Boas maneiras 3

875 visualizações

Publicada em

Manual de boas maneiras no mar numero 3, edição revisada

Publicada em: Esportes
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Boas maneiras 3

  1. 1. Boas maneiras com o meio ambientePrezados amigos, nautas e amantes da vela de plantão, na terceira edição da nossa colunafalaremos sobre as boas maneiras com o meio ambiente, e como praticantes do esporte dito decavalheiros devemos seguir a etiqueta ambiental, pois de nada adianta respeitarmos osnavegantes, termos bons modos nos locais de atracação, conhecermos as normas e os bonsmodos do navegadores , mas deixarmos o meio ambiente em segundo plano.Iniciando nossa pauta, reproduzimos abaixo algumas dicas para preservar nosso meio ambienteem um aspecto macro, elas são de uma campanha do Green Peace chamada “Entre nessaonda “ , e tem como objetivo informar como melhorar a preservação do meio ambiente, as dicas parecem óbvias , mas costumo dizer que no óbvio é que mora o perigo, e nos detalhes ele secria, portanto não custa nada tomar nota da cartilha do Green Peace para começarmos nossaprosa.1- Pratique o turismo sustentável nas áreas marinhas e costeiras.2- Não deixe lixo nas praias.3- Não construa ilegalmente em áreas costeiras.4 - Economize energia e incentive uma matriz energética limpa.5 - Coma apenas espécies que não estão ameaçadas.6 - Quando presenciar atividades ilegais nos mares, denuncie.7- Não compre artesanatos feitos com animais marinhos - é crime.8 - Participe de campanhas com a caça de baleia e incentive a criação do Santúario de Baleias do atlântico sul.9 - Colabore com o clima do planeta: quanto menos emissões, menor impacto nos oceanos.10 -Cobre do governo uma fiscalização eficiente dos mares nacionais.Pois bem, meus caros navegadores tupiniquins, o assunto é sério de deve ser levado a sério, ecertamente talvez até por falta de informação nós já cometemos pecados terríveis contra a mãenatureza. Mas sem penitências, e com uma postura pró ativa que todo homem do mar encorpa e praticacomo religião e devoção, vamos então aprender um pouco mais sobre as regras internacionais,e como nos comportarmos em relação ao meio ambiente em nossos cruzeiros, regatas e atémesmo quando fundeados ou atracados curtindo a vida com amigos e a com a família a bordo.Regra de ouro: Lugar de lixo é no lixo, principalmente o lixo inorgânico. Todas as marinas estão equipadas com soluções e conteiners para a eliminação de lixo. Nós,portanto, não temos desculpas para jogar nossas garrafas vazias, vidros, embalagens, plásticos,absorventes, latas, restos de comida, nossos ovos ou nossos caroços de azeitona no mar, muito
  2. 2. menos nossas cinzas e guimbas de cigarros, então vamos ver como isto pode ser feito de umaforma educada.Há um antigo ditado que diz : “- o que o peixe come pode ser jogado no mar”.Mas não é bem assim, é uma questão de boas maneiras também.Imagine que existam 50 barcos ancorados em uma enseada ao lado de uma praia paradisíaca etodos resolvam jogar fora o que sobrou do almoço , pode parecer cômico( o peixe come isto!),mas a praia ao lado vai virar uma imundície certo? E até os peixes comerem tudo o local setransformou em um lixão.Então acomode seu lixo orgânico em sacos plásticos bem fechados e acondicione-os em localisolado em seu barco, e assim que chegar a próxima marina desembarque-o , e de preferênciaem um centro de coleta seletiva. Todos os clubes e marinas hoje em dia possuem locais paradescarte de lixo, e você não é tem mais desculpa para não o fazer.Lixo não orgânico então nem se fala, é moleza! Direto para o lixo, acondicionado e ao chegar emterra descartá-lo em locais de coleta seletiva, veja bem : Locais de coleta seletiva. Não custanada e vale muito. Se seu clube ainda não tem coleta seletiva, que tal sugerir aosadministradores que se providenciem! Além de contribuir com o meio ambiente, pode-se gerarrenda.No nosso clube há um fato deveras curioso: Os peixes abatidos na pescarias dos lancheiros sãolevados para serem limpos em bancadas construídas nos piers, e depois de limpos ospescadores jogam as cabeças e as vísceras dos peixes no mar. Nada agradável você chegarcom a família para um passeio e ver aquela porqueira fedorenta boiando no mar, atraindomoscas , propiciando um ambiente insalubre e de péssimo odor.Lugar de lixo é no lixo, a única coisa que não é considerada lixo pela Marpol, é peixe fresco, eem mar aberto o resto é tudo lixo..O resto deve ser acondicionado e levado para terra, caso não seja possível, você deverádescartar o lixo orgânico no mar a uma distância maior que 6 milhas da costa. Mas somente emcasos extremos.O uso dos WCS, e mais complexo. Imagina a cena de 50 barcos com 50 pessoas indo aobanheiro ao mesmo tempo! Uh-lá-lá, e fez-se o salseiro!!!No Brasil os tanques de dejetos ainda não são obrigatórios ( por enquanto), assim sendo vale alei do bom senso. Libere os dejetos somente se não houver banhistas e outros barcos noentorno, caso contrário mantenha o dejeto no vaso e somente dê descarga quando ganhar o maraberto. O mau cheiro é suportável e pode ser enclausurado, basta fecha o banheiro e baixar atampa do vaso, depois de esvaziá-lo basta arejar o ambiente que tudo volta ao normal.As estatísticas têm mostrado que o papel higiênico é reciclado em menos de uma semana. Senão puder evitar de jogá-lo fora, que não o faça em águas costeiras e, especialmente, emancoradouros e enseadas.
  3. 3. Cuidado com papel reciclado: ele é carregado de cloro, e é muito menos biodegradável do que opapel virgem. É a falsa ecologia.Países como a Turquia, possuem leis ultra-rigorosas neste aspecto, e as multas custam muitomais caro que a instalação de um tanque de dejetos.Caso você tenha um tanque, fique atento para a regra de esvaziá-lo somente a mais de 6 milhasda costa.Outro pecado que parece pequeno e é terrivelmente letal a muitas espécies marinhas, é aguimba de cigarro. Para o fumante que ainda não tomou consciência de estar detonando seumeio ambiente mais importante (seu corpo), e insiste em fumar, fica uma dica:Fume somente a sotavento para não incomodar os outros, e coloque as cinzas de seu cigarro ea guimba dele, dentro de uma garrafinha de água com tampa. É fácil: pegue uma garrafinhausada, coloque meio copo de água dentro, e tampe. Quando for fumar use-a como cinzeiro(hermético!), a mãe natureza agradece, e os companheiros de velejo mais ainda, principalmentese você decidir parar de fumar de uma vez por todas.Mantenha seu motor regulado, e evite ficar com ele ligado em locais onde está fundeado ouatracado, a fumaça incomoda e sempre há algum tipo de resíduo a se acumular em locais ondea água não circula normalmente, assim sendo , use os passeios para carregar as suas baterias,desta forma você tem até um motivo a mais para tirar seu barco da poita ou da vaga, e sair maiscom ele para navegar! Ele vai adorar !Use somente detergentes bio-degradáveis, e se possível deixe para lavar a louça ao término dopasseio, nas pias do seu porto/clube/marina, onde há estação de coleta e tratamento de esgoto,caso não seja possível, faça o mais longe possível da costa. Uma dica legal: use a água quenteque sai do cano da refrigeração do motor para fazer a limpeza primária das panelas e pratos, ouaté mesmo os amarre em redinhas e os coloque para mergulhar na sua esteira enquanto vocêveleja, deixe-os lá “tomando banho” por horas a fio, assim quando for usar o detergente eenxaguar a sujeira já estará praticamente toda removida e os resíduos serão otimizados, alemde você ter muito menos trabalho!De pouco em pouco a gente constrói uma cultura positiva para a navegação e para o meioambiente, vamos fazer a nossa parte, e levar a sério estas dicas, pois se bobearmos cometemossacrilégios com o meio ambiente por descuidos primários e banais.Bons ventos a todos!

×