SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 10
Hepatocarcinoma
INTRODUÇÃO




• Hepatocarcinoma é o nome dado ao câncer primário do
fígado. A doença inicial é potencialmente curável por meio
de cirurgia, quando a ressecção completa da lesão pode ser
realizada.
CAUSAS



• Todos os tipos de câncer são originados por uma
multiplicação desordenada das células de determinado órgão.
Não se sabe exatamente como as células se tornam, em dado
momento, cancerígenas.

• O hepatocarcinoma é um tumor raro no Brasil, relacionado
em 50% dos casos com cirrose hepática, que pode estar
associada a alcoolismo, hepatite crônica secundária e
infecção pelo vírus das hepatites B ou C.
SINTOMAS




• Os sintomas podem passar despercebidos até que o tumor
atinja um tamanho grande ou cause complicações.

• Entre os possíveis sintomas estão:

       Dor na região direita superior do abdômen;
       Falta de apetite, perda de peso;
       Icterícia (cor amarelada das mucosas e da pele) e
       Aumento do tamanho do fígado e do abdômen.
SINTOMAS




• Como na maioria das vezes, a doença ocorre em indivíduos
que já sabem ter cirrose; a primeira manifestação, nesses
casos, pode ser uma piora abrupta de um quadro até então
estável.
DIAGNÓSTICO




• O diagnóstico definitivo é dado após a realização da
biópsia   do     tumor.    Ultrassonografia,   tomografia
computadorizada e ressonância magnética também são
métodos válidos para diagnóstico da extensão da doença.
TRATAMENTO



• Procurar      um     médico       com       regularidade
e, principalmente, aos primeiros sinais da doença é
fundamental para que ele possa indicar o melhor tratamento
para cada caso.


• Somente o médico deverá orientar o paciente em relação
aos procedimentos adequados e ao uso de remédios.
TRATAMENTO


• A ressecção cirúrgica da lesão é o tratamento que confere
melhor prognóstico para o paciente, com taxas de cura entre
40% e 50%. No entanto, apenas 10%-15% dos doentes
apresentam condições clínicas e extensão tumoral compatíveis
com a realização dessa cirurgia. Alguns indivíduos podem ser
candidatos ao transplante hepático, com intuito curativo.

• Já em casos que limitem a possibilidade de cirurgia, o
tratamento é realizado por meio de quimioterapia regional,
ligadura ou embolização da artéria hepática, injeção
percutânea de etanol, ablação por radiofrequência, crioterapia
e quimioterapia sistêmica.
PREVENÇÃO



• A melhor forma de evitar a doença é a prevenção da
cirrose, por meio do controle da ingestão abusiva de álcool, e
das hepatites B e C, que pode ser realizada evitando-se o
contato com sangue ou secreções de indivíduos
contaminados e usando preservativo nas relações sexuais.

• Em pacientes com cirrose, com risco bem maior de
desenvolver o tumor, é recomendada a realização de
ultrassonografia abdominal e dosagem de alfafetoproteína a
cada 6-12 meses, na tentativa de detectar precocemente
esse tipo de câncer.
Procure sempre o seu médico.




              Fontes:
              http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.c
              fm?idtxt=35005
              http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?232
               Exames: 1, 27, 14, 16, 17, 23

              Editora médica: Dra. Anna Gabriela Fuks (615039-RJ)
              Jornalista responsável: Roberto Maggessi (31.250 RJ)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tumores hepáticos
Tumores hepáticosTumores hepáticos
Tumores hepáticos
kalinine
 
Tumores malignos de cólon e reto
Tumores malignos de cólon e retoTumores malignos de cólon e reto
Tumores malignos de cólon e reto
Jacqueline Menezes
 
Tumores do pâncreas atualizado
Tumores do pâncreas atualizadoTumores do pâncreas atualizado
Tumores do pâncreas atualizado
kalinine
 
Cirurgia do câncer pancreático
Cirurgia do câncer pancreáticoCirurgia do câncer pancreático
Cirurgia do câncer pancreático
federicoestudio
 
Câncer gástrico
Câncer gástricoCâncer gástrico
Câncer gástrico
kalinine
 

Mais procurados (20)

Tumores hepáticos
Tumores hepáticosTumores hepáticos
Tumores hepáticos
 
Câncer de estômago
Câncer de estômagoCâncer de estômago
Câncer de estômago
 
Câncer de Pâncreas
Câncer de PâncreasCâncer de Pâncreas
Câncer de Pâncreas
 
Tumores da bexiga
Tumores da bexigaTumores da bexiga
Tumores da bexiga
 
Câncer de Pulmão
Câncer de Pulmão Câncer de Pulmão
Câncer de Pulmão
 
Câncer
CâncerCâncer
Câncer
 
Tumores malignos de cólon e reto
Tumores malignos de cólon e retoTumores malignos de cólon e reto
Tumores malignos de cólon e reto
 
Oncologia básica
Oncologia básicaOncologia básica
Oncologia básica
 
Câncer de Ovário
Câncer de OvárioCâncer de Ovário
Câncer de Ovário
 
Biologia do câncer
Biologia do câncerBiologia do câncer
Biologia do câncer
 
Tumores do pâncreas atualizado
Tumores do pâncreas atualizadoTumores do pâncreas atualizado
Tumores do pâncreas atualizado
 
Tudo Sobre Câncer de Próstata
Tudo Sobre Câncer de PróstataTudo Sobre Câncer de Próstata
Tudo Sobre Câncer de Próstata
 
Cirurgia do câncer pancreático
Cirurgia do câncer pancreáticoCirurgia do câncer pancreático
Cirurgia do câncer pancreático
 
Slides cancer de mama
Slides cancer de mamaSlides cancer de mama
Slides cancer de mama
 
Cancer
CancerCancer
Cancer
 
Paciente oncológico
Paciente oncológicoPaciente oncológico
Paciente oncológico
 
Novembro Azul - VI SIPAT EMI 2014
Novembro Azul - VI SIPAT EMI 2014Novembro Azul - VI SIPAT EMI 2014
Novembro Azul - VI SIPAT EMI 2014
 
Câncer de Próstata
Câncer de PróstataCâncer de Próstata
Câncer de Próstata
 
Câncer gástrico
Câncer gástricoCâncer gástrico
Câncer gástrico
 
Tumor do colon
Tumor do colonTumor do colon
Tumor do colon
 

Destaque (15)

Neoplasias fígado
Neoplasias fígadoNeoplasias fígado
Neoplasias fígado
 
Tumores hepáticos
Tumores hepáticosTumores hepáticos
Tumores hepáticos
 
Apresentação câncer de fígado
Apresentação câncer de fígadoApresentação câncer de fígado
Apresentação câncer de fígado
 
Cloruro de vinilo
Cloruro de viniloCloruro de vinilo
Cloruro de vinilo
 
Medidas para prevenir a saude mental
Medidas para prevenir a saude mentalMedidas para prevenir a saude mental
Medidas para prevenir a saude mental
 
Apresentação câncer de estômago
Apresentação câncer de estômagoApresentação câncer de estômago
Apresentação câncer de estômago
 
Câncer e trabalho para slideshare v 1
Câncer e trabalho para slideshare   v 1Câncer e trabalho para slideshare   v 1
Câncer e trabalho para slideshare v 1
 
Cancro
Cancro Cancro
Cancro
 
Fisiopatologia do fígado
Fisiopatologia do fígadoFisiopatologia do fígado
Fisiopatologia do fígado
 
O cancro powerpoint
O cancro powerpointO cancro powerpoint
O cancro powerpoint
 
Tumores benignos y malignos de higado y vias biliares
Tumores benignos y malignos de higado y vias biliaresTumores benignos y malignos de higado y vias biliares
Tumores benignos y malignos de higado y vias biliares
 
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDFICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
 
Hepatocellular carcinoma
Hepatocellular carcinomaHepatocellular carcinoma
Hepatocellular carcinoma
 
Tumores Hepaticos
Tumores HepaticosTumores Hepaticos
Tumores Hepaticos
 
quiste hidatídico
quiste hidatídicoquiste hidatídico
quiste hidatídico
 

Semelhante a Câncer de fígado

Entendendo o câncer colorretal
Entendendo o câncer colorretalEntendendo o câncer colorretal
Entendendo o câncer colorretal
Oncoguia
 

Semelhante a Câncer de fígado (20)

Lesões hepaticas focais
Lesões hepaticas focaisLesões hepaticas focais
Lesões hepaticas focais
 
Câncer de Vesicula biliar
Câncer de Vesicula biliarCâncer de Vesicula biliar
Câncer de Vesicula biliar
 
Tumores Benignos Hepáticos
Tumores Benignos HepáticosTumores Benignos Hepáticos
Tumores Benignos Hepáticos
 
Câncer de ânus
Câncer de ânusCâncer de ânus
Câncer de ânus
 
Tne tgi
Tne tgiTne tgi
Tne tgi
 
Tumores do estômago
Tumores do estômagoTumores do estômago
Tumores do estômago
 
Entendendo o câncer colorretal
Entendendo o câncer colorretalEntendendo o câncer colorretal
Entendendo o câncer colorretal
 
Neoplasia Coloretal
Neoplasia ColoretalNeoplasia Coloretal
Neoplasia Coloretal
 
Câncer de Intestino
Câncer de IntestinoCâncer de Intestino
Câncer de Intestino
 
O que você precisa saber Câncer colorretal
O que você precisa saber Câncer colorretalO que você precisa saber Câncer colorretal
O que você precisa saber Câncer colorretal
 
Apresentação câncer de estômago
Apresentação câncer de estômagoApresentação câncer de estômago
Apresentação câncer de estômago
 
Câncer de Bexiga
Câncer de BexigaCâncer de Bexiga
Câncer de Bexiga
 
Cancer estomago, coloretal
Cancer estomago, coloretalCancer estomago, coloretal
Cancer estomago, coloretal
 
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
 
06 cancerbexigai parte 1
06 cancerbexigai parte 106 cancerbexigai parte 1
06 cancerbexigai parte 1
 
Cancro
CancroCancro
Cancro
 
Câncer de Via Biliar
Câncer de Via BiliarCâncer de Via Biliar
Câncer de Via Biliar
 
Trab. cancro
Trab. cancroTrab. cancro
Trab. cancro
 
Cancro colo rectal
Cancro colo rectal Cancro colo rectal
Cancro colo rectal
 
Câncer do colo do útero
Câncer do colo do úteroCâncer do colo do útero
Câncer do colo do útero
 

Mais de Laboratório Sérgio Franco

Mais de Laboratório Sérgio Franco (20)

Mudamos!
Mudamos!Mudamos!
Mudamos!
 
Cancer de próstata
Cancer de próstataCancer de próstata
Cancer de próstata
 
Apresentação trombose venosa profunda
Apresentação trombose venosa profundaApresentação trombose venosa profunda
Apresentação trombose venosa profunda
 
Apresentação toxoplasmose
Apresentação toxoplasmoseApresentação toxoplasmose
Apresentação toxoplasmose
 
Apresentação tétano
Apresentação tétanoApresentação tétano
Apresentação tétano
 
Apresentação síndrome nefrótica
Apresentação síndrome nefróticaApresentação síndrome nefrótica
Apresentação síndrome nefrótica
 
Apresentação síndrome metabólica
Apresentação síndrome metabólicaApresentação síndrome metabólica
Apresentação síndrome metabólica
 
Apresentação rubéola
Apresentação rubéolaApresentação rubéola
Apresentação rubéola
 
Apresentação rinite alérgica
Apresentação rinite alérgicaApresentação rinite alérgica
Apresentação rinite alérgica
 
Apresentação retocolite
Apresentação retocoliteApresentação retocolite
Apresentação retocolite
 
Apresentação pneumonia
Apresentação pneumoniaApresentação pneumonia
Apresentação pneumonia
 
Apresentação mononucleose
Apresentação mononucleoseApresentação mononucleose
Apresentação mononucleose
 
Apresentação miocardite
Apresentação miocarditeApresentação miocardite
Apresentação miocardite
 
Apresentação micose
Apresentação micoseApresentação micose
Apresentação micose
 
Apresentação miastenia
Apresentação miasteniaApresentação miastenia
Apresentação miastenia
 
Apresentação meningite
Apresentação meningiteApresentação meningite
Apresentação meningite
 
Apresentação lupus
Apresentação lupusApresentação lupus
Apresentação lupus
 
Apresentação leucemia
Apresentação leucemiaApresentação leucemia
Apresentação leucemia
 
Apresentação insuficiência renal crônica
Apresentação insuficiência renal crônicaApresentação insuficiência renal crônica
Apresentação insuficiência renal crônica
 
Apresentação infarto
Apresentação infartoApresentação infarto
Apresentação infarto
 

Câncer de fígado

  • 2. INTRODUÇÃO • Hepatocarcinoma é o nome dado ao câncer primário do fígado. A doença inicial é potencialmente curável por meio de cirurgia, quando a ressecção completa da lesão pode ser realizada.
  • 3. CAUSAS • Todos os tipos de câncer são originados por uma multiplicação desordenada das células de determinado órgão. Não se sabe exatamente como as células se tornam, em dado momento, cancerígenas. • O hepatocarcinoma é um tumor raro no Brasil, relacionado em 50% dos casos com cirrose hepática, que pode estar associada a alcoolismo, hepatite crônica secundária e infecção pelo vírus das hepatites B ou C.
  • 4. SINTOMAS • Os sintomas podem passar despercebidos até que o tumor atinja um tamanho grande ou cause complicações. • Entre os possíveis sintomas estão: Dor na região direita superior do abdômen; Falta de apetite, perda de peso; Icterícia (cor amarelada das mucosas e da pele) e Aumento do tamanho do fígado e do abdômen.
  • 5. SINTOMAS • Como na maioria das vezes, a doença ocorre em indivíduos que já sabem ter cirrose; a primeira manifestação, nesses casos, pode ser uma piora abrupta de um quadro até então estável.
  • 6. DIAGNÓSTICO • O diagnóstico definitivo é dado após a realização da biópsia do tumor. Ultrassonografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética também são métodos válidos para diagnóstico da extensão da doença.
  • 7. TRATAMENTO • Procurar um médico com regularidade e, principalmente, aos primeiros sinais da doença é fundamental para que ele possa indicar o melhor tratamento para cada caso. • Somente o médico deverá orientar o paciente em relação aos procedimentos adequados e ao uso de remédios.
  • 8. TRATAMENTO • A ressecção cirúrgica da lesão é o tratamento que confere melhor prognóstico para o paciente, com taxas de cura entre 40% e 50%. No entanto, apenas 10%-15% dos doentes apresentam condições clínicas e extensão tumoral compatíveis com a realização dessa cirurgia. Alguns indivíduos podem ser candidatos ao transplante hepático, com intuito curativo. • Já em casos que limitem a possibilidade de cirurgia, o tratamento é realizado por meio de quimioterapia regional, ligadura ou embolização da artéria hepática, injeção percutânea de etanol, ablação por radiofrequência, crioterapia e quimioterapia sistêmica.
  • 9. PREVENÇÃO • A melhor forma de evitar a doença é a prevenção da cirrose, por meio do controle da ingestão abusiva de álcool, e das hepatites B e C, que pode ser realizada evitando-se o contato com sangue ou secreções de indivíduos contaminados e usando preservativo nas relações sexuais. • Em pacientes com cirrose, com risco bem maior de desenvolver o tumor, é recomendada a realização de ultrassonografia abdominal e dosagem de alfafetoproteína a cada 6-12 meses, na tentativa de detectar precocemente esse tipo de câncer.
  • 10. Procure sempre o seu médico. Fontes: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.c fm?idtxt=35005 http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?232 Exames: 1, 27, 14, 16, 17, 23 Editora médica: Dra. Anna Gabriela Fuks (615039-RJ) Jornalista responsável: Roberto Maggessi (31.250 RJ)