SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
MERCADOS E
POLÍTICAS DO GOVERNO
OBJETIVO GERAL
   Identificar e explicar como alguns tipos clássicos de
    políticas do governo afetam a dinâmica dos mercados e
    suas respectivas situações de equilíbrio.

 OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Identificar e explicar como políticas de controle de
  preços máximo e mínimo podem afetar mercados e
  impedir situações de equilíbrio.
 Identificar e explicar como políticas de impostos sobre
  vendedores e compradores afetam mercados e como é
  distribuído o ônus destes impostos.
POLÍTICAS DO GOVERNO: ORIGEM E PROPÓSITO

 Em mercados sem regulação são os preços e os
  movimento de oferta e demanda que estabelecem
  “livremente” as situações de equilíbrio.
 Embora na maior parte dos casos as situações de
  equilíbrio sejam eficientes, a sociedade pode não
  identificar este ponto como o “mais satisfatório”
  (eficiência x igualdade).
 Com o objetivo de satisfazer estas necessidades sociais o
  governo faz políticas econômicas, dentre elas as mais
  clássicas seriam impostos e controles de preços.
POLÍTICAS DO GOVERNO: CONTROLE DE PREÇOS

   Utilizado pelo governo em situações em que o resultado
    de mercado (preços e quantidades de equilíbrio) é
    considerado “injusto” ou “desleal” para compradores ou
    vendedores, segundo avaliação do próprio governo.

   Assim, entidades governamentais podem regular
    mercados estabelecendo políticas de preços máximos
    ou preços mínimos.
POLÍTICAS DO GOVERNO: PREÇOS MÁXIMOS E PREÇOS
MÍNIMOS
   Preço Máximo
       Limite máximo ou maior preço ao qual um determinado bem
        pode ser comercializado legalmente dentro de um mercado
        específico.


   Preço Mínimo
       Limite mínimo ou menor preço ao qual um determinado bem
        pode ser comercializado legalmente dentro de um mercado
        específico.
POLÍTICAS DO GOVERNO: PREÇO MÁXIMO

   Quando o governo estabelece uma política de preço
    máximo dois resultados podem ocorrer:
       O preço máximo é “não obrigatório” ou “não compulsório”
        significando que por estar acima do preço de mercado não
        interfere no equilíbrio de mercado.

       O preço máximo é “obrigatório” ou “compulsório”
        significando que por estar abaixo do preço de mercado
        interfere no equilíbrio de mercado, impedindo-o. O
        resultado é escassez de oferta ou excesso de demanda.
POLÍTICAS DO GOVERNO:PREÇO MÁXIMO NÃO
OBRIGATÓRIO
               P

                     D1                      O1
          R$ 3,00                                 Preço Máximo

          R$ 2,00                            Equilíbrio alcançável
                                                  legalmente




                                15
                                                      Q
  O governo impõe um preço máximo (3 reais). Como o preço
  máximo está acima do preço de equilíbrio (2 reais), a política
  não apresentará nenhum efeito e o mercado poderá alcançar o
  ponto de equilíbrio normalmente.
POLÍTICAS DO GOVERNO: PREÇO MÁXIMO OBRIGATÓRIO
               P

                     D1                         O1


                                                Equilíbrio inalcançável
          R$ 2,00
                                                      legalmente

          R$ 1,00                                    Preço Máximo

                          Escassez de Oferta
                          10               20           Q
  O governo impõe um preço máximo (1 real). Como o preço
  máximo está abaixo do preço de equilíbrio (2 reais), a política
  apresentará efeito direto no mercado impedindo que o ponto
  de equilíbrio seja alcançado.
  Assim, o preço de mercado será 1 real e haverá escassez de
  oferta.
POLÍTICAS DO GOVERNO: FILAS NO CONSULTÓRIO
(EXEMPLO)
   O que ocorre se o governo estabelecer um preço
    máximo para as consultas médicas?
                  P
                         D1
                                             O1
               P Máx                              Preço Máximo

                 P1                          Equilíbrio alcançável
                                                  legalmente




                                  Q1                  Q
     Enquanto o preço máximo for superior ao nível de preço de
     equilíbrio não haverá problemas para se atingir o ponto de
     equilíbrio.
POLÍTICAS DO GOVERNO: FILAS NO CONSULTÓRIO
(EXEMPLO)
                                    O2
               P
                                        Equilíbrio inalcançável
              P2
                                              legalmente
            P Máx                                      Preço Máximo
                    Escassez
              P1    de Oferta



                         O1                D1
                    QO        QD   Q1                   Q
  No momento em que o preço de equilíbrio for maior que o
  preço máximo o mercado não poderá atingir o ponto de
  equilíbrio. O preço de mercado será o preço máximo e ocorrerá
  escassez de oferta (ou excesso de demanda).
  Não haverá médicos o suficiente para satisfazer a demanda.
POLÍTICAS DO GOVERNO: PREÇO MÍNIMO

   Quando o governo estabelece uma política de preço
    mímino dois resultados podem ocorrer:
       O preço mínimo é “não obrigatório” ou “não compulsório”
        significando que por estar abaixo do preço de mercado não
        interfere no equilíbrio de mercado.

       O preço mínimo é “obrigatório” ou “compulsório”
        significando que por estar acima do preço de mercado
        interfere no equilíbrio de mercado, impedindo-o. O
        resultado é escassez de demanda ou excesso de oferta.
POLÍTICAS DO GOVERNO: PREÇO MÍNIMO NÃO
OBRIGATÓRIO
               P

                     D1                       O1


          R$ 2,00                            Equilíbrio alcançável
                                                  legalmente

          R$ 1,00                                  Preço Mínimo


                                 15
                                                      Q
  O governo impõe um preço mínimo (1 real). Como o preço
  mínimo está abaixo do preço de equilíbrio (2 reais), a política
  não apresentará nenhum efeito e o mercado poderá alcançar o
  ponto de equilíbrio normalmente.
POLÍTICAS DO GOVERNO: PREÇO MÍNIMO
OBRIGATÓRIO
             P

                     D1   Excesso de Oferta    O1
          R$ 3,00                                   Preço Mínimo

                                               Equilíbrio inalcançável
          R$ 2,00
                                                     legalmente




                          10              20           Q
  O governo impõe um preço mínimo (3 real). Como o preço
  mínimo está acima do preço de equilíbrio (2 reais), a política
  apresentará efeito direto no mercado impedindo que o ponto
  de equilíbrio seja alcançado.
  Assim, o preço de mercado será 3 reais e haverá excesso de
  oferta.
POLÍTICAS DO GOVERNO: SALÁRIO MÍNIMO E EXCESSO
DE MÃO DE OBRA (EXEMPLO)

   O que pode ocorrer com o mercado de trabalho se o
    governo estabelecer um salário mínimo ?
                P
                           D1
                                                O1


                    P1                          Equilíbrio alcançável
                                                     legalmente

               P Mín                                 Preço Mínimo


                                    Q1                    Q
     Enquanto o preço mínimo (salário mínimo) for inferior ao nível
     de preço de equilíbrio não haverá problemas para se atingir o
     ponto de equilíbrio.
POLÍTICAS DO GOVERNO: SALÁRIO MÍNIMO E EXCESSO
DE MÃO DE OBRA (EXEMPLO)
               P
                       D1
                                             O1
                                                              O2

              P1                    Excesso de
                                      Oferta
            P Mín                                 Preço Mínimo
                                                             Equilíbrio inalcançável
              P2
                                                                   legalmente
                                Q1 QD      QO        Q
  No momento em que o preço de equilíbrio for menor que o
  preço mínimo o mercado não poderá atingir o ponto de
  equilíbrio. O preço de mercado será o preço mínimo e ocorrerá
  excesso de oferta (ou escassez de demanda).
  Não haverá emprego suficiente para todos os trabalhadores
  ofertando mão de obra (desemprego).
POLÍTICAS DO GOVERNO: IMPOSTOS

 São fontes de recursos para realizar projetos públicos.
 Restringem a alocação ou uso de determinado bem ou
  serviço.
 Cunha Fiscal
       Diferença de preço paga entre compradores e vendedores ou
        o volume unitário do imposto.
   Incidência Tributária
       Se refere a forma como o ônus do imposto é distribuído ou
        dividido entre os participantes de um mercado qualquer.
POLÍTICAS DO GOVERNO: IMPOSTOS

   Principais fatos sobre impostos:
     Desencorajam a atividade econômica.
     A quantidade comercializada de bens em um mercado é
      menor em uma situação com impostos em relação a uma
      situação sem impostos.
     O ônus dos impostos é sempre dividido entre vendedores e
      compradores, mesmo quando incide diretamente apenas
      sobre um deles.
     Impostos mudam o equilíbrio de mercado fazendo com que
      compradores paguem mais caro e vendedores recebam
      menos receita, não importando que foi diretamente taxado.
POLÍTICAS DO GOVERNO: TIPOS DE IMPOSTOS

   Impostos sobre vendedores
       Imposto cobrado dos vendedores no ato da venda do
        produto sendo cobrado por unidade de produto vendido.


   Impostos sobre compradores
       Imposto cobrado dos vendedores no ato da venda do
        produto sendo cobrado por unidade de produto comprado.
POLÍTICAS DO GOVERNO: IMPOSTO SOBRE VENDEDORES
                          P                                     O imposto sobre os vendedores
                                     D1             O2          desloca a curva de oferta para
 Preço pago pelos                                               cima no mesmo valo do
                      R$ 3,50                             O1    imposto (neste caso, R$0,50).
   compradores
(Preço da etiqueta)   R$ 3,30             E2
                                Imposto
Preço sem imposto     R$ 3,00                  E1
   Preço recebido     R$ 2,80
 pelos vendedores
 (Preços depois de
 repassar imposto)
                                        90 100                  Q
1º: O impacto direto do imposto é sobre os vendedores deslocando a curva de oferta para cima na
medida do valor do imposto. Gerando ao mesmo nível de preços um excesso de demanda.
2º: O excesso de demanda levará a um aumento de preços que provocará um movimento ao longo
das curvas aumentando a quantidade ofertada e reduzindo a quantidade demandada até o novo
equilíbrio.
3º: Nesta situação (E2) temos uma diminuição da quantidade comercializada, os
compradores estarão pagando mais caro (R$3,30) e os vendedores estarão
recebendo menos (R$ 2,80) que no equilíbrio inicial (E1).
POLÍTICAS DO GOVERNO: IMPOSTO SOBRE VENDEDORES

   Implicações e sumário:
     Apesar de vendedores repassarem o imposto para o
      governo compradores e vendedores dividem o ônus.
     Como o preço pago pelos consumidores aumenta de R$ 3,00
      para R$ 3,30, só por causa do imposto, a situação deles piora
      em R$ 0,30, assim este é o ônus dos imposto pago por eles.
     Como o preço recebido pelos produtores diminui de R$ 3,00
      para R$ 2,80, só por causa do imposto, a situação deles piora
      em R$ 0,20, assim este é o ônus dos imposto pago por eles.
     O imposto desencoraja a atividade econômica. A quantidade
      comercializada na situação de equilíbrio com imposto é
      sempre menor que na situação sem imposto.
POLÍTICAS DO GOVERNO: IMPOSTO SOBRE
   COMPRADORES
                           P
 Preço pago pelos                D2   D1
   compradores                                           O1
(Preço acrescido do
 valor do imposto)     R$ 3,30
                                 Imposto
Preço sem imposto      R$ 3,00                  E1            O imposto sobre os compradores
   Preço recebido      R$ 2,80                                desloca a curva de demanda para
  pelos vendedores
                                           E2                 baixo no mesmo valo do imposto
 (Preço da etiqueta)
                       R$ 2,50                                (neste caso, R$0,50).

                                        90 100                    Q
1º: O impacto direto do imposto é sobre os compradores deslocando a curva de demanda para baixo
na medida do valor do imposto. Gerando ao mesmo nível de preços um excesso de oferta.
2º: O excesso de oferta levará a uma diminuição de preços que provocará um movimento ao longo
das curvas aumentando a quantidade demandada e reduzindo a quantidade ofertada atingir o novo
equilíbrio.
3º: Nesta situação (E2) temos uma diminuição da quantidade comercializada, os
compradores estarão pagando mais caro (R$3,30) e os vendedores estarão
recebendo menos (R$ 2,80) que no equilíbrio inicial (E1).
POLÍTICAS DO GOVERNO: IMPOSTO SOBRE
COMPRADORES

   Implicações e sumário:
       Apesar de compradores pagarem diretamente o imposto
        para o governo compradores e vendedores dividem o ônus.
       Como o preço pago pelos consumidores aumenta de R$ 3,00
        para R$ 3,30, só por causa do imposto, a situação deles piora
        em R$ 0,30, assim este é o ônus dos imposto pago por eles.
       Como o preço recebido pelos produtores diminui de R$ 3,00
        para R$ 2,80, só por causa do imposto, a situação deles piora
        em R$ 0,20, assim este é o ônus dos imposto pago por eles.
       O imposto desencoraja a atividade econômica. A quantidade
        comercializada na situação de equilíbrio com imposto é
        sempre menor que na situação sem imposto.
       Temos as mesmas implicações que anteriormente !!!
POLÍTICAS DO GOVERNO: ELASTICIDADE E INCIDÊNCIA
TRIBUTÁRIA

   A elasticidade (inclinação) das curvas de oferta e
    demanda determinarão:
       A forma como o imposto é distribuído.

       Como os efeitos de um imposto colocado sobre compradores
        se diferenciam dos colocados sobre os vendedores.

       É a elasticidade (inclinação) relativa que determinará
        especificamente como se dará a distribuição do imposto.
POLÍTICAS DO GOVERNO: INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA EM
OFERTA E DEMANDA DE MESMA ELASTICIDADE
                          P
                                                        O1
       Preço pago pelos
         compradores

     Preço sem imposto        Imposto

       Preço recebido
      pelos vendedores

                                                     D1
                                              Q1                    Q
   Quando as curvas de demanda e oferta tem elasticidades iguais o imposto é
   distribuído igual mente entre as duas partes.
POLÍTICAS DO GOVERNO: INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA EM
OFERTA ELÁSTICA E DEMANDA INELÁSTICA
                          P
       Preço pago pelos
         compradores

                                                            O1
                              Imposto

     Preço sem imposto
       Preço recebido
      pelos vendedores


                                                 D1
                                           Q1                     Q
   Quando a curva de oferta é mais elástica que a curva de demanda o imposto
   recai mais sobre os consumidores do que sobre os produtores.
POLÍTICAS DO GOVERNO: INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA EM
OFERTA INELÁSTICA E DEMANDA ELÁSTICA
                          P                          O1


       Preço pago pelos
         compradores
     Preço sem imposto
                              Imposto

       Preço recebido
                                                          D1
      pelos vendedores
                                           Q1                    Q
   Quando a curva de oferta é menos elástica que a curva de demanda o imposto
   recai mais sobre os produtores do que sobre os consumidores.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
 MANKIW, N. G. Introdução à Economia. São Paulo:
  Cengage Learning, 2009. 838 pg.
 VASCONCELLOS, M. S. Economia, Micro e Macro, Atlas,
  2002.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Economia: Elementos Básicos, Oferta e Procura
Economia: Elementos Básicos, Oferta e ProcuraEconomia: Elementos Básicos, Oferta e Procura
Economia: Elementos Básicos, Oferta e ProcuraPedro De Almeida
 
Economia – exercícios de revisão
Economia – exercícios de revisãoEconomia – exercícios de revisão
Economia – exercícios de revisãoFelipe Leo
 
36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado
36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado
36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercadoSidinei Da Silva Vidal
 
Macroeconomia -aula 1
Macroeconomia -aula  1Macroeconomia -aula  1
Macroeconomia -aula 1Na Silva
 
Mercados de concorrência perfeita e imperfeita
Mercados de concorrência perfeita e imperfeitaMercados de concorrência perfeita e imperfeita
Mercados de concorrência perfeita e imperfeitaturmainformaticadegestao
 
Respostas mankiw - capítulo 4 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 4 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 4 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 4 (superior)Luciano Pires
 
Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)
Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)
Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)Egas Armando
 
Respostas mankiw - capítulo 5 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 5 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 5 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 5 (superior)Luciano Pires
 
Estruturas de mercado - Macroeconomia e Microeconomia
Estruturas de mercado -  Macroeconomia e Microeconomia Estruturas de mercado -  Macroeconomia e Microeconomia
Estruturas de mercado - Macroeconomia e Microeconomia Na Silva
 
Bens públicos e recursos comuns
Bens públicos e recursos comunsBens públicos e recursos comuns
Bens públicos e recursos comunsLuciano Pires
 
Custos de Produção
Custos de ProduçãoCustos de Produção
Custos de ProduçãoLuciano Pires
 
Estruturas de mercado
Estruturas de mercadoEstruturas de mercado
Estruturas de mercadoEliz Evan
 
Custos de produção - microeconomia
Custos de produção - microeconomiaCustos de produção - microeconomia
Custos de produção - microeconomiaCamila Carvalho
 
Slides aula 3_economia-1
Slides aula 3_economia-1Slides aula 3_economia-1
Slides aula 3_economia-1Cátia Pascoal
 
Teoria da produção
Teoria da produçãoTeoria da produção
Teoria da produçãoanatasse
 

Mais procurados (20)

Economia: Elementos Básicos, Oferta e Procura
Economia: Elementos Básicos, Oferta e ProcuraEconomia: Elementos Básicos, Oferta e Procura
Economia: Elementos Básicos, Oferta e Procura
 
Economia – exercícios de revisão
Economia – exercícios de revisãoEconomia – exercícios de revisão
Economia – exercícios de revisão
 
36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado
36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado
36153033 aula-demanda-oferta-e-equilibrio-de-mercado
 
Macroeconomia -aula 1
Macroeconomia -aula  1Macroeconomia -aula  1
Macroeconomia -aula 1
 
Mercados de concorrência perfeita e imperfeita
Mercados de concorrência perfeita e imperfeitaMercados de concorrência perfeita e imperfeita
Mercados de concorrência perfeita e imperfeita
 
Respostas mankiw - capítulo 4 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 4 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 4 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 4 (superior)
 
Introdução à Economia
Introdução à EconomiaIntrodução à Economia
Introdução à Economia
 
Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)
Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)
Excedente de consumidor e produtor ( dicas de economia)
 
Respostas mankiw - capítulo 5 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 5 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 5 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 5 (superior)
 
Estruturas de mercado - Macroeconomia e Microeconomia
Estruturas de mercado -  Macroeconomia e Microeconomia Estruturas de mercado -  Macroeconomia e Microeconomia
Estruturas de mercado - Macroeconomia e Microeconomia
 
Apresentação inflação
Apresentação inflaçãoApresentação inflação
Apresentação inflação
 
Bens públicos e recursos comuns
Bens públicos e recursos comunsBens públicos e recursos comuns
Bens públicos e recursos comuns
 
Bens e Serviços
Bens e ServiçosBens e Serviços
Bens e Serviços
 
Custos de Produção
Custos de ProduçãoCustos de Produção
Custos de Produção
 
Estruturas de mercado
Estruturas de mercadoEstruturas de mercado
Estruturas de mercado
 
Custos de produção - microeconomia
Custos de produção - microeconomiaCustos de produção - microeconomia
Custos de produção - microeconomia
 
Slides aula 3_economia-1
Slides aula 3_economia-1Slides aula 3_economia-1
Slides aula 3_economia-1
 
Teoria da produção
Teoria da produçãoTeoria da produção
Teoria da produção
 
Teoria da produção 2011_01
Teoria da produção 2011_01Teoria da produção 2011_01
Teoria da produção 2011_01
 
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2) SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
SLIDES DE MACROECONOMIA (AULA 2)
 

Destaque

Custo de vida, inflação e indices de preços
Custo de vida, inflação e indices de preçosCusto de vida, inflação e indices de preços
Custo de vida, inflação e indices de preçosLuciano Pires
 
Produção e crescimento econômico
Produção e crescimento econômicoProdução e crescimento econômico
Produção e crescimento econômicoLuciano Pires
 
Economia Como Ciência
Economia Como CiênciaEconomia Como Ciência
Economia Como CiênciaLuciano Pires
 
Renda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar EconômicoRenda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar EconômicoLuciano Pires
 
Fundamentos de economia
Fundamentos de economiaFundamentos de economia
Fundamentos de economiaLuciano Pires
 
Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)Luciano Pires
 
Respostas mankiw - capítulo 2 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 2 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 2 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 2 (superior)Luciano Pires
 
Respostas mankiw - capítulo 1 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 1 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 1 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 1 (superior)Luciano Pires
 
Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)Luciano Pires
 
Modelos de Cournot e Bertrand
Modelos de Cournot e BertrandModelos de Cournot e Bertrand
Modelos de Cournot e BertrandLuciano Pires
 
Semana de ciência e tecnologia 2014 - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...
Semana de ciência e tecnologia 2014   - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...Semana de ciência e tecnologia 2014   - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...
Semana de ciência e tecnologia 2014 - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...Luciano Pires
 
Introdução à finanças corporativas
Introdução à finanças corporativasIntrodução à finanças corporativas
Introdução à finanças corporativasLuciano Pires
 
Sistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança Nacionais
Sistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança NacionaisSistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança Nacionais
Sistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança NacionaisLuciano Pires
 
Decisão da empresa em mercados competitivos
Decisão da empresa em mercados competitivosDecisão da empresa em mercados competitivos
Decisão da empresa em mercados competitivosLuciano Pires
 
Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)Luciano Pires
 
Decisão da empresa monopolista
Decisão da empresa monopolistaDecisão da empresa monopolista
Decisão da empresa monopolistaLuciano Pires
 

Destaque (18)

Custo de vida, inflação e indices de preços
Custo de vida, inflação e indices de preçosCusto de vida, inflação e indices de preços
Custo de vida, inflação e indices de preços
 
Produção e crescimento econômico
Produção e crescimento econômicoProdução e crescimento econômico
Produção e crescimento econômico
 
Economia Como Ciência
Economia Como CiênciaEconomia Como Ciência
Economia Como Ciência
 
Renda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar EconômicoRenda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar Econômico
 
Externalidades
ExternalidadesExternalidades
Externalidades
 
Fundamentos de economia
Fundamentos de economiaFundamentos de economia
Fundamentos de economia
 
Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 24 (superior)
 
Respostas mankiw - capítulo 2 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 2 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 2 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 2 (superior)
 
Respostas mankiw - capítulo 1 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 1 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 1 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 1 (superior)
 
Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 25 (superior)
 
Modelos de Cournot e Bertrand
Modelos de Cournot e BertrandModelos de Cournot e Bertrand
Modelos de Cournot e Bertrand
 
Semana de ciência e tecnologia 2014 - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...
Semana de ciência e tecnologia 2014   - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...Semana de ciência e tecnologia 2014   - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...
Semana de ciência e tecnologia 2014 - Mesa Redonda Desenvolvimento Econômic...
 
Introdução à finanças corporativas
Introdução à finanças corporativasIntrodução à finanças corporativas
Introdução à finanças corporativas
 
Sistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança Nacionais
Sistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança NacionaisSistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança Nacionais
Sistema Financeiro e Níveis de Investimento e Poupança Nacionais
 
Decisão da empresa em mercados competitivos
Decisão da empresa em mercados competitivosDecisão da empresa em mercados competitivos
Decisão da empresa em mercados competitivos
 
Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)
Respostas Mankiw - Capítulo 23 (superior)
 
Desemprego
DesempregoDesemprego
Desemprego
 
Decisão da empresa monopolista
Decisão da empresa monopolistaDecisão da empresa monopolista
Decisão da empresa monopolista
 

Último

UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 

Último (20)

UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 

Como políticas governamentais afetam mercados e equilíbrio

  • 2. OBJETIVO GERAL  Identificar e explicar como alguns tipos clássicos de políticas do governo afetam a dinâmica dos mercados e suas respectivas situações de equilíbrio. OBJETIVOS ESPECÍFICOS  Identificar e explicar como políticas de controle de preços máximo e mínimo podem afetar mercados e impedir situações de equilíbrio.  Identificar e explicar como políticas de impostos sobre vendedores e compradores afetam mercados e como é distribuído o ônus destes impostos.
  • 3. POLÍTICAS DO GOVERNO: ORIGEM E PROPÓSITO  Em mercados sem regulação são os preços e os movimento de oferta e demanda que estabelecem “livremente” as situações de equilíbrio.  Embora na maior parte dos casos as situações de equilíbrio sejam eficientes, a sociedade pode não identificar este ponto como o “mais satisfatório” (eficiência x igualdade).  Com o objetivo de satisfazer estas necessidades sociais o governo faz políticas econômicas, dentre elas as mais clássicas seriam impostos e controles de preços.
  • 4. POLÍTICAS DO GOVERNO: CONTROLE DE PREÇOS  Utilizado pelo governo em situações em que o resultado de mercado (preços e quantidades de equilíbrio) é considerado “injusto” ou “desleal” para compradores ou vendedores, segundo avaliação do próprio governo.  Assim, entidades governamentais podem regular mercados estabelecendo políticas de preços máximos ou preços mínimos.
  • 5. POLÍTICAS DO GOVERNO: PREÇOS MÁXIMOS E PREÇOS MÍNIMOS  Preço Máximo  Limite máximo ou maior preço ao qual um determinado bem pode ser comercializado legalmente dentro de um mercado específico.  Preço Mínimo  Limite mínimo ou menor preço ao qual um determinado bem pode ser comercializado legalmente dentro de um mercado específico.
  • 6. POLÍTICAS DO GOVERNO: PREÇO MÁXIMO  Quando o governo estabelece uma política de preço máximo dois resultados podem ocorrer:  O preço máximo é “não obrigatório” ou “não compulsório” significando que por estar acima do preço de mercado não interfere no equilíbrio de mercado.  O preço máximo é “obrigatório” ou “compulsório” significando que por estar abaixo do preço de mercado interfere no equilíbrio de mercado, impedindo-o. O resultado é escassez de oferta ou excesso de demanda.
  • 7. POLÍTICAS DO GOVERNO:PREÇO MÁXIMO NÃO OBRIGATÓRIO P D1 O1 R$ 3,00 Preço Máximo R$ 2,00 Equilíbrio alcançável legalmente 15 Q O governo impõe um preço máximo (3 reais). Como o preço máximo está acima do preço de equilíbrio (2 reais), a política não apresentará nenhum efeito e o mercado poderá alcançar o ponto de equilíbrio normalmente.
  • 8. POLÍTICAS DO GOVERNO: PREÇO MÁXIMO OBRIGATÓRIO P D1 O1 Equilíbrio inalcançável R$ 2,00 legalmente R$ 1,00 Preço Máximo Escassez de Oferta 10 20 Q O governo impõe um preço máximo (1 real). Como o preço máximo está abaixo do preço de equilíbrio (2 reais), a política apresentará efeito direto no mercado impedindo que o ponto de equilíbrio seja alcançado. Assim, o preço de mercado será 1 real e haverá escassez de oferta.
  • 9. POLÍTICAS DO GOVERNO: FILAS NO CONSULTÓRIO (EXEMPLO)  O que ocorre se o governo estabelecer um preço máximo para as consultas médicas? P D1 O1 P Máx Preço Máximo P1 Equilíbrio alcançável legalmente Q1 Q Enquanto o preço máximo for superior ao nível de preço de equilíbrio não haverá problemas para se atingir o ponto de equilíbrio.
  • 10. POLÍTICAS DO GOVERNO: FILAS NO CONSULTÓRIO (EXEMPLO) O2 P Equilíbrio inalcançável P2 legalmente P Máx Preço Máximo Escassez P1 de Oferta O1 D1 QO QD Q1 Q No momento em que o preço de equilíbrio for maior que o preço máximo o mercado não poderá atingir o ponto de equilíbrio. O preço de mercado será o preço máximo e ocorrerá escassez de oferta (ou excesso de demanda). Não haverá médicos o suficiente para satisfazer a demanda.
  • 11. POLÍTICAS DO GOVERNO: PREÇO MÍNIMO  Quando o governo estabelece uma política de preço mímino dois resultados podem ocorrer:  O preço mínimo é “não obrigatório” ou “não compulsório” significando que por estar abaixo do preço de mercado não interfere no equilíbrio de mercado.  O preço mínimo é “obrigatório” ou “compulsório” significando que por estar acima do preço de mercado interfere no equilíbrio de mercado, impedindo-o. O resultado é escassez de demanda ou excesso de oferta.
  • 12. POLÍTICAS DO GOVERNO: PREÇO MÍNIMO NÃO OBRIGATÓRIO P D1 O1 R$ 2,00 Equilíbrio alcançável legalmente R$ 1,00 Preço Mínimo 15 Q O governo impõe um preço mínimo (1 real). Como o preço mínimo está abaixo do preço de equilíbrio (2 reais), a política não apresentará nenhum efeito e o mercado poderá alcançar o ponto de equilíbrio normalmente.
  • 13. POLÍTICAS DO GOVERNO: PREÇO MÍNIMO OBRIGATÓRIO P D1 Excesso de Oferta O1 R$ 3,00 Preço Mínimo Equilíbrio inalcançável R$ 2,00 legalmente 10 20 Q O governo impõe um preço mínimo (3 real). Como o preço mínimo está acima do preço de equilíbrio (2 reais), a política apresentará efeito direto no mercado impedindo que o ponto de equilíbrio seja alcançado. Assim, o preço de mercado será 3 reais e haverá excesso de oferta.
  • 14. POLÍTICAS DO GOVERNO: SALÁRIO MÍNIMO E EXCESSO DE MÃO DE OBRA (EXEMPLO)  O que pode ocorrer com o mercado de trabalho se o governo estabelecer um salário mínimo ? P D1 O1 P1 Equilíbrio alcançável legalmente P Mín Preço Mínimo Q1 Q Enquanto o preço mínimo (salário mínimo) for inferior ao nível de preço de equilíbrio não haverá problemas para se atingir o ponto de equilíbrio.
  • 15. POLÍTICAS DO GOVERNO: SALÁRIO MÍNIMO E EXCESSO DE MÃO DE OBRA (EXEMPLO) P D1 O1 O2 P1 Excesso de Oferta P Mín Preço Mínimo Equilíbrio inalcançável P2 legalmente Q1 QD QO Q No momento em que o preço de equilíbrio for menor que o preço mínimo o mercado não poderá atingir o ponto de equilíbrio. O preço de mercado será o preço mínimo e ocorrerá excesso de oferta (ou escassez de demanda). Não haverá emprego suficiente para todos os trabalhadores ofertando mão de obra (desemprego).
  • 16. POLÍTICAS DO GOVERNO: IMPOSTOS  São fontes de recursos para realizar projetos públicos.  Restringem a alocação ou uso de determinado bem ou serviço.  Cunha Fiscal  Diferença de preço paga entre compradores e vendedores ou o volume unitário do imposto.  Incidência Tributária  Se refere a forma como o ônus do imposto é distribuído ou dividido entre os participantes de um mercado qualquer.
  • 17. POLÍTICAS DO GOVERNO: IMPOSTOS  Principais fatos sobre impostos:  Desencorajam a atividade econômica.  A quantidade comercializada de bens em um mercado é menor em uma situação com impostos em relação a uma situação sem impostos.  O ônus dos impostos é sempre dividido entre vendedores e compradores, mesmo quando incide diretamente apenas sobre um deles.  Impostos mudam o equilíbrio de mercado fazendo com que compradores paguem mais caro e vendedores recebam menos receita, não importando que foi diretamente taxado.
  • 18. POLÍTICAS DO GOVERNO: TIPOS DE IMPOSTOS  Impostos sobre vendedores  Imposto cobrado dos vendedores no ato da venda do produto sendo cobrado por unidade de produto vendido.  Impostos sobre compradores  Imposto cobrado dos vendedores no ato da venda do produto sendo cobrado por unidade de produto comprado.
  • 19. POLÍTICAS DO GOVERNO: IMPOSTO SOBRE VENDEDORES P O imposto sobre os vendedores D1 O2 desloca a curva de oferta para Preço pago pelos cima no mesmo valo do R$ 3,50 O1 imposto (neste caso, R$0,50). compradores (Preço da etiqueta) R$ 3,30 E2 Imposto Preço sem imposto R$ 3,00 E1 Preço recebido R$ 2,80 pelos vendedores (Preços depois de repassar imposto) 90 100 Q 1º: O impacto direto do imposto é sobre os vendedores deslocando a curva de oferta para cima na medida do valor do imposto. Gerando ao mesmo nível de preços um excesso de demanda. 2º: O excesso de demanda levará a um aumento de preços que provocará um movimento ao longo das curvas aumentando a quantidade ofertada e reduzindo a quantidade demandada até o novo equilíbrio. 3º: Nesta situação (E2) temos uma diminuição da quantidade comercializada, os compradores estarão pagando mais caro (R$3,30) e os vendedores estarão recebendo menos (R$ 2,80) que no equilíbrio inicial (E1).
  • 20. POLÍTICAS DO GOVERNO: IMPOSTO SOBRE VENDEDORES  Implicações e sumário:  Apesar de vendedores repassarem o imposto para o governo compradores e vendedores dividem o ônus.  Como o preço pago pelos consumidores aumenta de R$ 3,00 para R$ 3,30, só por causa do imposto, a situação deles piora em R$ 0,30, assim este é o ônus dos imposto pago por eles.  Como o preço recebido pelos produtores diminui de R$ 3,00 para R$ 2,80, só por causa do imposto, a situação deles piora em R$ 0,20, assim este é o ônus dos imposto pago por eles.  O imposto desencoraja a atividade econômica. A quantidade comercializada na situação de equilíbrio com imposto é sempre menor que na situação sem imposto.
  • 21. POLÍTICAS DO GOVERNO: IMPOSTO SOBRE COMPRADORES P Preço pago pelos D2 D1 compradores O1 (Preço acrescido do valor do imposto) R$ 3,30 Imposto Preço sem imposto R$ 3,00 E1 O imposto sobre os compradores Preço recebido R$ 2,80 desloca a curva de demanda para pelos vendedores E2 baixo no mesmo valo do imposto (Preço da etiqueta) R$ 2,50 (neste caso, R$0,50). 90 100 Q 1º: O impacto direto do imposto é sobre os compradores deslocando a curva de demanda para baixo na medida do valor do imposto. Gerando ao mesmo nível de preços um excesso de oferta. 2º: O excesso de oferta levará a uma diminuição de preços que provocará um movimento ao longo das curvas aumentando a quantidade demandada e reduzindo a quantidade ofertada atingir o novo equilíbrio. 3º: Nesta situação (E2) temos uma diminuição da quantidade comercializada, os compradores estarão pagando mais caro (R$3,30) e os vendedores estarão recebendo menos (R$ 2,80) que no equilíbrio inicial (E1).
  • 22. POLÍTICAS DO GOVERNO: IMPOSTO SOBRE COMPRADORES  Implicações e sumário:  Apesar de compradores pagarem diretamente o imposto para o governo compradores e vendedores dividem o ônus.  Como o preço pago pelos consumidores aumenta de R$ 3,00 para R$ 3,30, só por causa do imposto, a situação deles piora em R$ 0,30, assim este é o ônus dos imposto pago por eles.  Como o preço recebido pelos produtores diminui de R$ 3,00 para R$ 2,80, só por causa do imposto, a situação deles piora em R$ 0,20, assim este é o ônus dos imposto pago por eles.  O imposto desencoraja a atividade econômica. A quantidade comercializada na situação de equilíbrio com imposto é sempre menor que na situação sem imposto.  Temos as mesmas implicações que anteriormente !!!
  • 23. POLÍTICAS DO GOVERNO: ELASTICIDADE E INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA  A elasticidade (inclinação) das curvas de oferta e demanda determinarão:  A forma como o imposto é distribuído.  Como os efeitos de um imposto colocado sobre compradores se diferenciam dos colocados sobre os vendedores.  É a elasticidade (inclinação) relativa que determinará especificamente como se dará a distribuição do imposto.
  • 24. POLÍTICAS DO GOVERNO: INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA EM OFERTA E DEMANDA DE MESMA ELASTICIDADE P O1 Preço pago pelos compradores Preço sem imposto Imposto Preço recebido pelos vendedores D1 Q1 Q Quando as curvas de demanda e oferta tem elasticidades iguais o imposto é distribuído igual mente entre as duas partes.
  • 25. POLÍTICAS DO GOVERNO: INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA EM OFERTA ELÁSTICA E DEMANDA INELÁSTICA P Preço pago pelos compradores O1 Imposto Preço sem imposto Preço recebido pelos vendedores D1 Q1 Q Quando a curva de oferta é mais elástica que a curva de demanda o imposto recai mais sobre os consumidores do que sobre os produtores.
  • 26. POLÍTICAS DO GOVERNO: INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA EM OFERTA INELÁSTICA E DEMANDA ELÁSTICA P O1 Preço pago pelos compradores Preço sem imposto Imposto Preço recebido D1 pelos vendedores Q1 Q Quando a curva de oferta é menos elástica que a curva de demanda o imposto recai mais sobre os produtores do que sobre os consumidores.
  • 27. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  MANKIW, N. G. Introdução à Economia. São Paulo: Cengage Learning, 2009. 838 pg.  VASCONCELLOS, M. S. Economia, Micro e Macro, Atlas, 2002.