Retocolite

2.432 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.432
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
120
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Retocolite

  1. 1. Retocolite<br />
  2. 2. INTRODUÇÃO<br /><ul><li>A retocolite ulcerativa (RCU) se caracteriza por uma inflamação crônica do intestino, de causa ainda não esclarecida e em cuja patologia estão envolvidos fatores genéticos, ambientais e imunológicos.
  3. 3. A RCU é uma inflamação crônica que pode acometer algumas partes do intestino ou todo o intestino grosso – pancolite.
  4. 4. Quanto mais extensa a área afetada, maior a gravidade do caso, caracterizando a doença em formas leves, moderadas e graves. </li></ul>Ocorre, na maioria dos casos em indivíduos jovens e cursa com recaídas frequentes.<br />
  5. 5. CAUSAS<br />É desconhecida a causa da RCU. Ainda não se tem conhecimento do fator desencadeante da doença, mas sabe-se que fatores genéticos e imunológicos estão envolvidos.<br />
  6. 6. SINTOMAS<br />As manifestações clínicas mais comuns são diarreia, sangramento retal, eliminação de muco nas fezes e dor abdominal. Podem ocorrer febre, mal-estar, fraqueza e cólica.<br />
  7. 7. DIAGNÓSTICO<br /><ul><li> Alguns exames laboratoriais auxiliam o diagnóstico, entre eles o exame de fezes, que detecta agentes infecciosos, e a colonoscopia, que permite observar lesões sugestivas de inflamação intestinal.
  8. 8. Pela colonoscopia é possível obter fragmentos da mucosa intestinal realizando a biópsia.</li></li></ul><li>TRATAMENTO<br /><ul><li> Procurar um médico aos primeiros sinais da doença é fundamental para a indicação do melhor tratamento para cada caso.
  9. 9. Somente o especialista poderá orientar o paciente em relação aos procedimentos adequados e ao uso de remédios.</li></li></ul><li>TRATAMENTO<br /><ul><li>Existem medicações específicas para o manejo da RCU, entre elas os aminossalicilatos, substâncias semelhantes aos anti-inflamatórios, porém mais indicadas para estes pacientes.
  10. 10. Também podem ser utilizados corticoides, nas crises agudas, antiespasmódicos, analgésicos e imunossupressores.
  11. 11. Em alguns casos mais graves pode haver necessidade de tratamento cirúrgico, quando é feita a ressecção das partes acometidas.</li></li></ul><li>PREVENÇÃO<br /><ul><li> Não existe, até o momento, uma forma comprovada de prevenção da RCU. Contudo, é possível diminuir a recorrência de crises com o uso correto das medicações.
  12. 12. É recomendado, para indivíduos com doença leve, que evitem a ingestão de cafeína e de alguns vegetais produtores de gases. </li></li></ul><li>Procure sempre o seu médico.<br />Fontes: <br />dtr2001.saude.gov.br/sas/dsra/protocolos/do_r30_01.pdf.<br />www.drauziovarella.com.br/Sintomas/.../retocolite-ulcerativa.<br />Silva, Edson Jurado da; Seixas, Iara Vasconcellos. Retocolite Ulcerativa (RCU). Rev. Bras. Colo-proctol; 28(1): 31-35, jan.-mar. 2008.<br />  <br />Editora médica: Dra. Anna Gabriela Fuks (615039-RJ)<br />Jornalista responsável: Roberto Maggessi (31.250 RJ)<br />

×