Drenagem x tectonica

1.042 visualizações

Publicada em

Aula sobre os sistemas de drenagem e sua influência tectônica.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.042
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Drenagem x tectonica

  1. 1. PADRÕES DE DRENAGEM, RIOS E TECTÔNICA Leonardo B. Felipe
  2. 2. Introdução
  3. 3. Como os rios se formam?
  4. 4. Como um canal é formado?
  5. 5. Como se formam os sistemas de rios?
  6. 6. Tipos de CanaisClassificação proposta por Schummem 1968, com base na análise dofluxo de areia do Rio Great Plains(Kansas, Nebraska, Wyoming,Colorado, E.U.A.), e do RioMurrumbidgee (Austrália).
  7. 7. Padrões de Drenagem X Tectônica Morisawa apud Summerfield (1991).
  8. 8. Padrões de Drenagem X Tectônica
  9. 9. Esquema exemplificando umrompimento e captura doscanais de drenagens de diversosrios por um crescimento lateralde um anticlinal, formando umúnico canal de drenagemprincipal.
  10. 10. Mapas e Blocos Diagramas de (A) Taieri Ridge, e (B) Rock and Pillar Range, NovaZelândia (Schumm et al. (2000), modificado de Jackson et al. (1996)). Em (A) nota-seum padrão de drenagem assimétrico relacionado a uma dobra assimétrica. O aparentesoerguimento simétrico em (B) possui drenagem anômalas e canais entalhados em umlado que indica que a falha 1 foi gerada antes que a falha 2.
  11. 11. Bloco diagrama e mapamostrando orelacionamento daestrutural com o sistemade drenagem emcamadas inclinadas(Ollier, 1981).
  12. 12. Bloco diagramaesquemático(esquerda)ilustrando o efeitona drenagem dapropagação eagrupamento desegmentos, einterpretação daevolução (direita)(Jackson et al.1996).
  13. 13. Bloco diagramaesquemáticoilustrando aestrutura dadrenagem em umcume escalonado(Jackson et al.1996).
  14. 14. Captura de DrenagemRepresentação diagramáticada captura de um rio. (fonte:Ollier, 1981)
  15. 15. Captura de DrenagemCaptura fluvial por transbordamento. Segundo Penteado (1974), ocorrepelo levantamento do vale do rio situado na parte superior. Exemplo deneotectonismo
  16. 16. Captura de DrenagemCaptura fluvial por recuo de cabeceira. Segundo Penteado (1974), istoocorre pelo levantamento da cabeceira do rio situado na parte inferior.Exemplo de neotectonismo.
  17. 17. Anomalias de Drenagem  retilinearidade;  aparecimento abrupto e localizado de meandros;  meandros comprimidos;  desenvolvimento abrupto e localizado do canal anastomótico;  estreitamento anômalo de vales ou canais;  levèes (diques marginais) isolados; e  curvas anômalas. Segundo Howard, 1967.
  18. 18. Anomalias de Drenagem  ausência de divisor de águas com o desenvolvimento de lagos;  aparecimento brusco de canal do tipo entrelaçado;  grande incidência de terraços;  assimetria distinta com relação ao comprimento dos seus afluentes.
  19. 19. Retilinearidade dorio Oiapoque(BRASIL/GuianaFrancesa-FRANÇA).A figura mostra umdos limites naturaismais retilíneo domundo, entre doispaíses. Representa,na verdade, umaextensa fraturacom reativação emtemposquaternários. Aszonas de cachoeirassão formadas pelapresença de diquestransversais,compondo pontosde quebra (Fonte:Lima, 2002).
  20. 20. Anomalias de Drenagem - Interpretação  Meandros Localizados - estrutura dômica ou uma mudança abrupta no gradiente de um canal;  Meandros Comprimidos – indicam a presença de um alto estrutural;  Canal Entrelaçado Localizado - mudança no gradiente provocada por um alto estrutural.  Estreitamento de Canal ou Vale – alto estrutural  Lagos, Pântanos e Depósitos Aluviais localizados - presença de subsidência ou levantamento .  Os Diques Marginais (Levées) localizados ou largos - subsidência, levantamento ou de uma estrutura geológica encoberta.
  21. 21. Conclusões drenagem constitui-se uma importante ferramenta na interpretação geológica – geomorfológica; maior utilidade em regiões de relevo plano ou suavemente ondulado e constituído por unidades cronoestratigráficas do Cenozóico. a drenagem atualmente implantada é de origem Quaternária, estando geralmente relacionada a zonas de fraquezas, falhas fundamentais, passíveis de terem sido reativadas ao longo do tempo geológico.
  22. 22. Bibliografia
  23. 23. Atual proposta de Tese
  24. 24. Paleo-Canal do RioTocantins

×