SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE
CETESB - COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO
02
Processo N°
N°
LICENÇA DE OPERAÇÃO
VALIDADE ATÉ : 27/03/2014
Versão: 01
Data: 28/08/2013
05/01524/07
5006887
Ampliação
IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE
Nome CNPJ
Logradouro Cadastro na CETESB
Número Complemento Bairro CEP Município
CARACTERÍSTICAS DO PROJETO
Atividade Principal
Descrição
Bacia Hidrográfica UGRHI
Corpo Receptor Classe
Área ( metro quadrado)
Terreno Construída Atividade ao Ar Livre Novos Equipamentos Lavra(ha)
Horário de Funcionamento (h)
Início
às
Término
Número de Funcionários
Administração Produção Data Número
A CETESB–Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, no uso das atribuições que lhe foram
conferidas pela Lei Estadual nº 118/73, alterada pela Lei 13.542 de 08 de maio de 2009, e demais
normas pertinentes, emite a presente Licença, nas condições e termos nela constantes;
A presente licença está sendo concedida com base nas informações apresentadas pelo interessado e
não dispensa nem substitui quaisquer Alvarás ou Certidões de qualquer natureza, exigidos pela
legislação federal, estadual ou municipal;
A presente Licença de Operação refere-se aos locais, equipamentos ou processos produtivos
relacionados em folha anexa;
Os equipamentos de controle de poluição existentes deverão ser mantidos e operados adequadamente,
de modo a conservar sua eficiência;
No caso de existência de equipamentos ou dispositivos de queima de combustível, a densidade da
fumaça emitida pelos mesmos deverá estar de acordo com o disposto no artigo 31 do Regulamento da
Lei Estadual nº 997, de 31 de maio de 1976, aprovado pelo Decreto nº 8468, de 8 de setembro de
1976, e suas alterações;
Alterações nas atuais atividades, processos ou equipamentos deverão ser precedidas de Licença
Prévia e Licença de Instalação, nos termos dos artigos 58 e 58-A do Regulamento acima mencionado;
Caso venham a existir reclamações da população vizinha em relação a problemas de poluição
ambiental causados pela firma, esta deverá tomar medidas no sentido de solucioná-los em caráter de
urgência;
A renovação da licença de operação deverá ser requerida com antecedência mínima de 120 dias,
contados da data da expiração de seu prazo de validade.
USO DA CETESB EMITENTE
SD N° Tipos de Exigências Técnicas Local:
ENTIDADE
Esta licença de número 5006887 foi certificada por assinatura digital, processo
eletrônico baseado em sistema criptográfico assimétrico, assinado eletronicamente por
chave privada. Para verificação de sua autenticidade deve ser consultada a página da
CETESB, na Internet, no endereço: www.cetesb.sp.gov.br/licenca
PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS - ATERRO SANITÁRIO DELTA A 51.885.242/0001-40
ESTRADA DA MÃO BRANCA 244-2333-7
KM 03 COMPLEXO DELTA 13001-970 CAMPINAS
Aterro sanitário
12 - CAPIVARI 5 - PIRACICABA/CAPIVARI/JUNDIAÍ
620.000,00 400.000,00
00:01 23:59 0 0
Licença Prévia e de Instalação
04/03/2011 05000695
05024034 Ar, Ruído, Outros
CAMPINAS
Pag.1/4
Pag.2/4
GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE
CETESB - COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO
02
Processo N°
N°
LICENÇA DE OPERAÇÃO
VALIDADE ATÉ : 27/03/2014
Versão: 01
Data: 28/08/2013
05/01524/07
5006887
Ampliação
ENTIDADE
EXIGÊNCIAS TÉCNICAS
01. A Prefeitura Municipal de Campinas deverá apresentar no prazo de 30 (trinta) dias, contado da emissão
desta Licença, complementação do Plano de Ação - Geotecnia apresentado em 03.07.2013, de modo a atender
integralmente a exigência técnica n.º 07 da Licença de Operação a Título Precário n.º 5001096, contemplando
os seguintes pontos:
- Conter os critérios associados às ações a serem realizadas em função do comportamento deformacional e do
nível de saturação do maciço. Tais critérios devem permitir que o interessado adote medidas em função da
magnitude das deformações do maciço, bem como do desenvolvimento de pressões neutras em seu interior;
- As ações propostas no Plano devem estar associadas a dados quantitativos obtidos a partir das leituras da
instrumentação para o monitoramento geotécnico;
- No âmbito do monitoramento geotécnico do aterro deverá ser aumentada a freqüência de leituras topográficas
dos marcos superficiais para avaliação das deformações do maciço, passando o acompanhamento mensal, como vem
sendo realizado, para acompanhamento e análise no mínimo semanal, devendo ser intensificado, caso necessário,
em função dos critérios associados às ações de controle a serem adotadas no Plano de Ação e rotinas de
monitoramento geotécnico do maciço de resíduos.
02. A Prefeitura Municipal de Campinas deverá apresentar no prazo de 30 (trinta) dias, contado da emissão
desta Licença, cronograma de implantação da Unidade de Transbordo de Resíduos que obteve a Licença de
Instalação n.º 05003723, a qual deverá estar concluída e em condições de operação até o encerramento da vida
útil do aterro com o alteamento do maciço da cota 630 m a 640 m.
03. Prefeitura Municipal de Campinas deverá manter o monitoramento de todos os piezômetros instalados e
avaliar os dados, acompanhar os deslocamentos dos marcos superficiais e o monitoramento geotécnico efetuando
inspeções rotineiras com o intuito de identificar eventuais trincas por tração, processos erosivos ou
inchamentos nas superfícies do talude, paralisando a disposição dos resíduos, caso identificada qualquer
situação de risco, bem como adotar as medidas emergenciais e corretivas necessárias, comunicando de imediato
à CETESB, Agência Ambiental de Campinas.
Deverá, ainda, elaborar relatórios mensais do monitoramento geotécnico, contendo a interpretação dos dados
aferidos na rede de instrumentação geotécnica, de forma a permitir sua utilização na operação do aterro
sanitário. Esses documentos devem ser utilizados para o gerenciamento do aterro sanitário.
Trimestralmente deverá apresentar à CETESB, Agência Ambiental de Campinas e na forma eletrônica, relatório
consolidado, interpretativo e conclusivo dos relatórios mensais do Monitoramento Geotécnico do Aterro.
04. A Prefeitura Municipal de Campinas deverá apresentar no prazo de 30 (trinta) dias, contado da emissão
desta Licença, Plano de Contingência para destinação dos resíduos do Município, na eventual necessidade de
paralisação da disposição de resíduos no aterro, caso sejam identificadas quaisquer situações de risco,
conforme previsto na exigência técnica n.º 3.
05. A Prefeitura Municipal de Campinas deverá manter a sistemática de monitoramento da qualidade das águas
superficiais e subterrâneas na área de influência do aterro, apresentando trimestralmente os respectivos
relatórios conclusivos à CETESB, Agência Ambiental de Campinas, na forma eletrônica e em papel, acompanhado
de ART do profissional responsável e Termo de Responsabilidade firmado pelo representante legal da Prefeitura
Municipal de Campinas.
06. A Prefeitura Municipal de Campinas deverá adotar como critério para acionamento do sistema de extração
forçada de líquidos percolados o limite máximo de saturação na cota 624 m e distanciamento de 6 m das
superfícies laterais do maciço, ou inferior a esta cota caso os monitoramentos a serem realizados indiquem
esta necessidade.
O sistema de extração forçada dos líquidos percolados deverá ser mantido continuamente em condições de
operação.
07. Deverão ser estendidos, para o alteamento, os sistemas de drenagem de gases e de chorume de forma a
manter adequada operação dos sistemas em todo o maciço.
Deverá ser implantado o sistema de drenagem de águas pluviais e cobertura vegetal por todas as superfícies
finais do maciço de resíduo, mantendo constantemente as ações para verificar e executar medidas corretivas
nos sistemas de drenagem internos ao maciço, de modo a impedir a ocorrência de afloramentos de líquidos
percolados.
08. A Prefeitura Municipal de Campinas deverá manter operação adequada do aterro para a disposição,
Pag.3/4
GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE
CETESB - COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO
02
Processo N°
N°
LICENÇA DE OPERAÇÃO
VALIDADE ATÉ : 27/03/2014
Versão: 01
Data: 28/08/2013
05/01524/07
5006887
Ampliação
ENTIDADE
compactação e cobertura imediata dos resíduos, de forma a minimizar as emissões odoríferas e a presença de
urubus na área do aterro, além da manutenção contínua dos sistemas de drenagens de águas pluviais, chorume,
gases e sistemas de monitoramentos das águas superficiais, subterrâneas e da estabilidade do maciço, ficando
vetado o uso de resíduo da construção civil para cobertura das células.
09. O pátio e as áreas de movimentação e tráfego de máquinas e veículos em geral deverão ser pavimentados
ou umectados permanentemente, de forma a impedir a emissão de poeiras (material particulado) na atmosfera, em
quantidades que possam causar inconvenientes ao bem estar público.
10. Deverá ser garantida a manutenção das características dos elementos constituintes dos sistemas de
proteção ambiental do alteamento em consonância com os aspectos técnico-construtivos e especificações de
projeto analisadas por meio dos Pareceres nº 079/10/TACR e n º 009/11/TACR, já de conhecimento da Prefeitura
de Campinas.
11. Deverá ser mantida a adequada operação do empreendimento, com o fiel cumprimento das normas técnicas
vigentes, bem como, deverão ser adotadas todas as medidas preventivas e corretivas necessárias, de forma a
assegurar que o mesmo não se constitua um foco de atração de aves.
12. Caso o sistema de tratamento de efluentes líquidos (chorume) implantado no Aterro Delta 1A seja
reativado, fica estabelecido que o lançamento de efluentes líquidos em corpo receptor deverá atender os
padrões legais de emissão e qualidade estabelecidos no Regulamento da Lei Estadual 997/76, aprovado pelo
Decreto 8.468/76 e suas alterações; e na Resolução CONAMA 357/05.
13. O ruído e as vibrações geradas devido à movimentação de máquinas (tratores de esteira) e veículos
deverão ser controlados, com o fim de evitar inconvenientes ao bem estar público e incômodos a população
14. Fica proibida a emissão de material particulado e substâncias odoríferas na atmosfera em quantidades
que possam ser perceptíveis fora dos limites da propriedade do empreendimento, com o fim de evitar
inconvenientes ao bem estar público e incômodos a população vizinha.
15. Fica proibida a disposição de resíduos no local que não sejam de origem domiciliar.
16. Toda documentação técnica a ser apresentada à CETESB, exigidas nesta licença, deverá ser acompanhada
de Anotação de Responsabilidade Técnica - ART do responsável técnico por sua elaboração, bem como, para o
acompanhamento da implantação do Plano, no decorrer da operação do empreendimento, devidamente recolhida.
OBSERVAÇÕES
01. A Prefeitura de Campinas deverá comunicar à CETESB, Agência Ambiental de Campinas, de imediato,
qualquer desconformidade ambiental identificada nos monitoramentos e/ou nas inspeções visuais no maciço,
indicando as ações adotadas para reversão da situação, sob pena de caracterizar situação agravante para
definição das ações administrativas a serem adotadas por este Órgão.
02. O não atendimento das exigências e prazos estabelecidos nas Observações/Exigências desta Licença
poderá acarretar o cancelamento de seus efeitos e/ou na aplicação das sanções legais.
03. Em vista do curto período que eventualmente será obtido com licença para o alteamento até a cota 640
m, é imprescindível que haja o empenho da Prefeitura Municipal de Campinas em mobilizar-se para prover
condições futuras adequadas relativas à gestão dos resíduos sólidos municipais, sobretudo no que se refere a
sua disposição final, e para o projeto de encerramento da área do aterro e sua recuperação ambiental com
vistas ao uso futuro da área.
04. Tendo em vista que a ampliação do Aterro Delta A ocorrerá por alteamento do maciço que foi objeto da
licença de operação nº 5004377, de 30.06.2009, prevista para até a cota 630 metros, e que teve sua vida útil
esgotada, esta última terá sua validade estendida concomitantemente e para os prazos fixados nesta licença,
tendo em vista que são comuns as estruturas de drenagem de chorume, de gases e de aguas pluviais e as
relativas aos monitoramentos de águas superficiais e subterrâneas, dos piezômetros e marcos superficiais e as
unidades de armazenamento de chorume, administrativas e operacionais, não sendo contemplada qualquer
disposição de resíduos fora das áreas previstas no alteamento.
Pag.4/4
GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE
CETESB - COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO
02
Processo N°
N°
LICENÇA DE OPERAÇÃO
VALIDADE ATÉ : 27/03/2014
Versão: 01
Data: 28/08/2013
05/01524/07
5006887
Ampliação
ENTIDADE

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Licença Prévia e de Instalação
Licença Prévia e de InstalaçãoLicença Prévia e de Instalação
Licença Prévia e de Instalaçãoatualsanitarios
 
Delta A/Cetesb-LP LI 16-12-2011
Delta A/Cetesb-LP LI 16-12-2011Delta A/Cetesb-LP LI 16-12-2011
Delta A/Cetesb-LP LI 16-12-2011Laura Magalhães
 
Estre/Licença Cetesb operação parcial
Estre/Licença Cetesb operação parcialEstre/Licença Cetesb operação parcial
Estre/Licença Cetesb operação parcialAnita Rocha
 
Tac Cetesb/Delta A e outros
Tac Cetesb/Delta A e outrosTac Cetesb/Delta A e outros
Tac Cetesb/Delta A e outrosLaura Magalhães
 
Tac cetesb aterro delta a pirelli santa barbara
Tac cetesb aterro delta a pirelli santa barbaraTac cetesb aterro delta a pirelli santa barbara
Tac cetesb aterro delta a pirelli santa barbaraResgate Cambuí
 
Parecer tecnico 08-2017
Parecer tecnico 08-2017Parecer tecnico 08-2017
Parecer tecnico 08-2017Emilio Viegas
 
1197643419 -projeto basico-aterro
1197643419 -projeto basico-aterro1197643419 -projeto basico-aterro
1197643419 -projeto basico-aterroPaulo Davi Pinheiro
 
Delta A/Cetesb -LP 23-9-2011
Delta A/Cetesb -LP 23-9-2011Delta A/Cetesb -LP 23-9-2011
Delta A/Cetesb -LP 23-9-2011Laura Magalhães
 
Nbr 8419 nb 843 apresentacao de projetos de aterros sanitarios de residuos ...
Nbr 8419 nb 843   apresentacao de projetos de aterros sanitarios de residuos ...Nbr 8419 nb 843   apresentacao de projetos de aterros sanitarios de residuos ...
Nbr 8419 nb 843 apresentacao de projetos de aterros sanitarios de residuos ...Universidade Federal da Bahia
 
Ofício requerimento comdema 12 04 2016 da presidencia do comdema com minuta...
Ofício requerimento comdema 12 04 2016   da presidencia do comdema com minuta...Ofício requerimento comdema 12 04 2016   da presidencia do comdema com minuta...
Ofício requerimento comdema 12 04 2016 da presidencia do comdema com minuta...Resgate Cambuí
 
Lei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolis
Lei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolisLei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolis
Lei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolisWelinton Rosa da Silva
 
Apresentação weber coutinho sustentar 2011
Apresentação weber coutinho  sustentar 2011Apresentação weber coutinho  sustentar 2011
Apresentação weber coutinho sustentar 2011forumsustentar
 
Resolução conama nº 307
Resolução conama nº 307Resolução conama nº 307
Resolução conama nº 307luismar1234
 

Mais procurados (17)

Licença Prévia e de Instalação
Licença Prévia e de InstalaçãoLicença Prévia e de Instalação
Licença Prévia e de Instalação
 
Delta A/Cetesb-LP LI 16-12-2011
Delta A/Cetesb-LP LI 16-12-2011Delta A/Cetesb-LP LI 16-12-2011
Delta A/Cetesb-LP LI 16-12-2011
 
Estre/Licença Cetesb operação parcial
Estre/Licença Cetesb operação parcialEstre/Licença Cetesb operação parcial
Estre/Licença Cetesb operação parcial
 
Tac Cetesb/Delta A e outros
Tac Cetesb/Delta A e outrosTac Cetesb/Delta A e outros
Tac Cetesb/Delta A e outros
 
Tac cetesb aterro delta a pirelli santa barbara
Tac cetesb aterro delta a pirelli santa barbaraTac cetesb aterro delta a pirelli santa barbara
Tac cetesb aterro delta a pirelli santa barbara
 
Parecer tecnico 08-2017
Parecer tecnico 08-2017Parecer tecnico 08-2017
Parecer tecnico 08-2017
 
1197643419 -projeto basico-aterro
1197643419 -projeto basico-aterro1197643419 -projeto basico-aterro
1197643419 -projeto basico-aterro
 
Delta A/Cetesb -LP 23-9-2011
Delta A/Cetesb -LP 23-9-2011Delta A/Cetesb -LP 23-9-2011
Delta A/Cetesb -LP 23-9-2011
 
Nbr 8419 nb 843 apresentacao de projetos de aterros sanitarios de residuos ...
Nbr 8419 nb 843   apresentacao de projetos de aterros sanitarios de residuos ...Nbr 8419 nb 843   apresentacao de projetos de aterros sanitarios de residuos ...
Nbr 8419 nb 843 apresentacao de projetos de aterros sanitarios de residuos ...
 
Ofício requerimento comdema 12 04 2016 da presidencia do comdema com minuta...
Ofício requerimento comdema 12 04 2016   da presidencia do comdema com minuta...Ofício requerimento comdema 12 04 2016   da presidencia do comdema com minuta...
Ofício requerimento comdema 12 04 2016 da presidencia do comdema com minuta...
 
Lei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolis
Lei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolisLei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolis
Lei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolis
 
Dn118
Dn118Dn118
Dn118
 
O TCU e as Licitações Sustentáveis
O TCU e as Licitações SustentáveisO TCU e as Licitações Sustentáveis
O TCU e as Licitações Sustentáveis
 
Calculos vazao
Calculos vazaoCalculos vazao
Calculos vazao
 
Hidrosanitaria
HidrosanitariaHidrosanitaria
Hidrosanitaria
 
Apresentação weber coutinho sustentar 2011
Apresentação weber coutinho  sustentar 2011Apresentação weber coutinho  sustentar 2011
Apresentação weber coutinho sustentar 2011
 
Resolução conama nº 307
Resolução conama nº 307Resolução conama nº 307
Resolução conama nº 307
 

Destaque

Cantareira/ação reflorestamento
Cantareira/ação reflorestamentoCantareira/ação reflorestamento
Cantareira/ação reflorestamentoLia Prado
 
How Markets Can Restore Louisiana¹s Marshes - WSJ[11]
How Markets Can Restore Louisiana¹s Marshes - WSJ[11]How Markets Can Restore Louisiana¹s Marshes - WSJ[11]
How Markets Can Restore Louisiana¹s Marshes - WSJ[11]George Howard
 
Ateequr Rahman updated new
Ateequr Rahman updated newAteequr Rahman updated new
Ateequr Rahman updated newAteequr Rahman
 
Amazing Examples of Successful People Overcoming Adversity
Amazing Examples of Successful People Overcoming AdversityAmazing Examples of Successful People Overcoming Adversity
Amazing Examples of Successful People Overcoming AdversityDavid Kiger
 
Unity Feedback PD Controller Design for an Electronic Throttle Body
Unity Feedback PD Controller Design for an Electronic Throttle BodyUnity Feedback PD Controller Design for an Electronic Throttle Body
Unity Feedback PD Controller Design for an Electronic Throttle BodySteven Ernst, PE
 
Навчально-розвивальні вправидо уроків украйнської мови і читання
Навчально-розвивальні вправидо уроків украйнської мови і читанняНавчально-розвивальні вправидо уроків украйнської мови і читання
Навчально-розвивальні вправидо уроків украйнської мови і читанняvira2015
 
Rigid internal fixations
Rigid internal fixationsRigid internal fixations
Rigid internal fixationsroshalmt
 

Destaque (12)

Resume
ResumeResume
Resume
 
Design, Modelling & Analytical Analysis of Rotary Fixture for CNC with an App...
Design, Modelling & Analytical Analysis of Rotary Fixture for CNC with an App...Design, Modelling & Analytical Analysis of Rotary Fixture for CNC with an App...
Design, Modelling & Analytical Analysis of Rotary Fixture for CNC with an App...
 
Cantareira/ação reflorestamento
Cantareira/ação reflorestamentoCantareira/ação reflorestamento
Cantareira/ação reflorestamento
 
How Markets Can Restore Louisiana¹s Marshes - WSJ[11]
How Markets Can Restore Louisiana¹s Marshes - WSJ[11]How Markets Can Restore Louisiana¹s Marshes - WSJ[11]
How Markets Can Restore Louisiana¹s Marshes - WSJ[11]
 
Ateequr Rahman updated new
Ateequr Rahman updated newAteequr Rahman updated new
Ateequr Rahman updated new
 
BHEL ppt
BHEL  pptBHEL  ppt
BHEL ppt
 
CHAPTER-1234
CHAPTER-1234CHAPTER-1234
CHAPTER-1234
 
Amazing Examples of Successful People Overcoming Adversity
Amazing Examples of Successful People Overcoming AdversityAmazing Examples of Successful People Overcoming Adversity
Amazing Examples of Successful People Overcoming Adversity
 
Unity Feedback PD Controller Design for an Electronic Throttle Body
Unity Feedback PD Controller Design for an Electronic Throttle BodyUnity Feedback PD Controller Design for an Electronic Throttle Body
Unity Feedback PD Controller Design for an Electronic Throttle Body
 
Навчально-розвивальні вправидо уроків украйнської мови і читання
Навчально-розвивальні вправидо уроків украйнської мови і читанняНавчально-розвивальні вправидо уроків украйнської мови і читання
Навчально-розвивальні вправидо уроків украйнської мови і читання
 
Rigid internal fixations
Rigid internal fixationsRigid internal fixations
Rigid internal fixations
 
Beat Communication(English)
Beat Communication(English)Beat Communication(English)
Beat Communication(English)
 

Semelhante a Cetesb-Delta A -LO 2013

Delta A/Cetesb -LP 12-12-2012
Delta A/Cetesb -LP 12-12-2012 Delta A/Cetesb -LP 12-12-2012
Delta A/Cetesb -LP 12-12-2012 Laura Magalhães
 
Delta A/transbordo 2018- LI vencida
Delta A/transbordo 2018- LI vencidaDelta A/transbordo 2018- LI vencida
Delta A/transbordo 2018- LI vencida1962laura
 
Regulamento iqm 2017 final
Regulamento iqm 2017 finalRegulamento iqm 2017 final
Regulamento iqm 2017 finalSemmaPereiro
 
Licenciamento instalacao predial
Licenciamento instalacao predialLicenciamento instalacao predial
Licenciamento instalacao predialWescley Sena
 
Portaria 3268 2017 ribeiro bonito
Portaria 3268  2017 ribeiro bonito Portaria 3268  2017 ribeiro bonito
Portaria 3268 2017 ribeiro bonito CBH Rio das Velhas
 
Orientacoes paraatualizacaodascurvascotaxareaxvolume
Orientacoes paraatualizacaodascurvascotaxareaxvolumeOrientacoes paraatualizacaodascurvascotaxareaxvolume
Orientacoes paraatualizacaodascurvascotaxareaxvolumeWallace Beliza
 
Parecer Comdema Recanto da Fortuna-Campinas 25/8/16
Parecer Comdema Recanto da Fortuna-Campinas 25/8/16Parecer Comdema Recanto da Fortuna-Campinas 25/8/16
Parecer Comdema Recanto da Fortuna-Campinas 25/8/16resgate cambui ong
 
Aterros sanitarios 2007 (2)
Aterros sanitarios 2007 (2)Aterros sanitarios 2007 (2)
Aterros sanitarios 2007 (2)rafael dias
 
Aterros sanitarios 2007 (2)
Aterros sanitarios 2007 (2)Aterros sanitarios 2007 (2)
Aterros sanitarios 2007 (2)rafael dias
 
CHECK LIST Hospital clinicas e similares.pdf
CHECK LIST Hospital clinicas e similares.pdfCHECK LIST Hospital clinicas e similares.pdf
CHECK LIST Hospital clinicas e similares.pdfJaqueRibeiro8
 
Oficio 73 2014 perguntas cso mackenzie (1)
Oficio 73 2014 perguntas cso mackenzie (1)Oficio 73 2014 perguntas cso mackenzie (1)
Oficio 73 2014 perguntas cso mackenzie (1)Francis Zeman
 
Termo de referência transbordo, transporte e disposição final
Termo de referência transbordo, transporte e disposição finalTermo de referência transbordo, transporte e disposição final
Termo de referência transbordo, transporte e disposição finalJeffinhoSantos2
 
Sanasa/barragem Sousas-plano trabalho
Sanasa/barragem Sousas-plano trabalhoSanasa/barragem Sousas-plano trabalho
Sanasa/barragem Sousas-plano trabalhoEmilio Viegas
 
Programa de gerenciamento de resíduos sólidos satélite íris
Programa de gerenciamento de resíduos sólidos   satélite írisPrograma de gerenciamento de resíduos sólidos   satélite íris
Programa de gerenciamento de resíduos sólidos satélite írisLaura Magalhães
 

Semelhante a Cetesb-Delta A -LO 2013 (20)

Delta A/Cetesb LO 2016
Delta A/Cetesb LO 2016Delta A/Cetesb LO 2016
Delta A/Cetesb LO 2016
 
Delta A/Cetesb/ LO 2012
Delta A/Cetesb/ LO 2012Delta A/Cetesb/ LO 2012
Delta A/Cetesb/ LO 2012
 
Delta A/Cetesb -LP 12-12-2012
Delta A/Cetesb -LP 12-12-2012 Delta A/Cetesb -LP 12-12-2012
Delta A/Cetesb -LP 12-12-2012
 
Delta A/transbordo 2018- LI vencida
Delta A/transbordo 2018- LI vencidaDelta A/transbordo 2018- LI vencida
Delta A/transbordo 2018- LI vencida
 
Regulamento iqm 2017 final
Regulamento iqm 2017 finalRegulamento iqm 2017 final
Regulamento iqm 2017 final
 
Bloco3
Bloco3Bloco3
Bloco3
 
Licenciamento instalacao predial
Licenciamento instalacao predialLicenciamento instalacao predial
Licenciamento instalacao predial
 
CETESP
CETESPCETESP
CETESP
 
Portaria 3268 2017 ribeiro bonito
Portaria 3268  2017 ribeiro bonito Portaria 3268  2017 ribeiro bonito
Portaria 3268 2017 ribeiro bonito
 
Orientacoes paraatualizacaodascurvascotaxareaxvolume
Orientacoes paraatualizacaodascurvascotaxareaxvolumeOrientacoes paraatualizacaodascurvascotaxareaxvolume
Orientacoes paraatualizacaodascurvascotaxareaxvolume
 
Parecer Comdema Recanto da Fortuna-Campinas 25/8/16
Parecer Comdema Recanto da Fortuna-Campinas 25/8/16Parecer Comdema Recanto da Fortuna-Campinas 25/8/16
Parecer Comdema Recanto da Fortuna-Campinas 25/8/16
 
Aterros sanitarios 2007 (2)
Aterros sanitarios 2007 (2)Aterros sanitarios 2007 (2)
Aterros sanitarios 2007 (2)
 
Aterros sanitarios 2007 (2)
Aterros sanitarios 2007 (2)Aterros sanitarios 2007 (2)
Aterros sanitarios 2007 (2)
 
Apresentacao IGAM
Apresentacao IGAMApresentacao IGAM
Apresentacao IGAM
 
CHECK LIST Hospital clinicas e similares.pdf
CHECK LIST Hospital clinicas e similares.pdfCHECK LIST Hospital clinicas e similares.pdf
CHECK LIST Hospital clinicas e similares.pdf
 
Oficio 73 2014 perguntas cso mackenzie (1)
Oficio 73 2014 perguntas cso mackenzie (1)Oficio 73 2014 perguntas cso mackenzie (1)
Oficio 73 2014 perguntas cso mackenzie (1)
 
Termo de referência transbordo, transporte e disposição final
Termo de referência transbordo, transporte e disposição finalTermo de referência transbordo, transporte e disposição final
Termo de referência transbordo, transporte e disposição final
 
Sanasa/barragem Sousas-plano trabalho
Sanasa/barragem Sousas-plano trabalhoSanasa/barragem Sousas-plano trabalho
Sanasa/barragem Sousas-plano trabalho
 
Programa de gerenciamento de resíduos sólidos satélite íris
Programa de gerenciamento de resíduos sólidos   satélite írisPrograma de gerenciamento de resíduos sólidos   satélite íris
Programa de gerenciamento de resíduos sólidos satélite íris
 
Conama res cons_1986_001
Conama res cons_1986_001Conama res cons_1986_001
Conama res cons_1986_001
 

Mais de Lia Prado

Rio empreendimentos e incorporações tac mp 22.08.2016
Rio empreendimentos e incorporações tac mp 22.08.2016Rio empreendimentos e incorporações tac mp 22.08.2016
Rio empreendimentos e incorporações tac mp 22.08.2016Lia Prado
 
CPFL multada por podas radicais em 43 árvores.
CPFL multada por podas radicais em 43 árvores.CPFL multada por podas radicais em 43 árvores.
CPFL multada por podas radicais em 43 árvores.Lia Prado
 
Bula Sinovac-Butantan
Bula Sinovac-ButantanBula Sinovac-Butantan
Bula Sinovac-ButantanLia Prado
 
Sanasa levantamento areas3/3
Sanasa levantamento areas3/3Sanasa levantamento areas3/3
Sanasa levantamento areas3/3Lia Prado
 
Sanasa levantamento areas2/3
Sanasa levantamento areas2/3Sanasa levantamento areas2/3
Sanasa levantamento areas2/3Lia Prado
 
Sanasa levantamento areas1/3
Sanasa levantamento areas1/3Sanasa levantamento areas1/3
Sanasa levantamento areas1/3Lia Prado
 
SANASA/edital barragem -AEGEA
SANASA/edital barragem -AEGEASANASA/edital barragem -AEGEA
SANASA/edital barragem -AEGEALia Prado
 
Barão resiste e rejeita plano diretor 7/5/17
Barão resiste e  rejeita plano diretor 7/5/17Barão resiste e  rejeita plano diretor 7/5/17
Barão resiste e rejeita plano diretor 7/5/17Lia Prado
 
BRT/EMDEC-plano operacional agosto 2015
BRT/EMDEC-plano operacional agosto 2015BRT/EMDEC-plano operacional agosto 2015
BRT/EMDEC-plano operacional agosto 2015Lia Prado
 
BRT/EMDEC-justificativa 18/8/15
BRT/EMDEC-justificativa  18/8/15BRT/EMDEC-justificativa  18/8/15
BRT/EMDEC-justificativa 18/8/15Lia Prado
 
TAC aditivo Gilbeá/prefeitura
TAC aditivo Gilbeá/prefeituraTAC aditivo Gilbeá/prefeitura
TAC aditivo Gilbeá/prefeituraLia Prado
 
TAC Gilbéa/prefeitura Campinas
TAC Gilbéa/prefeitura CampinasTAC Gilbéa/prefeitura Campinas
TAC Gilbéa/prefeitura CampinasLia Prado
 
Plano gestão residuos/ 24-08-2012
Plano gestão residuos/ 24-08-2012Plano gestão residuos/ 24-08-2012
Plano gestão residuos/ 24-08-2012Lia Prado
 
Cetesb-Delta A certificado aprovacao
Cetesb-Delta A certificado aprovacaoCetesb-Delta A certificado aprovacao
Cetesb-Delta A certificado aprovacaoLia Prado
 

Mais de Lia Prado (14)

Rio empreendimentos e incorporações tac mp 22.08.2016
Rio empreendimentos e incorporações tac mp 22.08.2016Rio empreendimentos e incorporações tac mp 22.08.2016
Rio empreendimentos e incorporações tac mp 22.08.2016
 
CPFL multada por podas radicais em 43 árvores.
CPFL multada por podas radicais em 43 árvores.CPFL multada por podas radicais em 43 árvores.
CPFL multada por podas radicais em 43 árvores.
 
Bula Sinovac-Butantan
Bula Sinovac-ButantanBula Sinovac-Butantan
Bula Sinovac-Butantan
 
Sanasa levantamento areas3/3
Sanasa levantamento areas3/3Sanasa levantamento areas3/3
Sanasa levantamento areas3/3
 
Sanasa levantamento areas2/3
Sanasa levantamento areas2/3Sanasa levantamento areas2/3
Sanasa levantamento areas2/3
 
Sanasa levantamento areas1/3
Sanasa levantamento areas1/3Sanasa levantamento areas1/3
Sanasa levantamento areas1/3
 
SANASA/edital barragem -AEGEA
SANASA/edital barragem -AEGEASANASA/edital barragem -AEGEA
SANASA/edital barragem -AEGEA
 
Barão resiste e rejeita plano diretor 7/5/17
Barão resiste e  rejeita plano diretor 7/5/17Barão resiste e  rejeita plano diretor 7/5/17
Barão resiste e rejeita plano diretor 7/5/17
 
BRT/EMDEC-plano operacional agosto 2015
BRT/EMDEC-plano operacional agosto 2015BRT/EMDEC-plano operacional agosto 2015
BRT/EMDEC-plano operacional agosto 2015
 
BRT/EMDEC-justificativa 18/8/15
BRT/EMDEC-justificativa  18/8/15BRT/EMDEC-justificativa  18/8/15
BRT/EMDEC-justificativa 18/8/15
 
TAC aditivo Gilbeá/prefeitura
TAC aditivo Gilbeá/prefeituraTAC aditivo Gilbeá/prefeitura
TAC aditivo Gilbeá/prefeitura
 
TAC Gilbéa/prefeitura Campinas
TAC Gilbéa/prefeitura CampinasTAC Gilbéa/prefeitura Campinas
TAC Gilbéa/prefeitura Campinas
 
Plano gestão residuos/ 24-08-2012
Plano gestão residuos/ 24-08-2012Plano gestão residuos/ 24-08-2012
Plano gestão residuos/ 24-08-2012
 
Cetesb-Delta A certificado aprovacao
Cetesb-Delta A certificado aprovacaoCetesb-Delta A certificado aprovacao
Cetesb-Delta A certificado aprovacao
 

Último

Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdfReservadaBiosferadaM
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxReservadaBiosferadaM
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPReservadaBiosferadaM
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ReservadaBiosferadaM
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfReservadaBiosferadaM
 
poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024LorenaRocha85
 
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfHELLEN CRISTINA
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAReservadaBiosferadaM
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxReservadaBiosferadaM
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfHELLEN CRISTINA
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfReservadaBiosferadaM
 
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...atendimento93
 
avaliação pratica .pdf
avaliação pratica                      .pdfavaliação pratica                      .pdf
avaliação pratica .pdfHELLEN CRISTINA
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptxReservadaBiosferadaM
 

Último (14)

Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
 
poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024
 
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
 
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
 
avaliação pratica .pdf
avaliação pratica                      .pdfavaliação pratica                      .pdf
avaliação pratica .pdf
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
 

Cetesb-Delta A -LO 2013

  • 1. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE CETESB - COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO 02 Processo N° N° LICENÇA DE OPERAÇÃO VALIDADE ATÉ : 27/03/2014 Versão: 01 Data: 28/08/2013 05/01524/07 5006887 Ampliação IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE Nome CNPJ Logradouro Cadastro na CETESB Número Complemento Bairro CEP Município CARACTERÍSTICAS DO PROJETO Atividade Principal Descrição Bacia Hidrográfica UGRHI Corpo Receptor Classe Área ( metro quadrado) Terreno Construída Atividade ao Ar Livre Novos Equipamentos Lavra(ha) Horário de Funcionamento (h) Início às Término Número de Funcionários Administração Produção Data Número A CETESB–Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pela Lei Estadual nº 118/73, alterada pela Lei 13.542 de 08 de maio de 2009, e demais normas pertinentes, emite a presente Licença, nas condições e termos nela constantes; A presente licença está sendo concedida com base nas informações apresentadas pelo interessado e não dispensa nem substitui quaisquer Alvarás ou Certidões de qualquer natureza, exigidos pela legislação federal, estadual ou municipal; A presente Licença de Operação refere-se aos locais, equipamentos ou processos produtivos relacionados em folha anexa; Os equipamentos de controle de poluição existentes deverão ser mantidos e operados adequadamente, de modo a conservar sua eficiência; No caso de existência de equipamentos ou dispositivos de queima de combustível, a densidade da fumaça emitida pelos mesmos deverá estar de acordo com o disposto no artigo 31 do Regulamento da Lei Estadual nº 997, de 31 de maio de 1976, aprovado pelo Decreto nº 8468, de 8 de setembro de 1976, e suas alterações; Alterações nas atuais atividades, processos ou equipamentos deverão ser precedidas de Licença Prévia e Licença de Instalação, nos termos dos artigos 58 e 58-A do Regulamento acima mencionado; Caso venham a existir reclamações da população vizinha em relação a problemas de poluição ambiental causados pela firma, esta deverá tomar medidas no sentido de solucioná-los em caráter de urgência; A renovação da licença de operação deverá ser requerida com antecedência mínima de 120 dias, contados da data da expiração de seu prazo de validade. USO DA CETESB EMITENTE SD N° Tipos de Exigências Técnicas Local: ENTIDADE Esta licença de número 5006887 foi certificada por assinatura digital, processo eletrônico baseado em sistema criptográfico assimétrico, assinado eletronicamente por chave privada. Para verificação de sua autenticidade deve ser consultada a página da CETESB, na Internet, no endereço: www.cetesb.sp.gov.br/licenca PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS - ATERRO SANITÁRIO DELTA A 51.885.242/0001-40 ESTRADA DA MÃO BRANCA 244-2333-7 KM 03 COMPLEXO DELTA 13001-970 CAMPINAS Aterro sanitário 12 - CAPIVARI 5 - PIRACICABA/CAPIVARI/JUNDIAÍ 620.000,00 400.000,00 00:01 23:59 0 0 Licença Prévia e de Instalação 04/03/2011 05000695 05024034 Ar, Ruído, Outros CAMPINAS Pag.1/4
  • 2. Pag.2/4 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE CETESB - COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO 02 Processo N° N° LICENÇA DE OPERAÇÃO VALIDADE ATÉ : 27/03/2014 Versão: 01 Data: 28/08/2013 05/01524/07 5006887 Ampliação ENTIDADE EXIGÊNCIAS TÉCNICAS 01. A Prefeitura Municipal de Campinas deverá apresentar no prazo de 30 (trinta) dias, contado da emissão desta Licença, complementação do Plano de Ação - Geotecnia apresentado em 03.07.2013, de modo a atender integralmente a exigência técnica n.º 07 da Licença de Operação a Título Precário n.º 5001096, contemplando os seguintes pontos: - Conter os critérios associados às ações a serem realizadas em função do comportamento deformacional e do nível de saturação do maciço. Tais critérios devem permitir que o interessado adote medidas em função da magnitude das deformações do maciço, bem como do desenvolvimento de pressões neutras em seu interior; - As ações propostas no Plano devem estar associadas a dados quantitativos obtidos a partir das leituras da instrumentação para o monitoramento geotécnico; - No âmbito do monitoramento geotécnico do aterro deverá ser aumentada a freqüência de leituras topográficas dos marcos superficiais para avaliação das deformações do maciço, passando o acompanhamento mensal, como vem sendo realizado, para acompanhamento e análise no mínimo semanal, devendo ser intensificado, caso necessário, em função dos critérios associados às ações de controle a serem adotadas no Plano de Ação e rotinas de monitoramento geotécnico do maciço de resíduos. 02. A Prefeitura Municipal de Campinas deverá apresentar no prazo de 30 (trinta) dias, contado da emissão desta Licença, cronograma de implantação da Unidade de Transbordo de Resíduos que obteve a Licença de Instalação n.º 05003723, a qual deverá estar concluída e em condições de operação até o encerramento da vida útil do aterro com o alteamento do maciço da cota 630 m a 640 m. 03. Prefeitura Municipal de Campinas deverá manter o monitoramento de todos os piezômetros instalados e avaliar os dados, acompanhar os deslocamentos dos marcos superficiais e o monitoramento geotécnico efetuando inspeções rotineiras com o intuito de identificar eventuais trincas por tração, processos erosivos ou inchamentos nas superfícies do talude, paralisando a disposição dos resíduos, caso identificada qualquer situação de risco, bem como adotar as medidas emergenciais e corretivas necessárias, comunicando de imediato à CETESB, Agência Ambiental de Campinas. Deverá, ainda, elaborar relatórios mensais do monitoramento geotécnico, contendo a interpretação dos dados aferidos na rede de instrumentação geotécnica, de forma a permitir sua utilização na operação do aterro sanitário. Esses documentos devem ser utilizados para o gerenciamento do aterro sanitário. Trimestralmente deverá apresentar à CETESB, Agência Ambiental de Campinas e na forma eletrônica, relatório consolidado, interpretativo e conclusivo dos relatórios mensais do Monitoramento Geotécnico do Aterro. 04. A Prefeitura Municipal de Campinas deverá apresentar no prazo de 30 (trinta) dias, contado da emissão desta Licença, Plano de Contingência para destinação dos resíduos do Município, na eventual necessidade de paralisação da disposição de resíduos no aterro, caso sejam identificadas quaisquer situações de risco, conforme previsto na exigência técnica n.º 3. 05. A Prefeitura Municipal de Campinas deverá manter a sistemática de monitoramento da qualidade das águas superficiais e subterrâneas na área de influência do aterro, apresentando trimestralmente os respectivos relatórios conclusivos à CETESB, Agência Ambiental de Campinas, na forma eletrônica e em papel, acompanhado de ART do profissional responsável e Termo de Responsabilidade firmado pelo representante legal da Prefeitura Municipal de Campinas. 06. A Prefeitura Municipal de Campinas deverá adotar como critério para acionamento do sistema de extração forçada de líquidos percolados o limite máximo de saturação na cota 624 m e distanciamento de 6 m das superfícies laterais do maciço, ou inferior a esta cota caso os monitoramentos a serem realizados indiquem esta necessidade. O sistema de extração forçada dos líquidos percolados deverá ser mantido continuamente em condições de operação. 07. Deverão ser estendidos, para o alteamento, os sistemas de drenagem de gases e de chorume de forma a manter adequada operação dos sistemas em todo o maciço. Deverá ser implantado o sistema de drenagem de águas pluviais e cobertura vegetal por todas as superfícies finais do maciço de resíduo, mantendo constantemente as ações para verificar e executar medidas corretivas nos sistemas de drenagem internos ao maciço, de modo a impedir a ocorrência de afloramentos de líquidos percolados. 08. A Prefeitura Municipal de Campinas deverá manter operação adequada do aterro para a disposição,
  • 3. Pag.3/4 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE CETESB - COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO 02 Processo N° N° LICENÇA DE OPERAÇÃO VALIDADE ATÉ : 27/03/2014 Versão: 01 Data: 28/08/2013 05/01524/07 5006887 Ampliação ENTIDADE compactação e cobertura imediata dos resíduos, de forma a minimizar as emissões odoríferas e a presença de urubus na área do aterro, além da manutenção contínua dos sistemas de drenagens de águas pluviais, chorume, gases e sistemas de monitoramentos das águas superficiais, subterrâneas e da estabilidade do maciço, ficando vetado o uso de resíduo da construção civil para cobertura das células. 09. O pátio e as áreas de movimentação e tráfego de máquinas e veículos em geral deverão ser pavimentados ou umectados permanentemente, de forma a impedir a emissão de poeiras (material particulado) na atmosfera, em quantidades que possam causar inconvenientes ao bem estar público. 10. Deverá ser garantida a manutenção das características dos elementos constituintes dos sistemas de proteção ambiental do alteamento em consonância com os aspectos técnico-construtivos e especificações de projeto analisadas por meio dos Pareceres nº 079/10/TACR e n º 009/11/TACR, já de conhecimento da Prefeitura de Campinas. 11. Deverá ser mantida a adequada operação do empreendimento, com o fiel cumprimento das normas técnicas vigentes, bem como, deverão ser adotadas todas as medidas preventivas e corretivas necessárias, de forma a assegurar que o mesmo não se constitua um foco de atração de aves. 12. Caso o sistema de tratamento de efluentes líquidos (chorume) implantado no Aterro Delta 1A seja reativado, fica estabelecido que o lançamento de efluentes líquidos em corpo receptor deverá atender os padrões legais de emissão e qualidade estabelecidos no Regulamento da Lei Estadual 997/76, aprovado pelo Decreto 8.468/76 e suas alterações; e na Resolução CONAMA 357/05. 13. O ruído e as vibrações geradas devido à movimentação de máquinas (tratores de esteira) e veículos deverão ser controlados, com o fim de evitar inconvenientes ao bem estar público e incômodos a população 14. Fica proibida a emissão de material particulado e substâncias odoríferas na atmosfera em quantidades que possam ser perceptíveis fora dos limites da propriedade do empreendimento, com o fim de evitar inconvenientes ao bem estar público e incômodos a população vizinha. 15. Fica proibida a disposição de resíduos no local que não sejam de origem domiciliar. 16. Toda documentação técnica a ser apresentada à CETESB, exigidas nesta licença, deverá ser acompanhada de Anotação de Responsabilidade Técnica - ART do responsável técnico por sua elaboração, bem como, para o acompanhamento da implantação do Plano, no decorrer da operação do empreendimento, devidamente recolhida. OBSERVAÇÕES 01. A Prefeitura de Campinas deverá comunicar à CETESB, Agência Ambiental de Campinas, de imediato, qualquer desconformidade ambiental identificada nos monitoramentos e/ou nas inspeções visuais no maciço, indicando as ações adotadas para reversão da situação, sob pena de caracterizar situação agravante para definição das ações administrativas a serem adotadas por este Órgão. 02. O não atendimento das exigências e prazos estabelecidos nas Observações/Exigências desta Licença poderá acarretar o cancelamento de seus efeitos e/ou na aplicação das sanções legais. 03. Em vista do curto período que eventualmente será obtido com licença para o alteamento até a cota 640 m, é imprescindível que haja o empenho da Prefeitura Municipal de Campinas em mobilizar-se para prover condições futuras adequadas relativas à gestão dos resíduos sólidos municipais, sobretudo no que se refere a sua disposição final, e para o projeto de encerramento da área do aterro e sua recuperação ambiental com vistas ao uso futuro da área. 04. Tendo em vista que a ampliação do Aterro Delta A ocorrerá por alteamento do maciço que foi objeto da licença de operação nº 5004377, de 30.06.2009, prevista para até a cota 630 metros, e que teve sua vida útil esgotada, esta última terá sua validade estendida concomitantemente e para os prazos fixados nesta licença, tendo em vista que são comuns as estruturas de drenagem de chorume, de gases e de aguas pluviais e as relativas aos monitoramentos de águas superficiais e subterrâneas, dos piezômetros e marcos superficiais e as unidades de armazenamento de chorume, administrativas e operacionais, não sendo contemplada qualquer disposição de resíduos fora das áreas previstas no alteamento.
  • 4. Pag.4/4 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE CETESB - COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO 02 Processo N° N° LICENÇA DE OPERAÇÃO VALIDADE ATÉ : 27/03/2014 Versão: 01 Data: 28/08/2013 05/01524/07 5006887 Ampliação ENTIDADE