Aula avaliacao

36 visualizações

Publicada em

material para discutir avaliação e organização de provas

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
36
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula avaliacao

  1. 1. material organizado por Profa. Lucia Giraffa giraffa@pucrs.br
  2. 2. Formação do Professor • Teórico-cientifica (área de atuação/conhecimento) PROFISSIONAL • Educação (sempre inserida num contexto social) • Filosófica • Sociológica • Histórica • Pedagógica
  3. 3. O que preciso para poder ensinar? • Concepção acerca do que é Educação (não é apenas citar autores e blá..blá..blá...é ter uma “teoria” (crenças) relacionada à aprendizagem (como você acredita que as pessoas aprendem ou podem aprender...) • Lembrar de como você aprendeu o conteúdo que irá ministrar...suas dificuldades, estratégias que criou, problemas que teve com a metodologia usada, criticas que costumava fazer,.... • Ensinar é uma profissão! Logo... Não é para “amadores” • Posso saber muito do meu “campo” de atuação, posso ser um ótimo profissional...mas preciso aprender a ser professor....
  4. 4. Bases teórico-cientificas DIDATICA prática docente O que eu devo fazer? Como eu devo fazer? Explica as relações e ligações entre ensino e aprendizagem
  5. 5. PROCESSO de ensino
  6. 6. Avaliação: processo continuo que deve ocorrer nos mais diferentes momentos do trabalho (Libâneo, 1999,p.225) Função principal: determinar o quanto e em que nível de qualidade estão sendo atingidos os objetivos proposto Avaliaçãoprocedimentos instrumentos
  7. 7. Procedimentos: • Revisão de conteúdos trabalhados • Tarefas de casa (tema) • Testes breves • Dissertações curtas • Discussão • Estudos dirigidos • Sondagem • Acompanhamento • ....
  8. 8. Instrumentos
  9. 9. Prova Escrita Dissertativa Verificar o desenvolvimento de habilidades X,Y,Z,.... Exemplo: raciocínio logico, organização das ideias, clareza da expressão, originalidade, capacidade de fazer relações entre fatos e ideias/coisas, aplicação de conhecimento Dica: Taxonomia de Bloom para entender e auxiliar na organização das avaliações (e também das aulas...) Pode avaliar, também, atitudes, hábitos de organização do pensamento, caligrafia, ordem limpeza,...
  10. 10. Prova Escrita Dissertativa • Menos precisão nas respostas (compreender precisão neste contexto...) • Mais difícil de corrigir • Suscetível a subjetividade • Parece ser “mais fácil” de organizar (professor)
  11. 11. Prova Escrita Dissertativa: como corrigir? • Fazer uma lista de conhecimentos e habilidades associadas aos objetivos; selecionar o que será pedido na prova e cuidar o TEMPO!!!! • Guia de correção indicando o que deve ser considerado para total de pontos de cada questão e pontuação parcial • Cada questão deve ter peso especifico e bem visível (usar como base 1 a 10), provas “ponderadas” costuma confundir estudantes...) • Corrigir pergunta por pergunta e não prova por prova. Ler tudo e depois atribuir grau. • Criar categorias de controle tipo boas, suficientes e insuficientes. Isto facilita atribuir notas as provas.
  12. 12. Prova escrita com questões objetivas Avaliam a extensão de conhecimentos e habilidades. Possibilitam maior numero de questões e abrangem mais matéria (conteúdo). abrangência
  13. 13. Prova escrita com questões objetivas Possibilitam: • Respostas precisas • Controle de inferências de fatores subjetivos • Correção mais rápida Cuidados: • Uso de técnicas de elaboração de questões • Digitação mais elaborada • Fatores de improvisação (“chute”) que pode marcar as resposta e causar imprecisão
  14. 14. Tipos de questões objetivas Certo/errado (V ou F) • Alternativas devem conter apenas uma afirmação • A firmação deve conter uma ideia clara (ainda que seja a alternativa errada) • Evitar “palavreado” confuso –prolixa • Todas opções formuladas na forma afirmativa (até para a alternativa errada) • Cuidar para não retirar afirmações do contexto • Evitar termos do tipo: todos, nunca , sempre... Indicam F • Evitar termos do tipo: geralmente, algumas vezes, quase sempre... Indicam V
  15. 15. Tipos de questões objetivas Lacunas (completar) São aquelas questões onde é solicitado preencher um espaço vazio no enunciado da questão, fórmula, código,.... Cuidados: • A lacuna não deve aparecer no inicio da frase em questões textuais. • Os espaços a serem preenchidos não devem ser adjetivos, preposições, conjunções (exceto provas de gramática)
  16. 16. Tipos de questões objetivas Questões de Correspondência São aquelas tipo “numere a coluna B de acordo com a coluna A” Cuidados: • Numero de itens a numerar deve ser maior que os itens numerados. Ex.: “numere a coluna B de acordo com a coluna A” neste caso o numero de itens de A tem de ser MENOR que o numero de itens de B • Tem de existir respostas para todos itens da coluna A • Evitar colocar na coluna B respostas com palavras que em uma opção aparece no plural e na outra aparece no singular, colocar ora substantivos e depois adjetivos para tratar da mesma coisa...ou seja...evitar confundir o estudante! • Cuidar o “tamanho” da coluna para não ficar difícil de ler
  17. 17. Tipos de questões objetivas Questões de múltipla escolha São aquelas cuja estrutura possui uma pergunta e um conjunto de alternativas. O que varia é a quantidade de respostas válidas. Tipos: • escolha simples: apenas uma alternativa é correta • escolha múltipla: há mais de uma alternativa correta Cuidados: • Cada questão deve ter de 3 a 5 alternativas • Muda, em cada questão, a posição da alternativa que contém a reposta correta (simples). Evite padrões que facilitem o “chute! • Evitar “todas alternativas corretas” • Evitar “todas alternativas incorretas” • Procura observar a redação das alternativas de maneira a ficarem semelhantes em tamanho, evitando destaque de uma em função das outras • Evitar usar palavras-chave usadas no enunciado da questão naquela alternativa que possui a resposta correta
  18. 18. Tipos de questões objetivas Questões de evocação (respostas curtas) Tipos: • interpretação de texto • ordenação: apresenta uma série de dados/informações fora de ordem e o estudante tem de ordenar na sequência correta • Identificação: identificar partes de um texto/objeto/esquema..., localizar itens específicos, pintar uma parte do desenho, sublinhar um pedaço de código, ...
  19. 19. Avaliação é “medida”...ponto de “parada” para ver como está indo o processo. Para o professor: • Será que minhas estratégias, metodologias estão funcionando? • Meus estudantes estão aprendendo como eu esperava? • O que devo “revisitar”? • ... Para o estudante: • Será que minhas estratégias para estudar estão funcionando? • Será que o tempo dedicado aos estudos está sendo suficiente? “Só tem dúvidas quem estuda”
  20. 20. Avaliaçãonão é ...
  21. 21. Reflexões Finais... • A extensão da prova varia com sua finalidade • Deixar claro o tempo de duração (usar o quadro para anotar horários inicio e o de fim) • Registrar a presença dos estudantes que fazem a prova na “ata de prova“ (documento legal e importante) • Fornecer instruções claras e seguras, por exemplo: • Uso de lápis ou apenas caneta ...ou ambos • Pode resolver “fora da ordem” ou não • Uso de folhas suplementares (sim ou não), pode ser qualquer uma? Ou somente material fornecido pelo professor? • Consulta ou sem consulta a materiais adicionais?! • Situação dos dispositivos móveis – telefones, smartphones, tablets,... (sim ou não) • padronização de formatos (ex.: em caso e prova de programação possibilidade de simplificar notações “repetitivas” ,... • Auxiliar os estudantes a se organizarem lendo a prova junto com eles antes da prova começar • Estipular período após a leitura para dúvidas gerais e... Lembrar: • Cabe ao professor decidir se deseja ofertar direito a perguntas (?) durante a prova ou não (cuidar a “dispersão”...)
  22. 22. Questão “polêmica” : Devolvo a prova para o estudante ou apenas mostro e recolho? No mínimo a prova deve ser mostrada para o estudante a fim dele/dela poder: • ver a correção a ela atribuída • Ter oportunidade de ver os erros cometidos • Conferir se a pontuação atribuída está adequada ao valor explicitado na questão (podemos falhar... somar errado, esquecer de contar os pontos de uma questão, esquecer de corrigir uma questão, atribuir valor maior ou menor do que a questão vale ...)
  23. 23. Questão “polêmica” (2) Devolvo a prova para o estudante ou apenas mostro e recolho? Se devolver a porta para os estudantes observar as seguintes dicas: • Distribuir as provas e posicionar-se perto da porta onde é a saída da aula. Utilizar uma classe/mesa onde possa colocar a ata e eventual material devolvido pelos estudantes • Solicitar àqueles que concordam com a nota atribuída que assinem a “ata de devolução de prova” onde deve existir um cabeçalho com algo parecido com este texto: • Eu abaixo assinado recebi minha prova ...< um, dois, etc> ... e conferi a correção realizada e concordo com a nota atribuída. Fiquei com a prova em meu poder. • àqueles que possuem dúvidas formar uma fila e atendê-los “um a um” . Coisa pequena tipo erro de soma... Altera na hora! (anota na ata de prova e depois atualiza no sistema de avaliação). Demais anotar num papel e anexar na prova , avaliar e depois retornar aos estudantes
  24. 24. Algumas lições aprendidas... (1) • Elaborar a prova mais perto da sua aplicação. Ou pelo menos revisá-la mais perto para ter certeza de que os conteúdos “cobrados” foram devidamente trabalhados em aula • “cobrar” o que é importante e foi bem trabalhado em aula ou solicitado em atividades extraclasse. Evitar cobrar detalhes poucos significativos ou aqueles que foram “ligeiramente” mencionados em aula ou em atividades extraclasse • Evitar o “pega ratão” ...cobrar detalhes que passam desapercebidos ou não foram enfatizados em aula ou nos trabalhos como significativos
  25. 25. Algumas lições aprendidas... (2) • Evitar “cobrar” conteúdo visto “na véspera da prova” sem a devida prática e reflexão • Evitar fazer provas longas. Provas com muitas questões e algumas valendo fração de um ponto!! Será que precisa? • Atenção é diferente de ter vários itens e cada um valer frações de ponto.... • Lembrar que foi você que organizou a prova. Você é o professor (a) e “domina” a matéria...você criou ou adaptou a questão...logo: • Você fará mais rápido que o estudante a solução • Realize a prova e controle o tempo no relógio. Depois multiplique por 5 (minha experiência ... sua pode variar) . Compare o tempo que seus estudante tem para realizar a prova...e aí?...o que descobriu? Reflita....
  26. 26. Algumas lições aprendidas... (3) • Faça uma espécie de “gabarito” que lhe auxiliará a correção. E faça isto ANTES de aplicar a prova. Outra medida para saber se a prova está boa, balanceada ou tendenciosa, grande...etc • Legal disponibilizar este material para os estudantes logo após a prova. Ajuda a pensar como eles resolveram e depois facilita a entrega e diminui as reclamações • Se você usar uma plataforma virtual. Disponibilize no ambiente. Programe para aparecer uma hora depois da conclusão da prova • Incentive os estudantes a fazer o download e estudar. Ainda terão bem “quentinho” na memória a solução que criaram ... • Estes cuidados costumam deixar os estudantes mais tranquilos e facilitam a devolução da prova e a comunicação entre a partes • Busque sempre manter o clima favorável na aula ... Evite tensões causadas por avaliações.
  27. 27. Algumas lições aprendidas... (4) • Incentive os estudantes a fazerem uma prova organizada e evitar muitas rasuras que vão atrapalhar a correção • Mas lembre-se: eles já vem com bagagem! • Será difícil mudar hábitos em curto tempo • Não saia reclamando antes de analisar a prova do aluno ... alguns gostam de copiar a questão e depois resolver...outros fazem esquemas, outros sublinham palavras...outros decompõem o texto...enfim cada um deles já vem com uma estratégia de ação para melhor (ou pior) resolver a prova • Não queria que os estudantes se comportem como você deseja: respeite • Não confunda respeitar o estudante nas suas escolha ...com permissividade e falta de limite
  28. 28. Para poder cobrar ... Tem de dar exemplo! • Se cumpre prazo na entrega das atividades. .. Cobre prazo deles! (pode eventualmente ocorrer imprevistos. Mas atrasos não podem ser padrões por parte do docente) • Não podem fazer uma prova sem ter a nota da avaliação anterior!!! Se avaliar é processo não tem sentido fazer a 2ª prova sem saber a nota da 1ª...e assim por diante ... ainda mais em disciplinas onde conteúdo é encadeado ... sempre cumulativo... • Super ruim: aplicar as provas do semestre e só devolver no final!!!! Avaliar parcialmente para quê?
  29. 29. Avaliação é “hard work” !!!!!
  30. 30. Fonte Consultada para organização desta aula: LIBÂNEO, José Carlos. Didática. Cortez, 1999. 2ª edição Usado o capítulo 9 – Avaliação Escolar A partir da leitura deste capítulo organizei os tipos de avaliações observações relacionadas aos tipos de questões. Os comentários relacionado às lições aprendidas, dicas e demais ponderações são de minha responsabilidade. São oriundas da experiência e da vivencia na docência de mais de 30 anos no ensino superior, e 11 de educação fundamental. Ou seja....siga se achar que vale a pena ou fizer sentido!
  31. 31. Dicas para leitura acerca da organização de provas e questões: GRILLO, Marlene Correro; GESSINGER, Rosana Maria; DE FREITAS, Ana Lúcia Souza. Por que falar ainda em avaliação?. EDIPUCRS, 2010. GRILLO, Marlene Correro; DO ROSÁRIO LIMA, Valderez Marina. A aula universitária como espaço de parceria. A gestão da aula universitária na PUCRS, p. 53. GRILLO, Marlene Correro; DO ROSÁRIO LIMA, Valderez Marina. Dimensões conceituais e operacionais da avaliação. A gestão da aula universitária na PUCRS, p. 67, 2008. DE FREITAS, Ana Lúcia Souza et al. Capacitação Docente. Coloquem estas citações no Google Academico e obterão os pdf de forma gratuita e legal. Outra dica: MEDEIROS, Ethel Bauzer. Provas objetivas: técnicas de construção. Editora da Fundação Getulio Vargas, 1975.
  32. 32. material organizado por Profa. Lucia Giraffa giraffa@pucrs.br

×