Exemplos de poemas

2.729 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.729
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
278
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exemplos de poemas

  1. 1. EXEMPLOS DE POEMAS QUE ABUSAM DA MUSICALIDADE (SONORIDADE, RITMO) Tem gentecom fome - Solano Trindade Trem sujo da Leopoldina correndo correndo parece dizer tem gente com fome tem gente com fome tem gente com fome Piiiiii Estação de Caxias de novo a dizer de novo a correr tem gente com fome tem gente com fome tem gente com fome Vigário Geral Lucas Cordovil Brás de Pina Penha Circular Estação da Penha Olaria Ramos Bom Sucesso CarlosChagas Triagem, Mauá trem sujo da Leopoldina correndo correndo parece dizer tem gente com fome tem gente com fome tem gente com fome Tantas carastristes querendo chegar em algum destino em algum lugar Trem sujo da Leopoldina correndo correndo parece dizer tem gente com fome tem gente com fome tem gente com fome Só nas estações quando vaiparando lentamente começa a dizer se tem gente com fome dá de comer se tem gente com fome dá de comer se tem gente com fome dá de comer Mas o freio de ar todo autoritário manda o trem calar Psiuuuuuuuuuuu
  2. 2. Ritmo - Mário Quintana Na praia A varredeira varre o cisco Varre o cisco Varre o cisco Na pia a menininha escova os dentes escova os dentes escova os dentes No arroio a lavadeira bate roupa bate roupa bate roupa até que enfim se desenrola toda corda e o mundo gira imóvel como um pião!
  3. 3. O Relógio - Viniciusde Moraes Passa, tempo, tic-tac Tic-tac, passa, hora Chega logo, tic-tac Tic-tac, e vai-te embora Passa, tempo Bem depressa Não atrasa Não demora Que já estou Muito cansado Já perdi Toda a alegria De fazer Meu tic-tac Dia e noite Noite e dia Tic-tac Tic-tac Dia e noite Noite e dia
  4. 4. O trem– Roseana Murray Vai que vem, vem que vem, faz o balanço do trem. A menina com o nariz achatado na vidraça, enlaça a paisagem com seu olhar encantado. Vem também, vem também, faz o balanço do trem. Na bolsa a menina leva pérolascoloridas, girassóise margaridas, anõesde voz fina e afinadas flautas mágicas. Você vem, você vem, faz o balanço do trem. É que a bolsa é cheia de sonhos, alegres, tristonhos, e ninguém sabe para onde leva a menina balançando no coração do trem. vai e vem, vem que vem, vem também, vem também, você vem, você vem, faz o balanço do trem.

×