Insumos Ativos e Inertes

12.272 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.272
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
76
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Insumos Ativos e Inertes

  1. 1. INSUMOS ATIVOS E INERTES Portaria nº 1180 de 9 de agosto de 1997 - obrigatoriedade na forma de lei - permissão de Farmacopéias estrangeiras Homeopathic Pharmacotechnie et monographies des medicaments courantes V.I e v.II; Homoeopathic Pharmacopoeia of India Pharmacopeé Française e Suplements The Homeopathic Pharmacopoeia of the United States and Suplements Conceitos gerais Medicamento Homeopático: apresentação farmacêutica destinada a ser administrada segundo o princípio da semelhança, com finalidade preventiva e terapêutica, obtida pelo método da diluição, seguida de sucussões e/ou triturações sucessivas. Sucussão: agitação vigorosa e ritmada, sobre anteparo semi-rígido, de fármacos sólidos e líquidos, solúveis e dissolvidos em insumo inerte. Trituração: redução do fármaco a partículas menores por ação mecânica em gral de porcelana com lactose como excipiente visando solubilizar, diluir e dinamizar. Dinamização: é a resultante do processo de diluições e sucussões e/ou triturações sucessivas do fármaco, em insumo inerte adequado. Insumo ativo: fármaco que constitui ponto de partida para preparação do medicamento homeopático .
  2. 2. Insumo inerte: substância complementar de qualquer natureza, desprovida de propriedades farmacológicas ou terapêuticas e utilizadas como veículo ou excipiente, bem como os materiais de acondicionamento do medicamento homeopático. Características: devem estar de acordo com os preceitos farmacopéicos quanto a pureza, caracterização etc. Uso interno: água (destilada, bi-destilada, deionizada, por osmose-reversa, estéril). Base para pós medicinais, comprimidos inertes, etanol a 96% e diluições, glicerol e diluições. Glóbulos inertes (nº3, nº5, nº 7), lactose, microglóbulos inertes, sacarose, tabletes inertes). Uso externo : apósitos inertes, bases para linimentos, bases para pomadas, géis, cremes, supositórios.
  3. 3. Materiais de acondicionamento: vidro âmbar: (tipo I, II, III, NP) plástico (branco leitoso de polietileno de alta densidade, polipropileno, policarbonato). papel branco impermeável tampas polietileno ou polipropileno batoques: polietileno ou polipropileno cânulas: vidro, polietileno de alta densidade bulbos: silicone gotejadores: polietileno ou polipropileno.
  4. 4. Formas farmacêuticas: preparação resultante da manipulação de insumos ativos e inertes de acordo com as regras farmacopéicas. Formas farmacêuticas básicas: preparação que constitui ponto de partida para obtenção de formas farmacêuticas derivadas. Formas farmacêuticas básicas sólidas: trituração-mãe Formas farmacêuticas básicas líquidas: tintura-mãe (para fármacos solúveis ou parcialmente solúveis). Formas farmacêuticas derivadas: preparações oriundas da forma farmacêutica básica ou do próprio fármaco obtidas através das desconcentrações por meio de diluição e sucussão e/ou triturações sucessivas. Formas farmacêuticas derivadas de uso interno :  ff líquidas: dose única gotas ou slç hidroalcóolica  ff sólidas: glóbulos pós tabletes comprimidos dose única sólida
  5. 5. Forma farmacêutica de uso externo  ff líquidas: linimentos preparações nasais preparações oftálmicas preparações otológicas  ff sólidas: pós supositórios  ff semi-sólidas: pomadas cremes géis Fármaco farmacotécnica Ff básica farmacotécnica Ff derivada farmacotécnica MÉTODOS DE PREPARO Linimento: É uma preparação farmacêutica líquida ou semi-líquida, que contém em sua composição insumos ativos dissolvidos em óleos, soluções hidroalcoólicas ou emulsões . Nestes casos, o insumo inerte pode ser óleos, bases emulsionáveis não tóxicas ou solução hidroalcoólica.

×