SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Baixar para ler offline
Olá, aluno(a)! Está com dificuldade ou sem tempo para elaborar
essa MAPA? Iremos te ajudar!
Entre em contato
(63) 99129-5554
MAPA - HIDROLOGIA E DRENAGEM URBANA - 53/2023
ATIVIDADE M.A.P.A – HIDROLOGIA E DRENAGEM URBANA
O CICLO DA ÁGUA: DELIMITAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA E DRENAGEM
INSTRUÇÕES DE ENTREGA
Olá, estudante!
ESTA ATIVIDADE M.A.P.A. DEVE SER FEITA INDIVIDUALMENTE.
LEIA TODO O ENUNCIADO COM ATENÇÃO ANTES DE COMEÇAR A FAZER A
ATIVIDADE.
Como finalizar e entregar a Atividade M.A.P.A.:
Ao final do seu trabalho, é necessário que você tenha UM ARQUIVO em mãos. A seguir,
algumas possibilidades de arquivo que você pode entregar:
→ '.jpg', '.pdf', '.doc', '.zip' ou '.rar'.
Obs.: O STUDEO ACEITA SOMENTE O ENVIO DE UM ANEXO/ARQUIVO.
Problemas frequentes a evitar:
→ Coloque um nome simples no seu arquivo. Se o nome tiver caracteres estranhos
(principalmente pontos) ou for muito grande é possível que a equipe de correção não
consiga abrir o seu trabalho, e ele seja zerado;
→ Se você usa OPEN OFFICE ou MAC, transforme o arquivo em .pdf para evitar
incompatibilidades;
→ Verifique se você está enviando o arquivo correto! É a Atividade M.A.P.A. da disciplina
de Hidrologia e Drenagem Urbana? É outra atividade de estudo?
EQUIPE PEDAGÓGICA
CURSOS HÍBRIDOS | ENGENHARIA CIVIL
CONCEITOS BÁSICOS DE HIDROLOGIA E DRENAGEM URBANA
Hidrologia é a ciência que trata da água no nosso planeta, levando e consideração sua
ocorrência, circulação e distribuição pela superfície terrestre, além de tratar sobre suas
propriedades físicas e químicas, relação com o meio ambiente e com a vida (CHOW,
1959).
Segundo o DAEE (2005), a área da bacia hidrográfica é a região natural de captação de
toda água que precipita na região e é convergida para o escoamento superficial e
escoamento subsuperficial, até um único ponto de saída, são delimitadas por uma linha
imaginária chamada de linha do divisor de águas que topograficamente passa pelos
pontos altos, e que corta um curso de água somente no seu limite.
A água, existente em praticamente todo o planeta, na atmosfera, na superfície dos
continentes, nos mares, oceanos e subsolo, encontra-se, nos seus diferentes
estados físicos, em permanente circulação, desenvolvendo um processo
denominado ciclo hidrológico (SANTOS et al., 2001).
O ciclo hidrológico é um fenômeno global e fechado, a água precipita, escoa, infiltra
e evapora, mas a quantidade de água é sempre a mesma. Quando analisamos o
ciclo hidrológico de forma pontual, em uma bacia hidrográfica a água que precipita
provavelmente escoou, infiltrou e evaporou em outra bacia, portanto temos um ciclo
aberto, com diferentes quantidades de água em cada um dos processos.
O OBJETIVO DESSA ATIVIDADE: exercitar o conhecimento adquirido no livro e
durante as aulas resolvendo questões relacionadas a Hidrologia e a Drenagem
Urbana.
Esta M.A.P.A. é dividido em três ETAPAS, são elas:
ETAPA 1 – Classificação da ordem do rio e Delimitação a bacia hidrográfica.
ETAPA 2 – Cálculo da vazão de projeto da bacia hidrográfica utilizando o
método racional.
ETAPA 3 – Cálculo da vazão pela equação de Manning.
ETAPA 1 – CLASSIFICAÇÃO DA ORDEM DO RIO E DELIMITAÇÃO DA BACIA
HIDROGRÁFICA
“A bacia hidrográfica compõe-se basicamente de um conjunto de superfície
vertentes e de uma rede de drenagem formada por cursos de água que confluem
até resultar um leito único no exutório” (TUCCI, 2001, p. 40).
Você como estudante de Engenharia Civil ao observar a Figura 1, pôde verificar
várias nascentes próximas ao exutório de um rio, com o conhecimento adquirido em
Hidrologia e Drenagem urbana, deverá fazer a classificação das ordens dos rios pelo
método
Horton-Strahler e no quadro vermelho apresentar qual a classificação no exutório da
ordem do rio. E na Figura 2 delimitar a bacia hidrográfica no exutório.
FIGURA 1 – CLASSIFICAR A ORDEM DOS RIOS
Fonte: o autor
FIGURA 2 – DELIMITAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA
Fonte: o autor
ETAPA 2 – CÁLCULO DA VAZÃO DE PROJETO DA BACIA HIDROGRÁFICA
UTILIZANDO O MÉTODO RACIONAL
No ciclo hidrológico é o fenômeno de circulação da água, em uma bacia hidrográfica
temos a água que precipita, parte desta água irá infiltrar, parte ficará retida nas
folhas e parte irá escoar pela superfície do solo em direção ao exutório da bacia.
Para o cálculo da vazão de projeto em uma bacia hidrográfica de pequeno tamanho,
podemos utilizar o método racional (área de até 0,5 km²) ou o método racional
modificado (área maior que 0,5 km²) onde utilizamos um coeficiente redutor (D)
igual a 0,9.
Portanto, sabendo que a bacia analisada possui área (A) igual a 1,5 km², com
coeficiente de escoamento superficial (C) igual a 0,53 e que a precipitação que
ocorreu na bacia teve intensidade (I) de 50 mm/h, calcule a vazão de projeto em seu
exutório, utilizando o método racional modificado, com a equação a seguir:
Onde:
Q – Vazão calculada da bacia (m˙/s).
C – Coeficiente de escoamento
superficial. I – Intensidade da chuva
(mm/h).
A – Área da bacia (km²).
D – Coeficiente redutor.
ETAPA 3 – CÁLCULO DA VAZÃO PELA EQUAÇÃO DE MANNING
Os rios canalizados e retificados eram muito comuns no início do século XX, sendo
possível encontrar em várias cidades pelo mundo inteiro este tipo de obra da
Engenharia Civil, comumente os rios eram revestidos com algum material e seus
meandros eram retificados, transformando o rio natural em um canal artificial que
corta a cidade
O rio que cortava uma cidade foi canalizado e retificado, gerando uma declividade (S)
de 20 cm/km, o revestimento do canal é de concreto em muito boa condição, na
Figura 3 podemos observar o canal que possui altura 5 m e base 4 m. Devido a uma
precipitação intensa, uma vazão de 12 m˙/s foi gerada, contribuindo com a vazão do
rio que era de 16 m˙/s.
(observação: note que a declividade (S) está em cm/km, você deve converter a
unidade
de medida para m/m)
Figura 3 – Canal
retangular
Fonte: o autor.
Portanto, utilizando a equação de Chezy – Manning apresentada a seguir, calcule
se o canal irá suportar a vazão total:
Equação de Chezy-Manning:
Onde:
Q – Vazão que o canal suporta
(m˙/s). Rh – Raio hidráulico (m).
S – Declividade do canal
(m/m). A – Área do canal
(m²).
n – número de Manning.
Para encontrar o Raio hidráulico utilize a equação a seguir:
Onde:
A: Área do canal (m²);
P: Perímetro molhado do canal (m).
Para determinar o número de Manning, utilize a tabela a seguir:
Tabela 1: Natureza das paredes.
Referências:
CHOW, V. T. 1959 Handbook of Applied hydrology. New York: MC Graw-Hill.
CIRILO, J. A.; COELHO, M. M. L. P.; BAPTISTA, M. B. Hidráulica Aplicada. 1.
ed. Porto Alegre: ABRH, p. 619 v. 8, 2001.
DAEE (Departamento
de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo). G uia Prático Para Projetos
de Pequenas Obras Hidráulicas. 2005. Disponível em:
http://www.daee.sp.gov.br/site/guiapraticooutorgas/. Acesso em: 16 maio 2022.
PORTO, R. de M. Hidráulica Básica. 2. ed.São Carlos: EESC USP, 1998. 540
p. SANTOS, I. dos. et al. Hidrometria aplicada. Curitiba: Instituto de Tecnologia
para o Desenvolvimento, 2001.
TUCCI, C. E. M., Hidrologia: Ciência e Aplicação. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2001.
Orientações para a realização da Atividade MAPA:
- Esta atividade deverá ser realizada exclusivamente no formulário Padrão disponível
no Material da Disciplina.
Boa atividade!

Mais conteúdo relacionado

Mais de Azul Assessoria Acadêmica

Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...Azul Assessoria Acadêmica
 
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...Azul Assessoria Acadêmica
 
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...Azul Assessoria Acadêmica
 
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...Azul Assessoria Acadêmica
 
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Azul Assessoria Acadêmica
 
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Azul Assessoria Acadêmica
 
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Azul Assessoria Acadêmica
 
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Azul Assessoria Acadêmica
 
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Azul Assessoria Acadêmica
 
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Azul Assessoria Acadêmica
 
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...Azul Assessoria Acadêmica
 
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...Azul Assessoria Acadêmica
 
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...Azul Assessoria Acadêmica
 
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...Azul Assessoria Acadêmica
 
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...Azul Assessoria Acadêmica
 
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...Azul Assessoria Acadêmica
 
ASSUNTO 1 CONTROLE DE POTÊNCIA DE FORNO INDUSTRIAL A Eletrônica de
ASSUNTO 1 CONTROLE DE POTÊNCIA DE FORNO INDUSTRIAL A Eletrônica deASSUNTO 1 CONTROLE DE POTÊNCIA DE FORNO INDUSTRIAL A Eletrônica de
ASSUNTO 1 CONTROLE DE POTÊNCIA DE FORNO INDUSTRIAL A Eletrônica deAzul Assessoria Acadêmica
 

Mais de Azul Assessoria Acadêmica (20)

Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
 
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
 
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
 
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
Análise crítica A importância de ler os rótulos dos alimentos A leitura dos r...
 
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
 
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
 
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
 
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
 
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
 
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
Excerto 1: A evolução do pensamento filosófico na história processou-se sob e...
 
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
 
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
 
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
 
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
 
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
 
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
O BIM (Building Information Modeling) é um processo de modelagem 3D colaborat...
 
MAPA - ELETRÔNICA DE POTÊNCIA - 53-2023
MAPA - ELETRÔNICA DE POTÊNCIA - 53-2023MAPA - ELETRÔNICA DE POTÊNCIA - 53-2023
MAPA - ELETRÔNICA DE POTÊNCIA - 53-2023
 
MAPA - ELETRÔNICA DE POTÊNCIA - 53-2023
MAPA - ELETRÔNICA DE POTÊNCIA - 53-2023MAPA - ELETRÔNICA DE POTÊNCIA - 53-2023
MAPA - ELETRÔNICA DE POTÊNCIA - 53-2023
 
ASSUNTO 1 CONTROLE DE POTÊNCIA DE FORNO INDUSTRIAL A Eletrônica de
ASSUNTO 1 CONTROLE DE POTÊNCIA DE FORNO INDUSTRIAL A Eletrônica deASSUNTO 1 CONTROLE DE POTÊNCIA DE FORNO INDUSTRIAL A Eletrônica de
ASSUNTO 1 CONTROLE DE POTÊNCIA DE FORNO INDUSTRIAL A Eletrônica de
 
MAPA - ELETRÔNICA DE POTÊNCIA - 53-2023
MAPA - ELETRÔNICA DE POTÊNCIA - 53-2023MAPA - ELETRÔNICA DE POTÊNCIA - 53-2023
MAPA - ELETRÔNICA DE POTÊNCIA - 53-2023
 

Último

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 

Último (20)

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 

O CICLO DA ÁGUA DELIMITAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA E DRENAGEM

  • 1. Olá, aluno(a)! Está com dificuldade ou sem tempo para elaborar essa MAPA? Iremos te ajudar! Entre em contato (63) 99129-5554 MAPA - HIDROLOGIA E DRENAGEM URBANA - 53/2023 ATIVIDADE M.A.P.A – HIDROLOGIA E DRENAGEM URBANA O CICLO DA ÁGUA: DELIMITAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA E DRENAGEM INSTRUÇÕES DE ENTREGA Olá, estudante! ESTA ATIVIDADE M.A.P.A. DEVE SER FEITA INDIVIDUALMENTE. LEIA TODO O ENUNCIADO COM ATENÇÃO ANTES DE COMEÇAR A FAZER A ATIVIDADE.
  • 2. Como finalizar e entregar a Atividade M.A.P.A.: Ao final do seu trabalho, é necessário que você tenha UM ARQUIVO em mãos. A seguir, algumas possibilidades de arquivo que você pode entregar: → '.jpg', '.pdf', '.doc', '.zip' ou '.rar'. Obs.: O STUDEO ACEITA SOMENTE O ENVIO DE UM ANEXO/ARQUIVO. Problemas frequentes a evitar: → Coloque um nome simples no seu arquivo. Se o nome tiver caracteres estranhos (principalmente pontos) ou for muito grande é possível que a equipe de correção não consiga abrir o seu trabalho, e ele seja zerado; → Se você usa OPEN OFFICE ou MAC, transforme o arquivo em .pdf para evitar incompatibilidades; → Verifique se você está enviando o arquivo correto! É a Atividade M.A.P.A. da disciplina de Hidrologia e Drenagem Urbana? É outra atividade de estudo? EQUIPE PEDAGÓGICA CURSOS HÍBRIDOS | ENGENHARIA CIVIL CONCEITOS BÁSICOS DE HIDROLOGIA E DRENAGEM URBANA Hidrologia é a ciência que trata da água no nosso planeta, levando e consideração sua ocorrência, circulação e distribuição pela superfície terrestre, além de tratar sobre suas propriedades físicas e químicas, relação com o meio ambiente e com a vida (CHOW, 1959). Segundo o DAEE (2005), a área da bacia hidrográfica é a região natural de captação de toda água que precipita na região e é convergida para o escoamento superficial e escoamento subsuperficial, até um único ponto de saída, são delimitadas por uma linha imaginária chamada de linha do divisor de águas que topograficamente passa pelos pontos altos, e que corta um curso de água somente no seu limite. A água, existente em praticamente todo o planeta, na atmosfera, na superfície dos continentes, nos mares, oceanos e subsolo, encontra-se, nos seus diferentes estados físicos, em permanente circulação, desenvolvendo um processo denominado ciclo hidrológico (SANTOS et al., 2001). O ciclo hidrológico é um fenômeno global e fechado, a água precipita, escoa, infiltra e evapora, mas a quantidade de água é sempre a mesma. Quando analisamos o ciclo hidrológico de forma pontual, em uma bacia hidrográfica a água que precipita provavelmente escoou, infiltrou e evaporou em outra bacia, portanto temos um ciclo aberto, com diferentes quantidades de água em cada um dos processos. O OBJETIVO DESSA ATIVIDADE: exercitar o conhecimento adquirido no livro e durante as aulas resolvendo questões relacionadas a Hidrologia e a Drenagem Urbana.
  • 3. Esta M.A.P.A. é dividido em três ETAPAS, são elas: ETAPA 1 – Classificação da ordem do rio e Delimitação a bacia hidrográfica. ETAPA 2 – Cálculo da vazão de projeto da bacia hidrográfica utilizando o método racional. ETAPA 3 – Cálculo da vazão pela equação de Manning. ETAPA 1 – CLASSIFICAÇÃO DA ORDEM DO RIO E DELIMITAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA “A bacia hidrográfica compõe-se basicamente de um conjunto de superfície vertentes e de uma rede de drenagem formada por cursos de água que confluem até resultar um leito único no exutório” (TUCCI, 2001, p. 40). Você como estudante de Engenharia Civil ao observar a Figura 1, pôde verificar várias nascentes próximas ao exutório de um rio, com o conhecimento adquirido em Hidrologia e Drenagem urbana, deverá fazer a classificação das ordens dos rios pelo método Horton-Strahler e no quadro vermelho apresentar qual a classificação no exutório da ordem do rio. E na Figura 2 delimitar a bacia hidrográfica no exutório. FIGURA 1 – CLASSIFICAR A ORDEM DOS RIOS Fonte: o autor
  • 4. FIGURA 2 – DELIMITAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA Fonte: o autor ETAPA 2 – CÁLCULO DA VAZÃO DE PROJETO DA BACIA HIDROGRÁFICA UTILIZANDO O MÉTODO RACIONAL No ciclo hidrológico é o fenômeno de circulação da água, em uma bacia hidrográfica temos a água que precipita, parte desta água irá infiltrar, parte ficará retida nas folhas e parte irá escoar pela superfície do solo em direção ao exutório da bacia. Para o cálculo da vazão de projeto em uma bacia hidrográfica de pequeno tamanho, podemos utilizar o método racional (área de até 0,5 km²) ou o método racional modificado (área maior que 0,5 km²) onde utilizamos um coeficiente redutor (D) igual a 0,9. Portanto, sabendo que a bacia analisada possui área (A) igual a 1,5 km², com coeficiente de escoamento superficial (C) igual a 0,53 e que a precipitação que ocorreu na bacia teve intensidade (I) de 50 mm/h, calcule a vazão de projeto em seu exutório, utilizando o método racional modificado, com a equação a seguir:
  • 5. Onde: Q – Vazão calculada da bacia (m˙/s). C – Coeficiente de escoamento superficial. I – Intensidade da chuva (mm/h). A – Área da bacia (km²). D – Coeficiente redutor. ETAPA 3 – CÁLCULO DA VAZÃO PELA EQUAÇÃO DE MANNING Os rios canalizados e retificados eram muito comuns no início do século XX, sendo possível encontrar em várias cidades pelo mundo inteiro este tipo de obra da Engenharia Civil, comumente os rios eram revestidos com algum material e seus meandros eram retificados, transformando o rio natural em um canal artificial que corta a cidade O rio que cortava uma cidade foi canalizado e retificado, gerando uma declividade (S) de 20 cm/km, o revestimento do canal é de concreto em muito boa condição, na Figura 3 podemos observar o canal que possui altura 5 m e base 4 m. Devido a uma precipitação intensa, uma vazão de 12 m˙/s foi gerada, contribuindo com a vazão do rio que era de 16 m˙/s. (observação: note que a declividade (S) está em cm/km, você deve converter a unidade de medida para m/m) Figura 3 – Canal retangular Fonte: o autor.
  • 6. Portanto, utilizando a equação de Chezy – Manning apresentada a seguir, calcule se o canal irá suportar a vazão total: Equação de Chezy-Manning: Onde: Q – Vazão que o canal suporta (m˙/s). Rh – Raio hidráulico (m). S – Declividade do canal (m/m). A – Área do canal (m²). n – número de Manning. Para encontrar o Raio hidráulico utilize a equação a seguir: Onde: A: Área do canal (m²); P: Perímetro molhado do canal (m).
  • 7. Para determinar o número de Manning, utilize a tabela a seguir: Tabela 1: Natureza das paredes. Referências:
  • 8. CHOW, V. T. 1959 Handbook of Applied hydrology. New York: MC Graw-Hill. CIRILO, J. A.; COELHO, M. M. L. P.; BAPTISTA, M. B. Hidráulica Aplicada. 1. ed. Porto Alegre: ABRH, p. 619 v. 8, 2001. DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo). G uia Prático Para Projetos de Pequenas Obras Hidráulicas. 2005. Disponível em: http://www.daee.sp.gov.br/site/guiapraticooutorgas/. Acesso em: 16 maio 2022. PORTO, R. de M. Hidráulica Básica. 2. ed.São Carlos: EESC USP, 1998. 540 p. SANTOS, I. dos. et al. Hidrometria aplicada. Curitiba: Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento, 2001. TUCCI, C. E. M., Hidrologia: Ciência e Aplicação. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2001. Orientações para a realização da Atividade MAPA: - Esta atividade deverá ser realizada exclusivamente no formulário Padrão disponível no Material da Disciplina. Boa atividade!