Manannan mac llir

202 visualizações

Publicada em

Manannan Mac Llir, Deus Celta do Oceano, Grande Navegador.Palestra apresentada na edição nacional do Esp- Encontro Social Pagão do Projeto Gaia Paganus em 13 de setembro de 2015- Quinta da Boa Vista- RJ

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
202
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manannan mac llir

  1. 1. Manannan Mac Llir Deus Celta Filho do Oceano – O Grande Navegador Por Luciana Cavalcanti
  2. 2. Texto base da palestra apresentada no XV Encontro Social Pagão- Esp®Brasil no RJ 13 de setembro de 2015 Manannan Mac Llyr é o Deus do Oceano. “Mac LLyr” significa literalmente “filho do oceano”, Manannan destacou-se em seus feitos e aventuras muito mais que seu pai (O Oceano), que por fim serve mais de cenário. Mas Ele não reina em suas profundezas e sim nas superfícies como O Grande Navegador, controlador das marés, da tempestade, e Dos portais entre esse e o Outro Mundo. Governa O sidh de Emain Ablach, a Planície das Macieiras em Tir Tairnigir (Terra da Promessa). Manannan é cultuado em todas as terras gaélicas e dá nome a Ilha de Man, o atual símbolo da bandeira desse país é associado a Manannan.Dizem, que ele era capaz de esconder a ilha em névoa pra protegê-la dos invasores. Em momento do Solstício de Verão, os manceses pagam o tributo, de arremessar feixes de junco ao mar, para terem a proteção de Manannan, por mais um ano. No feriado nacional de Man, o Tynwald Day, o parlamento se reúne ao ar livre com seu povo Bandeira da Ilha de Man, cujo símbolo seria referencia à Manannan (agilidade em céu e mar?) •
  3. 3. Manannan é o deus com mais ferramentas e adereços conhecidos: navega pelos oceanos em sua barca branca, a Varre-Ondas, de aparência bem simples, mas que não precisa de remos pra ser guiada, ia sozinho pra onde você desejasse. Quando aporta, Manannan monta seu corcel Énbarr (Crina Esplêndida), mais veloz que qualquer outro animal divino. Seu cavalo também flutua sobre o mar. E nenhum animal é mais rápido que ele seja sobre mar ou terra. É possuidor de um armamento invejável que eventualmente empresta à Lugh, em algumas versões ao herói Cuchulain e a Naoise (de Deirdre): Duas lanças uma curta e uma longa chamada “Dardo Amarelo” e “Azagaia Vermelha”. Possui uma couraça invulnerável, ou cota de malha impenetráveis. e uma espada, A Que Responde Rápido, que mata com um só golpe, e duas outras espadas, chamadas Grande Fúria e Pequena Fúria. Seu manto, que concedeu a toda a Tuatha, o Feth Fiada, o torna invisível. A Irlanda não tinha estradas até que suas três vacas coloridas caminharam pela ilha criando todos os caminhos. Manannan carrega uma bolsa de ervas que cura qualquer ferimento e possui um caldeirão da imortalidade. Possui um capacete flamejante, reluzente, cabelos brancos, uma carruagem (ou seu próprio barco) que voa e navega, é mantenedor do Poço do Conhecimento.
  4. 4. No banquete dos deuses, ou banquete das Eras, ou ainda o banquete de Goibniu, enquanto este serve a cerveja da imortalidade (Fleagh Goibhneann) Manannan faz um porco assado, ele é servido, consumido e ressurge assim que acaba de ser consumido. Esse banquete livrou os deuses de qualquer doença ou velhice. Em Man é casado com Fand, a Pérola da Beleza, de quem pouco se sabe, em Gales é casado com Rhiannon, deusa equína, Senhora dos Cavalos e Pássaros encantados.(é seu segundo marido) Na Ilha de Man é saudado como Senhor e Protetor do povo. Uma lenda mancesa diz que Manannan criava a ilusão de vários exércitos na praia cada vez que piratas tentavam se aproximar, outros, porém, contam que Ele lançava ao redor da ilha uma grande bruma mágica para que os invasores ficassem impossibilitados de aportarem em suas encostas. O tributo pago pelo povo de Man a essa divindade era (e ainda é) a de um punhado de grama do prado anualmente e assim viviam um ano de paz e tranqüilidade. Lá ainda nos dias de hoje, perto do Castelo de Peel, encontramos a enorme colina chamada de Castelo de Manannan, de cujo topo, em dias claros, pode-se ver a Inglaterra, Escócia, a Irlanda e o País de Gales
  5. 5. , Aparece frequentemente na mitologia irlandesa entre os Tuatha Dé Dannan, mas não é um deles. Manannan foi um Rei entre a Tuatha e sendo o Senhor dos Portais e das Passagens, foi o responsável pela distribuição de reinos do Outro Mundo (Sidhe) entre os Deuses, segundo o folclore irlandês, quando Eles deixaram a ilha. Em sua barca branca, Manannan leva as almas dos falecidos para seu descanso nas ilhas da Terra da Juventude, e é nela que o espírito de nossos entes queridos vem nos visitar na noite do Samhain. Manannan possui forte ligação com o mundo das fadas. Sua filha, Niamh dos Cabelos Dourados, é tida como fada no folclore irlandês e foi ela quem seduziu o herói Oisin para Tir na nÒg – Terra da Juventude –onde ele passou trezentos anos. Outros filhos conhecidos de Manannan são Gaiar (Becuma), Mongan, Ilbhreach de Sidh Eas Aedha Ruaidh, Cliodna das Nove Ondas, Eachdond Mor, Curcog (a de cabelo espesso, criada por Aengus). Os feitos de Manannan podem ser vistos em muitos contos tradicionais, onde percebemos sua nobreza, generosidade, humor peculiar e impetuosidade. Barco de ouro ritualístico, possivelmente ofertado à Manannan
  6. 6. . O dia tradicionalmente dedicado a Manannan é o dia do Solstício de Verão, porém devido a sua função de levar as almas para o outros mundo, em orações tradicionais, creio que ele pode ser associado ao Samhain, mas essa é uma associação pessoal. Em Gales Llyr se casou com Penardun e Iweridd. Manawydan Ap Llyr é filho de Llyr com Penardun, filha de Don.Penardum tem dois outros filhos de primeiro casamento: Nissyen (amante da paz e entendimento) e Evnissyen (provocador de discórdia). Por parte pai, Manawydan é irmão de Bran e Branwen. Manawydan é associado ao mar, porém aparece destacado com um mestre de artes utilitárias e magia, generoso com os amigos e impetuoso com os inimigos. Uma tríade conta que ele construiu a fortaleza de osso Oeth e Anoeth1,ela tinha forma de colméia, e era feita de ossos humanos em argamassa em forma de labirinto, nesse lugar horripilante ele emparedava quem tentava invadir seus domínios As bênçãos de Manannan são necessárias a todos que busquem os caminhos da magia, pois esse caminho não encontra limites entre o mundo físico e espiritual. Manannan é o Que Possui Todas as Chaves, Que Abre Todas As Portas, quem mostra todos os caminhos, quem conecta os mundos. Além e obviamente ser o Deus de todos que se sentem atraídos pelo mar, lagos, lagoas e pela névoa. 1Manuscritos Iolo, estância 18 de The Stanzas of the Achievements, compostas pelo Bardo da Cátedra Azul.
  7. 7. Recadinho Esse texto não foi escrito com intenção de ter rigor científico. (bad recon bad rsrs).Ele pretendeu somente trazer um resumo de informações básicas acerca de Manannan em uma rápida palestra feita em encontro de paganismo: o Esp®-Brasil Encontro Social Pagão , que tem como característica a informalidade. (meu agradecimento à Hellenah Friggah Leão pelo convite e parabéns pelos 15 anos do brilhante Projeto Gaia Paganus) . Espero ser o suficiente para despertar a curiosidade de quem não o conhece e ao menos não entendiar quem já. Juro que não inventei nada, rsrs mas não me preocupei em fazer citações normativamente. Sou reconstrucionista, mas não é bom esperar isso de mim. Seguem as fontes utilizadas nessa bricolagem, que certamente trarão outras informações aos curiosos. • Boa jornada! Luciana Cavalcanti
  8. 8. Fontes Textos: Manannan Dawn O'Laoghaire Four Manannans Margareth Dobbs Vídeo: Gaol Naofa: pagando aluguel no solstício e verão Livros: Celtic Heritage Alwyn e Brindley Rees Mitos e Lendas Celtas Charles Squire Manuscritos medievais/ contos tradicionais: Copo de Ouro de Cormac Lebor Gaballa Erenn Nutrição na Casa das Duas Tigelas A Viagem de Bran disponível em português www.correnterj.blogspot.com.br Branwen a Filha de Llyr (Mabinogion) Foto: Luciana Cavalcanti - Praião de Barra de São João RJ SET 2015

×