7266424 normas-tecnicas-para-artigo-academico

1.254 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.254
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

7266424 normas-tecnicas-para-artigo-academico

  1. 1. Normas técnicas para artigos acadêmicos  O padrão geral de artigos acadêmicos é Fonte Times New Roman, tamanho 12, espaçamento 1,5; parágrafo justificado. No corpo do texto: 1) Citações de autores de até três linhas devem vir no corpo do texto, entre aspas. Deve-se, ainda, indicar a fonte, ou no corpo do texto, ou através de nota de rodapé. Exemplos: (...) Além disso, tais conferências são responsáveis pelo crescimento notável de organizações de defesa dos direitos das mulheres, que passam, por sua vez, a enfatizar a idéia de um discurso feminista universal. A autora afirma que “muitas destas ONGs, ao encontrarem-se periodicamente nas conferências, acabaram por formar coalizões transnacionais, baseadas especialmente em troca de informações” (Thompson,2002). Ou Cientistas sociais deveriam se tornar intelectuais orgânicos, atuando junto aos movimentos sociais de emancipação dos excluídos, vitimizados e marginalizados pelo mundo. Analisando também qual seria o ponto em comum entre os dois pioneiros da virada crítica, Kratochwil afirma que “both Ashley and Cox were trail-blazers who made it possible for others to raise new issues and pursue a research agenda significantly different from ‘mainstream’IR” (Kratochwil, 2007, p. 27). Ou
  2. 2. Ao analisar as diversas influências que as abordagens críticas sofreram, desde Wittengstein, Foucault, Habermas e Ashley, os autores visam apresentar epistemologias e metodologias alternativas à unidade coesa e ilusória das perspectivas positivistas dominantes por tantos anos no campo das Relações Internacionais. “With a critical social theory approach that stresses the need for an open-ended, genuinely pluralistic and contested approach to knowledge and society”1 . 2) Citações de autores de mais de três linhas devem ser destacadas com recuo de 4 cm da margem esquerda, com tipologia Arial ou Times New Roman 10, espaçamento simples entre linhas e sem aspas. A referência, quando existir, deve ser incluída logo após a citação e antes do sinal de pontuação; ou em nota de rodapé. Exemplos: (…) Por isso é importante uma análise capaz de incorporar a combinação dessas variáveis. Como eles especificam: On the whole, the debate over democratic norms and institutions as causes of the democratic peace should focus more on the conditions under which differences of foreign policy behavior are predicted by each approach (Huth e Allee, 2002, p.9). Essa guinada dos autores possibilita uma contribuição importante na medida em que coloca a análise no nível do tomador de decisão e clarifica em que medida as diferentes variáveis orientam o cálculo de suas escolhas políticas. Ou 1 GEORGE, J, CAMPBELL, D, pág. 537.
  3. 3. Segundo declaração do Ministério da Segurança Israelense, o único objetivo da construção é, portanto, a segurança, e não a anexação ilícita de territórios: Terrorism has been defined throughout the international community as a crime against humanity. As such, the State of Israel not only has the right but also the obligation to do everything in its power to lessen the impact and scope of terrorism on the citizens of Israel(…)The sole purpose of the Security Fence, as stated in the Israeli Government decision of July 23rd 2001, is to provide security2 . Ou Segundo Rubim (2003), ao tornar presente a imagem de um candidato conciliador, baseada em seu passado e trajetória, a campanha petista posicionou politicamente a candidatura de modo muito preciso e pertinente. Para o autor: A crise potencial aparece como questão vital a ser enfrentada, e este enfrentamento, para ser efetuado de modo satisfatório, exige determinadas habilidades e capacidades. Especialmente aquelas voltadas para a construção coletiva de alternativas societárias e para a aglutinação de forças presentes no cenário político e social. O momento de crise requer para sua superação uma competência política- e não técnica- de conversar para aglutinar atores e interesses em torno de uma saída, negociada e alternativa, que abra a possibilidade de desenvolvimento social e econômico para o país. 3 3)Toda idéia, mesmo que não reproduzida fielmente, deve conter a fonte. Esta deve ser feita com a menção do último sobrenome do autor, acompanhada do ano da publicação e do número da página, quando necessário. 2 “Israel Security Fence”. Disponível em http://www.securityfence.mod.gov.il. Acessado em 1°de novembro de 2007. 3 RUBIM, Antonio Albino Canelas. 2004. “Visibilidades e estratégias nas eleições de 2002: Política, Mídia e Cultura”. In: RUBIM, Antonio Albino Canelas (org.). Eleições Presidenciais em 2002 no Brasil. São Paulo, Cult, 2004.
  4. 4. Exemplos: A tese de Hobbes de que valores e normas são uma criação humana, significa, para Johnson, sua sujeição a mudanças e a interpretações pessoais, refletindo apenas um certo arranjo de poder em um certo tempo na história (Johson, 1996, p. 246). O realismo, conclui o autor, ainda é a doutrina mais apta a identificar e analisar os arranjos de poder. Ou Ainda que o realismo tenha, de forma, geral, sofrido diversos questionamentos na década de 90, devido à sua incapacidade de lidar com a nova configuração do mundo pós-Guerra Fria e de prever o fim do conflito Leste-Oeste, devemos levar em conta que Israel é um dos países que mais trabalham dentro deste registro. Keohane e Nye (1989) afirmam que, na nova ordem mundial caracterizada pela interdependência, a acumulação de poder militar não é mais a prioridade da agenda dos Estados. Ou O Tratado do Rio de Janeiro assegura o conceito de segurança coletiva no hemisfério, além de definir uma “zona interamericana de segurança” (Bennett e Oliver, 2006, p.248). 4) Quando a fonte for de um link da internet, colocar da seguinte forma: Autor (se houver),Título (se houver), disponível em, acessado em. A Organização dos Estados Americanos que existe até hoje é fruto das ações de Simon Bolívar, que, em 1826, organizou o Congresso do Panamá, a fim de “criar uma associação dos Estados do Hemisfério” 4 . 4 “Breve Histórico da OEA”. Disponível em http://www.oas.org/key_issues/por/KeyIssue_Detail.asp?kis_sec=17. Acessado em 2 de abril de 2008.
  5. 5. 5)Todos os dados ou informações quantitavivas devem vir com a fonte especificada em nota de rodapé. Exemplo: (...) Quando ele estiver instalado na sala de comando, um escritório onde predomina um ambiente antiquado, no topo do “quartel-general” da ONU, Ban Ki-Moon, um diplomata de carreira, dominará uma instituição tentacular cujo orçamento anual total é de cerca de US$ 8 bilhões (R$ 17,16 bilhões)5 . 6) As notas de rodapé também servem para acrescentar informação relevante e adicional. Exemplos: (...) A barreira projetada pelo governo inclui vários níveis de defesa, com arame farpado, cerca eletrificada, fossos profundos o suficiente para deter veículos blindados e vigilância eletrônica6 . Ou 5 CANELAS, Mario. “O próximo Secretário-Geral”. Disponível em http://www.unausa.org/site/pp.asp?c=fvKRI8MPJpF&b=1813833. Acessado em 8 de março de 2008. 6 Disponível em http://www.securityfence.mod.gov.il. Acessado em 1°de novembro de 2007.
  6. 6. (…) Até 1976, a legislação sobre a propaganda eleitoral gratuita não sofreu grandes modificações. Apesar do caráter ditatorial do regime, a propaganda política não sofria censura prévia, ainda que existissem restrições quanto ao seu conteúdo7 . Bibliografia: Para livro Sobrenome do autor (em maiúscula), nome do autor, título do livro (em itálico), número da edição (se não for a primeira), local da publicação, nome da editora, ano da publicação. Exemplo: FORSYTHE, D.P. Human Rights and World Politics. Londres: University of Nebraska, 1989. GADDIS, John Lewis. História da Guerra Fria. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005. Para artigo acadêmico Sobrenome do autor (em maiúscula), nome do autor, título do artigo entre aspas, nome do periódico em itálico, volume do periódico, número do periódico, número das páginas,ano. Exemplo: HELD, David, McGREW, Anthony. “Globalization”. Global Governance, vol. 5, n.4, pp.483-496, oct-dec.1999. 7 Era proibido o uso de “propagandas de guerra, subversivas, contrárias às Forças Armadas, que estimulassem atentados, que incitassem a desobediência civil ou o descumprimento da lei da ordem pública” (Lombardo, Jorge, 1995)
  7. 7. BOVARNICK, Silvie. “Universal human rights and non-Western normative systems: a comparative analysis of violence against women in Mexico and Pakistan”. Review of International Studies,33, n°1, 2007, pp.456-478,2007. HERZ, Mônica. “A dimensão cultural das Relações Internacionais e os atores não- governamentais”. Contexto Internacional, ano 4, n. 8, p. 69-82, 1988. Para capítulo de livro Sobrenome do autor do capítulo (em maiúscula), nome do autor do capítulo, título do capítulo, In:, sobrenome do autor geral do livro (seguido de vírgula e iniciais do nome do autor geral do livro), função do autor geral do livro entre parênteses e abreviado, título geral do livro em itálio, local de publicação, nome da editora, ano da publicação (opcional:intervalo das páginas do capítulo). Exemplos: KECK, Margaret, SIKKINK, Kathryn. “Historical Precursors to Modern Transnational Advocacy Networks”. In: KECK, Margaret, SIKKINK, Kathryn (ed.) Activist Beyond Borders: Advocacy Networks in International Politics. NY: Cornell University Press, 1998. PUTNAM, Robert D. “Diplomacy and domestic politics: the logic of Two-Level Games”. In: EVANS, P. B.; JACOBSON, H. K.; Putnam, R. D. (Ed.). Double-edged diplomacy: international bargaining and domestic politics. Berkeley: University of California Press, 1988-1993. p. 431-468. Para artigo de jornal Sobrenome do autor (em maiúscula), nome do autor, título do artigo, nome do jornal (em itálico), cidade, dia, mês e ano da publicação. Exemplos: PACHECO, Lenilde. Subestimar o eleitor é um erro, diz psicóloga. A Tarde, São Paulo, 25 de agosto de 2002. MORALES-SOLÁ, Joaquín. La Argentina frente el nuevo orden mundial. La Nación, Buenos Aires, 23 fev. 2003.
  8. 8. Para dissertação ou tese Sobrenome do autor (em maiúscula), nome do autor, título da dissertação ou tese, ano da defesa, número de folhas, tipo de documento (tese ou dissertação), vinculação acadêmica, local e data da defesa (se houver na folha de aprovação). Exemplo: SANTANA, Helton R. P. “Área de Livre Comércio das Américas (ALCA): determinantes domésticos e política externa brasileira”. Dissertação de Mestrado, IRI/PUC-Rio, Rio de Janeiro, 2000. MENDES, Gabriel Gutiérrez. “Da Frente Brasil Popular à Aliança Capital Trabalho: Análise do discurso das campanhas de Lula a presidente”. Dissertação de Mestrado, Iuperj, Rio de Janeiro, 2002. Trabalho apresentado em seminário Sobrenome do autor (em maiúscula), nome do autor, título do trabalho apresentado, seguido da expressão In:, nome do evento, numeração do evento (se houver), local e ano de realização do evento. Exemplo: LIMA, Maria Regina Soares de; SANTOS, Fabiano. “O Congresso Brasileiro e a política de comércio exterior”. Artigo apresentado no encontro da Latin-American Studies Association (LASA), Chicago, 1998. FIGUEIREDO, Marcus; ALDÉ, Alessandra. “Intenção de voto e propaganda política: efeitos e gramáticas da propaganda eleitoral. Notas para um debate”. Artigo apresentado no GT de Comunicação e Política da Compos. Recife, Pernambuco, 2003.
  9. 9. Para documento da Internet Sobrenome do autor (em maiúscula), nome do autor, título do documento, nome da fonte do texto em negrito, dia, mês e ano do documento, endereço URL, data de acesso ao documento. Exemplo: KHALIL, Ashraf. “Iraq’s women see victory in constitution”. Middle East Online, 4 mar. 2004. Disponível em: http://www.middle- east-online.com/English/?id+9089. Acessado em 10 de março de 2004.

×