SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
OBSERVAÇÃO DE SERES VIVOS DE UMA INFUSÃO                               Bancada



Nome:___________________________________________ nº:____ turma:_____ 7º ano

INTRODUÇÃO

         A discussão sobre geração espontânea, no século XIX, envolvia
dois tipos de seres vivos: os "infusórios" (micro-organismos que pareciam
surgir espontaneamente em infusões de vegetais ou de animais) e os
vermes intestinais. Neste período não estava em discussão a
possibilidade de realizar experimentos sobre abiogênese –surgimento de
seres vivos a partir de matéria inorgânica – e sim sobre heterogenia – o
surgimento de um tipo de ser vivo a partir de outro ser vivo diferente.
Imaginava-se que a partir de matéria orgânica de seres mortos podiam
surgir espontaneamente infusórios e cogumelos; e que a partir de
matéria orgânica viva podiam surgir vermes, como as lombrigas e
solitárias.

PROBLEMATIZAÇÃO
1- Como se prepara um infusório?
2- Que tipos de seres vivos podemos encontrar em infusórios?
3- De onde surgiram os seres vivos encontrado nos infusórios?

PRÁTICA 1: PREPARAÇÃO DE UM INFUSÓRIO

Materiais:
    3 vidros de maionese pequenos, com tampa, bem limpinhos.
    água
    água coletada em vários locais (poça d'água, rio, aquário, lagoa, laguinhos de jardim,...)
    plantas aquáticas (encontradas em lojas de aquários)
    folhas de alface meio amareladas, de couve e capim, sem lavar
    Etiquetas
    Termômetro
    Máquina fotográfica

Procedimento
1- Etiquetar as tampas dos vidros com a água coletada que será utilizada.
2- Colocar as amostras de água que foram trazidas em seus respectivos frascos.
3-Acrescentar plantas aquáticas, folhas de alface, de couve ou capim.
4- Colocar os frascos em ambiente sem incidência direta de luz.
5- Verificar se a temperatura do local está entre 18 ºC e 21 ºC.
6- Observar a tonalidade da água, anotar e registar através de uma foto.
7- Aguardar a próxima aula.

Anotações:
Cor do frasco ___________________________________________________________________________
Cor do frasco ___________________________________________________________________________
Cor do frasco ___________________________________________________________________________
PRÁTICA 2: PREPARAÇÃO DE LÂMINAS E OBSERVAÇÃO DO CONTEÚDO
Materiais:
    goma-arábica ou cola transparente
    conta-gotas
OBSERVAÇÃO DE SERES VIVOS DE UMA INFUSÃO                                 Bancada

       lâminas
       lamínulas
       microscópio óptico

Procedimento
1- Comparar a cor de cada um dos frascos com as anotações e fotografia feitas na
aula anterior. Fotografar de novo, para outras comparações que serão feitas.
2- Com o auxílio do conta-gotas, pingar 2 gotas do líquido superficial dos infusórios
em lâminas diferentes e cobrir com uma lamínula.


                       3- Observar ao microscópio, com a objetiva de menor alcance, a princípio.
                       4- Se alguns estiverem se locomovendo rápido, prepare outra lâmina. Nesta, coloque uma
                       gota de cola transparente e deixe secar. Depois, pingar 2 gotas da infusão sobre a cola seca,
                       cobrir com lamínula e observar ao microscópio.
                       5- Desenhar os micro-organismos e outros seres que foram vistos.

ATENÇÃO: Repetir os procedimentos, utilizando gotas da região no meio do líquido e depois do fundo do líquido.

CONCLUSÕES
1- Que argumentos seu grupo usaria para explicar o surgimento dos seres vivos que apareceram nos infusórios?
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
2- Havia alguma diferença entre os seres observados em cada região do líquido infusório? Quais?
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
DESAFIOS
1- A partir de todos os desenhos feitos pelo seu grupo, identificar os seres vivos observados, pesquisando em livros
ou na internet.
2- Organizar uma tabela com os seres vivos identificados, com as características relacionadas a cada um deles.

ATENÇÃO: REPETIR TODOS OS PROCEDIMENTOS NA PRÓXIMA AULA! VOCÊS FARÃO DESCOBERTAS INCRÍVEIS!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Recuperacao areas degradadas
Recuperacao areas degradadas Recuperacao areas degradadas
Recuperacao areas degradadas Alexandre Panerai
 
Planejamento de ciências 6º ano
Planejamento de ciências 6º anoPlanejamento de ciências 6º ano
Planejamento de ciências 6º anoAgenario Silva
 
Dados Sobre a Bacia Hidrográfica do Rio São Marcos
Dados Sobre a Bacia Hidrográfica do Rio São Marcos Dados Sobre a Bacia Hidrográfica do Rio São Marcos
Dados Sobre a Bacia Hidrográfica do Rio São Marcos Casa Rústica Web News
 
Plano de-aula-para-o-ensino-fundamental
Plano de-aula-para-o-ensino-fundamentalPlano de-aula-para-o-ensino-fundamental
Plano de-aula-para-o-ensino-fundamentalIsabelle Froner
 
Plano de ensino ciências
Plano de ensino   ciênciasPlano de ensino   ciências
Plano de ensino ciênciassimonclark
 
Carteirinha biblioteca do polo
Carteirinha biblioteca do poloCarteirinha biblioteca do polo
Carteirinha biblioteca do polouab
 
Projeto Óleo pela Natureza
Projeto Óleo pela NaturezaProjeto Óleo pela Natureza
Projeto Óleo pela NaturezaDiana Pilatti
 
Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...
Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...
Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...Danilo Max
 
Dia Mundial da Floresta
Dia Mundial da FlorestaDia Mundial da Floresta
Dia Mundial da FlorestaANDRÉA LEMOS
 
2ª Ata do Conselho de Administração do RPPS
2ª Ata  do Conselho de Administração do RPPS2ª Ata  do Conselho de Administração do RPPS
2ª Ata do Conselho de Administração do RPPScoletivofortalecer
 
CADERNO ACOLHIMENTO ENSINO FUNDAMENTAL FINAL.pdf
CADERNO ACOLHIMENTO ENSINO FUNDAMENTAL FINAL.pdfCADERNO ACOLHIMENTO ENSINO FUNDAMENTAL FINAL.pdf
CADERNO ACOLHIMENTO ENSINO FUNDAMENTAL FINAL.pdfCristianeLima441549
 
Diário de Bordo da Turma 1
Diário de Bordo da Turma 1Diário de Bordo da Turma 1
Diário de Bordo da Turma 1Edneiderosemery
 
Portfólio horta orgânica
Portfólio horta orgânicaPortfólio horta orgânica
Portfólio horta orgânicafranciele souza
 
A arte seringueira como recurso pedagógico no Ensino Fundamental.
A arte seringueira como recurso pedagógico no Ensino Fundamental.A arte seringueira como recurso pedagógico no Ensino Fundamental.
A arte seringueira como recurso pedagógico no Ensino Fundamental.Vis-UAB
 
Etapas do tratamento de água
Etapas do tratamento de águaEtapas do tratamento de água
Etapas do tratamento de águaGiullia Netto
 
Degradação do solo
Degradação do soloDegradação do solo
Degradação do solooneidew
 

Mais procurados (20)

Recuperacao areas degradadas
Recuperacao areas degradadas Recuperacao areas degradadas
Recuperacao areas degradadas
 
Planejamento de ciências 6º ano
Planejamento de ciências 6º anoPlanejamento de ciências 6º ano
Planejamento de ciências 6º ano
 
Dados Sobre a Bacia Hidrográfica do Rio São Marcos
Dados Sobre a Bacia Hidrográfica do Rio São Marcos Dados Sobre a Bacia Hidrográfica do Rio São Marcos
Dados Sobre a Bacia Hidrográfica do Rio São Marcos
 
Plano de-aula-para-o-ensino-fundamental
Plano de-aula-para-o-ensino-fundamentalPlano de-aula-para-o-ensino-fundamental
Plano de-aula-para-o-ensino-fundamental
 
Plano de ensino ciências
Plano de ensino   ciênciasPlano de ensino   ciências
Plano de ensino ciências
 
Carteirinha biblioteca do polo
Carteirinha biblioteca do poloCarteirinha biblioteca do polo
Carteirinha biblioteca do polo
 
Estações do ano
Estações do anoEstações do ano
Estações do ano
 
Powerpoint Solo
Powerpoint   SoloPowerpoint   Solo
Powerpoint Solo
 
Projeto Óleo pela Natureza
Projeto Óleo pela NaturezaProjeto Óleo pela Natureza
Projeto Óleo pela Natureza
 
Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...
Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...
Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...
 
Dia Mundial da Floresta
Dia Mundial da FlorestaDia Mundial da Floresta
Dia Mundial da Floresta
 
2ª Ata do Conselho de Administração do RPPS
2ª Ata  do Conselho de Administração do RPPS2ª Ata  do Conselho de Administração do RPPS
2ª Ata do Conselho de Administração do RPPS
 
Adimu6oano2010 port aluno
Adimu6oano2010 port alunoAdimu6oano2010 port aluno
Adimu6oano2010 port aluno
 
Trabalho tdp
Trabalho tdpTrabalho tdp
Trabalho tdp
 
CADERNO ACOLHIMENTO ENSINO FUNDAMENTAL FINAL.pdf
CADERNO ACOLHIMENTO ENSINO FUNDAMENTAL FINAL.pdfCADERNO ACOLHIMENTO ENSINO FUNDAMENTAL FINAL.pdf
CADERNO ACOLHIMENTO ENSINO FUNDAMENTAL FINAL.pdf
 
Diário de Bordo da Turma 1
Diário de Bordo da Turma 1Diário de Bordo da Turma 1
Diário de Bordo da Turma 1
 
Portfólio horta orgânica
Portfólio horta orgânicaPortfólio horta orgânica
Portfólio horta orgânica
 
A arte seringueira como recurso pedagógico no Ensino Fundamental.
A arte seringueira como recurso pedagógico no Ensino Fundamental.A arte seringueira como recurso pedagógico no Ensino Fundamental.
A arte seringueira como recurso pedagógico no Ensino Fundamental.
 
Etapas do tratamento de água
Etapas do tratamento de águaEtapas do tratamento de água
Etapas do tratamento de água
 
Degradação do solo
Degradação do soloDegradação do solo
Degradação do solo
 

Semelhante a Geração espontânea aula prática

Roteiro para aula pratica reino fungi maio 2014
Roteiro para  aula pratica   reino fungi  maio 2014Roteiro para  aula pratica   reino fungi  maio 2014
Roteiro para aula pratica reino fungi maio 2014Ionara Urrutia Moura
 
Biprospecção, Fundamentos de Biotecnologia
Biprospecção, Fundamentos de BiotecnologiaBiprospecção, Fundamentos de Biotecnologia
Biprospecção, Fundamentos de BiotecnologiaElisama Cella
 
Protocolo animal e vegetal
 Protocolo animal e vegetal Protocolo animal e vegetal
Protocolo animal e vegetalgraca_sandra
 
Orientação trabalho 2bim2 s
Orientação trabalho 2bim2 sOrientação trabalho 2bim2 s
Orientação trabalho 2bim2 sCotucaAmbiental
 
Aulasprticasmicrobiologia adaptado
Aulasprticasmicrobiologia   adaptadoAulasprticasmicrobiologia   adaptado
Aulasprticasmicrobiologia adaptadoSelma Oliveira
 
Caderno padagógico de ciências 2° bimestre
Caderno padagógico de ciências   2° bimestreCaderno padagógico de ciências   2° bimestre
Caderno padagógico de ciências 2° bimestreanakarolinarocha
 
Ficha de trabalho_5_celula_vegetal_vs_celula_animal_gab_bru
Ficha de trabalho_5_celula_vegetal_vs_celula_animal_gab_bruFicha de trabalho_5_celula_vegetal_vs_celula_animal_gab_bru
Ficha de trabalho_5_celula_vegetal_vs_celula_animal_gab_bruGabriela Bruno
 
FT5 - Célula vegetal vs célula animal
FT5 - Célula vegetal vs célula animalFT5 - Célula vegetal vs célula animal
FT5 - Célula vegetal vs célula animalGabriela Bruno
 
Aulas práticas microbiologia
Aulas práticas microbiologiaAulas práticas microbiologia
Aulas práticas microbiologiaOdonto ufrj
 
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio ópticoRoteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio ópticoCélia Maria Antunes
 
Há microrganismos em toda parte
Há microrganismos em toda parteHá microrganismos em toda parte
Há microrganismos em toda parteneuza1964
 

Semelhante a Geração espontânea aula prática (20)

Roteiro para aula pratica reino fungi maio 2014
Roteiro para  aula pratica   reino fungi  maio 2014Roteiro para  aula pratica   reino fungi  maio 2014
Roteiro para aula pratica reino fungi maio 2014
 
Biprospecção, Fundamentos de Biotecnologia
Biprospecção, Fundamentos de BiotecnologiaBiprospecção, Fundamentos de Biotecnologia
Biprospecção, Fundamentos de Biotecnologia
 
A celula
A celulaA celula
A celula
 
1S_Roteiro pratica de célula
1S_Roteiro pratica de  célula1S_Roteiro pratica de  célula
1S_Roteiro pratica de célula
 
Protocolo animal e vegetal
 Protocolo animal e vegetal Protocolo animal e vegetal
Protocolo animal e vegetal
 
Orientação trabalho 2bim2 s
Orientação trabalho 2bim2 sOrientação trabalho 2bim2 s
Orientação trabalho 2bim2 s
 
Roteiro pratica de célula
Roteiro pratica de  célulaRoteiro pratica de  célula
Roteiro pratica de célula
 
Aulasprticasmicrobiologia adaptado
Aulasprticasmicrobiologia   adaptadoAulasprticasmicrobiologia   adaptado
Aulasprticasmicrobiologia adaptado
 
Biologia fuvest2etapa
Biologia fuvest2etapaBiologia fuvest2etapa
Biologia fuvest2etapa
 
Caderno padagógico de ciências 2° bimestre
Caderno padagógico de ciências   2° bimestreCaderno padagógico de ciências   2° bimestre
Caderno padagógico de ciências 2° bimestre
 
Relatório ii correção
Relatório ii correçãoRelatório ii correção
Relatório ii correção
 
Plano 2
Plano 2 Plano 2
Plano 2
 
Ficha de trabalho_5_celula_vegetal_vs_celula_animal_gab_bru
Ficha de trabalho_5_celula_vegetal_vs_celula_animal_gab_bruFicha de trabalho_5_celula_vegetal_vs_celula_animal_gab_bru
Ficha de trabalho_5_celula_vegetal_vs_celula_animal_gab_bru
 
FT5 - Célula vegetal vs célula animal
FT5 - Célula vegetal vs célula animalFT5 - Célula vegetal vs célula animal
FT5 - Célula vegetal vs célula animal
 
Usp plantas expeximento (1)
Usp plantas expeximento (1)Usp plantas expeximento (1)
Usp plantas expeximento (1)
 
Mpcn5
Mpcn5Mpcn5
Mpcn5
 
Trabalhos 4bim 1 s
Trabalhos 4bim 1 sTrabalhos 4bim 1 s
Trabalhos 4bim 1 s
 
Aulas práticas microbiologia
Aulas práticas microbiologiaAulas práticas microbiologia
Aulas práticas microbiologia
 
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio ópticoRoteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
 
Há microrganismos em toda parte
Há microrganismos em toda parteHá microrganismos em toda parte
Há microrganismos em toda parte
 

Mais de Alpha Colégio e Vestibulares

Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32Alpha Colégio e Vestibulares
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianasBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianasAlpha Colégio e Vestibulares
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino moneraBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino moneraAlpha Colégio e Vestibulares
 
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª Lara
Vírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª LaraVírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª Lara
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª LaraAlpha Colégio e Vestibulares
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e VerminosesProfª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e VerminosesAlpha Colégio e Vestibulares
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
 Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminosesAlpha Colégio e Vestibulares
 
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36Alpha Colégio e Vestibulares
 
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.Alpha Colégio e Vestibulares
 

Mais de Alpha Colégio e Vestibulares (20)

Separação de misturas
Separação de misturasSeparação de misturas
Separação de misturas
 
Estudo da Química
Estudo da QuímicaEstudo da Química
Estudo da Química
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32Bioenergética i   respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética i respiração celular - aulas 31 e 32
 
Bioenergética respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética  respiração celular - aulas 31 e 32Bioenergética  respiração celular - aulas 31 e 32
Bioenergética respiração celular - aulas 31 e 32
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianasBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Infecções bacterianas
 
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino moneraBiologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
Biologia A, Profª Lara, 1ª Série - EM | Reino monera
 
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª Lara
Vírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª LaraVírus  - Tipos e Doenças Virais -  Biologia A - Profª Lara
Vírus - Tipos e Doenças Virais - Biologia A - Profª Lara
 
O Sistema Endócrino
O Sistema EndócrinoO Sistema Endócrino
O Sistema Endócrino
 
Diversidade da vida - Reinos e domínios
Diversidade da vida - Reinos e domíniosDiversidade da vida - Reinos e domínios
Diversidade da vida - Reinos e domínios
 
Os vírus - características e ação
Os vírus  - características e açãoOs vírus  - características e ação
Os vírus - características e ação
 
Gabarito caderno de exercícios 2
Gabarito caderno de exercícios 2Gabarito caderno de exercícios 2
Gabarito caderno de exercícios 2
 
Gabarito Caderno de Exercícios 2
Gabarito Caderno de Exercícios 2Gabarito Caderno de Exercícios 2
Gabarito Caderno de Exercícios 2
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida
A origem da vida
 
Sistemas de transporte
Sistemas de transporteSistemas de transporte
Sistemas de transporte
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e VerminosesProfª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Platelmintos e Verminoses
 
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
 Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
Profª Quitéria | Biologia | 3ª série EM | Nematódeos e verminoses
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese  - Aulas 35 e 36
Bioenergética II - Fisiologia da Fotossíntese - Aulas 35 e 36
 
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.Bioenergética II  - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
Bioenergética II - Fotossíntese e Quimiossíntese - Aulas 33 e 34.
 

Geração espontânea aula prática

  • 1. OBSERVAÇÃO DE SERES VIVOS DE UMA INFUSÃO Bancada Nome:___________________________________________ nº:____ turma:_____ 7º ano INTRODUÇÃO A discussão sobre geração espontânea, no século XIX, envolvia dois tipos de seres vivos: os "infusórios" (micro-organismos que pareciam surgir espontaneamente em infusões de vegetais ou de animais) e os vermes intestinais. Neste período não estava em discussão a possibilidade de realizar experimentos sobre abiogênese –surgimento de seres vivos a partir de matéria inorgânica – e sim sobre heterogenia – o surgimento de um tipo de ser vivo a partir de outro ser vivo diferente. Imaginava-se que a partir de matéria orgânica de seres mortos podiam surgir espontaneamente infusórios e cogumelos; e que a partir de matéria orgânica viva podiam surgir vermes, como as lombrigas e solitárias. PROBLEMATIZAÇÃO 1- Como se prepara um infusório? 2- Que tipos de seres vivos podemos encontrar em infusórios? 3- De onde surgiram os seres vivos encontrado nos infusórios? PRÁTICA 1: PREPARAÇÃO DE UM INFUSÓRIO Materiais:  3 vidros de maionese pequenos, com tampa, bem limpinhos.  água  água coletada em vários locais (poça d'água, rio, aquário, lagoa, laguinhos de jardim,...)  plantas aquáticas (encontradas em lojas de aquários)  folhas de alface meio amareladas, de couve e capim, sem lavar  Etiquetas  Termômetro  Máquina fotográfica Procedimento 1- Etiquetar as tampas dos vidros com a água coletada que será utilizada. 2- Colocar as amostras de água que foram trazidas em seus respectivos frascos. 3-Acrescentar plantas aquáticas, folhas de alface, de couve ou capim. 4- Colocar os frascos em ambiente sem incidência direta de luz. 5- Verificar se a temperatura do local está entre 18 ºC e 21 ºC. 6- Observar a tonalidade da água, anotar e registar através de uma foto. 7- Aguardar a próxima aula. Anotações: Cor do frasco ___________________________________________________________________________ Cor do frasco ___________________________________________________________________________ Cor do frasco ___________________________________________________________________________ PRÁTICA 2: PREPARAÇÃO DE LÂMINAS E OBSERVAÇÃO DO CONTEÚDO Materiais:  goma-arábica ou cola transparente  conta-gotas
  • 2. OBSERVAÇÃO DE SERES VIVOS DE UMA INFUSÃO Bancada  lâminas  lamínulas  microscópio óptico Procedimento 1- Comparar a cor de cada um dos frascos com as anotações e fotografia feitas na aula anterior. Fotografar de novo, para outras comparações que serão feitas. 2- Com o auxílio do conta-gotas, pingar 2 gotas do líquido superficial dos infusórios em lâminas diferentes e cobrir com uma lamínula. 3- Observar ao microscópio, com a objetiva de menor alcance, a princípio. 4- Se alguns estiverem se locomovendo rápido, prepare outra lâmina. Nesta, coloque uma gota de cola transparente e deixe secar. Depois, pingar 2 gotas da infusão sobre a cola seca, cobrir com lamínula e observar ao microscópio. 5- Desenhar os micro-organismos e outros seres que foram vistos. ATENÇÃO: Repetir os procedimentos, utilizando gotas da região no meio do líquido e depois do fundo do líquido. CONCLUSÕES 1- Que argumentos seu grupo usaria para explicar o surgimento dos seres vivos que apareceram nos infusórios? _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________ 2- Havia alguma diferença entre os seres observados em cada região do líquido infusório? Quais? _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________ DESAFIOS 1- A partir de todos os desenhos feitos pelo seu grupo, identificar os seres vivos observados, pesquisando em livros ou na internet. 2- Organizar uma tabela com os seres vivos identificados, com as características relacionadas a cada um deles. ATENÇÃO: REPETIR TODOS OS PROCEDIMENTOS NA PRÓXIMA AULA! VOCÊS FARÃO DESCOBERTAS INCRÍVEIS!!!