Apresentação Learning Fun - Feira Saber 2011 - SP

1.151 visualizações

Publicada em

Nos dias 8, 9, 10 e 15 de setembro, o Learning Fun esteve presente em dois congressos voltados para o ramo de educação.

O XV Congresso e Feira de Educação Saber e o 7º CRESCER.

Na ocasião, educadores tiveram a oportunidade de conhecer melhor o bilinguismo e o método Learning Fun diretamente com Teresa Catta-Preta com a palestra abordando o tema: A importância do ensino de um segundo idioma na primeira infância.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.151
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
61
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação Learning Fun - Feira Saber 2011 - SP

  1. 1. A IMPORTÂNCIA DA APRENDIZAGEM DE UM SEGUNDO IDIOMA NA PRIMEIRA INFÂNCIA Outubro 2011 SISTEMA LEARNING FUN DE ENSINO
  2. 2. QUAL É A MAIOR DEMANDA DA FAMÍLIA? OFERECER UM ENSINO DE INGLÊS DE QUALIDADE PARA QUEM?
  3. 3. ESCOLHA DIFÍCIL <ul><li>Escolas Internacionais. </li></ul><ul><li>Escolas Bilíngues: Baseado nas premissas do Conselho -> 2 x 50 min. </li></ul><ul><li>Cursos de Inglês: -> 2 x 120 min. </li></ul><ul><li>Escolas que possuem inglês intensivo. </li></ul><ul><li>Escolas com inglês curricular. </li></ul>Depende dos objetivos:
  4. 4. MAIOR PREOCUPAÇÃO DOS PAIS SABER SE A PROPOSTA OFERECIDA PELA ESCOLA É CUMPRIDA NA SALA DE AULA.
  5. 5. COMO O INGLÊS PODE SER OFERECIDO NUMA ESCOLA <ul><li>Inglês Curricular. </li></ul><ul><li>Inglês no turno oposto. </li></ul><ul><li>Inglês integrado ao programa de horário integral. </li></ul><ul><li>Inglês inserido numa proposta Bilíngue. </li></ul>
  6. 6. INGLÊS INTRODUÇÃO 1 X 30 MIN. OU 2 X 30 MIN. PROGRAMA BILÍNGUE 5 X 120 MIN. INGLÊS REGULAR 1 X 50 MIN. OU 2 X 50 MIN. INGLÊS INTENSIVO 5 X 50 MIN. O QUE A ESCOLA DESEJA COM O DIFERENCIAL
  7. 7. POR QUE APRENDER INGLÊS TÃO CEDO? Crianças com idade entre 1 e 7 anos são extraordinariamente aptas ao desenvolvimento da comunicação e da criatividade. Isso lhes permite uma aprendizagem natural e prazerosa do segundo idioma, atingindo os referenciais internacionais de pronúncia da Língua Inglesa. Além do mais, aproveita-se a melhor época para a criança aprender um segundo idioma. QUAIS SÃO ESTES BENEFÍCIOS?
  8. 8. BENEFÍCIOS SOCIO-COGNITIVOS <ul><li>Fortalecimento das habilidades de letramento (1ª e 2ª línguas). </li></ul><ul><li>Bialystok, 2001. </li></ul><ul><ul><li>Desenvolvimento da percepção dos sistemas linguísticos, uso de cognatos, transferência de habilidade de leitura e escrita. </li></ul></ul><ul><ul><li>Entendimento maior em relação à representação gráfica da escrita, pelo contato constante com dois códigos distintos (português e inglês). </li></ul></ul>
  9. 9. <ul><li>Favorecimento do pensamento crítico, divergente. </li></ul><ul><li>Tiakiwai, 2011 e Baker 1988. </li></ul><ul><li>Crianças bilíngues apresentam maior criatividade na realização das tarefas. </li></ul><ul><li>Demonstram maior flexibilidade mental na percepção e interpretação de situações comunicativas. </li></ul><ul><li>Apresentam respostas mais variadas e soluções inovadoras para situações problema propostos. </li></ul>BENEFÍCIOS SOCIO-COGNITIVOS
  10. 10. <ul><li>Construção da sensibilidade comunicativa. </li></ul><ul><li>Genesee, 1988 e Mohante, 1994. </li></ul><ul><ul><li>Crianças bilíngues discernem com maior facilidade mensagens do interlocutor. </li></ul></ul><ul><ul><li>Demonstram maior sensibilidade do conteúdo dos enunciados e às necessidades do ouvinte, pela familiaridade com o processo de uso e troca de línguas. </li></ul></ul>BENEFÍCIOS SOCIO-COGNITIVOS
  11. 11. <ul><ul><li>Favorecimento do aprendizado da terceira língua. </li></ul></ul><ul><ul><li>Hoffman e Ytsma 2004. </li></ul></ul><ul><ul><li>A criança bilíngue possui capacidade de interações comunicativas no mundo globalizado e mais vantagens nas interações dentro do seu próprio contexto cultural. </li></ul></ul><ul><ul><li>Demonstram atitudes mais tolerantes em relação à diversidade linguística, pela compreensão e habilidade que possuem no uso de mais de uma língua. </li></ul></ul>BENEFÍCIOS SOCIO-COGNITIVOS
  12. 12. <ul><li>Os distúrbios de linguagem são causados pela aquisição de um segundo idioma. </li></ul><ul><li>O ensino de um segundo idioma atrasa o desenvolvimento da criança. </li></ul><ul><li>Este ensino é uma carga intelectual. </li></ul><ul><li>O segundo idioma atrasa a fala da criança? </li></ul>MITOS SOBRE A AQUISIÇÃO INICIAL DA SEGUNDA LÍNGUA
  13. 13. “ Toda criança pequena é capaz de aprender duas línguas. Se elas o fazem ou não dependerá do ambiente de aprendizagem em que estão inseridas.” Genesee, 2008. CONCLUSÃO SOBRE OS MITOS
  14. 14. <ul><li>A criança até 10 anos aprende 3 vezes mais facilmente, devido à interação dos dois hemisférios cerebrais, direito e esquerdo, aumentando o seu potencial quando aprende um segundo idioma. </li></ul><ul><li>A pronúncia é internalizada com maior precisão devido à flexibilidade muscular do aparelho articulatório. </li></ul><ul><li>O aparelho fonador é muito mais maleável até 5 anos, facilitando a fala sem sotaque. </li></ul>RESULTADOS DOS ESTUDOS E PESQUISAS INDICAM
  15. 15. <ul><li>A criança tem facilidade de aprender quando o sistema é enriquecido por fonemas de línguas estrangeiras com as quais tiver contato. Tem a aparelhagem “pronta”. </li></ul><ul><li>Até o 3º ano de vida, a facilidade na aquisição de línguas estrangeiras é até 4 vezes maior que entre adultos. </li></ul><ul><li>Portanto, o período entre 0 a 6 anos é essencial para a formação de estruturas linguísticas, assim como para o aprendizado em geral e, portanto, deve ser bem aproveitado. </li></ul>RESULTADOS DOS ESTUDOS E PESQUISAS INDICAM
  16. 16. <ul><li>O importante é sabermos que essas crianças constroem categorizações linguísticas, aprendem novas formas de expressão, mapeiam conceitos e organizam sua própria linguagem. </li></ul><ul><li>A atividade linguística da criança não é uma atividade especial, mas apenas mais uma entre as tantas atividades simbólicas peculiares ao período sensório-motor infantil. </li></ul><ul><li>Linguística </li></ul><ul><li>Ciências que estudam este processo: Neurociência </li></ul><ul><li>Cognição </li></ul><ul><li>Psicologia. </li></ul>RESULTADOS DOS ESTUDOS E PESQUISAS INDICAM
  17. 17. COMO SE PROCESSA A AQUISIÇÃO DE LINGUAGEM A aquisição da linguagem é um processo pelo qual a criança constrói os sistemas fonológico, morfológico, sintático, semântico e pragmático da língua da comunidade em que vive e que a conduz à habilidade de falar e escrever como a todos os outros indivíduos ao seu redor .
  18. 18. COMO ACONTECE O APRENDIZADO O aprendizado acontece através de experiências e vivências. Language Learning:
  19. 19. Ela é aprendida num estudo formal altamente estimulante onde a língua é exposta o tempo todo. COMO ACONTECE O APRENDIZADO Language Acquisition:
  20. 20. AFINAL, QUAL A MELHOR ÉPOCA PARA APRENDER UM 2º IDIOMA? <ul><li>A 1ª Janela de oportunidades – Do nascimento aos 9 meses. Quanto mais se fala e repete é melhor. Ex.: Crianças bilíngues. </li></ul><ul><li>A 2ª Janela de oportunidades – Dos 4 aos 7 anos; elas usam o idioma naturalmente e aprendem com melhor resultado. </li></ul><ul><li>A 3ª Janela de oportunidades – Dos 8 anos aos 10 anos. Não se perde a oportunidade de aprender. O processo depois muda, não é mais natural. Vai exigir concentração e dedicação. </li></ul>Existem 3 momentos ideais para iniciar a aprendizado do inglês:
  21. 21. CURIOSIDADES DO BEBÊ “ O aprendizado de uma 2º língua, por exemplo, é feito com perfeição nos primeiros anos de vida, enquanto uma aprendizagem posterior geralmente não pode evitar a presença de um sotaque evidente.” Leonor Guerra Durante o desenvolvimento pré-natal, existem várias etapas que devem ser cumpridas rigorosamente para que as conexões entre células nervosas sejam feitas de forma correta. Muitos neurônios são reproduzidos e depois eliminados porque não se tornam funcionais (não são estimulados).
  22. 22. O bebê nasce bastante imaturo, pois a maior parte das conexões em seu cérebro será feita com a ajuda da interação com o meio ambiente. Mesmo a percepção sensorial e a habilidade motora deverão passar por longos períodos de aprendizagem. A falta de estimulação adequada pode ser prejudicial ao desenvolvimento do cérebro. Existem períodos em que a aprendizagem de determinada habilidade é mais fácil. CURIOSIDADES DO BEBÊ
  23. 23. <ul><li>Até 3 meses -> balbucia. </li></ul><ul><li>De 3 a 6 meses -> aprecia músicas cantadas pela mãe. Mostra-se atento às conversas e gosta de escutar canções com melodias suaves. </li></ul><ul><li>De 6 a 12 meses -> aproxima-se de pronúncias convencionais de algumas palavras como, “mamãe”. Nomeia brinquedos, bate palmas e acena “tchau”. </li></ul><ul><li>De 1 a 2 anos -> grande abertura da Janela de oportunidades. Valoriza seus professores e elabora frases curtas. </li></ul><ul><li>De 3 anos em diante -> ampliação da capacidade linguística, das estruturas e do vocabulário, diante da interação social no ambiente familiar e escolar. </li></ul>Desenvolvimento da fala: CURIOSIDADES DO BEBÊ
  24. 24. <ul><li>Estágio sensório-motor (0 a 2 anos). </li></ul><ul><li>Estágio pré-operacional (2 a 6 anos). </li></ul><ul><li>Estágio das operações concretas (7 a 11 anos). </li></ul><ul><li>Estágio das operações formais (12 anos em diante). </li></ul>HELP! ETAPAS DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
  25. 25. Segundo especialistas, o fenômeno da superioridade infantil no processo de assimilação de línguas se apresenta principalmente na parte da pronúncia e da aquisição da fala, já que a descoberta do mundo é um processo inerente para a criança. Portanto, a criança que tiver contato suficiente com o segundo idioma, o assimilará de forma tão completa quanto a língua materna. ETAPAS DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
  26. 26. <ul><li>Para isso é preciso ter uma abordagem adequada, trazendo para a criança um momento bem divertido e um mundo que fale a sua realidade. </li></ul><ul><li>Mas, como fazer? </li></ul><ul><li>Vendo fantoches ... </li></ul><ul><li>Cantando... </li></ul><ul><li>Ouvindo histórias... </li></ul><ul><li>Comendo... </li></ul><ul><li>Brincando... </li></ul><ul><li>...TUDO EM INGLÊS! </li></ul>COMO PODEMOS INICIAR UM TRABALHO DE EXPOSIÇÃO DO INGLÊS NA EDUCAÇÃO INFANTIL?
  27. 27. <ul><li>Respeitar o ritmo e o interesse da criança. </li></ul><ul><li>Saber que cada criança é única intelectualmente. </li></ul><ul><li>Lembrar que a sua criança aprende quando brinca. </li></ul><ul><li>Estimular e acolher as novas aprendizagens, sem cobranças, escutando da criança somente aquilo que quer falar. </li></ul><ul><li>Respeitar o período de silêncio no início do desenvolvimento da aquisição da segunda língua. </li></ul><ul><li>Valorizar os avanços nos trabalhos de inglês. </li></ul><ul><li>Se possível, assistir um DVD em inglês, juntos, contar histórias, cantar músicas. </li></ul><ul><li>Quando falar inglês com a criança, não misturar as línguas e não comunicar-se em português e inglês ao mesmo tempo. </li></ul>O QUE OS PAIS PODEM FAZER QUANDO AS CRIANÇAS ESTÃO APRENDENDO UM 2º IDIOMA?
  28. 28. DEPOIMENTOS IMPORTANTES “ Ao nascer, o cérebro está apto a lidar e reproduzir todos os sons da humanidade. E as crianças são capazes de balbuciá-los. É como se cada som fosse um fio desencapado e, conforme temos contato com uma língua, vamos encapando os mais usados. Aos 7 anos, esta capacidade praticamente se encerra. É o que chamamos de Janela das oportunidades – explica. Além do conhecimento da língua, é fundamental um trabalho pedagógico bem estruturado para se trabalhar com crianças bem pequenas. A construção da linguagem passa pelas experiências sensoriais e afetivas.” Eloisa Lima, diretora do Dice do Rio de Janeiro, onde trabalha com bebês de 1 ano.
  29. 29. “ Aprender um segundo idioma no primeiro ano de vida é apenas natural. Aqui no Brasil não é muito comum, mas na Europa, as crianças são bilíngues porque convivem com familiares de diferentes países – explica a professora da UFRJ, que já tem em casa dois quase trilíngues. Meus filhos de 5 e 8 anos, falam francês com o pai e já estão aprendendo inglês. Defendo que o ensino ocorra o mais cedo possível. Num mundo globalizado é tudo o que a gente quer. Mas não há garantias de que colocar a criança uma vez por semana ela se tornará bilíngue. Tudo depende da qualidade do trabalho desenvolvido.” Suzane Herculano–Houzel. DEPOIMENTOS IMPORTANTES
  30. 30. Segundo pesquisas do linguista britânico Colin Baker, aprender um segundo idioma na primeira infância é ir muito além da língua. Monica Casalini, de 32 anos, não se arrepende de ter matriculado a pequena Isabela, então com 2 aninhos, no curso oferecido pela creche Vivinfância. “Agora com 3 anos ela já canta musiquinhas e fala algumas frases. Outro dia, ela viu um cacho de bananas, virou para mim e disse: “Mamãe, o monkey come banana”. Não quero que ela saia falando inglês agora de uma hora para outra. Mas como eu tive uma formação bilíngue, achei que seria bom para ela também.” DEPOIMENTOS IMPORTANTES
  31. 31. “ A criança necessita de uma rica exposição às duas línguas por um longo período de tempo, de forma contínua e regular para que obtenha competência proficiente em ambas e para que possa beneficiar-se das vantagens cognitivas e linguísticas que pertence ao bilíngue.” Paula Castro, Bilingual Ed. Consultant DEPOIMENTOS IMPORTANTES
  32. 32. 1. A partir de 1962, os estudos de E. Pearl e W. Lambert confirmam a superioridade intelectual dos bilíngues, que diz respeito à uma maior flexibilidade cognitiva, resultante da constante passagem de um sistema linguístico a outro. Depois, outros estudos nesta área, desenvolvidos na Suiça por L. Balkan (1983), na Ucrânia por J. Cummings e M. Gulutsan (1983) e na Nigéria por N. Okoh (1980), demonstram que os bilíngues apresentam uma maior desenvoltura para realizar operações mentais com construções verbais e não verbais mais elaboradas, tinham mais facilidade para deduzir regras e mostravam-se mais criativos e com maior capacidade para analisar os conceitos subjacentes às informações recebidas. CONCLUSÃO
  33. 33. 2. É imperativo o domínio de uma segunda língua na contemporaneidade, diante de um mercado globalizado em todas as dimensões de troca - cultural, financeira, profissional, científica - fica mais que posta a necessidade da proficiência em um segundo idioma e o ensino bilíngue é o caminho que proporciona este saber da forma mais adequada e eficaz. CONCLUSÃO
  34. 34. O trabalho do educador pode ser mais significativo e eficiente quando ele conhece o funcionamento cerebral. Conhecer a organização e as funções do cérebro, os períodos receptivos, os mecanismos da linguagem, da atenção e da memória, as relações entre cognição, emoção, motivação e desempenho, as dificuldades de aprendizagem, contribui para o cotidiano do educador na escola, junto ao aprendiz e à sua família. O PAPEL DO EDUCADOR
  35. 35. OBRIGADA!!! E-mail: teresa@learningfun.com.br www.learningfun.com.br

×