Literatura | Aula 11 | Profª Maria Luiza |1ª série

860 visualizações

Publicada em

Literatura | Aula 11 | Profª Maria Luiza |1ª série

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
860
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
504
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Literatura | Aula 11 | Profª Maria Luiza |1ª série

  1. 1. LIVRO-TEXTO – PÁG 219 CADERNO DE EXERCÍCIOS – QUESTÕES 7 A 15, PÁG 91
  2. 2. *Luís Vaz de Camões, nasceu provavelmente em Lisboa (Portugal), por volta de 1524 e pertenceu a uma família da pequena nobreza, de origem galega.
  3. 3. *Dono de um estilo de vida boêmio, este escritor lusitano foi frequentador da Corte, viajou para o Oriente, esteve preso, passou por um naufrágio e terminou em miséria. Seus últimos anos de vida foram na mais completa pobreza. *A bagagem literária deixada pelo escritor é de inestimável valor literário. Ele escreveu poesias líricas e épicas, peças teatrais, sonetos que em sua maior parte são verdadeiras obras de arte.
  4. 4. Rimas Obra publicada postumamente. É um conjunto de poemas líricos divididos entre odes, elegias, éclogas e cantigas. A parte mais importante é formada por 204 sonetos.
  5. 5. Camões usou os sonetos para falar sobre vários temas, mas o amor foi o principal. Neles, o amor é tratado como algo contraditório, confuso e sem controle. Geralmente o amor machuca, faz sofrer. “É tudo quanto sinto um desconcerto Da alma um fogo me sai, da vista de um rio; Agora espero, agora desconfio, Agora desvario, agora acerto.”
  6. 6. *O verso é cada uma das linhas do poema. *O ritmo é constituído por uma alternância harmônica entre sílabas. *Estrofe é o conjunto de versos, como se fosse um parágrafo num texto. *Sílaba métrica é a quantidade de sílabas poéticas de um verso e são diferentes das sílabas gramaticais.
  7. 7. Amor é um fogo que arde sem se ver; É ferida que dói, e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer. É um não querer mais que bem querer; É um andar solitário entre a gente; É nunca contentar-se e contente; É um cuidar que ganha em se perder; É querer estar preso por vontade; É servir a quem vence, o vencedor; É ter com quem nos mata, lealdade. Mas como causar pode seu favor Nos corações humanos amizade, Se tão contrário a si é o mesmo Amor?
  8. 8. *Só se conta até a última sílaba tônica de cada verso. Todos estavam com saudade *Vogais iguais em sílabas separadas, viram uma só. A grande casa amarela (ca/sa/ma/re/la) *Duas sílabas, no interior de uma mesma palavra, que não formavam um ditongo, passam a formar e viram uma única sílaba “piedade (pi-e-da-de)= (pie-da-de)
  9. 9. Versos de uma, duas ou três sílabas métricas não são muito frequentes e geralmente aparecem com outra mais longas.
  10. 10. Versos de 8 sílabas métricas (Octossílabos) “Às vezes passo horas inteiras” Versos com 9 sílabas métricas “Minha Júlia, um conselho de amigo” Versos com 10 sílabas métricas (Decassílabos) “Mas, entanto que cegos e sedentos” Versos de 11 sílabas métricas “O gênio não pode, por grande que seja”
  11. 11. Geralmente a maior parte dos versos (ou todos) são formados por versos soltos, que não seguem a divisão métrica regular, ou seja, podem ter mais de 12 sílabas poéticas e não acompanhar rimas ou ritmo.
  12. 12. O esquema rimático é o esquema que revela de que forma a rima está combinada em cada estrofe. A indicação é feita por letras.

×