Lingua brasileira de sinais libras aula 1

1.027 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.027
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
45
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lingua brasileira de sinais libras aula 1

  1. 1. Sinais - Libras 2010 Margarida Maria Teles
  2. 2. Hermeson Alves de Menezes Neverton correia da silva Instrutora de Libras Revisora Elizangela Maria de Goes Silva Margarida Maria Teles Teles, Margarida Maria Federal de Sergipe, CESAD, 2010. CDU 81`221.24(81)
  3. 3. Fernando Haddad Carlos Eduardo Bielschowsky Reitor Vice-Reitor Angelo Roberto Antoniolli Chefe de Gabinete Ednalva Freire Caetano Coordenador Geral da UAB/UFS Diretor do CESAD Vice-coordenador da UAB/UFS Vice-diretor do CESAD Clotildes Farias (Diretora) Iara Macedo Reis Daniela Souza Santos Janaina de Oliveira Freitas Diretoria Administrativa e Financeira (Diretor) Sylvia Helena de Almeida Soares Valter Siqueira Alves Djalma Andrade (Coordenadora) Rosemeire Marcedo Costa (Coordenadora) Guilhermina Ramos (Coordenadora) Carlos Alberto Vasconcelos Elizabete Santos Marialves Silva de Souza Giselda Barros Guilherme Borba Gouy Coordenadores de Curso Denis Menezes ( Coordenadores de Tutoria UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE Av. Marechal Rondon, s/n - Jardim Rosa Elze Fone(79) 2105 - 6600 - Fax(79) 2105- 6474 Hermeson Menezes (Coordenador) Arthur Pinto R. S. Almeida Carolina Faccioli dos Santos Cassio Pitter Silva Vasconcelos Edvar Freire Caetano Isabela Pinheiro Ewerton Lucas Barros Oliveira Neverton Correia da Silva Nycolas Menezes Melo
  4. 4. AULA 1 .................................. 07 AULA 2 ................................................................ 15 AULA 3 .............. 23 AULA 4 ..... 35 AULA 5 Estrutura gramatical da LIBRAS........................................................ 51 AULA 6 ...................................................................................... 75 AULA 7 Sintaxe da LIBRAS : verbos e tempos verbais.................................. 83 AULA 8 ........................................................... 97 AULA 9 ................................................ 103 AULA 10 .................................................111
  5. 5. BRASILEIRA DE SINAIS META OBJETIVOS analisar comparativamente as diferentes abordagens educacionais no processo Aula OI!
  6. 6. 8 desenvolver a linguagem oral. tratados como seres primitivos, incompetentes e imperfeitos, castigados pe- muito doentes, para controle social, visando a melhorar ou empobrecer as mas, foi John Beverley (700 d.C.) que ensinou um surdo a falar pela primeira vez, considerado como o primeiro educador de surdos. Segundo Soares (1999) e Moura (2000), a seguir, se encontram descritas
  7. 7. 9 Aula 1ABORDAGENS DEFENSORES Treinamento da Fala (fala/ som) ou oralismo: defende com o objetivo de aproximar do modelo ouvinte. a escrita poderia representar os sons da fala e do pensa- Juan Pablo Bonet (Espanhol. 1579-1629): neiras de ensinar os surdos a ler e a falar por meio do Defensorda leitura labial; com o usode espelhos, desco- e fazia com que a pessoa fosse humana e que o uso da Fundou uma escola de surdos, em Edimburgo (a siderava como um perigo para a sociedade.Foi professor de surdos em Londres e desenvolveu a metodologia
  8. 8. 10 Bimodal: defende o uso da treinamento auditivo, leitura labial e o alfabeto digital, entre outros recursos. que incluia leitura e escrita, treinamento da fala e o alfabeto manual. Thomas Hopkins Gallaudet (Prof. America- no,1837-1917): Era opositor ao oralismo puro, defendia os sinais Hartford para surdos, em abril de 1817. Gallaudet e seu passou a ser Universidade Gallaudet. considerada no desenvolvimento da pessoa surda. Fundouo Instituto Nacional de Surdos-Mudos, em Paris Logo, o oralismo espalhava-se para outros continentes e, em volvimento global dos surdos. No ano de 1960, Willian Stokoe publicou artigos demonstrando que
  9. 9. 11 Aula 1 (LACERDA, 1998). em 1857 do Instituto dos Surdos-Mudos, atualmente denominado INES- Em 1862, Huet deixa o Instituto e em seu lugar assume Dr. Manuel Instituto a ser considerado um asilo de surdo em 1868. Nesse mesmo ano, sores para Surdos. A primeira turma formou-se em 1954, com 52 alunas/ Estados Unidos, a professora de surdos Ivete Vasconcelos retorna ao Brasil
  10. 10. 12 RESUMO Surdos. A Professora Ivete Vasconcelos retorna dos Estados Unidos com abril de 2002, considerada um marco para a comunidade surda brasileira.
  11. 11. 13 Aula 1ATIVIDADES isolamento.) BRASIL. I CAPOVILLA, F. C.; RAPHAEL, W. D. (Org.). Edusp/ MEC, 2001. LACERDA, Cristina B. F. de. . In:_____. Cad. CEDES. 1998, LEIS, DECRETOS E PORTARIAS gov.br/index.php?option=com_ content&view=article&id=12907. Acesso em: 15 set. 2009. O SURDO: Caminhos para uma Nova Iden- tidade. Rio de Janeiro: Revinter. 2000. SOARES, Maria Aparecida Leite. . VILELA, Genivalda Barbosa. .

×