Apresentação
Evidenciamos que a Educação de Jovens e Adultos é uma modalidade de ensino
para alunos que não conseguiram co...
sociedade da informação, pois temos que aprender a nos comunicar de forma efetiva e
temos que saber acessar e manipular es...
Agradecimentos
A Escola Dom Luiz Gonzaga Fernandes, diretoras, professores e funcionários.
A todos os alunos envolvidos ne...
Érika Paloma Santos
Joseilda Maria da Costa
Maria do Socorro Nascimento
Naara Vieira dos Santos
Thaiany Marques de Oliveir...
“ENSINAR NÃO É TRANSFERIR
CONHECIMENTO, MAS CRIAR AS
POSSIBILIDADES PARA A SUA
CONSTRUÇÃO.
QUEM ENSINA APRENDE AO ENSINAR ...
Sumário
Textos:
Minha Vida ..................................................................................................
Vontade de trabalhar.........................................................................................................
Minha Vida
Vou começar a falar um pouco sobre mim, bem eu sou Diorgenes Pereira de
Oliveira, nasci em Pedra Branca no ano ...
ENEM
Meu nome é Fernanda Carolina Sarmento dos Santos, tenho 18 anos de idade,
faço 3°ano do ensino médio.
Comecei a estud...
Sonho dos meus pais
Meu nome é Gilberto Pires Gonzaga Junior, tenho 19 anos, estou concluindo o
ensino médio esse ano de 2...
Trabalho
Meu nome é Werllyson Vasconcelos de Araújo, tenho 23 anos sou natural de
Campina Grande, voltei a estudar faz 11 ...
Felicidade tem nome: Concluinte 2014!
Aos 19 anos eu fazia o terceiro ano do ensino médio, garota simples cheia de
vontade...
Tive depressão, minha vontade era de não viver, foi daí que pensei porque não
voltar a estudar? Chegou a hora, vai ser bom...
Em busca de um sonho
Na minha vida nunca desisti dos meus objetivos, não deixei de estudar, mas
sempre nossas vidas dão vo...
Muito feliz
Meu nome é Luana Silva, tenho 18 anos e nasci no dia 19 de Janeiro de 1996.
Sou casada há um ano e quatro mese...
Uma perda, uma dor, uma solidão
Começo primeiro falando sobre algo que aconteceu na minha infância, quando
eu tinha apenas...
Recomeço
É uma estória comum como todas as outras, meu nome é Emilly Mirely, 18
anos, natural de Campina Grande. Uma menin...
Se eu pudesse voltar o tempo não teria feito nada do que eu fiz
Quando tinha 11 anos comecei a engraxar sapatos. Veja bem,...
Acredite, é hora de vencer!
Há alguns anos atrás eu fazia o 1° ano do ensino médio, sempre fui considerada
uma das melhore...
Com a chegada do bebê, as dificuldades foram maiores, dois anos depois tive
outro bebê e cada vez mais ficava distante a c...
Evangelizar
A minha vida, meu nome é Marcio, tenho 19 anos, trabalho na Coteminas. Faço
curso à tarde de mecânico, eu estu...
Mudei minha vida
Fui um garoto muito amado por minha família, embora não cresci com o meu
pai, mas eu era feliz.
Na escola...
Adolescência difícil
Hoje sou uma mulher de 29 anos, casada com dois filhos. Casei-me com 22 anos
e fui mãe pela primeira ...
Nunca passei dificuldades na vida
Agora vou falar da minha vida, meu nome é Diego, tenho 18 anos, moro com
meus pais e faç...
Um rumo na vida
Hoje tenho 29 anos, uma filha de quatro anos de idade, sou casada, meu esposo
faz 44 anos de idade dia 28 ...
Concursos públicos
Bom, tenho 21 anos, moro atualmente em Campina Grande, Paraíba. Trabalho,
estudo e faço fisioterapia pa...
Uma Jornada de Vitórias
Quando nasci, com seis meses de idade contraí uma doença. Passei alguns meses
muito doente, os méd...
escolha que fiz em toda minha vida. Hoje aos trinta sou casada, tenho três filhos lindos,
estudo, e estou buscando um futu...
Feliz com a vida
Meu nome é Maria Lucicleide da Silva, tenho 28 anos, já sou casada há doze
anos, tenho também uma filha c...
O que esse certificado significa para mim?
Nasci em uma família pobre, sem muitos recursos e filha de pais separados.
Minh...
Como é bela a minha vida
Ao parar do tempo eu vou contar a minha vida, comecei estudar na minha
infância quando eu era cri...
Minha rotina
Meu nome é Sabrina Keila, nasci no dia 14 de março de 1996, tenho 18 anos,
sou solteira e vou falar um pouco ...
Abandono e vitória
Quando pequena estudava, meu sonho era me formar em Direito, mas a minha
mãe não me ajudava, fui criada...
Jogando bola
Um fato que marcou minha vida foi quando eu fui jogar no Vitória da Bahia,
além de ter sido uma experiência m...
As coisas mais importantes que eu tenho
Minha vida é muito boa, tirando as dificuldades do dia a dia, tenho muito força
de...
Minha infância
Bom eu comecei a estudar com sete anos de idade, repeti alguns anos e depois
tive que parar de estudar. Com...
Com a graça de Deus, aos 64 anos
Meu nome é Maria Lurdes, esta é minha história, não tive uma infância muito
boa porque fu...
Sentimento de felicidade
Meu nome é Áurea Virgínia Leal da Costa Barbosa, brasileira, nascida em
Campina Grande PB, em mai...
Um pouco da minha vida
No decorrer da minha vida eu estudava e morava com meus pais, desde os meus
quatorze anos sempre pe...
Minha infância e adolescência
Tive uma infância maravilhosa com muitos amigos, brincadeiras, minha família
sempre junta de...
Faço de tudo para não deixar de estudar
Desde o início da minha trajetória escolar sempre fui prestativa aos estudos, mas
...
Vontade de trabalhar
Quando eu tinha nove anos aconteceu um episódio marcante na minha vida.
Apesar de que no tempo que is...
Cada vez mais feliz
Eu, Keyler Conserva Camelo, vou contar um pouco da minha vida. Eu nasci em
Campina Grande, morei uma t...
Minhas dificuldades para estudar
Nasci e me criei em um sítio perto de Boa Vista, onde a vida era bastante
complicada. Ond...
Derrubando preconceitos
Eu tenho 25 anos, sou casada e tenho dois filhos, passei sete anos longe da
escola e agora decidi ...
Consigo chegar onde quero
Eu sou Camila Matias Feitosa, nasci no dia 6 de abril de 1996, sou solteira e
pretendo ser PM, t...
Venci a morte
Sou a última de uma grande família que não aconteceu, sou a sétima filha e a
terceira porque perdi quatro ir...
Estudos foram interrompidos
Não tive muita dificuldade na vida com relação aos estudos, pois comecei a
estudar em escolas ...
Apesar das dificuldades sou feliz
Sou Érika, nasci em Campina Grande. Até os quinze anos fui criada com meus
pais e irmãos...
Apesar de tudo isso posso dizer que sou uma pessoa feliz, graças a Deus tenho
saúde e coragem para trabalhar e ajudar a mi...
Minhas escolhas na vida
Vou falar um pouco da minha vida e das minhas escolhas. Decidi estudar à noite
porque o horário fi...
A minha estória particular
Parei de estudar quando tinha vinte anos de idade, pois fui trabalhar no
Rio de Janeiro, chegan...
A rotina de uma estudante e sua persistência
Quando era pequena tive que trabalhar para poder ajuda meus pais a criarem
me...
Um dia vou ser uma grande mulher, posso até não ser reconhecida hoje, mas um
dia sim. Deus me ajudou nessa vitória e em to...
FOTOS DOS ALUNOS DO PROJETO NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO
DOS SEUS TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL
FOTOS DOS ALUNOS FAZENDO E PARTICIPANDO DAS ATIVIDADES
DE LEITURA DE TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL
FOTOS DOS ALUNOS FAZENDO E PARTICIPANDO DA DIGITAÇÃO
DOS TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL
FOTOS DOS ALUNOS FAZENDO E PARTICIPANDO DA DIGITAÇÃO
DOS TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL
FOTOS DOS ALUNOS FAZENDO A CORREÇÃO DOS TEXTOS PARA O
LIVRO DIGITAL
ORIENTAÇÃO PARA FINALIZAÇÃO DOS TEXTOS PARA O LIVRO
DIGITAL
Uma jornada de vitórias pdf
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Uma jornada de vitórias pdf

423 visualizações

Publicada em

Projeto aplicado na EEEFM Dom Luiz Gonzaga, Campina Grande, Paraíba. O estudo integra a disciplina de Sociologia, teve como intuito aplicar a Educomunicação em sala de aula, resultou em um livro digital sobre histórias de vida da EJA.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
423
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Uma jornada de vitórias pdf

  1. 1. Apresentação Evidenciamos que a Educação de Jovens e Adultos é uma modalidade de ensino para alunos que não conseguiram completar os anos da educação básica na faixa etária correspondente. Desde 1947, quando foi implantada que a EJA passa por adaptações, mesmo com as conquistas na legislação, ainda são evidentes as dificuldades encontradas nesses cursos. Historicamente, a educação de jovens e adultos tem sido tratada pelo poder público como política compensatória, de caráter assistencial, e não como um direito humano. As políticas públicas educacionais que foram implantadas no Brasil ao longo da nossa história não conseguiram atingir a todos igualmente. As minorias marginalizadas, como por exemplo, negros e índios, continuam sendo prejudicados pelo nosso sistema educacional com programas descontínuos e propostas pedagógicas vazias. Os conteúdos não são adaptados a sua realidade, ao seu perfil socioeconômico e cultural, seguindo a proposta do ensino regular. Esse fato dificulta que professores trabalhem e valorizem os conhecimentos adquiridos pelos alunos no trabalho e no seu convívio social. Assegurar o ingresso das pessoas jovens e adultas à educação é antes de tudo, respeitar os direitos fundamentais. Os jovens e adultos que não sabem ler, ou com pouca escolaridade, são pessoas que tiveram no seu passado um direito desrespeitado, violado, perdendo um importante instrumento para pensar, pesquisar e ter acesso ao saber que é produzido pela humanidade. A escola necessita incluir ao seu fazer pedagógico as diferentes linguagens que estão postas no universo, à medida que se abre para o aluno o acesso a novas linguagens, mais os horizontes culturais dos alunos se ampliarão. O mundo atual tem requisitado das pessoas de uma maneira geral a utilização da comunicação digital, e a educação de jovens e adultos não pode ficar fora desse uso. As mudanças proporcionadas pelas Tecnologias de Informação e Comunicação junto com as mídias sociais estão cada dia alterando as formas de aprendizagem, as formas de entretenimento, os comportamentos em casa e o mundo do trabalho. Todas essas novas tecnologias nos sugerem novas formas de interpretar e visualizar a
  2. 2. sociedade da informação, pois temos que aprender a nos comunicar de forma efetiva e temos que saber acessar e manipular esses conhecimentos utilizando as ferramentas disponíveis. Esse trabalho é fruto do projeto livro digital EJA “Uma jornada de Vitórias”, utilizando as tecnologias da informação como instrumento de construção da cidadania. As cinco turmas do Ensino Médio da Educação de Jovens e Adultos da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Dom Luiz Gonzaga Fernandes, do primeiro semestre de 2014, contaram suas histórias de vida e trajetória escolar, que transformamos em textos para um livro digital. A escola fica localizada no bairro das Malvinas, Campina Grande, Paraíba.
  3. 3. Agradecimentos A Escola Dom Luiz Gonzaga Fernandes, diretoras, professores e funcionários. A todos os alunos envolvidos nesse projeto: 3° A EJA. Andréia Silva Zeferino Antonia Luzia da Silva Áurea Virgínia Leal Juliana Venâncio Juliete da Silva Almeida Kaline Alencar Nunes Márcio Araújo Demetrio Marcos Antonio Alves Maria das Graças Mendonça Maria de Lourdes Nascimento Maristela André de Lima 3° B EJA. David Pequeno de Castro Diorgenes Pereira de Oliveira Emily Mirely de Sousa Fernanda Caroline Sarmento Gilberto Pires Gonzaga Raisa Daniele Sarmento 2° Único EJA. Diego Felipe Moura
  4. 4. Érika Paloma Santos Joseilda Maria da Costa Maria do Socorro Nascimento Naara Vieira dos Santos Thaiany Marques de Oliveira Soniara Santos Torres Werllyson Santos Torres 1° A EJA. Amanda Xavier de Sena Bianca aparecida Alves Camila Matias Feitosa Mayara lima de Souza Sabrina Keila Santos Weslly Ferreira Araújo 1° B EJA. Cleide da Rocha Araújo Jhonatta Silva Lopes Luana Tokimatu Ferreira Marcos Antonio Barbosa Maria Lucicleide da Silva Raimy Correia de Araújo Vilauva de Freitas Silva Walter Silva do Egito
  5. 5. “ENSINAR NÃO É TRANSFERIR CONHECIMENTO, MAS CRIAR AS POSSIBILIDADES PARA A SUA CONSTRUÇÃO. QUEM ENSINA APRENDE AO ENSINAR E QUEM APRENDE ENSINA AO APRENDER” PAULO FREIRE
  6. 6. Sumário Textos: Minha Vida ...............................................................................................................................9 ENEM......................................................................................................................................10 Sonho dos meus pais ..............................................................................................................11 Trabalho .................................................................................................................................12 Felicidade tem nome: Concluinte 2014! ..................................................................................13 Em busca de um sonho ...........................................................................................................15 Muito feliz ..............................................................................................................................16 Uma perda, uma dor, uma solidão ..........................................................................................17 Recomeço...............................................................................................................................18 Se eu pudesse voltar o tempo não teria feito nada do que eu fiz.............................................19 Acredite, é hora de vencer!.....................................................................................................20 Evangelizar .............................................................................................................................22 Mudei minha vida...................................................................................................................23 Adolescência difícil..................................................................................................................24 Nunca passei dificuldades na vida...........................................................................................25 Um rumo na vida ....................................................................................................................26 Concursos públicos .................................................................................................................27 Uma Jornada de Vitórias.........................................................................................................28 Feliz com a vida.......................................................................................................................30 O que esse certificado significa para mim?..............................................................................31 Como é bela a minha vida.......................................................................................................32 Minha rotina...........................................................................................................................33 Abandono e vitória .................................................................................................................34 Jogando bola...........................................................................................................................35 As coisas mais importantes que eu tenho ...............................................................................36 Minha infância........................................................................................................................37 Com a graça de Deus, aos 64 anos...........................................................................................38 Sentimento de felicidade ........................................................................................................39 Um pouco da minha vida ........................................................................................................40 Minha infância e adolescência ................................................................................................41 Faço de tudo para não deixar de estudar ................................................................................42
  7. 7. Vontade de trabalhar..............................................................................................................43 Cada vez mais feliz..................................................................................................................44 Minhas dificuldades para estudar ...........................................................................................45 Derrubando preconceitos .......................................................................................................46 Consigo chegar onde quero.....................................................................................................47 Venci a morte .........................................................................................................................48 Estudos foram interrompidos..................................................................................................49 Apesar das dificuldades sou feliz.............................................................................................50 Minhas escolhas na vida .........................................................................................................52 A minha estória particular.......................................................................................................53 A rotina de uma estudante e sua persistência .........................................................................54 FOTOS DOS ALUNOS DO PROJETO NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DOS SEUS TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL ........................................................................................................................56 FOTOS DOS ALUNOS FAZENDO E PARTICIPANDO DAS ATIVIDADES DE LEITURA DE TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL............................................................................................................57 FOTOS DOS ALUNOS FAZENDO E PARTICIPANDO DA DIGITAÇÃO DOS TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL...................................................................................................................................58 FOTOS DOS ALUNOS FAZENDO E PARTICIPANDO DA DIGITAÇÃO DOS TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL...................................................................................................................................59 FOTOS DOS ALUNOS FAZENDO A CORREÇÃO DOS TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL..................60 ORIENTAÇÃO PARA FINALIZAÇÃO DOS TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL ...................................61
  8. 8. Minha Vida Vou começar a falar um pouco sobre mim, bem eu sou Diorgenes Pereira de Oliveira, nasci em Pedra Branca no ano de 1988, vim embora pra morar em Campina com um mês de nascido no bairro do cruzeiro. Sou um filho que nunca dei trabalho a meus pais, faz 24 anos que moro no mesmo bairro, tenho muitas amizades, todos os meus vizinhos gostam de mim quando eu passo por todos eu falo ajudo a todos. Eu gosto muito de ir à casa dos meus avós com os meus primos porque lá foi a onde eu passei a melhor parte da minha infância pretendo futuramente ir morar lá pra ficar, mas perto das pessoas que fazem parte da minha infância. Já estudei em muitas escolas desde pequeno, mas a que eu mais me adaptei e a que eu estudo ate hoje, já faz de 10 a 12 anos, é aqui no Dom Luiz, já conheço todos os professores e engraçado é que quando eu chego no primeiro dia de aula eu não preciso nem me apresentar porque todos já me conhecem, não só os professores mas todos, da diretora a merendeira. Eu sou tão gaiato que eu mexo com todo mundo, mas eu estou terminando agora e já estou sentindo falta de todos. Eu já deveria ter terminado, mas eu começava a estudar e sempre desistia até encontrar uma pessoa que eu amo muito, ela soube fazer com que eu me interessasse a estudar e ela vai ser a pessoa com quem eu pretendo casar porque ela sim soube me incentivar e fez com que eu olhasse o que eu estava perdendo de oportunidades por conta que eu ainda não tinha terminado os estudos.
  9. 9. ENEM Meu nome é Fernanda Carolina Sarmento dos Santos, tenho 18 anos de idade, faço 3°ano do ensino médio. Comecei a estudar aos 4 anos de idade, em toda a minha vida passei apenas por três escolas, onde em uma concluir todo o meu ensino fundamental e nas outras duas o ensino médio, no qual ainda estou concluindo. Repeti o 3°ano do médio no ano de 2013, e este ano estou cursando novamente pelo EJA. Optei fazer o EJA para concluir mais rápido, pois penso em fazer uma faculdade e arrumar um bom emprego. Em todo esse tempo escolar fiz muitas amizades por todas as escolas que passei, onde pretendo levá-las para sempre. Este ano estou concluindo no colégio Dom Luiz Gonzaga Fernandes, onde nele estudo a quase 3 anos. Estou me preparando para fazer o ENEM, pois pretendo entrar na Universidade no curso de Fisioterapia. Aqui está um pouco da minha vida escolar, que ao decorrer do tempo ainda vai crescer muito, assim espero.
  10. 10. Sonho dos meus pais Meu nome é Gilberto Pires Gonzaga Junior, tenho 19 anos, estou concluindo o ensino médio esse ano de 2014, no colégio Dom Luiz Gonzaga Fernandes. Esse ano pretendo fazer ENEM, pra tentar uma vaga na Universidade que é o sonho dos meu Pais, eles querem que eu faça para administração de empresas. Comecei a estudar com 3 anos de idade, onde minha primeira escola foi ESO, Escola Santo Onofe, fazendo o jardim 1, depois passei por mas umas cinco. Estudei grande parte da minha vida em escolar particular, entrei no colégio público com 17 anos, onde concluí o 2° ano médio. Repeti duas vezes, uma na particular a 5° serie, e a outra na pública o 3°ano. Fiz muitas amizades, e até hoje tenho algumas, tenho minhas dificuldades de aprender principalmente na matéria de matemática, sempre fui um aluno respeitador, conversava bastante em sala de aula, gostei muito de todas as escolas que passei e dos professores.
  11. 11. Trabalho Meu nome é Werllyson Vasconcelos de Araújo, tenho 23 anos sou natural de Campina Grande, voltei a estudar faz 11 meses, depois de seis anos parado. Voltei a estudar para ter melhor condição de vida, pois o mercado de trabalho exige muito isso e principalmente conseguir passar em algum concurso público, ter uma condição financeira boa. Comecei a trabalhar cedo com 14 anos de idade, queria ser independente financeiramente como os jovens dizem “ser dono do próprio nariz”, mais como todo jovem eu não poderia ficar para trás cometi esse erro, pensar em trabalhar em qualquer emprego e ganhar dinheiro rápido. Isso atrapalhou os meus estudos, nessa época eu estava fazendo a 8ª série, hoje o 9º ano, passei me arrastando. Fiquei reprovado no 1º ano, no ano seguinte tentei estudar a noite, acabei desistindo, tentei fazer o EJA a primeira vez e desisti novamente, isso eu já estava com 18 anos, foi ai que eu parei de vez de estudar, que na minha cabeça naquela época pra mim o estudo não precisava, porque eu já estava trabalhando. Contudo os anos se passaram fiquei mais velho e percebi a “leseira” que tinha feito, com a cabeça mais madura vi que para conseguir o salário mais alto e não fazer muita força era só estudar. Eu vejo hoje o tempo que perdi, mais como todo brasileiro que não desiste nunca, não tem nada perdido abri os olhos e resolvi fazer o EJA pela segunda vez, pois é mais rápido, não dar para ver os assuntos todos como os alunos do regular mais não vou ficar para trás.
  12. 12. Felicidade tem nome: Concluinte 2014! Aos 19 anos eu fazia o terceiro ano do ensino médio, garota simples cheia de vontades, sonhos, desejos, vontades, muita vontade de fazer o ENEM, cursar direito ou psicologia talvez. Eu trabalhava durante o dia e a noite estudava, muitas vezes em hora de almoço fazia alguns pagamentos da empresa que eu trabalhava e foi numa dessas viagens que minha estória começou. Todos os dias saía do trabalho e meu namorado me deixava no colégio, depois voltava e me pegava, era tão corrida minha vida que chegou ao ponto que precisei escolher namorado, trabalho ou estudar. Infelizmente abandonei meu trabalho, meus estudos, meus sonhos, mas estava convicta que estava com o amor da minha vida. Casei, engravidei, tive uma linda menina que é minha alegria, minha vontade de viver, quase morri no parto, mas dei a volta por cima, tive um inicio de casamento maravilhoso, pensei por diversas vezes voltar a estudar, mas ficava a imaginar como deixar minha princesinha longe de mim e daí o desânimo batia e mais um ano eu desistia e tirei de vez todos os meus sonhos da cabeça. Quatro anos depois fui mãe novamente de outra linda princesa, tive uma gestação conturbada, tive depressão pós-parto, sofri maus bocados, daí superei tudo e pensei porque não voltar a estudar? Será que ainda dá tempo? Mas agora são duas meninas e o papai delas trabalhava muito, daí pensei deixa pra lá, já não era possível com uma imagina duas. Desisti novamente, mas o desejo era grande ficava por horas a me perguntar por que desisti tanto de mim, na verdade não era que desisti e sim porque decidi ser mãe e ter outra vida, não aceitava, não queria ser ausente na vida delas, mas a vida dá voltas. Aos 26 anos me aconteceu à maior tragédia que poderia ter me acontecido o amor da minha vida morreu, vi em fração de segundos minha vida desfeita, uma verdadeira tragédia estava ali na minha frente, todos os meus planos, sonhos da minha vida sendo enterrados, o que sonhei a vida toda estava bem na minha frente em pó.
  13. 13. Tive depressão, minha vontade era de não viver, foi daí que pensei porque não voltar a estudar? Chegou a hora, vai ser bom para distrair a mente e ainda concluo os estudos básicos, na escola Dom Luiz conheci pessoas que vou levar por toda minha vida, amei todos os professores, foi tudo maravilhoso. Hoje com 27 anos concluí e dei a volta por cima, e estou convivendo com a perda do grande amor da minha vida. Felicidade tem nome concluinte 2014. Deus sempre teve planos para mim, não concluí há sete anos porque hoje precisaria para recomeçar. Essa é minha estória em resumo, minha alegria de falar que revivi e sou outra pessoa.
  14. 14. Em busca de um sonho Na minha vida nunca desisti dos meus objetivos, não deixei de estudar, mas sempre nossas vidas dão voltas, sempre fui muito dedicada aos meus estudos daí vem às mudanças. Essas mudanças atrapalham bastante, desde então tomei uma decisão, aos 14 anos falei para mim mesma vou me dedicar e não repetir de série e também não deixar meus estudos e muito menos a família de lado, e desde esse dia minha rotina é a mesma. Em 2013 minha decepção foi repetir o ano, ia até Taperoá só fazer prova, mas na semana do resultado foi o telefonema desagradável, fui reprovada em matemática, mas não me deixei abalar, minha mãe sempre me falou “não se deixe levar, a vida é assim, sempre tem altos e baixos, pois erga a cabeça e corra atrás, os fortes são aqueles que insistem no que querem ser”, daí foi como uma música para meus ouvidos. Estamos de casa nova, então vida e pensamento positivo, meu objetivo na vida é me formar em Direito e fazer parte da Polícia Militar. Estou correndo atrás, pois minha família e principalmente minha mãe e meus irmãos me incentivam em meus sonhos que pretendo realizar. Portanto essa é só uma de muitas páginas da minha estória de vida.
  15. 15. Muito feliz Meu nome é Luana Silva, tenho 18 anos e nasci no dia 19 de Janeiro de 1996. Sou casada há um ano e quatro meses, tenho uma vida muito corrida. Trabalho no Rede Compras, faço curso no SENAC e estudo à noite na escola Dom Luiz. Quando eu tinha 14 anos levei um tiro de raspão, foi uma bala perdida que me encontrou, mas graças a Deus não foi nada grave e estou viva para contar essa história. No ano de 2013 me casei com José Gabriel, foi uma coisa muito boa na minha vida quero muito que o meu casamento dê certo e que eu posso ser muito feliz.
  16. 16. Uma perda, uma dor, uma solidão Começo primeiro falando sobre algo que aconteceu na minha infância, quando eu tinha apenas 7 anos perdi o meu pai. Escolhi esse tema pelo fato de ser o mais marcante e o mais triste de toda a minha vida. Tinha várias outras estórias para contar, mas essa foi a mais triste, foi um momento muito difícil para todos da minha família. Olhava tudo aquilo, mas não conseguia entender o que estava acontecendo, tinha apenas 7 anos, talvez por isso fiquei tão travado, olhava minha mãe chorando desesperada, sem saber o que fazer. Quando meu pai faleceu minha mãe ficou com quatro filhos e sem saber que estava na espoca com três meses de gravidez, esperando o quinto filho. Foi um momento muito difícil, muito doloroso. Cresci vendo minha mãe criar todos nós com muita dificuldade, faltava apoio, às coisas eram dolorosas demais, Deus foi agindo, nos fortalecendo, ficando à frente de tudo e foi a nossa salvação, mas nós fomos em frente tocando a vida! Comecei a estudar, e minha primeira escola pública foi justamente essa escola, o Dom Luiz Gonzaga Fernandes, foi muito bom, tudo novo, diferente, colegas de classe, meus eternos mestres, meus professores que até hoje não me esqueço deles. Ler, escrever, tudo isso eu aprendi aqui nessa escola. Eu tinha que respeitar todos os professores, nós levávamos muito a sério o respeito à disciplina, como já falei, era muito bom. E hoje estou aqui terminando o que realmente tem valor, meus estudos, para que eu possa futuramente passar para meus filhos o real valor que tem o estudo.
  17. 17. Recomeço É uma estória comum como todas as outras, meu nome é Emilly Mirely, 18 anos, natural de Campina Grande. Uma menina cheia de objetivos e sonhos a serem realizados. Sou estudante, curso o 3ª ano do ensino médio, parece estranho, com 18 anos ainda está no ensino médio. Mas a vida é assim ela é feita de altos e baixos, um dia chove e outro faz sol, com uma perda sua vida pode mudar totalmente em questão de segundos. Não foi uma perda qualquer, foi duro, doeu muito, foi embora uma parte de mim, papai do céu levou à rosa mais perfumada que existia em meu jardim, levou minha inspiração, e com isso perdi o ano na escola, perdi amigos e a vontade de lutar, me sentia fraca, totalmente sem chão, não estava nem aí para nada, pensava que tudo estava perdido, que não poderia um dia voltar a sorrir. Mais eu estava muito enganada, nada é do nosso jeito, pois, existe um Deus no céu que estava sempre olhando por mim, ele ergueu sua mão e me levantou, e disse “ segue em frente, pois eu sou contigo”. Levantei, me olhei no espelho e vi que não podia desistir, que aquele não era o meu fim, e sim apenas o meu começo, um novo começo, segui minha vida, voltei a lutar, fui em busca dos meus sonhos, novos planos, com o tempo foi surgindo, comecei a jogar futsal, lutar, fazer curso, e tudo aquilo que ocupasse meu tempo e minha mente. Hoje estou aqui, Deus me devolveu aquele brilho que existia em meu olhar e o sorriso que sempre estava estampado em meu rosto, trabalho na Honda Gran Moto, faço curso de bombeiro civil, estudo e malho. E hoje eu posso encher o peito e dizer que eu sou feliz, só pelo simples fato de acordar todos os dias e a vontade de vencer ser cada vez maior.
  18. 18. Se eu pudesse voltar o tempo não teria feito nada do que eu fiz Quando tinha 11 anos comecei a engraxar sapatos. Veja bem, qual mocinha teria coragem de fazer isso? Mais nunca tive vergonha por que era honesto, encontrei muitas pessoas bacanas que se fosse à época de hoje com certeza seria diferente. Então aos 12 anos já perto de fazer os 13 conheci meu marido, então veio a vergonha, eu nova ele jamais iria aceitar que eu trabalhasse como engraxate, então foi quando deixei de engraxar sapatos. Com 13 anos e meio passei ser mulher dele, muito nova, até a minha primeira menstruação eu estava com ele, uma guria que não sabia a responsabilidade que eu tinha que enfrentar pela frente. Com isso fui embora para SP, passei por maus bocados, fui sem minha família por perto, e morando com a família dele. Veio meu primeiro filho que hoje está com 10 anos e meio, quando estava grávida dele passei fome, fiquei desesperada, cheguei a dormir em baixo da lavanderia grávida, e cada dia que passava era pior, quando meu filho nasceu pensei que fosse mudar mais não. Daí veio à separação, passei um ano e meio separada dele, depois disso voltamos e tive meu segundo filho, sempre com altos e baixos, mas sempre firme. Quando o meu filho do meio estava com dois anos e dois meses veio a notícia da terceira gravidez, fiquei louca, chorei muito, não conseguia pensar o por que? Mas daí veio à menina, minha flor que está com sete meses. Se eu pudesse voltar o tempo não teria feito nada do que eu fiz, larguei os meus estudos, hoje tenho mais dificuldades por que tenho três filhos, dependo dos outros, e é ruim, tenho que pagar sempre que preciso, às vezes nem posso, mas tudo bem, tudo nessa vida é escolha. Talvez tenha feito a escolha errada. Professora sinto falta do que eu nunca tive.
  19. 19. Acredite, é hora de vencer! Há alguns anos atrás eu fazia o 1° ano do ensino médio, sempre fui considerada uma das melhores alunas do colégio onde estudava, a escola era muito boa, uma das melhores da cidade e paga pelos meus pais, que acreditavam muito no meu sucesso. No fim desse mesmo ano (2005), pra ser mais precisa. Conheci um rapaz, mais velho que eu quase 10 anos e por ele me apaixonei. Ele já teve outras mulheres antes, mas era o meu primeiro e como toda adolescente apaixonada e inexperiente fui deixando de lado o que realmente importava na minha vida, que eram meus estudos, minha família e amigos. Meus pais não conheciam o rapaz por que tive medo da reação deles, já que ele era mais velho. Fui deixando às aulas, porque as manhãs eram o único horário que eu podia vê- lo. Minhas notas foram caindo e os professores sem entender tantas faltas, chamaram meus pais na escola e não teve jeito, eles descobriram e como eu imaginava eles foram totalmente contra, mas isso não me impediu de continuar com o namoro que agora seria ainda mais escondido. Nesse ano ainda passei, fiz algumas provas finais, mas recuperei e passei para o segundo ano do médio. Nos anos seguintes fui estudar em escolas públicas porque meu pai recusou-se a continuar pagando meus estudos. O resultado é que fui perdendo aulas e provas e chegava um ponto em que não adiantava mais estudar, eu não tinha mais tempo pra isso. Eu havia descoberto a vida e o lado bom dela que todo jovem antes de “quebrar a cara” acha que tem. Eu fiz novos amigos e os antigos nerds não interessavam mais, meu namorado me traiu e acredita que eu não me importei, ele era velho demais pra mim e eu já conhecia gente mais interessante. Engraçado abandonei coisas na minha vida, porém quando me decepcionei, não sofri. Típico de uma adolescente. Por acaso namorei um amigo dele, seis meses depois do nosso término e engravidei, nesse período já haviam se passado três anos sem conseguir estudar, fazia a matrícula e não conseguia concluir. Depois da gravidez eu até ia, mas no último bimestre eu me sentia muito cansada porque o colégio era distante e a volta pra casa perigosa, desisti.
  20. 20. Com a chegada do bebê, as dificuldades foram maiores, dois anos depois tive outro bebê e cada vez mais ficava distante a conclusão dos meus estudos. O pai das minhas filhas faleceu e com isso, eu tive que trabalhar ainda mais e pra mim era muito difícil agora conciliar os estudos, o trabalho e as crianças. Casei, e assim tive o total apoio do meu esposo pra continuar meus estudos, minha mãe também resolveu me apoiar e segui em frente, fiz minha matricula no EJA e comecei a fazer o segundo ano, trabalhando, já com três filhas, uma ainda de meses, e passei no segundo ano o que pra mim foi uma grande vitoria já. No terceiro ano, com muitas dificuldades, consegui passar por média em todas as matérias e graças a DEUS concluí o ensino médio, mas minha estória não acaba aqui. Pretendo concluir também minha Universidade de Direito, pois eu sou capaz de realizar meus sonhos e hoje não são mais meus pais que acreditam na minha capacidade, sou eu que acredito em mim. Sei que posso ir além mesmo o meu ensino médio ter sido feito em um EJA, tudo depende da nossa dedicação e eu me dediquei completamente. Um dia eu vou escrever mais uma vitória...
  21. 21. Evangelizar A minha vida, meu nome é Marcio, tenho 19 anos, trabalho na Coteminas. Faço curso à tarde de mecânico, eu estudo a noite no EJA do Dom Luiz. Sou uma pessoa muito calma, sou cristão, vou de noite para a igreja no sábado e no domingo, às vezes, eu viajo com as pessoas que eu conheço, eu evangelizo, eu tenho minha própria casa, já conheço muitas pessoas que eu conheci na cidade que eu viajei, as pessoas que eu conheço eles são muito legais. Falta pouco tempo para eu fazer o curso do meu senhor, mas eu sei que a tempo determinado para tudo, Deus sabe.
  22. 22. Mudei minha vida Fui um garoto muito amado por minha família, embora não cresci com o meu pai, mas eu era feliz. Na escola a primeira semana era bem difícil de me levar, afinal toda criança é assim, nunca quer estudar por medo, mas depois me acostumei. Eu era um garoto que gostava muito de estudar, era muito brincalhão na escola e tinha muitos amigos. Com o tempo eu comecei a esquecer os estudos e com aproximadamente 15 anos eu desisti de estudar e comecei a usar drogas e fiquei muito rebelde em casa. Saía e voltava no outro dia, passava mais tempo no mundo do que em casa. Nas minhas farras escapei várias vezes até de perder a vida. Chegou um limite em que minha mãe não me suportou e me mandou para a casa do meu pai, ele me deu muita força, ele me suportou e me ensinou a sua profissão (mecânico de motocicletas) e daí eu mudei minha vida completamente. Hoje nós trabalhamos em parceria o dia todo e se Deus quiser irei recuperar meu tempo perdido e tenho planos de ingressar em uma Universidade para fazer Psicologia e ajudar minha mãe que tem problema mental e dar uma vida melhor para mim e minha futura esposa, e se for possível meu pai e meus filhos!
  23. 23. Adolescência difícil Hoje sou uma mulher de 29 anos, casada com dois filhos. Casei-me com 22 anos e fui mãe pela primeira vez aos 24 anos, sou casada a mais de seis anos e graças a Deus hoje sou muito feliz. Minha fase de adolescente não foi muito fácil, principalmente quando meus pais se separaram. Sofri muito com as conseqüências que a separação causou, mas graças a Deus superei. Nasci em Bebedouro SP, mas atualmente moro aqui em Campina, tenho cinco irmãos e cinco sobrinhos. Atualmente não estou trabalhando, só em casa. Mas já trabalhei um tempo na Coteminas, foi um pouco difícil porque nunca passei muito tempo longe dos meus filhos, graças a Deus superei. Precisei sair de lá por problemas de saúde, mas agora está tudo bem. Atualmente estou só estudando para futuramente, se Deus quiser, me formar e conseguir um emprego bom para dar uma boa vida pros meus filhos, para minha mãe e para mim.
  24. 24. Nunca passei dificuldades na vida Agora vou falar da minha vida, meu nome é Diego, tenho 18 anos, moro com meus pais e faço o 2° ano do Ensino Médio. Trabalho em um posto de gasolina na alça sudoeste na função de frentista, nunca passei dificuldades na vida, já sofri um acidente de moto, mas não aconteceu nada grave, graças a Deus, estou aqui contando um pouco de minha vida. Gosto de festas, não gosto muito de estudar, mas estou aqui para conseguir algo melhor para minha vida, consegui comprar minha moto com o meu próprio suor.
  25. 25. Um rumo na vida Hoje tenho 29 anos, uma filha de quatro anos de idade, sou casada, meu esposo faz 44 anos de idade dia 28 de junho. No dia 23 de junho completamos sete anos de casamento. Antes de conhecê-lo eu morava em Juazeirinho. Comecei a trabalhar em casa de família cuidando de várias crianças, muitas vezes passei por altos e baixos, com patrões legais isso foi fazendo com que eu tomasse um rumo na vida. Comecei a estudar em vários colégios conheci muitas colegas, e hoje sou feliz fazendo o EJA.
  26. 26. Concursos públicos Bom, tenho 21 anos, moro atualmente em Campina Grande, Paraíba. Trabalho, estudo e faço fisioterapia para um problema que tenho no joelho. Moro com meus pais, tenho dois irmãos, um casado mora em Soledade e o outro mora aqui mesmo em Campina. Gosto muito de atividades físicas, mas no momento não estou com tempo para praticar esportes. Um fato que marcou a minha vida foi à morte de minha avó há três anos. Nasci aqui mesmo em Campina Grande. Trabalho na Toyota e sou mecânico, pretendo concluir meus estudos e fazer concursos públicos.
  27. 27. Uma Jornada de Vitórias Quando nasci, com seis meses de idade contraí uma doença. Passei alguns meses muito doente, os médicos chegaram ao ponto de dizer para minha mãe que ela me levasse para morrer em casa, pois o meu quadro não tinha jeito. Minha mãe desesperada me pôs no colo e saiu às pressas comigo para uma igreja a procura de um padre, para que ele pudesse me batizar antes que eu morresse. Ao chegar ao convento em desespero perguntou a uma freira se o padre da comunidade estava lá e se ele poderia me batizar, pois eu havia sido desenganada pelos médicos explicou ela para a freirinha, esta por sua vez falou para minha mãe que o padre estava viajando e só retornaria em três dias, para o desespero da minha mãe. Mas a freira vendo o desespero dela falou, venha e traga sua filha que vou orar por ela, e assim ela fez. Minha mãe contou que logo após esse ato de fé da freirinha eu voltei a respirar normalmente, desse dia em diante fui crescendo com saúde juntamente com meus três irmãos. Tive uma boa infância, fui e sou muito amada. Comecei a estudar com 4 anos de idade, ainda não era o tempo por causa da idade, mas uma professorinha chamada Ângela disse para minha mãe que me trouxesse para a escola que ela deixaria eu estudar, e assim minha mãe fez. Comecei a estudar, fui crescendo, estudando. Minha experiência do primeiro amor aconteceu na escola. Eu cursava a 5° série, quando conheci Carlos Eduardo, foi amor à primeira vista, infelizmente ele já estava terminando seus estudos, passei muitos anos apaixonada, e um dia tive que acordar para realidade da vida. O primeiro amor só é mágico nos livros e filmes. Passaram-se assim os 15 anos e vieram os 18 anos, conheci outra pessoa e dessa relação real, eu fiquei grávida do meu primeiro filho. Foi quando comecei a entender o que era viver de verdade, passei por muitas dificuldades e aprendizados que vou levar para toda vida. Aos 23 anos, tive minha segunda filha, aos 25 anos minha outra filha. No meio a tudo isso conheci “Jesus”, foi maravilhoso encontrar esse amor que é tão forte, único que me envolveu e me escolheu para servi-lo, sou evangélica há sete anos e foi a melhor
  28. 28. escolha que fiz em toda minha vida. Hoje aos trinta sou casada, tenho três filhos lindos, estudo, e estou buscando um futuro melhor para mim e toda minha família. Sei que o futuro é incerto, mas podemos planejar e deixar que Deus faça o que for melhor para nós, tudo que vivi foi uma experiência marcada por vários erros, mas também vários acertos, os quais farão parte da minha vida para sempre. Deixo minha vida nas mãos de DEUS.
  29. 29. Feliz com a vida Meu nome é Maria Lucicleide da Silva, tenho 28 anos, já sou casada há doze anos, tenho também uma filha com nove anos que se chama Luana Samilly. Meu esposo chama-se Luciano Oliveira ele tem 43 anos, sou grata a Deus por ter colocado ele junto com minha filha em minha vida. Hoje em Campina Grande, mas sou de natal Rio Grande do Norte, já estou aqui há um ano e meio, estou gostando muito apesar de algumas dificuldades, mas enfim valeu apena a mudança. Tenho muitos planos para minha vida uma delas é dar continuidade aos meus estudos, fazer concursos e procurar fazer o melhor para minha vida. Como já falei sou de Natal, toda a minha família também é de Natal, vivo completamente só aqui junto com a minha filha, pois o meu esposo trabalha viajando e eu trabalho nos finais de semana em uma lanchonete há mais de um ano. Os meus os meus pais moram em Espírito Santo, tenho quatorze irmãos, e a maioria mora em Natal, quase todos ainda são solteiros. Tenho muitos amigos e amigas, sou uma mulher extrovertida, contente, feliz com a vida, não me deixo ser levado por pouca coisa, sou muito sincera, não gosto de falsidades, procuro sempre compreender as pessoas da forma que elas são. Eu particularmente pretendo terminar meus estudos, pois há nove anos tinha parado por vários motivos e um deles foi porque tinha engravidado da minha filha e resolvi me dedicar mais um pouco a ela por ter sido a primeira e última também, acredito eu. Comecei a trabalhar e meu trabalho era muito puxado porque era em um restaurante, mas já falei, todo o meu tempo perdido em relação aos meus estudos estou tentando recuperar agora, quero muito terminar tudo e concluir geral o meu primeiro Ensino Médio completo, para que depois eu possa conquistar alguma coisa em minha vida.
  30. 30. O que esse certificado significa para mim? Nasci em uma família pobre, sem muitos recursos e filha de pais separados. Minha infância não foi igual às outras crianças da minha época porque tinha que ajudar minha avó financeiramente e com isso comecei cuidar de filhos dos vizinhos em troca de dinheiro. Aos 10 anos de idade fui morar na casa de uma ex-professora minha, a atual gestora do Dom Luiz, lá passei três anos sendo a doméstica da casa. Aos 13 anos conheci um jovem e aí iniciamos um namoro, foi aí que parei de estudar tinha concluído a 5° série que hoje se chama 6° ano. Esse relacionamento resultou em dez anos de convivência e quatro filhos. Em 1 de agosto do ano 2000 esse relacionamento chegou ao fim com o falecimento dele, aos 27 anos de idade passei por uma barra que acreditava que não suportaria tamanha perda e responsabilidade aos vinte e três anos de idade. Mesmo sem forças pedi a Deus sabedoria, discernimento e a sua proteção para criar e educar meus filhos no caminho do bem. Após três anos, conheci outra pessoa e decidimos nos unir, com ele nasceu minha filha que hoje está com nove anos. Passamos sete anos juntos e em 02 de abril do ano 2010 ele estava em um bar e foi assassinado. Em 2011 decidi voltar às salas de aula decidida a concluir o ensino médio que para mim seria um sonho até mesmo impossível por não mais me achar capacitada. Enfim agora em julho de 2014, Deus me concedeu a graça de realizar esse sonho que tanto almejei. O que esse certificado significa para mim? Novas oportunidades de emprego, prestar concursos públicos e não mais me considerar uma analfabeta. Se irei parar por aqui? Jamais! Quero chegar a Universidade e realizar meu sonho, possa estar com noventa anos, mas quero poder levantar meu diploma e dizer que consegui. Hoje primeiramente sou grata ao meu Deus por ter me permitido chegar até aqui. Agradeço a todos os meus professores que me ajudaram em minha caminhada e têm participação em minha vitória. Que Deus abençoe a todos, sem eles jamais haveria educação, conhecimento e tantos sonhos realizados. A esses heróis do conhecimento o meu muito obrigada e parabéns por realizar o sonho de milhares de pessoas assim como eu.
  31. 31. Como é bela a minha vida Ao parar do tempo eu vou contar a minha vida, comecei estudar na minha infância quando eu era criança, estudava, gostava muito de estudar, eu morava com meus pais, nos morávamos no sitio que se chamava riachão de Boa Vista. Quando eu completei vinte e três anos, meus pais vieram morar na fazenda Amazonas, depois viemos morar aqui em Campina Grande. Fui trabalhar nas indústrias, estudei e fiz até a 8° série, parei de estudar em 1979. Passei um tempo e comecei a estudar com cinqüenta e oito anos e estou terminando, eu pretendo entrar na faculdade, mas estou um pouco cansada, mas vamos olhar para frente e para frente é que se anda, estou gostando de todas as matérias. Gosto de estudar e trabalhar é tão maravilhoso a gente aprender a estudar, e gostaria muito de fazer administração, mas vou entregar nas mãos de Deus. Estou terminando, levando muita saudade dos meus queridos professores, quero tudo de bom para todos vocês, muito obrigada por vocês terem me ensinado. Beijo da sua querida aluna Antonia Luzia da Silva.
  32. 32. Minha rotina Meu nome é Sabrina Keila, nasci no dia 14 de março de 1996, tenho 18 anos, sou solteira e vou falar um pouco da trajetória do meu dia a dia. Moro com minha avó e um casal de irmãos, sou a mais velha. No decorrer da semana acordo de 5h da manhã todos os dias, pois faço curso no SENAI e só é permitida a entrada até 7h e 10 minutos, tenho que pegar dois ônibus para chegar lá, porque moro distante, no Dinamérica II, faço o curso até 11h da manhã. Quando libera vou para casa e passo a tarde ajudando a minha família nos afazeres, quando o final da tarde começo a me arrumar para ir para escola, estudo no Dom Luiz, nas Malvinas, estudo das 19h às 22h, quando é liberado vou para casa e assim sucessivamente todos os dias, não estou trabalhando no momento. Estou no 1° ano, mas faço supletivo, decidi fazer supletivo porque reprovei o ano passado e estou à procura de emprego.
  33. 33. Abandono e vitória Quando pequena estudava, meu sonho era me formar em Direito, mas a minha mãe não me ajudava, fui criada trabalhando nas casas das pessoas para ganhar alguma coisa para meu pai comer. Aos 11 anos de idade perdi meu pai, aos 12 a minha mãe abandonou a mim e meus irmãos. Tive que ir morar na casa da minha tia, sempre trabalhei, passei sete anos morando com a minha tia quando faltavam três meses para completar 18 anos fui morar com meu esposo. Hoje trabalho e estudo, Deus mudou a minha vida tenho, hoje tenho paz, amor, alegria para dar as pessoas mesmo que eu tenha problema, hoje sou feliz, tenho senhor Jesus Cristo em primeiro lugar na minha vida, eu creio que vou fazer tudo diferente que a minha mãe. Tenho um lar abençoado, os meus sonhos vou conseguir, eu creio porque o senhor está no controle, eu sou mais que vencedora. Tudo posso naquele que me fortalece. Jesus!
  34. 34. Jogando bola Um fato que marcou minha vida foi quando eu fui jogar no Vitória da Bahia, além de ter sido uma experiência muito grande na minha vida foi também um tempo muito marcante. Mas isso não atrapalhou meus estudos lá no Vitória, os dirigentes do clube sempre colocavam nossos estudos em primeiro lugar, aí a saudade falou mais alto da minha família e eu pedi pra volta pra casa. Outro fato foi quando joguei no Campinense Clube, foi uma época em que também me marcou muito, infelizmente aconteceu um problema com meu joelho, por esse motivo tive que parar de jogar bola. Mas pelo menos serviu para que voltasse a estudar, agora penso em terminar meus estudos e me formar em Educação Física, meu grande sonhou agora é esse. Alguma coisa sempre deixa uma marca na minha memória. Hoje não posso mais ser um grande jogador, mas fiz muitas amizades na minha vida.
  35. 35. As coisas mais importantes que eu tenho Minha vida é muito boa, tirando as dificuldades do dia a dia, tenho muito força de vontade para vencer na vida, porque quem não tem dificuldades? Tenho um filho de dois aninhos e sou casada, tive que parar de estudar para cuidar do meu bebê, mas eu desisti de tentar e recomecei de novo, estou cursando o 3° ano e quero ter um futuro melhor para mim, vou fazer faculdade e penso também no futuro do meu filho, porque quero dar tudo que eu tive quando eu era solteira. Minha família é tudo na minha vida, minha mãe é meu porto seguro, meu filho é meu tudo, sem ele eu não sou nada, minhas irmãs são minhas melhores amigas, e meu marido é a pessoa que eu quero muito bem, essas pessoas são as coisas mais importantes que eu tenho. Na escola eu tenho muitos amigos e espero terminar o 3° ano para começar a estudar e me preparar para fazer Faculdade. Vou dar tudo de mim porque eu quero ser alguém na vida, e não só me conter com um emprego qualquer e não ser nada sou uma assalariada. Quero que meu filho tenha orgulho da mãe que ele tem, e que ele me veja como um exemplo pra vida dele.
  36. 36. Minha infância Bom eu comecei a estudar com sete anos de idade, repeti alguns anos e depois tive que parar de estudar. Com dez anos eu arrumei meu primeiro emprego e daí tive algumas dificuldade com os estudos porque eu era muito criança para conciliar trabalho com escola. Tive que parar de estudar com quinze anos porque fui morar com minha irmã em São Paulo e só encontrei vagas nas escolas à noite e não dava para continuar os estudos. Parei por um ano, mas logo no ano seguinte continuei, quando estava cursando o 7° ano tive que parar de novo, pois me casei e dei um tempo nos estudos porque trabalhava e depois nasceu minha primeira filha. Comecei tudo de novo, quando estava cursando o 9 ° ano tive meu segundo filho, parei os estudos por mais dois anos. Agora comecei novamente e se Deus quiser vou concluir meus estudos, por que quando a gente quer nunca é tarde pra continuar e prefiro ir mais em frente, pois sem os estudos o ser humano não é nada, mas dependemos dos estudos para conseguir algo na vida. Bem, isso é um pouco da minha história.
  37. 37. Com a graça de Deus, aos 64 anos Meu nome é Maria Lurdes, esta é minha história, não tive uma infância muito boa porque fui trabalhar para sobreviver, me casei aí foi que aumentaram os trabalhos, não dava para fazer uma coisa que nunca fiz, vou estudar e eu pensei como eu vou, não aprendi, só pensava em trabalhar, fiquei pensando meu Deus vai providenciar como vou estudar. O programa para Jovens e Adultos para a alfabetização foi muito bom porque levou muitos alunos como eu para sala as salas de aula para se alfabetizarem, até o governo pagava para todos estudarem e aprenderem a ler e escrever. Eu me animei, “olha agora vou estudar porque eu não aprendi agora vou estudar para aprender alguma coisa”, pelo menos eu vou sabendo o que se passa no mundo que até então eu era uma analfabeta. Em 2000 eu fui estudar no Lafaiete Cavalcante, fiquei lá até 2012 nessa escola já terminei o ensino fundamental. Pensei, agora vou para o ensino médio para aprender o que o ensino médio vai dar para a minha vida. Cheguei aqui no Dom Luiz em 2013, já vou terminar com a graça de Deus, aos 64 anos, sou uma vitoriosa e estou muito orgulhosa de ter estudado e nunca ter desistido.
  38. 38. Sentimento de felicidade Meu nome é Áurea Virgínia Leal da Costa Barbosa, brasileira, nascida em Campina Grande PB, em maio de 1979. Onde em 2004 passei a me chamar Áurea Virgínia Leal da Costa Barbosa Gonzaga, casada com George Luis Gonzaga Cavalcante, tive três filhos, Gabriel Henrique, Mateus Willian e Luis Henrique. Minha infância foi um pouco difícil, minha mãe funcionária pública e meu pai caminhoneiro, passamos por muitas dificuldades financeiras e também pela ausência do meu pai, pois seu trabalho exigia que passasse a maioria do seu tempo viajando. Nos meus 19 anos fui mãe de Gabriel, logo depois vieram os outros dois filhos, deixando assim de viver a minha vida para cuidar dos meus filhos que amo muito. Os estudos ficaram em último plano, assim deixando de procurar meu futuro. Hoje vejo a necessidade de estudar e encontrei essa oportunidade no EJA, podendo assim concluir o meu ensino médio. Está sendo uma experiência de virtude, me sinto mais útil e vendo que sou capaz de alcançar os meus objetivos, me sentindo feliz.
  39. 39. Um pouco da minha vida No decorrer da minha vida eu estudava e morava com meus pais, desde os meus quatorze anos sempre pensava em trabalhar, não porque passávamos por necessidade, mas sim porque queria ser independente. Sai da casa dos meus pais para trabalhar, não foi muito difícil achar trabalho. Parei os meus estudos no 1° ano do ensino médio, trabalhei por alguns anos. Depois casei, tive meus filhos, tive então que parar de trabalhar para cuida deles. Depois que eles cresceram um pouco eu comecei a pensar em terminar meus estudos. Meu marido me ajudou bastante e também me incentivou que eu voltasse a estudar. Como ele não podia ficar com as crianças durante o dia, optamos pelo ensino à noite na EJA, porque dava certo tanto para mim quanto pra ele. Não sou muito fã de física e química, mas faço o possível para conseguir o que quero. Com a ajuda dos meus estudos tenho como conseguir um trabalho melhor, dependemos dele '' os estudos'' para melhor de vida.
  40. 40. Minha infância e adolescência Tive uma infância maravilhosa com muitos amigos, brincadeiras, minha família sempre junta de mim até um dia que meu pai foi morar com outra pessoa e a família se abalou. Sofri muito porque eu era muito apegada a ele, e o tempo foi passando nós fomos nos acostumando, até que um dia meu pai ficou doente, faleceu, aí que o sofrimento aumentou. Mas passou o tempo e junto com ele levou nossa dor e hoje só nos resta a saudade e as lembranças, mas Deus é fiel e nos deu um consolo que foi minha filha linda que amo muito, ela nos da a paz e a felicidade de antes, e hoje eu e minha família somos muito felizes.
  41. 41. Faço de tudo para não deixar de estudar Desde o início da minha trajetória escolar sempre fui prestativa aos estudos, mas depois do crescimento deu uma velha preguiça, acaba que os interesses vão ficando para trás. A cada ano que se passa e estiver-mos dentro da escola, temos que nos interessar, pois não tem outra coisa a fazer a não ser estudar, então temos que nos dedicar bastante. Hoje eu dependo muito dos meus estudos, pois é ele que vai fazer o meu futuro, no século em que vivemos tudo se baseia aos estudos para a melhoria de vida. Infelizmente minha mãe se separou do meu pai, então sou só eu, ela e minha irmã, estamos dependendo da casa dos meus avós, são eles que estão nos ajudando pelo fato de ser só minha mãe que está trabalhando. Minha mãe não concluiu os estudos e hoje ela não tem a oportunidade para continuar, então eu faço de tudo para não deixar de estudar, porque esse vai ser o meu meio de vida futuramente para que eu possa ajudar todos. Eu deixei de estudar pela manhã para poder ajudar minha mãe e trabalhar, então eu resolvi fazer o EJA, pelo fato de não querer abandonar os estudos, o curso letivo, durante o dia é bem mais corrido que à noite. O turno da manhã é muito bom, aprendemos mais, à noite já é mais curto o tempo, tudo tão rápido de se aprender. Agora estou prestes a concluir meus estudos e vou poder trabalhar e colocar os meus planos em dia e esperar o ENEM, para ter uma boa pontuação e se Deus permitir eu entrarei na Universidade.
  42. 42. Vontade de trabalhar Quando eu tinha nove anos aconteceu um episódio marcante na minha vida. Apesar de que no tempo que isso aconteceu eu era muito novo, mas eu tinha a vontade de ter uma profissão e de ter o meu próprio dinheiro pra não precisar pedir aos meus pais. E essa vontade era tão grande que qualquer coisa que eu podia fazer para ganhar algum trocado eu estava fazendo, nunca dei um não quando uma pessoa me pedia um favor, sempre quando eu conseguia fazer. Eu fazia com vontade, às vezes, as pessoas não me davam ou não tinham um trocado, mas eu ficava alegre em ajudar o próximo. No mês de novembro do ano de 2004, meu primo que é pedreiro, estava fazendo um serviço na casa do meu avô que morava na mesma rua que eu, e ele estava precisando de um ajudante para ele terminar o serviço logo, por que havia outro para ele começar. E eu como gostava de trabalhar logo me ofereci a ajudá-lo, mas ele me olhou e falou ''mas você não tem nem tamanho, como vai me ajudar?”e eu respondi, “eu posso carregar uma carroça cheia de cimento com areia, eu faço o que puder para ajudar. Ele viu que eu tinha vontade de trabalhar e foi falar com meu pai para perguntar se eu poderia trabalhar. Meu pai me perguntou se eu queria e eu falei que sim, então ele autorizou. No outro dia logo cedo eu já estava esperando meu primo chegar para ir trabalhar, umas 4h da tarde eu fui entregar uma lata de cimento para meu primo que estava em cima dos cavaletes rebocando uma parede, como eu não alcançava subi em uma pia com a lata de cimento que não agüentou e pegou a minha barriga de baixo para cima, e até hoje eu tenho a cicatriz na barriga. Todas as vezes que me lembro dessa história olho para a cicatriz e lembro que sempre conseguimos as coisas com força de vontade e com fé você conseguirá tudo que quer.
  43. 43. Cada vez mais feliz Eu, Keyler Conserva Camelo, vou contar um pouco da minha vida. Eu nasci em Campina Grande, morei uma temporada no bairro Presidente Médici, depois fui morar nas Malvinas. Quando eu morava com meus pais, eu estudava e brincava. A partir de uma certa idade eu comecei a trabalhar para ter o meu próprio dinheiro e ter mais responsabilidade com o meu dia a dia. Gosto das coisas que faço com respeito e educação e com os meus estudos quero crescer cada vez mais, para que eu venha ser cada vez mais feliz com minha família.
  44. 44. Minhas dificuldades para estudar Nasci e me criei em um sítio perto de Boa Vista, onde a vida era bastante complicada. Onde estudar não era a primeira opção, tinha sim uma escola do ensino fundamental. Mais o problema maior eram as pessoas mais velhas, por exemplo, o meu pai era um deles, que sempre me falava que estudar não tinha muito futuro, principalmente para a gente que não tinha muitos recursos. A escola mais perto ficava a 12 km de onde eu morava. Eu trabalhava com animais, vacas, porcos e outros animais. Desde criança trabalhava. Só com meus dez anos que fui para a escola, lembro como se fosse hoje, tinha muita vergonha, pois, um rapaz no meio de tantas crianças pequenas. Com essa idade fui morar com minha mãe, que já era separada do meu pai. Mesmo assim para estudar tinha que andar esses quilômetros, eram 12 km para ir e mais 12 km para voltar, era muito cansativo, mas era assim mesmo, quem quer ter algo na vida tem que passar por essas provações. Fui uma criança triste, sem infância, mas hoje feliz por ser o que sou. Só temos uma escolha na vida, e eu busquei a minha com muito suor.
  45. 45. Derrubando preconceitos Eu tenho 25 anos, sou casada e tenho dois filhos, passei sete anos longe da escola e agora decidi retornar com o objetivo de conseguir cursar uma boa faculdade na área de ciências biológicas, no curso de Fisioterapia. Pretendo não só melhorar o meu futuro como o dos meus filhos, acho que a educação é uma grande porta para todos, pois com determinação podemos conquistar nossos objetivos e derrubar a barreira do preconceito. Desejo passar essa mesma determinação para os meus filhos também para que eles possam ter consciência que todos nós podemos ser pessoas melhores, basta apenas o primeiro passo. Agradeço tão somente a Deus porque até aqui ele tem me ajudado e a meu marido por acreditar na minha capacidade.
  46. 46. Consigo chegar onde quero Eu sou Camila Matias Feitosa, nasci no dia 6 de abril de 1996, sou solteira e pretendo ser PM, tenho 18 anos, moro com meus pais tenho sete irmãos, vou falar um pouco da minha vida. Já passei por várias coisas na minha vida e uma das que me marcou foi quando eu descobri que estava com Hepatite A. Quando eu descobri eu passei vários dias me sentindo mal, fui ao médico e de mediato a médica pediu um exame, as taxas normais eram 685, minhas taxas estavam 6.885, meus olhos eram amarelos e minha urina escura. A médica ficou doida e tentando entender o motivo de eu estar ali ao invés de estar na UTI, bem, a médica falou que eu iria ficar boa em mais de um ano e disse que eu poderia nem ficar boa. Em cinco meses eu fiquei boa, minhas taxas estavam normais. Bom, minha situação escolar é meio complicada, fui reprovada três vezes, mas esse ano estou fazendo de tudo para passar de ano, estou estudando a noite, pelo fato de ter sido reprovada várias vezes, fiz 18 anos e não tive escolha a não ser fazer o EJA, à noite e tentar me recuperar. De manhã faço curso no SENAI, acordo de 5 h da manhã, pego dois ônibus todos os dias, à tarde eu estudo para as provas, faço as atividades e à noite venho à escola. Minha vida é mais ou menos assim, aos poucos eu chego lá. Eu levo sempre esse pensamento comigo, pego as pedras do meu caminho e junto, um dia construirei uma escada, muitos pensam que não vou ser nada na vida, mas só quem sabe do meu futuro é Deus, então eu coloco minha fé diante dele e prossigo com a cabeça erguida sempre. Sei que meu futuro será bem prospero, terei um bom trabalho e terei condições de me sustentar e ajudar minha família, nunca vou deixar meus pais na mão, pois um dia eu precisei deles e eles me ajudaram, então vai ser a minha vez de retribuir com tudo que eles fizeram para mim, procuro sempre dar o meu melhor e só assim vou crescendo mais e mais. Basicamente essa é minha vida, de aperto em aperto eu consigo chegar onde quero fé em Deus sempre!
  47. 47. Venci a morte Sou a última de uma grande família que não aconteceu, sou a sétima filha e a terceira porque perdi quatro irmãos, minha mãe tinha alguns problemas na gravidez, sou um milagre da vida lutando para sobreviver, vencendo um leão por dia. Na gestação foram muitos problemas, fui dada como morta, acho que venci a morte de certa forma, Deus me deu a vida por acaso e me fez dar sentido para ela. Com oito anos meus pais se separaram, é uma coisa que hoje posso falar com naturalidade, acho que eles não se davam bem mesmo, porque com minha mãe com o passar do tempo senti muita falta do meu pai, minha vida teve muitas reviravoltas, muitas coisas boas e ruins, fiquei muito tempo sozinha, pois minha mãe não se importa muito. Foi assim que ela resolveu sair de casa para meu pai voltar, melhor coisa que já me aconteceu, meu pai foi mais que um pai, cuidou de mim como uma mãe, me ensinou muita coisa e me fez superar tudo, com muito amor, nesse tempo minha irmã ficou grávida com dezesseis anos, a princípio poderia ser uma coisa ruim, mas foi uma benção, ganhei um presente de Deus, cuidei dela como uma filha, amei e faria tudo de novo. Aos dezesseis anos conheci meu esposo, hoje em dia mais um presente em minha vida, um namorado, amigo e um porto seguro, que assim como eu já passou por muitas e juntos hoje sonhamos com uma vida melhor. Estamos juntos estudando para ter um futuro melhor, e para as pessoas que amamos. Enfim meu nome é Bianca Aparecida Alves, tenho 18 anos, e essa é um pouco da minha estória.
  48. 48. Estudos foram interrompidos Não tive muita dificuldade na vida com relação aos estudos, pois comecei a estudar em escolas particulares até o segundo ano do ensino fundamental. Meu pai tentou me manter em escolas particulares, mas na época eu não interesse nos estudos. Por esse motivo começamos a estudar em escolas públicas. Quando completei quinze anos fiquei grávida, e por esse motivo os meus estudos foram interrompidos. Quando meu filho nasceu e cresceu um pouco eu voltei os estudos, mas por muitos anos tento terminar o ensino médio, mas ainda não consegui concluir Esse ano estou determinada a terminar e me dedicar ao ENEM, faço cursinho aos sábados para completar os estudos.
  49. 49. Apesar das dificuldades sou feliz Sou Érika, nasci em Campina Grande. Até os quinze anos fui criada com meus pais e irmãos, quando completei quinze, através de alguns problemas houve a separação dos meus pais. Hoje em dia é que percebemos as conseqüências, eu e meus dois irmãos sofremos até hoje. Mesmo assim tive uma boa infância apesar de alguns prós e contras. Com dezesseis anos fui reprovada no primeiro ano do ensino médio, com dezessete parei de estudar com a intenção de fazer o EJA no segundo semestre, mas não pude por ser menor de dezoito anos, e tive que estudar no regular, onde teria que me esforçar bastante para recuperar as notas. Todo esse meu desinteresse em estudar surgiu a partir do momento que comecei um relacionamento que não tinha futuro algum, ele não queria que eu estudasse, quando ia para a aula ele queria que eu saísse cedo, tinha muito ciúme de mim, na verdade era possessivo. Minha família não aprovava e eu sabia que não ia dar certo, mas por gostar dele sempre tinha a esperança dele mudar. Terminamos o namoro e comecei a trabalhar na Trans-Nacional no cargo de cobradora e quando tudo ia bem, voltamos e comecei a faltar aula no curso do SEST/SENAT, que era uma extensão do trabalho, meus amigos não me reconheciam e se afastaram de mim, até mesmo familiares. Tudo isso por não gostarem do meu ex. Fui reprovada na escola e na empresa, logo em seguida começamos a morar juntos na casa da mãe dele, onde não tinha paz, eram só brigas todos os dias, mais uma vez não estudei, lamento muito por ter perdido mais um ano escolar. Em dezembro terminamos novamente e saí do relacionamento com o sentimento de que não gostava mais dele. Hoje com dezenove anos, estou morando com minha avó, com o intuito de me afastar dele, pois mora em frente à casa da minha mãe, também por que aqui tenho facilidade para fazer um curso, as escolas são perto. A união na casa da minha avó não anda bem, tenho muita vontade de ir embora, pois o meu tio é usuário de drogas. É muito difícil lidar com essa situação, muitas brigas, tenho que viver com portas trancadas, armário com cadeado, é muita pressão psicológica.
  50. 50. Apesar de tudo isso posso dizer que sou uma pessoa feliz, graças a Deus tenho saúde e coragem para trabalhar e ajudar a minha mãe que precisa muito, ela não pode trabalhar porque tem problemas de saúde. Meu irmão tem vinte anos e está no quartel, mora de aluguel, casou-se com uma mulher mais velha e tem três filhos de um outro casamento e agora ela está grávida. Minha Irmã tem quatorze anos, meu pai não ajuda com pensão, estou namorando há dois meses com outro e estou feliz. Ele me incentiva muito e ajuda nos trabalhos escolares e estuda comigo, a sua família também é maravilhosa. Minha vida apesar de ter ocultado alguns episódios é essa.
  51. 51. Minhas escolhas na vida Vou falar um pouco da minha vida e das minhas escolhas. Decidi estudar à noite porque o horário ficou melhor para que eu ajudasse minha mãe durante o dia, e com isso terminar o ensino médio mais rápido através do EJA. Minha estória na infância não é muito boa, mas sempre fui uma menina prestativa e tento agradar as pessoas por onde passo, na verdade não é todo mundo que é classe média ou baixa, que se transforma em alguém na vida. No meu ponto de vista depende da criação dos pais, alguns seguem o caminho do bem e suas escolhas servem para o seu futuro. Temos que lutar para conseguir os objetivos da vida e uma vida melhor com os nossos esforços e nossas escolhas. As minhas escolhas vão servir para ajudar a minha família no futuro, por isso escolhi estudar à noite, para conseguir meus objetivos o mais rápido possível e ajudar meus pais.
  52. 52. A minha estória particular Parei de estudar quando tinha vinte anos de idade, pois fui trabalhar no Rio de Janeiro, chegando lá arrumei um emprego e não fui atrás de uma escola para estudar. Fiquei sem estudar por muito tempo. Quando voltei para Campina Grande voltei a estudar por influencia de um amigo que me falou que ia terminar os estudos, foi ele que me falou que o EJA, um tipo de supletivo que eu tinha como terminar em um ano e meio os estudos, e a cada seis meses eu terminaria uma série, foi aí que vi a minha chance de terminar o ensino médio. Meu amigo parou de estudar e eu continuei, parei só um ano por motivos de trabalho, viagens para o Rio de Janeiro. Voltei e continuei, estou terminando meus estudos com grande esforço, e não vou parar, vou fazer o ENEM para tentar fazer uma Universidade. Quero fazer o curso para Direito, meu sonho é ser Advogado, sei que tenho um futuro promissor, se eu tentar vou conseguir, é só me dedicar mais aos estudos.
  53. 53. A rotina de uma estudante e sua persistência Quando era pequena tive que trabalhar para poder ajuda meus pais a criarem meus irmãos que passavam fome. Um dia uma mulher apareceu e disse a meus pais que ia cuidar de mim e foi um triste engano, quando cheguei à fazenda tive que trabalhar no campo, plantando palma, colhendo feijão e milho, carregava água num pote, quando não podia apanhava de chicote, e às vezes ia até para a água de sal para sarar as feridas. Minha trajetória na escola não tem sido fácil, tenho tido vários problemas e muitas dificuldades, às vezes tenho vontade de desistir, mas penso que é um sonho meu de muitos anos. Chego muitas vezes muito cansada, sinto muita vontade de voltar para casa, mas penso comigo, tenho que ser forte e persistir porque um sonho não pode parar pelo caminho. Meu pai me salvou, mas mais uma vez fui para longe, e ele não tinha como me salvar, só podia contar com Deus. Quando conheci meu marido eu pensava que ia me libertar de tanto sofrimento aí foi que me enganei mesmo, uma vez que era mais carrasco do que os outros, porque era meu marido dizia que era meu dono e que só era para fazer o que ele quisesse, passei trinta anos pedindo a ele que me deixasse estudar e ele sempre dizendo não. Um dia fui a São Paulo visitar a minha mãe e quando voltei resolvi desobedecer ao meu marido. Me matriculei na escola de ensino fundamental Lafayete Cavalcante, mesmo todo mundo contra eu fui em frente, terminei o fundamental e estou terminando o ensino médio no Dom Luiz. Tenho dificuldade de fazer todas as atividades porque aprendi a me virar sozinha, pois não conhecia os pontos, vírgulas, verbos, algarismos romanos. Quando se tem um sonho temos que pular todas as pedras para chegar lá. Só assim derrubamos todas as barreiras. Já ouvi da minha filha que “lugar de velha é na cozinha”, que eu queria era vagabundar. No momento pensei em desistir, pois não tinha o apoio de ninguém, mas o meu sonho de aprender o que na mocidade não tive oportunidade era maior, era a chance de aprender tudo o que não sabia. Relutei muito até conseguir, fui ameaçada por meu marido, que se eu desobedecesse a ele ia se divorciar de mim, mesmo assim eu estava decidida a assumir esse risco e até hoje eles não me apóiam.
  54. 54. Um dia vou ser uma grande mulher, posso até não ser reconhecida hoje, mas um dia sim. Deus me ajudou nessa vitória e em todas as tempestades, todas as guerras. Seguindo em frente com Deus segurando a minha mão, não tenho quem me ajude e nem nunca tive, mesmo assim vou em frente. Mas eu não desisti, nunca, jamais!
  55. 55. FOTOS DOS ALUNOS DO PROJETO NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DOS SEUS TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL
  56. 56. FOTOS DOS ALUNOS FAZENDO E PARTICIPANDO DAS ATIVIDADES DE LEITURA DE TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL
  57. 57. FOTOS DOS ALUNOS FAZENDO E PARTICIPANDO DA DIGITAÇÃO DOS TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL
  58. 58. FOTOS DOS ALUNOS FAZENDO E PARTICIPANDO DA DIGITAÇÃO DOS TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL
  59. 59. FOTOS DOS ALUNOS FAZENDO A CORREÇÃO DOS TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL
  60. 60. ORIENTAÇÃO PARA FINALIZAÇÃO DOS TEXTOS PARA O LIVRO DIGITAL

×