XVI Seminário Anual PAEX-SC  Prof. Luis Augusto Lobão Mendes                2012                                    lobao@...
O QUE ESTÁ ACONTECENDO        COM O MUNDO
CONDIÇÕES ESTRUTURAIS DA                                                              Fatores de Expansão ECONOMIA MUNDIAL...
O DESESPEROCORREU O MUNDO
“Os próximos anos serão debaixo consumo e baixocrescimento. Teremos            uma                                        ...
“Quando o mar estava calmo, todos os navios se distinçãomostravam competência... flutuando!”                              ...
HIPERCOMPETIÇÃO                     VELOCIDADE                    DA INOVAÇÃOVelocidade da Taxa de Disseminaçãode Inovaçõe...
Nunca um notebook, celular,                     televisão, carro, passagem aérea,                                hotel, mp...
A   HIPERCOMPETIÇÃO               Desregulamentação/globalização   Aceleração do surgimento de novos produtosRiscos e cust...
1.   Crie uma vantagem cooperativa2.   Saia do discurso3.   Saia da estafante rotina4.   Coloque a entrega antes do lucro5...
1.       CRIE UMA VANTAGEM              COOPERATIVASozinhos vamos rápidos, juntos vamos mais longe...
DESINDUSTRIALIZAÇÃOA desindustrialização é um processo dealteração social e econômica provocadopela eliminação ou diminuiç...
Visão de longo prazo: não há desindustrialização (variação média anual da produção entre 2002 e 2008, em %)     SOB O EFEI...
1        O QUE ESTÁ ACONTECENDO                    NO BRASIL2   1    Embora com taxa de         expansão reduzida, a      ...
BAIXA       PRODUTIVIDADE            A escassez de mão de obra qualificada eleva os custos das empresas, PONTOS     pressi...
SC é o estado com o pior desempenho desde o final       da década de 90. Chama a atenção o fato de SC não       ter se rec...
PRODUÇÃO SETORIALEM SANTA CATARINA  •   Enquanto no Brasil houve robusta      elevação a partir de 2004, o mesmo      não ...
150Essa análise agregadarevela novamente que a       Santaindústria de                                                    ...
Fonte: Dados primários IBGEGráfico: Evolução da Produção Industrial por Setores – Brasil e Santa CatarinaMédia móvel de 12...
PRODUÇÃO SETORIAL                  BRASIL X SANTA CATARINA140,0120,0100,0 80,0                          PI (BR)     PI (SC...
PRODUTIVIDADE E SALÁRIO                                       REAL MÉDIO                           Indústria – Santa Catar...
TENDÊNCIAS●    Importações continuarão se elevando (insumos e     equipamentos)●    Pesquisa FOCUS: crescimento das     im...
TENDÊNCIAS●    Indústria de transformação continuará perdendo     participação      o Medidas adotadas não são suficientes...
ALGUMAS          CONSIDERAÇÕES•   A economia brasileira conseguiu se inserir bem à    dinâmica de crescimento econômico at...
2.SAIR DODISCURSOMuita iniciativa e pouca “acabativa”
1⁰ DISCURSOOrientação para o cliente e mercado...
2⁰ DISCURSOAs pessoas são nosso principal recurso....
3⁰ DISCURSOInvestir em inovação...
3. SAIR DA ESTAFANTE               ROTINAPare, escute e veja...
Pensamento x Planejamento estratégico                      Pensamento Estratégico                    “O Futuro pertence a ...
FATOEm geral, a gerência sênior dedica menosde 3% de sua energia à criação de umaperspectiva para a empresa no futuro.Você...
A BUSCA DA COMPETITIVIDADE...                                   NOVO• Uma empresa perde  seus atuais negócios  quando dimi...
PARTICIPAÇÃO   PARTICIPAÇÃO DE MERCADO     DE OPORTUNIDADES
4.COLOQUE A ENTREGA  ANTES DO LUCRO    Crie algo absurdamente espetacular...
MODELO DE NEGÓCIOPARA CRIAÇÃO DE VALOR
PACOTE DE VALORPARA O CLIENTE
Satisfação do Cliente         versus   Sucesso do ClienteTotalmente diferente.NUNCA SE ESQUEÇA!
SINGULARIDADE
5.              TENHA              FOCOSimplicidade é a suprema sofisticação...
FOCO EM POUCOS    E VITAIS...
6.ASSUMA O CONTROLE DE        PONTA A PONTACriar uma cultura de execução...
VANTAGEM                         EM DESVANTAGEMUma estratégia brilhante, um produtoarrasador ou uma tecnologiarevolucionár...
Modelo de Gestão        EXECUÇÃO COMO    Etapa técnica                           ESTRATÉGIA                         Discut...
7.SEJA                                      SUSTENTÁVELSe não for por convicção, que seja pela conveniência...
CRISEPolítica   Ética   De gestão   Energética   ou seja, do                                             cuidado
O MUNDO                 EM 2050                     A primeira força global é a   [ Demografia]Megacidades com 10 milhões ...
O MUNDO EM 2050A segunda força , relacionada apenas emparte à primeira, é a crescente demandaque os desejos humanos impõem...
O MUNDO EM 2050A terceira força é a [ globalização ], umconjunto de processos econômicos, sociaise tecnológicos que estão ...
Topper the Trick Terrier is a                                       robotic dog that can talk and                         ...
O MUNDO EM 2050A quarta força global é o [ impactoambiental ], as atividades industrialhumana está alterando a composiçãoq...
CONSTRUINDO A                                                                     HIPÓTESE                                ...
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL      UM CONCEITO NO LIMIAR DA UTOPIA              Como podemos verificar , os termos         “...
CONDIÇÕES ESTRUTURAIS DA ECONOMIA MUNDIAL   FATORES INIBIDORES: ATIVISMO AMBIENTALISTA    CONFLITOS ENTRE TRANSFORMAÇÃO E ...
A FÓRMULA DO                                                  Cemex, Nestlê até você, Nano,                               ...
PRINCIPAIS    CARACTERÍSTICAS•   Pensado para crianças    entre 6 e os 10 anos•   Pequenas dimensões•   Resistente a choqu...
ECOSSISTEMA                                             MAGALHÃES        • Uma criança um computador        • Democratizaç...
A FÁBRICA       MAGALHÃESTHE NEW MARKETING RULES – QSP SUMMIT 09   JPSC 12.03.09
TRANSFORMAÇÕES    NA EMPRESATHE NEW MARKETING RULES – QSP SUMMIT 09   JPSC 12.03.09
1.   Crie uma vantagem cooperativa2.   Saia do discurso3.   Saia da estafante rotina4.   Coloque a entrega antes do lucro5...
O que você vai fazer   de diferentea partir de agora?
SOBRE A OBRAProjeto Empresarial trata de um assunto que todoadministrador, homem de planejamento empresarial,professor de ...
Criando bases para o futuro - Lobão
Criando bases para o futuro - Lobão
Criando bases para o futuro - Lobão
Criando bases para o futuro - Lobão
Criando bases para o futuro - Lobão
Criando bases para o futuro - Lobão
Criando bases para o futuro - Lobão
Criando bases para o futuro - Lobão
Criando bases para o futuro - Lobão
Criando bases para o futuro - Lobão
Criando bases para o futuro - Lobão
Criando bases para o futuro - Lobão
Criando bases para o futuro - Lobão
Criando bases para o futuro - Lobão
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Criando bases para o futuro - Lobão

912 visualizações

Publicada em

Apresentação do Prof. Luis Lobão durante o encontro do PAEX SC 2012.

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

Criando bases para o futuro - Lobão

  1. 1. XVI Seminário Anual PAEX-SC Prof. Luis Augusto Lobão Mendes 2012 lobao@fdc.org.br
  2. 2. O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM O MUNDO
  3. 3. CONDIÇÕES ESTRUTURAIS DA Fatores de Expansão ECONOMIA MUNDIAL TRAJETÓRIA DO CRESCIMENTO ECONÔMICO MUNDIAL Expressão absoluta e taxas anuais de expansão US$ Trilhões 65 60,1 61,9 Taxas anuais de expansão 58,1 60 (a) nominal, 8,14% 54,8 55 real, 3,89% 48,8 50 45,1 45 41,7 40 37,1 31,7 33,0 35 28,3 30 25 2000 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 (a) Redução decorrente da crise global, já estancada e em recuperação. Fonte: World Bank.
  4. 4. O DESESPEROCORREU O MUNDO
  5. 5. “Os próximos anos serão debaixo consumo e baixocrescimento. Teremos uma ”recuperação anêmica.” Stephen Roach – Presidente Morgan Stanley Exame – Março 2009
  6. 6. “Quando o mar estava calmo, todos os navios se distinçãomostravam competência... flutuando!” SHAKESPEARE
  7. 7. HIPERCOMPETIÇÃO VELOCIDADE DA INOVAÇÃOVelocidade da Taxa de Disseminaçãode Inovações Tecnológicas (em número de anos necessários para atingir 50 milhões de usuários)
  8. 8. Nunca um notebook, celular, televisão, carro, passagem aérea, hotel, mp3 player, casa, custou tão barato como agora.NÓS VIVEMOS NAERA DO CONSUMIDOR.
  9. 9. A HIPERCOMPETIÇÃO Desregulamentação/globalização Aceleração do surgimento de novos produtosRiscos e custos crescentes das tecnologias/P&D Novas tecnologias de informação e comunicação
  10. 10. 1. Crie uma vantagem cooperativa2. Saia do discurso3. Saia da estafante rotina4. Coloque a entrega antes do lucro5. Tenha foco6. Assuma o controle de ponta a ponta7. Seja sustentável
  11. 11. 1. CRIE UMA VANTAGEM COOPERATIVASozinhos vamos rápidos, juntos vamos mais longe...
  12. 12. DESINDUSTRIALIZAÇÃOA desindustrialização é um processo dealteração social e econômica provocadopela eliminação ou diminuição dacapacidade industrial ou atividade emum país/região, sobremaneira, a indústriapesada ou transformadora. Um dosprimeiros motivos é a queda de lucro.É um processo positivo quando sinaliza amaturidade da economia e, negativo,enquanto mau desempenho econômico.
  13. 13. Visão de longo prazo: não há desindustrialização (variação média anual da produção entre 2002 e 2008, em %) SOB O EFEITO DA CRISE A indústria é o setor mais sensível a crises internacionais – e a indústria de transformação, a Visão de curto prazo: há mais sinais de perigo (variação média anual da produção entre 2009 e 2011, em %) primeira a sentir impactos e a última a se recuperar. A análise de 23 atividades mais representativas desse segmento demonstra O resultado é que, desde a crise de 2008, há mais setores em retração ou em crescimento apenas vegetativo a tendência.Fonte: Revista Exame, abril 2012
  14. 14. 1 O QUE ESTÁ ACONTECENDO NO BRASIL2 1 Embora com taxa de expansão reduzida, a indústria brasileira acumulou, nos últimos anos, crescimento de produção, de faturamento e de emprego 2 Mas a análise dos últimos três anos, pós-crise, mostra uma piora acentuada do desempenho, especialmente da indústria de transformação 3 Com isso, houve uma aceleração recente na perda3 de participação da indústria de transformação na economia Fonte: Revista Exame, abril 2012
  15. 15. BAIXA PRODUTIVIDADE A escassez de mão de obra qualificada eleva os custos das empresas, PONTOS pressionando a inflação.NEGATIVOS Como o Brasil está produzindo menos com mais gente, a geração de riqueza por trabalhador diminui BAIXA PRODUTIVIDADE PIB por hora trabalhada em 2011 (em dólares) Luxemburgo 76 Estados Unidos 62 Alemanha 56 Japão 43 Argentina 20 México 17 Brasil 11 (1) Nas seis principais regiões metropolitanas do Brasil. Fontes: IBGE, Ilan Goldfajn (Itaú Unibanco), OIT e The Conference Board
  16. 16. SC é o estado com o pior desempenho desde o final da década de 90. Chama a atenção o fato de SC não ter se recuperado completamente após a crise, algo que não ocorreu com a produção nacional. Outro fato é SC ser o estado onde a produção industrial mais caiu durante a crise de aversão ao risco ocorrida em 2002. Parece que estes Paraná eventos mexeram substancialmente na140 estrutura industrial do estado, uma vez que a produção industrial crescia a taxas Santa Catarina superiores às100 nacionais até 2002. Rio Grande do Sul Gráfico: Produção Industrial: Brasil Brasil, Santa Catarina, Paraná e R.G. do Sul Média móvel de 12 meses 60 (média 2002 = 100) | Período: dez/91 dez/94 dez/97 dez/00 dez/03 dez/06 dez/09 Dez 1991-Fev 2012 Fonte: Dados primários IBGE
  17. 17. PRODUÇÃO SETORIALEM SANTA CATARINA • Enquanto no Brasil houve robusta elevação a partir de 2004, o mesmo não ocorreu em SC; • Percebe-se que a produção estadual total oscila em torno de um valor quase que constante desde 2001; • As condições econômicas favoráveis, indicam que não teremos alterações na taxa de cambio, sendo necessário contar com outras medidas para aumentar a competitividade industrial.
  18. 18. 150Essa análise agregadarevela novamente que a Santaindústria de ParanáCatarina perdeprodutividade 130 Rio Grande doem relação à Sulmédia nacional Brasile em relaçãoao Paraná e ao 110Rio Grande doSul. Santa Catarina 90 Embora esta primeira nov/01 nov/02 nov/03 nov/04 nov/05 nov/06 nov/07 nov/08 nov/09 nov/10 nov/11 análise seja indicativa Fonte: Dados primários IBGE de uma situação preocupante, é Gráfico: Produtividade da População Ocupada - Brasil, necessário verificar a Santa Catarina, Paraná e R.G. do Sul. evolução setorial da Média móvel de 12 meses (média 2002 = 100) | competitividade. Período: Nov 2001-Fev 2012
  19. 19. Fonte: Dados primários IBGEGráfico: Evolução da Produção Industrial por Setores – Brasil e Santa CatarinaMédia móvel de 12 meses | Período: Dez 1991 – Fev 2012
  20. 20. PRODUÇÃO SETORIAL BRASIL X SANTA CATARINA140,0120,0100,0 80,0 PI (BR) PI (SC) Fonte: IBGE Evolução recente da indústria Período 2001/2011 Últimos Três Anos Santa Catarina → -5,5% Santa Catarina → -6,7% Brasil → +42,6% Brasil → +11,1% Fonte: Dados primários IBGE
  21. 21. PRODUTIVIDADE E SALÁRIO REAL MÉDIO Indústria – Santa Catarina130 • Produtividade da120 mão de obra tem oscilado110 • Salário real médio tem subido100 o 21,8% no período 90 2001/2011 (2,5% ao ano) o Pressão de 80 custos o Aquecimento do 70 Setor Serviços 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Srme Pme Fonte: Dados primários IBGE
  22. 22. TENDÊNCIAS● Importações continuarão se elevando (insumos e equipamentos)● Pesquisa FOCUS: crescimento das importações será de 13,5% em 2012 (93,5% nos últimos três anos)● Setores mais afetados pelas importações o Têxtil o Vestuário o Máquinas o Aparelhos Elétricos
  23. 23. TENDÊNCIAS● Indústria de transformação continuará perdendo participação o Medidas adotadas não são suficientes o Câmbio a R$ 1,80/R$ 2,10 não impede crescimento das importações o Câmbio mais alto gera inflação o Soluções sistêmicas levam tempo● Construção civil desacelera mas cresce por um longo período
  24. 24. ALGUMAS CONSIDERAÇÕES• A economia brasileira conseguiu se inserir bem à dinâmica de crescimento econômico através da oferta de commodities agropecuárias e minerais;• Entretanto não temos chances reais de sucesso sustentável e de longo prazo para a indústria de transformação;• A indústria brasileira pode ser arrasada, vítima de um enxurrada descontrolada de produtos importados, com preços artificialmente reduzidos;• Não temos a produtividade e capacidade de inovação da indústria alemã nem os baixos custos e a escala da chinesa.
  25. 25. 2.SAIR DODISCURSOMuita iniciativa e pouca “acabativa”
  26. 26. 1⁰ DISCURSOOrientação para o cliente e mercado...
  27. 27. 2⁰ DISCURSOAs pessoas são nosso principal recurso....
  28. 28. 3⁰ DISCURSOInvestir em inovação...
  29. 29. 3. SAIR DA ESTAFANTE ROTINAPare, escute e veja...
  30. 30. Pensamento x Planejamento estratégico Pensamento Estratégico “O Futuro pertence a quem enxerga as possibilidades antes que elas se tornem óbvias demais”. John Scully 30
  31. 31. FATOEm geral, a gerência sênior dedica menosde 3% de sua energia à criação de umaperspectiva para a empresa no futuro.Você tem se questionado ultimamente sobre: Que novas competências precisamos criar? Que novas alianças precisamos formar? Que novos programas de desenvolvimento devemos proteger? Que iniciativas de regulamentação a longo prazo devemos buscar?
  32. 32. A BUSCA DA COMPETITIVIDADE... NOVO• Uma empresa perde seus atuais negócios quando diminui mais MELHOR rápido do que melhora sua eficiência.• Uma empresa perde os futuros negócios DIFERENTE quando melhora sua eficiência sem mudar.
  33. 33. PARTICIPAÇÃO PARTICIPAÇÃO DE MERCADO DE OPORTUNIDADES
  34. 34. 4.COLOQUE A ENTREGA ANTES DO LUCRO Crie algo absurdamente espetacular...
  35. 35. MODELO DE NEGÓCIOPARA CRIAÇÃO DE VALOR
  36. 36. PACOTE DE VALORPARA O CLIENTE
  37. 37. Satisfação do Cliente versus Sucesso do ClienteTotalmente diferente.NUNCA SE ESQUEÇA!
  38. 38. SINGULARIDADE
  39. 39. 5. TENHA FOCOSimplicidade é a suprema sofisticação...
  40. 40. FOCO EM POUCOS E VITAIS...
  41. 41. 6.ASSUMA O CONTROLE DE PONTA A PONTACriar uma cultura de execução...
  42. 42. VANTAGEM EM DESVANTAGEMUma estratégia brilhante, um produtoarrasador ou uma tecnologiarevolucionária podem colocar a empresano mapa competitivo - mas só uma sólidaexecução será capaz de mantê-la ali.
  43. 43. Modelo de Gestão EXECUÇÃO COMO Etapa técnica ESTRATÉGIA Discuta premissas. Não projeções orçamentárias; Criação do senso de propriedade; Monitore continuamente o resultado; Inspirando a iniciativa pessoal; Incentivos e resultados. Estilo de liderançaEtapa comportamental
  44. 44. 7.SEJA SUSTENTÁVELSe não for por convicção, que seja pela conveniência...
  45. 45. CRISEPolítica Ética De gestão Energética ou seja, do cuidado
  46. 46. O MUNDO EM 2050 A primeira força global é a [ Demografia]Megacidades com 10 milhões de habitantes:1950: Nova York e Tóquio (02)2025: Tóquio, Mumbai, Nova Deli, Dhaka,São Paulo, Cidade do México, Nova York,Calcutá, Xangai, Karachi, Kinshasa, Lagos,Cairo, Manila, Beijing, Buenos Aires,Los Angeles, Rio de Janeiro, Jacarta,Istanbul, Guangzhou, Osaka, Moscou,Karachi, Xangai, Chennai, e Paris (27)
  47. 47. O MUNDO EM 2050A segunda força , relacionada apenas emparte à primeira, é a crescente demandaque os desejos humanos impõem aos[ Recursos naturais ]. Reservasnaturais referem-se a ativos finitos. 60
  48. 48. O MUNDO EM 2050A terceira força é a [ globalização ], umconjunto de processos econômicos, sociaise tecnológicos que estão tornando omundo mais interconectado einterdependente. 61
  49. 49. Topper the Trick Terrier is a robotic dog that can talk and stand on its head. But the Olhos de plástico: Shenzhen, China made by Qualiman Industrial Co. in Nanhai, China for a Li & Parte elétrica: Dongguan, China Fung American customer, the Tecido de microfibra para a pele: Original San Francisco Toymakers. Its sells for Coréia $29.99 in the U.S. Embalagem: Hong Kong Alto-falante: Dongguan, China Chips: Taiwan Corpo de plástico: Malásia Programação do reconhecimento de voz: Taiwan Motor para mover as pernas: Shaoguan, China Parâmetros para o reconhecimento de voz: São Francisco O Cachorro Globalizado Pernas de plástico: Taiwan Onde o brinquedo Topper the Trick Terrier, Transistores: Shenzhen, China encomendado pela Li & Fung, foi produzido
  50. 50. O MUNDO EM 2050A quarta força global é o [ impactoambiental ], as atividades industrialhumana está alterando a composiçãoquímica da atmosfera, o que causará aelevação da temperatura média global. 63
  51. 51. CONSTRUINDO A HIPÓTESE NOVO SUSTENTADO Modelo de Gestão SUSTENTÁVEL NEGÓCIO Empresa- SOCIEDADE Rial• Estruturada• Permanente - haver com o que gera• Perene mudança• Fixa para o entorno• Confiável -afeta positivamente os atores• Não espasmódica sociais• Não é crescimento “cerrote” -práticas legais,• Fundamentada socioambientais,• Programada• “Impulso prolongado” - QUESTÕES AMBIENTAIS!• “Impedir que caia”
  52. 52. DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL UM CONCEITO NO LIMIAR DA UTOPIA Como podemos verificar , os termos “sustentado” e sustentável” não são sinônimos... “ sustentável sustentado ... se pressupõe a melhoria das condições econômicas, sociais e... se existem condições ambientais da região e das populaçõeseconômicas, sociais e garantindo, simultaneamente, àspolíticas que o gerações futuras, as condições necessárias ao seu própriosuportem. desenvolvimento.
  53. 53. CONDIÇÕES ESTRUTURAIS DA ECONOMIA MUNDIAL FATORES INIBIDORES: ATIVISMO AMBIENTALISTA CONFLITOS ENTRE TRANSFORMAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO CAPITAL NATURAL ECONOMIA ECOLOGIA • O PROCESSO PRODUTIVO É • APRESERVAÇÃO AMBIENTALFUNDAMENTADO NA TRANSFORMAÇÃO IMPLICA CRESCENTES RESTRIÇÕES DO CAPITAL NATURAL. AO PROCESSO DE TRANSFORMAÇÃO • O CRESCIMENTO ECONÔMICO DO CAPITAL NATURAL. PRESSUPÕE TRANSFORMAÇÃO • A ONDA PRESERVACIONISTA É UMA EM ESCALAS CRESCENTES. FORÇA CRESCENTE, COM FORTE VIÉS IDEOLÓGICO.
  54. 54. A FÓRMULA DO Cemex, Nestlê até você, Nano, Casas Bahia (década 90), Amanco,CRESCIMENTO Ênfases Philips INCLUSÃO SOCIALMagalhões, Anhanguera E COMBATEEducacional, Heagles A POBREZA UTILIZAÇÃO E EDP, Siemens, 3M, AGREGAR VALOR A PRODUÇÃO GE (ecoimagination), EDUCAÇÃO DE ENERGIAS Toyota Prius, New RENOVÁVEIS Water, Coca-Cola Nespresso, Natura, Carrefour TRANSPARÊNCIA, CADEIA DE ÉTICA E SUPRIMENTOS PRÁTICAS DE RENOVÁVEL GOVERNANÇA Bovespa IES e Novo Mercado, Banco Real, HSBC REDES E ARRANJOS PRODUTIVOS, PROCESSOS COOPERAÇÃO LIMPOS E AUMENTO DE SEM IMPACTO Lipor, Inpev, Saint- Suzano, APDL RENDA E EMPREGO AMBIENTAL Gobain, Butzke, CMF, (Comunidade Alcoa, Basf portuária) PROMOÇÃO DA SAÚDE E BEM ESTAR Becel, PepsiCo (Topicana e Quaker Oats)
  55. 55. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS• Pensado para crianças entre 6 e os 10 anos• Pequenas dimensões• Resistente a choques e líquidos• Sem arestas vivas
  56. 56. ECOSSISTEMA MAGALHÃES • Uma criança um computador • Democratização das novas SOCIAL tecnologias • Processo de Info-Inclusão • Mais conhecimento, mais desenvolvimento ECONÔMICO EDUCATIVO•Desenvolvimento de serviços esuporte•Geração de riqueza para oPaís •Desenvolvimento econômico, POLÍTICO social e intelectual •Criação de emprego •Aquisição de conhecimento THE NEW MARKETING RULES – QSP SUMMIT 09 JPSC 12.03.09
  57. 57. A FÁBRICA MAGALHÃESTHE NEW MARKETING RULES – QSP SUMMIT 09 JPSC 12.03.09
  58. 58. TRANSFORMAÇÕES NA EMPRESATHE NEW MARKETING RULES – QSP SUMMIT 09 JPSC 12.03.09
  59. 59. 1. Crie uma vantagem cooperativa2. Saia do discurso3. Saia da estafante rotina4. Coloque a entrega antes do lucro5. Tenha foco6. Assuma o controle de ponta a ponta7. Seja sustentável
  60. 60. O que você vai fazer de diferentea partir de agora?
  61. 61. SOBRE A OBRAProjeto Empresarial trata de um assunto que todoadministrador, homem de planejamento empresarial,professor de administração e economista da área deorganização industrial já lidou uma vez ou outra na vida:Como definir planos para o futuro de uma empresa nomercado em que ela concorre?Este guia prático para elaboração do ProjetoEmpresarial, ou Plano Estratégico, é resultado de váriosanos de pesquisa e desenvolvimento real de projetos emempresas de médio porte. Podemos entender a criaçãode estratégias como a possibilidade de construir umavantagem em relação à concorrência. Criar umaestratégia seguramente implica escolher uma direçãopara os negócios, fortalecendo a identidade daorganização e estabelecendo um ritmo de trabalho queimplique colher resultados de curto e longo prazos.O Projeto Empresarial é uma técnica administrativa queprocura ordenar as ideias das pessoas da organização,de forma que se possa criar uma visão do caminho quese deve seguir (objetivos, estratégias e resultados).Depois de ordenar as ideias, são ordenadas as ações, oque é a implementação do Projeto Empresarial. Na suaessência, elaborar a estratégia de uma empresa consisteem eleger áreas de negócio mediante as quais a empresase apresenta e fixa recursos de modo que se mantenha ese desenvolva.A obra dará suporte a empresários, dirigentes experientese consultores de negócio, como uma ferramenta quepermitirá reconhecer oportunidades no mercado e traçarum caminho de lucratividade.

×