Rubéola<br />
INTRODUÇÃO<br /><ul><li>A rubéola é uma doença infectocontagiosa causada pelo vírus da rubéola e transmitida por via respi...
 É geralmente benigna, mas pode causar malformações congênitas em filhos de gestantes contaminadas.
 A rubéola é uma das cinco doenças que produzem exantema (marcas avermelhadas na pele) na infância. As outras são: </li></...
CAUSAS<br /><ul><li>A causa da rubéola é viral. A transmissão é feita por contato direto com a pessoa infectada, pela secr...
 O vírus multiplica-se na faringe e nos órgãos linfáticos e depois se dissemina pelo sangue. o período de transmissão</li>...
SINTOMAS<br /><ul><li> A apresentação inicial geralmente é similar à de uma gripe comum e dura de sete a 10 dias.
 O quadro clínico típico caracteriza-se por:
 Posteriormente, rash cutâneo (manchas na pele), que duram três dias e desaparecem espontaneamente.</li></ul> <br />Febre<...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Rubéola

11.060 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
18 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.060
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
58
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
18
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Rubéola

  1. 1. Rubéola<br />
  2. 2. INTRODUÇÃO<br /><ul><li>A rubéola é uma doença infectocontagiosa causada pelo vírus da rubéola e transmitida por via respiratória.
  3. 3. É geralmente benigna, mas pode causar malformações congênitas em filhos de gestantes contaminadas.
  4. 4. A rubéola é uma das cinco doenças que produzem exantema (marcas avermelhadas na pele) na infância. As outras são: </li></ul> Sarampo;<br /> Varicela;<br /> Eritema infeccioso e<br /> Rosácea.<br />
  5. 5. CAUSAS<br /><ul><li>A causa da rubéola é viral. A transmissão é feita por contato direto com a pessoa infectada, pela secreção respiratória.
  6. 6. O vírus multiplica-se na faringe e nos órgãos linfáticos e depois se dissemina pelo sangue. o período de transmissão</li></ul>Período é de duas a três semanas <br />Incubação <br />Ocorre uma semana antes de aparecer o exantemacutâneo, geralmente na fase mais intensa da doença.<br />Transmissão <br />
  7. 7. SINTOMAS<br /><ul><li> A apresentação inicial geralmente é similar à de uma gripe comum e dura de sete a 10 dias.
  8. 8. O quadro clínico típico caracteriza-se por:
  9. 9. Posteriormente, rash cutâneo (manchas na pele), que duram três dias e desaparecem espontaneamente.</li></ul> <br />Febre<br />Secreção nasal transparente <br />Dores musculares e nas articulações<br />Surgimento de ínguas (linfonodomegalias) <br />Dores de cabeça <br />
  10. 10. DIGNÓSTICO<br /><ul><li> O diagnóstico clínico é difícil pela similaridade dos sintomas com os das outras doenças infecciosas que cursam com exantemasúbito.
  11. 11. A confirmação diagnóstica é feita por meio teste sorológico, com detecção de anticorpos específicos para o vírus.</li></li></ul><li>TRATAMENTO<br /><ul><li> Procurar um médico aos primeiros sinais da doença é fundamental para a indicação do melhor tratamento para cada caso.
  12. 12. Somente o especialista poderá orientar o paciente em relação aos procedimentos adequados e ao uso de remédios.</li></li></ul><li>TRATAMENTO<br /><ul><li> Não existe tratamento antiviral específico.
  13. 13. O tratamento normalmente é sintomático, com o uso de analgésicos para controle da dor e antitérmico para a febre. Hidratação e repouso relativo são indicados.</li></li></ul><li>PREVENÇÃO<br /><ul><li>A vacinação contra a rubéola é a melhor forma de prevenção da doença.
  14. 14. É recomendada de rotina aos 15 meses de idade (vacina MMR) e para todos os adultos que não tiveram contato com a doença (vacinação de bloqueio).
  15. 15. Gestantes não devem ser vacinadas e as mulheres vacinadas devem esperar no mínimo um mês para engravidar.
  16. 16. Todas as crianças e adultos devem ficar afastados de pessoas contaminadas durante o período da doença.</li></li></ul><li>Procure sempre o seu médico.<br />Fontes: <br />MayoClinic. http://www.mayoclinic.com.<br />Manual Merck. Biblioteca Médica Online.<br />  <br />Editora médica: Dra. Anna Gabriela Fuks (615039-RJ)<br />Jornalista responsável: Roberto Maggessi (31.250 RJ)<br />

×