SlideShare uma empresa Scribd logo
PLÁTANO EDITORA
Esta descrição do processo motivacional baseia-se no conceito biológico de homeostase – a tendência natural do
organismo para manter um estado de equilíbrio interno. Imaginemos que passamos demasiado tempo sem beber
água. Surge uma necessidade que desencadeia no organismo um estado de tensão que o impele ou motiva para
reduzir o estado de desequilíbrio. O organismo é então ativado por uma pressão interna e orientado para um
objetivo: beber.Alcançado o objetivo, o organismo reequilibra-se, reduzindo-se ou desaparecendo a tensão
inicial. Esta sequência motivacional é um ciclo no qual se destacam os seguintes momentos:
Necessidade Pulsão ou impulso Ação ou resposta Objetivo Saciedade
O ciclo motivacional
Estado de
desequilíbrio
provocado por
uma carência
(falta de água)
Estado energético de
tensão que ativa e orienta
o comportamento (impele
o indivíduo para a
obtenção de bebida)
Atividade
desenvolvida
para satisfazer a
necessidade
(procurar água)
Finalidade desejada que
motivou a ação
(o objetivo a alcançar é
a ingestão de água na
quantidade necessária)
ESTADO DE
EQUILÍBRIO
FISIOLÓGICO
NECESSIDADE
BIOLÓGICA
(sede, fome, sono)
Provoca
um
impulso.A tensão
é reduzida.
Motiva o organismo para responder,
isto é, desenvolver uma atividade
orientada para um fim.
IMPULSO
(estado interno
de tensão)
ATIVIDADE ORIENTADA
PARA UM OBJETIVO
(ação desenvolvida ou motivada
para satisfazer a necessidade)
SATISFAÇÃO DA
NECESSIDADE
(a sede é saciada)
OBJETIVO
ALCANÇADO
Oequilí
brio é restaurado. O equilí
brioéperturbado.
Processos conativos
U1 - Síntese esquematica:Psicologia 12.º ano 8/4/09 12:24 PM Page 39

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A motivação
A motivaçãoA motivação
A motivação
psicologiaazambuja
 
As relações precoces
As relações precoces As relações precoces
As relações precoces
Luis De Sousa Rodrigues
 
Memória - Psicologia
Memória - PsicologiaMemória - Psicologia
Memória - Psicologia
Ana Felizardo
 
Psicologia e Motivação
 Psicologia e Motivação Psicologia e Motivação
Psicologia e Motivação
weronicasdj
 
Influência social
Influência socialInfluência social
Influência social
Vitor Manuel de Carvalho
 
Pensamento Convergente e Divergente
Pensamento Convergente e DivergentePensamento Convergente e Divergente
Pensamento Convergente e Divergente
Carlos Pessoa
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
Marcos Roberto
 
AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
Élida Tavares
 
Processos Mentais 1 - A Percepção
Processos Mentais 1 - A PercepçãoProcessos Mentais 1 - A Percepção
Processos Mentais 1 - A Percepção
Jorge Barbosa
 
Perceção
PerceçãoPerceção
Perceção
psicologiaazambuja
 
A aprendizagem
A aprendizagem A aprendizagem
A aprendizagem
Luis De Sousa Rodrigues
 
Os processos conativos
Os processos conativosOs processos conativos
Os processos conativos
Silvia Revez
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
Paulo Gomes
 
Os indivíduos e os grupos
Os indivíduos e os gruposOs indivíduos e os grupos
Os indivíduos e os grupos
Ana Isabel
 
Conação
ConaçãoConação
Conação
Rolando Almeida
 
Psicologia - A memória
Psicologia - A memóriaPsicologia - A memória
Psicologia - A memória
Olena Kolodiy
 
Processos Cognitivos - Resumo
Processos Cognitivos - ResumoProcessos Cognitivos - Resumo
Processos Cognitivos - Resumo
Jorge Barbosa
 
Psicologia-Genética
Psicologia-GenéticaPsicologia-Genética
Psicologia-Genética
norberto faria
 

Mais procurados (20)

A motivação
A motivaçãoA motivação
A motivação
 
As relações precoces
As relações precoces As relações precoces
As relações precoces
 
Memória - Psicologia
Memória - PsicologiaMemória - Psicologia
Memória - Psicologia
 
Psicologia e Motivação
 Psicologia e Motivação Psicologia e Motivação
Psicologia e Motivação
 
Influência social
Influência socialInfluência social
Influência social
 
Pensamento Convergente e Divergente
Pensamento Convergente e DivergentePensamento Convergente e Divergente
Pensamento Convergente e Divergente
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
 
AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES
AS EMOÇÕES
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
 
Processos Mentais 1 - A Percepção
Processos Mentais 1 - A PercepçãoProcessos Mentais 1 - A Percepção
Processos Mentais 1 - A Percepção
 
Perceção
PerceçãoPerceção
Perceção
 
A aprendizagem
A aprendizagem A aprendizagem
A aprendizagem
 
Os processos conativos
Os processos conativosOs processos conativos
Os processos conativos
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
 
Os indivíduos e os grupos
Os indivíduos e os gruposOs indivíduos e os grupos
Os indivíduos e os grupos
 
Conação
ConaçãoConação
Conação
 
Psicologia - A memória
Psicologia - A memóriaPsicologia - A memória
Psicologia - A memória
 
Processos Cognitivos - Resumo
Processos Cognitivos - ResumoProcessos Cognitivos - Resumo
Processos Cognitivos - Resumo
 
Psicologia-Genética
Psicologia-GenéticaPsicologia-Genética
Psicologia-Genética
 

Mais de Luis De Sousa Rodrigues

O essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofiaO essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofia
Luis De Sousa Rodrigues
 
Unidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebroUnidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebro
Luis De Sousa Rodrigues
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Tipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagemTipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagem
Luis De Sousa Rodrigues
 
Teorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoçõesTeorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoções
Luis De Sousa Rodrigues
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
Luis De Sousa Rodrigues
 
Raízes da vinculação
Raízes da vinculaçãoRaízes da vinculação
Raízes da vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Processos conativos
Processos conativosProcessos conativos
Processos conativos
Luis De Sousa Rodrigues
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Perceção e gestalt
Perceção e gestaltPerceção e gestalt
Perceção e gestalt
Luis De Sousa Rodrigues
 
Os processos emocionais
Os processos emocionaisOs processos emocionais
Os processos emocionais
Luis De Sousa Rodrigues
 
Os grupos
Os gruposOs grupos
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
Luis De Sousa Rodrigues
 
O que nos torna humanos
O que nos torna humanosO que nos torna humanos
O que nos torna humanos
Luis De Sousa Rodrigues
 
Maslow e a motivação
Maslow e a motivaçãoMaslow e a motivação
Maslow e a motivação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Lateralidade cerebral
Lateralidade cerebralLateralidade cerebral
Lateralidade cerebral
Luis De Sousa Rodrigues
 
Freud 9
Freud 9Freud 9
Freud 8
Freud 8Freud 8
Freud 7
Freud 7Freud 7
Freud 6
Freud 6Freud 6

Mais de Luis De Sousa Rodrigues (20)

O essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofiaO essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofia
 
Unidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebroUnidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebro
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
 
Tipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagemTipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagem
 
Teorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoçõesTeorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoções
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
 
Raízes da vinculação
Raízes da vinculaçãoRaízes da vinculação
Raízes da vinculação
 
Processos conativos
Processos conativosProcessos conativos
Processos conativos
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
 
Perceção e gestalt
Perceção e gestaltPerceção e gestalt
Perceção e gestalt
 
Os processos emocionais
Os processos emocionaisOs processos emocionais
Os processos emocionais
 
Os grupos
Os gruposOs grupos
Os grupos
 
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
 
O que nos torna humanos
O que nos torna humanosO que nos torna humanos
O que nos torna humanos
 
Maslow e a motivação
Maslow e a motivaçãoMaslow e a motivação
Maslow e a motivação
 
Lateralidade cerebral
Lateralidade cerebralLateralidade cerebral
Lateralidade cerebral
 
Freud 9
Freud 9Freud 9
Freud 9
 
Freud 8
Freud 8Freud 8
Freud 8
 
Freud 7
Freud 7Freud 7
Freud 7
 
Freud 6
Freud 6Freud 6
Freud 6
 

Ciclo motivacional

  • 1. PLÁTANO EDITORA Esta descrição do processo motivacional baseia-se no conceito biológico de homeostase – a tendência natural do organismo para manter um estado de equilíbrio interno. Imaginemos que passamos demasiado tempo sem beber água. Surge uma necessidade que desencadeia no organismo um estado de tensão que o impele ou motiva para reduzir o estado de desequilíbrio. O organismo é então ativado por uma pressão interna e orientado para um objetivo: beber.Alcançado o objetivo, o organismo reequilibra-se, reduzindo-se ou desaparecendo a tensão inicial. Esta sequência motivacional é um ciclo no qual se destacam os seguintes momentos: Necessidade Pulsão ou impulso Ação ou resposta Objetivo Saciedade O ciclo motivacional Estado de desequilíbrio provocado por uma carência (falta de água) Estado energético de tensão que ativa e orienta o comportamento (impele o indivíduo para a obtenção de bebida) Atividade desenvolvida para satisfazer a necessidade (procurar água) Finalidade desejada que motivou a ação (o objetivo a alcançar é a ingestão de água na quantidade necessária) ESTADO DE EQUILÍBRIO FISIOLÓGICO NECESSIDADE BIOLÓGICA (sede, fome, sono) Provoca um impulso.A tensão é reduzida. Motiva o organismo para responder, isto é, desenvolver uma atividade orientada para um fim. IMPULSO (estado interno de tensão) ATIVIDADE ORIENTADA PARA UM OBJETIVO (ação desenvolvida ou motivada para satisfazer a necessidade) SATISFAÇÃO DA NECESSIDADE (a sede é saciada) OBJETIVO ALCANÇADO Oequilí brio é restaurado. O equilí brioéperturbado. Processos conativos U1 - Síntese esquematica:Psicologia 12.º ano 8/4/09 12:24 PM Page 39