V.S.C., sexo feminino, 36 anos, parda, solteira, marisqueira, natural e
procedente de Saubara-BA.
Paciente vem com queixa ...
V.S.C., sexo feminino, 36 anos, parda, solteira, marisqueira, natural e
procedente de Saubara-BA.
Paciente vem com queixa ...
2 ANOS
• Intolerância a
Atividades
• Perdeu 20 kgs
30 DIAS
• Dor Abd. Em Cólica QID
• Diarreia (7-8/dia)
• Hematoquezia
• ...
MUCOSAS
HIPOCRÔMICAS
INTOLERÂNCIA
À ATIVIDADES
HABITUAIS
FR = 22 ipm
FC = 110 bpm
SÍNDROME
ANÊMICA
2 ANOS
• Intolerância a...
DIARREIA
PERDEU
20KGS
DOR À
PALPAÇÃO DE
QID
DOR
ABDOMINAL
EM CÓLICA
HEMATOQUEZIA
FEBRE
SÍNDROME DO
INTESTINO
IRRITÁVEL?CA ...
DIARREIA
PERDEU
20KGS
DOR À
PALPAÇÃO DE
QID
DOR
ABDOMINAL
EM CÓLICA
HEMATOQUEZIA
2 ANOS
• Intolerância a
Atividades
• Perd...
DIARREIA
PERDEU
20KGS
DOR À
PALPAÇÃO DE
QID
DOR
ABDOMINAL
EM CÓLICA
HEMATOQUEZIA
2 ANOS
• Intolerância a
Atividades
• Perd...
DIARREIA
PERDEU
20KGS
DOR À
PALPAÇÃO DE
QID
DOR
ABDOMINAL
EM CÓLICA
HEMATOQUEZIA
2 ANOS
• Intolerância a
Atividades
• Perd...
CA DE CÓLON?
COLÓN ASCENDENTE:
Sangramento oculto
Fadiga
Palpitação
Anemia
Angina de Peito
RETOSSIGMOIDE:
Hematoquezia
Ten...
DIARREIA PERDEU
20KGS
DOR À
PALPAÇÃO DE
QID
DOR
ABDOMINAL
EM CÓLICA
HEMATOQUEZIA
CA DE CÓLON?
FEBRE
ANEMIA
SANGRAMENTO RET...
DIARREIA
PERDEU
20KGS
DOR À
PALPAÇÃO DE
QID
DOR
ABDOMINAL
EM CÓLICA
HEMATOQUEZIA
2 ANOS
• Intolerância a
Atividades
• Perd...
RELEMBRANDO DIARREIA...
DIARREIA
Pode ser definida como a eliminação de fezes amolecidas, de
consistência líquida, fenômeno que geralmente vem aco...
DIARREIA AGUDA OU DIARREIA CRÔNICA?
• Dura menos de 2 semanas (normalmente 72h)
• 90% causa infecciosa.
• Maioria dos caso...
DIARREIA AGUDA
DIARREIA AGUDA
• Quando não infecciosa (10%):
1. Álcool e efeito colateral de medicações
2. Sorbitol
3. Dieta Enteral
4. C...
E O QUE FAZER...?
• NO CASO DAS DIARREIAS AGUDAS:
• A maioria é autolimitada (24-72h) + sem desidratação
aparente.
• INVES...
DIARREIA CRÔNICA
Osmótica
• Acúmulo de
solutos não
absorvidos.
• Em geral, cessa
com o jejum.
• Ex: Laxantes,
Intolerância...
E O QUE FAZER...?
• NO CASO DAS DIARREIAS CRÔNICAS:
Abordagem está sempre indicada!
a) Hemograma e Bioquímica
b) Pesquisa ...
QUAIS EXAMES SOLICITAMOS...?
HEMOGRAMA BIOQUÍMICA
PESQUISA DE
LEUCÓCITOS
FECAIS
PESQUISA DE
SANGUE OCULTO
PESQUISA DE
GORD...
DOENÇAS INFLAMATÓRIAS
INTESTINAIS
Doença de Crohn(DC)
e
Retocolite ulcerativa (RCU)
INTRODUÇÃO
Perturbações crônicas em que o intestino se inflama,
provocando muitas vezes cólicas abdominais recorrentes
e d...
EPIDEMIOLOGIA
Maior incidência: América do Norte, Reino Unido
e Norte da Europa; (Brancos e Judeus)
A DC e a RCU podem oco...
FISIOPATOLOGIA
Gatilho não totalmente conhecido;
Três vias prováveis de ativação:
• Predisposição genética;
• Desregulação...
Tabagismo
• RCU melhor evolução
• DC pior prognóstico
DIFERENÇAS
Critérios de diferenciação entre RCU e DC:
• Clínicos;
• Endoscópicos;
• Histológicos;
Não é possível a diferen...
ANATOMOPATOLOGIA
Retocolite ulcerativa:
• Ulceração contínua (RetoCólon)
3 princípios básicos:
Exclusiva do cólon Mucosa ...
 Restrita a mucosa retal ou atinge o sigmoide (40% a
50%);
Estende-se até a flexura esplênica (30% a 40%);
 Vai além da...
RETOCOLITE ULCERATIVA
Aspecto macroscópico:
NormalDesnudamento;
Nítida demarcação;
Hiperemia, edema, mucosa friável, e...
 Uniforme e contínua;
 Sem áreas de mucosa
normal entremeadas;
ANATOMOPATOLOGIA
Doença de Crohn:
• Ulceração transmural;
• Pode ocorrer em qualquer parte do trato gastrointestinal(boca-...
DOENÇA DE CROHN
Aspecto macroscópico:
Acometimento em diversos locais, separados por trechos normais;
Alterações inflama...
DOENÇA DE CROHN
Início com formação de úlceras aftoides:
-”Pedras de calçamento”;
-Aprofundamentos resultando em Fístulas...
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
Retocolite ulcerativa:
• Início insidioso;
Diarreia sanguinolenta
-Variação na intensidade
e duraçã...
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
Processo confinado ao retossigmoide:
• Fezes normais ou endurecidas;
• Pode haver constipação;
• S...
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
Doença de Crohn:
Diarreia
Dor
abdominal
FebrePerda de peso
Massa
palpável
(QID)
Doença
perianal
Aco...
MANIFESTAÇÕES EXTRAINTESTINAIS
Manifestações articulares: (25%)
• Artralgias até artrites agudas;
• Artrite não deformant...
MANIFESTAÇÕES EXTRAINTESTINAIS
Manifestações hepáticas e biliares:
• Hepatite focal;
• Cirrose biliar;
• Pericolangite;
...
DIAGNÓSTICO
Laboratorial:
• Hemograma, proteína C reativa (PCR) e velocidade de
hemossedimentação (VSH);
• Albumina plasmá...
DIAGNÓSTICO
Exames de imagem:
• RCU
-Retossigmoidoscopia com biópsia;
-Colonoscopia com biópsia (contraindicada na suspeit...
DIAGNÓSTICO
• DC:
-Ileocolonoscopia com biópsia;
Comprometimento salteado;
Úlceras aftosas;
Estenose;
Fissuras;
DIAGNÓSTICO
Exames radiológicos:
• Clister opaco;
• Trânsito Intestinal;
• Radiografia simples do abdome;
Ulcerações supe...
DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS
Diarreias infecciosas;
-Vírus: Duram pouco e não são inflamatórias;
-Bactéria: Autolimitadas e ...
DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS
Síndrome do cólon irritável:
-Não apresenta característica inflamatória;
-Clister opaco e a sig...
DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS
CA de cólon:
-DII como fator de risco;
-Sintomas semelhantes aos sintomas da própria DII;
-Gera...
TRATAMENTO
RCU:
• Tratamento da fase aguda
-Aminossalicilato;
-Corticóides(Prednisona-40mg/dia);
-Imunomoduladores;
• Tra...
TRATAMENTO
DC:
• Fase aguda
-Corticoides;
-Antibióticos (Metronidazol);
-Imunomoduladores(Azatioprina);
-Aminossalicilato...
RCU X DC
RCU X DC
REFERÊNCIAS
• MEDCURSO 2010, Caderno Gastroenterologia; Vol 2
• MEDCURSO 2014, Caderno Gastroenterologia; Vol 2
• ROBBINS;...
Aula 31- Doenças inflamatórias intestinais
Aula 31- Doenças inflamatórias intestinais
Aula 31- Doenças inflamatórias intestinais
Aula 31- Doenças inflamatórias intestinais
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 31- Doenças inflamatórias intestinais

2.242 visualizações

Publicada em

Aula sobre doenças inflamatórias intestinais

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Aula 31- Doenças inflamatórias intestinais

  1. 1. V.S.C., sexo feminino, 36 anos, parda, solteira, marisqueira, natural e procedente de Saubara-BA. Paciente vem com queixa de dor abdominal do tipo cólica (5/10) em quadrante inferior direito e diarreia, com 7-8 evacuações diárias, iniciados há 30 dias. Refere episódios de hematoquezia e febre não mensurada associados ao quadro. Relata que há dois anos vem se sentindo muito cansada, com intolerância à realização das atividades habituais e perdeu cerca de 20kgs nesse período. Nega DM, HAS, doenças prévias, internações, alergias. Exame físico: Bom estado geral, consciente; emagrecida; mucosas hipocrômicas 3+/4+; FC=110bpm, FR=22ipm, PA=90x60mmHg; dor à palpação em quadrante inferior direito, sem sinais de irritação peritoneal.
  2. 2. V.S.C., sexo feminino, 36 anos, parda, solteira, marisqueira, natural e procedente de Saubara-BA. Paciente vem com queixa de dor abdominal do tipo cólica (5/10) em quadrante inferior direito e diarreia, com 7-8 evacuações diárias, iniciados há 30 dias. Refere episódios de hematoquezia e febre não mensurada associados ao quadro. Relata que há dois anos vem se sentindo muito cansada, com intolerância à realização das atividades habituais e perdeu cerca de 20kgs nesse período. Nega DM, HAS, doenças prévias, internações, alergias. Exame físico: Bom estado geral, consciente; emagrecida; mucosas hipocrômicas 3+/4+; FC=110bpm, FR=22ipm, PA=90x60mmHg; dor à palpação em quadrante inferior direito, sem sinais de irritação peritoneal.
  3. 3. 2 ANOS • Intolerância a Atividades • Perdeu 20 kgs 30 DIAS • Dor Abd. Em Cólica QID • Diarreia (7-8/dia) • Hematoquezia • Febre HOJE • Mucosas Hipocrômicas • FC = 110bpm • FR = 22ipm • Dor à palpação de QID
  4. 4. MUCOSAS HIPOCRÔMICAS INTOLERÂNCIA À ATIVIDADES HABITUAIS FR = 22 ipm FC = 110 bpm SÍNDROME ANÊMICA 2 ANOS • Intolerância a Atividades • Perdeu 20 kgs 30 DIAS • Dor Abd. Em Cólica QID • Diarreia (7-8/dia) • Hematoquezia • Febre HOJE • Mucosas Hipocrômicas • FC = 110bpm • FR = 22ipm • Dor à palpação de QID
  5. 5. DIARREIA PERDEU 20KGS DOR À PALPAÇÃO DE QID DOR ABDOMINAL EM CÓLICA HEMATOQUEZIA FEBRE SÍNDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL?CA DE CÓLON? DOENÇAS INFLAMATÓRIAS INTESTINAIS? SINAIS E SINTOMAS X SUSPEITAS DIAGNÓSTICAS ANEMIA DIARREIA INFECCIOSA?
  6. 6. DIARREIA PERDEU 20KGS DOR À PALPAÇÃO DE QID DOR ABDOMINAL EM CÓLICA HEMATOQUEZIA 2 ANOS • Intolerância a Atividades • Perdeu 20 kgs 30 DIAS • Dor Abd. Em Cólica QID • Diarreia (7-8/dia) • Hematoquezia • Febre HOJE • Mucosas Hipocrômicas • FC = 110bpm • FR = 22ipm • Dor à palpação de QID FEBRE ANEMIA DIARRÉIA INFECCIOSA?
  7. 7. DIARREIA PERDEU 20KGS DOR À PALPAÇÃO DE QID DOR ABDOMINAL EM CÓLICA HEMATOQUEZIA 2 ANOS • Intolerância a Atividades • Perdeu 20 kgs 30 DIAS • Dor Abd. Em Cólica QID • Diarreia (7-8/dia) • Hematoquezia • Febre HOJE • Mucosas Hipocrômicas • FC = 110bpm • FR = 22ipm • Dor à palpação de QID FEBRE ANEMIA SÍNDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL? FALTOU NA HISTÓRIA: - Alteração na dieta como fator de piora? - Ciclo Menstrual? - Fatores Psicossociais? - Obstipação? Gases? RGE? Náuseas? Vômitos? SINAIS DE ALERTA QUE SUGEREM DOENÇA ORGÂNICA • Hematoquezia • Anemia • Perda Ponderal • História Familiar de CA • Febre Recorrente • Diarreia Crônica Intensa
  8. 8. DIARREIA PERDEU 20KGS DOR À PALPAÇÃO DE QID DOR ABDOMINAL EM CÓLICA HEMATOQUEZIA 2 ANOS • Intolerância a Atividades • Perdeu 20 kgs 30 DIAS • Dor Abd. Em Cólica QID • Diarreia (7-8/dia) • Hematoquezia • Febre HOJE • Mucosas Hipocrômicas • FC = 110bpm • FR = 22ipm • Dor à palpação de QID FEBRE CA DE CÓLON? ANEMIA FALTOU NA HISTÓRIA: - História Familiar Positiva? - Dieta? - Fuma? - Ritmo Intestinal? - Colonoscopia prévia? - Palpação?
  9. 9. CA DE CÓLON? COLÓN ASCENDENTE: Sangramento oculto Fadiga Palpitação Anemia Angina de Peito RETOSSIGMOIDE: Hematoquezia Tenesmo Diminuição do calibre das fezes Febre? Perda de 20kgs? SÍNDROME CONSUPTIVA COLÓN TRANSVERSO E DESCENDENTE: Cólicas Abdominais Sangramento Oculto Alteração de Ritmo Intestinal O que vamos pedir? COLONOSCOPIA C/ BIÓPSIA!
  10. 10. DIARREIA PERDEU 20KGS DOR À PALPAÇÃO DE QID DOR ABDOMINAL EM CÓLICA HEMATOQUEZIA CA DE CÓLON? FEBRE ANEMIA SANGRAMENTO RETAL / ALTERAÇÃO DOS HÁBITOS INTESTINAIS TOQUE RETAL PROCTOSSIGMOIDOSCOPIA
  11. 11. DIARREIA PERDEU 20KGS DOR À PALPAÇÃO DE QID DOR ABDOMINAL EM CÓLICA HEMATOQUEZIA 2 ANOS • Intolerância a Atividades • Perdeu 20 kgs 30 DIAS • Dor Abd. Em Cólica QID • Diarreia (7-8/dia) • Hematoquezia • Febre HOJE • Mucosas Hipocrômicas • FC = 110bpm • FR = 22ipm • Dor à palpação de QID FEBRE ANEMIA DOENÇAS INFLAMATÓRIAS INTESTINAIS? FALTOU NA HISTÓRIA: - História Familiar Positiva? - Fuma? - Ciclo Menstrual? - Intolerante a Lactose? - Fatores Psicossociais? - Ritmo Intestinal? - Palpação? O que vamos pedir? Parasitológico de fezes Coprocultura Biópsia RCU: Retossigmoidoscopia c/ biópsia. DC: Ileocolonoscopia c/ biópsia. Colonoscopia RCU ou DC?
  12. 12. RELEMBRANDO DIARREIA...
  13. 13. DIARREIA Pode ser definida como a eliminação de fezes amolecidas, de consistência líquida, fenômeno que geralmente vem acompanhado de: a) Aumento no número de evacuações diárias b) Aumento da massa fecal diária (acima de 200mg/dia) Ocorre quando o balanço entre absorção e secreção de fluidos pelos intestinos está prejudicada, por redução da absorção e/ou aumento de secreção.
  14. 14. DIARREIA AGUDA OU DIARREIA CRÔNICA? • Dura menos de 2 semanas (normalmente 72h) • 90% causa infecciosa. • Maioria dos casos apresenta de 3 – 7 evacuações/dia DIARREIA AGUDA • Dura entre 2 e 4 semanas DIARREIA PERSISTENTE • Dura mais que 4 semanas • Não tem uma casa mais comum. DIARREIA CRÔNICA
  15. 15. DIARREIA AGUDA
  16. 16. DIARREIA AGUDA • Quando não infecciosa (10%): 1. Álcool e efeito colateral de medicações 2. Sorbitol 3. Dieta Enteral 4. Colite Isquêmica 5. Alergia alimentar...
  17. 17. E O QUE FAZER...? • NO CASO DAS DIARREIAS AGUDAS: • A maioria é autolimitada (24-72h) + sem desidratação aparente. • INVESTIGAÇÃO: a) Hemograma e Bioquímica b) Exame de fezes (EAF) + pesquisa de Leucócitos Fecais/lactoferrina fecal SE POSITIVO:COPROCULTURA! c) Parasitológico de Fezes EXAMES: NADA! * Elementos Anormais nas Fezes
  18. 18. DIARREIA CRÔNICA Osmótica • Acúmulo de solutos não absorvidos. • Em geral, cessa com o jejum. • Ex: Laxantes, Intolerância a Lactose, Grandes quantidades de sorbitol. Secretória • Estimulação de secreção de cloreto para luz intestinal. • Fezes aquosas e de grande volume, que persistem no jejum. • Ex: Ingestão Crônica de Álcool, Tumores produtores de hormônios, Infecções bacterianas. Disabsortiva • Má absorção de carboidratos e ác. graxos. • Esteatorreia • Ex: Doença Celíaca, DC, Insuf. Pancreática exócrina, Colestase. Inflamatória • Doenças infecciosas que inibem a absorção e estimulam a secreção. • Febre, muco e sangue nas fezes, perda ponderal e dor abdominal. • Ex: Amebíase, DII, Colite colágenosa.
  19. 19. E O QUE FAZER...? • NO CASO DAS DIARREIAS CRÔNICAS: Abordagem está sempre indicada! a) Hemograma e Bioquímica b) Pesquisa de Leucócitos Fecais + Pesquisa de Sangue Oculto + Pesquisa de Gordura Fecal c) Parasitológico de fezes (3 amostras) d) Dosagem de eletrólitos fecais e) pH fecal f) PACIENTES IMUNODEPRIMIDOS: Pesquisar agentes oportunistas.
  20. 20. QUAIS EXAMES SOLICITAMOS...? HEMOGRAMA BIOQUÍMICA PESQUISA DE LEUCÓCITOS FECAIS PESQUISA DE SANGUE OCULTO PESQUISA DE GORDURA FECAL PARASITOLÓGICO DE FEZES COPROCULTURA COLONOSCOPIA C/ BIÓPSIA ASCA e Anti- OmpC
  21. 21. DOENÇAS INFLAMATÓRIAS INTESTINAIS Doença de Crohn(DC) e Retocolite ulcerativa (RCU)
  22. 22. INTRODUÇÃO Perturbações crônicas em que o intestino se inflama, provocando muitas vezes cólicas abdominais recorrentes e diarreia; Refere-se a dois distúrbios inflamatórios: Retocolite ulcerativa; Doença de Crohn;
  23. 23. EPIDEMIOLOGIA Maior incidência: América do Norte, Reino Unido e Norte da Europa; (Brancos e Judeus) A DC e a RCU podem ocorrer em qualquer idade; Doença de Crohn -Pico de incidência: 1º)15-30 anos 2º)60-70anos -Mulher>Homem Retocolite ulcerativa -Pico de incidência: 1º)20-40anos 2º)60-70anos -Mulher=Homem
  24. 24. FISIOPATOLOGIA Gatilho não totalmente conhecido; Três vias prováveis de ativação: • Predisposição genética; • Desregulação imunológica; • Antígeno ambiental;
  25. 25. Tabagismo • RCU melhor evolução • DC pior prognóstico
  26. 26. DIFERENÇAS Critérios de diferenciação entre RCU e DC: • Clínicos; • Endoscópicos; • Histológicos; Não é possível a diferenciação em 20% dos casos(colite indeterminada);
  27. 27. ANATOMOPATOLOGIA Retocolite ulcerativa: • Ulceração contínua (RetoCólon) 3 princípios básicos: Exclusiva do cólon Mucosa e Submucosa Tipicamente ascendente e uniforme
  28. 28.  Restrita a mucosa retal ou atinge o sigmoide (40% a 50%); Estende-se até a flexura esplênica (30% a 40%);  Vai além da flexura esplênica (20% a 30%);
  29. 29. RETOCOLITE ULCERATIVA Aspecto macroscópico: NormalDesnudamento; Nítida demarcação; Hiperemia, edema, mucosa friável, erosões, ulcerações e exsudação de muco, pus ou sangue; Formação de pseudopólipos; Mucosa pálida, atrófica;
  30. 30.  Uniforme e contínua;  Sem áreas de mucosa normal entremeadas;
  31. 31. ANATOMOPATOLOGIA Doença de Crohn: • Ulceração transmural; • Pode ocorrer em qualquer parte do trato gastrointestinal(boca-ânus); • Acometimento não homogênio; • Descontínuo; Doença do íleo e ceco (40%) Restrita ao intestino delgado(30%) Restrita ao cólon(25%)
  32. 32. DOENÇA DE CROHN Aspecto macroscópico: Acometimento em diversos locais, separados por trechos normais; Alterações inflamatórias transmurais: -Espessamento da parede intestinal; -Estreitamento do lúmen(estenose); -Fístulas;
  33. 33. DOENÇA DE CROHN Início com formação de úlceras aftoides: -”Pedras de calçamento”; -Aprofundamentos resultando em Fístulas; Granulomas não caseosos(30%); Colite de Crohn(20%); Reto preservado(50%) Ileíte de Crohn(20%)
  34. 34. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Retocolite ulcerativa: • Início insidioso; Diarreia sanguinolenta -Variação na intensidade e duração; -Períodos assintomáticos intercalados -Pequeno volume Exame retal : dor e sangue na luva Dor abdominal Febre
  35. 35. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Processo confinado ao retossigmoide: • Fezes normais ou endurecidas; • Pode haver constipação; • Sintomas sistêmicos leves ou ausentes; Diarreia intensa: • Distúrbios eletrolíticos (hipopotassemia);
  36. 36. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Doença de Crohn: Diarreia Dor abdominal FebrePerda de peso Massa palpável (QID) Doença perianal Acometimento extenso e crônico do delgado: • Sindrome disabsortiva grave(desnutrição e debilidade crônica); -Alça intestinal edemaciada -Abcesso intra-abdominal
  37. 37. MANIFESTAÇÕES EXTRAINTESTINAIS Manifestações articulares: (25%) • Artralgias até artrites agudas; • Artrite não deformante e migratória; Cutâneo-mucosas(15%) • Eritema nodoso; • Pioderma gangrenoso; • Lesões labiais e ulceras aftosas orais;
  38. 38. MANIFESTAÇÕES EXTRAINTESTINAIS Manifestações hepáticas e biliares: • Hepatite focal; • Cirrose biliar; • Pericolangite; Manifestações renais: • Cálculos renais de oxalacetato de cálcio e ácido úrico;
  39. 39. DIAGNÓSTICO Laboratorial: • Hemograma, proteína C reativa (PCR) e velocidade de hemossedimentação (VSH); • Albumina plasmática; • Ferro e ferritina sérica; • Parasitológico de fezes e coprocultura; • Marcadores sorológicos: p-ANCA (60-70% RCU); ASCA(60-70% DC);
  40. 40. DIAGNÓSTICO Exames de imagem: • RCU -Retossigmoidoscopia com biópsia; -Colonoscopia com biópsia (contraindicada na suspeita de megacólon); Lesão inflamatória do reto e cólon sigmóide; Uniforme e contínuo; Ulcerações; Friabilidade;
  41. 41. DIAGNÓSTICO • DC: -Ileocolonoscopia com biópsia; Comprometimento salteado; Úlceras aftosas; Estenose; Fissuras;
  42. 42. DIAGNÓSTICO Exames radiológicos: • Clister opaco; • Trânsito Intestinal; • Radiografia simples do abdome; Ulcerações superficiais; Pseudopólipos; Fístulas;
  43. 43. DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS Diarreias infecciosas; -Vírus: Duram pouco e não são inflamatórias; -Bactéria: Autolimitadas e minoria inflamatória; OBS: Salmonella, Shigella Detecção de toxina nas fezes;
  44. 44. DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS Síndrome do cólon irritável: -Não apresenta característica inflamatória; -Clister opaco e a sigmoideoscopia normais; -Dor abdominal crônica recorrente + Alteração do hábito intestinal + Ausência de alterações macro ou microscópicas; - Associação com dor crônica em outros locais e depressão; - Melhora com a defecação;
  45. 45. DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS CA de cólon: -DII como fator de risco; -Sintomas semelhantes aos sintomas da própria DII; -Geralmente começa com o desenvolvimento de pólipos benignos (crescimentos de tecido); -Colonoscopia com biópsia; -Retirada e analise dos pólipos;
  46. 46. TRATAMENTO RCU: • Tratamento da fase aguda -Aminossalicilato; -Corticóides(Prednisona-40mg/dia); -Imunomoduladores; • Tratamento de manutenção: -Aminossalicilatos(Sulfassalazina); -Dieta (reposição de ferro, ácido fólico); • Cirurgia(colectomia);
  47. 47. TRATAMENTO DC: • Fase aguda -Corticoides; -Antibióticos (Metronidazol); -Imunomoduladores(Azatioprina); -Aminossalicilato; • Manutenção -Dieta(suplementação de ferro, cálcio, vitamina, exclusão de lactose e gordura); -Imunomoduladores; • Cirurgia;
  48. 48. RCU X DC
  49. 49. RCU X DC
  50. 50. REFERÊNCIAS • MEDCURSO 2010, Caderno Gastroenterologia; Vol 2 • MEDCURSO 2014, Caderno Gastroenterologia; Vol 2 • ROBBINS; COTRAN. PATOLOGIA: BASES PATOLÓGICAS DAS DOENÇAS; 8ª EDIÇÃO • GOLDMAN; AUSIELLO. CECIL MEDICINA INTERNA; 23ª EDIÇÃO • KASPER, JAMESON. HARRISON – Medicina Interna - 2 Volume; 18ª edição. • http://www.medicinaatual.com.br/doencas/doenca-inflamatoria-intestinal.html

×