações contábeis 2009
Demonstrações contábeis 2009Demonstrações contábeis 2009
Demonstrações contábeis 2009
 
Demonstrações contábeis 2008-2009
Demonstrações contábeis 2008-2009Demonstrações contábeis 2008-2009
Demonstrações contábeis 2008-2009
 
Hypermarcas df anual_2009_23022010_port Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Hypermarcas df anual_2009_23022010_port  Attain to 051.812.955.17 Sandro SuzartHypermarcas df anual_2009_23022010_port  Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Hypermarcas df anual_2009_23022010_port Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
 
Rrelatorio contas 2012
Rrelatorio contas 2012Rrelatorio contas 2012
Rrelatorio contas 2012
 
Demonstrações financeiras 2009 -2010
Demonstrações financeiras 2009 -2010Demonstrações financeiras 2009 -2010
Demonstrações financeiras 2009 -2010
 
051.812.955.17 folder to Tax Return
051.812.955.17 folder to Tax Return051.812.955.17 folder to Tax Return
051.812.955.17 folder to Tax Return
 
Balanco do Banco Original da JBS-Friboi do 2 trimestre 2015
Balanco do Banco Original da JBS-Friboi do 2 trimestre 2015Balanco do Banco Original da JBS-Friboi do 2 trimestre 2015
Balanco do Banco Original da JBS-Friboi do 2 trimestre 2015
 
Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11Cteep apresentacao 2_t11
Cteep apresentacao 2_t11
 
Programacao Visual na Contabilidade
Programacao Visual na ContabilidadeProgramacao Visual na Contabilidade
Programacao Visual na Contabilidade
 
Exercicio análise
Exercicio análiseExercicio análise
Exercicio análise
 
Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016
Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016
Balanço financeiro do Náutico sobre a temporada 2016
 
Balanço sintético 2012
Balanço sintético 2012Balanço sintético 2012
Balanço sintético 2012
 
Ambev dfp controladora_consolidado Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Ambev dfp controladora_consolidado  Attain to 051.812.955.17 Sandro SuzartAmbev dfp controladora_consolidado  Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
Ambev dfp controladora_consolidado Attain to 051.812.955.17 Sandro Suzart
 
Analise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeisAnalise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeis
 
Analise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeisAnalise demonstracoes contabeis
Analise demonstracoes contabeis
 
Demonstrações financeiras fundo cristão para crianças 2011
Demonstrações financeiras fundo cristão para crianças 2011Demonstrações financeiras fundo cristão para crianças 2011
Demonstrações financeiras fundo cristão para crianças 2011
 
Demonstrações financeiras 2010-2011
Demonstrações financeiras 2010-2011Demonstrações financeiras 2010-2011
Demonstrações financeiras 2010-2011
 

Mais de Luis Nassif

Ações da APAE Paraná defendias por Marlus Arns
Ações da APAE Paraná defendias por Marlus ArnsAções da APAE Paraná defendias por Marlus Arns
Ações da APAE Paraná defendias por Marlus ArnsLuis Nassif
 
Brasil século XX aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR
 Brasil  século XX  aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR	 Brasil  século XX  aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR
Brasil século XX aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR Luis Nassif
 
Mandado de citação via postal eduardo c. cunha
Mandado de citação via postal eduardo c. cunhaMandado de citação via postal eduardo c. cunha
Mandado de citação via postal eduardo c. cunhaLuis Nassif
 
Parecer pgr adpf anistia
Parecer pgr adpf anistiaParecer pgr adpf anistia
Parecer pgr adpf anistiaLuis Nassif
 
Educação e desenvolvimento, estudo do CGEE sobre modelos educacionais
Educação e desenvolvimento, estudo do CGEE sobre modelos educacionaisEducação e desenvolvimento, estudo do CGEE sobre modelos educacionais
Educação e desenvolvimento, estudo do CGEE sobre modelos educacionaisLuis Nassif
 
A copa e a midia
A copa e a midiaA copa e a midia
A copa e a midiaLuis Nassif
 
Denúncia de suspeitos da morte de Bernardo
Denúncia de suspeitos da morte de BernardoDenúncia de suspeitos da morte de Bernardo
Denúncia de suspeitos da morte de BernardoLuis Nassif
 
Laudo Médico de Genoino
Laudo Médico de GenoinoLaudo Médico de Genoino
Laudo Médico de GenoinoLuis Nassif
 
O choro em Belo Horizonte
O choro em Belo HorizonteO choro em Belo Horizonte
O choro em Belo HorizonteLuis Nassif
 
20140211 mprfullreport
20140211 mprfullreport20140211 mprfullreport
20140211 mprfullreportLuis Nassif
 
Ap 536, o mensalão mineiro
Ap 536, o mensalão mineiroAp 536, o mensalão mineiro
Ap 536, o mensalão mineiroLuis Nassif
 
Escritos não criativos sobre economia criativa: por um novo olhar da relação...
Escritos não criativos sobre economia criativa:  por um novo olhar da relação...Escritos não criativos sobre economia criativa:  por um novo olhar da relação...
Escritos não criativos sobre economia criativa: por um novo olhar da relação...Luis Nassif
 
Boletim necon 2013_1
Boletim necon 2013_1Boletim necon 2013_1
Boletim necon 2013_1Luis Nassif
 
RDC, a Experiência Federal
RDC, a Experiência FederalRDC, a Experiência Federal
RDC, a Experiência FederalLuis Nassif
 
13 1184 reforma_política_cati - apresentação dos resultados - divulgação
13 1184 reforma_política_cati - apresentação dos resultados - divulgação13 1184 reforma_política_cati - apresentação dos resultados - divulgação
13 1184 reforma_política_cati - apresentação dos resultados - divulgaçãoLuis Nassif
 
Pl de autoria_do_deputado_ibsen_pinheiro
Pl de autoria_do_deputado_ibsen_pinheiroPl de autoria_do_deputado_ibsen_pinheiro
Pl de autoria_do_deputado_ibsen_pinheiroLuis Nassif
 
EFEITOS DOS CUSTOS TRANSACIONAIS NA IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE GOVERNO
EFEITOS DOS CUSTOS TRANSACIONAIS NA IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE GOVERNOEFEITOS DOS CUSTOS TRANSACIONAIS NA IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE GOVERNO
EFEITOS DOS CUSTOS TRANSACIONAIS NA IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE GOVERNOLuis Nassif
 

Mais de Luis Nassif (20)

Ações da APAE Paraná defendias por Marlus Arns
Ações da APAE Paraná defendias por Marlus ArnsAções da APAE Paraná defendias por Marlus Arns
Ações da APAE Paraná defendias por Marlus Arns
 
Brasil século XX aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR
 Brasil  século XX  aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR	 Brasil  século XX  aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR
Brasil século XX aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR
 
AI-5
AI-5AI-5
AI-5
 
Mandado de citação via postal eduardo c. cunha
Mandado de citação via postal eduardo c. cunhaMandado de citação via postal eduardo c. cunha
Mandado de citação via postal eduardo c. cunha
 
Parecer pgr adpf anistia
Parecer pgr adpf anistiaParecer pgr adpf anistia
Parecer pgr adpf anistia
 
Educação e desenvolvimento, estudo do CGEE sobre modelos educacionais
Educação e desenvolvimento, estudo do CGEE sobre modelos educacionaisEducação e desenvolvimento, estudo do CGEE sobre modelos educacionais
Educação e desenvolvimento, estudo do CGEE sobre modelos educacionais
 
A copa e a midia
A copa e a midiaA copa e a midia
A copa e a midia
 
91 302-1-pb
91 302-1-pb91 302-1-pb
91 302-1-pb
 
Denúncia de suspeitos da morte de Bernardo
Denúncia de suspeitos da morte de BernardoDenúncia de suspeitos da morte de Bernardo
Denúncia de suspeitos da morte de Bernardo
 
Laudo Médico de Genoino
Laudo Médico de GenoinoLaudo Médico de Genoino
Laudo Médico de Genoino
 
O choro em Belo Horizonte
O choro em Belo HorizonteO choro em Belo Horizonte
O choro em Belo Horizonte
 
20140211 mprfullreport
20140211 mprfullreport20140211 mprfullreport
20140211 mprfullreport
 
Ap 536, o mensalão mineiro
Ap 536, o mensalão mineiroAp 536, o mensalão mineiro
Ap 536, o mensalão mineiro
 
Escritos não criativos sobre economia criativa: por um novo olhar da relação...
Escritos não criativos sobre economia criativa:  por um novo olhar da relação...Escritos não criativos sobre economia criativa:  por um novo olhar da relação...
Escritos não criativos sobre economia criativa: por um novo olhar da relação...
 
Inquérito 2474
Inquérito 2474Inquérito 2474
Inquérito 2474
 
Boletim necon 2013_1
Boletim necon 2013_1Boletim necon 2013_1
Boletim necon 2013_1
 
RDC, a Experiência Federal
RDC, a Experiência FederalRDC, a Experiência Federal
RDC, a Experiência Federal
 
13 1184 reforma_política_cati - apresentação dos resultados - divulgação
13 1184 reforma_política_cati - apresentação dos resultados - divulgação13 1184 reforma_política_cati - apresentação dos resultados - divulgação
13 1184 reforma_política_cati - apresentação dos resultados - divulgação
 
Pl de autoria_do_deputado_ibsen_pinheiro
Pl de autoria_do_deputado_ibsen_pinheiroPl de autoria_do_deputado_ibsen_pinheiro
Pl de autoria_do_deputado_ibsen_pinheiro
 
EFEITOS DOS CUSTOS TRANSACIONAIS NA IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE GOVERNO
EFEITOS DOS CUSTOS TRANSACIONAIS NA IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE GOVERNOEFEITOS DOS CUSTOS TRANSACIONAIS NA IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE GOVERNO
EFEITOS DOS CUSTOS TRANSACIONAIS NA IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE GOVERNO
 

Balanço da Abril

  • 1. EDITORA ABRIL S.A. ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS SETEMBRO DE 2010
  • 2. ÍNDICE Página Balanços patrimoniais 1-2 Demonstrações do resultado 3 Demonstração dos fluxos de caixa 4–5 Notas explicativas às informações trimestrais 6 – 50 Comentário de desempenho da companhia no trimestre 51 – 54 Comentário de desempenho consolidado no trimestre 55 – 56 Relatório da revisão especial 57 – 58
  • 3. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 30 DE SETEMBRO E 30 DE JUNHO DE 2010 (valores expressos em milhares de reais) ATIVO CONTROLADORA CONSOLIDADO 30/09/2010 30/06/2010 30/09/2010 30/06/2010 CIRCULANTE: Caixas e equivalentes de caixa 37.395 15.467 37.995 15.824 Títulos e valores mobiliários 129.135 180.193 174.569 218.958 Contas a receber de clientes 297.996 287.492 303.178 293.222 Provisão para créditos de liquidação duvidosa (31.403) (30.269) (31.639) (30.614) Estoques 93.319 85.948 97.302 89.367 Adiantamento a fornecedores e outros 17.161 17.597 17.340 17.754 Pagamentos antecipados 7.387 7.046 7.390 7.118 Impostos a compensar 47.324 19.540 52.314 23.528 Bens destinados à venda 750 750 750 750 Total do ativo circulante 599.064 583.764 659.199 635.907 NÃO CIRCULANTE: Realizável a longo prazo Empréstimos e outros créditos com coligadas e interligadas 233.697 149.552 233.437 149.292 Contas a receber de clientes 8.651 9.241 8.651 9.241 Depósitos judiciais 24.460 23.710 26.034 25.230 Imposto de renda diferido 38.287 41.447 38.930 42.346 Títulos e valores mobiliários 306.424 321.945 306.424 321.945 Impostos a compensar 563 563 563 563 Imobilizado 176.503 158.188 260.633 242.994 Intangível 167.034 165.427 167.047 165.441 Investimentos 266.492 261.262 - - Total do ativo não circulante 1.222.111 1.131.335 1.041.719 957.052 Total do Ativo 1.821.175 1.715.099 1.700.918 1.592.959 1
  • 4. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 30 DE SETEMBRO E 30 DE JUNHO DE 2010 (valores expressos em milhares de reais) PASSIVO Controladora Consolidado 30/09/2010 30/06/2010 30/09/2010 30/06/2010 CIRCULANTE: Instituições financeiras 79.885 76.212 79.885 76.212 Debêntures 53.146 45.177 53.146 45.177 Fornecedores 136.551 148.414 137.337 149.709 Salários e encargos sociais 117.717 97.736 119.042 98.863 Imposto de renda e contribuição social a pagar 50.866 20.848 56.115 24.054 Recebimentos antecipados 82.189 94.287 81.711 93.815 Outros impostos e contribuições a pagar 10.235 10.207 10.605 10.621 Tributos e contribuições sociais - PAES 36.047 36.040 36.449 36.442 Aluguéis a pagar 131.137 129.991 2.133 2.138 Outras contas a pagar 29.475 23.432 31.744 25.850 Assinaturas de revistas 221.041 214.423 242.118 234.191 Total do passivo circulante 948.289 896.767 850.285 797.072 NÃO CIRCULANTE: Exigível a longo prazo Empréstimos de coligadas e interligadas 87.159 89.292 45.129 46.746 Instituições financeiras 72.961 71.650 72.961 71.650 Debêntures 225.883 225.883 225.883 225.883 Imposto de renda diferido 20.988 21.711 32.271 32.877 Provisão para contingências 24.032 25.103 24.160 25.224 Provisão para perdas em controladas 2 2 - - Tributos e contribuições sociais - PAES e REFIS 85.339 87.169 93.443 95.748 Total do passivo não circulante 516.364 520.810 493.847 498.128 PARTICIPAÇÕES MONORITÁRIAS - - 264 237 PATRIMÔNIO LÍQUIDO: Capital realizado e atualizado 111.978 111.978 111.978 111.978 Reservas de capital 410 410 410 410 Reservas de reavaliação 46.676 47.985 46.676 47.985 Reservas de lucros 197.458 137.149 197.458 137.149 Total do patrimônio líquido 356.522 297.522 356.522 297.522 Total do passivo 1.821.175 1.715.099 1.700.918 1.592.959 2
  • 5. DEMONSTRAÇÕES DOS RESULTADOS PARA OS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE SETEMBRO DE 2010 E 2009 (valores expressos em milhares de reais) Controladora Consolidado 30/09/2010 30/09/2009 30/09/2010 30/09/2009 VENDA DE PRODUTOS E SERVIÇOS 1.488.625 1.373.414 1.535.141 1.414.303 Impostos incidentes (64.080) (57.041) (66.717) (59.454) 1.424.545 1.316.373 1.468.424 1.354.849 CUSTO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS (514.933) (508.705) (525.355) (522.052) Lucro bruto 909.612 807.668 943.069 832.797 DESPESAS OPERACIONAIS: Vendas (434.214) (382.078) (452.976) (398.801) Administrativas (258.660) (236.154) (252.021) (237.576) Outras despesas operacionais, líquidas (4.778) (120) (9.027) (85) EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL 10.308 4.350 - - REVERSÃO DA PROVISÃO PARA PERDAS 430 1.084 - - Margem operacional antes dos itens financeiros 222.698 194.750 229.045 196.335 Receitas financeiras 43.255 35.823 46.179 39.195 Despesas financeiras (66.912) (80.679) (69.209) (82.720) Variação cambial, líquida (7.053) (70.091) (6.961) (70.020) Lucro antes do imposto de renda e da contribuição social 191.988 79.803 199.054 82.790 PROVISÃO PARA IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL (62.703) (36.375) (69.718) (39.347) Lucro antes da participação dos minoritários 129.285 43.428 129.336 43.443 PARTICIPAÇÕES MINORITÁRIAS - - (51) (15) Lucro líquido do período 129.285 43.428 129.285 43.428 3
  • 6. DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA PARA OS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE SETEMBRO DE 2010 E 2009 (valores expressos em milhares de reais) Controladora Consolidado 30/09/10 30/09/09 30/09/10 30/09/09 CAIXA LÍQUIDO DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS: 167.725 105.863 182.767 114.605 Caixa gerado nas operações 184.005 198.439 194.043 212.328 Lucro líquido do período 129.285 43.428 129.285 43.428 Depreciações e amortizações 31.788 36.075 34.937 45.083 Resultado de equivalência patrimonial (10.308) (4.350) - - Provisão (reversão) para perdas em controladas (430) (1.084) - - Baixas líquidas do imobilizado 2.545 1.505 2.807 1.533 Provisão (realização) do imposto de renda diferido 16.065 11.876 17.681 10.188 Participações minoritárias - - 51 15 Provisão para obsolescência do imobilizado - (979) - (979) Provisão (reversão) para créditos de liquidação duvidosa (18.967) 985 (18.944) 1.106 Provisão (reversão) para contingências (466) (2.342) (8.566) (1.471) Ganho adesão ao REFIS IV 403 - (1.280) - Juros e variação cambial provisionados 34.090 113.325 38.072 113.425 Variação de ativos e passivos: 27.211 (60.870) 32.047 (66.056) Contas a receber de clientes (6.664) 61.780 (5.425) 60.650 Estoques (22.563) 13.760 (23.452) 11.707 Impostos a compensar (33.412) (722) (36.629) (739) Adiantamentos a fornecedores e outros 208 (33.893) 119 (33.720) Contas a receber de longo prazo (8.651) 20.320 (8.651) 20.320 Títulos e valores mobiliários com partes relacionadas - 238 - 238 Depósitos judiciais (4.103) (3.549) (4.301) (3.646) Fornecedores (2.879) (136.943) (2.982) (136.109) Outros impostos e contribuições a pagar (512) (6) (684) (153) Salários e encargos sociais (2.462) (12.877) (2.653) (13.088) Recebimentos antecipados de clientes 14.444 12.624 14.077 12.498 Imposto de renda e contribuição social a pagar 44.383 9.214 47.011 8.853 Outras contas a pagar 2.431 (2.683) 2.283 (2.967) Assinaturas de revistas 40.189 7.868 45.087 10.074 Alugueis a pagar 3.403 3.999 31 26 Provisão para recuperação fiscal - REFIS - PAES 3.399 - 8.216 - Outros (43.491) (31.706) (43.323) (31.667) Juros e variações cambiais pagos (43.491) (31.706) (43.323) (31.667) 4
  • 7. DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA PARA OS PERÍODOS FINDOS EM 30 DE SETEMBRO DE 2010 E 2009 (valores expressos em milhares de reais) Controladora Consolidado 30/09/10 30/09/09 30/09/10 30/09/09 CAIXA LÍQUIDO DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS: (17.686) 64.059 (29.499) 50.769 Aquisições de: Imobilizado (34.751) (25.668) (34.749) (25.675) Intangível (26.583) (19.513) (26.581) (19.515) Dividendos recebidos 12.077 13.408 - - Adiantamento para futuro aumento de capital (260) (1.566) - - Empréstimos concedidos para partes relacionadas (286.472) (1.373) (286.472) (1.373) Recebimento de créditos com partes relacionadas 318.303 98.771 318.303 97.332 CAIXA LÍQUIDO DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS: (185.542) (235.837) (186.086) (235.931) Captação de empréstimos e financiamentos 3.230 2.968 3.230 2.968 Pagamento de empréstimos e financiamentos (2.974) (99.959) (2.974) (99.959) Pagamento de créditos com partes relacionadas (45.714) (29.043) (45.166) (29.938) Pagamentos de recuperação fiscal PAES e REFIS IV (27.029) (35.739) (28.121) (36.549) Dividendos pagos (113.055) (74.064) (113.055) (74.064) Empréstimos obtidos com partes relacionadas - - - 1.611 REDUÇÃO DE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA (35.503) (65.915) (32.818) (70.557) Saldo Inicial de caixa e equivalentes de caixa 202.033 172.183 245.382 214.642 Saldo Final de caixa e equivalentes de caixa 166.530 106.268 212.564 144.085 MOVIMENTAÇÃO LÍQUIDA DE CAIXA, E EQUIVALENTES DE CAIXA (35.503) (65.915) (32.818) (70.557) 5
  • 8. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EM 30 DE SETEMBRO DE 2010 (valores expressos em milhares de reais, exceto quando mencionado) 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Editora Abril S.A. ("Companhia") é uma sociedade anônima com sede em São Paulo, Estado de São Paulo. Sua controladora é a Abril S.A. e, em conjunto com as sociedades controladas, compartilha as estruturas e os custos corporativos, gerenciais e operacionais. A Companhia e suas controladas atuam na atividade editorial e gráfica, compreendendo a edição, impressão e venda de revistas, anuários e guias, publicações técnicas, comercialização de propaganda e publicidade e “data-base marketing”. 2. ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DAS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS As presentes Informações Trimestrais foram aprovadas pelo Conselho de Administração da Companhia em 9 de novembro de 2010. As Informações Trimestrais da Editora Abril S.A. e as Informações Trimestrais consolidadas foram elaboradas e estão apresentadas de acordo com a Lei das Sociedades por Ações nº11.638/07 e Normativos da Comissão de Valores Mobiliários. Na elaboração das Informações Trimestrais, foram utilizadas, quando necessário, estimativas contábeis determinadas pela administração em função de fatores objetivos para a seleção das vidas úteis do ativo imobilizado, provisões necessárias para passivos contingentes determinações de provisões para imposto de renda e outras similares. 3. IMPLEMENTAÇÃO DOS NOVOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS Até 31 de dezembro de 2009, a Companhia apresentava suas demonstrações contábeis individuais e consolidadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que incorporavam as mudanças introduzidas por intermédio das Leis 11.638/07 e 11.941/09 (MP 449/08), complementadas pelos pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC, aprovados por resoluções do Conselho Federal de Contabilidade – CFC e de normas da Comissão de Valores Mobiliários – CVM até 31 de dezembro de 2008. Conforme estabelecido na Deliberação CVM 609/09, que aprovou diversos pronunciamentos técnicos, entre eles o CPC 37 - Adoção Inicial das Normas Internacionais de Contabilidade e o CPC 43 - Adoção Inicial dos Pronunciamentos Técnicos CPC 15 a 40, a implementação dos novos pronunciamentos contábeis foi efetuada de forma retroativa a 1o de janeiro de 2009 (data de transição ou balanço de abertura). 6
  • 9. Desta forma, apresentamos na sequencia os impactos relativos a implementação dos pronunciamentos contábeis vigentes nesta data. a) Pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC implementados a partir de 1º de janeiro de 2009: Pronunciamento Efeito Referência CPC 2 (R1) – Efeitos das mudanças nas taxas de câmbio e conversão de demonstrações financeiras Com ajuste 3.d.1 CPC 15 – Combinação de Negócios Com efeito 3.b CPC 16 – Estoques Com efeito 3.b CPC 17 – Contratos de Construção Sem efeito 3.c CPC 18 – Investimento em Coligada e Controlada Com efeito 3.b CPC 19 – Participação em Empreendimento Controlado em Conjunto (Joint Venture) Sem efeito 3.c CPC 20 – Custos de Empréstimos Com ajuste 3.d.2 CPC 21 – Demonstração Intermediária Sem efeito 3.c CPC 22 – Informações por Segmento Com efeito 3.b CPC 23 – Políticas Contábeis, Mudanças de Estimativa e Retificação de Erro Com efeito 3.b CPC 24 – Evento Subsequente Com ajuste 3.d.3 CPC 25 – Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes Com efeito 3.b CPC 26 – Apresentação das Demonstrações Financeiras Com ajuste 3.d.4 CPC 27 – Ativo Imobilizado Com ajuste 3.d.5 CPC 28 – Propriedade para Investimento Sem efeito 3.c CPC 29 – Ativo Biológico e Produto Agrícola Sem efeito 3.c CPC 30 – Receitas Com ajuste 3.d.5 CPC 31 – Ativo Não Circulante Mantido para Venda e Operação Descontinuada Sem efeito 3.c CPC 32 – Tributos sobre o Lucro Com ajuste 3.d.7 CPC 33 – Benefícios a Empregados Com efeito 3.b CPC 35 – Demonstrações Separadas Sem efeito 3.c CPC 36 – Demonstrações Consolidadas Com efeito 3.b CPC 37 – Adoção Inicial das Normas Internacionais de Contabilidade Com efeito 3.d.8 CPC 38 – Instrumentos Financeiros – Reconhecimento e Mensuração Com efeito 3.b CPC 39 – Instrumentos Financeiros – Apresentação Com efeito 3.b CPC 40 – Instrumentos Financeiros – Evidenciação Com efeito 3.b CPC 41 – Resultado por ação Sem efeito 3.c CPC 43 – Adoção Inicial dos Pronunciamentos Técnicos CPC 15 a 40 Com efeito 3.b ICPC 06 - Hedge de Investimento Líquido em uma Operação no Exterior Sem efeito 3.c ICPC 07 - Distribuição de Lucros in Natura Sem efeito 3.c ICPC 08 - Contabilização da Proposta de Pagamento de Dividendos Com ajuste 3.d.3 ICPC 09 - Demonstrações Contábeis Individuais, Demonstrações Contábeis Separadas, Demonstrações Consolidadas e Aplicação do Método de Equivalência Patrimonial Com efeito 3.b ICPC 10 - Interpretação sobre a Aplicação Inicial ao Ativo Imobilizado e à Propriedade para Investimento dos Pronunciamentos Técnicos CPCs 27, 28, 37 e 43 Com efeito 3.b ICPC 11 - Recebimento em Transferência de Ativos dos Clientes Sem efeito 3.c ICPC 12 - Mudanças em Passivos por Desativação, Restauração e Outros Passivos Similares Com efeito 3.b 7
  • 10. b) O termo “Com efeito” identifica os pronunciamentos do CPC, aplicáveis a Companhia porém sem valor a ser contabilizado, e/ou o pronunciamento já era praticado pela Companhia e suas Controladas, anteriormente a sua vigência. c) O termo “Sem efeito” refere-se aos CPCs não aplicáveis à Companhia, assim este pronunciamento não teve impacto sobre as demonstrações financeiras da Editora Abril S.A. e suas Controladas. d) O termo “Com ajuste” identifica os pronunciamentos do CPC que produziram efeito no resultado e/ou patrimônio líquido da Companhia e/ou suas Controladas. Sumário das práticas contábeis modificadas: A Companhia e suas controladas reconheceram os efeitos da aplicação dos seguintes Pronunciamentos Técnicos (CPC) nas suas informações trimestrais: d.1) CPC 2 (R1) – Efeitos das mudanças nas taxas de câmbio e conversão de demonstrações financeiras , aprovado pela deliberação CVM nº 534/08. O objetivo do CPC 02 é determinar como incluir transações em moeda estrangeira e operações no exterior nas demonstrações financeiras de uma entidade no Brasil e como converter as demonstrações financeiras de entidade no exterior para a moeda de apresentação das demonstrações financeiras no Brasil para fins de registro da equivalência patrimonial, de consolidação integral ou proporcional das demonstrações financeiras. A Companhia entende, que de acordo com o §4 do CPC 2 (R1), as Controladas Abril Investments Corporation e Abril Jovem Investments Corporation, por não possuírem, corpo gerencial próprio, autonomia administrativa, utilizarem a moeda da investidora como sua moeda funcional e funcionarem, na essência, como extensão das atividades da matriz, tiveram seus ativos, passivos e resultados incorporados aos saldos das respectivas contas na Controladora, como seria aplicado a uma filial. d.2) CPC 20 – Custos de Empréstimos, aprovado pela deliberação CVM nº 577/09. O objetivo deste pronunciamento é o reconhecimento dos custos de empréstimos que são diretamente atribuídos à aquisição, à construção ou à produção de ativos qualificáveis para a sua capitalização, formando parte do custo de tais ativos. A Companhia capitalizava encargos financeiros somente para os empréstimos diretamente vinculados ao imobilizado e intangível em andamento. A partir de 1º de janeiro de 2009, a Companhia passou a capitalizar também encargos financeiros com base em uma taxa média de captação aplicada sobre os saldos citados acima. d.3) CPC 24 Evento Subsequentes, aprovado pela deliberação CVM 593/09. O objetivo deste pronunciamento é determinar quando a entidade deve ajustar suas demonstrações contábeis com respeito a eventos subsequentes ao período contábil a que se referem essas demonstrações, as informações que a entidade deve divulgar sobre a data em que é concedida a autorização para emissão das demonstrações contábeis e sobre os eventos subsequentes ao período contábil a que se referem essas demonstrações, e estabelecer que a entidade não deva elaborar suas demonstrações contábeis segundo o pressuposto da 8
  • 11. continuidade se os eventos subsequentes ao período contábil das demonstrações indicarem que o pressuposto da continuidade não é apropriado. A Companhia tem divulgado regularmente essas informações em suas informações trimestrais, porém, tem divulgado os dividendos propostos ao término do exercício, quando a norma exige que a contabilização seja feita após a aprovação do conselho. Assim, no exercício findo em 31 de dezembro de 2009 foi reclassificado o montante de R$84.791 de dividendos a pagar para lucros acumulados, representando 75% do saldo total de dividendos, permanecendo como dividendos a pagar somente os dividendos mínimos obrigatórios de 25%. d.4) CPC 26 Apresentação das Demonstrações Contábeis aprovado pela deliberação CVM 595/09. O objetivo deste pronunciamento é definir a base para a apresentação das demonstrações contábeis, para assegurar a comparabilidade tanto com as de períodos anteriores da mesma entidade quanto com as de outras entidades. Nesse cenário, este pronunciamento estabelece requisitos gerais para a apresentação, estabelece diretrizes da sua estrutura e os requisitos mínimos de conteúdo. A Companhia tem divulgado regularmente essas informações em suas informações trimestrais, exceto a Demonstração do Resultado Abrangente, que está demonstrada na nota 16. d.5) CPC 27 – Ativo imobilizado, aprovado pela deliberação CVM nº 583/09. O objetivo é estabelecer o tratamento contábil para ativos imobilizados, de forma que os usuários das demonstrações contábeis possam discernir a informação sobre o investimento da entidade em seus ativos imobilizados, bem como suas mutações. Os principais pontos a serem considerados na contabilização do ativo imobilizado são o reconhecimento dos ativos, a determinação dos seus valores contábeis, sua depreciação (vida útil estimada) e a avaliação da necessidade de reconhecimento de perda por desvalorização em relação aos mesmos, conforme CPC 01. A Companhia tem realizado anualmente o teste de “impairment” dos ativos intangíveis de vida útil indefinida incluindo o ágio, análise existencial de indicativo de “impairment”, revisão da vida útil estimada, método de depreciação e valor residual de seus ativos imobilizados e intangíveis. A Companhia e suas controladas optaram pela adoção da prática de revisão dos custos históricos dos bens do ativo imobilizado e utilização da prática do “custo atribuído” (“deemed cost”), conforme opção prevista nos parágrafos 20 a 29 do ICPC 10 - Interpretação sobre a Aplicação Inicial ao Ativo Imobilizado e à Propriedade para Investimento dos Pronunciamentos Técnicos CPCs 27, 28, 37 e 43, para registro do saldo inicial do ativo imobilizado na adoção inicial do CPC 27 - Ativo imobilizado e ICPC. Para tanto, a Companhia optou por adotar os pronunciamentos CPC com aplicação obrigatória prevista para as demonstrações financeiras de 31 de dezembro de 2010 o mesmo tratamento contábil adotado nos relatórios em IFRS divulgados ao seu investidor estrangeiro com influência significativa e está apresentando seu Imobilizado e Intangível ajustados pelos índices do IGP-M. 9
  • 12. d.6) CPC 30 – Receitas, aprovado pela deliberação CVM nº 597/09, estabelece o tratamento contábil de receitas provenientes de certos tipos de transações e eventos. A Receita é definida no Pronunciamento Básico Estrutura Conceitual para Elaboração e Apresentação das Demonstrações Contábeis como aumento nos benefícios econômicos durante o período contábil sob a forma de entrada de recursos ou aumento de ativos ou diminuição de passivos que resultam em aumento do patrimônio líquido da entidade e que não sejam provenientes de aporte de recursos dos proprietários da entidade. As receitas englobam tanto as receitas propriamente ditas como os ganhos. A receita surge no curso das atividades ordinárias da entidade. A Companhia efetua operações de permutas de publicidade e sobre tais operações foi aplicado o conceito de valor justo para cada contrato sendo que os efeitos resultantes foram contabilizados no resultado do período. Como consequência, durante o trimestre findo em 30 de setembro de 2010, foram reconhecidos nas informações trimestrais os ajustes conforme descrito abaixo: Controladora Consolidado Receitas operacionais 7.265 7.791 Despesas comerciais (15.863) (16.405) Despesas financeiras (16) (18) d.7) CPC 32 – Tributos sobre o lucro, aprovado pela deliberação CVM nº 599/09, estabelece o tratamento contábil para os tributos sobre o lucro. A questão principal na contabilização dos tributos sobre o lucro é como contabilizar os efeitos fiscais atuais e futuros de: d.7.1) futura recuperação (liquidação do valor contábil dos ativos (passivos) que são reconhecidos no balanço patrimonial da entidade e; d.7.2) operações e outros eventos do período atual que são reconhecidos nas demonstrações contábeis da entidade. A Companhia tem divulgado regularmente essas informações em suas informações trimestrais. O efeito das diferenças temporárias entre a Legislação Societária (Lei 6.404/76, atualizada pela Lei 11.638/07 e 11.941/09) e a Legislação Fiscal (RIR/99) está contabilizado como imposto de renda e contribuição social diferidos. A Companhia também tem apresentado em suas informações trimestrais a conciliação entre a alíquota efetiva de tributo e a alíquota aplicável, divulgando também a base sobre a qual a alíquota aplicável de tributo é computada. d.8) CPC 37 – Adoção Inicial das Normas Internacionais de Contabilidade, aprovado pela deliberação CVM nº 609/09. O objetivo deste Pronunciamento é garantir que as primeiras demonstrações contábeis de uma entidade de acordo com as IFRSs – “International Financial Reporting Standards”, e as divulgações contábeis intermediárias para os períodos 10
  • 13. parciais cobertos por essas demonstrações contábeis contenham informações de alta qualidade, bem como que elas: a) sejam transparentes para os usuários e comparáveis em relação a todos os períodos apresentados; b) proporcionem um ponto de partida adequado para as contabilizações de acordo com as IFRSs; e c) possam ser geradas a um custo que não supere os benefícios. O “International Accounting Standards Board” - IASB exige, e o CPC reafirma que, ao efetuar essa adoção inicial, seja tudo feito como se tivessem sido sempre aplicadas todas as IFRSs, com exceção de alguns pontos e isenção de outros. De acordo com o “Apêndice D – Isenções de outras IFRSs”, um adotante pela primeira vez que tenha, pela prática contábil anteriormente adotada no Brasil, reconhecido uma reavaliação de ativos e mantida na data de transição para as IFRS, deve mantê-la como custo atribuído para fins de suas demonstrações em IFRS. Como a Companhia já elaborava relatórios em IFRS, da sua controladora, para seu investidor estrangeiro com influência significativa optou por adotar o mesmo tratamento contábil para o Imobilizado e o Intangível dos relatórios em IFRS, ajustados pelos índices do IGP-M. e) Reconciliação do patrimônio líquido e do resultado Conforme exigido pelo CPC 37 - "Adoção inicial das normas internacionais de contabilidade", aprovado pela deliberação CVM 609/09, a Companhia apresenta a seguir as reconciliações de seu patrimônio liquido na data de transição e nada data das Informações Trimestrais, e os resultados dos trimestres findos em 30 de setembro de 2010 e 2009 pelas praticas contábeis vigentes até 31 de dezembro de 2008 com as praticas contábeis obrigatórias em 31 de dezembro de 2010: Patrimônio líquido em 01/01/2009 “data de transição” Consolidado (atribuído aos acionistas Controladora controladores) Patrimônio líquido, conforme originalmente apresentado 178.519 178.519 Efeito dos CPCs 15 a 40 Dividendos propostos aguardando aprovação em AGO 55.548 55.548 Imobilizado (Deemed Cost) 817 759 Equivalência patrimonial dos ajustes dos CPCs em controladas 1.209 - Permutas - CPC 30 27.907 28.851 Imposto de renda e contribuição social sobre os ajustes 4.709 5.032 Patrimônio líquido, ajustado 268.709 268.709 Patrimônio líquido em 30/06/2010 11
  • 14. Consolidado (atribuído aos acionistas Controladora controladores) Patrimônio líquido, conforme originalmente apresentado 255.607 255.607 Efeito dos CPCs 15 a 40 Imobilizado (Deemed Cost) 259 (244) Imobilizado - Capitalização de juros - CPC 20 5.138 5.138 Imobilizado - Depreciação sobre capitalização de juros - CPC 20 (659) (659) Equivalência patrimonial dos ajustes dos CPCs em controladas 1.353 - Permutas - CPC 30 34.957 36.555 Imposto de renda e contribuição social sobre os ajustes 867 1.130 Participações minoritárias - (5) Patrimônio líquido, ajustado 297.522 297.522 Patrimônio líquido em 30/09/2010 Consolidado (atribuído aos acionistas Controladora controladores) Patrimônio líquido, conforme originalmente apresentado 312.751 312.751 Efeito dos CPCs 15 a 40 Imobilizado (Deemed Cost) 335 336 Imobilizado - Capitalização de juros - CPC 20 5.424 5.424 Imobilizado - Depreciação sobre capitalização de juros - CPC 20 (659) (659) Equivalência patrimonial dos ajustes dos CPCs em controladas 1.778 - Permutas - CPC 30 36.763 38.501 Imposto de renda e contribuição social sobre os ajustes 130 174 Participações minoritárias - (5) Patrimônio líquido, ajustado 356.522 356.522 12
  • 15. Resultado do trimestre findo em 30/09/2009 Controladora Consolidado Lucro líquido conforme originalmente apresentado 32.553 32.553 Efeito dos CPCs 15 a 40 Imobilizado (Deemed cost) (261) (308) Imobilizado - Capitalização de juros - CPC 20 3.674 3.674 Imobilizado - Depreciação sobre capitalização de juros - CPC 20 (480) (480) Equivalência patrimonial dos ajustes das CPCs em controladas (40) - Permutas - CPC 30 13.605 13.615 Imposto de renda e contribuição social sobre os ajustes (5.623) (5.626) Participações minoritárias - - Lucro líquido ajustado 43.428 43.428 Resultado do trimestre findo em 30/09/2010 Controladora Consolidado Lucro líquido conforme originalmente apresentado 134.832 134.832 Efeito dos CPCs 15 a 40 Imobilizado (Deemed cost) (152) (128) Imobilizado - Capitalização de juros - CPC 20 526 526 Imobilizado - Depreciação sobre capitalização de juros - CPC 20 (18) (18) Equivalência patrimonial dos ajustes das CPCs em controladas 15 - Permutas - CPC 30 (8.614) (8.632) Imposto de renda e contribuição social sobre os ajustes 2.696 2.705 Participações minoritárias - - Lucro líquido ajustado 129.285 129.285 13
  • 16. DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO PARA O PERÍODO FINDO EM 30 DE SETEMBRO DE 2010 E O EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 Reserva Reserva de capital de lucros Lucros Atribuído Participação Total do Capital Reserva Reservas de Reserva (Prejuízos) aos acionistas não patrimônio social de ágio reavaliação legal acumulados controladores controladores líquido SALDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009, ajustados 111.978 410 50.737 14.794 134.109 312.028 214 312.242 Realização da reserva de reavaliação (2.085) 2.085 - - - Imposto de renda sobre realização da reserva de reavaliação 709 (709) - - - Lucro líquido do trimestre 14.486 14.486 (4) 14.482 Destinação do resultado: Ajustes CPC - Dividendos (CPC 24) (84.791) (84.791) (84.791) Ajustes CPC - P.L. - - (1) (1) SALDOS EM 31 DE MARÇO DE 2010, ajustados 111.978 410 49.361 14.794 65.180 241.723 209 241.932 Realização da reserva de reavaliação (2.085) 2.085 - - - Imposto de renda sobre realização da reserva de reavaliação 709 (709) - - - Lucro líquido do trimestre 55.799 55.799 25 55.824 Destinação do resultado: Ajustes CPC - P.L. - - 3 3 SALDOS EM 31 DE JUNHO DE 2010, ajustados 111.978 410 47.985 14.794 122.355 297.522 237 297.759 Realização da reserva de reavaliação (1.985) 1.985 - - - Imposto de renda sobre realização da reserva de reavaliação 676 (676) - - - Lucro líquido do trimestre 59.000 59.000 26 59.026 Destinação do resultado: Ajustes CPC - P.L. - - 1 1 SALDOS EM 31 DE SETEMBRO DE 2010 111.978 410 46.676 14.794 182.664 356.522 264 356.786 14
  • 17. 4. PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS As principais práticas contábeis adotadas na elaboração destas Informações Trimestrais estão descritas a seguir: a) Caixa e equivalentes de caixa Caixa e equivalentes de caixa incluem dinheiro em caixa, depósitos bancários, investimentos de curto prazo de alta liquidez e com risco insignificante de mudança de valor. b) Instrumentos financeiros e títulos e valores mobiliários Classificação e mensuração: A Companhia classifica seus ativos financeiros sob as seguintes categorias: I) mensurados ao valor justo através do resultado; II) empréstimos e recebíveis; e III) ativos mantidos até o vencimento, não existindo, nas presentes Informações Trimestrais instrumentos disponíveis para venda e instrumentos financeiros derivativos. A classificação depende da finalidade para a qual os ativos financeiros foram adquiridos. A Administração determina a classificação de seus ativos financeiros no reconhecimento inicial. I) Ativos financeiros mensurados ao valor justo através do resultado Os ativos financeiros mensurados ao valor justo através do resultado são aqueles mantidos para negociação ativa e frequente. Os ganhos ou as perdas decorrentes de variações no valor justo de ativos financeiros mensurados ao valor justo através do resultado são apresentados na demonstração do resultado em "resultado financeiro" no período em que ocorrem, a menos que o instrumento tenha sido contratado em conexão com outra operação. Neste caso, as variações são reconhecidas na mesma linha do resultado afetada pela referida operação. II) Empréstimos e recebíveis Incluem-se nesta categoria os empréstimos concedidos e os recebíveis que são ativos financeiros não-derivativos com pagamentos fixos ou determináveis e não cotados em um mercado ativo. São incluídos como ativo circulante, exceto aqueles com prazo de vencimento superior a 12 meses após a data de emissão do balanço (estes são classificados como ativos não-circulantes). Os empréstimos e recebíveis da Companhia compreendem os empréstimos à controladas, contas a receber de clientes, demais contas a receber e caixa e equivalentes de caixa, exceto os investimentos de curto prazo. Os empréstimos e recebíveis são contabilizados pelo custo amortizado, usando o método da taxa de juros efetiva. 15
  • 18. III) Ativos mantidos até o vencimento São basicamente os ativos financeiros que não podem ser classificados como empréstimos e recebíveis, por serem cotados em um mercado ativo. Neste caso, os ativos financeiros são adquiridos com a intenção e capacidade financeira para sua manutenção em carteira até o vencimento. São avaliados pelo custo de aquisição, acrescidos dos rendimentos auferidos em contrapartida ao resultado do exercício. Valor justo Os valores justos dos investimentos com cotação pública são baseados nos preços atuais de compra. Para os ativos financeiros sem mercado ativo ou cotação pública, a Companhia estabelece o valor justo através de técnicas de avaliação. Essas técnicas incluem o uso de operações recentes contratadas com terceiros, a referência a outros instrumentos que são substancialmente similares, a análise de fluxos de caixa descontados e os modelos de precificação de opções que fazem o maior uso possível de informações geradas pelo mercado e contam o mínimo possível com informações geradas pela Administração da própria entidade. A Companhia avalia, na data do balanço, se há evidência objetiva de que um ativo financeiro ou um grupo de ativos financeiros está registrado por valor acima de seu valor recuperável (impairment). c) Contas a receber de clientes O saldo de contas a receber refere-se substancialmente à veiculação de publicidade, serviços gráficos, assinaturas e venda de produtos a distribuidores. A provisão para créditos de liquidação duvidosa foi constituída com base na análise do nível de perdas históricas e no conhecimento e acompanhamento da situação individual de seus clientes, sendo considerada suficiente para fazer face às eventuais perdas na realização dos créditos. d) Estoques Os estoques são demonstrados ao custo médio das compras ou da produção, inferior aos custos de reposição ou aos valores de realização e, quando aplicável, reduzido por provisão para obsolescência e para redução ao valor de mercado. As importações em andamento são demonstradas ao custo acumulado de cada importação. A Companhia efetuou provisão para perdas para os produtos acabados e matérias-primas com baixa movimentação. Tal provisão é constituída com base em percentual pelo tempo de permanência dos itens nos estoques até o limite máximo de três anos, quando são totalmente provisionados como prováveis de perda. 16
  • 19. e) Imposto de renda e contribuição social diferidos O imposto de renda e a contribuição social diferidos são calculados sobre os prejuízos fiscais do imposto de renda, a base negativa de contribuição social e as correspondentes diferenças temporárias entre as bases de cálculo do imposto sobre ativos e passivos e os valores contábeis das Informações Trimestrais. As alíquotas desses impostos, definidas atualmente para determinação desses créditos diferidos, são de 25% para o imposto de renda e de 9% para a contribuição social. Impostos diferidos ativos são reconhecidos na extensão em que seja provável que o lucro futuro tributável esteja disponível para ser utilizado na compensação das diferenças temporárias e/ou prejuízos fiscais, com base em projeções de resultados futuros elaboradas e fundamentadas em premissas internas e em cenários econômicos futuros que podem, portanto, sofrer alterações. f) Depósitos judiciais Os depósitos são atualizados monetariamente e apresentados como dedução do valor de um correspondente passivo constituído, quando aplicável. g) Investimentos em controladas Os investimentos em sociedades controladas são registrados e avaliados pelo método de equivalência patrimonial, reconhecida no resultado do exercício como receita (ou despesa) operacional. Para efeitos do cálculo da equivalência patrimonial, ganhos ou transações a realizar entre a Companhia e suas controladas são eliminados na medida da participação da Companhia; perdas não realizadas também são eliminadas, a menos que a transação forneça evidências de perda permanente (“impairment”) do ativo transferido. Quando necessário, as práticas contábeis das controladas são alteradas para garantir consistência com as práticas adotadas pela Companhia. g.1) Investimentos em controladas, resultado de equivalência patrimonial, provisão para perdas em operações de controladas, créditos, débitos, receitas e despesas relativos à transações intercompanhia são eliminados para fins de consolidação. g.2) A conta provisão para perdas em operação de controladas, no passivo não circulante, reflete as perdas efetivas nas operações das sociedades controladas com passivo a descoberto. g.3) Nas empresas consolidadas, as participações acionárias dos não controladores são calculadas com base na proporção de participação desses acionistas não controladores no patrimônio líquido de cada empresa consolidada e destacados em linha específica nas Informações Trimestrais consolidadas. 17
  • 20. h) Conversão em moeda estrangeira As transações em moeda estrangeira são convertidas para reais usando-se as taxas de câmbio em vigor nas datas das transações. Os saldos das contas de balanço são convertidos pela taxa cambial da data do balanço. Ganhos e perdas cambiais resultantes da liquidação dessas transações e da conversão de ativos e passivos monetários denominados em moeda estrangeira são reconhecidos na demonstração do resultado. i) Imobilizado Máquinas e equipamentos industriais compreendem principalmente o parque fabril utilizado na produção gráfica; terrenos e edifícios compreendem principalmente as fábricas e escritórios. São demonstrados pelo custo histórico de aquisição, acrescidos de reavaliações espontâneas efetuadas em 31 de dezembro de 2005 pela Companhia e sua controlada direta Abril Gráfica Ltda., com base em laudo elaborado por empresa especializada, abrangendo tão somente seu parque gráfico, edifícios e terrenos. A depreciação é calculada pelo método linear, de acordo com as taxas divulgadas na nota 10. Terrenos não são depreciados. Conforme facultado pelo Pronunciamento CPC 13 - Adoção Inicial da Lei nº 11.638/07, a Companhia optou por manter os saldos das reavaliações até a sua plena realização. Ganhos e perdas em alienações são determinados pela comparação dos valores de alienação com o valor contábil e são incluídos no resultado. Quando os ativos reavaliados são vendidos, os valores incluídos na reserva de reavaliação são transferidos para lucros acumulados. Os custos dos encargos sobre empréstimos tomados para financiar a construção do imobilizado são capitalizados durante o período necessário para executar e preparar o ativo para o uso pretendido. Reparos e manutenção são apropriados ao resultado durante o período em que são incorridos. O custo das principais renovações é incluído no valor contábil do ativo no momento em que for provável que os benefícios econômicos futuros que ultrapassarem o padrão de desempenho inicialmente avaliado para o ativo existente fluirão para a Companhia. As principais renovações são depreciadas ao longo da vida útil restante do ativo relacionado. De acordo com a Deliberação CVM nº 527/07, que aprovou a CPC 01, “Redução ao valor recuperável de ativos”, a Companhia em conjunto com empresa especializada, realizou a revisão da vida útil econômica dos bens do imobilizado e registrou os efeitos desta revisão a partir de 1º de janeiro de 2009. Durante o trimestre findo em 30 de setembro de 2010, não foram identificadas diferenças significativas na vida útil-econômica dos bens que integram o ativo imobilizado da Companhia e 18
  • 21. de suas controladas, consequentemente, foram utilizadas as mesmas taxas de depreciação utilizadas no exercício findo em 31 de dezembro de 2009. j) Intangíveis (i) Programas de computador (software) Licenças adquiridas de programas de computador são capitalizadas e amortizadas ao longo de sua vida útil estimada (nota 11). Os gastos associados ao desenvolvimento ou à manutenção de softwares são reconhecidos como despesas na medida em que são incorridos. Os gastos diretamente associados a softwares identificáveis e únicos, controlados pela Companhia e suas controladas e que, provavelmente, gerarão benefícios econômicos maiores que os custos por mais de um ano, são reconhecidos como ativos intangíveis. Os gastos diretos incluem a remuneração dos funcionários da equipe de desenvolvimento de softwares e a parte adequada das despesas gerais relacionadas. Os gastos com o desenvolvimento de softwares reconhecidos como ativos são amortizados usando-se o método linear ao longo de suas vidas úteis, pelas taxas demonstradas na nota 11. (ii) Outros ativos intangíveis Os custos com a aquisição de patentes, marcas comerciais, licenças são capitalizados e não são amortizados. Os ativos intangíveis não foram reavaliados. k) Redução ao valor recuperável de ativos O imobilizado e outros ativos não circulantes e os ativos intangíveis, são revistos anualmente para se identificar evidências de perdas não recuperáveis, ou ainda, sempre que eventos ou alterações nas circunstâncias indicarem que o valor contábil pode não ser recuperável. Quando este for o caso, o valor recuperável é calculado para verificar se há perda. Quando houver perda, ela é reconhecida pelo montante em que o valor contábil do ativo ultrapassa seu valor recuperável, que é o maior entre o preço líquido de venda e o valor em uso de um ativo. Para fins de avaliação, os ativos são agrupados no menor grupo de ativos para o qual existem fluxos de caixa identificáveis separadamente. l) Recebimentos antecipados Os recebimentos antecipados de clientes referem-se aos adiantamentos obtidos por conta de veiculação da publicidade futura e são registrados como receita quando da veiculação da publicidade. m) Provisões As provisões são reconhecidas quando a Companhia e suas controladas tem uma obrigação presente, legal ou não formalizada, como resultado de eventos passados e é provável que uma 19
  • 22. saída de recursos seja necessária para liquidar a obrigação e uma estimativa confiável do valor possa ser feita. n) Assinaturas de revistas O saldo da conta assinaturas de revistas liquida-se pela produção e entrega contratada das publicações futuras e está demonstrado pelo montante líquido de valores a receber por conta de assinaturas vendidas. o) Benefícios a funcionários (i) Obrigações de pensão O plano de pensão da Companhia e de suas controladas é classificado como contribuição definida sendo que são pagas contribuições aos planos de pensão administrado pela Sociedade de Previdência Privada - Abrilprev em bases compulsórias, contratuais ou voluntárias. Assim que as contribuições tiverem sido feitas, a Companhia não tem obrigações relativas a pagamentos adicionais. As contribuições regulares compreendem os custos periódicos líquidos do período em que são devidas e, assim, são incluídas nos custos de pessoal. (ii) Participação nos lucros A Companhia e suas controladas oferecem aos funcionários participação nos resultados, por meio do Superação, programa de participação nos resultados da Companhia vinculado ao atingimento de metas pré-estabelecidas. O reconhecimento desta participação é efetuado mensalmente e ajustado quando do encerramento do exercício, momento em que o valor pode ser mensurado de maneira confiável pela Companhia. p) Demonstrações dos resultados p.1) As receitas com publicidade (líquidas das bonificações de volumes), vendas de produtos e serviços de impressão são creditadas aos resultados quando da veiculação da propaganda, da entrega do produto e prestação dos serviços, respectivamente. As vendas de revistas para pontos de vendas são creditadas aos resultados nas datas de circulação, líquidas da estimativa de perdas. As receitas de assinaturas de revistas são reconhecidas proporcionalmente aos exemplares entregues. A Companhia efetua operações de permuta de publicidade e sobre tais operações foi aplicado o conceito de valor justo para cada contrato sendo que os efeitos resultantes foram contabilizados no resultado do período. p.2) Os custos são reconhecidos quando da veiculação da publicidade. Os custos de produção são apurados pelo método de lote específico e considera preços médios das compras ou produção. Os custos dos serviços prestados são reconhecidos quando da efetiva prestação dos serviços. Os custos de produção e venda de revistas são reconhecidos conforme a data 20
  • 23. de capa de cada edição e os custos de assinaturas e distribuição de exemplares são apurados no momento da entrega aos assinantes. 5. CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA Controladora Consolidado 30/09/2010 30/06/2010 30/09/2010 30/06/2010 Caixa 62 55 74 67 Bancos conta movimento 37.333 15.412 37.921 15.757 37.395 15.467 37.995 15.824 Títulos e valores mobiliários Certificados de depósitos bancários Destinados a negociação 129.135 180.193 174.569 218.958 Mantidos até o vencimento 306.424 321.945 306.424 321.945 435.559 502.138 480.993 540.903 Total 472.954 517.605 518.988 556.727 Parcela do Circulante 166.530 195.660 212.564 234.782 Parcela do não Circulante 306.424 321.945 306.424 321.945 6. CONTAS A RECEBER DE CLIENTES 6.1 Contas a receber Controladora Consolidado 30/09/2010 30/06/2010 30/09/2010 30/06/2010 Publicidade 98.259 96.287 100.550 98.764 Bancas e varejo 71.804 72.802 73.545 74.652 Serviços gráficos 27.283 25.503 26.891 25.148 Permuta 65.997 64.229 68.487 66.329 Classificados 3.496 2.956 3.496 2.956 Internet 1.320 1.154 1.320 1.154 Direitos autorais 16.256 16.597 16.256 16.597 Outras 22.232 17.205 21.284 16.863 306.647 296.733 311.829 302.463 Provisão para créditos de liquidação duvidosa (31.403) (30.269) (31.639) (30.614) 275.244 266.464 280.190 271.849 Parcela do Circulante 266.593 257.223 271.539 262.608 Parcela do não Circulante 8.651 9.241 8.651 9.241 21
  • 24. 6.2 Movimentação da provisão para créditos de liquidação duvidosa: Controladora Consolidado Saldos em 30 de junho de 2010 30.269 30.614 Adições 1.925 1.925 Reversões/baixas (791) (900) Saldos em 30 de setembro de 2010 31.403 31.639 7. IMPOSTOS A RECUPERAR Controladora Consolidado 30/09/2010 30/06/2010 30/09/2010 30/06/2010 IR sobre aplicação financeira 1.721 2.427 2.500 3.500 COFINS 952 961 981 1.041 IR e CS antecipados 34.931 15.093 39.005 17.700 IPI - - - 187 PIS 224 226 230 232 I.L.L. (i) 8.720 - 8.720 - Outros 1.339 1.396 1.439 1.431 47.887 20.103 52.875 24.091 Parcela do circulante 47.324 19.540 52.314 23.528 Parcela do não circulante 563 563 563 563 47.887 20.103 52.877 24.091 (i) Refere-se ao ganho de ação judicial relativa ao direito de compensar o Imposto sobre o Lucro Líquido 22
  • 25. 8. INVESTIMENTOS 8.1 A participação direta da Editora Abril S.A. em empresas controladas em 30 de setembro e em 30 de junho de 2010 está a seguir demonstrada: 30 de Setembro de 2010 30 de Junho de 2010 Investimentos Investimentos Patrimônio (Provisão Patrimônio (Provisão Parti- líquido para líquido para cipação (Passivo a perdas) em (Passivo a perdas) em Controladas % descoberto) controladas descoberto) controladas Abril Gráfica Ltda. 100,00 202.108 202.108 201.194 201.194 Abril Vídeo Distribuição Ltda. 100,00 37.603 37.603 37.621 37.621 ATB Agência de Talentos Brasileiros Ltda. 99,90 (2) (2) (2) (2) Distmag - Distribuidora Magazine Express de Publicações Ltda. 99,90 374 374 375 375 Editora Novo Continente S.A. 100,00 11.626 11.626 8.728 8.728 Magazine Express Comercial, Importadora e Exportadora de Revistas Ltda. 100,00 1.866 1.866 1.721 1.721 SCP – Femininas 98,00 13.179 12.915 11.860 11.623 Provisão para perdas em controladas (2) (2) Total dos investimentos 266.492 261.262 8.2 A equivalência patrimonial e a provisão para perdas em controladas das participações diretas da Editora Abril S.A. em 30 de setembro de 2010 e de 2009 está a seguir demonstrada: 30 de Setembro de 2010 30 de Setembro de 2009 Parti- cipação Resultado Equivalência Resultado Equivalência Controladas % do período Patrimonial do período Patrimonial Abril Gráfica Ltda. 100,00 (1.288) (1.288) (3.284) (3.284) Abril Vídeo Distribuição Ltda. 100,00 1.309 1.309 (523) (523) ATB Agência de Talentos Brasileiros Ltda. 99,90 (1) (1) (2) (2) Distmag - Distribuidora Magazine Express de Publicações Ltda. 99,90 (2) (2) (260) (259) Editora Novo Continente S.A. 100,00 7.571 7.571 7.629 7.629 Magazine Express Comercial, Importadora e Exportadora de Revistas Ltda. 100,00 735 735 1.086 1.086 SCP – Femininas 98,00 2.463 2.414 803 787 Efeito líquido no resultado do período 10.738 5.434 Composto de: - Equivalência patrimonial em controladas 10.308 4.350 - Reversão da provisão para perdas em controladas 430 1.084 23
  • 26. 8.3 Movimentação dos investimentos: Saldo em Equivalência Ajustes Saldo em Controladas 30/06/2010 patrimonial CPC (i) 30/09/2010 Abril Gráfica Ltda. 201.194 582 332 202.108 Abril Vídeo Distribuição Ltda. 37.621 (18) 37.603 Distmag - Distribuidora Magazine - Express de Publicações Ltda. 375 (2) - 373 Magazine Express Comercial, - Importadora e Exportadora - de Revistas Ltda. 1.721 146 - 1.867 Editora Novo Continente S.A. 8.728 2.898 - 11.626 SCP – Femininas 11.623 1.292 - 12.915 Total dos investimentos 261.262 4.898 332 266.492 ATB Agência de Talentos Brasileiros Ltda. (2) - - (2) Total da provisão para perdas em controladas (2) - - (2) (i)O valor de R$332 refere-se a ajuste CPC do patrimônio líquido da investida. 24
  • 27. 9. TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS 9.1 As transações e saldos que a Editora Abril S.A. (controladora e consolidado) efetuou e mantém com partes relacionadas para os períodos findos em 30 de setembro e em 30 de junho de 2010 estão sumariados a seguir: Controladora Período findo em 30 de Setembro de 2010 Circulante Não circulante Empréstimos Empréstimos e outros e outros Vendas Receitas Contas a Contas a créditos créditos (gastos) (despesas) Partes relacionadas receber Pagar concedidos (ii) obtidos (ii) líquidos financeiras Abril S.A. - - 72.891 - - 2.471 Abril Comunicações S.A. 32 272 - 33.951 - (2.093) Abril Gráfica S.A. (i) 670 129.038 - - (3.200) - Abril Marcas Ltda. 174 - - - 2.187 - DGB - Logística S.A. Distribuição Geográfica do Brasil 1 - 34.353 - - 4.071 Abril Radiodifusão S.A. 1.944 - 13.133 - 741 282 Abril Vídeo Distribuição Ltda. 1 - - 42.031 - - Canais Abril de Televisão Ltda. 24 44 - - (351) - Casa Cor Promoções e Comercial Ltda. 15 100 - - (9) - Dinap S.A. - Distribuidora Nacional de Publicações 33.540 141 5.114 - 181.212 327 Editora Ática S.A. 3.130 - - - 4.488 1.746 Editora Caras S.A. 1.347 630 - 10.807 16.140 (6) Editora Novo Continente S.A. 1.196 908 - - 2.209 - Editora Scipione S.A. 1.684 - - - 1.088 1.551 Fundação Victor Civita 3.699 150 - - 5.189 - Instituto Abril 1.562 - Magazine Express Comercial, Importadora e Exportadora de Revistas Ltda. 16 5 260 - (75) - SCP - Femininas 54 382 - - 2.879 - Treelog S.A. Logística e Distribuição 1.194 838 3.492 - (4.645) 466 TVA Communications Ltd. - - 17.435 - - - Outros 74 - 7.410 370 152 429 50.357 132.508 154.088 87.159 208.005 9.244 Contas a receber: Abril S.A. (nota 9.2) - - 79.609 - - - 50.357 132.508 233.697 87.159 208.005 9.244 Títulos e valores mobiliários: Abril Comunicações S.A. 306.424 2.723 (i) Refere-se ao aluguel do parque gráfico com a controladora no valor de R$129.038 . (ii) Referem-se à empréstimos de mútuos 25
  • 28. Controladora Período findo em 30 de Junho de 2010 Circulante Não circulante Empréstimos Empréstimos e outros e outros Vendas Receitas Contas a Contas a créditos créditos (gastos) (despesas) Partes relacionadas receber Pagar concedidos (ii) obtidos (ii) líquidos financeiras Abril S.A. - - - - - 1.780 Abril Comunicações S.A. 64 112 - 35.011 - (3.153) Abril Gráfica S.A. (i) 1.339 127.886 - - (1.241) - Abril Marcas Ltda. 252 - - - 1.629 - DGB - Logística S.A. Distribuição Geográfica do Brasil 1 - 32.826 - - 2.008 Abril Radiodifusão S.A. 1.483 - 4.089 - 225 - Abril Vídeo Distribuição Ltda. 1 - - 42.547 - - Canais Abril de Televisão Ltda. 25 49 - - (194) - Casa Cor Promoções e Comercial Ltda. 31 2 - - (4) - Comercial Cabo TV São Paulo S.A. - - - - 138 - Dinap S.A. - Distribuidora Nacional de Publicações 39.296 27 4.984 - 115.814 197 Editora Ática S.A. 933 10 - - 2.342 1.746 Editora Caras S.A. 2.400 1.012 - 11.383 10.687 (582) Editora Novo Continente S.A. 491 164 - - 1.439 - Editora Scipione S.A. 483 - - - 590 1.551 Fundação Victor Civita 3.576 506 - - 2.614 - Instituto Abril 1.562 - - - - - Magazine Express Comercial, Importadora e Exportadora de Revistas Ltda. 17 6 260 - (47) - SCP - Femininas 121 341 - - 1.869 - Treelog S.A. Logística e Distribuição 1.173 649 1.808 - (2.426) 422 TVA Communications Ltd. - - 18.265 - - 1.132 Outros 51 33 7.711 351 4 428 53.299 130.797 69.943 89.292 133.439 5.529 Contas a receber: Abril S.A. (nota 10.2.a) - - 79.609 - - - 53.299 130.797 149.552 89.292 133.439 5.529 Títulos e valores mobiliários: Abril Comunicações S.A. 321.945 18.245 (i) Refere-se ao aluguel do parque gráfico com a Controladora no valor de R$127.886 (ii) Referem-se à empréstimos de mútuos 26
  • 29. Consolidado Período findo em 30 de Setembro de 2010 Circulante Não circulante Empréstimos Empréstimos e outros e outros Vendas Receitas Contas a Contas a créditos créditos (gastos) (despesas) Partes relacionadas receber Pagar concedidos (i) obtidos (i) líquidos financeiras Abril S.A. - - 72.891 - - 2.471 Abril Comunicações S.A. 32 272 - 33.951 - (2.093) Abril Marcas Ltda. 174 - - - 2.188 - DGB - Logística S.A. Distribuição Geográfica do Brasil 1 - 34.353 - - 4.071 Abril Radiodifusão S.A. 1.978 14 13.133 - 761 282 Canais Abril de Televisão Ltda. 24 44 - - (351) - Casa Cor Promoções e Comercial Ltda. 15 100 - - (9) - Dinap S.A. - Distribuidora Nacional de Publicações 35.664 142 5.114 - 191.217 2.073 Editora Ática S.A. 3.130 - - - 4.489 - Editora Caras S.A. 1.347 630 - 10.807 16.140 (6) Editora Scipione S.A. 1.684 - - - 1.088 1.551 Fundação Victor Civita 3.699 150 - - 5.189 - Instituto Abril 1.562 - Treelog S.A. Logística e Distribuição 1.194 853 3.492 - (4.735) 466 Outros 73 - 24.845 371 153 429 50.577 2.205 153.828 45.129 216.130 9.244 Contas a receber: Abril S.A. (nota 9.2) - - 79.609 - - - 50.577 2.205 233.437 45.129 216.130 9.244 Títulos e valores mobiliários: Abril Comunicações S.A. 306.424 2.723 (i) Referem-se à empréstimos de mútuo. 27
  • 30. Consolidado Período findo em 30 de Junho de 2010 Não circulante Empréstimos Empréstimos Circulante e outros e outros Vendas e Receitas Contas a Contas a créditos créditos (gastos), (despesas) Partes relacionadas receber Pagar concedidos (i) obtidos (i) líquidos financeiras Abril S.A. - - - - - 1.780 Abril Comunicações S.A. 64 112 - 35.011 - (3.153) Abril Marcas Ltda. 252 - - - 1.629 - DGB - Logística S.A. Distribuição Geográfica do Brasil 1 - 32.826 - - 2.008 Abril Radiodifusão S.A. 1.503 - 4.089 - 226 - Canais Abril de Televisão Ltda. 25 49 - - (194) - Casa Cor Promoções e Comercial Ltda. 31 2 - - (4) - Comercial Cabo TV São Paulo S.A. - - - - 139 - Dinap S.A. - Distribuidora Nacional de Publicações 42.469 20 4.984 - 122.401 197 Editora Ática S.A. 933 10 - - 2.344 (1.746) Editora Caras S.A. 2.400 1.012 - 11.383 10.687 (582) Editora Scipione S.A. 483 - - - 591 (1.551) Fundação Victor Cívita 3.576 506 - - 2.615 - Instituto Abril 1.562 - - - - - Treelog S.A. - Logística e Distribuição 1.173 657 1.808 - (2.483) 422 TVA Communications Ltd. - - 18.265 - - 1.132 Outros 49 33 7.711 352 4 428 54.521 2.401 69.683 46.746 137.955 (1.065) Contas a receber: Abril S.A. (nota 10) - - 79.609 - - - 54.521 2.401 149.292 46.746 137.955 (1.065) Títulos e valores mobiliários Abril Comunicações S.A. 321.945 18.245 (i) Referem-se à empréstimos de mútuo. a) Remuneração do pessoal-chave da Administração O pessoal-chave da Administração inclui o presidente, os conselheiros e vice-presidentes, os membros do comitê executivo e o responsável da auditoria interna. A remuneração paga ou a pagar por serviços de empregados, está demonstrada a seguir: set/10 jun/10 Salários e encargos 11.978 7.917 Honorários da diretoria 3.001 1.981 14.979 9.898 Os honorários da diretoria foram contabilizados como despesas com pessoal. Além desses, não foram pagos outros valores ou benefícios adicionais aos administradores. 28
  • 31. 9.2. Outras informações relevantes sobre partes relacionadas (a) A Editora Abril S.A., em face do processo de reestruturação societária iniciado durante o exercício findo em 31 de dezembro de 2001, transferiu para a sua controladora Abril S.A. os créditos com a Abril Comunicações S.A. e os investimentos de certas controladas. Como consequência dessa transferência, posteriores reestruturações, transferências e dos pagamentos ocorridos ao longo do período, que inclui, a liquidação de dividendos no valor de R$113.055, a Companhia tem registrado um contas a receber no realizável a longo prazo com a Abril S.A. no montante de R$79.609 em 30 de setembro e em 30 de junho de 2010, sobre o qual não incide juros. (b) As transações de vendas e gastos com partes relacionadas foram efetuadas por valores, prazos e condições usuais de mercado, e referem-se a vendas de serviços gráficos, vendas de produtos e serviços. Adicionalmente, os custos e gastos gerais e administrativos são repassados às controladas pelos valores incorridos. (c) Exceto quanto aos valores decorrentes das operações mencionadas na nota 9.2.a e ao empréstimo obtido da controlada Abril Vídeo Distribuição Ltda., sobre o qual não incide juros, sobre os demais empréstimos concedidos ou obtidos por meio de contratos de mútuo com partes relacionadas incidem juros médios de mercado. (d) A Companhia possui créditos de mútuos, contas a receber e títulos e valores mobiliários com partes relacionadas no montante de R$426.376 em 30 de setembro de 2010 e R$440.218 em 30 de junho de 2010, classificados no ativo não circulante. A Administração da Companhia entende que a realização total desses saldos está condicionada à conclusão da reorganização societária e não prevê perdas na realização desses créditos. 9.3 Avais concedidos a controladas e partes relacionadas. O total dos avais concedidos pela Companhia em favor das sociedades controladas e outras partes relacionadas, em 30 de setembro de 2010, totaliza R$27.497 (R$25.630 em 30 de junho de 2010). 29
  • 32. 10. IMOBILIZADO Movimentação do imobilizado: Controladora 2010 Taxas anuais Saldo Saldo de líquido em Baixas Depre- Transferência líquido em depreciação 30/06/2010 Adições líquidas ciação (i) 30/09/2010 Terrenos - 9.265 - - - - 9.265 Edifícios 3% 5.894 - - (45) - 6.104 Instalações 9% 8.278 - - (363) 325 8.240 Máquinas e equipamentos industriais 7% 104.629 1.917 - (2.933) 27 103.640 Móveis e utensílios 10% 3.876 1.006 - (163) - 4.718 Veículos 20% 7.243 1.928 - (818) - 8.353 Equipamentos de computação 47% 7.798 181 (744) (1.006) 339 6.568 Outras imobilizações 20% a 27% 1.673 - - (129) - 1.289 Imobilizações em andamento - 9.532 19.694 - - (901) 28.326 158.188 24.726 (744) (5.457) (210) 176.503 Consolidado 2010 Taxas anuais Saldo Saldo de líquido em Baixas Depre- Transferência líquido em depreciação 30/06/2010 Adições líquidas ciação (i) 30/09/2010 Terrenos - 38.170 - - (1) - 38.169 Edifícios 3% 48.452 - - (113) - 48.339 Instalações 9% 10.605 - - (420) 325 10.510 Máquinas e equipamentos industriais 7% 115.583 1.917 (262) (2.959) 27 114.306 Móveis e utensílios 10% 3.909 1.006 - (165) - 4.749 Veículos 20% 7.243 1.928 - (821) - 8.350 Equipamentos de computação 47% 7.827 181 (744) (1.006) 339 6.597 Outras imobilizações 20% a 27% 1.673 - - (384) - 1.289 Imobilizações em andamento - 9.532 19.692 - - (901) 28.324 242.994 24.724 (1.006) (5.869) (210) 260.633 (i) Considera movimentações entre itens do ativo imobilizado com o ativo intangível. 30
  • 33. 11. INTANGÍVEL Movimentação do intangível: Controladora Taxas anuais Saldo Saldo de líquido em Transfe- líquido em amortização 30/06/2010 Adições Amortização rência (i) 30/09/2010 Sistemas de computação 13% 121.839 125 (5.545) 2.195 118.614 Marcas e Patentes - 15.974 - - - 15.974 Software em desenvolvimento - 27.614 6.817 - (1.985) 32.446 165.427 6.942 (5.545) 210 167.034 Consolidado Taxas anuais Saldo Saldo de líquido em Transfe- líquido em amortização 30/06/2010 Adições Amortização rência (i) 30/09/2010 Sistemas de computação 13% 121.844 125 (5.545) 2.195 118.619 Marcas e Patentes - 15.983 - - - 15.983 Software em desenvolvimento - 27.614 6.816 - (1.985) 32.445 165.441 6.941 (5.545) 210 167.047 (i) Considera movimentações entre itens do ativo imobilizado com o ativo intangível. 12. EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS E DEBÊNTURES Os empréstimos e financiamentos sujeitos à variação cambial estão atualizados pela respectiva taxa de câmbio de venda vigente no último dia útil do período. Os demais estão atualizados monetariamente, quando aplicável, pelos correspondentes encargos contratuais. Os empréstimos e financiamentos apresentam as seguintes características: 31