Vod - Video on Demand

1.612 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre Video on Demand: IFCE

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.612
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vod - Video on Demand

  1. 1. VoD: Video on Demand Danielle Costa Francisco Kleber Oliveira Bernardo Francisco Paiva de Almeida Junior Ítalo Magnum Almeida Pinheiro
  2. 2. VOD – O QUE É?
  3. 3. VOD (video on demand) Assistir o que você quer e no momento que você deseja via streaming. Ex: You Tube
  4. 4. VOD (video on demand)
  5. 5. Algumas aplicações do VoD Prover filmes a Educação e ensino a pedido distânciaNoticias locais e Comércio electrónico e outros serviços deestado do tempo consumo Jogos, música e Serviços de bancos lazer
  6. 6. Características Controle e liberdade para o utilizador Flexibilidade Eficiência no uso Correspondência entre o sistema e o mundo real
  7. 7. Características Características de DVD Interação Vários usuários simultâneos
  8. 8. Necessidades para o VoD Aperfeiçoamento de novas tecnologias Demanda de vídeo, programa, dentre outros.
  9. 9. Sistema de Entretenimento da ACAir
  10. 10. Requisitos Rede de alta velocidade Grande volume de tráfego Lagura de banda suficiente QoS
  11. 11. Arquitetura Servidor: armazenar e transmitir o vídeo;Cliente: requisitar, receber, demodular e decodificar o vídeo (set-top-box (STB));Rede de alta velocidade: Elevada taxa de transmissão, mínimas variações de atrasos (jitter).
  12. 12. Set-top-box
  13. 13. Transmissão de pacotes Modelo • Um único servidor é responsável por receber e enviar as requisições doscentralizado: clientes; • Vários servidores locais são alocados Modelo em pontos da rede com capacidadedistribuído: de buffering, executando as mesma função do servidor central.
  14. 14. Transmissão de pacotes - Modelocentralizado
  15. 15. Transmissão de pacotes – Modelo Distribuído
  16. 16. Modelo centralizado x Modelo distribuído Único servidor; Fácil gerenciamento; Pouca escalabilidade; Sobrecarga; Baixa taxa de transmissão; Velocidade do atendimento; Atrasos.
  17. 17. QoS - Quality of Service Largura de banda; Jitter (variação estatística do retardo na entrega de dados em uma rede); Sincronismo de áudio e vídeo.
  18. 18. QoS • Best effort: Não há reserva de recurso, não diferencia os fluxos e não fornece garantias quanto à transmissão e a recepção;Níveis • Differenciated service: este permite a diferenciação de serviços quanto ao nível de prioridade. Dentro do de núcleo da rede, roteadores ordenam os pacotes deQoS: entrada em diferentes classes de encaminhamento; • Guaranteed service: há reserva de recurso de rede. Um exemplo específico é a videoconferência que exige mínimo delay de rede.
  19. 19. RSVP (Reservation Protocol) Protocolo de sinalização entre roteadores; Trocar informações entre si sobre aceitar ou não conexões; Verificar se o cliente possui um link suficiente para receber o conteúdo de vídeo.
  20. 20. RSVP Segundo Kurose, duas • Reserva de largura de bandacaracterísticas em árvores multicast; são • Orientado para o receptor,fundamentais isto é o receptor de um fluxopara aplicação de dados inicia e mantém a desse reserva de recurso. protocolo:
  21. 21. RSVP Eficiente para ambientes de redes distintas.
  22. 22. Perda de pacotes • Controle da taxa de transmissão;Mecanismos para o • Codificação do vídeo controle decongestionamento: com taxa adaptável; • Moldagem da taxa de transmissão.
  23. 23. Controle de erros Mecanismos •FEC (Forward de controle Error de erro para Correction); aplicações •ARQ (Automatic de vídeo: Repeat Request).
  24. 24. Tipos de tráfego em uma rede Tráfego destinado a Broadcast todos os hosts de uma rede.
  25. 25. Tipos de tráfego em uma rede Destinado a Unicast um host, apenas.
  26. 26. Tipos de tráfego em uma rede Tráfego destinado a Multicast hosts previamente “inscritos”, um grupo de hosts
  27. 27. Para ser VoD.... Conteúdo tem que ser transmitido em Unicast; O assinate tem um controle total sobre a programação; O consumo é único para cada host, a partir de uma tecnologia chamada Streaming;O conteúdo é enviado individualmente para cada host.
  28. 28. VoD?
  29. 29. NET apresenta serviço VoD Foi disponibilizada desde o dia 25 de Abril para alguns pontos do município de São Paulo; A transmissão é realizada através da internet; Não compromete o serviço de Banda Larga do usuário (Segundo a empresa).
  30. 30. Media Stream A Media Stream anunciou o lançamento do serviço Assista Já, que permite alugar filmes pela internet e assisti-los na TV, no computador ou no smartphone por meio da tecnologia de streaming; Por meio da rede 3G ou Wap, é possível assistir ao conteúdo também em celulares e smatphones.
  31. 31. Exemplos de VoD
  32. 32. Futuro do VoD Velocidade de transmissão – Democratização da Banda Larga, 4G Novas tecnologias Demanda crescente
  33. 33. Velocidade Uso do 4G para dispositivos móveis Maior utilização de fibra óptica para usuários comuns
  34. 34. Novas Tecnologias WiMax e LTE inseridas no 4G HTML5 para simplificar o processo de oferta de vídeos pela internet
  35. 35. Servidor VoD usando Node.js
  36. 36. Servidor VoD usando Node.js Escalável Independente de plataforma É Javascript Desenvolvimento ágil
  37. 37. Dúvidas ???

×