* Se instalarmos um voltímetro em uma pilha de
Zn/Cu com soluções de concentrações iguais a
1,0 mol/L, observaremos uma di...
* Portanto o potencial de um eletrodo é um número,
medido em volts, que indica a menor ou a maior
espontaneidade (facilida...
* A IUPAC trabalha apenas com potenciais de
redução;
* Assim os cientistas idealizaram um estado padrão
para ser aceito in...
* A diferença de potencial de uma pilha no estado-
padrão, medida por um voltímetro, é calculada
pela expressão:
∆E° = E°r...
* Quanto maior o valor do E° redução de um
eletrodo, mais espontâneo (mais fácil) será o
processo de redução;
* Quanto men...
Aulas 10 e 11   potenciais de eletrodo - 2º ano
Aulas 10 e 11   potenciais de eletrodo - 2º ano
Aulas 10 e 11   potenciais de eletrodo - 2º ano
Aulas 10 e 11   potenciais de eletrodo - 2º ano
Aulas 10 e 11   potenciais de eletrodo - 2º ano
Aulas 10 e 11   potenciais de eletrodo - 2º ano
Aulas 10 e 11   potenciais de eletrodo - 2º ano
Aulas 10 e 11   potenciais de eletrodo - 2º ano
Aulas 10 e 11   potenciais de eletrodo - 2º ano
Aulas 10 e 11   potenciais de eletrodo - 2º ano
Aulas 10 e 11   potenciais de eletrodo - 2º ano
Aulas 10 e 11   potenciais de eletrodo - 2º ano
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aulas 10 e 11 potenciais de eletrodo - 2º ano

827 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
827
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
501
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aulas 10 e 11 potenciais de eletrodo - 2º ano

  1. 1. * Se instalarmos um voltímetro em uma pilha de Zn/Cu com soluções de concentrações iguais a 1,0 mol/L, observaremos uma diferença de potencial (ddp) igual a 1.10 volts; * O fato de existir uma ddp, qualquer que seja o seu valor, deixa claro que cada eletrodo possui um potencial, ou seja, é uma grandeza relacionada à tendência que ele tem para sofrer oxidação ou redução.
  2. 2. * Portanto o potencial de um eletrodo é um número, medido em volts, que indica a menor ou a maior espontaneidade (facilidade) com que o eletrodo recebe ou perde elétrons; * Um eletrodo com alto potencial de redução apresenta grande tendência para receber elétrons; * Na pilha de Daniell, como o eletrodo de cobre sofre redução, esse eletrodo recebe elétrons mais espontaneamente que o eletrodo de zinco, logo, o eletrodo de cobre possui maior potencial de redução que o eletrodo de zinco.
  3. 3. * A IUPAC trabalha apenas com potenciais de redução; * Assim os cientistas idealizaram um estado padrão para ser aceito internacionalmente e que fosse utilizado para todos os eletrodos; * O estado padrão, então, corresponde: - A temperatura de 25°C; - Os gases participantes tem pressão de 1 atm; - Os íons participantes da oxirredução possuem concentração igual a 1,0 mol/L; - No estado padrão, o potencial é representado por E° e denomina-se potencial-padrão ou normal.
  4. 4. * A diferença de potencial de uma pilha no estado- padrão, medida por um voltímetro, é calculada pela expressão: ∆E° = E°redução – E°redução do cátodo do ânodo (recebe elétrons) (fornece elétrons) * Na prática, isso significa que o valor de ∆E° sempre pode ser calculado pela diferença entre o valor algebricamente maior e o valor algebricamente menor: ∆E° = E°redução – E°redução (maior) (menor)
  5. 5. * Quanto maior o valor do E° redução de um eletrodo, mais espontâneo (mais fácil) será o processo de redução; * Quanto menor o valor do E° redução de um eletrodo, menos espontâneo (mais difícil) será o processo de redução; * Resumindo: - O elemento que possuir maior potencial de redução sofrerá redução; - O elemento que possuir menor potencial de redução sofrerá oxidação.

×