10 março

581 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
581
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
263
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

10 março

  1. 1. Do medo construir escadasUma abordagem à Educação Sexual em meio escolar Formadora: Mafalda Branco Março | 2012
  2. 2. “A alegria não está nas coisas, está em nós.” Goethe
  3. 3. “É preciso coragem para crescer etornar-se o que você realmente é.“ E. E. Cummings
  4. 4. DESAFIO http://lugaraoafecto.blogspot.com/
  5. 5. A vida vive-se por etapas.A sexualidade também…
  6. 6. AINDA NO ÚTERO…• O sistema de resposta sexual começa-se adesenvolver nos fetos do sexo masculino em meadosdo período de gestação;• A resposta eréctil começa a aparecer mais oumenos às 16 semanas;• Pensa-se que a capacidade de lubrificação nos fetosdo sexo feminino se inicia também nesta altura(embora não seja imediatamente observável).
  7. 7. DO NASCIMENTO AO 2.º ANO• Importância das figuras de apego nos processos devinculação;• Actividades rítmicas de satisfação oral – mamar,chupar no dedo – que podem ser entendidas comoactividades eróticas não genitais;• Exploração de diferentes partes do corpo, incluindoos genitais.
  8. 8. DOS 2 AOS 6 ANOS• Entre os 2 e os 4 anos – controlo esfincteriano;• Mostram o corpo e encaram o corpo do outro deforma espontânea;• Curiosidade pelo corpo da mãe e do pai e pelasdiferenças anatómicas entre os dois sexos;• É a fase dos “porquês”;• Sentem curiosidade em relação à sua origem;• Por volta dos 6 anos inicia-se o processo natural deconstrução do pudor.
  9. 9. DOS 6 AOS 12 ANOS• Jogos sexuais infantis – exploração do corpo;• Jogo do “faz-de-conta” – continuam a fazer aexploração sexual;• Mantém-se a curiosidade;• Constituem grupos do mesmo sexo;• Iniciam a selecção de amizades;• Utilizam palavras relativas à sexualidade, mesmo semlhes conhecerem o sentido;• Apaixonam-se frequentemente por pessoas maisvelhas (estrelas de cinema, jogadores de futebol, etc.).
  10. 10. ADOLESCÊNCIA• Alterações pubertárias;• O grupo assume um lugar privilegiado;• Identidade, autonomia pessoal;• Fantasias eróticas;• Descoberta do próprio corpo – masturbação;• Petting;• Início da actividade sexual.
  11. 11. GÉNEROA expressão “sexo” é uma designaçãobiológica: sexo masculino e feminino. Quandonascemos somos “meninos” ou “meninas”.É utilizada para mencionar e comparar osindivíduos com base na respectiva pertença auma das duas categorias demográficas possíveis,em virtude das suas características biológicas:sexo masculino e sexo feminino (Deaux, 1985,citado por Vieira, 2006).
  12. 12. GÉNEROA expressão “género” é o papel que a sociedadeatribui ao sexo masculino e feminino. É o que asociedade espera do rapaz e da rapariga, porterem nascido com o sexo masculino e feminino.Tem a ver com crenças que definem o que émasculinidade e feminilidade, bem como comexpectativas criadas pelos próprios pais à voltado que será e fará o seu filho se for rapaz ourapariga (Pereira e Freitas, 2001). “Era uma vez outra Maria” Diferenças de género
  13. 13. ESTEREÓTIPOS DE GÉNERO São representações generalizadas e socialmente valorizadas acerca do que os homens e as mulheres devem ser (traços de género) e fazer (papéis de género).
  14. 14. PROVÉRBIOS“À mulher roca e ao marido espada.”“Mulher ao volante, perigo constante.”“A casa é das mulheres e a rua é dos homens.”“Do homem a praça, da mulher a casa.”“Mulher sem marido, barco sem leme.”“Homem com fala de mulher nem Diabo o quer.”“Vinho, mulheres e tabaco põem o homem fraco.”“Homem velho e mulher nova, ou corno ou cova.”
  15. 15. Por onde ir?...
  16. 16. INTERDISCIPLINARIDADE
  17. 17. METODOLOGIAS
  18. 18. DINÂMICAS DE GRUPOVantagens:• descontracção• comunicação• expressão afectiva• interacção/ integração grupal• cooperação• polaridade• auto-estima• auto-conhecimento•…
  19. 19. DINÂMICAS DE GRUPOPapel do moderador:• Facilitar o desenrolar da dinâmica, mais do que orientar;• Evitar dar conselhos;• Evitar intervir com exposições teóricas;• Criar um clima de confiança total entre os elementos do grupo;• Observar (Elementos líder? Elementos isolados? Rejeição? Dificuldades do grupo ou individuais).
  20. 20. TÉCNICAS EM EDUCAÇÃO SEXUALTécnicas de informação;Técnicas de clarificação e debate de opiniões,valores e atitudes;Técnicas de treino de competências;Técnicas de descontracção.
  21. 21. PALAVRAS NEUTRAS Técnica de clarificação e debate de opiniões, valores e atitudes

×