A I G R E J A D E J E S U S C R I S T O D O S S A N T O S D O S Ú LT I M O S D I A S • J U N H O D E 2 0 12O Poder do Sace...
© 2011 JAMES C. CHRISTENSEN, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. AUTORIZADO PELO THE GREENWICH WORKSHOP, INC.                   ...
24A Liahona, Junho de 2012MENSAGENS                                                                                       ...
JOVENS ADULTOS                                       JOVENS                                CRIANÇAS                       ...
InternetJUNHO DE 2012 VOL. 65 Nº 6A LIAHONA 10486 059                                                                     ...
MENSAGEM DA PRIMEIR A PRESIDÊNCIA                                                                                         ...
pelas crianças, e aquelas lições ainda hoje abençoam                ENSINAR USANDO ESTA MENSAGEMminha família e minha vida...
JOVENS                                                     CRIANÇAS     Gratidão por Minha Professora     da Escola Domini...
M E N S AG E M DA S P R O F E S S O R A S V I S I TA N T E SEstude este material em espírito de oração e, conforme julgar ...
Coisas Pequenas e Simples     “É por meio de coisas pequenas e simples que as grandes      são realizadas” (Alma 37:6).   ...
A ESCOLHA DOSHINOS PARA AS                          Você Conhece as MulheresREUNIÕES DA                            das Esc...
NOSSA CRENÇA   O Jejum                                                   NOS FORTALECE TANTO ESPIRITUAL                   ...
O domingo de jejum inclui                                                          prestar testemunho na reunião          ...
SERVIR NA IGREJA    O POTENCIAL    DE SERVIÇO    DOS JOVENS    Norman C. Hill   O              s nigerianos gostam de dize...
Élder                                                                                                                     ...
Teria sido fácil       Dias e não compartilhavam nossas crenças          às reuniões no domingo. Tínhamos frequen-encontra...
cumpri-lo também. Em pouco tempo, elescompreenderam que era mais importanteadorar a Deus em Seu dia santificado do queagra...
C L Á SS I CO S D O E VA N G EL H O               Arbítrio e                                                            E ...
JOVENSque são antigos, os quais contêm aquelaspartes de minhas escrituras das quais sefalou pela manifestação de meu Espír...
C lássicos do E vangelho    Ao amadure-        deverão cruzar, e o Senhor ordena [ao irmão     deu porque o irmão de Jared...
JOVENS                                         “Pois eis que não é conveniente que em                                     ...
AGIR SOB                      Inspiração                      Todo santo dos últimos dias tem o privilégio de receber diar...
comunica conosco. Só precisamos estar aten-tos a Sua voz. ◼Nestor Querales, PortugalDecidi OuvirH    á muitos anos, comec...
Parecia a Coisa Certa   O ESPÍRITO   VAI GUIÁ-LOS   “O dom do Espí-                                    Ao fazer a última r...
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
A LIAHONA JUNHO
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A LIAHONA JUNHO

3.104 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.104
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A LIAHONA JUNHO

  1. 1. A I G R E J A D E J E S U S C R I S T O D O S S A N T O S D O S Ú LT I M O S D I A S • J U N H O D E 2 0 12O Poder do SacerdócioEnraizado nas Famílias, p. 28Centros de Jovens Adultos: Um Lugarpara Se Reunir, Aprender e FazerAmigos, p. 42Será Que Sei o Suficiente?p. 48Marta Provou Ser Amigade Verdade, p. 60
  2. 2. © 2011 JAMES C. CHRISTENSEN, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. AUTORIZADO PELO THE GREENWICH WORKSHOP, INC. Virtude, James Christensen“Que a virtude adorne teus pensamentos incessantemente; então tua confiança se fortalecerá na presença de Deus; (…) e o Espírito Santo será teu companheiro constante” (D&C 121:45–46). O Presidente Thomas S. Monson disse sobre a virtude: “Grande coragem lhes será exigida para permanecerem castas e virtuosas em meio ao modo de pensar aceito nesta época” (“Tenham Coragem”, A Liahona, maio de 2009, p. 123).
  3. 3. 24A Liahona, Junho de 2012MENSAGENS ARTIGOS 10 Nossa Crença: O Jejum Nos Fortalece Tanto Espiritual 4 Mensagem da Primeira 13 A Alegria de Santificar Como Materialmente Presidência: Chamado por o Dia do Senhor Deus e Apoiado pelo Povo Élder Marcos A. Aidukaitis 12 Servir na Igreja: O Potencial Presidente Henry B. Eyring Devido ao fato de nunca termos de Serviço dos Jovens deixado de assistir às reuniões Norman C. Hill 7 Mensagem das Professoras da Igreja enquanto estávamos Visitantes: Professora Visi- viajando nas férias, algo mara- 16 Clássicos do Evangelho: tante: Um Chamado Sagrado Arbítrio e Inspiração vilhoso aconteceu. Élder Bruce R. McConkie 20 Agir Sob Inspiração 24 Nosso Lar, Nossa Família: Será que você reconhece a Aconselhamento Mútuo influência do Espírito em no Casamento sua vida? Randy Keyes NA CAPA Primeira capa: ilustração fotográfica de Craig Dimond. Última capa: A Restauração do Sacer- 28 A Honra e Ordem 38 Vozes da Igreja dócio de Melquisedeque, de Walter Rane. © IRI. do Sacerdócio T h e C h u r C h o f J e s u s C h r i s T o f L aT T e r - d ay s a i n T s • J u n e 2 0 12 Presidente Boyd K. Packer 74 Notícias da Igreja Ensinamentos e testemunho de 79 Ideias para a Noite Familiar Liahona um Apóstolo a respeito do santo sacerdócio. 80 Até Voltarmos a Nos Priesthood Power Firmly Fixed in Families, p. 28 SEÇÕES Encontrar: Voz de Trovão, Voz de Silêncio 8 Coisas Pequenas e Simples Centers for Young Adults: A Place to Gather, Learn, Kristin Boyce and Make Friends, p. 42 Do I Know Enough? p. 48 Melanie Was a True Friend, p. 60 J u n h o d e 2 0 1 2 1
  4. 4. JOVENS ADULTOS JOVENS CRIANÇAS 34 Seus Deveres do 63 Sacerdócio Aarônico Paul VanDenBerghe Quais são as responsabilidades dos diáconos, dos mestres e dos sacerdotes? 46 Perguntas e Respostas Às vezes me sinto sobrecarre- gado quando penso em tudo que preciso fazer para viver o evan- gelho. Por onde devo começar? 42 48 Você Sabe o Suficiente 42 Reunir-se em uma Élder Neil L. Andersen 60 Uma Amiga de Verdade Unidade de Fé Se você acha que seu conheci- Sarah Chow Stephanie J. Burns mento espiritual é limitado, pode Os amigos verdadeiros aju- Os centros de jovens adultos ser que saiba mais do que pensa. dam-se mutuamente a cumprir tornaram-se locais de reunião: os mandamentos. lá os jovens se conhecem, viven- 50 Pausa para a Missão ciam a união e aprendem — e Elyse Alexandria Holmes 62 Nossa Página compartilham — o evangelho. Aos dezoito anos, William Hopoate recebeu a proposta de 63 As Bênçãos do Trabalho um contrato para jogar rúgbi Árduo profissionalmente. Ele tinha de Élder Per G. Malm tomar uma decisão. O labor físico honesto é uma maneira de fazer o que é certo. 53 Do Campo Missionário: Veja se consegue O Milagre da Cura Espiritual 64 Trazer a Primária para Casa: Elizabeth Stitt Escolho o Certo Vivendo os encontrar a Lia- Princípios do Evangelhohona oculta nesta 54 Pôster: Ajoelhar-se com 66 Um Parquinho para Carly edição. Dica: A Humildadeprocura vai ser um Chad E. Phares trabalho árduo. 55 Linha sobre Linha: Carly sempre está ajudando os Doutrina e Convênios 135:3 outros, e alguns amigos resolve- 56 Aonde Minhas Escolhas ram ajudá-la também. Me Levarão? Adam C. Olson 68 A Lição da Equipe Infanto-Juvenil Suas escolhas no passado desvia- Lindsay Stevens ram seu curso. Mas as novas Lindsay aprende a torcer pelo escolhas trouxeram Karina de irmão mais novo. volta. 70 Para as Criancinhas 58 Um Exemplo Melhor Shaneen Cloward 81 Figuras das Escrituras Uma experiência dolorosa me do Livro de Mórmon 56 ensinou a ouvir meus líderes da Igreja com mais disposição.2
  5. 5. InternetJUNHO DE 2012 VOL. 65 Nº 6A LIAHONA 10486 059 Liahona.LDS.org Mais naRevista Internacional em Português de A Igreja de Jesus Cristodos Santos dos Últimos DiasA Primeira Presidência: Thomas S. Monson,Henry B. Eyring e Dieter F. UchtdorfQuórum dos Doze Apóstolos: Boyd K. Packer, PARA OS JOVENSL. Tom Perry, Russell M. Nelson, Dallin H. Oaks, Se você gostou do artigo do Élder Neil L.M. Russell Ballard, Richard G. Scott, Robert D. Hales,Jeffrey R. Holland, David A. Bednar, Quentin L. Cook, Andersen, na página 48, pode ouvir oD. Todd Christofferson e Neil L. Andersen discurso na íntegra no site conferenceEditor: Paul B. PieperConsultores: Keith R. Edwards, Christoffel Golden Jr., .LDS.org. Procure a conferência geralPer G. MalmDiretor Administrativo: David L. Frischknecht de outubro de 2008.Diretor Editorial: Vincent A. VaughnDiretor Gráfico: Allan R. LoyborgGerente Editorial: R. Val JohnsonGerentes Editoriais Assistentes: Jenifer L. Greenwood,Adam C. Olson PARA AS CRIANÇASEditores Associados: Susan Barrett, Ryan Carr Leia a história de Carly (página 66).Equipe Editorial: Brittany Beattie, David A. Edwards,Matthew D. Flitton, LaRene Porter Gaunt, Carrie Kasten, Para vê-la brincar no novo parquinho,Jennifer Maddy, Lia McClanahan, Melissa Merrill, Michael R.Morris, Sally J. Odekirk, Joshua J. Perkey, Chad E. Phares, acesse o site liahona.LDS.org.Jan Pinborough, Paul VanDenBerghe, Marissa A. Widdison,Melissa ZentenoDiretor Administrativo de Arte: J. Scott KnudsenDiretor de Arte: Scott Van KampenGerente de Produção: Jane Ann Peters TÓPICOS DESTA EDIÇÃODiagramadores Seniores: C. Kimball Bott, Colleen Hinckley, Os números representam a primeiraEric P. Johnsen, Scott M. Mooy página de cada artigo.Equipe de Diagramação e Produção: Collette Nebeker Aune,Connie Bowthorpe Bridge, Howard G. Brown, Julie Burdett, Amizade, 60, 66Bryan W. Gygi, Kathleen Howard, Denise Kirby, Ginny J. Nilson,Gayle Tate Rafferty Amor, 66, 68Pré-Impressão: Jeff L. Martin Apoio, 4Diretor de Impressão: Craig K. SedgwickDiretor de Distribuição: Evan Larsen Arbítrio, 16, 56Tradução: Edson Lopes Arrependimento, 56Distribuição:Corporação do Bispado Presidente de A Igreja de Jesus Cristo Bênçãos, 70, 72dos Santos dos Últimos Dias. Steinmühlstrasse 16, 61352 Bad Casamento, 24Homburg v.d.H., Alemanha.Para assinatura ou mudança de endereço, entre em contato Conselhos, 24com o Serviço ao Consumidor. Ligação Gratuita: 00800 2950 Dia do Senhor, 132950. Telefone: +49 (0) 6172 4928 33/34. E-mail: orderseu@ldschurch.org. Online: store.lds.org. Preço da assinatura para um Dízimo, 64, 73ano: € 3,75 para Portugal, € 3,00 para Açores e CVE 83,5 para Espírito Santo, 16, 20, 80Cabo Verde.Para assinaturas e preços fora dos Estados Unidos e do Família, 68Canadá, acesse o site store.LDS.org ou entre em contato Fé, 48, 70com o Centro de Distribuição local ou o líder da ala oudo ramo. Envie manuscritos e perguntas online para Inspiração, 16, 20, 38, 39, 41liahona.LDS.org; pelo correio, para: Liahona, Room 2420,50 E. North Temple St., Salt Lake City, UT 84150-0024, USA; Jejum, 10ou por e-mail, para: liahona@LDSchurch.org. Jovens, 12A ­Liahona, termo do Livro de Mórmon que significa “bússola”ou “guia”, é publicada em albanês, alemão, armênio, bislama, Líderes da Igreja, 4, 28, 58búlgaro, cambojano, cebuano, chinês, chinês (simplificado), Livro de Mórmon, 81coreano, croata, dinamarquês, esloveno, espanhol, estoniano,fijiano, finlandês, francês, grego, holandês, húngaro, indonésio, EM SEU IDIOMA Obediência, 13, 56, 58, 60inglês, islandês, italiano, japonês, letão, lituano, malgaxe, Obra missionária, 40, 50, 53marshallês, mongol, norueguês, polonês, português, quiribati,romeno, russo, samoano, sueco, tagalo, tailandês, taitiano, A revista A Liahona e outros materiais da Oração, 54tcheco, tonganês, ucraniano, urdu e vietnamita. (A periodicidade Igreja estão disponíveis em muitos idiomas Palavra de Sabedoria, 60varia de um idioma para outro.)© 2012 Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitos reservados. em languages.LDS.org. Prioridades, 46, 50, 56Impresso nos Estados Unidos da América. Professoras visitantes, 7O texto e o material visual encontrados na revista A ­Liahonapodem ser copiados para uso eventual, na Igreja ou no lar, Sacerdócio, 28, 34, 70não para uso comercial. O material visual não poderá sercopiado se houver qualquer restrição indicada nos créditos Serviço, 12, 66constantes da obra. As perguntas sobre direitos autorais Smith, Joseph, 54, 55devem ser encaminhadas para Intellectual Property Office,50 E. North Temple St., Salt Lake City, UT 84150, USA; e-mail: Testemunho, 48cor-intellectualproperty@LDSchurch.org. Trabalho, 63For Readers in the United States and Canada:June 2012 Vol. 65 No. 6. LIAHONA (USPS 311-480) Portuguese União, 42(ISSN 1044-3347) is published monthly by The Church of JesusChrist of Latter-day Saints, 50 E. North Temple St., Salt Lake City,UT 84150. USA subscription price is $10.00 per year; Canada,$12.00 plus applicable taxes. Periodicals Postage Paid at SaltLake City, Utah. Sixty days’ notice required for change of address.Include address label from a recent issue; old and new addressesmust be included. Send USA and Canadian subscriptions to SaltLake Distribution Center at address below. Subscription help line:1-800-537-5971. Credit card orders (Visa, MasterCard, AmericanExpress) may be taken by phone. (Canada Poste Information:Publication Agreement #40017431)POSTMASTER: Send address changes to Salt Lake DistributionCenter, Church Magazines, PO Box 26368,Salt Lake City, UT 84126-0368. J u n h o d e 2 0 1 2 3
  6. 6. MENSAGEM DA PRIMEIR A PRESIDÊNCIA Presidente Henry B. Eyring Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência Chamado por Deus E APOIADO PELO POVO C omo membros da Igreja, com frequência somos convi- Aquele rapaz, com apenas um ano de Igreja, ensinou dados a apoiar pessoas em seus chamados para servir. pelo exemplo o que Deus pode fazer com um líder que Há alguns anos, um estudante de dezoito anos de é apoiado pela fé e pelas orações daqueles a quem é idade mostrou-me o que significa apoiar os servos do Senhor. chamado a guiar. Aquele jovem demonstrou para mim o Ainda hoje me sinto abençoado por seu humilde exemplo. poder da lei de comum acordo na Igreja (ver D&C 26:2). Ele estava no início do primeiro ano de faculdade. Embora o Senhor chame Seus servos por revelação, eles Tinha sido batizado havia menos de um ano antes de sair somente agem depois de serem apoiados por aqueles a de casa para começar a estudar numa grande universi- quem são chamados a servir. dade. Eu servia como bispo lá. Por meio de nosso voto de apoio, fazemos promessas Com o início do ano letivo, fiz uma rápida entrevista solenes. Prometemos orar pelos servos do Senhor para com ele na sala do bispado. Lembro-me de pouca coisa que Ele os guie e fortaleça (ver D&C 93:51). Comprome- daquela primeira entrevista, exceto que ele me falou das temo-nos a buscar e esperar sentir a inspiração de Deus dificuldades que enfrentava numa cidade diferente, mas quando eles derem conselhos e sempre que agirem em jamais esquecerei nosso segundo encontro. seu chamado (ver D&C 1:38). Ele me pediu que o recebesse em minha sala. Fiquei Essa promessa precisa ser renovada com frequência em surpreso quando ele disse: “Podemos orar juntos, e permi- nosso coração. Seu professor da Escola Dominical tenta te-me oferecer a oração?” Por pouco não lhe disse que já ensinar pelo Espírito, mas assim como vocês, ele pode havia orado e esperava que ele também, mas em vez disso cometer erros diante da classe. Contudo, vocês podem concordei. decidir ouvir e prestar atenção aos momentos em que Ele começou a oração com seu testemunho do fato de podem sentir a inspiração chegar. Com o tempo, obser- o bispo ter sido chamado por Deus. Pediu a Deus que varão menos erros e provas mais frequentes de que Deus me orientasse sobre o que ele devia fazer quanto a um apoia aquele professor. assunto de grandes consequências espirituais. O rapaz Ao erguermos a mão em sinal de apoio a alguém, com- disse a Deus que tinha certeza de que o bispo já sabia prometemo-nos a trabalhar pelo propósito para o qual a quais eram suas necessidades e que lhe daria os conselhos pessoa foi chamada pelo Senhor a realizar, seja ele qual que precisava ouvir. for. Quando nossos filhos eram pequenos, minha mulher Enquanto ele falava, os perigos específicos que ele foi chamada para ensinar as criancinhas de nossa ala. Eu enfrentaria me vieram à mente. Os conselhos eram sim- não só ergui a mão para apoiá-la, mas também orei por ples, mas deviam ser dados com grande clareza: orar ela e depois pedi permissão para ajudá-la. Aprendi a valo- sempre, obedecer aos mandamentos e não temer. rizar o trabalho das mulheres e o amor que o Senhor tem4 A Liahona
  7. 7. pelas crianças, e aquelas lições ainda hoje abençoam ENSINAR USANDO ESTA MENSAGEMminha família e minha vida. Recentemente conversei com aquele rapaz queapoiou seu bispo há vários anos. Soube que o D epois de deixar esta mensagem, você pode ler a seguinte citação: “O Senhor o tornará um instru- mento em Suas mãos se você for humilde, fiel e diligente.Senhor e o povo o haviam apoiado em seu chamado (…) Você receberá força renovada quando for apoiadocomo missionário, como presidente de estaca e como pela congregação e designado” (Ensino, Não Há Maiorpai. Ao fim de nossa conversa, ele disse: “Ainda oro Chamado, 2009, p. 20). Reúna a família em volta de umpor você todos os dias”. objeto pesado e peça a alguém que o erga. Chamando Podemos decidir orar diariamente por alguém uma pessoa por vez, convide outros membros da famíliaque foi chamado por Deus para nos servir. Podemos para ajudar a levantar o objeto. Pergunte o que acon-agradecer a alguém — homem ou mulher — que tece quando todos ajudam. Se julgar oportuno, ressaltenos abençoou com seu serviço. Podemos dar um também o conselho do Presidente Eyring sobre algu-passo adiante quando alguém que apoiamos solicitar mas maneiras práticas de apoiarmos as pessoas em seuvoluntários.1 chamado. Aqueles que apoiam os servos do Senhor em Seureino serão amparados por Seu poder incomparável.Todos nós precisamos dessa bênção. ◼NOTA 1. Ver Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph F. Smith, 1998, pp. 211–212. J u n h o d e 2 0 1 2 5
  8. 8. JOVENS CRIANÇAS Gratidão por Minha Professora da Escola Dominical Nome não divulgado M inha classe da Escola Dominical nem sempre é reverente. Adoro participar da aula todas as semanas, mas às vezes parece que os demais alunos não sentem o mesmo. Estão sempre conversando entre si ou brincando com joguinhos eletrônicos enquanto a professora tenta nos ensinar. E, infeliz- mente, há momentos em que também faço parte do problema. Certa vez, a classe estava pior do que nunca e, no final da aula, nossa professora estava em prantos porque ninguém prestou atenção à aula. Ao sairmos da sala, senti remorso. No domingo seguinte, nossa professora expli- cou-nos que havia orado muito durante a semana, buscando orientação, e ocorreu-lhe que precisava À ESQUERDA: ILUSTRAÇÃO DE SCOTT SNOW; ACIMA: ILUSTRAÇÕES DE SCOTT GREER; ILUSTRAÇÕES FOTOGRÁFICAS DE WELDEN C. ANDERSEN, HYUN-GYU LEE E FRANK HELMRICH mostrar um filme da Igreja. A apresentação começou. Era um filme sobre a vida de Jesus Cristo e os milagres Apoiar Significa Ajudar O que realizou. Presidente Eyring disse que, quando erguemos Ao refletir sobre aquele filme no final do dia, senti a mão para apoiar alguém, prometemos ajudar algo mudar dentro de mim. De repente, percebi que estava sentindo o Espírito, mais do que nunca antes. aquela pessoa a fazer o serviço para o qual foi chamada. Imediatamente, decidi fazer mudanças em minha vida Quais das crianças acima estão apoiando um líder para ser mais semelhante ao Salvador e percebi que ou um(a) professor(a)? a experiência daquele dia na Escola Dominical havia fortalecido muito meu testemunho. Sou muito grato Aqui estão algumas pessoas a quem apoiamos: por minha professora da Escola Dominical e por tudo profeta, membros do bispado ou da presidência do o que ela faz por nossa classe todas as semanas. ◼ ramo, líder da missão da ala ou do ramo, professora da Primária, líderes da Primária. Escreva ou converse com seus pais a respeito de algumas coisas que você pode fazer para apoiar essas pessoas.6 A Liahona
  9. 9. M E N S AG E M DA S P R O F E S S O R A S V I S I TA N T E SEstude este material em espírito de oração e, conforme julgar conveniente, discuta-o com as irmãs que Fé, Família, Auxíliovocê visita. Use as perguntas para ajudar no fortalecimento das irmãs e para fazer com que a Socie-dade de Socorro seja parte ativa da sua própria vida.Professora De Nossa HistóriaVisitante: Um Eliza R. Snow, a segunda presidente geral da Socie-Chamado Sagrado dade de Socorro, ensinou: “Considero o cargo de pro-C omo professoras visitantes, temos fessora elevado e sagrado”. uma importante missão espiritual a Ela aconselhou as professorascumprir. “O bispo, que é ordenado pas- visitantes a estarem “cheiastor da ala, não tem condições de cuidar do Espírito de Deus, dede todas as ovelhas do Senhor de uma só sabedoria, de humildade,vez. Ele depende de professoras visitan- de amor” antes de visitar otes inspiradas que o ajudem.” 1 É essen- lar das irmãs, a fim de pode-cial buscar e receber revelação quanto rem conhecer e suprir suasa quem deve ser designada a cuidar de necessidades espirituais ecada irmã. materiais. Ela disse: “Sentirão A inspiração começa quando as irmãs se devem falar palavras deque compõem a presidência da Socie- paz e consolo, e caso encon-dade de Socorro discutem, em espíritode oração, as necessidades das pessoas Das Escrituras trem a irmã passando frio, Mateus 22:36–40; João 13:34–35; Alma 37:6–7 tomem-na em seu coraçãoindividualmente e das famílias. Depois, como tomariam uma criançacom a aprovação do bispo, a presidência no colo para aquecê-la”.5da Sociedade de Socorro faz as designa- NOTAS Ao prosseguirmos com 1. Julie B. Beck, “Sociedade de Socorro — Um Tra-ções de modo a ajudar as irmãs a com- balho Sagrado”, A Liahona, novembro de 2009, fé, como o fizeram nossaspreender que o trabalho de professora p. 110. 2. Ver Manual 2: Administração da Igreja, 2010, irmãs pioneiras da Sociedadevisitante é uma importante responsabili- 9.5; 9.5.2. de Socorro, teremos a com-dade espiritual.2 3. Ver Manual 2, 9.5.1. 4. Julie B. Beck, A Liahona, novembro de 2009, panhia do Espírito Santo e As professoras visitantes passam a p. 110. seremos inspiradas a saber 5. Eliza R. Snow, citada em Filhas em Meu Reino:conhecer e a amar sinceramente cada A História e o Trabalho da Sociedade de como ajudar cada irmã queirmã, ajudam-nas a fortalecer sua fé e Socorro, 2011, p. 118. visitarmos. “Que [busque- 6. Eliza R. Snow, em Filhas em Meu Reino, p. 50.oferecem ajuda quando necessário. Elas mos] sabedoria em vez debuscam revelação pessoal para saber poder”, disse a irmã Snow,como atender às necessidades espirituais “e [teremos] todo o podere temporais de cada irmã que visitam.3 que [tivermos] a sabedoria “A visita de professoras visitantes se O Que Posso Fazer? para exercer”. 6torna um trabalho do Senhor quandofocalizamos a pessoa, em vez de estatís- 1. Como posso melhorar minha capaci- dade de cumprir minha importante res-ticas. Na realidade, a visita da professora ponsabilidade como professora visitante?visitante não termina. Trata-se de uma 2. Como professora visitante, como possoforma de vida, mais do que uma tarefa.” 4 ajudar outras irmãs a cumprir sua respon- sabilidade de professoras visitantes?Acesse www.reliefsociety.LDS.org para mais informações. J u n h o d e 2 0 1 2 7
  10. 10. Coisas Pequenas e Simples “É por meio de coisas pequenas e simples que as grandes são realizadas” (Alma 37:6). O Coro do Tabernáculo Mórmon em Destaque NO ALTO, À ESQUERDA: FOTOGRAFIA DE BUSATH PHOTOGRAPHY; OUTRAS FOTOGRAFIAS © IRI, EXCETO QUANDO INDICADO; FOTOGRAFIA DO CORO EM FRENTE À ÓPERA DE SYDNEY, AUSTRÁLIA © DESERET MORNING NEWS ; À DIREITA: CURIOSIDADES LHAM-SE DIANTE DO ALTAR, DE DEL PARSON © 1988 IRI; DETALHE DE OH! ABENÇOADO JESUS, DE WALTER RANE; DETALHE DE ESTAR NO MUNDO SEM SER DO MUNDO, DE PAUL MANN; RAINHA ESTER, DE MINERVA TEICHERT © WILLIAM E DETALHE DE A ESTRADA PARA BELÉM, DE JOSEPH BRICKEY © 2000; SARIA, ESPOSA DE LEÍ, DE NATHAN PINNOCK; O FUNDAMENTO DA ESPERANÇA (ANA) , DE ELSPETH YOUNG, REPRODUÇÃO PROIBIDA; DETALHE DE ADÃO E EVA AJOE- SOBRE O CORO • Os vestidos usados pelas irmãs do coro são desenha- dos e costurados por um comitê de figurinos. • Há cerca de vinte casais no coro e na Orquestra da Praça do Templo. BETTY STOKES; MARIA OUVIU SUA PALAVRA, DE WALTER RANE © 2001; EMMA HALE SMITH, DE LEE GREENE RICHARDS © 1941 IRI; DETALHE DE RUTE E NOEMI, DE JUDITH MEHR © 1992 • O coro já recebeu dois discos de platina e cinco de ouro. • O coro apresentou-se na cerimônia de posse de cinco presidentes norte-americanos. M ilhões de pessoas no mundo inteiro conhe- cem bem a música do Coro do bagagens e quatro caminhões de equipamentos. Depois, viajam para várias cidades, às Tabernáculo Mórmon, seja pelas vezes a uma distância de seis a apresentações na conferência dez horas. geral ou por programas como Durante a viagem, cada Música e Palavras de Inspiração, membro do coro usa um crachá transmitido semanalmente há 83 azul com seu nome e o logotipo anos. Menos conhecidos, porém, do coro. Todos os integrantes do são os detalhes sobre o dia a dia coro e da orquestra foram designa- desse grupo de cantores. dos como “missionários musicais” O Coro do Tabernáculo Mór- e assim representam a Igreja em mon é composto de 360 cantores todos os lugares por onde passam. no coro tratam essa oportunidade voluntários de 25 a 60 anos de Quando os membros do coro como um chamado. Assim que idade. Ao longo dos anos, o coro não estão viajando, a rotina sema- ingressam, é-lhes explicado que o viajou para 28 países e apresen- nal consiste em pelo menos um tempo dedicado ao coro equivale tou-se em 37 Estados norte-ameri- ensaio no meio da semana, bem ao despendido pelos presidentes canos e em Washington, D.C. Em como produções de Música e de quórum de élderes ou presiden- geral, todos viajam juntos de avião Palavras de Inspiração, programa tes da Sociedade de Socorro numa para o local aonde vão se apre- transmitido pela televisão e pelo ala. Quando são aceitos no coro, os sentar. Em seguida, enchem onze rádio todos os domingos de manhã membros podem ficar por até vinte ônibus de excursão, seguidos por para o mundo inteiro. anos ou até completarem 60 anos quatro ônibus que transportam as Os membros da Igreja admitidos de idade.8 A Liahona
  11. 11. A ESCOLHA DOSHINOS PARA AS Você Conhece as MulheresREUNIÕES DA das Escrituras?IGREJA V• Antes do início da reunião, eja se consegue fazer a correspondência da descri- certifique-se de que a auto- ção das mulheres das escrituras com os respectivos ridade que estiver presi- nomes. Utilize as referências das escrituras, caso precise dindo aprova a música que de ajuda. foi selecionada.• Com vários dias de antece- dência, entre em contato com o(a) pianista ou o(a) organista para que saiba quais hinos deve ensaiar para a reunião. A. Maria, B. Saria C. Ana D. Eva E. Abis• Para as reuniões sacramen- mãe do Senhor tais, pense na atmosfera que cada hino criará. Os hinos de abertura, na reunião sacramental, externam lou- vor e gratidão a Deus pela Restauração do evangelho. Os hinos sacramentais refle- F. Sara G. Ester H. Maria, I. Emma Smith J. Rute irmã de Marta tem sobre o sacramento ou o sacrifício do Salvador. 1. Meu marido consolou-me quando cho- 5. Eu “[escolhi] a boa parte” ao ouvir as Os hinos de encerramento rei por meus filhos, que estavam numa palavras de Jesus Cristo quando Ele visi- podem inspirar a congrega- viagem perigosa (ver 1 Néfi 5:1, 6). tou minha família em Betânia (ver Lucas ção a reforçar seu compro- 2. Fui serva na casa do rei Lamôni e 10:42). misso com os convênios que havia-me convertido ao Senhor muitos 6. Meu povo jejuou por mim quando arris- renovaram e prestar teste- anos antes da conversão do rei (ver quei minha própria vida ao suplicar ao munho dos princípios do Alma 19:16). rei que os poupasse (ver Ester 4:16). evangelho que aprenderam. 3. Quando meu marido morreu, “[ape- 7. Meu nome significa “mãe de todos os• Para as aulas da Sociedade guei-me]” a minha sogra e disse-lhe que viventes” (ver Gênesis 3:20). de Socorro ou as reuniões seu povo seria meu povo, e seu Deus, 8. Fui chamada de “mulher eleita” em do sacerdócio, convém meu Deus (ver Rute 1:14, 16). Doutrina e Convênios e fiz “uma seleção consultar o instrutor. Ele ou 4. Sou mencionada pelo nome tanto no de hinos sacros” (ver D&C 25:3, 11). ela pode querer sugerir um Novo Testamento quanto no Livro de 9. Eu era viúva havia 84 anos quando sau- hino relacionado à aula. Se Mórmon. Sou descrita como “extrema- dei o menino Jesus no templo (ver Lucas o instrutor não tiver prefe- mente branca e formosa” e como “um 2:36–38). rências, os líderes podem vaso precioso e escolhido” (ver 1 Néfi 0. Quando o Senhor mudou o nome de 1 11:13; Alma 7:10). meu marido, mudou o meu para um propor um hino que com- nome que significa “princesa” (ver Gêne- plemente o tema da aula. sis 17:15).Ver Hinos, pp. 266–267; Manual 2:Administração da Igreja, 2010, 14.4;14.6. Respostas: 1. B; 2. E; 3. J; 4. A; 5. H; 6. G; 7. D; 8. I; 9. C; 10. F J u n h o d e 2 0 1 2 9
  12. 12. NOSSA CRENÇA O Jejum NOS FORTALECE TANTO ESPIRITUAL COMO MATERIALMENTE O jejum faz parte do evangelho que têm problemas de saúde que para receber revelação para nossas ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA: TALAT MEHMOOD, JOHN LUKE E WELDEN C. ANDERSEN; DETALHE DE PARA TAL TEMPO COMO de Jesus Cristo desde a época podem agravar-se devido ao jejum responsabilidades na Igreja e assim do Velho Testamento (ver, devem exercer sabedoria e modificar por diante. O jejum ajuda-nos a sentir por exemplo, Daniel 9:3; Joel 2:12). O a forma de fazê-lo. compaixão por aqueles que passam jejum fortalece as pessoas espiritual- Os membros da Igreja jejuam por fome regularmente. O jejum também mente e aumenta a eficácia de suas diversas razões. Podemos jejuar e orar ajuda nosso espírito a triunfar sobre o orações (ver Isaías 58:6–11). Atual- por um membro da família que esteja corpo. ◼ ESTE, DE ELSPETH YOUNG mente, os membros da Igreja de Jesus doente, por exemplo. Podemos jejuar NOTA 1. Sempre Fiéis, 2004, p. 102. Cristo dos Santos dos Últimos Dias para expressar gratidão a Deus, para jejuam e doam à Igreja o dinheiro desenvolver maior humildade, para Para saber mais sobre esse assunto, ver que teriam gasto em alimentos, a fim superar uma fraqueza ou um pecado, Mateus 6:16–18; Alma 5:46; 6:6. de ajudar os pobres e necessitados. “A Igreja designa um domingo a cada mês, geralmente o primeiro, como dia de jejum. A observância correta do domingo de jejum inclui passarmos sem alimento ou bebida por duas refeições consecutivas [num período de 24 horas], assistir à reu- nião de jejum e testemunhos e dar- mos uma oferta de jejum para ajudar a cuidar dos necessitados. A sua oferta de jejum deve ser pelo menos o equivalente às duas refeições que você deixou de comer. Quando possível, seja generoso e doe muito mais do que isso. Além da observância dos dias de jejum determinados pelos líderes da Igreja, você pode jejuar em qualquer outro dia, de acordo com as neces- sidades pessoais ou a dos outros. Entretanto, não é aconselhável jejuar com muita frequência nem por perío- dos excessivamente longos.” 1 Aqueles10 A L i a h o n a
  13. 13. O domingo de jejum inclui prestar testemunho na reunião sacramental. Somos incentivados aJejuar significa ficar ser generosos ao fazerdeliberadamente sem comer as ofertas de jejum, poisou beber com o propósito de a Igreja usa o dinheiroaproximar-nos do Senhor e para ajudar os pobres epedir Suas bênçãos. necessitados. “[A lei do jejum] é simples e perfeita, baseada na razão e na inteligência, e não apenas proporcionaria uma solução à questão do auxílio aos pobres, mas teria bons resul- tados para os que cumprissem essa lei. Ela faria (…) o corpo sujeitar-se ao espírito, e assim promoveria a comunhão com O jejum é mais eficaz O jejum sempre foi praticado o Espírito Santo, assegurando quando acompanhado pelos que creem. Os antigos pela oração. judeus, por exemplo, jejuaram força e poder espirituais de por Ester para que ela pudesse que as pessoas deste país entrar na presença do rei e tanto precisam. Como o jejum suplicar-lhe que protegesse seu sempre se faz acompanhar da povo (ver Ester 4:16). oração, essa lei aproximaria muito mais as pessoas de Deus.” Presidente Joseph F. Smith (1838– 1918), Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph F. Smith, 1998, pp. 197–198. J u n h o d e 2 0 1 2 11
  14. 14. SERVIR NA IGREJA O POTENCIAL DE SERVIÇO DOS JOVENS Norman C. Hill O s nigerianos gostam de dizer que vivem sob “um escal- dante sol africano”. As tem- DAR AOS peraturas perto da linha do Equador de largura”, disse Emmanuel. “Se JOVENS A variam muito pouco, seja qual for a conseguirmos terminar rapidamente, OPORTUNI- estação. Assim, quando realizamos os outros verão que é possível acabar DADE DE nosso projeto de serviço pan-afri- antes do que imaginam.” SERVIR cano em agosto, iniciamos às 7 horas Os rapazes tinham trabalhado o “Quantas presi- da manhã para conseguir fazer o dia inteiro, divididos em dois grupos, dências de quórum máximo possível nas horas mais fres- cada qual partindo de extremos opos- de diáconos e mestres se conten- cas da manhã. tos do terreno. Nenhum dos grupos tam em simplesmente chamar Munidos de pás, ancinhos e facões, conseguira passar da metade e abrir alguém para oferecer uma oração ou distribuir o sacramento? Irmãos, começamos a retirar ervas daninhas caminho pelo labirinto de mato. Com esses são espíritos verdadeiramente e recolher o lixo do terreno baldio dores nas costas, pus-me de joelhos especiais, e eles podem realizar próximo à capela da Ala Yaba, Estaca em busca de alívio enquanto conti- coisas de grande importância: Lagos Nigéria. Depois de três horas, nuava roçando o mato com um facão. — só precisam de uma chance!” havíamos limpado cerca de três quar- Preocupados, alguns jovens se apro- Élder Neal A. Maxwell (1926–2004), do Quó- tos do lote de quase dois hectares. ximaram para ver se podiam ajudar e rum dos Doze Apóstolos, “Unto the Rising Generation”, Ensign, abril de 1985, p. 11. “O que acham de completar esse então se atiraram ao trabalho ao ver pedaço e marcar outro dia para con- que Emmanuel e eu continuávamos a cluir a limpeza do terreno?” pergun- cortar o mato, cada qual partindo de tou o bispo. seu extremo do terreno, em direção aqueles rapazes podiam realizar. Ao ouvir isso do bispo, o jovem ao outro. Em questão de minutos nos Víamos somente rapazes cansados, Emmanuel, presidente do quórum de encontramos no meio do terreno e mas o Emmanuel viu uma oportu- mestres, expressou decepção. festejamos juntos. Ao ver esse resul- nidade para seus amigos crescerem “Se deixarmos essa parte sem tado, outros jovens se puseram a em dignidade e autoconfiança. Ele fazer, nenhum dos jovens vai sentir trabalhar em pares, fazendo a mesma sabia que aquele esforço extra traria que fez um bom trabalho hoje”, disse coisa. maior satisfação para eles do que ele. “Por favor, vamos terminar.” Em menos de uma hora, termi- deixar para terminar o trabalho mais O mato na maior parte chegava namos tudo. Satisfeitos e risonhos, tarde. Ele nos fez recordar a força dos a quase dois metros de altura, obs- cumprimentamo-nos mutuamente — jovens da Igreja e o quanto todos nos truindo-nos a visão e dificultando em especial ao Emmanuel, que lite- beneficiamos quando eles contribuem a percepção de quanto faltava para ralmente havia aberto o caminho para e lideram. ILUSTRAÇÃO: BRIAN CALL terminar. os outros seguirem. Aprendi que não precisamos espe- “Irmão Hill, vamos ver quanto O bispo e eu pensávamos que, rar que nossos jovens cresçam — eles tempo nós dois demoramos para lim- com toda a nossa experiência e podem fazer a diferença já: basta que par uma faixa estreita de meio metro sabedoria, tínhamos noção do que os deixemos agir. ◼12 A L i a h o n a
  15. 15. Élder Marcos A. Aidukaitis Dos Setenta A Alegria DE SANTIFICAR O DIA DO SENHOR O fato de ter sido criado como santo Lembro-me vividamente de como meus dos últimos dias em um ambiente amigos e eu, quando jovens, ficávamos feli- não SUD foi uma das experiências zes em dizer um ao outro que não tínhamos mais agradáveis de minha juventude. O que perdido nenhuma reunião da Igreja durante mais lembro são as reuniões da família e o ano inteiro. Talvez não estivéssemosDETALHE DE A ÚLTIMA CEIA, DE SIMON DEWEY; FUNDO © GETTY IMAGES; TODAS AS OUTRAS FOTOGRAFIAS FORAM FORNECIDAS PELA FAMÍLIA AIDUKAITIS de amigos nos aniversários, feriados, jogos plenamente cientes do que nos acontecia de futebol e, de vez em quando, em um como fruto de nossa frequência fiel, mas churrasco em família. Outra lembrança que estávamos nos mantendo limpos das man- guardo com carinho é a de irmos juntos à chas do mundo. Além disso, tínhamos um Testifico que Igreja, em família, aos domingos. coração feliz e um semblante alegre, e nossa temos alegria e Era uma coisa natural e básica para nossa alegria era realmente completa (ver D&C família santificar o Dia do Senhor e adorar 59:9, 13–15). bênçãos quando nosso Pai Celestial e Seu Filho Jesus Cristo. adoramos a Como jovem, na Igreja, sempre ansiava pelos Uma Tradição do Dia do Senhor Deus em Seu dia jogos de futebol nas noites de terça-feira, mas Por muitos anos, minha mulher, meus santificado — também aguardava com grande expectativa filhos e eu mantemos a tradição de passar a reunião sacramental, a Escola Dominical e as férias de verão em uma prainha perto de inclusive bênçãos o sacerdócio, no domingo. Sentíamo-nos tão casa, no Sul do Brasil. Houve ocasiões em que não bem de estar com os irmãos e irmãs no evan- que nos mudamos por causa do trabalho, podemos ver. gelho que não nos apressávamos para voltar mas por mais longe que morássemos daquela para casa depois das reuniões. prainha, sempre fazíamos a viagem anual, Foi só depois que me casei e passei a ter com grande expectativa e alegria. Da mesma minha própria família que realmente pude forma, nossos parentes e amigos vinham de valorizar o bom exemplo que meus pais me longe para reunir-nos todos uma vez por deram durante meus anos de formação. Como ano. Todos chegavam cedo para poderem pai de família, passei a compreender melhor ficar o máximo de tempo possível. como é importante “[ir] à casa de oração e Naquela prainha, nossa família teve muitas [oferecer nossos] sacramentos no (…) dia oportunidades maravilhosas de crescimento santificado [do Senhor]” (D&C 59:9). Passei a espiritual e ensino do evangelho. A maioria compreender melhor as bênçãos que Ele pro- de nossos parentes não eram membros de A meteu aos que cumprem esse mandamento. Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos J u n h o d e 2 0 1 2 13
  16. 16. Teria sido fácil Dias e não compartilhavam nossas crenças às reuniões no domingo. Tínhamos frequen-encontrar justifica- religiosas. Para eles, o Dia do Senhor era ape- tado a Igreja o ano inteiro, e nossos paren-tivas racionais para nas outro dia para brincar e divertir-se. Como tes só podiam reunir-se por um período de havia mais parentes na praia nos fins de poucas semanas no ano.quebrar o manda- semana do que nos outros dias da semana, Mesmo assim, nunca deixamos de ir àmento do Dia do nossa presença e participação nas atividades Igreja aos domingos, nem uma vez sequer!Senhor em nossas dominicais eram não apenas esperadas, mas Lembramos os ensinamentos do Senhor:férias anuais na insistentemente solicitadas, inclusive por “E para que mais plenamente te conservespraia, mas nunca nossos filhos. limpo das manchas do mundo, irás à casa dedeixamos de ir à Nossos filhos eram pequenos e estavam oração e oferecerás teus sacramentos no meu ainda aprendendo a aplicar as verdades do dia santificado;Igreja aos domingos. evangelho. Para eles, a tentação de partici- Porque em verdade este é um dia desig- par de atividades com os primos e amigos nado para descansares de teus labores e no domingo era muito grande. Dedicar prestares tua devoção ao Altíssimo; (…) tempo à família é uma parte importante do Lembra-te, porém, de que no dia do evangelho, e seria fácil encontrar justificati- Senhor oferecerás tuas oblações e teus sacra- vas racionais para quebrar o mandamento mentos ao Altíssimo. (…) do Dia do Senhor. Afinal, a unidade mais E nesse dia não farás qualquer outra coisa; próxima da Igreja, na época, ficava a quase seja teu alimento preparado com singeleza 100 quilômetros da praia. Nossos amigos e de coração para que teu jejum seja perfeito, vizinhos de nossa congregação de origem ou, em outras palavras, para que tua alegria estavam bem distantes, e nenhum deles fica- seja completa” (D&C 59:9–13). ria sabendo que ficamos na praia em vez de Decidimos cumprir esse mandamento pegar a estrada para ir até a capela e assistir e ensinamos a nossos filhos que deviam14 A L i a h o n a
  17. 17. cumpri-lo também. Em pouco tempo, elescompreenderam que era mais importanteadorar a Deus em Seu dia santificado do queagradar à família e aos amigos ou satisfazerseus próprios desejos.Abençoados pela Obediência Nos domingos, na praia, acordávamoscedo, vestíamo-nos para a adoração dedomingo e íamos de carro até a capela maispróxima. Em nossa viagem e durante todo mas todos sabem que no domingo nossa Ainda vamos àquelao dia, desfrutávamos a paz e a alegria que família não estará ali para brincar. Em vez praia todos os anos,o Senhor prometeu aos que cumprem Seus disso, vamos à Igreja e adoramos a Deus mas todos sabem quemandamentos. Aprendemos que esse sen- com nossos familiares que se uniram a nós: no domingo nossatimento de paz e alegria não provém do um grupo que está ficando cada vez maiormundo. a cada ano! família não estará ali Após vários anos seguindo essa rotina, Quando recordamos aqueles anos e pen- para brincar. Em vezalgo maravilhoso aconteceu. Nossos filhos samos nas escolhas que fizemos, agradece- disso, vamos à Igrejapararam de questionar a importância de mos a Deus por ajudar-nos a ter a coragem e adoramos a Deusadorar a Deus em Seu dia santificado, e de fazer o que era certo e de ensinar nossos com nossos familiaresvários dos primos de nossos filhos come- filhos a agir da mesma forma. Não temos a que se uniram a nós.çaram a perguntar se podiam ir à Igreja menor dúvida de que aquela decisão fortale-conosco! Mal sabíamos que o sentimento de ceu nossos filhos bem como nossos parentes.paz e alegria que tínhamos também era sen- Ela nos proporcionou a paz prometida pelotido por nossos sobrinhos quando voltáva- Senhor, teve um papel importante na conver-mos das reuniões. Por fim, isso resultou em são de membros de nossa família e nos aben-uma grande bênção. Depois que algumas çoou com uma satisfação que não se podedaquelas crianças se tornaram adolescentes, encontrar em outras atividades de domingodois deles de uma família disseram aos pais: que não preenchem a alma.“Queremos tornar-nos santos dos últimos Testifico que temos alegria e bênçãosdias”. Pouco depois, toda a família foi bati- quando adoramos a Deus em Seu dia santifi-zada. Recentemente, um dos filhos, hoje cado — inclusive bênçãos que não podemosex-missionário, casou-se no templo. ver. Testifico que “bem-aventurado é o povo Ainda vamos àquela praia todos os anos, cujo Deus é o Senhor” (Salmos 144:15). ◼ J u n h o d e 2 0 1 2 15
  18. 18. C L Á SS I CO S D O E VA N G EL H O Arbítrio e E dessa forma nos defrontamos com duas Inspiração proposições. Uma é a de que devemos ser guiados pelo espírito de inspiração, o espí- rito de revelação. A outra é a de que fomos orientados nesta vida a usar nosso arbítrio para decidir por conta própria o que fazer. Precisamos encontrar um ponto de equilíbrio entre essas duas diretivas. (…) Bruce R. McConkie nasceu em 29 de julho Gostaria, se me permitem, de apresentar de 1915, no estado do Michigan, EUA. Foi três estudos de caso que talvez lhes sirvam apoiado para o Primeiro Conselho dos Setenta para extrair algumas conclusões realistas e em 1946 e ordenado Apóstolo em 1972. Mor- sensatas sobre como deve ser nossa existên- reu em 19 de abril de 1985. Este discurso foi cia. Utilizarei essas ilustrações à luz de algu- proferido na Universidade Brigham Young, mas revelações que o Senhor nos concedeu. em 27 de fevereiro de 1973. Élder Bruce R. McConkie (1915–1985) “Eis Que Não Compreendeste” Do Quórum dos Doze Apóstolos Primeiro estudo de caso: Havia um homem chamado Oliver Cowdery. (…) Ele Q escrevia as palavras que o Profeta ditava O que se espera uando vivíamos na presença de Deus, enquanto o Espírito repousava sobre Joseph nosso Pai Celestial, fomos investidos no processo de tradução (o Livro de Mór- de nós é que do arbítrio. Isso nos deu a oportuni- mon estava sendo traduzido). O irmão façamos tudo a dade e o privilégio de escolher a maneira Cowdery era relativamente imaturo espiri- nosso alcance, como agiríamos para fazer uma escolha livre tualmente na época e procurou e desejou para depois bus- e desimpedida. (…) O que se espera de nós fazer algo que estava além de sua capaci- é que usemos os dons, talentos e capacida- dade espiritual naquele momento. Ele quis car uma resposta des, a inteligência, o julgamento e o arbítrio traduzir por si mesmo. Assim, ele [pediu] do Senhor, um que nos foram conferidos. ao Profeta, o qual levou a solicitação ao ILUSTRAÇÕES FOTOGRÁFICAS: DAVID STOKER; FOTOGRAFIA selo de confir- Contudo, por outro lado, recebemos o Senhor, e eles receberam uma revelação. O mandamento de buscar o Senhor e dese- Senhor disse: “Oliver Cowdery, em verdade mação de que jar Seu Espírito a fim de obter o espírito de em verdade eu te digo que, tão certamente DE ÁRVORES © PLAINPICTURE/HASENGOLD. chegamos à con- revelação e a inspiração na vida. Filiamo-nos quanto vive o Senhor, que é teu Deus e teu clusão correta. à Igreja e um administrador legal impôs as Redentor, tão certamente receberás conhe- mãos sobre nossa cabeça e disse: “Recebe o cimento de todas as coisas que pedires Espírito Santo!” Foi-nos então concedido o com fé, com um coração honesto, crendo dom do Espírito Santo, que é o direito à com- que receberás”. Uma das coisas que ele panhia constante desse membro da Trindade, receberia foi definida como “conhecimento mediante nossa fidelidade. concernente a gravações de velhos registros16 A L i a h o n a
  19. 19. JOVENSque são antigos, os quais contêm aquelaspartes de minhas escrituras das quais sefalou pela manifestação de meu Espírito”. Depois de lidar daquela forma com oproblema em questão, o Senhor revelou umprincípio que se aplicava àquela e a todasas situações semelhantes: “Eu te falarei emtua mente e em teu coração, pelo EspíritoSanto que virá sobre ti e que habitará emteu coração. Ora, eis que este é o espírito derevelação” (D&C 8:2–3). (…) E então, ele pediu. E como sabem,ele falhou: foi totalmente incapaz de tradu-zir. (…) O assunto foi levado novamente aoSenhor, cuja promessa eles haviam tentadocolocar em prática. E a resposta veio, arazão pela qual ele não conseguiu traduzir:“Eis que não compreendeste; supuseste queeu o concederia a ti, quando nada fizeste anão ser pedir-me” (D&C 9:7). Mas parecia que essa fora justamente ainstrução recebida: pedir com fé. Todavia, oprocesso de pedir com fé implica o cumpri-mento da exigência precedente, que é fazertudo ao nosso alcance para cumprir a metaque almejamos. Devemos usamos o arbítriodo qual fomos investidos. Devemos usartodas as faculdades, capacidades e habilida-des que possuímos para atingir o objetivoem questão. Isso se aplica à tradução doLivro de Mórmon, à escolha da esposa oude um emprego: aplica-se a qualquer umadas inúmeras coisas importantes que sur-gem em nossa vida.“Que Desejais Que Eu Faça?” Passemos ao segundo estudo de caso:[Os jareditas] chegam ao grande mar que J u n h o d e 2 0 1 2 17
  20. 20. C lássicos do E vangelho Ao amadure- deverão cruzar, e o Senhor ordena [ao irmão deu porque o irmão de Jarede se empenhara de Jarede]: “Construa barcos”. (…) ao máximo e se aconselhara com o Senhor. cermos espi- [Os barcos] seriam usados em circunstân- Há um equilíbrio delicado entre arbítrio ritualmente, cias bem difíceis e inusitadas, e [o irmão de e inspiração. O que se espera de nós é que aprendemos Jarede] precisava de algo mais do que aquilo façamos tudo a nosso alcance, para depois a estabelecer que já havia nos barcos: necessitava de ar. buscar uma resposta do Senhor, um selo de Esse era um problema que estava além de confirmação de que chegamos à conclusão o equilíbrio sua capacidade. Por isso, levou o assunto ao correta. E há felizes ocasiões, em que, além entre o uso de Senhor e, como a solução transcendia total- disso, obtemos até mais verdades e conheci- nosso arbítrio mente sua capacidade, o Senhor resolveu a mento do que havíamos imaginado. questão e disse: “Aja desta forma e assim para decidir terá ar”. “Como Decidirem entre Eles e Mim” o que fazer e E novamente o irmão de Jarede — con- Vejamos o terceiro estudo de caso: No a orientação fiante por ter conversado com o Senhor início da história da Igreja, o Senhor ordenou longamente e obtido respostas — fez-Lhe que os santos se reunissem em certo lugar que recebemos outra pergunta: (…) “Como faremos para ter no Missouri. (…) Vejam o que aconteceu. pelo espírito de luz nos barcos?” O Senhor disse: inspiração. E o Senhor conversou com ele mais um “Como falei a respeito de meu servo pouco e depois indagou: “Que desejais que Edward Partridge, esta terra é a terra de sua eu faça, a fim de que tenhais luz em vossos residência e dos que ele nomeou como seus barcos?” (Éter 2:23). Em outras palavras: conselheiros; e também a terra da residência “Dei-te o arbítrio; recebeste a capacidade e daquele a quem designei para cuidar de meu a habilidade. Agora arregaça as mangas e armazém; resolve o problema!” Portanto, que tragam suas famílias para E o irmão de Jarede captou a mensagem. esta terra [prestem atenção nisto], como deci- Subiu ao monte chamado Selém, e o registro direm entre eles e mim” [D&C 58:24–25; grifo diz que “de uma rocha [ele] fundiu dezes- do autor]. (…) seis pequenas pedras; e elas eram brancas Como veem, o Senhor disse “reunir-se” e límpidas, como vidro transparente” (Éter em Sião. Contudo, os detalhes e os prepara- 3:1). (…) tivos, o como, o quando e as circunstâncias E o Senhor fez conforme o irmão de deveriam ser determinados pelo arbítrio dos Jarede pediu, e essa é a ocasião em que ele que foram chamados para reunir-se. Mas eles viu o dedo do Senhor. E durante aquele deviam aconselhar-se com o Senhor. (…) momento de comunhão, recebeu revelações Depois de dizer isso ao Bispado Presi- que excediam tudo o que qualquer profeta dente da Igreja, o Senhor revelou o princípio já recebera até aquele momento. O Senhor que regeu aquela situação e que rege todas revelou-lhe Sua natureza e personalidade as situações. Trata-se de uma de nossas glo- mais do que jamais o fizera antes, e isso se riosas verdades reveladas. Ele disse:18 A L i a h o n a
  21. 21. JOVENS “Pois eis que não é conveniente que em todas as coisas eu mande; pois o que é com- pelido em todas as coisas é servo indolente e não sábio; portanto não recebe recompensa. Em verdade eu digo: Os homens devem ocupar-se zelosamente numa boa causa e fazer muitas coisas de sua livre e espontâ- nea vontade e realizar muita retidão” [D&C 58:26–27; grifo do autor]. (…) Esses são os três estudos de caso. Vamos ver qual foi a conclusão revelada. (…) Caso vocês aprendam a usar o arbítrio que Deus lhes concedeu, caso procurem tomar as próprias decisões, caso cheguem a conclusões que lhes pareçam boas e cor- retas, e caso se aconselhem com o Senhor e obtenham Seu aval, o selo de aprovação, sobre as conclusões a que chegaram, então, por um lado, terão recebido revelação. E por outro, terão a grande recompensa da vida eterna e serão elevados no último dia. (…) Deus nos concedeu sabedoria nessas coisas. Concedeu-nos a coragem e a capaci- dade de andarmos com as próprias pernas e usarmos nosso arbítrio e as faculdades e habilidades que possuímos. Portanto, que sejamos suficientemente humildes e moldá- veis diante do Espírito para submetermos nossa vontade à vontade Dele, para obter- mos seu ratificador selo de aprovação eFOTOGRAFIA DE ÁRVORES: CRAIG DIMOND assim conseguirmos em nossa vida o espírito de revelação. Se assim procedermos, não há dúvida quanto ao resultado, que será: paz nesta vida; glória, honra e distinção na vida futura. ◼ A ortografia, a pontuação e o uso de iniciais maiúsculas foram atualizados. J u n h o d e 2 0 1 2 19
  22. 22. AGIR SOB Inspiração Todo santo dos últimos dias tem o privilégio de receber diariamente inspiração por meio do Espírito. Se estivermos dignos de seguir os sussur- ros espirituais e dispostos a fazê-lo, podemos receber a orientação com a qual o Pai Celestial deseja nos abençoar. Seguem-se três relatos de mem- bros que ouviram e seguiram os sussurros do Espírito e que, por isso, receberam bênçãos em abundância. Eu Precisava Voltar C erta noite, enquanto servia na estaca como líder do sacerdócio em Loulé, Por- tugal, fui levar alguns jovens para casa após Pai Celestial: “Senhor, o que foi?” Assim que cheguei à ponte, saí do carro e o Senhor me respondeu, pois ouvi alguém gritando lá de uma atividade da estaca. Era muito tarde, e ao baixo: “Socorro! Ajude-nos!” ir para casa depois de deixar os jovens, entrei Havia pouquíssima luz, e não conseguia ver numa estrada escura de uma área rural com nada além da pequena luz laranja brilhando poucos carros. No caminho, passei sobre uma lá em baixo. Havia um barranco íngreme sob pequena ponte e vi uma luz tremeluzindo a ponte e, sem ter luz suficiente, não sabia a meu lado direito na beira do rio, como se como ajudar. Peguei o telefone e liguei para a fosse um início de incêndio. equipe de resgate, que chegou pouco tempo Devido à umidade da noite, pensei que, depois. mesmo que fosse um incêndio, ele se apaga- A pequena luz vinha de um carro com ria sozinho, e decidi voltar a atenção para a cinco pessoas que havia derrapado na estrada. estrada adiante. Duas pessoas perderam a vida, mas poderia Não tinha dirigido mais do que alguns ter sido pior se eu não tivesse atendido à voz metros quando ouvi uma voz que disse: do Espírito Santo. “Pare!” Fiquei surpreso, pois estava sozinho no Testifico que o Senhor fala a nós por meio ILUSTRAÇÕES: DAN BURR carro; mas ignorei a voz e continuei a dirigir. do Espírito, seja com uma voz mansa e deli- Em seguida a voz soou como um trovão: “Pare cada, seja com voz de trovão. Sou grato por e volte!” Imediatamente, dei meia-volta com tê-la ouvido naquela noite. Sei que o Senhor o carro e voltei. Ao fazer isso, perguntei ao vive, que nos ama e que o Espírito Santo Se20 A L i a h o n a
  23. 23. comunica conosco. Só precisamos estar aten-tos a Sua voz. ◼Nestor Querales, PortugalDecidi OuvirH á muitos anos, comecei a ter a sensação persistente de que precisava montar umlivro de receitas da família, que contivessetambém receitas de parentes mais afasta-dos. Deixei a ideia de lado. Pensava comigomesma: “Não tenho tempo para fazer um fútillivro de receitas! Tenho seis filhos agitados!Montar livros de receitas é para as mães quepassam o dia fazendo pães caseiros e rosqui-nhas de canela. Não tenho tempo para isso!” Mas aquele sentimento ainda me perseguiudurante anos, até que um dia, finalmente,decidi levar a ideia a sério. Perguntei-mequem, em minha família, gostaria de parti-cipar. Eu era o único membro da Igreja nafamília. Meus pais eram falecidos, eu nãotinha irmãos, e a maioria dos outros parentesmorava longe. Contudo, decidi dar ouvidosàquela inspiração mesmo assim. Entrei em contato com meus familiares eexpliquei-lhes que estava montando um livrode receitas da família e pedi-lhes que memandassem receitas. Durante o ano que seseguiu, recebi diversas receitas. Alguns paren-tes mandaram também relatos e fotografias dafamília. Isso me inspirou a entrevistar meusparentes vivos mais idosos e reunir as históriasde nossa família, que decidi incluir no livro. Na montagem do livro, percebi que nemsequer conhecia muitos dos membros dafamília que haviam enviado as receitas. Poressa razão, decidi incluir também uma árvoregenealógica. Solicitei os dados pessoais detodo mundo, coloquei-os na árvore da famíliae acrescentei ao manuscrito. J u n h o d e 2 0 1 2 21
  24. 24. Parecia a Coisa Certa O ESPÍRITO VAI GUIÁ-LOS “O dom do Espí- Ao fazer a última revisão do livro depois de montado, parei na página da árvore genealó- gica e subitamente senti-me subjugada pelo O Espírito comunica-Se conosco de inú- meras maneiras. Já vivenciei momentos de paz, sentimentos de consolo e clareza de rito Santo, se vocês Espírito. Não pude conter as lágrimas ao pensamento. Algumas de minhas impressões permitirem, vai perceber de modo pungente o motivo pelo mais fortes vêm simplesmente como um senti- guiá-los e protegê- qual eu devia montar aquele “fútil” livro de mento que confirma que algo é verdadeiro ou los, e até corrigir receitas. Não se tratava, na verdade, de um correto. Não é fácil descrever esse sentimento, suas ações. É uma livro de receitas. Eu havia colecionado nomes mas ele se manifesta quando simplesmente voz espiritual que e datas de gerações de antepassados. Todas sabemos que alguma coisa é verdadeira ou vem à mente como aquelas pessoas poderiam então receber as que precisamos agir. um pensamento ou ordenanças do templo. Além disso, eu tinha Uma das experiências pessoais mais intensas como um sentimento preservado histórias maravilhosas para as que já tive quanto a esse sentimento ocorreu na colocado em seu gerações vindouras. época em que procurava uma casa para com- coração. (…) Não é esperado que vocês Hoje mantenho regularmente contato com prar. Eu era solteiro e durante anos acalentara nunca cometam erros vários primos e desfruto um relacionamento o sonho da casa própria. Eu disse à corretora na vida, mas vocês maravilhoso com meus parentes. Quando de imóveis o que eu procurava, e ela se saiu não vão cometer um olho para meu livro de receitas, penso sem- muito bem ao localizar casas que correspon- erro importante sem pre na escritura: “Portanto, não vos canseis diam a minha descrição. Ela me mostrava as antes serem avisados de fazer o bem, porque estais lançando o casas, mas eu sempre as descartava, pois sentia pelos sussurros do alicerce de uma grande obra. E de pequenas que não era exatamente aquilo. Ela passou a Santo Espírito. Essa coisas provém aquilo que é grande” (D&C me perguntar o que eu não tinha gostado em promessa se aplica a 64:33). Ainda me assombro quando paro cada uma das casas, a fim de poder me mostrar todos os membros para pensar em todas as coisas alegres e outras mais adequadas a minhas necessidades. da Igreja.” maravilhosas que resultaram do fato de eu Infelizmente, não conseguia expressar muito Presidente Boyd K. Packer, seguir uma inspiração e montar um simples bem o que estava faltando. Presidente do Quórum dos Doze Apóstolos, “Conselho livro de culinária. ◼ Por fim, numa tarde, entramos numa casa para os Jovens”, A Liahona, Nancy Williamson Gibbs, Colorado, EUA que não era tão bonita quanto algumas que novembro de 2011, p. 16.22 A L i a h o n a

×