SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
FILOSOFIA 11.º ano 
FFIILLOOSSOOFFIIAA 1111..º aannoo 
Luís Rodrigues 
Falácia do espantalho ou do 
boneco de palha
Falácia do «boneco de 
palha» 
FILOSOFIA 11.º ano 
Distorcem-se as ideias do adversário para as 
atacar mais facilmente. A tese do adversário é 
deturpada para ser atacada, mas isso significa 
que se falha o alvo. 
Ex.: O João diz que, para se protegerem certas 
espécies, os Jardins Zoológicos são importantes. 
Então mais valia prenderem todos os animais. 
Falácia do boneco de palha
A falácia do boneco de palha consiste em distorcer ou deturpar 
as ideias do interlocutor para facilitar a conclusão de que são erradas. 
Derruba-se uma caricatura das ideias do interlocutor – um «homem 
de palha» em vez de se derrubar ‒ as suas ideias. 
FILOSOFIA 11.º ano 
FORMA LÓGICA DA FALÁCIA DO BONECO DE 
PALHA (OU ESPANTALHO) 
A afirma X. 
B distorce X transformando X em Y. 
B ataca Y. 
B pensa que atacou X. 
Logo, B falha o alvo. 
Falácia do boneco de palha
O boneco de palha 
Exemplos: 
Falácia do boneco de palha 
1. Pai Não podes ver esse filme. Ainda não ‒ tens idade para isso. 
Filho ‒Ah, então não queres que eu me divirta. Isso não é justo! 
Deturpa-se a posição da autoridade paterna para mais facilmente a tentar atacar. 
2. ‒Este romance é muito difícil para pessoas de 12 anos. 
‒ Estou a ver. Só queres que leiam banda desenhada do Tio Patinhas. 
Não se defende que se deva reduzir as leituras das crianças a certo tipo de banda 
desenhada, mas unicamente que há obras literárias mais acessíveis e adequadas a 
crianças de 12 anos. 
FILOSOFIA 11.º ano

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Tipos de argumentos indutivos
Tipos de argumentos indutivosTipos de argumentos indutivos
Tipos de argumentos indutivos
 
falácias informais
falácias informaisfalácias informais
falácias informais
 
Logica informal
Logica informalLogica informal
Logica informal
 
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
 
O problema da indução
O problema da induçãoO problema da indução
O problema da indução
 
Apelo falacioso à ignorância
Apelo falacioso à ignorânciaApelo falacioso à ignorância
Apelo falacioso à ignorância
 
Cap01.3 Teses, proposições e negação
Cap01.3 Teses, proposições e negaçãoCap01.3 Teses, proposições e negação
Cap01.3 Teses, proposições e negação
 
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b final
 
Popper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcaçãoPopper – o problema da demarcação
Popper – o problema da demarcação
 
Determinismo_radical
Determinismo_radicalDeterminismo_radical
Determinismo_radical
 
O ceticismo de hume
O ceticismo de humeO ceticismo de hume
O ceticismo de hume
 
A definição tradicional de conhecimento
A definição tradicional de conhecimentoA definição tradicional de conhecimento
A definição tradicional de conhecimento
 
Formas de inferência válidas
Formas de inferência válidasFormas de inferência válidas
Formas de inferência válidas
 
Resumos filosofia 11
Resumos filosofia 11Resumos filosofia 11
Resumos filosofia 11
 
Hume_problemas_existência_eu_mundo_Deus
Hume_problemas_existência_eu_mundo_DeusHume_problemas_existência_eu_mundo_Deus
Hume_problemas_existência_eu_mundo_Deus
 
Determinismo Radical
Determinismo RadicalDeterminismo Radical
Determinismo Radical
 
Cepticismo
CepticismoCepticismo
Cepticismo
 
Argumentos de autoridade
Argumentos de autoridadeArgumentos de autoridade
Argumentos de autoridade
 
Actos Ilocutórios
Actos IlocutóriosActos Ilocutórios
Actos Ilocutórios
 
Tipos de conhecimento
Tipos de conhecimentoTipos de conhecimento
Tipos de conhecimento
 

Destaque

Falácias Informais - Filosofia e retórica
Falácias Informais - Filosofia e retóricaFalácias Informais - Filosofia e retórica
Falácias Informais - Filosofia e retóricaIsaque Tomé
 
Argumentos e falácias informais
Argumentos e falácias informaisArgumentos e falácias informais
Argumentos e falácias informaisJulieta Martins
 
Falácias e erros de raciocínio
Falácias e erros de raciocínioFalácias e erros de raciocínio
Falácias e erros de raciocínioHélio Consolaro
 
Ficha de trabalho – filosofia – 11º ano
Ficha de trabalho – filosofia – 11º anoFicha de trabalho – filosofia – 11º ano
Ficha de trabalho – filosofia – 11º anoj_sdias
 
Argumentos e Falácias
Argumentos e FaláciasArgumentos e Falácias
Argumentos e FaláciasIsaque Tomé
 
Medição em Química
Medição em Química Medição em Química
Medição em Química Rui Barqueiro
 
Argumentação, Retórica e Filosofia - 1
Argumentação, Retórica e Filosofia - 1Argumentação, Retórica e Filosofia - 1
Argumentação, Retórica e Filosofia - 1Jorge Barbosa
 

Destaque (7)

Falácias Informais - Filosofia e retórica
Falácias Informais - Filosofia e retóricaFalácias Informais - Filosofia e retórica
Falácias Informais - Filosofia e retórica
 
Argumentos e falácias informais
Argumentos e falácias informaisArgumentos e falácias informais
Argumentos e falácias informais
 
Falácias e erros de raciocínio
Falácias e erros de raciocínioFalácias e erros de raciocínio
Falácias e erros de raciocínio
 
Ficha de trabalho – filosofia – 11º ano
Ficha de trabalho – filosofia – 11º anoFicha de trabalho – filosofia – 11º ano
Ficha de trabalho – filosofia – 11º ano
 
Argumentos e Falácias
Argumentos e FaláciasArgumentos e Falácias
Argumentos e Falácias
 
Medição em Química
Medição em Química Medição em Química
Medição em Química
 
Argumentação, Retórica e Filosofia - 1
Argumentação, Retórica e Filosofia - 1Argumentação, Retórica e Filosofia - 1
Argumentação, Retórica e Filosofia - 1
 

Mais de Luis De Sousa Rodrigues (20)

O essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofiaO essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofia
 
Unidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebroUnidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebro
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
 
Tipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagemTipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagem
 
Teorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoçõesTeorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoções
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
 
Raízes da vinculação
Raízes da vinculaçãoRaízes da vinculação
Raízes da vinculação
 
Processos conativos
Processos conativosProcessos conativos
Processos conativos
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
 
Perceção e gestalt
Perceção e gestaltPerceção e gestalt
Perceção e gestalt
 
Os processos emocionais
Os processos emocionaisOs processos emocionais
Os processos emocionais
 
Os grupos
Os gruposOs grupos
Os grupos
 
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
 
O que nos torna humanos
O que nos torna humanosO que nos torna humanos
O que nos torna humanos
 
Maslow e a motivação
Maslow e a motivaçãoMaslow e a motivação
Maslow e a motivação
 
Lateralidade cerebral
Lateralidade cerebralLateralidade cerebral
Lateralidade cerebral
 
Freud 9
Freud 9Freud 9
Freud 9
 
Freud 8
Freud 8Freud 8
Freud 8
 
Freud 7
Freud 7Freud 7
Freud 7
 
Freud 6
Freud 6Freud 6
Freud 6
 

A falácia do boneco de palha

  • 1. FILOSOFIA 11.º ano FFIILLOOSSOOFFIIAA 1111..º aannoo Luís Rodrigues Falácia do espantalho ou do boneco de palha
  • 2. Falácia do «boneco de palha» FILOSOFIA 11.º ano Distorcem-se as ideias do adversário para as atacar mais facilmente. A tese do adversário é deturpada para ser atacada, mas isso significa que se falha o alvo. Ex.: O João diz que, para se protegerem certas espécies, os Jardins Zoológicos são importantes. Então mais valia prenderem todos os animais. Falácia do boneco de palha
  • 3. A falácia do boneco de palha consiste em distorcer ou deturpar as ideias do interlocutor para facilitar a conclusão de que são erradas. Derruba-se uma caricatura das ideias do interlocutor – um «homem de palha» em vez de se derrubar ‒ as suas ideias. FILOSOFIA 11.º ano FORMA LÓGICA DA FALÁCIA DO BONECO DE PALHA (OU ESPANTALHO) A afirma X. B distorce X transformando X em Y. B ataca Y. B pensa que atacou X. Logo, B falha o alvo. Falácia do boneco de palha
  • 4. O boneco de palha Exemplos: Falácia do boneco de palha 1. Pai Não podes ver esse filme. Ainda não ‒ tens idade para isso. Filho ‒Ah, então não queres que eu me divirta. Isso não é justo! Deturpa-se a posição da autoridade paterna para mais facilmente a tentar atacar. 2. ‒Este romance é muito difícil para pessoas de 12 anos. ‒ Estou a ver. Só queres que leiam banda desenhada do Tio Patinhas. Não se defende que se deva reduzir as leituras das crianças a certo tipo de banda desenhada, mas unicamente que há obras literárias mais acessíveis e adequadas a crianças de 12 anos. FILOSOFIA 11.º ano