Insuficiência renal crônica

22.102 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
1 comentário
23 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
22.102
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.195
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
23
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Insuficiência renal crônica

  1. 1. Insuficiência renal crônica<br />
  2. 2. INTRODUÇÃO<br /><ul><li> Insuficiência renal crônica (IRC) é uma síndrome decorrente da perda progressiva, irreversível e geralmente lenta da função dos rins.
  3. 3. A doença renal crônica constitui hoje um importante problema médico e de saúde pública.
  4. 4. A incidência de novos pacientes cresce cerca de 8% ao ano e o gasto com o programa de diálise e transplante renal no Brasil situa-se ao redor de R$ 1,4 bilhões ao ano, segundo dados do Ministério da Saúde do Brasil.</li></li></ul><li>CAUSAS<br /><ul><li> De acordo com os dados publicados pelo Registro Latino-Americano de Diálise e Transplante, as principais causas de IRC no Brasil são: </li></ul>Glomerulonefrite crônica<br />Hipertensão arterial <br />Diabetes mellitus<br />24% <br />21% <br />15% <br />
  5. 5. CAUSAS<br /><ul><li> Os portadores de disfunção renal leve apresentam quase sempre evolução progressiva, insidiosa e assintomática, o que pode retardar o diagnóstico precoce da disfunção renal.</li></li></ul><li>CAUSAS<br /><ul><li> Para efeitos didáticos, a IRC é dividida em seis estágios funcionais, de acordo com o grau de função renal do paciente, medido pela taxa de filtração glomerular:</li></ul>Fase 0<br />Grupos de risco para DRC (hipertensos e diabéticos), ausência de lesão renal e filtração glomerular > 90ml<br />Fase 1<br />Lesão renal com função renal normal e filtração glomerular > 90 ml;<br />Fase 2<br />Insuficiência renal (IR) leve com filtração glomerular entre 60 e 89 ml;<br />Fase 3<br />IR moderada – filtração glomerular entre 30 e 59 ml;<br />Fase 4<br />IR severa ou clónica – filtração glomerular entre 15 e 29 ml;<br />Fase 5<br />IR terminal ou dialítica – filtração glomerular < 15 ml.<br />
  6. 6. SINTOMAS<br /><ul><li> Reduções de até 50% na função renal não provocam sinais e sintomas evidentes, enquanto reduções maiores causam inúmeros sinais, sintomas e complicações em quase todos os órgãos e sistemas do organismo.</li></li></ul><li>SINTOMAS<br />Entre os principais sinais e sintomas encontrados no paciente renal crônico estão:<br /> Anemia;<br /> Edema; <br /> Maior suscetibilidade a infecções;<br /> Baixa concentração de proteína <br />(hipoalbuminemia);<br /> Aumento dos níveis de potássio;<br /> Acidose metabólica<br /> Elevação do nível de glicose;<br /> Alterações ósseas (dor e/ou fraturas);<br /> Doenças cardiovasculares;<br /> Problemas articulares;<br /> Comprometimento do sistema imunológico; <br /> Risco aumentado de hemorragias.<br />
  7. 7. DIAGNÓSTICO<br /><ul><li> O diagnóstico da IRC é feito pela avaliação clínica, identificando possíveis doenças que podem levar a esta condição, e pela realização de exames laboratoriais de urina e sangue.
  8. 8. As dosagens de ureia e creatinina funcionam como marcadores da IRC e são úteis para indicar o grau da insuficiência renal.
  9. 9. Exames de imagem, como a ultrassonografia, são válidos para a visualização completa do aparelho renal.</li></li></ul><li>TRATAMENTO<br /><ul><li> Procurar um médico aos primeiros sinais da doença é fundamental para a indicação do melhor tratamento para cada caso.
  10. 10. Somente o especialista poderá orientar o paciente em relação aos procedimentos adequados e ao uso de remédios.</li></li></ul><li>TRATAMENTO<br /><ul><li> O tratamento da IRC deve ser feito com medicamentos específicos para reduzir a pressão arterial e diuréticos.
  11. 11. Também é fundamental para o paciente uma dieta com restrição de líquidos (para não sobrecarregar os rins) e de alimentos ricos em proteínas, sódio e potássio, para diminuir a concentração de toxinas da circulação.
  12. 12. É importante ainda controlar as doenças associadas, como diabetes e hipertensão arterial.</li></li></ul><li>TRATAMENTO<br /><ul><li>A melhor forma de se prevenir IRC é manter o controle rigoroso das doenças que a causam, como hipertensão arterial e diabetes.
  13. 13. Para tal, é fundamental manter um estilo de vida saudável, com alimentação adequada, prática regular de atividades físicas e manutenção do peso ideal.
  14. 14. O acompanhamento regular por um médico especialista e o uso de medicações específicas também são essenciais. </li></li></ul><li>PREVENÇÃO<br /><ul><li> Indivíduos sob maior risco de apresentarem IRC são:
  15. 15. Diabéticos;
  16. 16. Hipertensos;
  17. 17. Aqueles com antecedentes de doença cardiovascular;
  18. 18. História familiar de insuficiência renal;
  19. 19. Portadores de outras doenças renais (rins policísticos, malformações congênitas);
  20. 20. Negros (Estes, em particular, devem realizar com maior frequência exames laboratoriais de sangue e urina, conforme orientação médica).</li></li></ul><li>Consulte sempre o seu médico.<br />Fontes: <br />Manual Merck, Biblioteca Medica Online.<br />MayoClinic. http:/www.mayoclinic.com.<br />J BrasNefrol Volume XXVI- nº 3- Supl. 1 – Agosto de 2004.<br />  <br />Editora médica: Dra. Anna Gabriela Fuks (615039-RJ)<br />Jornalista responsável: Roberto Maggessi (31.250 RJ)<br />

×