notícias              engenharia              NOTÍCIAS DE QUEM FAZ A PETROBRAS                                      Abaste...
editorial                                      Parceria com Instituto Promundoresponsabilidade social                     ...
Chapas de aço para as FPSOs do Pré-sal                                                                                    ...
Ieds conclui dutos da P-56e&p               Implementação de Empre-                                                       ...
Iegn conclui montagem das esferas do                                                                                      ...
Ierf aposta em bons resultados com novos contratosabasTeciMenTo                                              assinatura de...
Ierb entrega HDT de Coque à Refinaria                                                                                     ...
Ierc dá partida à Torre de ResfriamentoabasTeciMenTo                                            do Plangás na Reduc       ...
Iere assume obras de CDAs e BAVs                                                                                          ...
Obras da                                      P-57 contribui paranoTas                        Replan                      ...
Engenharia e Contabilidade assinam Termo                                                                                  ...
Concluído o Processo de DesdobramentoGesTÃo                        de Metas 2011                  Processo de Desdo-      ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

226

1.545 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.545
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

226

  1. 1. notícias engenharia NOTÍCIAS DE QUEM FAZ A PETROBRAS Abastecimento em foco Eliana Fernandesano 21 n0 226 Fevereiro 2011 O mês de fevereiro foi marcado RPBC (Ierb) também contratou uma a segunda tocha da carteira de ga- por importantes realizações da En- nova HDT, a de diesel, e entregou solina e ainda cravou a primeira es- genharia para a Área de Abasteci- outra, a de gasolina. taca da HDT de nafta de coque da mento da Petrobras. A Implemen- A Implementação de Empreen- Replan. Em outro canto do país, a tação de Empreendimentos para dimentos para Reduc (Ierc) tam- Implementação de Empreendimen- Refap (Ierf) assinou o contrato dos bém concluiu mais um importante tos para a Rnest (Ierenest) iniciou a off-sites das Unidades de Hidrotra- projeto, a Torre de Resfriamento do pré-fabricação das tubulações para tamento (HDT) de Diesel e de Ge- Plangás na refinaria. Já a Implemen- as Unidades de Coqueamento Re- ração de Hidrogênio. A Implemen- tação de Empreendimentos para tardado e também executou a pri- tação de Empreendimentos para Replan (Iern) entregou para o cliente meira estaca das tubovias.  Obra da P-63 no Brasil  Concluídos dutos da  Metas dos indicadores para pág. 3 P-55 2011 pág. 4 pág. 12
  2. 2. editorial Parceria com Instituto Promundoresponsabilidade social começa em março esse mês de fevereiro, N a diretoria da Petrobras aprovou o processo de contratação para construção no Brasil das primeiras sete sondas de perfuração. Isso representou para Engenharia uma importan- te vitória, uma vez que mostrou ser viável a construção no Bra- sil, a preços competitivos com o mercado internacional, dessas unidades vitais para os planos da Petrobras, principalmente no que diz respeito à exploração do pré- sal. Aguardamos agora apenas a conclusão da estruturação so- cietária da nova empresa que vai assumir as sondas, a Sete Brasil S.A (Sete BR), para assinatura dos contratos de construção. Coordenação de Responsa- da criança e do adolescente. Tem ain- O valor apresentado na licitação, de aproximadamente US$ 4,6 bi- A bilidade Social da Engenharia em parceria com o Instituto da como plano a discussão sobre as normas que influenciam as relações lhões, dá uma ideia do tamanho da Promundo inicia, em março, um pro- entre homens e mulheres e interferem responsabilidade que temos pela jeto de sensibilização sobre gênero, na saúde sexual e reprodutiva de ado- frente. A obra vai ser realizada saúde e sexualidade. Ele é voltado lescentes e jovens. pelo Estaleiro Atlântico Sul, loca- para adolescentes, jovens, lideran- Entre os temas abordados nas lizado em Pernambuco, e deve ças comunitárias, agentes de saúde, atividades lúdicas e debates estão: gerar cerca de 32 mil empregos profissionais de educação e integran- gênero, sexualidade, saúde sexual, diretos e indiretos, com previsão tes de instituições de 11 estados saúde reprodutiva e violência. Tam- para entrada em operação da pri- brasileiros. O projeto beneficiará 68 bém serão abordadas formas de meira sonda em 2015. comunidades em mais de 30 cidades garantir a proteção dos direitos de Mas isso é apenas o início, através de oficinas sobre gênero, se- crianças, adolescentes e jovens, e visto que ainda temos o desa- xualidade e saúde. as diferenças de poder relacionadas fio de construir no Brasil outras A ideia de patrocinar o Instituto à faixa etária, com a elaboração de 21 sondas. Nos últimos anos, a Promundo, uma Organização não Go- planos de ação para a promoção da Petrobras conseguiu criar as con- vernamental (ONG), surgiu diante da equidade de gênero e da saúde se- dições para que seja técnica e demanda crescente das Unidades de xual e reprodutiva de adolescentes e economicamente viável construir Implementação de Empreendimentos jovens. plataformas de produção no Bra- da Engenharia de todo o Brasil, que Durante todo o ano, serão reali- sil. Agora, com as novas obras convivem com problemas nacionais zadas oficinas em todo o país para que temos pela frente, faremos como a gravidez precoce e explora- cerca de 2.000 pessoas. As primeiras o mesmo com as plataformas de ção sexual infantil, entre outros temas oficinas acontecerão em março em perfuração. relacionados à juventude. Manaus (AM), Esplanada (BA) e Mogi A proposta das oficinas é unir re- das Cruzes e Suzano (SP). Fundado Pedro Barusco presentantes de diferentes áreas, a em 1997, o Promundo busca a igual- fim de estabelecer ações integradas dade de gênero e o fim da violência Gerente Executivo entre setores de saúde, educação, co- contra mulheres, crianças e jovens, munidade, políticas públicas e redes realizando trabalhos no âmbito local, municipais de proteção dos direitos nacional e internacional. engenharia Gerente executivo: Pedro José Barusco editor responsável: Marco Antonio Pessoa (Mtb MG 89.540 JP) comitê editorial: Renata Baruzzi (AG), Paulo Durão (Ieept), Jornalistas: Mariza Pelegrineti e Terezinha Lopes notícias Jussara de Campos Miranda (leabast), Marlan Rodrigues (leteg), colaboradores: Moema Coelho, Alexandre Monteiro, Patrícia Lenice Rangel (SL), Mário Reis (RH), Frederico Vieira (Ierenest), Ciancio, Cleide Rodrigues. 2 Giovanni de Sousa Almeida (Iecomperj), Luiz Carlos Bayum (Ieupmcn) e Maurício Lamartine (Iepremium). diagramação: Inah de Paula Comunicações (inahdepaula.com.br) noticiasenge@petrobras.com.br (chave: NOTE) coordenação editorial: Carmen Prudente
  3. 3. Chapas de aço para as FPSOs do Pré-sal e&p chegam a Rio Grande a noite de 8 de fevereiro o Genro, acompanhado de uma co- total de US$ 3,46 bilhões, foram assi- N navio Stx Azalea atracou no cais sul do Estaleiro Rio mitiva formada por secretários de estado e assessores, esteve no es- nados no dia 11 de novembro. Cada plataforma, todas do tipo FPSO, teráGrande (ERG), no Rio Grande (RS), taleiro no dia 16. O prefeito de Rio capacidade para processar diaria-com as primeiras 20 mil toneladas de Grande, Fábio Branco, e deputados mente até 150 mil barris de óleo e 6chapas de aço para os oito cascos da região também participaram da milhões de m³ de gás. O corte dasdos FPSOs do Pré-Sal da Bacia de visita ao estaleiro. chapas para a construção dos cas-Santos. O descarregamento de apro- Os oito cascos serão construídos cos começará em março. Os doisximadamente 5.000 chapas, vindas pela Engevix Engenharia S.A., com primeiros deverão ser entregues ain-da Coréia, começou na manhã se- previsão de conteúdo local de, no da em 2013, enquanto os demais, aoguinte, após a realização do Diálogo mínimo, 70%. Os contratos, no valor longo de 2014 e 2015.de Segurança, Meio Ambiente e Saú- Gisele Leitede (DSMS) Geral, feito pelo gerente deQualidade, Segurança, Meio Ambien-te e Saúde (QSMS) da Implementaçãode Empreendimentos para o Pré-Sal(Iepsa), Fábio Augusto Doniak. Toda a operação foi acompanha-da pela fiscalização da Iepsa, como apoio da Implementação de Em-preendimento para a P-55 (IEP-55),e concluída em seis dias. A chega-da do aço para o início das obras O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, visitou o ERG após a chega-dos cascos das plataformas levou o da dos primeiros carregamentos de aço para os cascos dos FPSOs do Pré-sal.governador do Rio Grande do Sul a Na foto, o governador recebe informações sobre a obra.visitar o Estaleiro Rio Grande. Tarso Iniciada a construção da P-63 no Brasil s primeiros cortes e sol- P-63, Pedro Mayer, cerca de 400 prevista para o dia 22 de abril. No O das de tubulação para a plataforma P-63, realiza- pessoas trabalham atualmente no estaleiro. Além da fabricação de total, serão necessárias 2.100 tone- ladas para a construção dos seisdos no estaleiro da Quip, em Rio tubulação e infraestrutura do can- módulos da P-63 em Rio Grande,Grande (RS), no dia 7 de fevereiro, teiro, está sendo instalado no local que deverão estar prontos até janeiromarcaram o início das atividades de um guindaste com capacidade de de 2012, quando o navio chegará daconstrução e montagem da P-63 no 3.200 toneladas, que será utilizado China para as atividades de lifting eBrasil. Representantes da empresa para o lifting dos módulos. Serão integração” - explicou Mayer.contratada e da Implementação de fabricadas mil toneladas de tubu- A FPSO P-63 irá processar a pro-Empreendimentos para Papa-Terra lação para os módulos que serão dução proveniente de seis poços(Ieppt), responsável pela fiscalização construídos em Rio Grande. satélites, além de toda a produção dada obra, participaram do evento. “A chegada de um carregamen- Tension Leg Wellhead Platform (TLWP) Segundo o gerente de constru- to com 900 toneladas de estrutura P-61, totalizando 140 mil barris diários.ção e montagem dos módulos da metálica, fabricadas na Turquia, está Módulos produzidos noAcervo Engenharia estaleiro da Quip: • Separador de alta • Separador de baixa • Tratador eletrostático • Remoção de sulfato • Compressão e Tratamento de gás Maquete eletrônica da P-63. No dia 7 de fevereiro começaram os primeiros • Injeção de água e Tratamen- cortes e soldas de tubulações, que marcaram o início das atividades de cons- to de água produzida trução e montagem da plataforma no Brasil. 3 • Torre do Flare
  4. 4. Ieds conclui dutos da P-56e&p Implementação de Empre- Ranimiro Lotufo A endimentos para Dutos Submarinos (Ieds) con- cluiu, em fevereiro, a construção e instalação dos dutos que viabiliza- rão o escoamento da produção de petróleo e gás natural da plataforma P-56. Esse projeto foi executado no “estado da arte”, incluindo várias inovações técnicas. A exportação do gás será realizada através de um gasoduto rígido de 10 polegadas de diâmetro e cerca de 9 km de extensão que interligará a P-56, em lâmina d’água de 1.670 m, à P-51, a uma profundidade de 1.255 m. Navio Seven Oceans, que foi utilizada para lançamento dos dutos da P-56. O desafio maior foi a instalação de dois oleodutos rígidos de 12 sua passagem. Por isso, o petróleo Outros desafios enfrentados pela polegadas de diâmetro e 13 km de Ieds foram a quantidade de equipa- precisa manter a temperatura em extensão, que interligarão as pla- mentos submarinos (quatro por duto) valores elevados para ser transpor- taformas P-56 e P-38. Esses oleo- em relação à pequena extensão da tado até a plataforma P-38. dutos irão operar com temperatura linha (13 km), inviabilizando o seu A temperatura de operação dos de 90º C, devido às profundidades lançamento contínuo, e a quantidade oleodutos exigiu que a Engenharia em que os dutos foram instalados de cruzamentos (dez) de dutos pré- (de 1.028 m a 1.670 m), o que faz utilizasse, pela primeira vez, tubos revestidos com polipropileno sin- existentes, exigindo todo o planeja- com que a temperatura externa mento específico, tanto no projeto (ou seja, da água do mar) fique em tático, com 80 mm de espessura. quanto na fase construtiva. torno de 4º C. Também foram utilizadas duas es- Essa grande quantidade de cruza- Como o petróleo a ser escoado tacas de sucção para ancorar os mentos, aliado ao desafio termome- é do tipo pesado, se o duto não dutos, devido ao desafio de pro- cânico gerado pela alta temperatura mantiver a temperatura do óleo, a jeto para acomodar os efeitos da de operação dos oleodutos, levou à parafina que existe em sua compo- expansão térmica gerado pela alta utilização de suportes de concreto, sição irá se solidificar, impedindo a temperatura. em lugar de mantas. Essa foi a pri- meira vez no mundo que suportes de Ranimiro Lotufo concreto foram utilizados em águas profundas. O uso dos suportes de concreto le- vou a um outro pioneirismo em proje- tos Petrobras: o emprego de strakes, uma cobertura plástica “dentada” que é instalada sobre o duto para evitar a vibração gerada pela correnteza. Os strakes servem para reduzir os efeitos de fadiga produzidos pela movimen- tação da linha, aumentando a vida útil do duto. Outro pioneirismo da Ieds foi a uti- lização, pela primeira vez em toda a Petrobras, da norma DNV-OS-F101, revisão de 2007, que mudou uma sé- Neste projeto foi empregada uma nova tecnologia, os strakes, uma cobertura rie de parâmetros de projetos. Tam- plástica “dentada” que é instalada sobre o duto para evitar a vibração gerada bém foram utilizadas as mais recentes pela correnteza.4 especificações técnicas de soldagem.
  5. 5. Iegn conclui montagem das esferas do loGÍsTica Terminal da Ilha Comprida Implementação de Empre- A Fernanda Ramos endimentos de Gás Natural (Iegn) concluiu a constru- ção das esferas de gás liquefeito de petróleo (GLP), alguns dos principais equipamentos do Terminal Aquaviá- rio da Ilha Comprida (Taic), em fase de construção e montagem na Baía de Guanabara (RJ). São três esfe- ras pressurizadas, cada uma com capacidade de armazenamento de 3.180 m³ de GLP. A conclusão da construção e montagem, seguida do respectivo comissionamento, consis- te no final da Fase I do projeto Taic, que é a entrega para a Transpetro do sistema de recebimento, arma- Cada uma das esferas do Taic possui capacidade de armazenamento de 3.180 m³ de GLP. zenamento e carregamento de GLP pressurizado, bem como suas utili- dades e sistemas de emergência. uma técnica inovadora na construção pré-montadas na Ilha Comprida. De- A construção das três esferas foi das esferas. As semiesferas supe- pois disso, as próximas fases foram a executada pela empresa SVM, que riores (equadores superiores) foram complementação da soldagem, reali- concluiu a obra em um prazo de 18 montadas no estaleiro Briclog, no zação de ensaios não destrutivos de meses. Devido ao reduzido espaço Caju, e depois transportadas, içadas ultrasom, tratamento térmico, teste na Ilha Comprida, a Iegn optou por e acopladas nas partes inferiores, já hidrostático, jateamento e pintura. Mais uma licença para o PDD/SP Companhia Ambiental do Com seis polegadas de diâmetro e tre a Petrobras e a CPTM, para não A Estado de São Paulo (Ce- tesb) concedeu, no dia 9 12 quilômetros de extensão, o novo duto será instalado entre a Refina- interferir na circulação dos trens. Por essa razão, o trabalho é complexo, de fevereiro, licença de instalação ria de Capuava (Recap), em Mauá, apesar da curta extensão da linha. (LI) para implantação de um dos e o Terminal da Transpetro, em São O trecho receberá ainda um sistema dutos do programa Plano Diretor Caetano do Sul. A Implementação óptico de transmissão para interligarRoberto Mourão/Banco de Imagens Transpetro de Dutos de São Paulo (PDD/SP). de Empreendimentos para Plano válvulas do duto entre a Recap e o Diretor de Dutos (Iepdd) começou a Terminal de São Caetano do Sul. mobilizar equipe para as obras. O órgão ambiental prevê liberar A linha fará o transporte de gás outras LIs até março. As emissões liquefeito de petróleo (GLP). As equi- são para a construção da Estação pes irão atuar dentro de uma área de Bombeamento de São Bernardo compartilhada pela Companhia Pau- do Campo e a implantação de dutos lista de Trens Metropolitanos (CPTM) de 12 e 14 polegadas para transpor- – que atende 330 mil pessoas por dia tar GLP da Baixada Santista à Região nesse trecho – e pela MRS Logística, Metropolitana de São Paulo. Essas concessionária que controla, opera e obras fazem parte do projeto 1 do monitora a malha sudeste da Rede PDD/SP, assim como a construção Ferroviária Federal para o transporte do laboratório no Terminal de Gua- de cargas gerais. O serviço será feito rulhos e adequações no Terminal de em horários especiais, acordado en- Cubatão e na Recap. Duto será implantado em faixa existente, ao lado de linha férrea, entre a Refina- ria de Capuava e o Terminal da Transpetro de São Caetano do Sul. 5
  6. 6. Ierf aposta em bons resultados com novos contratosabasTeciMenTo assinatura de dois grandes a construção das novas Unida- cia à pré-operação e à partida, e A contratos de EPC comple- to com a mesma empresa des de Hidrotratamento de Diesel (HDT II) e de Geração de Hidrogê- operação assistida dos off-sites das Unidades, de Hidrotratamento de - a UTC Engenharia - para as obras nio (UGH II). No valor de R$ 1,14 Diesel II (UHDT II - U-0710) e de das novas Unidades de Hidrotra- bilhão, o documento prevê a exe- Geração de Hidrogênio II (UGH tamento de Diesel e Geração de cução dos serviços de engenharia, II –U-0704); instalações de novas Hidrogênio, e do off-site da UHDT II da suprimento, construção, montagem unidades de processo auxiliares e Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), eletromecânica, testes, condiciona- utilidades, ampliação e adequações “poderá representar ganho global no mento, assistência à pré-operação em unidades existentes da refinaria. desenvolvimento da obra, no prazo e e à partida e operação assistida O contrato contempla ainda a im- diminuição de interfaces”. A declara- do on-site das unidades de hidro- plementação da 3ª tocha química e ção é do gerente da Implementação tatamento de Diesel II (UHDT II), e de segurança; a Unidade de Águas de Empreendimentos para a Refap Unidade de geração de hidrogênio Residuais VI (UAR-VI) e a ampliação (Ierf), José Antonio Galarza. Os dois II U-0704 (UGH II). da Torre de Resfriamento II. contratos somam investimentos de Já no dia 7 de fevereiro, também A construção da Unidade de Hi- R$ 1,6 bilhão. no Edise, foi assinado o contrato do drotratamento de Diesel da Refap Segundo Galarza, que coordenou off-site da UHDT II, com investimen- visa produzir diesel S-10, combus- no dia 14 de fevereiro a reunião de to de R$ 450 milhões. Esse contrato tível com baixo teor de enxofre, kick-off dos off-sites da UHDT, essa é prevê a execução dos serviços de reforçando o compromisso da Pe- a maior obra que a UTC Engenharia já engenharia, suprimento, constru- trobras em ofertar ao mercado assumiu na Petrobras. ção, montagem eletromecânica, produtos de alta qualidade, além de “O fato das obras do on-site e do testes, condicionamento, assistên- atender à legislação. off-site serem realizadas pela mes- Acervo Ierf ma empresa representa um ganho muito importante. É uma experiên- cia nova, um modelo diferente do que vem sendo feito até agora” – disse ele. “Temos dois contratos diferentes, com estruturas distintas, independentes para tocar a obra. Porém, como a mesma empresa foi vencedora das duas licitações, ha- verá a redução das interfaces o que, acreditamos, facilitará a condução dos trabalhos”- afirmou Galarza. os contratos No dia 12 de janeiro, no Edifício Maquete eletrônica da Unidade de Hidrotamento de Diesel da Refap, que será Sede da Petrobras (Edise), no Rio de construída pela Ierf. Janeiro, foi assinado o contrato para Fabiano Campbell HdT ii / UGH ii • Capacidade para tratar 6.000 m3/d de diesel com baixo teor de enxofre (máximo 10 ppm) (HDT) • Capacidade para produzir 1.250.000 Nm3/d de hidrogênio, com pureza de 99% (UGH) Diferencial: possibilidade de carga de gás natural, gás de refinaria, butanos e nafta. • Duração da obra: três anos • Conteúdo nacional: superior a 70% do valor contratual 6 Evento de assinatura do contrato do off-site da UHDT da Refap aconteceu no • Geração de 5,2 mil postos de tra- dia 7 de fevereiro no Edise. balho no pico das obras
  7. 7. Ierb entrega HDT de Coque à Refinaria abasTeciMenTo Presidente Bernardes ntrou em operação, no dia RPBC (Ierb). Assim como a Unidade de melhor qualidade. Consequen- E 14 de fevereiro, a Unidade de Hidrotratamento de Nafta de Hidrodessulfurização de Nafta Craqueada e a Unidade de Reforma temente, gera maior receita nas exportações de gasolina, além da de Coque (HDT) da Refinaria Presi- Catalítica (CCR), a nova Unidade faz antecipação do atendimento às dente Bernardes (RPBC), entregue parte da Carteira de Gasolina. novas especificações da gasolina no dia 29 de janeiro pela Implemen- A modernização da Carteira ga- para o mercado interno. tação de Empreendimentos para a rante a obtenção de um produto A HDT de Nafta de Coque irá operar com 2.200m³/d de carga,Wilson Melo sendo 1.100m³/d de nafta de coque e 1.100m³/d de nafta de destila- ção. A mistura será convertida em duas correntes, ambas estáveis e praticamente isentas de enxofre. A mais leve será destinada à gasoli- na ou nafta petroquímica e a mais pesada, ao pool de diesel. Assim, haverá a redução do teor de enxo- fre desses produtos. O início da construção da HDT foi em agosto de 2007. No pico das obras, a Carteira de Gasoli- Vista da Unidade de Hidrotratamento de Nafta de Coque (HDT) da RPBC, que entrou na chegou a contar com mais de em operação no dia 14 de fevereiro. 4.000 trabalhadores. Contratadas novas unidades de HDT de Diesel e UGH da RPBC uas cerimônias marcaram a do consórcio como por parte da Pe- O escopo da contratação da uni- D assinatura do contrato para a construção de novas uni- trobras” – disse Rebonato. “Esse empreendimento é de extre- dade, que terá capacidade para tratar 10.000 m³/d de diesel, contem-dades de Hidrotratamento de Diesel ma importância para a RPBC. O diesel pla alguns sistemas de off-site, comoe Geração de Hidrogênio da Refinaria é o nosso principal produto e com a estocagem de nitrogênio; Condicio-Presidente Bernardes (RPBC). No dia Carteira de Diesel, teremos condição namento de Condensado; Torre de4 de fevereiro, na Implementação deEmpreendimentos para a RPBC (Ierb), de produzir o diesel S10” - lembrou Resfriamento; Sistema de Desmi-o gerente Osvaldo Celso Rebonato, e Wilivaldo Palfi, gerente de Empreen- neralização; ampliação da Casa derepresentantes do consórcio Tomé/ dimentos da RPBC, que participou da Ar-Comprimido; Casa de ControleTechnip (Tomé Engenharia S.A. e Te- assinatura do contrato com o gerente- Local; Subestação Elétrica e suas res-chnip Brasil Engenharia, Instalações geral da RPBC, William França da Silva. pectivas interligações.e Apoio Marítimo Ltda.) assinaram João Pinhoo documento. No dia 9, no EdifícioSede da Petrobras (Edise), foi realiza-da nova cerimônia, com o diretor deAbastecimento, Paulo Roberto Costa,e representantes do consórcio. Com validade de mil dias corridos,a partir da assinatura, o contrato é dotipo EPC (engenharia, suprimento,construção e montagem). “A comple-xidade dos trabalhos e as metas queterão de ser alcançadas demandarão 7 Cerimônia de assinatura do contrato realizada no dia 4 de fevereiro nas instalações da Ierb.um ritmo muito intenso, tanto por parte
  8. 8. Ierc dá partida à Torre de ResfriamentoabasTeciMenTo do Plangás na Reduc Torre de Resfriamento gerenciada pela Implementação de cionamento de Líquidos e da A (1366) do Plano de Ante- cipação da Produção de Empreendimentos para Reduc (Ierc) e tem capacidade para resfriar 12 Unidade de Metil Etil Amina (MEA) do Plangás. A temperatura da água Gás (Plangás) entrou em operação milhões de litros de água por hora. ao chegar na Torre de Resfriamen- no dia 24 de fevereiro, na Refinaria A torre é responsável pelo to é de 45ºC. Após o processo, a Duque de Caxias (Reduc). A obra foi resfriamento da Unidade de Fra- água retorna às unidades a 32º C. É importante destacar que a Tor- re possui um sistema que detecta Acervo Ierc vazamento de hidrocarbonetos nas linhas, o que possibilita fazer a manutenção do equipamento danificado, evitando assim uma maior contaminação da água. Das seis células que foram cons- truídas para o resfriamento, três atenderão ao Plangás, e as outras três serão destinadas à futura Unidade da Carteira de Diesel. Torre de Resfriamento do Plangás da Reduc tem capacidade para resfriar 12 milhões de litros de água por hora. Assinado contrato de construção do Pátio de Coque para a Refinaria Abreu e Lima Gerência de Implementa- dicionamento, testes, assistência da Refinaria do Nordeste (AB- A ção de Empreendimentos de Obras de Construção técnica e treinamentos dos ope- radores da refinaria. A cerimônia PGI/Rnest), Wilson Guilherme, o presidente e o diretor industrial Civil, Edificações e Infraestrutu- de assinatura foi realizada no dia da Refinaria Abreu e Lima S.A., ra (Ieocv) da Refinaria Abreu e 10 de fevereiro no Edifício Sede Marcelino Guedes e Sylvestre Lima, em Ipojuca, Pernambuco, da Petrobras (Edise), no Rio de Calmon, respectivamente, e o ge- assinou com o Consórcio Fidens Janeiro. rente da Ieocv, Heleno Lira. Milplan (Fidens Engenharia S.A e Heleno Lira destacou que a Milplan Engenharia, Construções assinatura do contrato do Pátio e Montagens Ltda.), o contrato Contrato tem valor de Manuseio de Coque repre- para a construção da Unidade senta um passo importante no de Manuseio de Coque (U-68) de R$ 340 milhões e cumprimento do cronograma e da refinaria. prazo de 870 dias no atendimento aos objetivos No valor de R$ 340 milhões e do projeto da Refinaria Abreu prazo de 870 dias, o contrato pre- e Lima. “Com a assinatura da vê a execução de serviços e o Participaram da assinatura do Autorização de Serviços (AS), ga- fornecimento de materiais, forne- contrato o Diretor de Abastecimen- rantiremos a partida das Unidades cimento parcial de equipamentos, to, Paulo Roberto Costa, o gerente de Coque na data estabelecida projeto, construção civil, montagem geral da Ierenest, Glauco Legatti, no cronograma integrado do em- eletromecânica, preservação, con- o gerente geral de Implantação preendimento”. 8
  9. 9. Iere assume obras de CDAs e BAVs serViÇos Implementação de Empre- “A gestão da nova carteira está Acervo Iere A endimentos para o Refino (Iere) diversifica seus proje- aproveitando as infraestruturas e ex- pertise de negócio da Iere. Como ostos em 2011 com as obras dos Centros CDAs e as BAVs estão em muitosde Defesa Ambiental (CDAs) e Bases locais, a equipe de sede faz o pla-Avançadas (BAVs) em nove estados. nejamento e controle e a fiscalizaçãoEsses postos, da área de Segurança, de campo é feita pelas gerências deMeio Ambiente, Eficiência Energética Construção e Montagem, no Sudes-e Saúde (SMES), asseguram maior te, Sul e Norte/Nordeste. Trata-se deproteção às unidades operacionais um grande desafio”, afirma Carlos Maquete do CDA de Mocanguê, no Rioda companhia – refinarias, terminais Eduardo Silva Pereira de Souza, ge- de Janeiro, que será construído pela Iere.e plataformas. Cada CDA e/ou BAV é rente do empreendimento.equipado com lanchas, aparelhos decomunicação, mantas absorventes, consTrUÇÃo reForMaentre outros recursos para atendimen-to a emergências. BAV – SAN (SANTOS - SP) CDA - SP (GUARULHOS- SP) As construções começaram em BAV- BELO MONTE (PA) CDA – RN (GUAMARÉ - RN)Mocanguê (RJ) e Goiânia (GO) e as BAV - AJU (ARACAJU- SE) CDA – MA (SÃO LUIS – MA)reformas em Tramandaí (RS), Guama- BAV- BG (ILHA DE MOCANGUÊ – RJ) CDA – RJ (DUQUE DE CAXIAS – RJ)ré (RN) e Belém (PA), com cerca de150 trabalhadores e término previsto CDA – CO (SENADOR CANÊDO - GO) BAV – TRA (TRAMANDAÍ - RS)até o 2º semestre. A atuação da Iere é CDA BA (PORTO DO FERROLHO – BA) BAV- BEL (BELÉM - PA)planejar, contratar, controlar, executare fiscalizar as reformas e construção * Brocoió (projeto à parte, mas dentro da mesma carteira) - Recuperação do Muro de Arrimodesses centros. da Ilha de Brocoió (RJ) CIPD: o novo endereço da tecnologia Petrobras adoção de tecnologia de trução e montagem do CIPD primaram para o CIPD. Com aproximadamente A ponta é um dos diferencias da Petrobras. Na Engenharia, pela utilização de equipamentos e tec- nologias de ponta, buscando sempre o 3.700 m² de piso elevado, além das características dos ‘prédios verdes’ -elas são aplicadas não só em projetos alinhamento com as demandas da TIC reaproveitamento da água da chuva,para as áreas de Exploração e Produ- a fim de garantir a eficiência aos sis- aproveitamento da luz solar e da ven-ção, Abastecimento ou Gás e Energia, temas operacionais e a confiabilidade tilação natural, brises fixos na fachadamas também na construção civil. Um necessária aos usuários finais” – desta- norte que garantem proteção contra ados projetos em evidência, dentro e cou Martins. incidência direta de raios solares e tra-fora da Companhia, é o do Centro de Com uma área construída de tamento de efluentes, com a reutilizaçãoPesquisas Leopoldo Américo Miguez 27.000m², dos quais 11.000m² de no sistema de refrigeração - o edifíciode Mello, o Cenpes, no Rio de Janei- escritórios, o CIPD dispõe de um au- conta com tecnologias para preservarro. De todo o conjunto que forma o ditório de 121 lugares, quatro salas de os equipamentos de informática, comoCenpes, o foco hoje se volta para o convenções de 18 lugares e uma área sistema de controle de temperatura eCentro Integrado de Processamento reservada para brunch. umidade, rigoroso controle de acessode Dados (CIPD), atualmente ocupado Em setembro de 2010 os servi- por leitura de cartões e por biometria,pelo Serviços Compartilhados RBG, dores da TIC iniciaram a mudança através da leitura do polegar e da íris.Gapre e TIC. “Os métodos utilizados nesse projeto Fabiana Oliveiranos possibilitaram agilidade construtivae alinhamento aos conceitos de susten-tabilidade, que fazem parte de todo ocomplexo da ampliação do Cenpes” -disse o gerente setorial de construçãoe montagem do CIPD, Carlos EduardoMartins. “Tanto o projeto quanto a cons- Vista do CIPD, obra que primou pela utilização de equipamentos e tecnolo- 9 gias de ponta.
  10. 10. Obras da P-57 contribui paranoTas Replan o recorde na UO-ES A Implementação de Empreen- A entrada em produção, em Essa unidade começou anteci- dimentos para Replan (Iern) entre- fevereiro, de mais dois poços padamente sua produção no início gou a segunda tocha da carteira da P-57 - o JUB-11 e o JUB- de dezembro de 2010 e já realizou de gasolina da Refinaria. Essa obra 13 - foi determinante para que cinco operações de offloading até o faz parte do projeto de moderniza- a Unidade de Operações de final de fevereiro. ção do sistema de tochas, que será Exploração e Produção da concluído ainda em outubro com Petrobras no Espírito Santo a entrega da terceira. O objetivo (UO-ES) superasse a marca é adaptar o sistema às novas exi- de produção de 300 mil barris gências ambientais, modernizando diários de petróleo. No dia 14, o processo. As tochas executam a a produção diária de petró- queima dos gases ácidos que são leo, condensado e líquido de liberados nos processos e também gás natural (LGN) da UO-ES são responsáveis pela despressu- alcançou a marca recorde de rização das unidades em caso de 302 mil barris. emergências. Por essa razão, são Instalada no campo de Ju- consideradas unidades importantes barte, na porção Capixaba da para garantir a segurança na opera- Bacia de Campos, a P-57 teve ção da refinaria. A tocha possui 120 sua obra gerenciada pela Im- metros de altura e 150 toneladas. plementação de Empreendi- No dia 3 fevereiro, a Iern também mentos para Marlim Sul (IEMS). executou a primeira estaca da uni- Rodrigo Azevedo dade de hidrotamento de nafta de P-57 contribuiu para o recorde de coque da Replan. Ao todo devem produção da UO-ES. ser executadas aproximadamente 1.300 estacas, que serão feitas pelo método de hélice contínua monitora- da por computador utilizando uma perfuratriz hidráulica. Antes do início Chegada de PDMO das atividades, a fiscalização da Iern realizou um Diálogo Diário de Segu- equipamentos Desde a sua primeira rança (DDS) específico com a equi- na Ierenest turma, no segundo semes- tre de 2010, na Implemen- pe e apresentou alertas de SMS de A Implementação de Empre- tação de Empreendimen- acidentes relacionados à atividade, endimentos para Renest (Iere- tos para a Reduc (Ierc), o ocorridos em outros contratos. nest), recebeu no dia 7 de feve- curso de Capacitação de reiro, os seis primeiros painéis Encarregados vem sendo Marcos Peron elétricos (com até 2,6 x 4 m e recorrente nos empreen- carga total de 13.800 t) que se- dimentos que já o imple- rão montados nas subestações mentaram. Das 25 turmas das obras prediais da Refinaria formadas no curso de Abreu e Lima. Os painéis são Capacitação de Encarre- fornecidos através de Contra- gados, 11 foram na Imple- to Global de Elétrica (CGE) da mentação de Empreendi- Petrobras, tendo como forne- mentos para Repar (Ierp), cedor a empresa Orteng. Ao seis na Implementação de todo, serão mais de 100 pai- Empreendimentos para Rlam néis elétricos que permane- (Ierl), cinco na Implementa- cerão energizados para evitar ção de Empreendimentos o acúmulo de umidade, além para P-55 (Iep55), dois na de transformadores, resistores Implementação de Empre- elétricos, bancos de baterias, endimentos para Regap Vista da segunda tocha da carteira de dentre outros. (Ierg) e uma na Ierc. gasolina da Replan.10
  11. 11. Engenharia e Contabilidade assinam Termo GesTÃo de Compromisso Recíproco gerente geral da Implemen- O Termo de Compromisso propõe PEA. Os resultados dos indicado- O tação de Empreendimentos para Transporte Dutoviário, melhorias no Padrão de Execução de Atividades (PEA), que deverão res e sua responsabilidade deverão ser informados trimestralmente aoGás & Energia, Mauricio Guedes, ser negociadas pelas partes, e a Comitê Gestor.representando o gerente executivo elaboração de relatórios de acom- De acordo com o termo firmado,da Engenharia, Pedro Barusco, e o panhamento das atividades, entre é obrigação da Engenharia mantergerente executivo da Contabilidade, outros. Aos representantes da En- a Contabilidade informada sobreMarcos Antônio Menezes assinaram, genharia no Comitê Operacional, os eventos referentes aos negóciosno dia 28 de fevereiro, no Edifício caberá acompanhar as atividades da Unidade, com destaques paraTorre Almirante (Edita), o Termo de executadas pela Contabilidade, aqueles que serão realizados pelaCompromisso Recíproco (TC) para verificando a conformidade com o primeira vez.o acompanhamento de atividades Fabiano Campbellvinculadas a processos contábeis. O ato formalizou uma parceria jádesenvolvida entre as duas partes emarcou a primeira assinatura de umTermo de Compromisso entre a Con-tabilidade e a Engenharia. O Termoserá gerido por uma estrutura forma-da pelos Comitês Diretivo, Gestor eOperacional, do qual fazem parte,entre outros representantes da En-genharia, a gerente geral de Apoioà Gestão, Renata Baruzzi (ComitêGestor) e os gerentes de Planeja-mento e Controle (AG/PC), FátimaAlvarez, e de Contratação (SL/Cont), Assinaram o termo o gerente geral da Ieteg, Maurício Guedes (à direita) - re-Enio Prado de Paula, como integran- presentando o gerente executivo, Pedro Barusco -, e o gerente executivo da Contabilidade, Marcos Antônio Menezes.tes do Comitê Operacional.Ieteg promove workshop de inovação tecnológica gerência setorial de De- em estabelecer um relacionamento de Com essa iniciativa, o Dtec preten- A senvolvimento Tecnológico para Ieteg (Eteg/Dtec) pro- parceria”, resumiu o gerente setorial da Dtec, Paulo Montes, ao abrir o evento. de estabelecer um relacionamento cooperativo com essas empresasmoveu no dia 18 de fevereiro, na A iniciativa teve como objetivo a troca para o desenvolvimento de soluçõesUniversidade Petrobras, o Workshop de conhecimento e experiências para inovadoras e de novos produtos.Inovação Tecnológica, com a partici- o desenvolvimento de soluções tecno- Dessa forma, busca melhorar apação de nove empresas apoiadas lógicas que possam agregar valores gestão das obras da companhia,pelo Criatec, um Fundo de Investi- aos processos de construção e mon- possibilitando, ainda, a redução dementos de capital semente destinado tagem em obras de dutos. custos e prazos.à aplicação em empresas emergen- Fabiano Campbelltes inovadoras. O evento, que reuniucerca de 60 participantes das diver-sas áreas da Engenharia, Cenpes,Transpetro e Organização Nacionalda Indústria do Petróleo (ONIP), mar-cou o início de uma etapa em buscade parcerias para soluções inovado-ras na Petrobras. “Estamos de portas abertas parasoluções inovadoras, novos produtos e Gerente Setorial da Dtec, Paulo Montes, na abertura do Workshop Inovação Tecnológica. 11tecnologias de empresas interessadas
  12. 12. Concluído o Processo de DesdobramentoGesTÃo de Metas 2011 Processo de Desdo- uma análise crítica do processo Engenharia foram cadastradas O bramento de Metas foi concluído no dia 14 de ocorrida em 2010. Em novem- bro, as unidades da Engenharia no Painel de Controle. Nesta ta- bela, estão as principais metas fevereiro com a aprovação das cadastraram suas estimativas de da Engenharia e das gerências metas desdobradas pelo Co- desempenho e os analistas de gerais para 2011. Para saber mitê de Gestão e envolvimento indicadores realizaram uma aná- quais as metas que sua unidade de todas as unidades da Enge- lise crítica dos resultados anuais. deverá atingir em 2011, basta nharia. A reunião representou o A seguir, as metas de 2011 e acessar a área de relatórios do encerramento de quase quatro de Longo Prazo (2012 a 2015) Painel de Controle e selecionar meses de trabalho coordenado da Engenharia foram definidas o relatório “Informações / Me- pela gerência de Organização pelo Comitê de Gestão em 20 de tas”. Mais informações sobre e Gestão (AG/OG) e participa- dezembro e desdobradas para este processo poderão ser ob- ção das gerências de Suporte à as gerências gerais. Por sua tidas consultando no Engedoc o Implementação de Empreendi- vez, cada uma delas desdobrou PG-01-AG/OG-018: Desdobra- mentos (SIE), gerências da AG suas metas para suas unidades, mento de Metas da Engenharia e do RH. num processo negociado com a ou através de uma mensagem O desdobramento de metas coordenação dos SIEs. para a chave de bandeja EBSC começou em outubro do ano Ao fim desse processo, to- – Painel de Desempenho da passado, com a realização de das as metas das unidades da Engenharia. Metas dos principais indicadores da Engenharia enGenHaria ieabasT iecoMperJ ieepT iepreMiUM ierenesT ieTeG ieUpMcn aG rH sl isce 79.00 78.00 77.00 82.00 - 75.00 79.00 80.00 - - - ad15 83.00 83.00 78.00 85.00 - 78.00 85.00 80.00 - - - icac 69.00 69.00 69.00 69.00 69.00 69.00 69.00 69.00 - - - icc 105.00 106.00 103.00 105.00 - 103.00 110.00 105.00 - - - icd 4.80 4.00 7.00 3.00 - 5.50 6.00 8.00 - - - icp 109.00 108.00 105.00 115.00 - 105.00 108.00 115.00 - - - ipo 96.00 97.00 95.00 97.00 - 95.00 97.00 - - - - irc 90.00 90.00 90.00 90.00 90.00 90.00 90.00 90.00 90.00 85.00 90.00 irF 92.00 92.00 90.00 92.00 95.00 90.00 92.00 90.00 - - - TFca 0.51 0.48 0.55 0.50 0.55 0.55 0.48 0.60 - - - leGenda ISCE - ÍNDICE DE SATISFAÇÃO DO CLIENTE DA ENGENHARIA ICP - ÍNDICE DE CUMPRIMENTO DE PRAZO AD15 - ÍNDICE DE ADERÊNCIA ÀS 15 DIRETRIZES CORPORATIVAS DE SMS IPO - ÍNDICE DE PERFORMANCE OPERACIONAL ICAC - ÍNDICE DE CONFORMIDADE EM AUDITORIAS DAS CONTRATADAS IRC - ÍNDICE DE REALIZAÇÃO FINANCEIRA (CUSTO)12 ICC - ÍNDICE DE CUMPRIMENTO DE CUSTO IRF - ÍNDICE DE REALIZAÇÃO FÍSICA ICD - ÍNDICE DE CUSTO DIRETO TFCA - TAXA DE FREQÜÊNCIA DE ACIDENTADOS COM AFASTAMENTO

×