SlideShare uma empresa Scribd logo

O estádio das operações formais

Luis De Sousa Rodrigues
Luis De Sousa Rodrigues
Luis De Sousa RodriguesEsc Sec Reynaldo dos Santos

O estádio das operações formais

1 de 6
Baixar para ler offline
TEMA 6
CONCEÇÕES DE SER HUMANO
CAPÍTULO 4
PIAGET E O DESENVOLVIMENTO COGNITIVO
O ESTÁDIO DAS OPERAÇÕES FORMAIS
PSICOLOGIA B
O ESTÁDIO DAS OPERAÇÕES FORMAIS
Fase da evolução intelectual em que se forma e
desenvolve a capacidade de usar conceitos abstractos,
de pensar a partir de situações hipotéticas ou
possíveis.
Predomina o raciocínio hipotético-dedutivo e a
resolução lógica e sistemática de problemas.
O ESTÁDIO DAS OPERAÇÕES FORMAIS
Além de se distinguir o real do possível, distingue – se
a forma do conteúdo.
Esta capacidade é importante para se perceber a
noção de validade lógica dos argumentos.
O ESTÁDIO DAS OPERAÇÕES FORMAIS
No estádio das operações formais, o pensamento
deixa de estar limitado pela experiência de cada
sujeito, ou seja, não se limita ao presente nem ao que
é.
Um adolescente — um jovem no estádio das operações formais
— é capaz de raciocinar com sentido acerca de situações
hipotéticas (que nunca viveu ou das quais nunca teve
experiência). Pode pensar acerca de coisas que imagina, de
possibilidades e não só acerca de coisas que viu ou conhece.
O ESTÁDIO DAS OPERAÇÕES FORMAIS
As três aquisições fundamentais do estádio das operações
formais são:
a) A distinção entre o real e o possível – amplia o campo dos
objetos do pensamento.
b) A capacidade de pensar e de raciocinar de forma hipotética-
dedutiva, de pensar logicamente acerca de abstrações e de
possibilidades (a justiça, a verdade, a natureza da existência, o
bem e o mal, a beleza, etc.).
c) A forma sistemática de resolução de problemas
O adolescente coloca hipóteses e testa-as, não omitindo
possíveis soluções, recorrendo ao raciocínio lógico.
O ESTÁDIO DAS OPERAÇÕES FORMAIS
As três aquisições fundamentais do estádio das operações
formais são:
a) A distinção entre o real e o possível – amplia o campo dos
objetos do pensamento.
b) A capacidade de pensar e de raciocinar de forma hipotética-
dedutiva, de pensar logicamente acerca de abstrações e de
possibilidades (a justiça, a verdade, a natureza da existência, o
bem e o mal, a beleza, etc.).
c) A forma sistemática de resolução de problemas
O adolescente coloca hipóteses e testa-as, não omitindo
possíveis soluções, recorrendo ao raciocínio lógico.

Recomendados

Os estádios do desenvolvimento cognitivo segundo Jean Piaget
Os estádios do desenvolvimento cognitivo segundo  Jean PiagetOs estádios do desenvolvimento cognitivo segundo  Jean Piaget
Os estádios do desenvolvimento cognitivo segundo Jean PiagetTatati Semedo
 
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: PiagetDesenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: PiagetManô Araújo
 
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1Jorge Barbosa
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Erikson e o desenvolvimento psicossocial
Erikson e o desenvolvimento psicossocialErikson e o desenvolvimento psicossocial
Erikson e o desenvolvimento psicossocialpsicologiaazambuja
 
Análise ela canta pobre ceifeira alunos
Análise ela canta pobre ceifeira   alunosAnálise ela canta pobre ceifeira   alunos
Análise ela canta pobre ceifeira alunosPaulo Portelada
 
Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de BronfenbrennerModelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de BronfenbrennerThiago de Almeida
 
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piagetEstágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piagetAnaí Peña
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textualgracacruz
 
Período Sensório-Motor
 Período Sensório-Motor Período Sensório-Motor
Período Sensório-MotorIara Benvindo
 
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1psicologiaazambuja
 
Estádios de desenvolvimento de erikson
Estádios de desenvolvimento de eriksonEstádios de desenvolvimento de erikson
Estádios de desenvolvimento de eriksonmarco14cdc
 
Análise do poema Nao sei quantas almas tenho
Análise do poema Nao sei quantas almas tenhoAnálise do poema Nao sei quantas almas tenho
Análise do poema Nao sei quantas almas tenhoRicardo Santos
 
Apresentação jean piaget
Apresentação jean piagetApresentação jean piaget
Apresentação jean piagetpibidsociais
 
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias 1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias Bruno Djvan Ramos Barbosa
 
Estádio sensoriomotor psicologia,
Estádio sensoriomotor psicologia,Estádio sensoriomotor psicologia,
Estádio sensoriomotor psicologia,Lorredana Pereira
 
Filogénese e Ontogénese
Filogénese e OntogéneseFilogénese e Ontogénese
Filogénese e OntogéneseJorge Barbosa
 

Mais procurados (20)

Erikson e o desenvolvimento psicossocial
Erikson e o desenvolvimento psicossocialErikson e o desenvolvimento psicossocial
Erikson e o desenvolvimento psicossocial
 
Henri Wallon e sua teoria
Henri Wallon e sua teoriaHenri Wallon e sua teoria
Henri Wallon e sua teoria
 
Análise ela canta pobre ceifeira alunos
Análise ela canta pobre ceifeira   alunosAnálise ela canta pobre ceifeira   alunos
Análise ela canta pobre ceifeira alunos
 
Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de BronfenbrennerModelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
 
Jean piaget
Jean piagetJean piaget
Jean piaget
 
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piagetEstágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
Estágios do desenvolvimento cognitivo segundo jean piaget
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textual
 
Período Sensório-Motor
 Período Sensório-Motor Período Sensório-Motor
Período Sensório-Motor
 
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
 
Estádios de desenvolvimento de erikson
Estádios de desenvolvimento de eriksonEstádios de desenvolvimento de erikson
Estádios de desenvolvimento de erikson
 
Análise do poema Nao sei quantas almas tenho
Análise do poema Nao sei quantas almas tenhoAnálise do poema Nao sei quantas almas tenho
Análise do poema Nao sei quantas almas tenho
 
Psicologia B
Psicologia  BPsicologia  B
Psicologia B
 
A aprendizagem
A aprendizagem A aprendizagem
A aprendizagem
 
Desenvolvimento piaget
Desenvolvimento   piagetDesenvolvimento   piaget
Desenvolvimento piaget
 
HENRI WALLON
HENRI WALLONHENRI WALLON
HENRI WALLON
 
Apresentação jean piaget
Apresentação jean piagetApresentação jean piaget
Apresentação jean piaget
 
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias 1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
 
Estádio sensoriomotor psicologia,
Estádio sensoriomotor psicologia,Estádio sensoriomotor psicologia,
Estádio sensoriomotor psicologia,
 
O esquecimento
O esquecimentoO esquecimento
O esquecimento
 
Filogénese e Ontogénese
Filogénese e OntogéneseFilogénese e Ontogénese
Filogénese e Ontogénese
 

Semelhante a O estádio das operações formais

Filosofia 3º ano prova ii-bim
Filosofia 3º ano prova ii-bimFilosofia 3º ano prova ii-bim
Filosofia 3º ano prova ii-bimMary Alvarenga
 
Manual de investigação em ciências sociais
Manual de investigação em ciências sociaisManual de investigação em ciências sociais
Manual de investigação em ciências sociaisViviane Grimm
 
Para ler quando tiver vontade... (2)
Para ler quando tiver vontade... (2)Para ler quando tiver vontade... (2)
Para ler quando tiver vontade... (2)Denise Vilardo
 
Apresentação2006 Filosofia.
Apresentação2006 Filosofia.Apresentação2006 Filosofia.
Apresentação2006 Filosofia.Glauco Stein
 
Adorno educação para quê
Adorno educação para quêAdorno educação para quê
Adorno educação para quêNivaldo Freitas
 
Como formular um problema de pesquisa
Como formular um problema de pesquisaComo formular um problema de pesquisa
Como formular um problema de pesquisaLaércio Góes
 
Miniguia do Pensamento Critico
Miniguia do Pensamento CriticoMiniguia do Pensamento Critico
Miniguia do Pensamento CriticoJairo Siqueira
 
ENFILEIRAMENTO ESCOLAR: CONSIDERAÇÕES SOBRE A FORMAÇÃO DA AUTONOMIA E CRITICI...
ENFILEIRAMENTO ESCOLAR: CONSIDERAÇÕES SOBRE A FORMAÇÃO DA AUTONOMIA E CRITICI...ENFILEIRAMENTO ESCOLAR: CONSIDERAÇÕES SOBRE A FORMAÇÃO DA AUTONOMIA E CRITICI...
ENFILEIRAMENTO ESCOLAR: CONSIDERAÇÕES SOBRE A FORMAÇÃO DA AUTONOMIA E CRITICI...Emerson Mathias
 
Problema revisão hipotese
Problema revisão hipoteseProblema revisão hipotese
Problema revisão hipoteseThaís Bomfim
 
Sueli deslandes os elementos constitutivos do projeto de pesquisa
Sueli deslandes   os elementos constitutivos do projeto de pesquisaSueli deslandes   os elementos constitutivos do projeto de pesquisa
Sueli deslandes os elementos constitutivos do projeto de pesquisaGeovane Junior
 
Método Socrático em Terapia Cognitiva-Comportamental
Método Socrático em Terapia Cognitiva-ComportamentalMétodo Socrático em Terapia Cognitiva-Comportamental
Método Socrático em Terapia Cognitiva-ComportamentalMarcelo da Rocha Carvalho
 

Semelhante a O estádio das operações formais (20)

Filosofia 3º ano prova ii-bim
Filosofia 3º ano prova ii-bimFilosofia 3º ano prova ii-bim
Filosofia 3º ano prova ii-bim
 
Manual de investigação em ciências sociais
Manual de investigação em ciências sociaisManual de investigação em ciências sociais
Manual de investigação em ciências sociais
 
Para ler quando tiver vontade... (2)
Para ler quando tiver vontade... (2)Para ler quando tiver vontade... (2)
Para ler quando tiver vontade... (2)
 
Raciocinio logico
Raciocinio logicoRaciocinio logico
Raciocinio logico
 
Apresentação2006 Filosofia.
Apresentação2006 Filosofia.Apresentação2006 Filosofia.
Apresentação2006 Filosofia.
 
Adorno educação para quê
Adorno educação para quêAdorno educação para quê
Adorno educação para quê
 
Como formular um problema de pesquisa
Como formular um problema de pesquisaComo formular um problema de pesquisa
Como formular um problema de pesquisa
 
Manual de investigação
Manual de investigaçãoManual de investigação
Manual de investigação
 
Miniguia do Pensamento Critico
Miniguia do Pensamento CriticoMiniguia do Pensamento Critico
Miniguia do Pensamento Critico
 
Conhecimento
ConhecimentoConhecimento
Conhecimento
 
ENFILEIRAMENTO ESCOLAR: CONSIDERAÇÕES SOBRE A FORMAÇÃO DA AUTONOMIA E CRITICI...
ENFILEIRAMENTO ESCOLAR: CONSIDERAÇÕES SOBRE A FORMAÇÃO DA AUTONOMIA E CRITICI...ENFILEIRAMENTO ESCOLAR: CONSIDERAÇÕES SOBRE A FORMAÇÃO DA AUTONOMIA E CRITICI...
ENFILEIRAMENTO ESCOLAR: CONSIDERAÇÕES SOBRE A FORMAÇÃO DA AUTONOMIA E CRITICI...
 
Quimica Pcop Margarete
Quimica Pcop MargareteQuimica Pcop Margarete
Quimica Pcop Margarete
 
Problema revisão hipotese
Problema revisão hipoteseProblema revisão hipotese
Problema revisão hipotese
 
Coaching Ontológico
Coaching OntológicoCoaching Ontológico
Coaching Ontológico
 
Sueli deslandes os elementos constitutivos do projeto de pesquisa
Sueli deslandes   os elementos constitutivos do projeto de pesquisaSueli deslandes   os elementos constitutivos do projeto de pesquisa
Sueli deslandes os elementos constitutivos do projeto de pesquisa
 
Metodologias de Investigação
Metodologias de InvestigaçãoMetodologias de Investigação
Metodologias de Investigação
 
A aprendizagem.pptx
A aprendizagem.pptxA aprendizagem.pptx
A aprendizagem.pptx
 
Ciência e senso comum: concepções e abordagens
Ciência e senso comum: concepções e abordagensCiência e senso comum: concepções e abordagens
Ciência e senso comum: concepções e abordagens
 
Método Socrático em Terapia Cognitiva-Comportamental
Método Socrático em Terapia Cognitiva-ComportamentalMétodo Socrático em Terapia Cognitiva-Comportamental
Método Socrático em Terapia Cognitiva-Comportamental
 
Aula de conhecimento 2010.2
Aula de conhecimento 2010.2Aula de conhecimento 2010.2
Aula de conhecimento 2010.2
 

Mais de Luis De Sousa Rodrigues (20)

O essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofiaO essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofia
 
Unidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebroUnidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebro
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
 
Tipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagemTipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagem
 
Teorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoçõesTeorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoções
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
 
Raízes da vinculação
Raízes da vinculaçãoRaízes da vinculação
Raízes da vinculação
 
Processos conativos
Processos conativosProcessos conativos
Processos conativos
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
 
Perceção e gestalt
Perceção e gestaltPerceção e gestalt
Perceção e gestalt
 
Os processos emocionais
Os processos emocionaisOs processos emocionais
Os processos emocionais
 
Os grupos
Os gruposOs grupos
Os grupos
 
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
 
O que nos torna humanos
O que nos torna humanosO que nos torna humanos
O que nos torna humanos
 
Maslow e a motivação
Maslow e a motivaçãoMaslow e a motivação
Maslow e a motivação
 
Lateralidade cerebral
Lateralidade cerebralLateralidade cerebral
Lateralidade cerebral
 
Freud 9
Freud 9Freud 9
Freud 9
 
Freud 8
Freud 8Freud 8
Freud 8
 
Freud 7
Freud 7Freud 7
Freud 7
 
Freud 6
Freud 6Freud 6
Freud 6
 

O estádio das operações formais

  • 1. TEMA 6 CONCEÇÕES DE SER HUMANO CAPÍTULO 4 PIAGET E O DESENVOLVIMENTO COGNITIVO O ESTÁDIO DAS OPERAÇÕES FORMAIS PSICOLOGIA B
  • 2. O ESTÁDIO DAS OPERAÇÕES FORMAIS Fase da evolução intelectual em que se forma e desenvolve a capacidade de usar conceitos abstractos, de pensar a partir de situações hipotéticas ou possíveis. Predomina o raciocínio hipotético-dedutivo e a resolução lógica e sistemática de problemas.
  • 3. O ESTÁDIO DAS OPERAÇÕES FORMAIS Além de se distinguir o real do possível, distingue – se a forma do conteúdo. Esta capacidade é importante para se perceber a noção de validade lógica dos argumentos.
  • 4. O ESTÁDIO DAS OPERAÇÕES FORMAIS No estádio das operações formais, o pensamento deixa de estar limitado pela experiência de cada sujeito, ou seja, não se limita ao presente nem ao que é. Um adolescente — um jovem no estádio das operações formais — é capaz de raciocinar com sentido acerca de situações hipotéticas (que nunca viveu ou das quais nunca teve experiência). Pode pensar acerca de coisas que imagina, de possibilidades e não só acerca de coisas que viu ou conhece.
  • 5. O ESTÁDIO DAS OPERAÇÕES FORMAIS As três aquisições fundamentais do estádio das operações formais são: a) A distinção entre o real e o possível – amplia o campo dos objetos do pensamento. b) A capacidade de pensar e de raciocinar de forma hipotética- dedutiva, de pensar logicamente acerca de abstrações e de possibilidades (a justiça, a verdade, a natureza da existência, o bem e o mal, a beleza, etc.). c) A forma sistemática de resolução de problemas O adolescente coloca hipóteses e testa-as, não omitindo possíveis soluções, recorrendo ao raciocínio lógico.
  • 6. O ESTÁDIO DAS OPERAÇÕES FORMAIS As três aquisições fundamentais do estádio das operações formais são: a) A distinção entre o real e o possível – amplia o campo dos objetos do pensamento. b) A capacidade de pensar e de raciocinar de forma hipotética- dedutiva, de pensar logicamente acerca de abstrações e de possibilidades (a justiça, a verdade, a natureza da existência, o bem e o mal, a beleza, etc.). c) A forma sistemática de resolução de problemas O adolescente coloca hipóteses e testa-as, não omitindo possíveis soluções, recorrendo ao raciocínio lógico.