Aula 18 ligações ou forças intermoleculares - 3º ano

573 visualizações

Publicada em

Aula 18 ligações ou forças intermoleculares - 3º ano

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
573
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
300
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 18 ligações ou forças intermoleculares - 3º ano

  1. 1. * À temperatura ambiente, os compostos iônicos são sólidos, porque as forças de atração entre cátions e ânions são muito intensas; * A grande intensidade dessas interações faz com que a energia envolvida nas mudanças de estado seja grande, isto é, os compostos iônicos apresentam elevadas temperaturas de fusão e ebulição (TF e TE); * Já os compostos moleculares, à temperatura ambiente, podem ser sólidos, líquidos ou gasosos.
  2. 2. * Isso nos leva a pensar que as interações entre as moléculas desses compostos são mais fracas do que as existentes entre os íons nos compostos iônicos; * Nos compostos moleculares, quanto maior for a intensidade das forças intermoleculares, maior será a energia necessária para provocar a mudança de estado e, conseqüentemente, maiores serão as temperaturas de fusão e de ebulição.
  3. 3. * Podemos perceber, facilmente, que a acetona evaporou mais do que a água; * Isso é explicado pelo fato de, na acetona, as forças de atração entre as moléculas serem mais fracas do que na água; * Quanto menos intensas forem as forças intermoleculares, mais volátil será a substância; * É importante lembrar que durante as mudanças de estado somente as forças intermoleculares são rompidas.
  4. 4. * Esse tipo de interação ocorre em todos os tipos de moléculas, mas é o único que acontece em moléculas apolares; * Quando uma substância apolar está no estado líquido ou no estado sólido, ocorre uma deformação das nuvens eletrônicas de suas moléculas, originando pólos positivo (+) e negativo (-); * Exemplo de moléculas apolares: H2, O2, CO2 e CH4.
  5. 5. * Esse tipo de interação é característico de moléculas polares. Exemplos: HCℓ, HI, H2CO e Cℓ2O; * As interações intermoleculares do tipo dipolo- dipolo ou dipolo induzido-dipolo induzido são também denominadas de Forças de London ou Forças de Van der Waals.
  6. 6. * A ligação de hidrogênio é uma interação dipolo- dipolo mais intensa; * Ela ocorre entre moléculas que apresentam átomos de hidrogênio ligados a átomos de flúor, ou de oxigênio ou de nitrogênio, que são os mais eletronegativos e, por isso, originam dipolos muito acentuados; * Exemplos clássicos são: H2O, HF e NH3.
  7. 7. * Dois são os fatores que influem na temperatura de ebulição (TE): 1) O tipo de força intermolecular. Quanto mais intensas forem as interações intermoleculares, maior será a TE; 2) O tamanho das moléculas. Quanto maior for o tamanho de uma molécula, maior será sua superfície. Isso propicia maior número de interações, acarretando uma TE maior. Para podermos comparar as TE de várias substâncias, devemos considerar esses dois fatores da seguinte maneira:
  8. 8. * Moléculas com tamanho aproximadamente iguais → Quanto mais intensa a interação, maior a TE. * Moléculas com o mesmo tipo de interação → Quanto maior o tamanho, maior a TE.
  9. 9. * Uma maneira de explicar o fato de o óleo não se dissolver em água é considerar que os processos de dissolução estão associados às interações moleculares; * O tipo de força intermolecular existente na água é diferente da existente no óleo; * Como sabemos que a água é uma substância polar, podemos concluir que as moléculas do óleo são apolares, mesmo sem conhecer sua estrutura.

×