UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA
Faculdade de Ciências e Tecnologia
3º ano Engenharia e Gestão da Qualidade
Segurança II
Traba...
SUMÁRIO
—  Introdução
—  Tendências no emprego feminino e o seu impacto na SST
—  Alguns dados estatísticos
—  Acident...
Introdução
—  Em 2003, a Agência Europeia fez uma pesquisa acerca de
algumas questões de géneros (feminino e masculino) n...
Introdução (cont.)
—  Uma pesquisa da Comissão Europeia mostra que em 1995, as mulheres
representavam próximo ou acima da...
Tendências no emprego feminino e o
seu impacto na SST
O aumento dramático nas taxas de participação na força de trabalho d...
Tendências no emprego feminino e
o seu impacto na SST (cont.)
Os setores e atividades com uma percentagem elevada de traba...
Alguns Dados Estatísticos
Alguns Dados Estatísticos
Acidentes de trabalho, exposições, problemas
de saúde e doenças profissionais
Um estudo de 2002 do Eurostat constatou que ...
Acidentes de trabalho, exposições, problemas
de saúde E doenças profissionais
(cont.)
A investigação da UE-OSHA no sector ...
O alemão New Quality of work desenvolveu práticas que ajudam os
trabalhadores a movimentarem-se com mais frequência , por ...
A exposição das mulheres a substâncias perigosas continua a
ser largamente inexplorado. Os últimos 20 anos revelam que
tra...
Área Biológico Físico Quimico Psicológico
Saúde
Doenças infeciosas
na corrente
sanguínea,
respiratória, etc
A movimentação...
Área Biológico Físico Quimico Psicológico
lavandarias
Roupa infetada
(hospitais)
Movimentos
repetitivos, altas
temperatura...
A integração do género e SST – alguns exemplos de
sucesso
País Programa Problema
Europa
ETUCE Pesquisa de
Assédio de Profe...
Conclusão
É importante que os riscos SST sejam analisados por géneros e
setor, bem como pela ocupação, avaliando os riscos...
Novos riscos para a sst das mulheres no trabalho
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Novos riscos para a sst das mulheres no trabalho

693 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
693
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Novos riscos para a sst das mulheres no trabalho

  1. 1. UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA Faculdade de Ciências e Tecnologia 3º ano Engenharia e Gestão da Qualidade Segurança II Trabalho realizado por: Diana Cardoso e Luiana Menezes Docente: Lúcia Afonso Novos riscos e medidas de segurança e saúde para mulheres no trabalho
  2. 2. SUMÁRIO —  Introdução —  Tendências no emprego feminino e o seu impacto na SST —  Alguns dados estatísticos —  Acidentes de trabalho, exposições, problemas de saúde e doenças profissionais —  Exposição das mulheres a substâncias infecciosas —  Perigos e riscos encontrados em profissões dominadas pelas mulheres —  A integração do género e exemplos de SST – exemplos —  Conclusão
  3. 3. Introdução —  Em 2003, a Agência Europeia fez uma pesquisa acerca de algumas questões de géneros (feminino e masculino) no trabalho e constatou que a desigualdade dentro e fora do trabalho podem ter efeitos na SST. —  As desigualdades de género no local de trabalho e problemas de equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal, tornaram-se cada vez mais importantes quando as taxas de emprego das mulheres começaram a crescer em todos os Estados-Membros.
  4. 4. Introdução (cont.) —  Uma pesquisa da Comissão Europeia mostra que em 1995, as mulheres representavam próximo ou acima da metade de todos os casos de doenças associadas ao trabalho: ◦  Alergias (45%) ◦  Doenças Infeciosas (61%) ◦  Afeções Neurológicas (55%) e Hepáticas ◦  Afeções Dermatológicas —  A situação não melhorou e além disso para “empregos femininos” (setores de saúde, serviços sociais e hospitalidade), existe uma estagnação das taxas de acidente em alguns países.
  5. 5. Tendências no emprego feminino e o seu impacto na SST O aumento dramático nas taxas de participação na força de trabalho das mulheres entre 1995-2010 foi acompanhado por muitas mudanças sociais, económicas e demográficas. As taxas de emprego das mulheres mais velhas variam consideravelmente entre os Estados-Membros. Em 2011, a maior taxa de emprego das mulheres idosas foi de mais de 55% nos países do norte da Europa e a menor foi em países do sul da Europa, estando todos abaixo de 35%. As mães jovens com crianças pequenas são um grupo particularmente vulnerável, são necessárias medidas específicas para avaliar a sua situação em matéria de SST e desenvolver políticas de prevenção direcionadas. As mulheres mais jovens são mais propensas a trabalhar nos setores de retalho e Horeca, enquanto que as mulheres mais velhas são mais propensas a trabalhar na educação e na saúde.
  6. 6. Tendências no emprego feminino e o seu impacto na SST (cont.) Os setores e atividades com uma percentagem elevada de trabalhadores do sexo feminino, onde o trabalho informal é mais prevalente, são um bom ponto de partida para determinar os riscos e problemas de saúde enfrentados por mulheres que trabalham sem declarar os rendimentos. Os problemas de linguagem, a falta de comunicação e formação no trabalho, as horas de trabalho e a fadiga, foram identificados como possíveis fatores para maiores taxas de acidentes no local de trabalho para as minorias étnicas. As obrigações familiares têm um impacto significativamente maior sobre o emprego das mulheres imigrantes que para as outras cidadãs.
  7. 7. Alguns Dados Estatísticos
  8. 8. Alguns Dados Estatísticos
  9. 9. Acidentes de trabalho, exposições, problemas de saúde e doenças profissionais Um estudo de 2002 do Eurostat constatou que a diferença de taxas de acidentes entre mulheres e homens era menor quando fossem calculados numa base equivalente de tempo integral, porque as mulheres trabalhavam em tempo parcial com mais frequência do que os homens. Se eles também fossem padronizados para as diferentes ocupações, as taxas de incidência seriam quase iguais. Os riscos de saúde ocupacional dos trabalhadores do sexo feminino tendem a relacionar a sua exposição a material físico e riscos ergonómicos, bem como a intimidação e a discriminação no trabalho.
  10. 10. Acidentes de trabalho, exposições, problemas de saúde E doenças profissionais (cont.) A investigação da UE-OSHA no sector dos transportes encontrou uma falta de adaptação física e organizacional nas condições aos trabalhadores do sexo feminino e recomendou que as mudanças fossem implementadas com urgência. Esta investigação mostrou também que o risco de lesões músculo- esqueléticas entre as mulheres pode ser subavaliado, e que doenças específicas ligadas à postura de pé prolongada, sentado e posturas estáticas está a ser posto de parte, mas alguns Estados-Membros elaboraram programas eficazes para combater o trabalho estático em trabalhos de escritório, por exemplo.
  11. 11. O alemão New Quality of work desenvolveu práticas que ajudam os trabalhadores a movimentarem-se com mais frequência , por exemplo: ü Adaptar o trabalho ao trabalhador e não o contrário. ü Tornar o mobiliário mais dinâmico ou seja mais favorável ao movimento, oferecendo soluções dinâmicas, para o movimento frequente, ajudando a manter boas posturas.
  12. 12. A exposição das mulheres a substâncias perigosas continua a ser largamente inexplorado. Os últimos 20 anos revelam que trabalhadores do sexo feminino estão mais frequentemente expostos a substâncias infeciosas tais como: Substância Fonte Circunstância Ocupação, Tarefa Pó, partículas Mercadorias perigosas, como por exemplo fibras têxteis Trabalhadores da industria têxtil; Trabalhadores de lavandarias Produtos cosméticos Arranjar cabelos; assistência ao domicilio e saúde Cabeleireiros, Profissionais de Saúde Desinfetantes Produtos de limpeza, produtos de saúde Empregadas de limpeza; Desinfeção nas áreas da saúde Profissionais de saúde, Empregadas de limpeza. Trabalhadores da manutenção Chumbo e outros metais Fabricação eletrónica de dispositivos; tratamentos dentários Fabrico de próteses dentárias e dispositivos eletrónicos Dentistas
  13. 13. Área Biológico Físico Quimico Psicológico Saúde Doenças infeciosas na corrente sanguínea, respiratória, etc A movimentação manual de cargas e posturas incorretas, exposição a radiações limpeza e esterilização de agentes de desinfeção, medicação, antibióticos e gases Emocionalmente exigente, mudanças de turno, violência de parte dos utentes Enfermagem Doenças infeciosas principalmente respiratória, Movimentação manual, posturas incorretas Trabalho Emocional Limpeza Doenças infeciosas e Dermatites A movimentação manual, posturas incorretas, quedas, mãos molhadas Agentes de limpeza Horários fora do normal, violência, trabalhar em áreas isoladas Produção de comida Doenças infecciosas Movimentos repetitivos Resíduos de pesticidas, materiais para esterilização Stress associado ao trabalho repetitivo Catering e empregada de restaurante Poeiras orgânicas Ruído, movimentos repetitivos Tintas e outros produtos químicos incluindo formaldeído Stress associado ao trabalho repetitivo de linha de montagem Perigos e Riscos encontrados em profissões dominadas por mulheres
  14. 14. Área Biológico Físico Quimico Psicológico lavandarias Roupa infetada (hospitais) Movimentos repetitivos, altas temperaturas Solventes da lavagem a seco Stress associado ao trabalho repetitivo e ritmo acelerado Sector da cerâmica Movimentos repetitivos; movimentação manual Vernizes, chumbo, sílica e poeiras Stress associado ao trabalho repetitivo de linha de montagem Linha de fabrico Movimentos repetitivos (Trabalho de montagem) Produtos químicos utilizados em micro eletrónica Stress associado ao trabalho repetitivo de linha de montagem Call centers Problemas vocais; posturas incorretas, excesso de tempo sentado Ar interior pobre em qualidade Stress associado ao tratamento diário de clientes, trabalho repetitivo Educação Doenças infecciosas (doenças respiratórias sarampo) Muito tempo em pé, problemas vocais Ar interior pobre em qualidade Trabalho emocionalmente exigente, violência Perigos e Riscos encontrados em profissões dominadas por mulheres (cont.)
  15. 15. A integração do género e SST – alguns exemplos de sucesso País Programa Problema Europa ETUCE Pesquisa de Assédio de Professores Explorar as ações dos sindicatos nacionais de professores e estratégias; Reunir boas práticas, revendo o plano de ação sobre violência e assédio nas escolas. Áustria A integração do género, politica do trabalho austríaco Estratégias SST; politica para inspeção de trabalho, formação a inspetores de trabalho. Documentos de orientação relativos a aspetos de género de SST, e inspeção ao local de trabalho sensíveis ao género. França Análise do género da Sumer (em pesquisa realizada de SST) Dimensão do género a exposições no local de trabalho, reclamações, síntese do local de trabalho baseado nas fontes nacionais de monitorização. Espanha Guia para a prevenção de OSH dos riscos de género Descrição da situação das mulheres no trabalho. Visão geral de SST e igualdades relacionadas com legislação e programas relevantes de instituições. Recomendações para proteger a saúde das mulheres no trabalho, incluindo equilíbrio trabalho - vida, integração do género em matéria de SST.
  16. 16. Conclusão É importante que os riscos SST sejam analisados por géneros e setor, bem como pela ocupação, avaliando os riscos para o sexo feminino. No geral a SST deve refletir as necessidades especificas de cada trabalhador. O setor da saúde, cabeleireiros e cosmetologia são setores dominados por mulheres e apresentam taxas elevadas de agentes cancerígenos perigosos no trabalho, são setores que necessitam de maiores cuidados.

×