Missionários da luz cap 13 reencarnação

8.182 visualizações

Publicada em

1 comentário
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • A maxima lição que nos desperta para os verdadeiros problemas domésticos.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.182
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
47
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
488
Comentários
1
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Missionários da luz cap 13 reencarnação

  1. 1. Estudo da obra “ MISSIONÁRIOS DA LUZ” Autor André Luiz, espírito, psicografada por Francisco Cândido Xavier. Federação Espírita Brasileira - ano de 1944. Capítulo 13 A REENCARNAÇÃO Segunda-feira, 25 de agosto de 2014 Angela e Rose
  2. 2. -Alexandre, lembra-se de Segismundo, nosso velho amigo? -Sim! O drama dele vive ainda em nossa memória. Herculano André Luiz -Ambos lhe devemos muitos favores. Alexandre - Segismundo voltará à vida física e necessita de nossa colaboração urgente.
  3. 3. Apesar de, hoje, ser um Espírito mais esclarecido, Segismundo adquiriu compromissos muito sérios em seu passado espiritual. Herculano: “- Essa situação faz com que uma nova encarnação, de resgate, ao lado daqueles a quem prejudicou, se faça necessária.” Quem são as outras personagens dessa trama? Adelino.................. O infeliz marido que Segismundo assassinou em uma competição armada (duelo?). Raquel................... A viúva de Adelino então, em desespero, terminou nos caminhos da prostituição.
  4. 4. Raquel Segismundo Adelino Raquel Segismundo Adelino
  5. 5. A.L.: “Alexandre explicou-me que, noutro tempo, recebera muitos favores das personagens envolvidas naquele caso de reencarnação e que se sentia FELIZ pela OPORTUNIDADE de lhes ser ÚTIL.”
  6. 6. Segismundo: “Adelino, esqueceu as promessas que fez na espiritualidade e o perdão aos meus antigos erros...” Alexandre: “- Ora, Segismundo, por que envenenar o coração? Tenha calma e prudência. Equilibre-se! O momento é de gratidão a Deus e de harmonia com os semelhantes.”
  7. 7. Joãozinho Raquel Adelino
  8. 8. Joãozinho: “- Mamãe, por que o papai está triste?”
  9. 9. Joãozinho: “- Papai, por que não vem rezar à noite comigo e com a mamãe?”
  10. 10. Alexandre: “- Estamos convidados a participar das suas mais íntimas orações. Acompanhemo-los.” A avó materna de Raquel e mais duas outras entidades também foram acionadas por Herculano.
  11. 11. Raquel Avó de Raquel Adelino Alexandre: “- Na atualidade os corpos de Adelino e Raquel repousam lado a lado no leito, mas cada um vive num plano mental diferente.”
  12. 12. Alexandre: “- Contempla o pobrezinho que te pede socorro! Observa-lhe o estado de humilhação e necessidade. Não te doeria a indiferença dos outros? A.L.: “Compreendi que a aproximação de Segismundo despertava em Adelino, reencarnado, as reminiscências do passado sombrio.”
  13. 13. - O perdão de Adelino foi sincero. Segismundo: - “Perdoe-me irmão! O Senhor irá recompensá-lo pelo bem que me faz.”
  14. 14. Alexandre: “- Com o auxílio de Jesus, a tarefa foi executada com êxito!”
  15. 15. André Luiz ainda ficou com uma dúvida: - “Não seria licito providenciar a reencarnação do necessitado, sem quaisquer delongas? Porque tamanha demonstração de carinho para com o esposo de Raquel?” Alexandre: “- O pensamento envenenado de Adelino destruía a substância da hereditariedade, intoxicando a cromatina dentro da própria bolsa seminal. Ele poderia atender aos apelos da Natureza, entregando-se à união sexual, mas não atingiria os objetivos sagrados da Criação, porque, pelasdisposições lamentáveis de sua vida íntima, estava aniquilando as células criadoras, ao nascerem, e, quando não as aniquilasse por completo,intoxicava os genes do caráter, dificultando-nos a ação...!”
  16. 16. Adelino, Raquel e Joãozinho. Herculano Segismundo André Luiz Alexandre: -” Este não é um estudo que você possa entender, por enquanto. Estou examinando a geografia dos genes nas estrias cromossômicas, a fim de certificar-me até que ponto poderemos colaborar em favor de nosso amigo Segismundo, com recursos magnéticos para a organização das propriedades hereditárias.” Espíritos construtores
  17. 17. André Luiz ainda ficou com uma dúvida: -“A lei da herança, porém, será ilimitada? A criatura -receberá, ao renascer, a total imposição dos característicos dos pais? As enfermidades ou as disposições criminosas serão transmissíveis de maneira integral?” Alexandre: “- Não, André a criatura terrena herda tendências e não, qualidades. As primeiras (tendências) cercam o homem que renasce, desde os primeiros dias de luta, não só em seu corpo transitório, mas também no ambiente geral a que foi chamado a viver, aprimorando-se; as segundas (qualidades) resultam do labor individual da alma encarnada, na defesa, educação e aperfeiçoamento de si mesma nos círculos benditos da experiência. ”
  18. 18. Segismundo: “- Sabe que empreendi pequenina obra de socorro, nas cercanias de nossa colônia espiritual...Sinto que não está terminada.Não sei se fiz bem pedindo agora o retorno à Crosta do Mundo. Entretanto reconheci que para seguir além, precisava reconciliar-me com a própria consciência, buscando os adversários de outro tempo, a fim de resgatar minhas faltas... “
  19. 19. Alexandre: “- Segismundo, restaure a sua fé, regenere a esperança, porque você não pode entrar na corrente material, à maneira dos nossos irmãos ignorantes e infelizes, que reclamam quase absoluto estado de inconsciência para penetrarem, de novo, o santuário maternal.
  20. 20. André Luiz e mais uma dúvida: -“Existem, então aqueles que reencarnam inconscientes do ato que realizam? Alexandre: “- Certamente! A maioria dos que retomam a existência corporal na esfera do Globo é magnetizada pelos benfeitores espirituais, que lhe organizam novas tarefas redentoras, e quantos recebem semelhantes auxilio são conduzidos ao templo maternal de carne como crianças adormecidas. O trabalho inicial, que a rigor lhes compete na organização do feto, passa a ser executado pela mente materna e pelos amigos que os ajudam de nosso plano. São inúmeros os que regressam à Crosta nessas condições, reconduzidos por autoridades superiores de nossa esfera de ação, em vista das necessidades de certas almas encarnadas, de certos lares e determinados agrupamentos.”
  21. 21. André Luiz : “- O que vimos, porém, com Segismundo perguntei, é regra geral para todos os casos? “ Alexandre: “- De modo algum! Os processos de reencarnação, tanto quanto os da morte física, diferem ao infinito,não existindo, segundo cremos, dois absolutamente iguais. ” “- As facilidades e obstáculos estão subordinados a fatores numerosos, muitas vezes relativos ao estado consciencial dos próprios interessados no regresso à Crosta ou na libertação dos veículos carnais. ” “- Há companheiros de grande elevação que, ao reencarnarem, quase dispensam o nosso concurso . ” “- Outros, procedentes das zonas inferiores, necessitam de cooperação muito mais complexa que a exercida no caso de Segismundo. ”
  22. 22. Encontramos no livro “IMAGENS DO ALÉM”, de autoria da médium Heigorina Cunha, sob a orientação do irmão espiritual Lucius, as seguintes ilustrações: Pavilhão de Restringimento, localizado no Ministério da Regeneração na Colônia Nosso Lar. Esquema muito simplificado de aparelho eletromagnético de restringimento do corpo espiritual para reencarnações compulsórias e adiadas, e pequeníssimo corpo ovalado em que resulta, contendo todo o substrato do Espírito reencarnante, sendo que os pontos indicados correspondem aos seus centros de força.
  23. 23. Diálogo entre Heigorina Cunha e Chico Xavier (Imagens do Além, capítulo 7): “Quando apresentamos ao nosso Chico Xavier, o desenho do restringimento, ele nos disse: - Heigorina é isto mesmo o “restringimento”. O processo é mais lento, tratando-se de reencarnação compulsória, nesta categoria de Espírito. Leva mais de ano para completar o restringimento.” André Luiz volta a falar sobre o “restringimento do perispírito” em outras obras: “Evolução em dois mundos”; “E a vida continua”; “Entre a terra e o céu”.
  24. 24. André Luiz: “Inclinei-me para a organização feminina de nossa irmã reencarnada, dentro de uma veneração que nunca, até então, havia sentido.”
  25. 25. André Luiz : “- Como seria feito o auxilio naquelas circunstâncias? Raquel estaria consciente de nossa colaboração? Como interpretaria o casal as atividades de nosso plano, caso viesse a conhecer a extensão de nossa tarefa? “ Alexandre: “- Em casos dessa natureza André, a nossa intervenção desenvolve-se com a mesma santidade que caracteriza o concurso de um médico responsável e honesto, ao praticar a intervenção no parto comum. ” “- A modelagem fetal e o desenvolvimento do embrião obedecem a leis físicas naturais, mas, em todos esses fenômenos, os ascendentes de cooperação espiritual coexistem com as leis, de acordo com os planos de evolução ou resgate. Nosso concurso é, portanto, em processos tais , uma das tarefas mais comuns. ”
  26. 26. Alexandre: “- Temos aqui o altar sublime da maternidade humana. Devemos cooperar, na tarefa do amor, guardando a consciência voltada para a Majestade Suprema. “
  27. 27. Alexandre: “- O organismo maternal fornecerá todo o alimento para a organização básica do aparelho físico, enquanto a forma reduzida de Segismundo, como vigoroso modelo, atuará como imã entre limalhas de ferro, dando forma consistente à sua futura manifestação no cenário da Crosta.”
  28. 28. Alexandre: “- Meu trabalho está findo. Entretanto, André,poderei solicitar aos Construtores a aquiescência de sua cooperação fraterna os serviços protetores, sempre que você conte com oportunidade de vir até aqui. “
  29. 29. Fim

×