ApresentaçãO1

399 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
399
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ApresentaçãO1

  1. 1. As primeiras escolas de samba do Brasil pouco se pareciam com as de hoje em dia. Muito menores, não tinham a estrutura rígida das estrelas da Sapucaí – nem o mesmo luxo.
  2. 2. Escolas de samba atuais
  3. 3. A atribuição de Escola de Samba aqueles grupos de batuque que originaram os primeiros blocos, é conhecida do século XXI, mas foi adotado nos fins da década de vinte (sec.XX), época em que ser sambista significava ser arruaceiro, fora das regras. O bloco Deixa Falar passou a fazer ensaios em frente à Escola Normal, no bairro de Estácio, no Rio, e , inconformado com essa descriminação, o compositor Ismael Silva, criou uma definição: "Deixa falar, nós também somos mestres. Somos uma escola de samba", batizando definitivamente a associação carnavalesca.
  4. 4. O primeiro enredo de escola de samba foi “Sua Majestade o Samba”, da autoria de Antonio da Silva Caetano, dando ao desfile da Portela a introdução da modalidade que marcaria o início de uma nova fase na vida das escolas de samba, em 1931, com o samba do compositor Ventura. Da adoção dos enredos pelas escolas de samba, surge o samba enredo; antes o samba que servia para a escola desfilar era composto uma primeira parte, a segunda era criada de improviso.
  5. 5. Com a determinação do Governo, em 1935, as escolas passaram a usar enredos tirados da História do Brasil; de início um problema artístico que esbarrou em inúmeras dificuldades, que foram desde a adequação melódica à informação histórica, até à própria falta de conhecimento histórico por parte dos autores e componentes, o que, constitui em sí um mérito didático.
  6. 6. O samba enredo estabeleceu-se, finalmente, na Império Serrano, com o samba Tiradentes, até hoje considerado um dos mais belos de todos os tempos, autoria de Mano Décio da Viola, Cumprido e Estanislau Silva em 1949, contando as passagens da Inconfidência Mineira.
  7. 7. Quando a pranteada Praça Onze, berço do samba, deu lugar à abertura da Av. Presidente Vargas, o local dos desfiles foi transferido sucessivas vezes; da antiga passarela, as escolas do primeiro grupo, passaram a desfilar na Avenida Rio Branco, entre Almirante Barroso e Santa Luzia. Daí, voltaram outra vez para a Avenida Presidente Vargas, ao longo de quase um quilômetro, entre a igreja da Candelária e a Avenida Passos. Em 1963 foram construídas as primeiras arquibancadas, com lugares vendidos ao público.
  8. 8. O maior espaço e a necessidade de se ocupar esse espaço foram os grandes responsáveis pela série de inovações apresentadas pelas escolas no aspecto visual, coreográfico e até estrutural do desfile. Já na avenida Rio Branco, Arlindo Rodrigues e Fernando Pamplona, tinham revolucionado totalmente o estilo tradicional das fantasias e alegorias do Acadêmicos do Salgueiro, com "Quilombo dos Palmares", com esculturas, máscaras, adereços, vestimentas, etc., projetadas agora em dimensões espetaculares.
  9. 9. Em 1984, a criação da Passarela do Samba proporcionou um lugar definitivo para os desfiles, onde, a exemplo das comissões de frente, outros setores passaram a desenvolver-se, neste surpreendente e contínuo aprimoramento do batuque que tornou-se o maior espetáculo do mundo. Atualmente, o desfile constitui bem valioso e muito disputado: além dos ingressos, também são vendidos os direitos de transmissão por rádio e televisão, discos etc..
  10. 10. Ao longo do ano, realizam ações sócio- culturais envolvendo as comunidades onde estão inseridas. Isso vai desde recreação para crianças até aulas de línguas e oficinas profissionalizantes. O objetivo principal, porém, é a organização do desfile de Carnaval. E é seu desempenho na avenida que vai determinar sua ascensão ou rebaixamento na hierarquia das escolas de samba.

×