História e Influências <ul><li>O Design têm sofrido influências das mais diversas frentes de expressão – artesões, gráfico...
Art Nouveu - Século XIX <ul><li>A Arte nova (do francês  Art nouveau  [aR.nu'vo]), foi um estilo estético essencialmente d...
<ul><li>Ao contrário da maioria das correntes associadas ao movimento modernista, o Art Nouveau não foi dominado pela pint...
Cubismo <ul><li>O Cubismo é um movimento artístico que ocorreu entre 1907 e 1914; </li></ul><ul><li>Tendo como principais ...
<ul><li>Principais características: </li></ul><ul><li>Geometrização das formas e volumes; </li></ul><ul><li>Renúncia à per...
<ul><li>O cubismo se divide em duas fases: </li></ul><ul><li>Cubismo Analítico - (1909) caracterizado pela desestruturação...
Futurismo <ul><li>O futurismo é um movimento artístico e literário, que surgiu oficialmente em 20 de fevereiro de 1909 com...
<ul><li>Após uma interrupção forçada pela Grande Guerra, o contato foi retomado. </li></ul><ul><li>Foi certamente uma das ...
Dadaísmo <ul><li>O movimento Dadá (Dada) ou Dadaísmo foi uma vanguarda moderna iniciada em Zurique, em 1916, no chamado Ca...
<ul><li>O Dadaísmo é caracterizado pela oposição a qualquer tipo de equilíbrio, pela combinação de pessimismo irônico e in...
Surrealismo <ul><li>O Surrealismo floreceu nos Estados Unidos nos anos 20 e 30, arte voltado ao automatismo, uma maneira d...
 
Construtivismo <ul><li>Nascido em 1914, na Russia, o construtivismo teve como exemplo de autores: Vladmir Tatlin, Liubov P...
<ul><li>Em 1924 o partido comunista terminou com o sonho dos artistas. </li></ul><ul><li>A arte deveria ser daquela data e...
Art Déco <ul><li>Art Déco foi um movimento popular internacional de design de 1925 até 1939, que afetou as artes decorativ...
 
<ul><li>O uso de materiais menos nobres – como o baquelite, concreto (betão) armado, compensado de madeira e aço tubular –...
De Stijl e Bauhaus <ul><li>Devido à influência dos textos da revista, que muitas vezes assumiam um aspecto de manifesto, o...
<ul><li>Ao injetar sólido embasamento teórico em suas obras – pinturas, construções, esculturas, entre outros – os Neoplas...
<ul><li>A Bauhaus foi uma das maiores e mais importantes expressões do que é chamado Modernismo no design e na arquitetura...
Dias atuais <ul><li>A partir de 1933 encontra-se a evolução de novas formas; </li></ul><ul><li>1960 surge o movimento Saud...
Áreas do Design <ul><li>Design editorial [revista, livros, capas, afins]; </li></ul><ul><li>Editoração eletrônica [diagram...
Design, Propaganda e Mercado Editorial <ul><li>Com a evolução do processo gráfico houve uma acentuada evolução na Propagan...
Bibliografia CONTIJO, Silvana.  O Mundo em Comunicação . Rio de Janeiro: Aeroplano, 2001. 300p. RABAÇA, Carlos Alberto e B...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Design

1.359 visualizações

Publicada em

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.359
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Design

  1. 2. História e Influências <ul><li>O Design têm sofrido influências das mais diversas frentes de expressão – artesões, gráficos e ilustradores. </li></ul><ul><li>Surgiram da migração de profissionais da área de arte para a produção gráfica comercial. </li></ul><ul><li>Assim sendo, trouxeram muitas influências artísticas para o meio. </li></ul>
  2. 3. Art Nouveu - Século XIX <ul><li>A Arte nova (do francês Art nouveau [aR.nu'vo]), foi um estilo estético essencialmente de design e arquitetura que também influenciou o mundo das artes plásticas. </li></ul>
  3. 4. <ul><li>Ao contrário da maioria das correntes associadas ao movimento modernista, o Art Nouveau não foi dominado pela pintura. </li></ul><ul><li>Mesmo os pintores mais estreitamente relacionados com o estilo, Toulouse-Lautrec, Pierre Bonnard, Gustav Klimt, criaram cartazes e objetos de decoração memoráveis. </li></ul><ul><li>Juntamente com o Arts and Crafts, o Art Nouveau foi um dos estilos estéticos que prepararam o caminho do design moderno. </li></ul>
  4. 5. Cubismo <ul><li>O Cubismo é um movimento artístico que ocorreu entre 1907 e 1914; </li></ul><ul><li>Tendo como principais fundadores Pablo Picasso e Georges Braque. </li></ul>
  5. 6. <ul><li>Principais características: </li></ul><ul><li>Geometrização das formas e volumes; </li></ul><ul><li>Renúncia à perspectiva; </li></ul><ul><li>O claro-escuro perde sua função; </li></ul><ul><li>Representação do volume colorido sobre superfícies planas; </li></ul><ul><li>Sensação de pintura escultórica; </li></ul><ul><li>Cores austeras, do branco ao negro passando pelo cinza, por um ocre apagado ou um castanho suave. </li></ul>
  6. 7. <ul><li>O cubismo se divide em duas fases: </li></ul><ul><li>Cubismo Analítico - (1909) caracterizado pela desestruturação da obra em todos os seus elementos. Decompondo a obra em partes, o artista registra todos os seus elementos em planos sucessivos e superpostos, procurando a visão total da figura, examinado-a em todos os ângulos no mesmo instante, através da fragmentação dela. Essa fragmentação dos seres foi tão grande, que se tornou impossível o reconhecimento de qualquer figura nas pinturas cubistas. A cor se reduz aos tons de castanho, cinza e bege. </li></ul><ul><li>Cubismo Sintético - (1911) reagindo à excessiva fragmentação dos objetos e à destruição de sua estrutura. Basicamente, essa tendência procurou tornar as figuras novamente reconhecíveis. Também chamado de Colagem porque introduz letras, palavras, números, pedaços de madeira, vidro, metal e até objetos inteiros nas pinturas. Essa inovação pode ser explicada pela intenção do artistas em criar efeitos plásticos e de ultrapassar os limites das sensações visuais que a pintura sugere, despertando também no observador as sensações táteis. </li></ul>
  7. 8. Futurismo <ul><li>O futurismo é um movimento artístico e literário, que surgiu oficialmente em 20 de fevereiro de 1909 com a publicação do Manifesto Futurista, pelo poeta italiano Filippo Marinetti, no jornal francês Le Figaro. </li></ul><ul><li>Os adeptos do movimento rejeitavam o moralismo e o passado, e suas obras baseavam-se fortemente na velocidade e nos desenvolvimentos tecnológicos do final do século XIX. </li></ul><ul><li>Os primeiros futuristas europeus também exaltavam a guerra e a violência. </li></ul><ul><li>O Futurismo desenvolveu-se em todas as artes e influenciou diversos artistas que depois fundaram outros movimentos modernistas. </li></ul>
  8. 9. <ul><li>Após uma interrupção forçada pela Grande Guerra, o contato foi retomado. </li></ul><ul><li>Foi certamente uma das influências da Semana de Arte Moderna de 1922, e seus conceitos de desprezo o passado para criar o futuro e não à cópia e veneração pela originalidade caiu como uma luva no desejo dos jovens artistas de parar de copiar os modelos europeus e criar uma arte brasileira. </li></ul>O futurismo influenciou diversos artistas que depois fundaram outros movimentos modernistas, como Oswald de Andrade e Anita Malfatti, que tiveram contacto com o Manifesto Futurista e com Marinetti em viagens à Europa já em 1912.
  9. 10. Dadaísmo <ul><li>O movimento Dadá (Dada) ou Dadaísmo foi uma vanguarda moderna iniciada em Zurique, em 1916, no chamado Cabaret Voltaire, por um grupo de escritores e artistas plásticos, dois deles desertores do serviço militar alemão e que era liderado por Tristan Tzara, Hugo Ball e Hans Arp. </li></ul><ul><li>Embora a palavra dada em francês signifique cavalo de brinquedo , sua utilização marca o non-sense ou falta de sentido que pode ter a linguagem (como na língua de um bebê). </li></ul><ul><li>Para reforçar esta idéia foi criado o mito de que o nome foi escolhido aleatoriamente, abrindo-se uma página de um dicionário e inserindo-se um estilete sobre a mesma. </li></ul>
  10. 11. <ul><li>O Dadaísmo é caracterizado pela oposição a qualquer tipo de equilíbrio, pela combinação de pessimismo irônico e ingenuidade radical, pelo ceticismo absoluto e improvisação. </li></ul><ul><li>Enfatizou o ilógico e o absurdo. </li></ul><ul><li>Entretanto, apesar da aparente falta de sentido, o movimento protestava contra a loucura da guerra. </li></ul><ul><li>Assim, sua principal estratégia era mesmo denunciar e escandalizar. </li></ul>
  11. 12. Surrealismo <ul><li>O Surrealismo floreceu nos Estados Unidos nos anos 20 e 30, arte voltado ao automatismo, uma maneira de criar sem controle consciente para despertar o imaginário inconsciente. </li></ul><ul><li>O movimento tomou duas vertentes: arte improvisada e técnicas realistas. </li></ul>
  12. 14. Construtivismo <ul><li>Nascido em 1914, na Russia, o construtivismo teve como exemplo de autores: Vladmir Tatlin, Liubov Popova, Kasimir Malevich dentre outros. </li></ul><ul><li>Tomaram emprestadas do cubismo as formas quebradas, adotaram as formas de imagens múltiplas e sobrepostas do futurismo, fazendo com que a arte saísse do representativo e fosse para o campo do abstrato. </li></ul>
  13. 15. <ul><li>Em 1924 o partido comunista terminou com o sonho dos artistas. </li></ul><ul><li>A arte deveria ser daquela data em diante, funcional, para as massas, e de preferência aliada a propaganda. </li></ul>
  14. 16. Art Déco <ul><li>Art Déco foi um movimento popular internacional de design de 1925 até 1939, que afetou as artes decorativas, a arquitetura, design interior e desenho industrial, assim como as artes visuais, a moda, a pintura, as artes gráficas e cinema. </li></ul><ul><li>Este movimento foi, de certa forma, uma mistura de vários estilos (Electismo) e movimentos do início do século XX, incluindo Construtivismo, Cubismo, Modernismo, Bauhaus, Art Nouveau e Futurismo. </li></ul>
  15. 18. <ul><li>O uso de materiais menos nobres – como o baquelite, concreto (betão) armado, compensado de madeira e aço tubular – e o início da produção em série contribuem para baixar o preço unitário das obras. </li></ul><ul><li>Ao lado de objetos industrializados, há peças feitas artesanalmente em número limitado de cópias. Ao contrário do design criado pela Bauhaus, na Art Déco não há exigência de funcionalidade. A Art Déco pode ser visto como uma tentativa de modernizar a Art Nouveau. </li></ul>
  16. 19. De Stijl e Bauhaus <ul><li>Devido à influência dos textos da revista, que muitas vezes assumiam um aspecto de manifesto, o próprio movimento neoplástico (e mais tarde, o Elementarismo) é confundido com o nome da revista. </li></ul><ul><li>Também costuma-se chamar o seu grupo criador pelo título da publicação. </li></ul>A revista &quot;De Stijl&quot; foi uma publicação iniciada em 1917 por Theo van Doesburg e alguns colegas que viriam a compor o movimento artístico conhecido por Neoplasticismo, movimento estético que teve profunda influência sobre o design e artes plásticas.
  17. 20. <ul><li>Ao injetar sólido embasamento teórico em suas obras – pinturas, construções, esculturas, entre outros – os Neoplasticistas radicalizaram e renovaram a arte moderna. </li></ul><ul><li>Os ecos do modo neoplástico de encarar a arte são sentidos até os dias de hoje em inúmeras áreas. </li></ul><ul><li>No campo da pintura, Mondrian permanece na panteão dos grandes pintores do século XX, influenciando múltiplas gerações e correntes abstratas contemporâneas </li></ul>
  18. 21. <ul><li>A Bauhaus foi uma das maiores e mais importantes expressões do que é chamado Modernismo no design e na arquitetura, sendo uma das primeiras escolas de design do mundo. </li></ul><ul><li>A escola foi fundada por Walter Gropius em 25 de abril de 1919, a partir da reunião da Escola do Grão-Duque para Artes Plásticas com a Kunstgewerberschule. </li></ul><ul><li>A maior parte dos trabalhos feitos pelos alunos nas aulas-oficina foi vendida durante a Segunda Guerra Mundial. </li></ul><ul><li>A intenção primária era fazer da Bauhaus uma escola combinada de arquitetura, artesanato, e uma academia de artes, e isso acabou sendo a base de muitos conflitos internos e externos que se passaram ali. </li></ul>A Staatliches-Bauhaus (literalmente, casa estatal de construção, mais conhecida simplesmente por Bauhaus) foi uma escola de design, artes plásticas e arquitetura de vanguarda que funcionou entre 1919 e 1933 na Alemanha.
  19. 22. Dias atuais <ul><li>A partir de 1933 encontra-se a evolução de novas formas; </li></ul><ul><li>1960 surge o movimento Saudosista, onde se remete ao Art Noveau e, futuramente Art Déco; </li></ul><ul><li>Novas formas e contextos devido as novas mídias. </li></ul>
  20. 23. Áreas do Design <ul><li>Design editorial [revista, livros, capas, afins]; </li></ul><ul><li>Editoração eletrônica [diagramação]; </li></ul><ul><li>Design Publicitário; </li></ul><ul><li>Design em Multimídia [telas para interface multimídia]; </li></ul><ul><li>Programação visual [logotipos, marcas, fachadas, sinalizações, afins]; </li></ul><ul><li>Design Industrial [design de produtos/programação visual]; </li></ul><ul><li>Design de moda ou estilista; </li></ul><ul><li>Vídeo Design [vinhetas]; </li></ul><ul><li>Web Design [interface de internet]. </li></ul>
  21. 24. Design, Propaganda e Mercado Editorial <ul><li>Com a evolução do processo gráfico houve uma acentuada evolução na Propaganda e no Mercado Editorial que contribuiu diretamente para a evolução do Design Gráfico. </li></ul><ul><li>Até a metade do sec. XX embalagens, anúncios em revistas, jornais, panfletos e folders, toda comunicação visual sofreu várias e rápidas transformações, isso devido a necessidade de acompanhar os avanços tecnológicos. </li></ul>
  22. 25. Bibliografia CONTIJO, Silvana. O Mundo em Comunicação . Rio de Janeiro: Aeroplano, 2001. 300p. RABAÇA, Carlos Alberto e BARBOSA, Gustavo Guimarães. Dicionário de Comunicação . 2ª Ed. ver. atual. Rio de Janeiro: Elsevier, 2001- 3ª Reimpressão. 792p. RUIZ, Renata. Planejamento Gráfico/ Mídias Digitais: Apoio para as disciplinas de Planejamento Gráfico e Mídias Digitais. Campinas: FACCAMP. Disponível em: <http://profarenataruiz.wordpress.com/>. Acesso em: 21 jul. 2011. WILLIAMS, Robin. Design para Quem Não é Designer. 2ª Ed.. São Paulo: Editora Callis, 2005, 191p.

×