Planificação sistematizada III<br />Escola: Escola Secundária de Estarreja  Ano/Turma: 12º C<br />Grupo 3: André Rodrigues...
Planificação sistematizada 3
Planificação sistematizada 3
Planificação sistematizada 3
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Planificação sistematizada 3

457 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
457
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Planificação sistematizada 3

  1. 1. Planificação sistematizada III<br />Escola: Escola Secundária de Estarreja Ano/Turma: 12º C<br />Grupo 3: André Rodrigues, Gabriel Pinho, João Torres e Tiago Valente<br />TemaDistribuição de Quercus robur (Carvalho) e de Quercus suber (sobreiro) no concelho de Estarreja.SubtemasA irregular distribuição entre Carvalhos e sobreiros em Estarreja.Factores bióticos e abióticos que actuam em diferentes zonas do concelho.Comparação entre o nº de indivíduos e respectivo desenvolvimento das espécies Quercus robur e Quercus suber.<br />Questões-problema/hipóteses:<br />Como se distribuem os Carvalhos e os sobreiros em Estarreja Norte, Centro e Sul?<br />Distribuem-se de uma forma desigual. Há um maior número de carvalhos do que sobreiros em Estarreja.<br />Porque será a distribuição de Carvalhos e sobreiros desigual?<br />É desigual porque Estarreja está numa zona de limites entre duas zonas botânicas, relacionadas com os climas que as influenciam. A espécie Quercus robur é característica da zona botânica influenciada pelo Atlântico e a espécie Quercus suber é característica da zona botânica influenciada pelo Mediterrâneo. O clima temperado do Atlântico tem mais influência em Estarreja do que o mediterrâneo logo, existem mais carvalhos do que sobreiros.<br /> <br /> Quais são os factores que influenciam essa distribuição?<br />Os factores que podem influenciar o crescimento e desenvolvimento de indivíduos da espécie Quercus robur e Quercus suber nas diferentes zonas referidas no concelho de Estarreja são: temperatura, humidade relativa, solo, vento (importante na dispersão de sementes), pH, a luz incidente, a chuva, o parasitismo, a competição e a predação. Os factores abióticos estão ligados às condições climáticas que se sobrepõem em Estarreja.<br />O Norte do concelho tem maior ou menor abundância de carvalhos que o sul? <br />Provavelmente a Norte há maior abundância de carvalhos.<br />Onde há maior predominância de sobreiros?<br />Provavelmente a Sul.<br />Objectivos:<br />Planificar uma investigação científica que nos permita dar resposta às nossas questões-problema e outras questões que se nos puseram.<br />Recolher informações teóricas sobre a espécie Quercus robur e sobre a espécie Quercus suber.<br />Fazer trabalho de campo com o intuito de fazer o reconhecimento de áreas especificas que serão objecto de estudo.<br />Pôr o plano de investigação em prática.<br />Estudar o número de indivíduos de uma população das espécies escolhida em diferentes zonas de Estarreja, sendo a área de estudo bem definida e significativa.<br />Elaborar os juízos cognitivos da investigação.<br />Apresentar aos colegas e professor os resultados do nosso estudo.<br />-984885375920Produtos finais:<br />centercenter<br />RecursosInternosExternosMáquina fotográfica digitalLivrosComputadores com InternetProfessorCordéisMeios de transporteFitas métricasInformações na WebMicrosoft Office 2007<br />Organização do trabalho de grupo:<br />Qualquer pessoa no grupo deve poder substituir outra, caso algum percalço possa vir a acontecer.<br />É responsável pela elaboração de actas o secretário, que será nomeado a cada aula.<br />Cada elemento do grupo é responsável pela elaboração do relatório de aula, individualmente.<br />Cada elemento do grupo será responsável pela recolha de informação numa ou em duas áreas (caso sejam escolhidas mais do que quatro áreas de estudo), estando este responsável, caso algo lhe possa acontecer, de transmitir as informações por ele recolhidas a um colega de grupo.<br />Cabe a cada um dos elementos do grupo fazer o tratamento dos dados por ele recolhidos para que, no final, se possam juntar todos os dados e depois, em conjunto, retirar conclusões a partir dos mesmos.<br />Todos os elementos do grupo participarão no desenvolvimento da apresentação final.<br />Possíveis obstáculos:<br />Como o nosso projecto está profundamente embutido em questões naturais e o ser humano não consegue controlar a natureza, poderão haver alguns percalços que podem afectar o desenvolvimento do projecto. Como tal, é necessário que haja um plano de contingência, caso algo venha a acontecer.<br />Deve-se iniciar a recolha do número de indivíduos de Quercus robur o mais rapidamente possível, visto que são árvores de folha caduca. Como o nosso grupo faz recolha das folhas para análise de comprimentos, entre outros aspectos, é necessário não atrasar esse começo. No entanto, é possível recolher as folhas que se encontram caídas no solo.<br />Todos os elementos do grupo devem estar profundamente envolvidos em todo o projecto e deverão ser capazes de substituir qualquer elemento do grupo que esteja a faltar.<br />O trabalho deve ser elaborado conforme a calendarização (Anexo I) definida pelo grupo.<br />O projecto dever ser concluído com antecedência para que possa ser revisto integralmente, com tempo e calma, antes de ser apresentado.<br />

×