Liderança escola - Equipes

4.368 visualizações

Publicada em

Trabalho apresentado sobre formação, liderança e trabalho em equipes.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.368
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Liderança escola - Equipes

  1. 1. Disciplina: Gestão Educacional Docente: Edjane Discente: Luiz Alberto Silva Souza
  2. 3. Uma breve definição
  3. 4. Uma equipe é formada de indivíduos, cada qual com a sua personalidade e visão do mundo, sendo então necessário que o administrador conheça as formas de pensamento e ação dos seus componente, em decorrência das dimensões culturais que formam a sua personalidade enquanto pessoas e profissionais.
  4. 5. O tipos de personalidade e a equipe Conhecer os indivíduos que farão parte da equipe é muito importante. Assim, o estudo da personalidade se torna fator fundamental na condução de trabalhos de formação de equipes. É preciso escolher (sempre que possível!) as pessoas adequadas para tal composição, caso contrário a equipe já pode iniciar fadada ao insucesso. Assim veremos, resumidamente, os tipos de personalidades definidos no estudo do professor Nelson Marinz de Lyra , denominados Eneagrama s.
  5. 6. O perfeccionista ou empreendedor : Este tipo tem um grande objetivo de vida: não errar. De preferência, nunca. É fixado na ordem e na perfeição, mas, geralmente, sente-se preso na imperfeição. O dador ou prestimoso/prestativo : Pessoas com este tipo de personalidade concentram-se nas necessidades dos outros – o que não quer dizer que toda essa disposição em ajudar seja totalmente desinteressada. O “desempenhador” ou bem-sucedido : Não há outro tipo de pessoa mais dedicada ao trabalho do que esta. Para elas, o amor vem através de suas realizações e da imagem. Vêem o mundo como desafio, por isso, destacam-se em tudo o que fazem e não há obstáculo que as impeça de seguir adiante em seus objetivos.
  6. 7. O romântico ou individualista ou original : É emotivo e focaliza a sensibilidade nas próprias necessidades e sentimentos. O observador : É o tipo que se protege das emoções fortes, principalmente quando envolvem outras pessoas. Ele tem como meta a objetividade, possui facilidade em produzir análises mentalmente claras e confiáveis e, diante de novas situações, capta as informações necessárias, compilando-as de forma isolada e reconstruindo a situação de acordo com a sua ótica. O patrulheiro ou protetor ou legista : As dúvidas são a sombra deste tipo, que passa a vida questionando se o amor e a felicidade existem.
  7. 8. O epicurista ou sonhador ou generalista: Esse verdadeiro gourmet da vida tem o poder de reunir em torno de si o lado volátil das coisas. Ele quer ser um eterno jovem, possui elevado grau de energia e motivação e é intuitivo. É um amante volúvel que evita responsabilidades. O patrão ou confrontador : Aquele tipo “paizão”, superprotetor e controlador é o retrato do confrontador, não por acaso, também denominado “o patrão”. Ao contrário do patrulheiro, esse tipo adora uma briga. O mediador ou “preservacionista” ou pacificador : Os dois lados de uma mesma questão estão sempre presentes na vida de pessoas com este tipo de personalidade. Deseja possuir uma relação harmônica com o mundo, sendo, dessa forma, grandes pacifistas. Sua capacidade de ver sob um ângulo de 360 graus, torna-o precioso, um sábio na arte de apontar soluções.
  8. 9. Tipos de equipe Equipe funcional : É formada por um chefe e seus subordinados. Tem sido a marca da empresa modernas. Equipe autogerenciável : Grupo íntegro de colaboradores responsáveis por todo um processo ou segmento de trabalho, que oferece um produto ou serviço a um cliente interno ou externo. Equipe interfuncional ou multidisciplinar : Formada por profissionais de diversas áreas e que ajudam a aumentar a capacidade criativa da empresa/instituição, o melhoramento no atendimento aos clientes de empresas, etc.
  9. 10. Estágios de uma equipe Pseudo-equipe : Não há preocupação com o desempenho coletivo apreciável, ou seja, não há coesão. Grupos de trabalho : Partilham as informações entre si, mantendo, porém, a individualidade nas responsabilidade e objetivos. Equipe potencial : há a intenção de produzir desempenho coletivo, sendo necessária a assunção de compromisso quanto ao resultado do grupo. Equipe real : Além de possuírem habilidades que se complementam, há o comprometimento por parte dos integrantes. Equipe de elevado desempenho : Os membros são profundamente comprometidos com o crescimento pessoal de cada indivíduo e com o sucesso deles mesmos e dos outros.
  10. 11. Fases do desenvolvimento de uma equipe que visam sucesso 1 – Formação : neste estágio, as pessoas ainda estão aprendendo a lidar umas com as outras; pouco trabalho é feito; 2 – Tormenta : tem-se uma época de difícil negociação das condições sob as quais a equipe vai trabalhar; 3 - Aquiescência : é a época na qual os papéis são aceitos (posse do problema) e as informações circulam livremente; 4 – Realização : quando a execução do trabalho atinge níveis ótimos (não há mais problema). (KOPITTKE, 2000)
  11. 12. Habilidades para o trabalho em equipe Cooperar : participar voluntariamente, apoiar as decisões da equipe, fazer a sua parte do trabalho. Compartilhar informações : manter a pessoas informadas e atualizadas sobre o processo do grupo. Expressar expectativas positivas : esperar o melhor da capacidades dos outros membros do grupo. Estar disposto a aprender com os companheiros : valorizar as experiência dos outros, solicitar dados e interagir pedindo e valorizando idéias. Encorajar os outros : dar crédito aos colegas que tiveram bom desempenho tanto dentro com fora da equipe. Construir um espírito de equipe : tomar atitudes especiais para promover um clima amigável, moral alta e cooperação entre os membros da equipe. Resolver conflitos : trazer à tona o conflito dentro da equipe e encorajar ou facilitar uma solução construtiva para a equipe.
  12. 13. Trabalhando em equipe Para um trabalho em grupo, não basta juntar várias pessoas num mesmo grupo e deixar os resultados por conta do acaso. Algumas regras devem ser observadas para que o trabalho em conjunto torne-se produtivo e contribua para a consecução dos objetivos pretendidos.
  13. 14. Definir claramente as metas e objetivos da equipe. Todos devem saber qual o objetivo do trabalho, para que o esforço seja feito na mesma direção. A comunicação clara é fundamental para alcançar esse objetivo.
  14. 15. Estabelecer os papéis Se os integrantes da equipe não sabem qual a função ou papel a desempenhar, dificilmente vão poder atingir o objetivo comum.
  15. 16. Aprender a lidar com o conflito Em um grupo, é inevitável que haja choque de opiniões, personalidades e estilos. O desafio é saber valorizar a diferença e tornar os inevitáveis conflitos impulsionadores do crescimento e da produtividade.
  16. 17. Avaliar e monitorar O monitoramento do trabalho e dos resultados é fundamental para que cada integrante saiba como está o seu desempenho, em que e como pode melhorar. Informações insuficientes podem jogar por água abaixo o trabalho de qualquer equipe.
  17. 18. Atitudes essenciais de um bom lider 1) Perguntar sobre as providências a serem necessariamente tomadas; 2) Buscar as coisas certas para a consecução do(s) objetivo(s); 3) Ter um plano de ação claro; 4) Não fugir das responsabilidades; 5) Ser um bom comunicador; 6) Ter foco em oportunidades, não em problemas; 7) Transformar as reuniões em acontecimentos produtivos; 8) Usar o pronome pessoal “nós” e evitar o “eu”.
  18. 19. Dez dicas para o trabalho em equipe
  19. 20. Seja paciente Nem sempre é fácil conciliar opiniões diversas, afinal "cada cabeça uma sentença". Por isso é importante que seja paciente. Procure expor os seus pontos de vista com moderação e procure ouvir o que os outros têm a dizer. Respeite sempre os outros, mesmo que não esteja de acordo com as suas opiniões.
  20. 21. Aceite as idéias dos outros As vezes é difícil aceitar idéias novas ou admitir que não temos razão; mas é importante saber reconhecer que a idéia de um colega pode ser melhor do que a nossa. Afinal de contas, mais importante do que o nosso orgulho, é o objetivo comum que o grupo pretende alcançar.
  21. 22. Não critique os colegas As vezes podem surgir conflitos entre os colegas de grupo; é muito importante não deixar que isso interfira no trabalho em equipe . Avalie as idéias do colega, independentemente daquilo que achar dele. Critique as idéias, nunca a pessoa.
  22. 23. Saiba dividir Ao trabalhar em equipe , é importante dividir tarefas. Não parta do princípio que é o único que pode e sabe realizar uma determinada tarefa. Compartilhar responsabilidades e informação é fundamental.
  23. 24. Trabalhe Não é por trabalhar em equipe que deve esquecer suas obrigações. Dividir tarefas é uma coisa, deixar de trabalhar é outra completamente diferente.
  24. 25. Seja participativo e solidário Procure dar o seu melhor e procure ajudar os seus colegas, sempre que seja necessário. Da mesma forma, não deverá sentir-se constrangido quando necessitar pedir ajuda.
  25. 26. Dialogue Ao sentir-se desconfortável com alguma situação ou função que lhe tenha sido atribuída, é importante que explique o problema, para que seja possível alcançar uma solução de compromisso, que agrade a todos.
  26. 27. Planeje Quando várias pessoas trabalham em conjunto, é natural que surja uma tendência para se dispersarem; o planejamento e a organização são ferramentas importantes para que o trabalho em equipe seja eficiente e eficaz. É importante fazer o balanço entre as metas a que o grupo se propôs e o que conseguiu alcançar no tempo previsto.
  27. 28. Evite cair no "pensamento de grupo" Quando todas as barreiras já foram ultrapassadas, e um grupo é muito coeso e homogêneo, existe a possibilidade de se tornar resistente a mudanças e a opiniões discordantes. É importante que o grupo ouça opiniões externas e que aceite a idéia de que pode errar.
  28. 29. Aproveite o trabalho em equipe Afinal o trabalho de equipe , acaba por ser uma oportunidade de conviver mais perto de seus colegas, e também de aprender com eles.
  29. 30. Os 10 principais erros no trabalho em equipe
  30. 31. Fazer fofoca dos colegas "Falar dos outros é sempre delicado. Portanto, se você tem algo a dizer para seu colega diga diretamente a ele. Desta forma, evita que o comentário seja mal interpretado e retransmitido por outros funcionários. Ao fazer uma crítica diretamente ao colega em questão você evita que seu comentário chegue distorcido aos ouvidos dele, o que pode gerar conflitos. Além disso, falar pelas costas e comentar sobre a vida alheia é uma atitude mal vista". Paulo de Castro Braune - Diretor Geral da Braune Educação Empresarial.
  31. 32. Rejeitar o trabalho da equipe "Hoje, independentemente de seu cargo, é preciso saber trabalhar em equipe, já que bons resultados dificilmente nascem de ações individuais. No ambiente corporativo, uns dependem dos outros. Se o funcionário não estiver disposto a colaborar com os colegas, certamente será um elo quebrado. Com isso, o grupo/equipe não chegará ao resultado desejado. Ser resistente ao trabalho em equipe é um revés grave. Sem essa abertura, dificilmente o colaborador conseguirá obter sucesso". Ricardo Dreves - Diretor da consultoria em RH Dreves e Associados.
  32. 33. Ser antipático (a) "A empatia é muito útil no ambiente de trabalho. Você deve ser leal, cortês, amigo e humilde. Falar bom dia e cumprimentar os outros são atitudes que demonstram educação e respeito pelos demais. O fato do trabalho exigir concentração do colaborador não significa que ele não possa ser cordial e abrir um espaço na agenda para ajudar os companheiros de equipe". Marcelo Abrileri - presidente do site de empregos Curriculum..
  33. 34. Deixar conflitos pendentes "Conflitos acumulados podem se agravar. Qualquer tipo de problema referente ao trabalho, dúvida sobre decisões, responsabilidades que não foram bem entendidas, alguém que ficou magoado com outro por algum motivo, enfim, qualquer tipo de desconforto deve ser esclarecido para evitar a discórdia no ambiente. O funcionário deve conversar para resolver o assunto, caso contrário, isso poderá gerar antipatia, fofoca com outros colaboradores e um clima péssimo para toda a equipe". Beatriz Maria Braga Lacombe - professora de gestão de pessoas da FGV (Fundação Getúlio Vargas), em São Paulo
  34. 35. Ficar de cara fechada "Ter um companheiro de equipe com bom humor anima o ambiente de trabalho, enquanto que topar um colega mal-humorado causa desconforto do início ao fim do expediente. Esta postura gera desgastes desnecessários, pois além de deixar toda uma equipe desmotivada ainda atrapalha a produtividade. Pessoas mal-humoradas geralmente não toleram brincadeiras. Com isso, automaticamente são excluídas da equipe, o que não é saudável. Por essa razão, manter o bom humor no trabalho é fundamental para cultivar bons relacionamentos". Julia Alonso - Sócia diretora da Só Talentos RH, recrutamento e seleção de estagiários e trainees.
  35. 36. Deixar de cultivar relacionamentos Os melhores empregos não estão nos jornais e nem nos classificados. A partir do seu relacionamento interpessoal no trabalho é que conseguirá construir uma rede de contatos ( networking ) que servirá, no futuro, para encaminhá-lo às melhores oportunidades. É importante mostrar dinamismo, ser cooperativo no trabalho e nunca fechar as portas pelos lugares onde passar". Sheila Madrid Saad - professora de Recursos Humanos e Comportamento Organizacional da Universidade Presbiteriana Mackenzie.
  36. 37. Não ouvir os colegas "É importante escutar a todos, mesmo aqueles que têm menos experiência. Isso estimula a participação e a receptividade de novas idéias e soluções. Questionar com um ar de superioridade as opiniões colocadas numa reunião não só intimida quem está expondo a idéia, como passa uma imagem de que você é hostil. É necessário refletir sobre o que está sendo dito, não apenas ouvir e descartar a idéia de antemão por considerá-la inútil". Cristiane Leão - analista de desenvolvimento de recursos humanos da Fundação Mudes - São Paulo.
  37. 38. Não respeitar a diversidade "Todas as diferenças devem ser respeitadas entre os membros de uma equipe. Não é aceitável na nossa sociedade alguém que não queira contato com outro indivíduo apenas por ele ser diferente. Ao passo que o funcionário aceita a diversidade, ele amplia as possibilidades de atuação, seja dentro da organização ou com um novo cliente. Além disso, o respeito e o tratamento justo são valores do mundo globalizado que deveriam estar no DNA de todos. Sem eles, o colaborador atrapalha o relacionamento das equipes, invade limites dos colegas e a natureza do outro". Nelci Maria de Mello - gerente de recrutamento e seleção da empresa Dupont - companhia científica, com atuação no setor químico.
  38. 39. Apontar o erro do outro "A perfeição não é virtude de ninguém. Antes de apontar o erro do outro, deve-se analisar a sua própria conduta e sua responsabilidade para o insucesso de um trabalho ou projeto. É melhor ajudar a solucionar um problema do que criar outro maior em cima de algo que já deu errado. Lembre-se: errar é humano e o julgamento não cabe no ambiente de trabalho. No futuro, o erro apontado pode ser o seu". Doutor Helio Roberto Deliberador - professor do Departamento de Psicologia Social da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo).
  39. 40. Ficar nervoso com a equipe "Atritos são inevitáveis no ambiente de trabalho, mas a empatia deve ser colocada em prática nos momentos de tensão entre a equipe para evitar que o problema chegue ao gestor e se torne ainda pior. Cada um tem um tipo de aprendizagem e um ritmo de trabalho, o que não quer dizer que a qualidade da atividade seja melhor ou pior que a sua. O respeito e a maturidade profissional devem falar mais alto do que o nervosismo. Equilíbrio emocional e uma conduta educada são importantes tanto para a empresa como para o profissional". Gláucia Santos - consultora de recursos humanos da Catho on-line.
  40. 42. Referências Disponível em: http://www.curricular.com.br/artigos/carreira/trabalho-equipe.aspx. Acessado em 09/3/2009 22:37:00. Disponível em http://www.universia.com.br/materia/materia.jsp?id=16011 . Acessado em 09/3/2009 22:40:26 Disponível em http://hidraclaw.wordpress.com/2008/03/04/. Acessado em 09/03/2009 22:45:44 Disponível em http://webinsider.uol.com.br/index.php/2008/09/24/trabalho-em-equipe-o-lider-segundo-peter-drucker/. Acessado em 09/03/2009 23:18:01 PREISLER, Adriano Milton; BORBA, Jadson Alberto; BATTIROLA, Júlio César. OS TIPOS DE PERSONALIDADE HUMANA E O TRABALHO EM EQUIPE. Ver. PEC, Curitiba, v.2, n.1, p.133-126, jul 2001-jul. 2002. CHIAVENATO, Idalberto. ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS: Fundamentos básicos. Ed. 5. São Paulo. ATLAS, 2006.

×