SlideShare uma empresa Scribd logo

Guia do Estudante

O documento apresenta as diretrizes pedagógicas para os alunos dos 6o e 7o anos de um colégio, incluindo: (1) apresentação do professor de história; (2) regras de conduta dos alunos; (3) critérios de avaliação baseados em portfólios e recuperação contínua.

1 de 24
Baixar para ler offline
HISTÓRIA
ANO LETIVO - 2015
Guia do Estudante
APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR
Professor: Leonardo Sérgio Caputo (Léo)
 Professor de História dos 6° e 7° anos.
 Professor Tutor do Projeto
 Graduação: Ciências Sociais / (MBA) pós-graduação em
Gestão Educacional.
 10 anos de Colégio Eduardo Gomes
REFLEXÃO
“Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende
ensina ao aprender. Ensinar inexiste sem aprender e
vice-versa.”
Paulo Freire
“Aprender é construir significados e ensinar é
oportunizar essa construção.”
MORETTO, Vasco Pedro
PALAVRAS - CHAVE
 Educação
- Engloba os processos de ensinar e aprender.
 Processo
- Verbo que indica a ação. Conjunto sequencial e particular
de ações com objetivo comum.
 Ação
Conjunto de formas de comportamento que são realizados
de maneira voluntária ou intencional. Uma ação diferencia-
se assim das formas de comportamento involuntário como
os reflexos.
A AÇÃO, ENQUANTO COMPORTAMENTO VOLUNTÁRIO,
APRESENTA UMA SÉRIE DE CARACTERÍSTICAS:
a. Processo de escolha e decisão - o indivíduo tem de escolher
entre uma série de possibilidades aquela que ele quer realizar;
b. Latência - uma vez feita a escolha, o indivíduo pode determinar
o momento (imediatamente ou mais tarde) em que dará início à
ação;
c. Intensidade - uma vez iniciada, pode a ação ser realizada com
diferente empenho, energia ou intensidade;
d. Persistência - uma vez iniciada, uma ação pode chegar ao fim de
duas maneiras: ou ela atinge seu objetivo ou o indivíduo desiste
do desejo de realizar tal objetivo.
OBJETIVO – META - PROPÓSITO
 Objetivo
- Descrição daquilo que se pretende alcançar.
 Meta
- Definição em termos quantitativos, e com um prazo
determinado.
 Propósito
- Grande vontade de realizar e/ou alcançar alguma coisa;
desígnio. “Este é meu propósito de vida.”

Recomendados

Reunião com professores coordenadores e diretores de emef e emefei julho 2013
Reunião com professores coordenadores e diretores de emef e emefei julho 2013Reunião com professores coordenadores e diretores de emef e emefei julho 2013
Reunião com professores coordenadores e diretores de emef e emefei julho 2013Rosemary Batista
 
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃOINSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃOEdlauva Santos
 
Sugestões de atividades de matemática para o início do ano letivo 2014
Sugestões de atividades de matemática para o início do ano letivo 2014 Sugestões de atividades de matemática para o início do ano letivo 2014
Sugestões de atividades de matemática para o início do ano letivo 2014 Sandra Pcnp
 
PNAIC - Avaliação
PNAIC - AvaliaçãoPNAIC - Avaliação
PNAIC - AvaliaçãoElieneDias
 
Oportunidade de ensinar_e_aprender_no_ensino_medio
Oportunidade de ensinar_e_aprender_no_ensino_medioOportunidade de ensinar_e_aprender_no_ensino_medio
Oportunidade de ensinar_e_aprender_no_ensino_medioiara3512
 
Introdução ao conteúdo
Introdução ao conteúdoIntrodução ao conteúdo
Introdução ao conteúdoOtávio Sales
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Portfolio aline
Portfolio   alinePortfolio   aline
Portfolio aline
 
Plano de ação
Plano de açãoPlano de ação
Plano de ação
 
Estágio supervisionado
Estágio supervisionadoEstágio supervisionado
Estágio supervisionado
 
Grelha de Observação dos Alunos na Atividade
Grelha de Observação dos Alunos na AtividadeGrelha de Observação dos Alunos na Atividade
Grelha de Observação dos Alunos na Atividade
 
Slides oficina
Slides oficinaSlides oficina
Slides oficina
 
10 caderno professor-1_2010
10 caderno professor-1_201010 caderno professor-1_2010
10 caderno professor-1_2010
 
Aap 6º ano_-_todas_as_disciplinas
Aap 6º ano_-_todas_as_disciplinasAap 6º ano_-_todas_as_disciplinas
Aap 6º ano_-_todas_as_disciplinas
 
Seminário Integrador de Estágio Supervisionado
Seminário Integrador de Estágio SupervisionadoSeminário Integrador de Estágio Supervisionado
Seminário Integrador de Estágio Supervisionado
 
Guiao: Como elaborar um portefolio
Guiao: Como elaborar um portefolioGuiao: Como elaborar um portefolio
Guiao: Como elaborar um portefolio
 
Apresentação spaece alterado 2º
Apresentação spaece   alterado 2ºApresentação spaece   alterado 2º
Apresentação spaece alterado 2º
 
Anexo 14
Anexo 14Anexo 14
Anexo 14
 
Projeto de estagio 3
Projeto de estagio 3Projeto de estagio 3
Projeto de estagio 3
 
Portfolio cleiciane
Portfolio cleicianePortfolio cleiciane
Portfolio cleiciane
 
14 caderno do_professor-1-2011_versao_final
14 caderno do_professor-1-2011_versao_final14 caderno do_professor-1-2011_versao_final
14 caderno do_professor-1-2011_versao_final
 
Plano de Ação do AEE
Plano de Ação do AEEPlano de Ação do AEE
Plano de Ação do AEE
 
Criterios Avaliacao 9 D
Criterios Avaliacao 9 DCriterios Avaliacao 9 D
Criterios Avaliacao 9 D
 
Como montar rotinas pedagógicas parte 2
Como montar rotinas pedagógicas   parte 2Como montar rotinas pedagógicas   parte 2
Como montar rotinas pedagógicas parte 2
 
8 caderno professor_2_2009
8 caderno professor_2_20098 caderno professor_2_2009
8 caderno professor_2_2009
 
6 caderno professor_1_ 2009
6 caderno professor_1_ 20096 caderno professor_1_ 2009
6 caderno professor_1_ 2009
 
Portfólio de estágio supervisionado
Portfólio de estágio supervisionadoPortfólio de estágio supervisionado
Portfólio de estágio supervisionado
 

Semelhante a Guia do Estudante

Orientações estágio educação infantil - cópia
  Orientações estágio educação infantil - cópia  Orientações estágio educação infantil - cópia
Orientações estágio educação infantil - cópiaLarissa Soares
 
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIPPLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIPwww.estagiosupervisionadofip.blogspot.com
 
OT Recuperação Intensiva 2013 - parte1
OT Recuperação Intensiva 2013 - parte1OT Recuperação Intensiva 2013 - parte1
OT Recuperação Intensiva 2013 - parte1Claudia Elisabete Silva
 
Introducao a metodologias ativas e uma visão de TBL - Ronaldo Barbosa
Introducao a metodologias ativas e uma visão de TBL - Ronaldo BarbosaIntroducao a metodologias ativas e uma visão de TBL - Ronaldo Barbosa
Introducao a metodologias ativas e uma visão de TBL - Ronaldo BarbosaRonaldo Barbosa
 
Aprendizagens e metas no ensino basico
Aprendizagens e metas no ensino basicoAprendizagens e metas no ensino basico
Aprendizagens e metas no ensino basicofprc
 
Apresentação seminário 2014 - Avaliação na escola em ciclos: ampliando olhares
Apresentação seminário 2014 - Avaliação na escola em ciclos: ampliando olharesApresentação seminário 2014 - Avaliação na escola em ciclos: ampliando olhares
Apresentação seminário 2014 - Avaliação na escola em ciclos: ampliando olharesGiselle Tulle
 
Avaliação formativa ou avaliar para a aprendizagem fénix
Avaliação formativa ou avaliar para a aprendizagem fénixAvaliação formativa ou avaliar para a aprendizagem fénix
Avaliação formativa ou avaliar para a aprendizagem fénixJosé Matias Alves
 
Classroom observation
Classroom observationClassroom observation
Classroom observationAndreia121
 
Caderno Encargos V2[1]
Caderno Encargos V2[1]Caderno Encargos V2[1]
Caderno Encargos V2[1]sofiamalheiro
 
165262510 modelo-de-adequacao-curricular-autista
165262510 modelo-de-adequacao-curricular-autista165262510 modelo-de-adequacao-curricular-autista
165262510 modelo-de-adequacao-curricular-autistamarcinhamarcelino
 
Encontro Educação Especial
Encontro Educação EspecialEncontro Educação Especial
Encontro Educação EspecialMayraPalmeira2
 
Resolução SEE/MG nº 2197/12
Resolução SEE/MG nº 2197/12Resolução SEE/MG nº 2197/12
Resolução SEE/MG nº 2197/12Ruanna Guido
 

Semelhante a Guia do Estudante (20)

Guia do estudante 2016
Guia do estudante 2016Guia do estudante 2016
Guia do estudante 2016
 
Orientações estágio educação infantil - cópia
  Orientações estágio educação infantil - cópia  Orientações estágio educação infantil - cópia
Orientações estágio educação infantil - cópia
 
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIPPLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
 
OT Recuperação Intensiva 2013 - parte1
OT Recuperação Intensiva 2013 - parte1OT Recuperação Intensiva 2013 - parte1
OT Recuperação Intensiva 2013 - parte1
 
Saresp2
Saresp2Saresp2
Saresp2
 
Introducao a metodologias ativas e uma visão de TBL - Ronaldo Barbosa
Introducao a metodologias ativas e uma visão de TBL - Ronaldo BarbosaIntroducao a metodologias ativas e uma visão de TBL - Ronaldo Barbosa
Introducao a metodologias ativas e uma visão de TBL - Ronaldo Barbosa
 
Aprendizagens e metas no ensino basico
Aprendizagens e metas no ensino basicoAprendizagens e metas no ensino basico
Aprendizagens e metas no ensino basico
 
Apresentação seminário 2014 - Avaliação na escola em ciclos: ampliando olhares
Apresentação seminário 2014 - Avaliação na escola em ciclos: ampliando olharesApresentação seminário 2014 - Avaliação na escola em ciclos: ampliando olhares
Apresentação seminário 2014 - Avaliação na escola em ciclos: ampliando olhares
 
Dicastit producao aulas
Dicastit producao aulasDicastit producao aulas
Dicastit producao aulas
 
Avaliação formativa ou avaliar para a aprendizagem fénix
Avaliação formativa ou avaliar para a aprendizagem fénixAvaliação formativa ou avaliar para a aprendizagem fénix
Avaliação formativa ou avaliar para a aprendizagem fénix
 
Classroom observation
Classroom observationClassroom observation
Classroom observation
 
Caderno Encargos V2[1]
Caderno Encargos V2[1]Caderno Encargos V2[1]
Caderno Encargos V2[1]
 
PROVINHA BRASI:- GUIA DE APLICAÇÃO - AVALIANDO A ALFABETIZAÇÃO - 2º ANO DO E...
PROVINHA BRASI:- GUIA DE APLICAÇÃO -  AVALIANDO A ALFABETIZAÇÃO - 2º ANO DO E...PROVINHA BRASI:- GUIA DE APLICAÇÃO -  AVALIANDO A ALFABETIZAÇÃO - 2º ANO DO E...
PROVINHA BRASI:- GUIA DE APLICAÇÃO - AVALIANDO A ALFABETIZAÇÃO - 2º ANO DO E...
 
Slidedialogado
SlidedialogadoSlidedialogado
Slidedialogado
 
Estudo dirigido
Estudo dirigidoEstudo dirigido
Estudo dirigido
 
Orientações observação
Orientações observaçãoOrientações observação
Orientações observação
 
165262510 modelo-de-adequacao-curricular-autista
165262510 modelo-de-adequacao-curricular-autista165262510 modelo-de-adequacao-curricular-autista
165262510 modelo-de-adequacao-curricular-autista
 
2 caderno do_professor_1_2008
2 caderno do_professor_1_20082 caderno do_professor_1_2008
2 caderno do_professor_1_2008
 
Encontro Educação Especial
Encontro Educação EspecialEncontro Educação Especial
Encontro Educação Especial
 
Resolução SEE/MG nº 2197/12
Resolução SEE/MG nº 2197/12Resolução SEE/MG nº 2197/12
Resolução SEE/MG nº 2197/12
 

Mais de Leonardo Caputo

Processo Eleitoral Brasileiro
Processo Eleitoral BrasileiroProcesso Eleitoral Brasileiro
Processo Eleitoral BrasileiroLeonardo Caputo
 
A colonização portuguesa
A colonização portuguesaA colonização portuguesa
A colonização portuguesaLeonardo Caputo
 
Indicadores de avaliação
Indicadores de avaliaçãoIndicadores de avaliação
Indicadores de avaliaçãoLeonardo Caputo
 
Cronograma estudantes 2015
Cronograma estudantes 2015Cronograma estudantes 2015
Cronograma estudantes 2015Leonardo Caputo
 
Acompanhamento de desempenho escolar
Acompanhamento de desempenho escolarAcompanhamento de desempenho escolar
Acompanhamento de desempenho escolarLeonardo Caputo
 
Trabalho 3º trimestre – Portfólio
Trabalho 3º trimestre – PortfólioTrabalho 3º trimestre – Portfólio
Trabalho 3º trimestre – PortfólioLeonardo Caputo
 
EG Educação Estudantes
EG Educação EstudantesEG Educação Estudantes
EG Educação EstudantesLeonardo Caputo
 
Inscrição ciência e conhecimento
Inscrição ciência e conhecimentoInscrição ciência e conhecimento
Inscrição ciência e conhecimentoLeonardo Caputo
 
Inscrição arte e cultura
Inscrição arte e culturaInscrição arte e cultura
Inscrição arte e culturaLeonardo Caputo
 
Incrição gincana projeto
Incrição gincana projetoIncrição gincana projeto
Incrição gincana projetoLeonardo Caputo
 
EG Educação Aquecimento
EG Educação AquecimentoEG Educação Aquecimento
EG Educação AquecimentoLeonardo Caputo
 
Correção dos exercícios do capítulo 10
Correção dos exercícios do capítulo 10Correção dos exercícios do capítulo 10
Correção dos exercícios do capítulo 10Leonardo Caputo
 
Correção dos Exercícios capítulo 8
Correção dos Exercícios capítulo 8Correção dos Exercícios capítulo 8
Correção dos Exercícios capítulo 8Leonardo Caputo
 
Exercícios de Revisão 9°ano E
Exercícios de Revisão 9°ano EExercícios de Revisão 9°ano E
Exercícios de Revisão 9°ano ELeonardo Caputo
 
Antiguidade clássica roma 7ano
Antiguidade clássica roma 7anoAntiguidade clássica roma 7ano
Antiguidade clássica roma 7anoLeonardo Caputo
 

Mais de Leonardo Caputo (20)

Processo Eleitoral Brasileiro
Processo Eleitoral BrasileiroProcesso Eleitoral Brasileiro
Processo Eleitoral Brasileiro
 
A colonização portuguesa
A colonização portuguesaA colonização portuguesa
A colonização portuguesa
 
Indicadores de avaliação
Indicadores de avaliaçãoIndicadores de avaliação
Indicadores de avaliação
 
Cronograma estudantes 2015
Cronograma estudantes 2015Cronograma estudantes 2015
Cronograma estudantes 2015
 
Acompanhamento de desempenho escolar
Acompanhamento de desempenho escolarAcompanhamento de desempenho escolar
Acompanhamento de desempenho escolar
 
Estrutura da Gincana
Estrutura da GincanaEstrutura da Gincana
Estrutura da Gincana
 
Trabalho 3º trimestre – Portfólio
Trabalho 3º trimestre – PortfólioTrabalho 3º trimestre – Portfólio
Trabalho 3º trimestre – Portfólio
 
Votação Mascote
Votação MascoteVotação Mascote
Votação Mascote
 
EG Educação Estudantes
EG Educação EstudantesEG Educação Estudantes
EG Educação Estudantes
 
Inscrição ciência e conhecimento
Inscrição ciência e conhecimentoInscrição ciência e conhecimento
Inscrição ciência e conhecimento
 
Inscrição arte e cultura
Inscrição arte e culturaInscrição arte e cultura
Inscrição arte e cultura
 
Incrição interclasses
Incrição interclassesIncrição interclasses
Incrição interclasses
 
Incrição gincana projeto
Incrição gincana projetoIncrição gincana projeto
Incrição gincana projeto
 
Mascote
MascoteMascote
Mascote
 
EG Educação Aquecimento
EG Educação AquecimentoEG Educação Aquecimento
EG Educação Aquecimento
 
Correção dos exercícios do capítulo 10
Correção dos exercícios do capítulo 10Correção dos exercícios do capítulo 10
Correção dos exercícios do capítulo 10
 
Exercícios cap 9
Exercícios cap 9Exercícios cap 9
Exercícios cap 9
 
Correção dos Exercícios capítulo 8
Correção dos Exercícios capítulo 8Correção dos Exercícios capítulo 8
Correção dos Exercícios capítulo 8
 
Exercícios de Revisão 9°ano E
Exercícios de Revisão 9°ano EExercícios de Revisão 9°ano E
Exercícios de Revisão 9°ano E
 
Antiguidade clássica roma 7ano
Antiguidade clássica roma 7anoAntiguidade clássica roma 7ano
Antiguidade clássica roma 7ano
 

Último

DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioIsabelPereira2010
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.Prime Assessoria
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...excellenceeducaciona
 
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...apoioacademicoead
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...excellenceeducaciona
 
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Prime Assessoria
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Mary Alvarenga
 
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIACONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIAHenrique Pontes
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...excellenceeducaciona
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...excellenceeducaciona
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Prime Assessoria
 
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...azulassessoriaacadem3
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da MulherMary Alvarenga
 
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
 
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIACONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 
Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
 
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher
 
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
 

Guia do Estudante

  • 1. HISTÓRIA ANO LETIVO - 2015 Guia do Estudante
  • 2. APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR Professor: Leonardo Sérgio Caputo (Léo)  Professor de História dos 6° e 7° anos.  Professor Tutor do Projeto  Graduação: Ciências Sociais / (MBA) pós-graduação em Gestão Educacional.  10 anos de Colégio Eduardo Gomes
  • 3. REFLEXÃO “Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender. Ensinar inexiste sem aprender e vice-versa.” Paulo Freire “Aprender é construir significados e ensinar é oportunizar essa construção.” MORETTO, Vasco Pedro
  • 4. PALAVRAS - CHAVE  Educação - Engloba os processos de ensinar e aprender.  Processo - Verbo que indica a ação. Conjunto sequencial e particular de ações com objetivo comum.  Ação Conjunto de formas de comportamento que são realizados de maneira voluntária ou intencional. Uma ação diferencia- se assim das formas de comportamento involuntário como os reflexos.
  • 5. A AÇÃO, ENQUANTO COMPORTAMENTO VOLUNTÁRIO, APRESENTA UMA SÉRIE DE CARACTERÍSTICAS: a. Processo de escolha e decisão - o indivíduo tem de escolher entre uma série de possibilidades aquela que ele quer realizar; b. Latência - uma vez feita a escolha, o indivíduo pode determinar o momento (imediatamente ou mais tarde) em que dará início à ação; c. Intensidade - uma vez iniciada, pode a ação ser realizada com diferente empenho, energia ou intensidade; d. Persistência - uma vez iniciada, uma ação pode chegar ao fim de duas maneiras: ou ela atinge seu objetivo ou o indivíduo desiste do desejo de realizar tal objetivo.
  • 6. OBJETIVO – META - PROPÓSITO  Objetivo - Descrição daquilo que se pretende alcançar.  Meta - Definição em termos quantitativos, e com um prazo determinado.  Propósito - Grande vontade de realizar e/ou alcançar alguma coisa; desígnio. “Este é meu propósito de vida.”
  • 8. COMBINADOS DE 6º E 7º ANOS 1 - Hora da Entrada a) Fevereiro – mês de adaptação b) Entrada – tolerância de 5 minutos. c) Não existe tolerância após o intervalo. 2 - Uso do celular a) É expressamente proibido o uso do celular em sala de aula. b) Caso o estudante insista em utilizar o celular, para qualquer finalidade, o celular será retirado e o estudante será encaminhado à OE. c) Se houver uma emergência, comunicar à OE.
  • 9. 3 - Conversas Paralelas a) Não será permitido conversar em momentos de explicação de conteúdos. b) As conversas paralelas implicarão perda de nota de participação. c) Se houver persistência, o aluno será encaminhado à OE. 4 - Saídas ao banheiro/encher garrafinha. a) 1ª aula e 1ª aula após o intervalo, não será permitido (salvo exceção). b) Durante uma explicação, não será permitido sair. c) Evitar sair da sala, nos minutos finais de cada aula. d) Não correr (principalmente nos horários de entrada, intervalo e saída).
  • 10. 5 - Desrespeito ao professor – “Tolerância ZERO”– Será encaminhado para a OE. 6 - Tarefa de casa/ trabalho em grupo. a) A falta da lição será registrada no portal. b) A falta da lição implicará perda de nota de participação. c) Na falta da lição, por 3 vezes, o estudante será encaminhado para a OE (voltar para a sala). d) Depois da 3ª vez, e/ou por problema comportamental, o estudante sairá da sala e não voltará. e) O professor tem autonomia para gerenciar os grupos de trabalho.
  • 11. 7 - Falta de material a) A falta de material será registrada no portal. b) A falta de material implicará perda de nota de participação. c) Apostila e caderno: a falta, por 3 vezes – comunicar e encaminhar o estudante para a OE (voltar para a sala).
  • 13. PORTFÓLIO  Portfólio é um conjunto organizado de trabalhos produzidos pelo aluno ao longo de determinado período. O uso de portfólios na educação constitui uma estratégia que tem procurado corresponder às necessidades de aprofundar o conhecimento sobre a relação ensino-aprendizagem, de modo a assegurar-lhe, a cada vez, melhor compreensão e mais elevados índices de qualidade.  Exemplos de trabalhos / atividades desenvolvidas com o uso do portfólio: tabelas; resumos; mapas conceituais; desenhos; história em quadrinhos; esquemas, jogos.
  • 14. ESTRUTURA DO PORTFÓLIO A. Pasta do portfólio precisa ser identificada com Nome, N° e o Ano do estudante. B. O portfólio é uma ferramenta de estudo individual. Eventualmente algumas atividades que irão compor o portfólio poderão ser desenvolvidas em grupo. C. O portfólio conta como um instrumento de avaliação com o valor de 3,0 pontos (30% do média trimestral). D. Por trimestre serão produzidos no mínimo 3 e no máximo 6 atividades que irão compor o portfólio. E. Cada estudante terá liberdade escolher as estratégias e quais atividades irão para o portfólio. O professor terá o papel de orientador e facilitador no desenvolvimento das atividades.
  • 15. F. Toda atividade / trabalho desenvolvido precisa conter as seguintes indicações: 1) Título – em poucas palavras deve expressar a ideia central da atividade. 2) Estratégia – a forma escolhida de como desenvolver a atividade. Ex.: História em quadrinhos sobre a sociedade medieval. 3) Desenvolvimento – parte principal da atividade onde o estudante irá desenvolver o assunto através da estratégia escolhida. 4) Considerações Finais – em poucas palavras o estudante deve se expressar suas opiniões a respeito do desenvolvimento do trabalho, suas dificuldades e seu aprendizado.
  • 16. INDICADORES DE AVALIAÇÃO – I.A.  Os Indicadores de Avaliação que forem assinalados irão demonstrar mais precisamente aos estudantes no que eles precisam dedicar-se mais (estudos) ou naquilo que seja necessário ter mais foco durante o desenvolvimento do processo de avaliação.
  • 17. Sigla Indicadores Históricos Descrição E.C. Erro Conceitual Conceito histórico equivocado / errado I. Incompleto Falta de um ou mais conceitos históricos T.E. Tempo e Espaço Época ou lugar descrito está equivocado / errado Sigla Indicadores de Linguagem Descrição C. Clareza Falta de sentido textual L.I. Ler e Interpretar Falta de compreensão da que questão. O.C. Ortografia e Caligrafia Erros ortográficos e/ou caligrafia incompreensível que comprometem o entendimento da resposta. Não Respondeu Questão não respondida / “Em Branco” I.A. E.C. C. I. L.I. T.E O.C. Não Respondeu Tabela de Registro
  • 18. Os I. A. também serão utilizados na avaliação das atividades desenvolvidas para o Portfólio em conjunto com os Indicadores do Portfólio. Sigla Indicadores – Portfólio (I.P.) Descrição O. Organização Falta de organização P.P. Pontualidade e Prazo Atividade entregue fora do prazo estabelecido C.O. Criatividade e Originalidade Falta de criatividade e originalidade I.A. E.C. C. I. L.I. T.E O.C. I. P. O. P.P. C.O.
  • 19. RECUPERAÇÃO CONTÍNUA (RC) A recuperação contínua é um conjunto de estratégias elaboradas pelo professor com o objetivo de recuperar conteúdos essenciais que não foram assimilados pelo estudante. Portanto, a recuperação contínua tem como foco a aprendizagem e não simplesmente a recuperação de notas.
  • 20. Estratégias - RC  Participação.  “Relembrando”.  Exercícios de Recuperação Contínua.  *Atividades.  Aulas de revisão e aulas adicionais. Ao final de cada trimestre, o estudante que apresentar bom desempenho nas atividades, exercícios e aulas de recuperação contínua terá uma bonificação na nota, ou seja, a bonificação está diretamente relacionada ao aprendizado do estudante.
  • 21. Participação (1,0) Quando mais o estudante dedica-se para aprender, mais ele aprende, portanto, a participação, além de ser um critério de avaliação, é também um critério de bonificação para recuperação contínua. Executar tarefas e lições, participar ativamente das aulas, frequência, comportamento adequado na sala. Relembrando (1,0) Exercícios que retomam conteúdos importantes que já foram abordados anteriormente. Exercício tipo Relembrando na prova trimestral – (1,0) ERC Exercícios de Recuperação Contínua (1,0) Antes da Prova Trimestral os estudantes resolverão alguns exercícios como forma de estudo e preparação para a prova. ERC – Exercícios de Recuperação Contínua – (1,0) *Atividade (1,0) Caso as estratégias anteriores se mostrarem insuficientes, os estudantes poderão desenvolver mais alguma atividade (exercícios, pesquisas, resumos, cartazes) com conteúdos importantes, estudados no trimestre. *Não obrigatório
  • 22. Ao final do trimestre, o estudante terá como bonificação de Recuperação Contínua, a média (arredondada para cima) de todas as atividades de recuperação que foram desenvolvidas no trimestre, ou seja, a soma dos resultados de todas as atividades, dividido pelo número de atividades que foram feitas. Exemplos: Participação (1,0) 0,6 Relembrando (1,0) 0,5 ERC (1,0) 0,7 Soma 1,8 RC - Média 0,6 Participação (1,0) 0,8 Relembrando (1,0) 0,6 ERC (1,0) 1 *Atividade (1,0) 0,4 Soma 2,8 RC - Média 0,7 Exemplo 1 Exemplo 2 Obs. Caso o estudante ainda apresente alguma dificuldade, o professor poderá desenvolver mais uma atividade, sendo que o resultado dessa atividade será somado às outras atividades e depois feita a média.
  • 23. 1º 2º 3º Somatória Anual Participação (1,0) Prova Trimestral (4,0) Simulado (2,0) Portfólio (3,0) Média – RC (1,0) MÉDIA Tabela de Acompanhamento de Desempenho Escolar
  • 24. 1º 2º 3º Somatória Anual Participação (1,0) Relembrando (1,0) ERC (1,0) *Atividade (1,0) Soma MÉDIA – RC Tabela de Acompanhamento de Recuperação Contínua (RC)