SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Aula
Programada
Biologia
Tema:
O Reino Fungi
Reino Fungi
Reino Fungi
1) Introdução
“Os fungos estão, literalmente em todos os lugares da Terra. O seu impacto ecológico
não pode ser subestimado, pois, junto com as bactérias heterotróficas, são os principais
decompositores da biosfera. Os decompositores são tão necessários à continuidade da
vida quanto os produtores de alimentos.”
Peter H. Raven
Reino Fungi
1) Introdução
Características gerais dos fungos:
 Eucariontes.
 Uni ou pluricelulares.
 Possuem parede celular constituída pelo polissacarídeo quitina.
 Os pluricelulares são formados por células alongadas que formam estruturas
filamentosas chamadas de hifas.
 As hifas se entrelaçam formando o micélio ou o corpo do fungo.
 Heterotróficos e Aclorofilados.
 Possuem o glicogênio como carboidrato de reserva.
 Maioria Saprófitas (alimentam-se de matéria orgânica morta em decomposição).
 Digestão extracorpórea e nutrem-se por absorção(eliminam enzimas digestivas
extracelularmente e absorvem o material digerido).
 Para desenvolverem é necessário haver umidade, pois a água é o veículo de
transporte dos nutrientes digeridos para a célula fúngica.
 Muitos fungos são parasitas de plantas e de animais e podem causar doenças nos
seres humanos.
 Reprodução: Assexuada e Sexuada.
 Habitat: Ambientes terrestres úmidos, sombreados e também aquáticos.
Reino Fungi
1) Introdução
Estrutura geral de um fungo pluricelular
Ou pode aparecer na superfície, caso em que
as hifas formam estruturas complexas,
denominadas corpos de frutificação, como
ocorre nos cogumelos e nas orelhas de pau.
As hifas são estruturas típicas dos fungos
pluricelulares.
As hifas surgem a partir dos esporos e crescem
juntas e emaranhadas, constituindo uma
massa de filamentos denominada micélio.
Nos fungos o micélio pode ficar escondido
abaixo da superfície do substrato (nutriente,
solo, etc.), formando um micélio extenso...
Reino Fungi
1) Introdução
Estrutura geral de um fungo pluricelular (Corpos de Frutificação)
Reino Fungi
1) Introdução
Estrutura geral de um fungo pluricelular
Classificação das Hifas
1. Hifas cenocíticas ou asseptadas: filamento longo e multinucleado, onde os vários
núcleos haplóides (n) ficam dispersos no citoplasma comum.
2. Hifas Septadas: Corresponde a um filamento longo que é subdivido em
compartimentos
3. Dicarióticas: Possui dois tipos de núcleos haplóides geneticamente diferentes,
dentro da mesma hifa.
4. Monocariótica: Possui núcleos haplóides geneticamente idênticos, dentro da
mesma hifa.
Reino Fungi
1) Introdução
Estrutura geral de um fungo pluricelular
Classificação das Hifas
Hifa cenocítica
(asseptada) Hifa Septada
Reino Fungi
1) Introdução
Estrutura geral de um fungo pluricelular
Classificação das Hifas
núcleos haplóides geneticamente
diferentes, dentro da mesma hifa.
núcleos haplóides
geneticamente idênticos,
dentro da mesma hifa.
Reino Fungi
1) Introdução
Estrutura geral de um fungo unicelular
Fungo unicelular saccharomyces serevisiae
 Formados por uma única célula.
 Não formam hifas nem micélios.
 Geralmente possuem forma ovalada ou esférica.
 São chamados genericamente de leveduras.
 Muitas realizam fermentação na ausência de
oxigênio.
 Reproduzem assexuadamente por brotamento.
 Principal representante: Saccharomyces cerevisae
Brotos emergindo
da célula
Reino Fungi
1) Introdução
Os principais grupos de fungos:
1. Zygomycota (Zigomicetos)
2. Ascomycota (Ascomicetos)
3. Basidiomycota (Basidiomicetos)
4. Deuteromycota (Deuteromicetos)
Reino Fungi
1) Zygomycota (Os zigomicetos)
Variedades de Zigomicetos
Reino Fungi
1) Zygomycota (Os zigomicetos)
Características
 Não formam corpos de frutificação
 Pluricelulares
 Hifas cenocíticas (asseptadas)
 Terrestres
 Saprófagos (alimentam-se de matéria orgânica morta)
 Principal representante:
o Rhizopus sp. (bolor preto do pão) Desenvolve-se sobre pães, bolos, biscoitos e
frutas envelhecidos.
Reino Fungi
1) Zygomycota (Os zigomicetos)
Reprodução Assexuada (mais comum)
1. As hifas originam o esporângio.
2. No interior dos esporângios são produzidos os esporos.
3. Os esporos são carregados pelo vento.
4. Ao caírem em ambiente favorável, germinam, produzindo novos micélios.
Ambiente favorável
Esporo em germinação
Micélios
Esporo
Ar (vento)
Reino Fungi
1) Zygomycota (Os zigomicetos)
Reprodução Sexuada
1. Hifas de tipos sexuais
diferentes produzem ramos
que crescem em direção ao
outro.
2. As extremidades se
desenvolvem formando
gametângios.
3. Os gametângios e depois os
gametas dentro deles se
fundem.
4. O zigoto resultante se
desenvolve formando um
esporângio (zigoesporângio)
que ao amadurecer libera
novos esporos.
Meiose
Fertilização
+
-
Reino Fungi
2) Ascomycota (Os ascomicetos)
Variedades de Ascomicetos
Reino Fungi
2) Ascomycota (Os ascomicetos)
Características
 Fungos uni ou pluriceulares.
 Os pluricelulares formam corpo de frutificação denominado ascocarpo.
 Os unicelulares são representados pelas leveduras saccharomices cerevisae.
 Alguns são comestíveis (Trufas)
 Alguns são utilizados na indústria de bebidas alcoólicas (saccharomices cerevisae).
 Principais representantes:
o Tuber sp. – Mais conhecidos como Trufas, são utilizados na culinária.
o Peniciliium notatum – Obtenção do antibiótico penicilina.
o Penicillium camembert – Produção do queijo camembert.
o Penicillium roquefort – Produção do queijo roquefort.
o Saccharomyces cerevisae – Produção de bebidas alcoólicas e fermento.
Reino Fungi
2) Ascomycota (Os ascomicetos)
Reprodução Assexuada – Brotamento em leveduras
As leveduras, por mitose, gera novas
células, brotos ou gemas.
Ao se desenvolver o broto pode se
separar de seu genitor.
Ou permanecer unido anatomicamente
formando uma colônia.
Formação de novas células
assexuadamente
Levedura
Reino Fungi
2) Ascomycota (Os ascomicetos)
Reprodução Sexuada
1. Fusão de hifas monocarióticas
(plasmogamia), com formação
de hifas dicarióticas.
2. As hifas dicarióticas se
desenvolvem e formam os
corpos de frutificação
(ascocarpo)
3. No corpo de frutificação
algumas hifas férteis fundem
seus núcleos, formando um
zigoto diplóide (2n)
4. O zigoto se divide por meiose
originando 4 células haplóide
(n) e cada célula haplóide se
divide por mitose formando
no final oito esporos (n)
Reino Fungi
3) Basidiomycota (Os basidiomicetos)
Variedades de Basidiomicetos
Reino Fungi
3) Basidiomycota (Os basidiomicetos)
Características
 Formam corpos de frutificação denominados basidiocarpos, mais popularmente
conhecidos como cogumelos.
 Possuem hifas septadas
 Alguns eliminam substâncias mal cheirosas para atrair insetos, os quais dispersam
seus esporos.
 Alguns cogumelos possuem substâncias alucinógenas e são utilizados por tribos de
indígenas em rituais religiosos. (GêneroPsilocybe).
 Muitos são utilizados na gastronomia (champingnon).
 Principais representantes:
o Psilocybe mexicana – Alucinógeno
o Agaricus campestris – Comestível, conhecido como champignon.
o Polyporus sp. – Orelha de pau
Reino Fungi
3) Basidiomycota (Os basidiomicetos)
Reprodução Sexuada
1. Germinação dos esporos e
fusão dos micélios
monocarióticos haplóides (n)
2. Formação de hifas dicarióticas
as quais formam o corpo de
frutificação.
3. Algumas hifas dicarióticas no
corpo de frutificação se
desenvolvem em basídios os
quais fundem os núcleos
formando um zigoto (2n).
4. O zigoto (2n) sofre meiose
originando 4 basidiósporos ou
esporos (n). Estes quando
amadurecem são liberados no
ambiente reiniciando o ciclo.
Reino Fungi
4) Deuteromycota (Os deuteromicetos)
Reino Fungi
4) Deuteromycota (Os deuteromicetos)
Características
 Os fungos que ainda não fungos que ainda não foram classificados em nenhuma
das três classes anteriores são reunidos neste grupo.
 Os fungos deste grupo são chamados de “imperfeitos”, pois abriga espécies cuja
posição taxonômica ainda não foi definida.
 Uni ou pluricelulares.
 São encontrados nos mais variados ambientes
Reino Fungi
5) Importância dos Fungos
a) Decomposição da Matéria Orgânica
 Juntamente com as bactérias os fungos são os agentes decompositores da matéria
orgânica morta (cadáveres e restos de animais e plantas).
 As ser decomposta a matéria orgânica se transforma em matéria inorgânica e estes
componentes inorgânicos são utilizados pelos produtores na produção de nova
matéria orgânica. (ciclo da matéria).
b) Gastronomia
 Cerca de 200 tipos de cogumelos são utilizados na alimentação humana.
 O champignon é um dos mais cultivados e possui grande valor econômico.
 A levedura saccharomyces cerevisae é empregada na fabricação de bebidas
alcoólicas e na produção de fermentos.
 Os fungos Penicillium roquefort e Penicillium camembertii, são utilizados na
fabricação de queijos tipo roquefort e camembert, os quais possuem grande valor
econômico.
Reino Fungi
5) Importância dos Fungos
c) Parasitismo nos seres humanos (Micoses)
 As principais micoses são:
a) Candidíase (Causada pela espécie Candida albicans)
o Sintomas:
o Infecção vaginal que causa corrimento espesso tipo nata de leite e geralmente
é acompanhado de coceira ou irritação intensa.
o Sapinho: Surgimento de pontos brancos, escamosos, semelhantes a queijo, que
cobrem toda ou parte da língua e das gengivas, a parte interna das bochechas
e, às vezes, os lábios.
b) Frieira ou Pé-de-atleta (Casada pelos fungos do gênero Tricophyton )
o Sintomas:
o Aparecimento de bolhas e rachaduras especialmente na pele entre os dedos
dos pés e muita coceira e ardor na região afetada.
Reino Fungi
5) Importância dos Fungos
c) Parasitismo em plantas
I. Ferrugem
i. Surgimento de lesões nas folhas causadas pela invasão do fungo que provocam a
morte dos tecidos foliares.
I. Esporão do centeio
i. Causada por um fungo parasita que ataca o centeio, e do qual se extraem diversas
substâncias de uso medicinal.
ii. É um fungo conhecido por ser Alucinógeno, e usado para fabricar LSD.
Reino Fungi
5) Importância dos Fungos
d) Antibióticos
 Os antibióticos, substâncias que matam bactérias, foram obtidos a partir de ascomicetos
do gênero Penicillium, em 1928. Desde então os fungos têm sido utilizados
constantemente na fabricação de medicamentos antimicrobianos.
e) Associações Mutualísticas
I. Micorrizas
 Associação mutualística entre fungos e raízes de plantas.
 O fungo obtém das raízes açúcares e aminoácidos e em troca, fornece sais
minerais do solo que são fundamentais para o crescimento da planta.
II. Líquens
 São organismos resultantes da associação mutualística entre fungos e algas ou
entre fungos e cianobactérias.
 As algas ou cianobactérias realizam fotossíntese e fornecem ao fungo glicose e
os fungos retribuem disponibilzando matéria inorgânica necessárias para a
ocorrência da fotossíntese.
Reino Fungi
5) Importância dos Fungos
d) Antibióticos
 Os antibióticos, substâncias que matam bactérias, foram obtidos a partir de ascomicetos
do gênero Penicillium, em 1928. Desde então os fungos têm sido utilizados
constantemente na fabricação de medicamentos antimicrobianos.
e) Associações Mutualísticas
I. Micorrizas
 Associação mutualística entre fungos e raízes de plantas.
 O fungo obtém das raízes açúcares e aminoácidos e em troca, fornece sais
minerais do solo que são fundamentais para o crescimento da planta.
II. Líquens
 São organismos resultantes da associação mutualística entre fungos e algas ou
entre fungos e cianobactérias.
 As algas ou cianobactérias realizam fotossíntese e fornecem ao fungo glicose e
os fungos retribuem disponibilzando matéria inorgânica necessárias para a
ocorrência da fotossíntese.
Reino Fungi
Exercícios de fixação
Reino Fungi
Resposta letra E
Reino Fungi
UFMG 2004
Resposta: Letra D
Reino Fungi
Resposta: letra A

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Aula fungos 2018
Aula fungos 2018Aula fungos 2018
Aula fungos 2018
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Sistema imunológico
Sistema imunológicoSistema imunológico
Sistema imunológico
 
Virus e viroses
Virus e virosesVirus e viroses
Virus e viroses
 
Microrganismos
MicrorganismosMicrorganismos
Microrganismos
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Biologia- Virus
Biologia- VirusBiologia- Virus
Biologia- Virus
 
Aula Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Aula  Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidadeAula  Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Aula Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
 
Slide bacterias
Slide bacteriasSlide bacterias
Slide bacterias
 
Microscopia
MicroscopiaMicroscopia
Microscopia
 
Bactérias e Vírus
Bactérias e VírusBactérias e Vírus
Bactérias e Vírus
 
Doenças causadas por fungos
Doenças causadas por fungosDoenças causadas por fungos
Doenças causadas por fungos
 
Aula n° 1
Aula n° 1  Aula n° 1
Aula n° 1
 
Apresentação bactérias
Apresentação bactériasApresentação bactérias
Apresentação bactérias
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Os fungos
Os fungosOs fungos
Os fungos
 
Aula citologia
Aula citologiaAula citologia
Aula citologia
 
Introdução à microbiologia
Introdução à microbiologiaIntrodução à microbiologia
Introdução à microbiologia
 

Semelhante a Fungos -2.ppt

Semelhante a Fungos -2.ppt (20)

Aula 7º ano - Os Fungos.pptx
Aula 7º ano - Os Fungos.pptxAula 7º ano - Os Fungos.pptx
Aula 7º ano - Os Fungos.pptx
 
Frente 3 Aula 6 Reino fungi.pptx
Frente 3 Aula 6 Reino fungi.pptxFrente 3 Aula 6 Reino fungi.pptx
Frente 3 Aula 6 Reino fungi.pptx
 
Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#
Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#
Ppoint.Fungos.2009 C Nat.#
 
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Aula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino FungiAula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino Fungi
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Biologia - O Reino Fungi.
Biologia - O Reino Fungi.Biologia - O Reino Fungi.
Biologia - O Reino Fungi.
 
Ascomicetos e Basidiomicetos - Filos Basidiomycota e Ascomycota - Reino Fungi
Ascomicetos e  Basidiomicetos  - Filos Basidiomycota e Ascomycota  - Reino FungiAscomicetos e  Basidiomicetos  - Filos Basidiomycota e Ascomycota  - Reino Fungi
Ascomicetos e Basidiomicetos - Filos Basidiomycota e Ascomycota - Reino Fungi
 
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
 
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
 
Reinofungi
ReinofungiReinofungi
Reinofungi
 
REINO FUNGI 1.pdf
REINO FUNGI 1.pdfREINO FUNGI 1.pdf
REINO FUNGI 1.pdf
 
REINO FUNGI.ppt
REINO FUNGI.pptREINO FUNGI.ppt
REINO FUNGI.ppt
 
Aula reino-fungi
Aula reino-fungiAula reino-fungi
Aula reino-fungi
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
Aula reino fungi
Aula reino fungiAula reino fungi
Aula reino fungi
 
Reino fungi.
Reino fungi.Reino fungi.
Reino fungi.
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 

Mais de LinoReisLino

[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptxLinoReisLino
 
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptxLinoReisLino
 
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integralparte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integralLinoReisLino
 
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.pptLinoReisLino
 
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptxAula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptxLinoReisLino
 
_aula 2 - 8 ano bio.ppt
_aula 2 - 8 ano bio.ppt_aula 2 - 8 ano bio.ppt
_aula 2 - 8 ano bio.pptLinoReisLino
 
apresentaçao eletiva feira.pptx
apresentaçao eletiva feira.pptxapresentaçao eletiva feira.pptx
apresentaçao eletiva feira.pptxLinoReisLino
 
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptxbiologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptxLinoReisLino
 
material prova 1 bimestre.pptx
material prova 1 bimestre.pptxmaterial prova 1 bimestre.pptx
material prova 1 bimestre.pptxLinoReisLino
 
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptxbiologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptxLinoReisLino
 
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptxbiologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptxLinoReisLino
 
AULA REDAÇÃO - 11-02.pptx
AULA REDAÇÃO - 11-02.pptxAULA REDAÇÃO - 11-02.pptx
AULA REDAÇÃO - 11-02.pptxLinoReisLino
 
GENETICA - Bioterrorismo.ppt
GENETICA - Bioterrorismo.pptGENETICA - Bioterrorismo.ppt
GENETICA - Bioterrorismo.pptLinoReisLino
 
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.pptAula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.pptLinoReisLino
 
2 ano médio monera.pptx
2 ano médio monera.pptx2 ano médio monera.pptx
2 ano médio monera.pptxLinoReisLino
 
aula --- ANTINUTRIENTE.pptx
aula --- ANTINUTRIENTE.pptxaula --- ANTINUTRIENTE.pptx
aula --- ANTINUTRIENTE.pptxLinoReisLino
 

Mais de LinoReisLino (20)

[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
[Bloco 8.1] Oficina Guia de Aprendizagem.pptx
 
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
[Bloco 7] Recomposição das Aprendizagens.pptx
 
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integralparte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
parte diversificada, conteudo maranhense, educação integral
 
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
 
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptxAula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
Aula Leishmaniose tambem conhecida .pptx
 
PROV 1 BM.pptx
PROV 1 BM.pptxPROV 1 BM.pptx
PROV 1 BM.pptx
 
_aula 2 - 8 ano bio.ppt
_aula 2 - 8 ano bio.ppt_aula 2 - 8 ano bio.ppt
_aula 2 - 8 ano bio.ppt
 
apresentaçao eletiva feira.pptx
apresentaçao eletiva feira.pptxapresentaçao eletiva feira.pptx
apresentaçao eletiva feira.pptx
 
bacteria.ppt
bacteria.pptbacteria.ppt
bacteria.ppt
 
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptxbiologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
biologia_2ªsérie_slides_virus.pptx
 
material prova 1 bimestre.pptx
material prova 1 bimestre.pptxmaterial prova 1 bimestre.pptx
material prova 1 bimestre.pptx
 
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptxbiologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula02_origem da vida.pptx
 
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptxbiologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
biologia_1ªSérie_slides_aula01_origem da vida.pptx
 
AULA REDAÇÃO - 11-02.pptx
AULA REDAÇÃO - 11-02.pptxAULA REDAÇÃO - 11-02.pptx
AULA REDAÇÃO - 11-02.pptx
 
GENETICA - Bioterrorismo.ppt
GENETICA - Bioterrorismo.pptGENETICA - Bioterrorismo.ppt
GENETICA - Bioterrorismo.ppt
 
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.pptAula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
Aula Genética Heredogramas, Codominância e Dominância incompleta.ppt
 
2 ano médio monera.pptx
2 ano médio monera.pptx2 ano médio monera.pptx
2 ano médio monera.pptx
 
Virus.ppt
Virus.pptVirus.ppt
Virus.ppt
 
Virus-aula.ppt
Virus-aula.pptVirus-aula.ppt
Virus-aula.ppt
 
aula --- ANTINUTRIENTE.pptx
aula --- ANTINUTRIENTE.pptxaula --- ANTINUTRIENTE.pptx
aula --- ANTINUTRIENTE.pptx
 

Último

REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Revisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro ano
Revisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro anoRevisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro ano
Revisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro anoAlessandraRaiolDasNe
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulaoTeorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulaoEduardoBarreto262551
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Geologia Marinha - Variação do Nível do Mar
Geologia Marinha - Variação do Nível do MarGeologia Marinha - Variação do Nível do Mar
Geologia Marinha - Variação do Nível do MarGabbyCarvalhoAlves
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...
NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...
NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...LuisCSIssufo
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
O Modelo Atômico de Dalton - Carlos Vinicius
O Modelo Atômico de Dalton - Carlos ViniciusO Modelo Atômico de Dalton - Carlos Vinicius
O Modelo Atômico de Dalton - Carlos ViniciusVini Master
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Sistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.ppt
Sistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.pptSistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.ppt
Sistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.pptMrciaVidigal
 

Último (18)

REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
Revisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro ano
Revisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro anoRevisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro ano
Revisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro ano
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulaoTeorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
 
Geologia Marinha - Variação do Nível do Mar
Geologia Marinha - Variação do Nível do MarGeologia Marinha - Variação do Nível do Mar
Geologia Marinha - Variação do Nível do Mar
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...
NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...
NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
O Modelo Atômico de Dalton - Carlos Vinicius
O Modelo Atômico de Dalton - Carlos ViniciusO Modelo Atômico de Dalton - Carlos Vinicius
O Modelo Atômico de Dalton - Carlos Vinicius
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
 
Sistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.ppt
Sistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.pptSistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.ppt
Sistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.ppt
 

Fungos -2.ppt

  • 2. Reino Fungi 1) Introdução “Os fungos estão, literalmente em todos os lugares da Terra. O seu impacto ecológico não pode ser subestimado, pois, junto com as bactérias heterotróficas, são os principais decompositores da biosfera. Os decompositores são tão necessários à continuidade da vida quanto os produtores de alimentos.” Peter H. Raven
  • 3. Reino Fungi 1) Introdução Características gerais dos fungos:  Eucariontes.  Uni ou pluricelulares.  Possuem parede celular constituída pelo polissacarídeo quitina.  Os pluricelulares são formados por células alongadas que formam estruturas filamentosas chamadas de hifas.  As hifas se entrelaçam formando o micélio ou o corpo do fungo.  Heterotróficos e Aclorofilados.  Possuem o glicogênio como carboidrato de reserva.  Maioria Saprófitas (alimentam-se de matéria orgânica morta em decomposição).  Digestão extracorpórea e nutrem-se por absorção(eliminam enzimas digestivas extracelularmente e absorvem o material digerido).  Para desenvolverem é necessário haver umidade, pois a água é o veículo de transporte dos nutrientes digeridos para a célula fúngica.  Muitos fungos são parasitas de plantas e de animais e podem causar doenças nos seres humanos.  Reprodução: Assexuada e Sexuada.  Habitat: Ambientes terrestres úmidos, sombreados e também aquáticos.
  • 4. Reino Fungi 1) Introdução Estrutura geral de um fungo pluricelular Ou pode aparecer na superfície, caso em que as hifas formam estruturas complexas, denominadas corpos de frutificação, como ocorre nos cogumelos e nas orelhas de pau. As hifas são estruturas típicas dos fungos pluricelulares. As hifas surgem a partir dos esporos e crescem juntas e emaranhadas, constituindo uma massa de filamentos denominada micélio. Nos fungos o micélio pode ficar escondido abaixo da superfície do substrato (nutriente, solo, etc.), formando um micélio extenso...
  • 5. Reino Fungi 1) Introdução Estrutura geral de um fungo pluricelular (Corpos de Frutificação)
  • 6. Reino Fungi 1) Introdução Estrutura geral de um fungo pluricelular Classificação das Hifas 1. Hifas cenocíticas ou asseptadas: filamento longo e multinucleado, onde os vários núcleos haplóides (n) ficam dispersos no citoplasma comum. 2. Hifas Septadas: Corresponde a um filamento longo que é subdivido em compartimentos 3. Dicarióticas: Possui dois tipos de núcleos haplóides geneticamente diferentes, dentro da mesma hifa. 4. Monocariótica: Possui núcleos haplóides geneticamente idênticos, dentro da mesma hifa.
  • 7. Reino Fungi 1) Introdução Estrutura geral de um fungo pluricelular Classificação das Hifas Hifa cenocítica (asseptada) Hifa Septada
  • 8. Reino Fungi 1) Introdução Estrutura geral de um fungo pluricelular Classificação das Hifas núcleos haplóides geneticamente diferentes, dentro da mesma hifa. núcleos haplóides geneticamente idênticos, dentro da mesma hifa.
  • 9. Reino Fungi 1) Introdução Estrutura geral de um fungo unicelular Fungo unicelular saccharomyces serevisiae  Formados por uma única célula.  Não formam hifas nem micélios.  Geralmente possuem forma ovalada ou esférica.  São chamados genericamente de leveduras.  Muitas realizam fermentação na ausência de oxigênio.  Reproduzem assexuadamente por brotamento.  Principal representante: Saccharomyces cerevisae Brotos emergindo da célula
  • 10. Reino Fungi 1) Introdução Os principais grupos de fungos: 1. Zygomycota (Zigomicetos) 2. Ascomycota (Ascomicetos) 3. Basidiomycota (Basidiomicetos) 4. Deuteromycota (Deuteromicetos)
  • 11. Reino Fungi 1) Zygomycota (Os zigomicetos) Variedades de Zigomicetos
  • 12. Reino Fungi 1) Zygomycota (Os zigomicetos) Características  Não formam corpos de frutificação  Pluricelulares  Hifas cenocíticas (asseptadas)  Terrestres  Saprófagos (alimentam-se de matéria orgânica morta)  Principal representante: o Rhizopus sp. (bolor preto do pão) Desenvolve-se sobre pães, bolos, biscoitos e frutas envelhecidos.
  • 13. Reino Fungi 1) Zygomycota (Os zigomicetos) Reprodução Assexuada (mais comum) 1. As hifas originam o esporângio. 2. No interior dos esporângios são produzidos os esporos. 3. Os esporos são carregados pelo vento. 4. Ao caírem em ambiente favorável, germinam, produzindo novos micélios. Ambiente favorável Esporo em germinação Micélios Esporo Ar (vento)
  • 14. Reino Fungi 1) Zygomycota (Os zigomicetos) Reprodução Sexuada 1. Hifas de tipos sexuais diferentes produzem ramos que crescem em direção ao outro. 2. As extremidades se desenvolvem formando gametângios. 3. Os gametângios e depois os gametas dentro deles se fundem. 4. O zigoto resultante se desenvolve formando um esporângio (zigoesporângio) que ao amadurecer libera novos esporos. Meiose Fertilização + -
  • 15. Reino Fungi 2) Ascomycota (Os ascomicetos) Variedades de Ascomicetos
  • 16. Reino Fungi 2) Ascomycota (Os ascomicetos) Características  Fungos uni ou pluriceulares.  Os pluricelulares formam corpo de frutificação denominado ascocarpo.  Os unicelulares são representados pelas leveduras saccharomices cerevisae.  Alguns são comestíveis (Trufas)  Alguns são utilizados na indústria de bebidas alcoólicas (saccharomices cerevisae).  Principais representantes: o Tuber sp. – Mais conhecidos como Trufas, são utilizados na culinária. o Peniciliium notatum – Obtenção do antibiótico penicilina. o Penicillium camembert – Produção do queijo camembert. o Penicillium roquefort – Produção do queijo roquefort. o Saccharomyces cerevisae – Produção de bebidas alcoólicas e fermento.
  • 17. Reino Fungi 2) Ascomycota (Os ascomicetos) Reprodução Assexuada – Brotamento em leveduras As leveduras, por mitose, gera novas células, brotos ou gemas. Ao se desenvolver o broto pode se separar de seu genitor. Ou permanecer unido anatomicamente formando uma colônia. Formação de novas células assexuadamente Levedura
  • 18. Reino Fungi 2) Ascomycota (Os ascomicetos) Reprodução Sexuada 1. Fusão de hifas monocarióticas (plasmogamia), com formação de hifas dicarióticas. 2. As hifas dicarióticas se desenvolvem e formam os corpos de frutificação (ascocarpo) 3. No corpo de frutificação algumas hifas férteis fundem seus núcleos, formando um zigoto diplóide (2n) 4. O zigoto se divide por meiose originando 4 células haplóide (n) e cada célula haplóide se divide por mitose formando no final oito esporos (n)
  • 19. Reino Fungi 3) Basidiomycota (Os basidiomicetos) Variedades de Basidiomicetos
  • 20. Reino Fungi 3) Basidiomycota (Os basidiomicetos) Características  Formam corpos de frutificação denominados basidiocarpos, mais popularmente conhecidos como cogumelos.  Possuem hifas septadas  Alguns eliminam substâncias mal cheirosas para atrair insetos, os quais dispersam seus esporos.  Alguns cogumelos possuem substâncias alucinógenas e são utilizados por tribos de indígenas em rituais religiosos. (GêneroPsilocybe).  Muitos são utilizados na gastronomia (champingnon).  Principais representantes: o Psilocybe mexicana – Alucinógeno o Agaricus campestris – Comestível, conhecido como champignon. o Polyporus sp. – Orelha de pau
  • 21. Reino Fungi 3) Basidiomycota (Os basidiomicetos) Reprodução Sexuada 1. Germinação dos esporos e fusão dos micélios monocarióticos haplóides (n) 2. Formação de hifas dicarióticas as quais formam o corpo de frutificação. 3. Algumas hifas dicarióticas no corpo de frutificação se desenvolvem em basídios os quais fundem os núcleos formando um zigoto (2n). 4. O zigoto (2n) sofre meiose originando 4 basidiósporos ou esporos (n). Estes quando amadurecem são liberados no ambiente reiniciando o ciclo.
  • 22. Reino Fungi 4) Deuteromycota (Os deuteromicetos)
  • 23. Reino Fungi 4) Deuteromycota (Os deuteromicetos) Características  Os fungos que ainda não fungos que ainda não foram classificados em nenhuma das três classes anteriores são reunidos neste grupo.  Os fungos deste grupo são chamados de “imperfeitos”, pois abriga espécies cuja posição taxonômica ainda não foi definida.  Uni ou pluricelulares.  São encontrados nos mais variados ambientes
  • 24. Reino Fungi 5) Importância dos Fungos a) Decomposição da Matéria Orgânica  Juntamente com as bactérias os fungos são os agentes decompositores da matéria orgânica morta (cadáveres e restos de animais e plantas).  As ser decomposta a matéria orgânica se transforma em matéria inorgânica e estes componentes inorgânicos são utilizados pelos produtores na produção de nova matéria orgânica. (ciclo da matéria). b) Gastronomia  Cerca de 200 tipos de cogumelos são utilizados na alimentação humana.  O champignon é um dos mais cultivados e possui grande valor econômico.  A levedura saccharomyces cerevisae é empregada na fabricação de bebidas alcoólicas e na produção de fermentos.  Os fungos Penicillium roquefort e Penicillium camembertii, são utilizados na fabricação de queijos tipo roquefort e camembert, os quais possuem grande valor econômico.
  • 25. Reino Fungi 5) Importância dos Fungos c) Parasitismo nos seres humanos (Micoses)  As principais micoses são: a) Candidíase (Causada pela espécie Candida albicans) o Sintomas: o Infecção vaginal que causa corrimento espesso tipo nata de leite e geralmente é acompanhado de coceira ou irritação intensa. o Sapinho: Surgimento de pontos brancos, escamosos, semelhantes a queijo, que cobrem toda ou parte da língua e das gengivas, a parte interna das bochechas e, às vezes, os lábios. b) Frieira ou Pé-de-atleta (Casada pelos fungos do gênero Tricophyton ) o Sintomas: o Aparecimento de bolhas e rachaduras especialmente na pele entre os dedos dos pés e muita coceira e ardor na região afetada.
  • 26. Reino Fungi 5) Importância dos Fungos c) Parasitismo em plantas I. Ferrugem i. Surgimento de lesões nas folhas causadas pela invasão do fungo que provocam a morte dos tecidos foliares. I. Esporão do centeio i. Causada por um fungo parasita que ataca o centeio, e do qual se extraem diversas substâncias de uso medicinal. ii. É um fungo conhecido por ser Alucinógeno, e usado para fabricar LSD.
  • 27. Reino Fungi 5) Importância dos Fungos d) Antibióticos  Os antibióticos, substâncias que matam bactérias, foram obtidos a partir de ascomicetos do gênero Penicillium, em 1928. Desde então os fungos têm sido utilizados constantemente na fabricação de medicamentos antimicrobianos. e) Associações Mutualísticas I. Micorrizas  Associação mutualística entre fungos e raízes de plantas.  O fungo obtém das raízes açúcares e aminoácidos e em troca, fornece sais minerais do solo que são fundamentais para o crescimento da planta. II. Líquens  São organismos resultantes da associação mutualística entre fungos e algas ou entre fungos e cianobactérias.  As algas ou cianobactérias realizam fotossíntese e fornecem ao fungo glicose e os fungos retribuem disponibilzando matéria inorgânica necessárias para a ocorrência da fotossíntese.
  • 28. Reino Fungi 5) Importância dos Fungos d) Antibióticos  Os antibióticos, substâncias que matam bactérias, foram obtidos a partir de ascomicetos do gênero Penicillium, em 1928. Desde então os fungos têm sido utilizados constantemente na fabricação de medicamentos antimicrobianos. e) Associações Mutualísticas I. Micorrizas  Associação mutualística entre fungos e raízes de plantas.  O fungo obtém das raízes açúcares e aminoácidos e em troca, fornece sais minerais do solo que são fundamentais para o crescimento da planta. II. Líquens  São organismos resultantes da associação mutualística entre fungos e algas ou entre fungos e cianobactérias.  As algas ou cianobactérias realizam fotossíntese e fornecem ao fungo glicose e os fungos retribuem disponibilzando matéria inorgânica necessárias para a ocorrência da fotossíntese.