1
Trabalho Final do Curso
Sustentabilidade e Estratégia Empresarial
Master em Gestão em Sustentabilidade – T8
Grupo:
Laris...
2
Sumário
1. INTRODUÇÃO......................................................................................................
3
1. INTRODUÇÃO
O Brasil passou por uma intensa transformação social nos últimos 15 anos, alavancado
principalmente pelas ...
4
Dentro deste cenário, setores como o da beleza e o da moda se beneficiaram por serem
elementos de tradução desses novos ...
5
No final de abril deste ano, a C&A Foundation lançou, em parceria com a National
Geographic, um documentário que mostra ...
6
Em cada país que atua, possui um posicionamento de marca independente da adotada
pelas demais regiões, o que a permite f...
7
das comunidades onde a C&A atua, por meio de alianças e do fortalecimento de organizações
sociais”. A atuação do Institu...
8
acompanhamento das atividades é realizado por meio de relatórios, visitas presenciais às
instituições e reuniões para de...
9
Para a sua atuação foram necessários:
a. Definir processos e modelo de operação;
b. Reformular e aperfeiçoar os materiai...
10
Figura 3: Principais etapas para a construção da Plataforma de Sustentabilidade da C&A.
Fonte: Relatório de Sustentabil...
11
Todo este movimento de foco na Plataforma de Sustentabilidade foi reforçado pelo
fortalecimento da atuação da C&A Found...
12
pilhas, baterias e celulares de forma ambientalmente adequada, evitando que sejam jogados em
aterros ou lixões comuns. ...
13
componentes básicos deste modelo afim de aplica-lo nas estratégias adotadas pela C&A são
divididos em 4 quadrantes: O p...
14
São classificadas as ações adotadas que visam principalmente otimizar os consumos de
energia e de água nos processos e ...
15
esforços, na agricultura buscam soluções focando na produção de algodão mais
sustentável e na produção buscam diminuir ...
16
sustentabilidade e direitos humanos. Fizeram em 2015 uma pesquisa com clientes
para ter um feedback com relação as moti...
17
Através da C&A Foundation e parcerias já ajudou 19.943 agricultores a adotarem
práticas de cultivo de algodão orgânico....
18
implantação das novos tecnologias e produtos apresentados no quadrante anterior. Neste
contexto, a trajetória da C&A se...
19
mercado, porém com ações diferenciadas na área de sustentabilidade (Levi’s e Patagonia). A
análise foi feita com base n...
20
 Fortalecer comunidades.
A empresa reporta suas ações por meio de relatórios de sustentabilidade, elaborados de
acordo...
21
das fábricas e evitar o uso intencional de produtos químicos perigosos no processo de
fabricação, buscando contribuir p...
22
estará acessível a todos os empregados da H&M no final de 2016. A H&M possui um sistema
de gestão de aprendizagem, que ...
23
Close the loop: parceria com a Fundação Ellen MacArthur, para acelerar a transição para
a economia circular. A H&M é um...
24
Possui por objetivo tornar-se a companhia de vestuário mais sustentável do mundo,
transformando o jeito como faz negóci...
25
compra e nem permite que seus fornecedores comprem algodão do Uzbequistão, por causa das
práticas de trabalho forçado n...
26
Chemicals9
, com o objetivo de atingir o descarte zero de susbstâncias químicas perigosas até
2020.
Trabalha com a Nati...
27
- 5% de redução anual na emissão de gases de efeito estufa por produto enviado das
plantas próprias até 2020;
- 20% de ...
28
Campanhas de sensibilização dos consumidores, como o quiz “Are you Ready to Come
Clean” (Você está pronto para se torna...
29
Processo Water<LessTM
, que reduz a quantidade de água utilizada no processo de
acabamento em até 96%.
Waste<LessTM
, q...
30
incentivar mudanças sistêmicas no meio empresarial. Possui um fundo próprio para investir em
startups10
que compartilhe...
31
Em 2010, a Patagonia fundou, em conjunto com o Walmart, a Aliança para Roupas
Sustentáveis. Com o apoio desse grupo, fo...
32
A empresa possui processos de fiscalização junto a entidades certificadoras, com o
intuito de minimizar as gerações de ...
33
A Patagonia desenvolveu uma nova tecnologia, que permitiu a fabricação do
revestimento das jaquetas a partir de garrafa...
34
Fazem doações em dinheiro e bens para organizações sem fins lucrativos que trabalham
para proteger o meio ambiente e ed...
35
A empresa Patagonia é pioneira dentro do setor de vestuários na maioria das ações em
prol da sustentabilidade. Por ser ...
36
Possui como valores empresariais: encantamento do cliente; negócios movidos por
persistência, criatividade, otimismo e ...
37
Além disso, executa o monitoramento e avaliação de fornecedores, através de visitas técnicas e
auditorias. O desempenho...
38
GHG Protocol. Reporta, ainda, à organização internacional CDP - Carbon Disclosure Project,
suas ações relacionadas ao t...
39
governamentais, acionistas e analistas de mercado, formadores de opinião, associações e
governos.
A Lojas Renner utiliz...
40
mulheres. Os recursos para financiamento dos projetos do Instituto são provenientes da
Campanha Mais Eu, da Renner, de ...
41
A empresa possui foco na "moda ao alcance de todos". Proposta de democratização da
moda, oferecendo aos clientes de tod...
42
 Gestão Hídrica:
Nas fábricas localizadas em Natal (RN), a água utilizada nos processos de tingimento
das peças é trat...
43
sistema de reuso de águas pluviais, implantação de telhado verde e a utilização de iluminação
em LED.
Possui em seu pla...
44
Para o desenvolvimento do conceito “fast fashion”, a Riachuelo possui um
Departamento de Estilo, que busca a conciliaçã...
45
O grupo Inditex adotou o caminho para a sustentabilidade proposto pelas Nações
Unidas, incluindo as 17 metas para o des...
46
Mais de 60% das fábricas estão localizadas na Europa e países vizinhos, como Espanha,
Portugal, Turquia e Marrocos.
A e...
47
Trabalha junto a fornecedores, com a aplicação de medidas práticas para melhorar a
gestão sustentável e eficiência das ...
48
Possui como meta que todas as lojas sejam ecoeficientes até 2020.
 Reciclagem / Reuso de Materiais ou Vestuário:
Exist...
49
organizações sem fins lucrativos como a Water.org, China Youth Development Foundation e
Every Mother Counts, entre outr...
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda

84 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
84
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Analise das iniciativas em sustentabilidade das empresas do varejo de moda

  1. 1. 1 Trabalho Final do Curso Sustentabilidade e Estratégia Empresarial Master em Gestão em Sustentabilidade – T8 Grupo: Larissa Kaneko Nina Perocco Patrícia Avila Sheila Aldecôa Piai São Paulo - Outubro / 2016 Professor: Paulo Branco
  2. 2. 2 Sumário 1. INTRODUÇÃO..................................................................................................................3 2. A INDÚSTRIA DA MODA E A SUSTENTABILIDADE ...............................................4 3. A C&A................................................................................................................................5 3.1 Apresentação da empresa .................................................................................................5 3.2 Trajetória de Sustentabilidade da C&A............................................................................6 3.3 Diagnóstico das Práticas atuais de Sustentabilidade..................................................12 4. ANÁLISE DA CONCORRÊNCIA..................................................................................18 4.1 Introdução ..................................................................................................................18 4.1.1 H&M ......................................................................................................................19 4.1.2 Levi´s.....................................................................................................................23 4.1.3 Patagônia................................................................................................................29 4.1.4 Renner ....................................................................................................................35 4.1.5 Riachuelo................................................................................................................40 4.1.6 Zara.........................................................................................................................44 4.2 Posicionamento da C&A em relação ao mercado......................................................49 4.3 Quadro Comparativo das ações de sustentabilidade..................................................58 5. ESTÁGIOS PREDOMINANTES ....................................................................................59 6. RECOMENDAÇÕES.......................................................................................................59 7. CONCLUSÕES................................................................................................................61 8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .............................................................................63
  3. 3. 3 1. INTRODUÇÃO O Brasil passou por uma intensa transformação social nos últimos 15 anos, alavancado principalmente pelas políticas públicas que permitiram a ascensão social da nova classe média brasileira (vide quadro abaixo). A inserção dessas famílias em novos extratos sociais trouxe consequências importantes para a economia brasileira em diversos setores. Segundo dados oficiais do governo, mencionados no artigo “A nova classe média existe?”, do site da Revista Carta Capital, foram mais de 20 milhões de novos postos de trabalhos com carteira assinada criados desde 2003. Figura 1: Projeção da distribuição por classe social em 2023. Fonte: Projeção Data Popular a partir da PNDA – IBGE e Projeção da População do Brasil por Sexo e Idade para o Período 2000/2060 – IBGE Este novo cenário configurado trouxe impactos importantes em diversos setores do varejo brasileiro. A nova classe média passou a frequentar círculos sociais antes restritos a um grupo menor de pessoas como: novos postos de trabalho, que antes se limitavam a cargos mais operacionais e nos últimos anos tiveram a oportunidade de ocupar cargos administrativos; investimento em educação própria e dos filhos, como forma de garantia de um futuro melhor; investimento em cuidados pessoais como códigos de inserção e pertencimento a esses novos círculos sociais; acesso a produtos e serviços como itens de linha branca, automotivos e setor de entretenimento e lazer e; acesso a aparelhos de tecnologia e à internet, permitindo expansão de limites e redução de barreiras físicas de conexão e informação.
  4. 4. 4 Dentro deste cenário, setores como o da beleza e o da moda se beneficiaram por serem elementos de tradução desses novos códigos, representando muitas vezes uma licença ao pertencimento aos novos grupos e, também, formas de destaque frente a círculos antigos, representando a ascensão a um novo patamar social. 2. A INDÚSTRIA DA MODA E A SUSTENTABILIDADE As discussões sobre uma moda mais sustentável têm ganhado cada vez mais espaço nos debates do mundo fashion. Seja por meio de coleções de estilistas e marcas específicas que levantam a bandeira da causa, ou seja pelo apelo dos próprios consumidores que, pouco a pouco, têm se tornado mais conscientes sobre os produtos que consomem. Segundo Cunha (2016), são consumidas cerca de 80 bilhões de novas peças de roupa a cada ano no mundo, movimentando um mercado avaliado em US$3 trilhões de dólares. Além disso, a indústria emprega milhares de pessoas ao redor do mundo por toda a sua cadeia, que abrange desde a produção de matéria prima até a venda do produto final, seja por meio de lojas físicas, do comércio eletrônico e outros. Podemos listar também os inúmeros impactos que a produção de uma peça de roupa pode ter não apenas ao meio ambiente, mas também na vida das pessoas envolvidas em sua cadeia de produção. Muito se ouve falar em produções ao redor do mundo que utilizam trabalho escravo ou operam em condições de trabalho extremamente precárias ou, ainda, fatos que abrangem a exploração de comunidades que têm, na produção de matéria prima, a sua fonte de subsistência. Além disso, podemos citar também a agressão que a produção dos próprios tecidos imprime ao meio ambiente. A poluição gerada pelo tingimento de tecidos com estamparias ou do jeans, por exemplo, tem um alto impacto negativo ao meio ambiente e são poucas as empresas que fazem o tratamento de água necessário para descarte. Outro ponto importante é que não existem hoje formatos eficazes de descarte e reciclagem das peças de roupas que contém, na maioria das vezes, materiais sintéticos em sua composição, aumentando ainda mais o tempo de decomposição na natureza. Outro ponto importante sobre essa cadeia é o desperdício de materiais que ocorre por conta da ineficácia da produção. Estima-se que 10% de toda a produção têxtil vire descarte, sem antes mesmo terem alcançado o seu “objetivo final”, que seria virar uma peça de roupa.
  5. 5. 5 No final de abril deste ano, a C&A Foundation lançou, em parceria com a National Geographic, um documentário que mostra o quão imperativo é a necessidade de uma cadeia de produção mais sustentável. Segundo dados apresentados no documentário, a produção de algodão ocupa 2,5% de toda a área produtiva mundial e apresenta um grande impacto ao meio ambiente pelo uso excessivo de água e pesticidas, que afetam todo o ecossistema. Em Doken et al (2013) também são mencionados os impactos que a produção deste material tem no meio ambiente, como a contribuição para o aquecimento global e a ecotoxicidade aquática, terrestre e humana. Estima-se que cerca de 250 mil agricultores por ano ficam doentes devido à intoxicação decorrentes da aplicação de agrotóxicos do plantio de algodão. O plantio de algodão é, após a produção de alimentos, o que mais consome pesticidas e químicos na sua cadeia. É diante deste cenário de mudança de comportamento e conscientização da população e dos números que este setor econômico movimenta, que o presente trabalho se propõe a analisar as principais iniciativas e estratégias em sustentabilidade realizadas pelos maiores varejistas do segmento da moda e outras empresas do setor, com um diagnóstico aprofundado da C&A Modas. 3. A C&A 3.1 Apresentação da empresa Fundada em 1841 por dois irmãos holandeses, Clemens e August, a empresa possui atualmente mais de 60.000 (sessenta) mil funcionários no mundo inteiro, com lojas espalhadas por toda a Europa, 20 países, Brasil, México e China. É uma empresa familiar, pertencente ao grupo Cofra Holding, que possui, além de negócios no varejo de moda (C&A), negócios de real state (Redevco) e de private equity (Bregal). Com mais de 1.800 lojas no mundo inteiro, a primeira loja inaugurada no país foi a do Shopping Ibirapuera, em 1976. Atualmente a companhia conta com 289 lojas em 125 cidades do Brasil e presença em todas as regiões do país. A empresa emprega cerca de 22.000 mil funcionários, representando também uma grande importância social na geração de emprego, não apenas de forma direta, mas por toda a sua cadeia.
  6. 6. 6 Em cada país que atua, possui um posicionamento de marca independente da adotada pelas demais regiões, o que a permite fazer adaptações no seu posicionamento de marca e realidades exclusivas para cada operação. No Brasil, é reconhecida pela sua ousadia, sendo sempre pioneira nos seus movimentos. Criou ícones que marcaram história como a campanha AbuseUse C&A, tendo como garoto propaganda por vários anos o bailarino afrodescendente Sebastian, coleções e campanhas de marketing em parceira com celebridades como Gisele Bündchen e Rick Martin, coleções assinadas por estilistas nacionais e internacionais de renome como Roberto Cavalli, Stella McCartney, Reinaldo Lourenço, Patricia Bonaldi, Lenny, entre outros. Essa trajetória permitiu que a empresa criasse ao longo desses anos uma grande conexão emocional com o povo brasileiro, representando uma marca que acompanha a evolução de vida das pessoas. No país, tem como missão ser “uma empresa inovadora, divertida e, acima de tudo, apaixonada pelas pessoas... A responsabilidade social e a transparência estão sempre presentes na nossa forma de atuar e são compartilhadas a todo o momento com quem nos relacionamos – funcionário, fornecedores, clientes e a comunidade”. Este posicionamento influencia a forma como ela se relaciona com todos os envolvidos direta e indiretamente na sua cadeia, bem como, na forma com que atua nos diversos assuntos que tangem o negócio, como o impacto no meio ambiente, vidas e sociedade. Desta maneira, a sua atuação na área da sustentabilidade não poderia ser diferente e apresentou ao longo dos anos um pioneirismo, elevando o patamar de atuação das empresas do varejo de moda no país. 3.2 Trajetória de Sustentabilidade da C&A No que se refere à sustentabilidade, a C&A acredita que uma empresa sustentável precisa orientar os negócios com o objetivo de contribuir para o futuro do planeta, da sociedade e das próximas gerações. Assim, destaca-se como marca pioneira no investimento em ações socioambientais no setor têxtil brasileiro, atuando nesse viés desde os anos 1990. A marca, inclusive, iniciou sua atuação no Brasil através de desenvolvimento de projetos sociais, para depois trazer o negócio do varejo de moda. A Figura 2 abaixo mostra, numa linha do tempo, as principais iniciativas e como o assunto sustentabilidade evoluiu dentro da empresa ao longo destes anos de atuação no país. Inicialmente foi criado o Instituto C&A, em 1991, uma organização sem fins lucrativos e de interesse público. Sua missão, até 2015, foi de “Promover a educação de crianças e adolescentes
  7. 7. 7 das comunidades onde a C&A atua, por meio de alianças e do fortalecimento de organizações sociais”. A atuação do Instituto se dava por meio de programas estruturados em três diferentes áreas: 1. Educação, Arte e Cultura (Programa Educação Infantil, Programa Educação Integral e Programa Prazer em Ler); 2. Desenvolvimento Institucional e Comunitário (Programa Desenvolvimento Institucional, Programa Redes e Aliança) e; 3. Mobilização Social (Programa Voluntariado). Figura 2: Trajetória de Sustentabilidade da C&A Modas no Brasil. Fonte: Relatório de Sustentabilidade C&A 2012-2013 < http://sustentabilidade.cea.com.br/pdf/CA_Relatorio_de_Sustentabilidade__2012- 2013_pt.pdf> Os projetos eleitos são suportados com apoio técnico e financeiro e as organizações precisavam desenvolver suas ações em cidades ou regiões metropolitanas onde a C&A possui lojas. A existência deste critério ocorre, pois boa parte do apoio dado às instituições é feita através do programa de voluntariado da C&A (em 2013, contava com mais de 6mil associados), sendo a maior participação através dos funcionários das lojas. O Instituto C&A promove e estimula a prática do voluntariado durante o horário de trabalho e desenvolveu ao longo do tempo ferramentas de facilitação, como o Portal dos Voluntários, uma plataforma digital que permite a articulação e interação dos envolvidos. O
  8. 8. 8 acompanhamento das atividades é realizado por meio de relatórios, visitas presenciais às instituições e reuniões para definição de planos de ação. Uma importante colaboração do Instituto foi a concepção, com metodologia certificada pelo MEC (Ministério da Educação), do projeto Paralapracá. O intuito é oferecer formação continuada a profissionais da educação infantil, acesso de crianças e educadores a materiais de qualidade e apoio ao aprimoramento das políticas municipais. Além disso, o Instituto promovia também, em parceria com o IGESC da FIA/USP (Fundação Instituto de Administração), a atuação dos associados, mais especificamente do centro de distribuição e do escritório central, como consultores no desenvolvimento de projetos para determinadas instituições, escolhidas inicialmente pela equipe. Ao longo dos 25 anos de atuação, foram investidos U$125 milhões (cerca de R$403 milhões) em 2.000 projetos sociais voltados à educação infantil. A partir de 2015, o Instituto iniciou um movimento de transição e passou a apoiar iniciativas e projetos com foco na cadeia de produção e consumo do mercado da moda, se tornando o principal braço de atuação da Fundação C&A no Brasil. Todos os projetos suportados até 2015 continuarão com o apoio até 2018, quando termina o prazo dessa transição. Ao longo dessa trajetória da Sustentabilidade na C&A, já em 1996, a C&A criava o seu código de conduta para o fornecimento de mercadorias, estabelecendo padrões, ainda que iniciais, a serem seguidos por seus fornecedores. E em 2006, foi criada a SOCAM (Sigla em inglês para Organização de Serviço para Gestão de Auditoria de Conformidade), cujos objetivos principais são: a. Coibir qualquer uso de mão de obra irregular; b. Buscar a melhoria contínua das condições de trabalho e das questões ambientais na cadeia de fornecimento; c. Verificar questões relativas à saúde e segurança dos trabalhadores; d. Infraestrutura do imóvel; e. Organização das áreas de produção; f. Conscientização dos fornecedores sobre a importância dos itens acima; g. Ampliar as diretrizes estabelecidas no código de conduta criado em 1996.
  9. 9. 9 Para a sua atuação foram necessários: a. Definir processos e modelo de operação; b. Reformular e aperfeiçoar os materiais de comunicação com a cadeia; c. E aperfeiçoar também os instrumentos que permitissem exigir maior comprometimento e responsabilidade dos fornecedores com as práticas exigidas. As auditorias realizadas pela Socam podem ter diferentes objetivos: 1. Periódicas; 2. Preparatórias para a certificação na ABVTEX1 ; 3. Sob demanda: realizadas para capacitar um funcionário do fornecedor para que ele possa identificar e apoiar a implementação de melhorias nas unidades subcontratadas; 4. Rastreabilidade; 5. Visitas em subcontratados que não fabricam para a C&A para validação; 6. Novos fornecedores. Cada fornecedor e sua cadeia passam por uma análise de risco ao menos uma vez ao ano. Em 2013, a Socam realizou 1.146 visitas e 23 fornecedores foram bloqueados (versus 10 em 2012) por não se adequarem às exigências ou por não terem trabalhado nos planos de atuação de questões levantadas em visitas anteriores. Além disso, em 2010 a C&A apoiou o desenvolvimento do Programa de Qualificação de Fornecedores para o Varejo, em parceria com a ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil). Outro marco foi a conclusão de um trabalho iniciado em 2011, resultando na criação da plataforma de sustentabilidade em 2012. As principais etapas de sua construção estão ilustradas na Figura 3 abaixo. 1 A certificação da ABVTEX tem por objetivo permitir ao varejo certificar e monitorar seus fornecedores quanto às boas práticas de responsabilidade social e relações do trabalho.
  10. 10. 10 Figura 3: Principais etapas para a construção da Plataforma de Sustentabilidade da C&A. Fonte: Relatório de Sustentabilidade C&A 2012-2013 < http://sustentabilidade.cea.com.br/pdf/CA_Relatorio_de_Sustentabilidade__2012- 2013_pt.pdf> Importante notar que a construção da plataforma partiu da visão de sustentabilidade da empresa e das expectativas e demandas dos seus principais stakeholders. Desta forma, definiu-se, como foco, cinco pilares de atuação com metas que nortearam o planejamento e investimentos realizados ao longo dos últimos anos, listadas a seguir: a. Responsabilidade na Cadeia de Fornecimento; b. Impacto de Produtos; c. Engajamento; d. Impacto ambiental de lojas; e. Valorização do associado. Logo no ano seguinte, em 2013, deu-se início à construção da Plataforma Global de Sustentabilidade, consolidando a visão de todas as operações, nos diferentes países em que a C&A atua. Levando em consideração as características e realidade de cada região, está organizada em torno de três pilares: Produtos Sustentáveis; Rede de Fornecimento Sustentável e Vidas Sustentáveis, com metas que vão até 2020. E com isso, para que houvesse um maior alinhamento do assunto com a estratégia da empresa, formou-se um comitê executivo para governança da Sustentabilidade, composto pelo CEO e todos os vice-presidentes da empresa. Espera-se, com isso, o cumprimento das metas estabelecidas, o que colocaria a empresa em outro patamar em relação as suas concorrentes no país.
  11. 11. 11 Todo este movimento de foco na Plataforma de Sustentabilidade foi reforçado pelo fortalecimento da atuação da C&A Foundation nas operações ao redor do mundo. A Fundação passou a ter um papel importante na definição das iniciativas, nas ações a serem focadas e no estabelecimento das metas a serem alcançadas. Criada em 2012, tem como principal objetivo tornar a moda uma força para o bem, visando melhorar a qualidade de vida nas regiões em que a C&A atua. Tem como missão transformar a indústria da moda, garantindo que todos os trabalhadores envolvidos em sua cadeia, possam ter uma vida digna. Ela trabalha na compreensão profunda das questões negativas na cadeia da moda, criando soluções de longo prazo. Possui quatro focos principais de atuação: a. Algodão orgânico: trabalha para superar barreiras que estão atrasadas para o aumento da produção de algodão orgânico; b. Trabalho Forçado; c. Condições de trabalho nas indústrias; d. Trabalho em conjunto com a C&A business. Figura 4: Teoria da Mudança Fonte: Adaptado de http://www.institutocea.org.br/who-we-are/about-us/ Dessa maneira, a partir de 2016, o caminho à sustentabilidade passou a ser global. Há também outras iniciativas da empresa ao longo destes anos importantes a serem descritas. Em suas lojas ao redor do Brasil são disponibilizados coletores para descarte de
  12. 12. 12 pilhas, baterias e celulares de forma ambientalmente adequada, evitando que sejam jogados em aterros ou lixões comuns. Esse programa de coleta e reciclagem de lixo eletrônico começou na Loja Eco da C&A, no centro de Porto Alegre e, desde 2010, se estende para todo o Brasil. Todos os cabides usados nas lojas são também reutilizados ou reciclados para produção de novos cabides e a empresa exigiu que a frota de terceiros utilizasse o biodiesel B5 como combustível dos caminhões, que mantém o desempenho do veículo e reduz a emissão de poluentes. A C&A adotou no Brasil padrões internacionais de segurança mecânica para suas roupas infantis e também foi a primeira empresa do setor de varejo de moda a aderir ao Programa “Na Mão Certa”, em 2007. Tal iniciativa, que lançou o Pacto Empresarial Contra a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras, foi criada pela Childhood Brasil (braço brasileiro da World Childhood Foundation) e no Brasil conta com a parceria estratégica com o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social. Todos os anos acontece a Semana C&A Na Mão Certa, que promove palestras para orientar os motoristas sobre a causa, formando os Agentes Caminhoneiros. Os motoristas, por meio do Disque 100, podem denunciar se testemunharam situações de exploração na estrada, desempenhando o papel de agentes de proteção. No país, a C&A foi a primeira empresa do setor de varejo de moda a produzir um relatório de sustentabilidade com base nas diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI), em 2009 – com vistas a trazer maior transparência como evidência do seu compromisso em fazer moda com impacto positivo. 3.3 Diagnóstico das Práticas atuais de Sustentabilidade Esse trabalho que vem sendo desenvolvido pela C&A para criação de valor sustentável no sistema de gestão de negócios da empresa e em toda a cadeia de fornecedores, vem crescendo a cada ano através dos programas criados, como a C&A Foundation, em uma abrangência global, e o instituto C&A e a SOCAM, no Brasil, parcerias com empresas do setor e instituições e incentivos a programas sociais e ambientais, que se dedicam a buscar soluções para os problemas sociais e ambientais desencadeados por todo a cadeia do setor da moda. Essas estratégias que estão sendo adotadas para alcançar um desenvolvimento mais sustentável, dentro das diversas áreas de exploração, se encaixam dentro de um modelo multidimensional de criação de valor denominado: Modelo Stuart Hart (Figura 5). Os
  13. 13. 13 componentes básicos deste modelo afim de aplica-lo nas estratégias adotadas pela C&A são divididos em 4 quadrantes: O primeiro, referente à criação de valor interno e para o presente, visa a redução de custos. O segundo, ainda no presente, em uma visão externa da empresa diz respeito à sua reputação e legitimidade. O terceiro, sobre as estratégias futuras dentro da empresa, como processos de inovação e reposicionamento, e o quarto e último quadrante, diz respeito ao caminho de crescimento e visão de sustentabilidade da empresa. Dentro desse modelo, é possível fazer um mapeamento do posicionamento da C&A perante a sustentabilidade, sendo que as duas dimensões avaliadas abrangem todo o contexto em que uma empresa está inserida: O tempo e as influencias internas e externas. Exemplificando melhor esse quadro, apresenta Hart: “O eixo vertical no modelo reflete a necessidade simultânea que a empresa tem de manter os negócios atuais e de criar a tecnologia e os mercados de amanhã. E o eixo horizontal reflete a necessidade de crescimento da empresa e de proteger as habilidades e potenciais organizacionais internos, e, ao mesmo tempo, de infundir na empresa novas perspectivas e conhecimentos vindos de fora. ” Figura 5 – Dimensões-chaves do valor ao acionista Fonte: ESPECIAL A.M.E: CRIANDO VALOR SUSTENTÁVEL Aplicando este modelo às estratégias apresentadas pela empresa nos seus relatórios de sustentabilidade e demais informações publicadas, é apresentado a seguir, o conjunto de medidas que se encaixam em cada quadrante: 1. 1º quadrante: Redução de custo
  14. 14. 14 São classificadas as ações adotadas que visam principalmente otimizar os consumos de energia e de água nos processos e operações, redução de emissão de gases de efeito estufa e a gestão otimizadas de resíduos sólidos visando a redução do consumo de matérias e de geração de resíduos. Tais ações, quando implantadas de forma eficiente, tem impacto direto na redução de custos para a empresa, sendo que esse cenário resulta em operações e processos mais eficientes. As estratégias trabalhadas pela C&A neste quadrante, são:  Gestão hídrica: Em 2016, junto com a Water Footprint Network (WFN) desenvolveram o estudo da pegada hídrica global – do berço ao túmulo – para todas as operações da C&A e peças vendidas, e desenvolveram um modelo de análise do ciclo de vida (ACV), que combina métodos de ACV de entrada-saída e de processos que ajuda a visualizar os impactos hídricos diretos e indiretos. Esses estudos mostraram que o maior impacto em consumo de água está no cultivo de algodão, por isso direcionam seus esforços e participam ativamente do programa Better Cotton que busca implantar a produção de algodão mais sustentável e/ou orgânico. Também concentram esforços em otimizar o processo de tingimento, lavagem e acabamento visando reduzir o consumo e o impacto dos produtos químicos na água. Fazem auditorias nas unidades de produção para monitorar e propor formas de otimizar o consumo de água. Como meta para os próximos anos buscam alinhar seus esforços com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU para Água Potável e Saneamento.  Eficiência energética: tiveram como resultado em 2015 o consumo de 30% da energia nas lojas de fontes renováveis, e possuem como meta para esse ano utilizar de fontes de energia renovável em todo o ciclo de vida das roupas. Todos as ações implantadas para otimizar o processo de tingimento, lavagem e acabamento, visam além da eficiência hídrica, eficiência energética e redução de gases GEE. Também em 2015 alcançaram um aumento na eficiência energética de 6,5%.  Redução da emissão de GEE: 95% dos produtos transportados globalmente, são através de navios porta-contêineres low steaming, ou de baixa velocidade, e possuem rigoroso controle de consolidação e cronometro das entregas e também fazem o monitoramento do desempenho no transporte dos fornecedores. Possuem um estudo das emissões de GEE na cadeia que mostrou em quais áreas é necessário concentrar
  15. 15. 15 esforços, na agricultura buscam soluções focando na produção de algodão mais sustentável e na produção buscam diminuir o impacto por meio da redução de produtos químicos nos tecidos. Aumentaram 9% na eficiência de carbono em 2015, e para 2020 possuem a meta de reduzir em 20% a pegada de carbono nas lojas, escritórios e centros de distribuições.  Gestão dos resíduos sólidos: Na questão dos resíduos gerados na cadeia, a C&A concentra suas ações para viabilizar a mudança para a economia circular como meta até 2020. Possuem iniciativas de gestão de resíduos nas lojas, como reciclagem de cabides e caixas e utilização de materiais reciclados nas roupas. Em 2015 fizeram o mapeamento de todos os tipos de resíduos sólidos gerados, e priorizaram alguns para desenvolver processos padrões de destinação adequada. Fazem auditorias de gestão sustentável de substâncias químicas nas principais fábricas de tecido e para 2020 possuem a meta de zero descarte de produtos químicos perigosos. 2. 2º quadrante: Reputação e legitimidade Este quadrante também foca nas dimensões de desempenho da empresa, mas é ampliado para incluir os Steakholders externos, como fornecedores, clientes, órgãos de regulação, ONGs e outros. O engajamento ineficiente desses Steakholders pode afetar diretamente o poder de operação da empresa, e quando eficiente leva ao aumento da reputação e legitimidade. Neste cenário a C&A é pioneira no setor em parcerias com ONGs e programas sociais e ambientais, exercendo um papel pró-ativo no engajamento dos envolvidos na cadeia. São algumas dessas ações:  Fornecimento responsável: possuem um rigoroso sistema de classificação dos fornecedores com base em critérios de sustentabilidade que os avaliam com notas de A a E. Estabeleceram em 2015 90% das escolhas dos seus fornecedores com notas A ou B e 100% das fábricas de seus fornecedores foram auditadas e monitoradas.  Engajamento dos Steakholders: No relatório de 2015 fizeram a disseminação de suas estratégias globais, reunindo práticas regionais com o intuito de criar um relacionamento mais forte com seus steakholders identificados como essenciais. Focam em parcerias com ONGs e sindicatos para aumentar o engajamento.  Transparência: Possui Código de Conduta para fornecedores, Código de Ética Global para os funcionários e Estrutura de Governança pautadas nos critérios de
  16. 16. 16 sustentabilidade e direitos humanos. Fizeram em 2015 uma pesquisa com clientes para ter um feedback com relação as motivações, percepções e preferências de sustentabilidade para traçar estratégias com base no que os clientes dizem, e perceberam que vários clientes questionaram quanto à transparência nas informações passadas pela empresa, então estão concentrando esforços para divulgar melhor as ações de sustentabilidade que estão sendo desenvolvidas e além de divulgar buscam métodos para envolver os clientes no processo.  Canais de comunicação: Criaram esse ano uma plataforma de comunicação na qual poderão ter discussões bilaterais com a base mais ampla de seus steakholders.  Projetos sociais: A C&A possui uma atuação muito forte no âmbito de projetos sociais, principalmente através do Instituto C&A, no âmbito nacional, e a C&A Foundation, globalmente. Entre eles, os funcionários da empresa no Brasil, há tempos realizam ações de voluntariado na comunidade voltado para educação dos adolescentes. São pioneiros em duas campanhas: “Mulheres que inspiram” que já fornecem ajuda para mais de 7.000 mulheres no mundo, e o programa “Na mão certa” que possui o objetivo de acabar com a exploração sexual nas rodovias brasileiras. 3. 3º Quadrante: Inovação Além das estratégias apresentadas que estão diretamente ligadas a ações que a empresa deve ter para o desempenho eficiente dos negócios atuais, deve também buscar desenvolver habilidades e tecnologias que posicionam a empresa para o “amanhã”. Essas estratégias dizem respeito a inovação nos produtos e serviços para sua prosperidade no futuro. Neste cenário, a C&A é uma empresa pioneira na busca de tecnologias inovadoras para o setor, tais como:  Matéria-prima consciente: Como metas para 2020 a empresa busca utilizar de 100% dos algodões mais sustentáveis e 67% dos materiais em geral também mais sustentáveis. Para isso a C&A apoio ativamente várias abordagens para o cultivo de algodão mais sustentável, como o Better Cotton Initiative (BCI) e Responsible Environment Enhanced Livelihoods (REEL) e o algodão orgânico. E como desempenho foi premiada em 2015 como maior compradora de algodão orgânico no mundo, atualmente em torno de 40% do algodão utilizado vem de fontes mais sustentáveis e 80% das roupas infantis produzidas por algodão orgânico.
  17. 17. 17 Através da C&A Foundation e parcerias já ajudou 19.943 agricultores a adotarem práticas de cultivo de algodão orgânico. Fundaram também a CottonConnect para ajudar pequenos agricultores a substituir o cultivo convencional de alto impacto por métodos mais sustentáveis. Além das mencionadas, outras práticas já adotadas pela empresa são: utiliza de poliéster reciclado, todas as plumas são certificadas RDS, possui rigoroso controle da origem dos materiais utilizados como: lãs, pelos, peles e couro.  Lojas Ecoeficientes: Atualmente a empresa conta com apenas uma loja com certificação LEED no Brasil, localizada em Porto Alegre, e algumas lojas com sistemas mais eficientes de iluminação, consumo de água e energia e reciclagem. Na europa, a partir deste ano 148 das 150 lojas terão certificação BREEAM.  Reciclagem/reuso de materiais e vestuários: Possuem programa de reciclagem de cabides, caixas de papelão e uniformes usados nas lojas, No Brasil já foram reciclados mais de 282 toneladas nos últimos 2 anos. Nas lojas do Brasil possuem pontos de coleta nas lojas para reciclagem de eletrônicos.  Atenção ao manejo químico: Também como meta para 2020 pretendem zerar o descarte de produtos químicos perigosos (ZDHC). Treinam fornecedores para elevar o nível de desempenho da gestão de produtos químicos em toda a rede de fornecimento, através de auditorias a conformidade com as normas, monitoramento dos dados de efluentes e pesquisas em formulações químicas mais seguras.  Produção mais limpa: Possuem parceria com os programas Better Mills Initiative (BMI) na China e Partnership for cleaner Textiles (PaCT), em Bangladesh, principais regiões produtoras, para a produção mais limpa nos processos de tingimento, lavagem e acabamento de tecidos, visando reduzir o consumo de água e o impacto dos produtos químicos em águas de superfície. Em 2015 foram feitas 52 auditorias de gestão sustentável de substâncias químicas nas principais fabricas de tecido. 4. 4º Quadrante: Trajetória de crescimento O 4º e último quadrante, foca nas dimensões externas associadas ao desempenho futuro. Esse desempenho depende da capacidade da empresa de articular uma clara visão sobre qual será a sua trajetória de crescimento. Essa trajetória atua como um norte para a
  18. 18. 18 implantação das novos tecnologias e produtos apresentados no quadrante anterior. Neste contexto, a trajetória da C&A se baseia nos seguintes princípios:  Gestão de RH consciente Possui código de ética global implementado. Criou o programa C&A por você que tem o objetivo de valorizar os associados de lojas. Possui programa de controle médico e saúde ocupacional (PCMSO) e fizeram em 2015 uma pesquisa de engajamento para avaliação de satisfação dos seus funcionários, consumidores e acionistas.  Projeto para Economia Circular Em um modelo de Economia Circular as fibras das roupas são recuperadas no final do seu ciclo de vida e recicladas em roupas novas, tapetes ou outros produtos, reduzindo a necessidade de matéria prima e desperdício. Com esse objetivo, a C&A trabalha fortemente em parceria com a C&A Foundation e outras empresas do setor para criar os facilitadores deste novo modelo de negócio, através de incentivos e estudos para desenvolver as tecnologias necessárias. Definiram como meta para 2020 desenvolver uma abordagem para implantação da economia circular.  Desenvolvimento de comunidades (Algodão orgânico) Como meta para 2020 a empresa também se propõe a utilizar 100% dos seus produtos de algodão mais sustentável. Para acelerar o desenvolvimento dos produtores de algodões orgânicos criaram junto com a C&A Foundation e outras organizações o programa Organic Cotton Accelerator, e també apoia várias outras abordagens para o cultivo do algodão mais sustentável.  Visão de crescimento A C&A estabelece como meta para 2020 ser reconhecida como a marca do varejo de moda mais sustentável. 4. ANÁLISE DA CONCORRÊNCIA 4.1 Introdução Foram analisadas empresas varejistas de moda, nacionais e internacionais, concorrentes diretas da C&A (H&M, Renner, Riachuelo e Zara), além de duas empresas com outro foco de
  19. 19. 19 mercado, porém com ações diferenciadas na área de sustentabilidade (Levi’s e Patagonia). A análise foi feita com base nos relatórios de sustentabilidade das empresas, relatórios gerenciais e informações disponibilizadas na internet. 4.1.1 H&M a.) Apresentação da empresa A primeira loja Hennes foi aberta em Västerås, na Suécia, no ano de 1947. Atualmente, o Grupo H&M (Hennes & Mauritz), que abrange 6 marcas (H&M, COS, Monki, Weekday, Cheap Monday e & Other Stories), é um gigante sueco do fast fashion2 , com mais de 4.100 lojas em 64 países, empregando 148 mil pessoas, das quais 200 trabalham com sustentabilidade como função principal. b.) Visão e valores Moda sustentável e de boa qualidade, acessível ao maior número de pessoas possível. Desafio de fazer moda sustentável e promover a sustentabilidade na moda. Valores: crença na pessoa, trabalho em equipe, melhorias constantes, linha reta e mente aberta, atitude empreendedora, simplicidade e consciência dos custos. c.) Principais ações de sustentabilidade A sustentabilidade faz parte do conceito do negócio. Sendo assim, a H&M rastreia e propõe ações em toda sua linha de produção desde o design e escolha de matéria prima, tecidos e linhas, como também na produção, transporte, vendas e uso. O plano “Conscious H&M” engloba tudo aquilo que é feito pela empresa para uma moda mais sustentável no futuro, assumindo 7 compromissos:  Oferecer moda para clientes conscientes;  Escolher e premiar parceiros responsáveis;  Ser ético;  Ser ecointeligente;  Reduzir, reutilizar, reciclar;  Usar recursos naturais com responsabilidade; 2 O termo fast fashion, ou moda rápida, é utilizado por marcas que possuem uma política de produção rápida e contínua de suas peças, trocando as coleções semanalmente, ou até diariamente.
  20. 20. 20  Fortalecer comunidades. A empresa reporta suas ações por meio de relatórios de sustentabilidade, elaborados de acordo com as orientações da GRI – Global Reporting Iniciative.  Matérias Primas Conscientes: Atualmente, 20% dos materiais usados nos produtos da H&M são mais sustentáveis e o algodão orgânico, reciclado e melhorado representa 31% de todo algodão utilizado, com meta de alcançar os 100% em 2020. A H&M é um membro fundador da Better Cotton Initiative3 , que promove o cultivo mais sustentável do algodão. Possui uma política de bem estar animal, visando o rastreamento dos materiais de origem animal até os criadores, para garantir tratamento digno aos animais. A meta é que produtos colocados em produção a partir de 2017 sejam feitos exclusivamente com lã certificada. Possui a coleção Conscious Exclusive, que é produzida com materiais sustentáveis, incluindo tecidos inovadores (o Tencel®4 , por exemplo) e adornos de material reciclado.  Certificação de Fornecedor: O grupo H&M visa acessar cada fornecedor em relação a sua performance de sustentabilidade, procurando garantir que novos fornecedores sejam auditados antes de qualquer pedido e reconhecer boas condutas com melhores negócios. A empresa compartilha uma lista com 98,5% dos fornecedores que fabricam suas roupas e acessórios. Foi a primeira empresa a assinar o Acordo de Bangladesh5 , se propondo a acompanhar de perto as inspeções relacionadas ao acordo, além de melhorar o desempenho de sustentabilidade nas fábricas de fornecimento. A empresa busca incentivar salários justos ao longo da indústria têxtil, inclusive por meio de parceria estratégica com a OIT (Organização Internacional do Trabalho). Busca engajar fornecedores estratégicos na China, Índia e Bangladesh em diálogos sociais por direitos.  Atenção ao Manejo Químico: Promove o desenvolvimento de novas tecnologias, práticas e metodologias, como o E Cube, um método de modelagem matemática para determinar a situação de descarga química 3 Iniciativa que visa tornar o cultivo do algodão mais sustentável, por meio do ensino de melhores práticas, reduzindo o consumo de água e o uso de produtos químicos, além de promover a proteção dos direitos dos trabalhadores. 4 Tecido feito de fibra de madeira de cultivo sustentável. 5 Acordo para aumentar a supervisão e a segurança nas fábricas do setor têxtil, depois do desastre na fábrica Rana Plaza em Bangladesh.
  21. 21. 21 das fábricas e evitar o uso intencional de produtos químicos perigosos no processo de fabricação, buscando contribuir para uma indústria da moda com descarga zero de produtos químicos perigosos.  Gestão Hídrica: A H&M possui uma estratégia para acompanhamento do consumo de água e seu manejo responsável, desenvolvida em alinhamento com a WWF (World Wild Fund for Nature). Dentre suas ações, a H&M visa assegurar o adequado tratamento de águas residuais em todas as fábricas de seus fornecedores com processos molhados, bem como reduzir o impacto sobre a água na produção das matérias primas em geral. O objetivo é ter equipamentos com eficiência hídrica em todas as lojas, armazéns e escritórios até 2020.  Gestão de Resíduos Sólidos: A maior parte dos resíduos gerados na H&M é composta por papelão, papel e plástico. A H&M recicla 94% desses resíduos, com meta de chegar a 95%.  Gestão Energética / Gases de Efeito Estufa: A H&M rastreia as emissões em suas próprias operações e em sua cadeia de valor. Faz parte do RE100, uma rede global colaborativa de empresas comprometidas que trabalham para aumentar maciçamente a entrega e demanda por energia renovável. Em 2015, 78% da energia total usada pela H&M veio de fontes renováveis (2014: 27%, 2013: 18%). Com o uso de energia renovável, as emissões totais da H&M em 2015 reduziram em 56% se comparadas às de 2014. Na cadeia, a H&M busca certificar que 100% dos prestadores de serviços de transporte sejam parceiros SmartWay6 (América do Norte), WayAhead7 (Europa e Ásia) ou participem do Clean Shipping Project8 .  Gestão de RH Consciente: A empresa investe fortemente em seus recursos humanos, buscando elevar a satisfação dos funcionários num ambiente ético. Foi desenvolvido um mecanismo de queixa global, que 6 Programa gerido pela Agência de Proteção Ambiental dos EUA, que oferece avaliação e certificação do desempenho ambiental dos transportadores rodoviários. Todos os parceiros SmartWay são reconhecidos por seu compromisso com a redução das emissões em suas frotas. 7 Ferramenta para avaliar o desempenho ambiental de transportadoras de mercadorias que utilizam o modal rodoviário. 8 Monitora o desempenho ambiental de prestadores de serviço de transporte marítimo em todo o mundo.
  22. 22. 22 estará acessível a todos os empregados da H&M no final de 2016. A H&M possui um sistema de gestão de aprendizagem, que permite aos colaboradores gerir sua formação, ter acesso a e- learning e cursos presenciais. Possui como meta aumentar globalmente o nível de compliance com todos os padrões de segurança para 90%, em todas as suas lojas.  Lojas Ecoeficientes: Possui como meta reduzir o uso de eletricidade por m² nas lojas H&M em 20% até 2020, em comparação com 2007. Possui planos de implantar equipamentos com eficiência hídrica em todas as lojas até 2020.  Reciclagem / Reuso de Materiais ou Vestuário: A H&M promove a coleta de roupas velhas em suas lojas, com o intuito de reciclar quimicamente essas peças para separar as fibras naturais das sintéticas e assim poder reaproveitar as fibras em um novo tecido. A empresa busca assegurar que todas as lojas tenham sistema de coleta de vestimentas. Desde que lançou a iniciativa, em 2013, a empresa coletou mais de 34 mil toneladas de peças de vestuário. Em 2015, 1,3 milhões de peças foram feitas com materiais em ciclo fechado, o que representa um aumento de mais de 300% em comparação com 2014.  Engajamento com os Stakeholders: Em 2015, 35% dos colaboradores receberam treinamentos relacionados à sustentabilidade. São realizadas campanhas de engajamento com os consumidores, como a World Recycle Week, com vistas a coletar mil toneladas de roupas usadas ao longo de uma semana. Os consumidores são convidados a doar suas roupas e recebem em troca vouchers para uso na loja.  Projetos Sociais: A H&M Foundation, fundação global sem fins lucrativos, fundada pela família Stefan Persson (fundadora e sócia majoritária da H&M), possui como missão promover mudanças positivas duradouras e melhorar a qualidade de vida ao investir em pessoas, comunidades e ideias inovadoras. Em parceria com outras organizações, desenvolve projetos nas áreas de educação, água limpa, empoderamento feminino e proteção do planeta.  Inovações / Destaques:
  23. 23. 23 Close the loop: parceria com a Fundação Ellen MacArthur, para acelerar a transição para a economia circular. A H&M é um dos sete parceiros unidos para desenvolver a agenda circular e promover e compartilhar inovação. A H&M investe em novas tecnologias de reciclagem, para a confecção de novos tecidos a partir de fibras recicladas, além de promover a coleta de roupas usadas, de diversas marcas, como insumo para o processo.  Pontos Conflitantes / Negativos: Apesar de todas as iniciativas e esforços, foram relatados problemas com o programa de sustentabilidade da H&M. Supostamente, sua semana de reciclagem, por exemplo, seria mais uma artimanha de marketing do que realmente uma forma de reinserção de matéria prima no mercado. Problemas técnicos com a reciclagem dos tecidos fariam com que apenas uma pequena percentagem de fios reciclados fosse utilizada em novas peças de vestuário, assim seriam necessários cerca de 12 anos para que a H&M efetivamente pudesse usar as mil toneladas de resíduos têxteis que recolheu durante a semana. A marca coloca no mercado, em média, essa mesma quantidade – mil toneladas – em novas roupas a cada 48 horas. As condições de trabalho nas fábricas representam outro ponto conflitante com o programa de sustentabilidade da empresa. A H&M admitiu ter identificado crianças refugiadas sírias trabalhando em uma fábrica de fornecedor na Turquia em 2015, assim como em fevereiro de 2016 ocorreu um incêndio em uma fábrica de Bangladesh, que produzia bens para a H&M. 4.1.2 Levi´s a.) Apresentação da empresa Levi Strauss & Co. foi fundada em 1853, nos Estados Unidos (São Francisco – California). Detentora das marcas Levi's®, Dockers®, Signature by Levi Strauss & Co.™ and Denizen®, está presente em 110 países e 3 continentes (América, Europa e Ásia). Seus produtos são vendidos em aproximadamente 50.000 locais, entre cadeias varejistas, lojas de departamento e lojas dedicadas a marca, além de contar com comércio eletrônico. Conta com aproximadamente 12.500 empregados e possui cerca de 2.800 lojas, entre próprias e franqueadas. b.) Visão e valores
  24. 24. 24 Possui por objetivo tornar-se a companhia de vestuário mais sustentável do mundo, transformando o jeito como faz negócios. A Levi Strauss & Co. (LS&Co) tem por cultura utilizar práticas inovativas, sustentáveis e progressivas, valorizando esses princípios em todo o trabalho feito na empresa. Entende que a colaboração, cooperação e o compartilhamento de abordagens entre empresas é o que permite uma evolução na redução de impactos ao planeta. Como resultado, todos são beneficiados e esse é o significado do verdadeiro progresso. Valores: empatia, originalidade, integridade e coragem. c.) Principais ações de sustentabilidade A LS&Co adota como uma de suas abordagens sustentáveis fazer produtos duráveis. Além disso, investe em inovações científicas para produzir produtos mais sustentáveis, como o Water<LessTM - que utiliza menos água no processo de fabricação - e o Waste<LessTM - que incorpora garrafas PET reaproveitadas na produção. Os esforços em direção à sustentabilidade são focados em 5 áreas chave para dar suporte ao crescimento, produtividade, estabilização de custos, mitigação de riscos e resiliência dos negócios a longo prazo, em um contexto de recursos limitados:  Cultivo de fibras sustentáveis;  Ampliação de produtos sustentáveis;  Investimento no programa Worker well-being (Bem estar do Trabalhador);  Redução da emissão de carbono;  Desenvolvimento de uma próxima geração de cadeia de fornecimento e modelo de negócios para uma economia circular. A empresa reporta suas ações por meio de informações disponibilizadas na internet e relatórios anuais.  Matérias Primas Conscientes: Do total de algodão utilizado, 12% correspondem ao algodão sustentável da Better Cotton Initiative (BCI), da qual é co-fundadora, com meta de usar 100% de algodão sustentável até 2020. Trabalha com seus fornecedores globais para atingir a meta de fornecimento de 75% de algodão da BCI até 2020, sendo que hoje apenas 6% correspondem ao algodão sustentável. Também explora abordagens inovativas para o uso de algodão reciclado no vestuário. Não
  25. 25. 25 compra e nem permite que seus fornecedores comprem algodão do Uzbequistão, por causa das práticas de trabalho forçado naquele país. Possui uma política de bem estar animal, para assegurar que qualquer animal usado na elaboração dos produtos tenham a saúde e bem estar protegidos. Trabalha em conjunto com outras organizações para garantir que nenhum material de base florestal que se origine de florestas antigas e ameaçadas do mundo seja usado em seus produtos.  Certificação de Fornecedor: A LS&Co foi a primeira companhia multinacional de vestuário a estabelecer um código de conduta de trabalho para fornecedores. Publicado em 1991, os chamados termos de compromisso estabelecem normas de emprego e abordam questões de trabalho infantil, trabalho forçado, práticas disciplinares, horas de trabalho, salários e benefícios, liberdade de associação, discriminação e saúde e segurança. As fábricas que produzem roupas para a LS&Co devem aderir aos termos de compromisso e esta possui um programa para avaliar se os fornecedores estão cumprindo seu código de conduta, identificando problemas e estabelecendo formas de remediá-los. São realizadas avaliações regulares em ciclos de 12 a 15 meses de cada fábrica contratada. Possui o programa Worker Well being (Bem estar dos Trabalhadores), que visa colaborar com os fornecedores para melhorar as condições de vida dos trabalhadores fora da fábrica. O programa iniciou em 2011 e foram feitos pilotos dessa iniciativa em Bangladesh, Camboja, Egito, Haiti e Paquistão. A ideia é que os fornecedores integrem o programa a suas operações de negócio.  Atenção ao Manejo Químico: Foi uma das primeiras companhias do setor a estabelecer uma lista de substâncias restritas, identificando as substâncias não permitidas em seus produtos ou no processo de produção, face ao seu impacto nos consumidores, trabalhadores e meio ambiente. Lançou em 2014 o programa de manejo de substâncias restritas, criando as bases para eliminar essas substâncias dos processos de produção dos fornecedores, inclusive da produção de outras marcas. A LS&Co participa da Joint Roadmap Towards Zero Discharge of Hazardous
  26. 26. 26 Chemicals9 , com o objetivo de atingir o descarte zero de susbstâncias químicas perigosas até 2020. Trabalha com a National Resources Defense Council em uma iniciativa para reduzir o impacto ambiental de fábricas têxteis da China, reduzindo o uso de químicos, dentre outros.  Gestão Hídrica: Incentiva o uso de algodão sustentável da Better Cotton Initiative, onde os produtores usam até 18% a menos de água do que o cultivo tradicional. Primeira companhia do setor a estabelecer diretrizes globais para os padrões de qualidade da água para os fornecedores, em seus requisitos ambientais. Trabalha com a National Resources Defense Council em uma iniciativa para reduzir o impacto ambiental de fábricas têxteis da China, reduzindo o uso de água, dentre outros. Implementou uma técnica de acabamento inovativa, chamada de Water<LessTM , que poupa até 96% de água no processo de acabamento do jeans. A meta é aumentar a porcentagem de produtos utilizando esta técnica para 80% até 2020.  Gestão de Resíduos Sólidos: O código de conduta da LS&Co abrange práticas de disposição de resíduos sólidos.  Gestão Energética / Gases de Efeito Estufa: Em 2011, atingiu uma redução de 13% em sua pegada climática em relação a 2007. Possui metas de redução da emissão de CO2 e outros gases de efeito estufa, maximizando a eficiência energética e usando energia renovável: - 25% de redução na emissão de gases de efeito estufa até 2020 em escritórios, lojas e distribuição; 9 Colaboração da indústria do vestuário para impulsionar uma mudança sistêmica, com o objetivo de atingir o descarte zero de químicos perigosos até 2020.
  27. 27. 27 - 5% de redução anual na emissão de gases de efeito estufa por produto enviado das plantas próprias até 2020; - 20% de energia adquirida de fontes renováveis até 2020. Trabalha com a National Resources Defense Council em uma iniciativa para reduzir o impacto ambiental de fábricas têxteis da China, reduzindo o consumo energético, dentre outros.  Gestão de RH Consciente: Primeira companhia entre as 500 da revista Fortune a conceder benefícios relacionados à saúde aos empregados. Possui um código de conduta de negócios, aplicado aos empregados, que inclui os seguintes tópicos: conflitos de interesse, confidencialidade, oportunidades corporativas, compliance, entre outros. A LS&Co possui uma fundação sem fins lucrativos concebida para ajudar os empregados e aposentados em dificuldades financeiras, a Red Tab Foundation.  Lojas Ecoeficientes: Não há ações específicas divulgadas com relação ao tema, apenas a meta de reduzir 25% da emissão de gases de efeito estufa até 2020 nas lojas.  Reciclagem / Reuso de Materiais ou Vestuário: Possui iniciativas de reuso e reciclagem de vestuário em parceria com outras organizações, com a coleta de roupas e sapatos em lojas e doação via correio pelos consumidores. As lojas possuem caixas de coleta e o consumidor recebe vouchers de desconto nas lojas participantes. Nos sites de ecommerce das marcas, o consumidor tem a possibilidade de imprimir uma etiqueta de frete grátis para doação de roupas e sapatos usados.  Engajamento com os Stakeholders: Possui ações de educação corporativa para os empregados com relação à conservação de água (Projeto WET – Water Education Training), com meta de atingir 100% de empregados treinados até 2020.
  28. 28. 28 Campanhas de sensibilização dos consumidores, como o quiz “Are you Ready to Come Clean” (Você está pronto para se tornar limpo?) e o programa de educação com relação à água “Don’t be a Drip” (Não seja uma goteira), disponíveis nos sites das marcas. Roupas com etiquetas contendo cuidados com o planeta, com mensagens como: “Lave menos, lave em água fria e doe quando não for mais necessário”. Manifesto do jeans sujo, no qual Chip Bergh – CEO da empresa - compartilha histórias sobre usar um par de calças jeans que nunca foi lavado durante um ano.  Projetos Sociais: A LS&Co possui parcerias para apoiar organizações em mais de 40 países, com o foco de educar trabalhadores de vestuário sobre HIV/AIDS, além de erradicar discriminação contra pessoas que possuem HIV e providenciar assistência àqueles mais vulneráveis à infecção. Encoraja empregados a apoiar organizações de caridade com seu tempo, talentos e dinheiro, oferecendo aos trabalhadores de tempo integral até 5 horas por mês de voluntariado em organizações de caridade de sua escolha. Anualmente, ocorre o Community day em maio, quando os empregados pelo mundo tiram um dia de folga do trabalho para se voluntariar em organizações sem fins lucrativos locais. A Levi Strauss Foundation, fundação corporativa da Levi Strauss & Co., foca em programas que reforçam os direitos dos trabalhadores e melhoram as condições de vida e trabalho das pessoas que elaboram os produtos Levi’s, apoiando organizações sem fins lucrativos locais, regionais e globais.  Inovações / Destaques: A LS&Co promoveu um estudo sobre o ciclo de vida de uma calça jeans em 2007, que revelou que o grande impacto em água e energia está concentrado em duas áreas: cultivo de algodão e uso do consumidor. Um novo estudo em 2015 mostrou que o cultivo do algodão (68%) e uso do consumidor (23%) continuam a ter o maior impacto no consumo de água (consumo total de 3.800 litros de água por calça). O uso do consumidor também é o responsável pelo maior impacto no uso de energia, representando 37% dos 33,4 kg de CO2 emitidos durante o ciclo de vida da calça jeans.
  29. 29. 29 Processo Water<LessTM , que reduz a quantidade de água utilizada no processo de acabamento em até 96%. Waste<LessTM , que utiliza em sua composição 20% de garrafas plásticas recicladas (em média 3 a 8 garrafas por calça). Coleção Levi’s® Wellthread™, que utiliza o processo Water<LessTM em sua confecção. Feitos 100% de algodão, os tecidos, linhas, bolsos e etiquetas são projetados para a reciclabilidade, pensando em um ciclo fechado. A coleção é manufaturada em fábricas onde estão sendo implementadas novas abordagens para melhorar as vidas dos trabalhadores, como programas que ajudam a promover a instrução financeira, saúde da mulher e bem estar familiar. 4.1.3 Patagônia a.) Apresentação da empresa Fundada em 1973 na Califórnia (Estados Unidos), vende roupas, calçados e acessórios para esportes ao ar livre e está presente em mais de 50 países ao redor do mundo. A empresa possui uma pequena rede de 95 lojas próprias localizadas em 15 países. Conta com cerca de 2.000 funcionários. b.) Missão e valores Missão: Fazer os melhores produtos, causando o mínimo impacto, usando os negócios para inspirar e implementar soluções para a crise ambiental. Plano estratégico financeiro aliado à sustentabilidade e inovação como fator primordial de tomada de decisões da empresa. Apontada como uma das empresas mais inovadoras do mundo, a marca faz enorme sucesso sugerindo para seus consumidores que comprem pouco, incluindo seus próprios produtos. Tem por filosofia que “o consumo excessivo faz mal ao planeta. E se faz mal ao planeta, é ruim para a empresa também”. A Patagonia se tornou o símbolo máximo do chamado “capitalismo consciente”: conceito baseado na ideia de que a contribuição das empresas para a sociedade deve ir além do lucro. Utiliza intensamente sua voz como empresa de referência em práticas sustentáveis para
  30. 30. 30 incentivar mudanças sistêmicas no meio empresarial. Possui um fundo próprio para investir em startups10 que compartilhem a mesma visão. c.) Principais ações de sustentabilidade Possui certificado B Corp, fornecido pela organização sem fins lucrativos Lab B, por atender a padrões rigorosos de desempenho social, ambiental, responsabilidade e transparência. Destina 1% de sua receita ou 10% do lucro, o que for maior, para grupos de proteção do meio ambiente. A empresa já doou mais de US$ 55 milhões a 1.200 organizações. A empresa reporta suas ações por meio de informações disponibilizadas na internet, relatório de iniciativas socioambientais e relatórios anuais.  Matérias Primas Conscientes: Sempre que possível, a Patagonia utiliza materiais que causam menores danos ambientais como: fibras naturais, cânhamo, algodão orgânico, Tencel®, Yulex®11 , fibras recicladas, nylon reciclado, poliéster reciclado, algodão recuperado e lã reciclada. Desenvolveu um novo traje de surfe quente, flexível e ambientalmente correto, feito de fibras naturais, que se tornou uma opção sustentável em relação ao popular neoprene. Em 1996, trocou toda sua linha de vestuário de algodão normal para algodão orgânico. A Patagonia é um membro fundador da Organic Exchange, uma organização sem fins lucrativos, formada em 2002 para aumentar as vendas globais de vestuários de algodão e têxteis orgânicos.  Certificação de Fornecedor: A Patagonia possui processos e parcerias com entidades certificadoras, para fiscalização de todo o processo da cadeia produtiva de seus fornecedores e própria. A bluesign® Technologies audita o uso da água, energia e química dos parceiros da cadeia de fornecimento da Patagônia, ajudando-os a alcançar uma melhoria ambiental contínua a longo prazo. 10 Empresa nova, até mesmo embrionária ou ainda em fase de constituição, que conta com projetos promissores, ligados à pesquisa, investigação e desenvolvimento de ideias inovadoras. 11 Material feito a partir de borracha natural, extraída de seringueiras manejadas conforme padrões FSC (Forest Stewardship Council).
  31. 31. 31 Em 2010, a Patagonia fundou, em conjunto com o Walmart, a Aliança para Roupas Sustentáveis. Com o apoio desse grupo, foram criados indicadores para as empresas identificarem onde estão os maiores impactos ao longo de sua cadeia de produção. A Patagonia rastreia as práticas socioambientais de mais de 300.000 varejistas e fabricantes do setor — ou 40% do mercado têxtil mundial. A Patagonia possui um fundo de investimento, o 20 Million and Change, que tem investido em empresas que estão desenvolvendo inovações para diminuir o impacto ambiental, especialmente da cadeia de suprimentos. A empresa desenvolveu o programa the Chemical and Environmental Impacts Program, com a finalidade de gerir produtos químicos e impactos ambientais na cadeia de fornecimento global. O programa abrange todas as áreas de sistemas de gestão ambiental, gestão de produtos químicos, gestão de resíduos, uso da água e as emissões, uso de energia, gases de efeito estufa e outras emissões atmosféricas.  Atenção ao Manejo Químico: Trabalha em conjunto com a bluesign® Technologies, para auxiliar na gestão dos produtos químicos, corantes e acabamentos que são usados nos produtos. Possui o programa The Chemical and Environmental Impacts Program, com a finalidade de gerir produtos químicos, dentre outros.  Gestão Hídrica: Possui o programa The Chemical and Environmental Impacts Program, com a finalidade de gerir impactos ambientais na cadeia de fornecimento global, como o uso da água, dentre outros.  Gestão de Resíduos Sólidos: Possui o programa The Chemical and Environmental Impacts Program, com a finalidade de gerir impactos ambientais na cadeia de fornecimento global, como a gestão de resíduos, dentre outros.  Gestão Energética / Gases de Efeito Estufa:
  32. 32. 32 A empresa possui processos de fiscalização junto a entidades certificadoras, com o intuito de minimizar as gerações de gases de efeito estufa em toda a cadeia produtiva. Utiliza energia renovável (energia solar) na sede da empresa, em Ventura, na costa da Califórnia. A Patagonia possui o programa Drive-less, que fornece um incentivo monetário para os funcionários à carona, andar de bicicleta, skate e transporte público. Possui o programa The Chemical and Environmental Impacts Program, com a finalidade de gerir impactos ambientais na cadeia de fornecimento global, como o uso de energia, gases de efeito estufa e outras emissões atmosféricas. A empresa investe na durabilidade de seus produtos, o que representa uma economia substancial em matérias-primas e de energia, que seriam necessários para fazer um maior número de produtos de vida mais curta. Fazem medição constante de emissões de CO2 (pegada de carbono) e utilizam energias renováveis em suas lojas, escritórios e centros de distribuição.  Gestão de RH Consciente: Foi uma das primeiras empresas americanas a oferecer aos funcionários licença- maternidade e paternidade. Foi uma das primeiras empresas americanas a ter creche no local de trabalho. Seus funcionários podem ir trabalhar de bermuda e chinelo e têm horários flexíveis.  Lojas Ecoeficientes: A empresa utiliza energia renovável em suas lojas. Incentiva a utilização e melhoria de edifícios existentes, em vez de construir novos. Quando não é possível, projeta os edifícios com uso de materiais de construção e luminárias ambientalmente conscientes, sendo construídos para durar.  Reciclagem / Reuso de Materiais ou Vestuário: A empresa preza pelo uso racional dos recursos naturais, utilizando os preceitos de reaproveitamento e reciclagem em toda sua cadeia de produção.
  33. 33. 33 A Patagonia desenvolveu uma nova tecnologia, que permitiu a fabricação do revestimento das jaquetas a partir de garrafas descartáveis. A marca aceita a responsabilidade por produto, tendo como política a troca ou o concerto de qualquer produto em caso de defeito e desgaste, sem custo. Inclui também qualquer produto de outra marca. A empresa montou uma estrutura para receber de volta roupas velhas e gastas da marca, que são então enviadas para recicladores, em muitos casos, em outros países. Aproximadamente 47 toneladas de roupas foram devolvidas à empresa desde então e a sua reciclagem deu origem a mais de 35 toneladas de vestimentas novas. Possui várias práticas implantadas no conceito de economia circular como, por exemplo, o desenvolvimento da reciclagem química para reutilização de fibras dos tecidos.  Engajamento com os Stakeholders: A empresa promove campanhas para o consumo consciente e recuperação de produtos já adquiridos. A Patagonia possui um sistema para devolução de produtos pelos clientes, para reparação, substituição ou reembolso. Possui o programa ambiental Worm Wear, concebido para reduzir a pegada de produtos Patagonia e incentivar os consumidores a mudar seu relacionamento com os produtos. O programa visa o concerto de equipamentos e reciclagem de roupas. A empresa promove uma série de festas pelos Estados Unidos para que as pessoas celebrem aquilo que já possuem. Junto das festas, promove workshops organizados pela IFIXIT, para ensinar os clientes a concertarem os seus próprios equipamentos esportivos.  Projetos Sociais: A empresa Patagonia tem suas ações focadas no meio ambiente, participa de vários programas na Califórnia e ao redor do mundo, em prol de ações que visam a preservação e restauração da natureza. Mesmo em suas participações no âmbito social o objetivo final sempre é envolver comunidades, produtores e consumidores para diminuir o impacto ambiental dos produtos e processos. Ações sociais que a empresa atua fortemente são direcionadas aos consumidores com o objetivo de incentiva-los e ensina-los a reparar materiais e criar uma corrente de doações de roupas usadas; fazem isso através de campanhas e workshops oferecidos para a comunidade.
  34. 34. 34 Fazem doações em dinheiro e bens para organizações sem fins lucrativos que trabalham para proteger o meio ambiente e educar as pessoas para reduzir seus impactos sobre a natureza. Apoiam eventos populares e doam vestuários para ajudar pessoas que estão empenhadas em se dedicar a pratica de surf, snowboard, esqui, escalada, alpinismo e corridas de trilha. A empresa oferece aos funcionários de todas as operações em todo o mundo uma série de oportunidades interessantes para apoiar o trabalho ambiental.  Inovações / Destaques: O maior trunfo da Patagonia foi ter antecipado um estilo de vida mais natural, em defesa do planeta, quando ninguém pensava em aquecimento global ou reciclagem de materiais. Campanha na Black Friday: “Não compre esta jaqueta”. O anúncio foi complementado com o seguinte texto: REDUZA. Nós fazemos produtos que duram muito tempo, assim, não compre aquilo que não precisa. RECUPERE. Nós o ajudamos a recuperar seu produto PATAGONIA, se prometer que irá consertá-lo quando estiver danificado. REUSE. Nós o ajudamos a encontrar um novo lar para o seu produto que não mais precise caso tenha interesse em vendê-lo ou passá-lo adiante. RECICLE. Nós buscaremos seu produto que está inutilizado se prometer que irá deixá-lo longe de um aterro sanitário ou incinerador. No mesmo anúncio, era explicado quanto de impacto ambiental a produção daquela jaqueta causava: quantos litros de água eram necessários, a quantidade de emissões de carbono, quanto de lixo ela produzia — mesmo sendo fabricada da maneira mais sustentável possível. Campanha: “Celebre as coisas que você já tem”. A campanha consiste em histórias de pessoas contadas a partir de peças de roupa da marca que as acompanham há muito tempo, ilustradas com fotos que traduzem o mesmo conceito como, por exemplo, uma jaqueta infantil que tem em sua etiqueta os sete nomes das crianças a quem ela já pertenceu. A empresa adota como plano estratégico principal a venda de produtos de alta durabilidade e confiabilidade, para que seus clientes não precisem comprar roupas novas por um bom tempo. Essa estratégia, que para o sistema capitalista de hoje pode parecer inviável, tem dado bons resultados financeiros para a empresa, superando a casa do meio bilhão de dólares.  Pontos Conflitantes / Negativos:
  35. 35. 35 A empresa Patagonia é pioneira dentro do setor de vestuários na maioria das ações em prol da sustentabilidade. Por ser uma empresa que possui um público alvo bem restrito, que são os atletas de esportes radicais ao ar livre, e por não ser regida pelos valores do capitalismo de gerar o máximo de lucro ao menor custo, faz dela uma empresa exemplo, e com ações ambientais bem focadas e eficazes. Uma empresa perfeita em ações ambientalmente corretas não existe, mas existem empresas que tem o valor de sustentabilidade implantada no seu DNA e se mobiliza na melhor forma possível para sempre otimizar seus meios de produção e produtos oferecidos, neste cenário que se enquadra a Patagonia. Uma questão que poderia ser melhorada, é com relação a participação em projetos sociais em que a empresa não foca suas ações ou não as divulga tão claramente como faz com as suas ações ambientais. 4.1.4 Renner a.) Apresentação da empresa Com sede em Porto Alegre (RS), a Companhia Lojas Renner S.A. foi constituída em 1965 e é a maior varejista de moda em faturamento no Brasil. Conta com uma estrutura formada por 275 lojas, distribuídas em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, 17.869 colaboradores e, aproximadamente, 1.429 fornecedores diretos para o atendimento de milhares de clientes. Em 2005, sua principal acionista na ocasião, a J.C. Penney Brazil, decidiu vender o controle da companhia por meio da oferta pública de ações na Bolsa de Valores de São Paulo, colocando aproximadamente 100% de suas ações em circulação. b.) Missão e valores Possui como missão ser a melhor e maior varejista de moda das Américas para o segmento médio/alto dos consumidores com diferentes estilos, sempre com moda, qualidade, preços competitivos e excelência nos serviços prestados. Encantamento e inovação são seu foco, sempre de forma sustentável. Filosofia de Encantamento - não basta satisfazer, mas superar as expectativas dos clientes. Slogan - “Você tem seu estilo. A Renner tem todos”.
  36. 36. 36 Possui como valores empresariais: encantamento do cliente; negócios movidos por persistência, criatividade, otimismo e proximidade com o mercado; colaboradores com paixão pelo que fazem; perpetuação da marca por meio de atitudes e exemplos; obstinação por resultados excepcionais; altos níveis de qualidade; negócios e atitudes pautados por princípios de sustentabilidade. c.) Principais ações de sustentabilidade Apenas em 2013 a Companhia passou a considerar o conceito de sustentabilidade como valor empresarial, afirmando buscar “além dos resultados financeiros, o desenvolvimento social e a redução dos impactos ambientais, sempre atuando dentro das melhores práticas de governança corporativa”. Desde então, a empresa conta com um Comitê de Sustentabilidade, bem como uma Politica de Sustentabilidade, buscando aprimorar suas práticas de gestão socioambiental, com o intuito de atender às exigências das consumidoras. A empresa reporta suas ações por meio de informações disponibilizadas na internet e relatórios anuais.  Matérias Primas Conscientes: Possui uma linha de produtos de beleza (Alchemia Bio) com embalagens produzidas com papel certificado (FSC) e itens formulados a partir de ativos naturais, compostos por materiais biodegradáveis e sem derivados de petróleo. Não há ações divulgadas com relação às matérias primas utilizadas na confecção das roupas comercializadas pela empresa.  Certificação de Fornecedor: A Renner conta com duas áreas para lidar com a cadeia de fornecedores: a área de gestão de fornecedores de revenda (fornecedores de produtos comercializados em lojas) e a área de gestão de fornecedores administrativos (demais fornecedores). Possui como instrumentos a política de relacionamento com fornecedores, que formaliza os princípios e as diretrizes estabelecidos em seu código de ética, bem como programas de engajamento e sensibilização, como o Programa Crescendo juntos, que promove a melhoria contínua dos fornecedores por meio da troca de experiências e disseminação de boas práticas.
  37. 37. 37 Além disso, executa o monitoramento e avaliação de fornecedores, através de visitas técnicas e auditorias. O desempenho de seus fornecedores estratégicos é avaliado por meio do Indicador de Desempenho Global de Fornecedores (IDGF), o qual considera questões comerciais, técnicas, de relacionamento e de responsabilidade social. Possui 100% dos fornecedores de revenda têxteis e subcontratados certificados pela ABVTEX, entidade que verifica a aderência dos fornecedores e seus subcontratados aos critérios e requisitos de Responsabilidade Social. Em 2013, a Renner aderiu ao Pacto de Erradicação do Trabalho Escravo e Pacto Global. Desde 2013, a Companhia conta com o Projeto Sustentabilidade na Cadeia do Jeans, que visa o desenvolvimento dos fornecedores do setor têxtil dentro dos pilares da Sustentabilidade. Em 2014, o projeto atendeu a três fornecedores, que se propuseram a implementar o plano de ação de melhorias proposto. Dentre os benefícios alcançados pelos fornecedores, destacam-se: a redução de custos com iluminação, a identificação e redução de desperdícios por meio da gestão de indicadores (principalmente de matéria- prima), o desenvolvimento de projeto para reuso de água, a geração de receita com a comercialização de resíduos recicláveis, entre outros. Há intenção de estender o projeto a outros fornecedores da cadeia do jeans.  Atenção ao Manejo Químico: Não há ações específicas divulgadas com relação ao tema.  Gestão Hídrica: Não há ações específicas divulgadas com relação ao tema.  Gestão de Resíduos Sólidos: Desde 2010, a Renner possui o Programa de Gestão de Resíduos Sólidos, operacionalizado através de logística reversa – os mesmos caminhões que vão dos Centros de Distribuição (CDs) às lojas, carregados de produtos, voltam aos CDs com os resíduos gerados pelas unidades – onde é feita triagem e dada a devida destinação final. O principal projeto do programa é o Projeto EcoEstilo, que visa o descarte dos resíduos de perfumaria e beleza, comprados ou não na Renner, em coletores apropriados, disponíveis em todas as lojas na área de perfumaria.  Gestão Energética / Gases de Efeito Estufa: Desde 2010, a Renner realiza o inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), para quantificar e gerenciar suas emissões, publicando-o na plataforma do Programa Brasileiro
  38. 38. 38 GHG Protocol. Reporta, ainda, à organização internacional CDP - Carbon Disclosure Project, suas ações relacionadas ao tema mudanças climáticas.  Gestão de RH Consciente: A gestão de pessoas na Renner visa atrair e manter os melhores talentos, buscando estimular o potencial dos colaboradores para o desenvolvimento de sua carreira. Para alcançar esse objetivo, a Renner busca promover um ambiente em que o colaborador se sinta valorizado e reconhecido, sendo disponibilizados diversos canais de comunicação interna que propiciam alto nível de informação e integração, assim como capacitações para o desenvolvimento de competências individuais. Há mais de 20 anos, a Renner realiza a pesquisa anual de engajamento junto a todos os colaboradores que quiserem participar, de maneira voluntária e anônima, por meio de plataforma online. O índice de engajamento dos colaboradores da Renner ultrapassa a marca de 70%.  Lojas Ecoeficientes: Em 2014, a Renner inaugurou a primeira loja sustentável da empresa, no Riomar Shopping Fortaleza (CE). Nessa loja, há coleta seletiva, 70% das luminárias são em LED, foi reduzido o consumo de energia e água (em 20% e 60%, respectivamente), assim como foram usadas madeiras recicladas e equipamentos com alta eficiência energética. Em 2015, esta loja ganhou a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) na categoria Gold. O aprendizado obtido com a certificação LEED levou a Renner a incorporar as boas práticas na construção ou reforma de suas lojas, procurando minimizar os impactos ambientais advindos das obras.  Reciclagem / Reuso de Materiais ou Vestuário: A Renner promove a triagem do mobiliário e manequins de lojas em reforma e outras lojas da região, permitindo o reaproveitamento dos equipamentos em melhor estado.  Engajamento com os Stakeholders: A cada dois anos, a Lojas Renner realiza um Painel de Consulta sobre os temas críticos do negócio relacionados a questões de sustentabilidade com seus principais públicos de relacionamento. São consultados clientes, colaboradores, fornecedores, organizações não-
  39. 39. 39 governamentais, acionistas e analistas de mercado, formadores de opinião, associações e governos. A Lojas Renner utiliza-se de propaganda, marketing direto, das relações públicas, do relacionamento com a imprensa, da presença na internet, em Redes Sociais, de patrocínios e de eventos culturais e de moda, para ir até clientes e marcar presença alinhada ao posicionamento da marca. Visando a transparência e o respeito a todos os públicos, a companhia criou canais específicos para denúncias relacionadas a não conformidades éticas, legais, contábeis e não contábeis. Qualquer pessoa pode fazer uma denúncia anônima por telefone, correspondência ou e-mail com garantia de confidencialidade. Anualmente, a Companhia divulga seus resultados ao mercado por meio do seu Relatório Anual e outros documentos que se encontram no site de Relações com Investidores.  Projetos Sociais: A instituição Renner, organização da sociedade civil de interesse público, figura jurídica distinta da Lojas Renner, é responsável por gerir o Investimento Social Privado da Companhia. Investe em projetos executados por organizações sociais voltados à Educação e Formação Profissional, Empreendedorismo e Geração de Emprego e Renda para mulheres em situação de vulnerabilidade. Fundado em 2008, já apoiou 496 projetos e conta com mais de 100 mil pessoas beneficiadas. Além de promover a igualdade entre os gêneros e o empoderamento das mulheres, o Instituto também trabalha em dois outros focos, paralelos e complementares ao empoderamento da mulher: a formação de jovens e o desenvolvimento de comunidades. A Lojas Renner incentiva o voluntariado entre seus funcionários no Instituto, permitindo a realização de atividades como parte do horário de trabalho, até quatro horas por mês (“Estilo solidário”). Vale ressaltar também o Projeto mais eu que, desde 2008, arrecada anualmente recursos ao Instituto. A arrecadação se dá durante os 4 dias após o Dia dos Pais, quando 5% das vendas líquidas da Renner, isentas de impostos, são repassadas ao Instituto para o investimento em projetos sociais selecionados bem como em outros dois programas do instituto: Escola de costura (capacitação de mulheres em costura industrial) e Escola de Varejo (profissionalização de jovens em situação de vulnerabilidade para o mercado de trabalho). Em sete edições, já foram arrecadados pela Campanha Mais Eu mais de R$ 8,1 milhões, que foram aplicados em 155 projetos em todas as regiões do país, beneficiando mais de 10 mil
  40. 40. 40 mulheres. Os recursos para financiamento dos projetos do Instituto são provenientes da Campanha Mais Eu, da Renner, de incentivos fiscais e de recursos próprios do orçamento da Renner.  Inovações / Destaques: A empresa foi a primeira a medir a satisfação dos clientes na porta das suas lojas, ao criar, em 1996, o Encantômetro. O site da Renner é adaptado para garantir a acessibilidade de pessoas com deficiências visuais e de movimentos. Ao clicar em um ícone específico na página inicial, o internauta pode fazer o download do navegador Essential Accessibility TM , que substitui o mouse e o teclado por meio de recursos como o sistema hands-free de rastreamento de movimento, o auto clique e o escaneamento automático de links. Esse aplicativo facilita a navegação e o acesso para milhares de brasileiros com dificuldade de leitura, digitação ou de movimentação do mouse. A Lojas Renner S.A. foi selecionada para compor a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBOVESPA de 2015.  Pontos Conflitantes / Negativos: Apesar de todas as iniciativas, todavia, em fins de 2014 a Renner esteve envolvida em autuação referente à identificação de trabalho análogo ao escravo na fabricação de suas roupas, no bairro paulistano do Tremembé. Na ocasião, 37 funcionários bolivianos que viviam em condições degradantes, trabalhavam jornadas exaustivas, eram remunerados por produção e sofriam violência psicológica, verbal e física foram resgatados. 4.1.5 Riachuelo a.) Apresentação da empresa Em 1947, a Riachuelo iniciou suas atividades em Natal (RN), com pequenas lojas de rua, vendendo tecidos a preços baixos. Em 1979, a rede de lojas de tecidos foi comprada pelo grupo Guararapes, passando a vender roupas prontas para serem usadas. Atualmente, conta com 289 lojas distribuídas por todo o Brasil, dois parques industriais e 40.000 funcionários. b.) Missão, visão e valores
  41. 41. 41 A empresa possui foco na "moda ao alcance de todos". Proposta de democratização da moda, oferecendo aos clientes de todo Brasil peças com design a preços acessíveis.  Trabalha com o conceito fast fashion, que consiste na rápida produção e distribuição de coleções.  Missão: proporcionar, a cada vez mais pessoas, as condições de se expressar através da Moda.  Visão: liderar o mercado nacional de moda, em um cenário predominantemente formal.  Valores: Ética e Respeito; Solidez Financeira; Austeridade Administrativa; Meritocracia; Aperfeiçoamento Constante; Responsabilidade Social; Servir ao Cliente; Governança Corporativa; Atitude Vendedora. c.) Principais ações de sustentabilidade A Companhia busca atender aos requisitos legais aplicáveis às suas atividades, garantindo assim a obtenção regular de todas as licenças necessárias e exigidas pelos órgãos responsáveis. A empresa reporta suas ações por meio de informações disponibilizadas na internet e relatórios anuais.  Matérias Primas Conscientes: A empresa afirma buscar ganho de eficiência e competitividade priorizando o desenvolvimento e a confecção de seus produtos através de processos e matérias-primas favoráveis ao meio-ambiente, porém não há ações específicas divulgadas com relação ao tema.  Certificação de Fornecedor: A empresa conta com uma área de Relacionamento com Fornecedores, que é responsável por auditar todos os fornecedores e exigir que tenham a Certificação e Qualificação da ABVTEX. Procura, dessa forma, garantir que não serão estabelecidas relações comerciais com fornecedores que se utilizem de trabalho infantil ou análogo ao escravo.  Atenção ao Manejo Químico: Não há ações específicas divulgadas com relação ao tema.
  42. 42. 42  Gestão Hídrica: Nas fábricas localizadas em Natal (RN), a água utilizada nos processos de tingimento das peças é tratada antes do seu retorno ao meio ambiente, eliminando todos os componentes químicos prejudiciais. A fábrica em Fortaleza (CE) possui uma pequena estação de tratamento de água, que prepara a água para sua reutilização em novos processos de tingimento das peças. Recebeu um prêmio da R20 - Regions of Climate Action, pelo trabalho de tratamento da água nos parques fabris.  Gestão de Resíduos Sólidos: A empresa possui um plano de gestão de geração de resíduos, para o descarte adequado dos mesmos. As sacolas distribuídas nas lojas são oxibiodegradáveis, que se decompõem em três meses, se expostas ao sol e calor, ou em até 18 meses, caso acondicionadas fora dessas condições. A empresa afirma ter ações nas fábricas de Natal (RN) e Fortaleza (CE) para reutilização de resíduos sólidos, porém estas não foram divulgadas.  Gestão Energética / Gases de Efeito Estufa: A empresa afirma possuir ações que visem à redução das emissões de gases de efeito estufa no funcionamento das fábricas, porém estas não foram divulgadas. Também não há ações específicas divulgadas com relação a ações para redução de gases de efeito estufa, no transporte de mercadorias da empresa.  Gestão de RH Consciente: A Riachuelo possui o Programa PcD, em que são oferecidas vagas de trabalho para portadores de deficiência, e o Programa Jovem Aprendiz, que dá oportunidade de crescimento pessoal e profissional para os jovens.  Lojas Ecoeficientes: A loja de Ipanema é a primeira em processo de certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design). Entre as principais iniciativas sustentáveis, estão a instalação de
  43. 43. 43 sistema de reuso de águas pluviais, implantação de telhado verde e a utilização de iluminação em LED. Possui em seu plano de negócios a implantação de lojas compactas.  Reciclagem / Reuso de Materiais ou Vestuário: Não há ações específicas divulgadas com relação ao tema.  Engajamento com os Stakeholders: Possui canal de comunicação do cliente (SAC), via site ou telefone. Possui em seu código de ética a premissa de atender os clientes com cordialidade, agilidade, eficiência, respeito e ética, fornecendo informações claras e precisas às suas solicitações e reclamações. A empresa recebeu o selo referente ao Troféu Transparência ANEFAC 2014. A empresa não possui relatório de sustentabilidade nem definição de indicadores e ferramentas claras de sustentabilidade dos seus processos, integrado ao plano de negócios da empresa.  Projetos Sociais: No âmbito da responsabilidade social, auxilia a comunidade com trabalhos sociais, inclusive incentivando e criando condições para que seus colaboradores desenvolvam e participem de ações voluntárias. A empresa participa do programa Teleton, tendo doado cerca de R$7 milhões de reais em oito anos. Para a Casa Hope, foram destinados R$200 mil reais em 2014, além de colaborar com o programa "Adote um Leito" e com as campanhas de bazares para arrecadar fundos. Em 2014, a Riachuelo inaugurou seu primeiro Centro Cultural em Natal (RN). Fundado em parceria com o Serviço Social da Indústria (SESI-RN), o Centro tem como objetivo promover ações de educação continuada nas áreas de saúde, cultura, lazer e educação para os trabalhadores, com acesso a filmes, livros, periódicos e cursos a distância.  Inovações / Destaques:
  44. 44. 44 Para o desenvolvimento do conceito “fast fashion”, a Riachuelo possui um Departamento de Estilo, que busca a conciliação das necessidades momentâneas do varejo e as possiblidades da fábrica. Foram criadas também as Pequenas Unidades de Produção (PUPs), que são núcleos de costureiras formados para desenvolver a chamada "modinha" - um trabalho muito mais especializado e em menor escala - mas que consegue entregar moda de forma mais rápida às lojas.  Pontos Conflitantes / Negativos: O grupo Riachuelo foi condenado a pagar pensão vitalícia a uma de suas ex-funcionárias em uma ação que revela as precárias condições de trabalho impostas às costureiras, que produzem para as grandes marcas da moda. A condenação descreve um ambiente de trabalho em que a exigência de metas de produção ocorria mediante abusos físicos e psicológicos. Este caso revela problemas do sistema “Fast Fashion”, que piora as condições de trabalho no setor. 4.1.6 Zara a.) Apresentação da empresa A Zara é uma varejista de roupas fundada em 1975, na Espanha. Pertence a Inditex, um dos maiores grupos de distribuição do mundo, com mais de 150.000 empregados e detentora das marcas Pull&Bear, Massimo Dutti, Bershka, Stradivarius, Oysho, Zara Home and Uterqüe. A Zara possui cerca de 2.100 lojas em 88 países. b.) Visão e valores O cliente é o centro de seu modelo de negócios, que integra os processos de desenho, fabrico, distribuição e venda, através de uma ampla rede de lojas própria. A Zara está comprometida em satisfazer os desejos de seus consumidores, fornecendo novos designs feitos com materiais de qualidade a preços acessíveis. Missão: Por meio do modelo de negócios, pretende contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade e do meio ambiente com o qual interage. Abordagens: fast fashion, criatividade, flexibilidade, design de qualidade e alta reatividade orientada para o mercado. Publicidade mínima, localizações privilegiadas e vitrines atrativas. c.) Principais ações de sustentabilidade
  45. 45. 45 O grupo Inditex adotou o caminho para a sustentabilidade proposto pelas Nações Unidas, incluindo as 17 metas para o desenvolvimento sustentável e seus objetivos para toda a companhia, dando destaque a certos princípios especialmente relevantes para a empresa, dado o tipo de indústria, contexto e modelo de negócio. O grupo reporta suas ações por meio de relatórios de sustentabilidade, elaborados de acordo com as orientações da GRI – Global Reporting Iniciative.  Matérias Primas Conscientes: A Zara utiliza em suas coleções algodão orgânico, algodão sustentável da Better Cotton Initiative, algodão reciclado, Tencel® e tecidos reciclados. Seus produtos mais sustentáveis são rotulados sob o nome Join Life, feitos com materiais como algodão orgânico, lã reciclada e Tencel®. Em parceria com a companhia Lenzing, a Zara colabora para o desenvolvimento de projetos para fibras recicladas. Possui políticas para que os produtos de origem animal se originem de locais onde os animais são tratados de forma ética e responsável. Trabalha com a coalisão de proteção dos animais Fur Free Alliance e seu programa Fur Free Retailer para prevenir exploração animal. A empresa trabalha com fabricantes de rayon e viscose, com a ONG Canopy e com outras companhias do setor têxtil para garantir que florestas antigas e protegidas sejam respeitadas durante a produção de fibras provenientes da madeira.  Certificação de Fornecedor: Para garantir que a cadeia de produção inteira respeita as condições de trabalho dos trabalhadores, níveis de segurança dos produtos e o meio ambiente, a Zara possui um sistema que permite saber onde e como todos os produtos foram cortados, tingidos, lavados e produzidos. Para garantir a conformidade com o Código de conduta, é feito o monitoramento contínuo de fornecedores e fabricantes, com a realização de avaliações e estabelecimento de planos de melhorias. Em 2015, foram feitas mais de 10.900 auditorias em fornecedores, por meio de auditores internos e externos. Quando um fornecedor não cumpre o plano de ação para corrigir um problema identificado, a Zara para de trabalhar com o mesmo definitivamente.
  46. 46. 46 Mais de 60% das fábricas estão localizadas na Europa e países vizinhos, como Espanha, Portugal, Turquia e Marrocos. A empresa trabalha com várias organizações para proteger os direitos trabalhistas e cuidar do meio ambiente: IndustriALL Global Union (para liberdade de associação e negociação coletiva), International Labour Organisation (Programa Better Work, criado para melhorar os processos de produção) e Ethical Trading Initiative (para melhoria das condições de trabalho). Faz parte ainda do programa Global Compact das Nações Unidas, onde organizações empreendem para desenvolver e adotar 10 princípios relacionados às áreas de humanas, boas práticas corporativas, direitos trabalhistas e ambientais, e da aliança Sustainable Apparel Coalition, com o objetivo de criar uma ferramenta que permitirá avaliar e reduzir o impacto ambiental e social da indústria do vestuário e calçado.  Atenção ao Manejo Químico: A empresa possui programas para detectar e substituir certos processos e substâncias para atingir a máxima qualidade ambiental. O resultado dessa política é o The List (a Lista) da Inditex, programa global em parceria com a indústria química, com o objetivo de melhorar a qualidade do produto químico utilizado na fabricação de têxteis e artigos de couro e fazer melhorias contínuas na sua fabricação, para garantir peças de vestuário saudáveis e sustentáveis. Atualmente, a lista possui mais de 14.000 substâncias químicas analisadas e classificadas. Meta de atingir o descarte zero de produtos químicos perigosos até 2020. Possui também uma política para o descarte zero de perfluorcarbono (PFC), exigindo que seus fornecedores retirem todos os compostos de PFC dos processos de acabamento de seus produtos.  Gestão Hídrica: Trabalha junto a fornecedores, com a aplicação de medidas práticas para melhorar a gestão sustentável e eficiência das plantas de processo molhado com relação ao consumo de água e águas residuais, dentre outros.  Gestão de Resíduos Sólidos: A empresa procura prolongar a vida de caixas, sacos, cabides e alarmes, os reusando até que sejam reciclados, reduzindo assim o volume de resíduos.
  47. 47. 47 Trabalha junto a fornecedores, com a aplicação de medidas práticas para melhorar a gestão sustentável e eficiência das plantas de processo molhado com relação aos resíduos, dentre outros.  Gestão Energética / Gases de Efeito Estufa: Trabalha junto a fornecedores, com a aplicação de medidas práticas para melhorar a gestão sustentável e eficiência das plantas de processo molhado com relação à energia, dentre outros. 84% da energia consumida no website da Zara (zara.com) vêm de fontes renováveis. Meta de atingir 100% de energia renovável nos servidores e escritórios em 2018 e reduzir o consumo de energia em 20% até 2020. Possui como meta que o website esteja livre de emissões de CO2 em 2018. Possui um centro de tecnologia na Espanha que consome 100% de energia limpa e foi premiado com uma certificação LEED pela organização US Green Building Council. Possui planos de investir em novas plantas de energia renovável para os escritórios centrais. Em 2015, iniciou a substituição de lâmpadas fluorescentes por LED em seus centros de distribuição e escritórios.  Gestão de RH Consciente: A empresa possui como política oferecer oportunidades iguais para todos os grupos, não tolerando qualquer forma de discriminação. Em 2015, foi concluído o processo de certificação OHSAS 18001 para todas as lojas e fábricas da Espanha. Possui iniciativas para promover a saúde de seus empregados, especialmente nas divisões de fábrica e logística.  Lojas Ecoeficientes: Atualmente, 50% das lojas da Zara são ecoeficientes, economizando aproximadamente 20% de energia e 50% de água. A iluminação, aquecimento e ar condicionado são ajustados para atender as necessidades da loja e controlar o consumo de energia.
  48. 48. 48 Possui como meta que todas as lojas sejam ecoeficientes até 2020.  Reciclagem / Reuso de Materiais ou Vestuário: Existem pontos de coleta de roupas usadas em lojas da Espanha, Portugal, Inglaterra, Irlanda, Holanda, Suécia e Dinamarca. A meta é expandir os pontos de coleta para todas as lojas do mundo em 3 anos. Também possui um serviço de coleta de roupas gratuito a domicílio na Espanha (via correio), para consumidores que fazem pedidos online. Todas as roupas coletadas são dadas a parceiros, que separam e classificam cada item de roupa de acordo com seu uso mais apropriado. Com a ajuda dessas organizações sem fins lucrativos, as roupas são recicladas, transformadas em novos tecidos, doadas ou vendidas para financiar seus projetos sociais. A Zara também doa o tecido extra ou sobras têxteis para produzir novas fibras recicladas. As caixas de papelão que chegam as lojas são utilizadas até 5 vezes antes de serem recicladas. Com o papelão reciclado, são produzidas novas caixas, que são usadas para enviar os pedidos online. Cerca de 56% dos pedidos online são entregues nas caixas feitas de papelão reciclado.  Engajamento com os Stakeholders: Promove o treinamento contínuo dos empregados em práticas mais sustentáveis como reuso, reciclagem e redução de consumo de energia e uso da água. Possui um manual de boas práticas ambientais, para os escritórios corporativos e subsidiárias, incluindo ações diárias e atividades que reduzem o impacto gerado nas instalações. Possui programas e treinamentos dedicados à formação ambiental, destinados aos empregados dos centros de distribuição e escritórios internacionais.  Projetos Sociais: O grupo Inditex possui um programa de investimento na comunidade (Community Investment Programme), que visa criar valor para a sociedade enquanto cria valor para o negócio. Em 2015, foram renovadas as parcerias com organizações como Médicins Sans Frontières (MSF), Entreculturas e Cáritas. Foram introduzidos novos projetos estratégicos com
  49. 49. 49 organizações sem fins lucrativos como a Water.org, China Youth Development Foundation e Every Mother Counts, entre outros. Também houve suporte para situações emergenciais, como a crise dos refugiados na Europa e o terremoto do Nepal. Os investimentos da Inditex em programas sociais em 2015 ultrapassaram os 35 milhões de euros, 36% a mais do que no ano anterior, impactando mais de 1 milhão de pessoas em 44 países, entre refugiados, estudantes, pessoas com necessidades médicas ou de treinamento profissional. Em 2015, o índice Dow Jones de sustentabilidade classificou a Inditex como líder do setor de varejo em cidadania corporativa e filantropia.  Inovações / Destaques: Em 2015, a empresa fez progressos em direção à economia circular com o projeto Closing the Loop, que possui como objetivo garantir que nenhum artigo têxtil usado acabe em aterros sanitários. O projeto começou com um piloto em 37 lojas da Zara em 5 países, onde foram colocados pontos específicos de coleta para roupas usadas. Universidades, fabricantes têxteis, empresas de reciclagem e do terceiro setor colaboraram com a iniciativa.  Pontos Conflitantes / Negativos: Em 2011, a Zara foi autuada por manter 15 trabalhadores bolivianos e peruanos em condição análoga à escravidão na atividade de costura. As oficinas subcontratadas pela marca, localizadas em São Paulo, receberam 52 autos de infração. Entre as irregularidades, foram constatadas jornada de trabalho excessiva, servidão por dívida e situação precária de higiene. Em 2015, a empresa foi novamente autuada pelo Ministério do Trabalho e Emprego por descumprir o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado em 2011, para corrigir as condições degradantes que caracterizaram trabalho escravo na cadeia produtiva da empresa. De acordo com a superintendência do órgão federal em São Paulo, uma auditoria com 67 fornecedores da marca mostrou 433 irregularidades em todo o país, como excesso da jornada de trabalho, atraso nos pagamentos, aumento dos acidentes, trabalho infantil, além de discriminação pela exclusão de imigrantes na produção, o que pode resultar em multa de mais de R$ 25 milhões. 4.2 Posicionamento da C&A em relação ao mercado Até 2015, a C&A possuía estratégias distintas relacionadas ao tema sustentabilidade para as regiões onde atua – Europa, Brasil, México e China.

×