SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Trabalho: História
Alunas: Manu ,Caliane ,Karina g
e Gabi
Professora: Geanini
7º II
Africanidades e linguagem :
O tráfico trouxe para o Brasil de quatro a cinco milhões de
africanos.Segundo alguns autores,dentre eles Yeda
Pessoa de Castro ,os grupos africanos são originários de
duas grandes regiões: a Bantu e a Sudanesa.
Para o Brasil ,vieram diversas línguas ,pelo fato da capitura
dos negros na África ter cido fgeita em várias regiões e não
só em uma . Logo ,tivemos ,no país , falantes de vários
troncos linguísticos e de diversas etnias africanas .
Embora ,como estratégia de controle ,os africanos fossem
forçados a aprender a língua do colonizador.
Em aguns estados brasileiros ,existem hoje grupos que
mantiveram elementos do falar das línguas africanas. E ,
em Santa Catarina ,a presença de palavras africanas no
vocabulário também é observado .
Palavras africanas no vocabulário
catarinense :
 Banzo- Tristonho
 Cambada- bando, corja
 Cafundó – lugar longe
 Calombo – galo ,hematoma
 Marimbondo – vespa
 Mazanza – abobalhado ...
Línguas e palavras africanas em
outros usos ,espaços e sentidos :
 Andu- leguminosa
 Capanga – Bolsa pequena
 Gandaia – Farra
 Gogó – Pomo de adão
 Maluca – sem juízo
 Mandinga – Feitiço , Buxaria ;
 Nhô – Senhor
 Nhora – Senhora
 Sinhá – Pronome reduzido de senhora
 Sinhô – Pronome reduzido de senhor
 Teteia – Beleza
 Etc …..
Palavras expressões africanas em
outros usos ,espaos e sentidos
a) Expressoẽs africanas para designar afeto
 Cafuné – Ato de coçar a cabeça de alguém para acarinhar
ou fazer dormir
 Manha – choro ou recamo de alguém para conseguir o
que quer
 Manhoso – aquele que faz ou utiliza-se de manha; birra
 Nana – de ninar
 Nanar – forma infantilizada para dizer ou fazer dormir
Gostos e sabores afro-brasileiros :
As formas como as sociedades tratam a comida fazem parte
do seu universo histórico-cultural. Estudar a história do
alimento poderá revelar importantes contribuições étnicas,
culturais,sociais e religiosas.
Os africanos, trazidos para o Brasil na condição de
escravos,foram forçados a reiventar sua culinária,na
medida em que, desterritorializados,não puderam trazer
consigo os elementos principais de sua cultura alimentar.
Muito foi adaptado com o que encontraram no Brasil,e parte
foi recriada quando os colonizadores troxeram alimentos
do continente africano para o país.
Artes
Na televisão,cinema e música,destaca-se nacionalmente a
catarinense Neusa Borges.Nascida em Florianópolis, em 8
de março de 1941

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiro
Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiroTrabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiro
Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiroHudson Giovanni
 
Salvador uma cidade Afrodescendente
Salvador uma cidade AfrodescendenteSalvador uma cidade Afrodescendente
Salvador uma cidade AfrodescendenteMarcus Bittencourt
 
Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro BrasileiraCultura Afro Brasileira
Cultura Afro Brasileirabrendazarza
 
Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileiraCultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileiraBreno Lacerda
 
InfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
InfluêNcia Da Cultura Africana No BrasilInfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
InfluêNcia Da Cultura Africana No Brasiljosé Augusto Dias
 
Arte Afro Brasileira PóS
Arte Afro Brasileira PóSArte Afro Brasileira PóS
Arte Afro Brasileira PóSNorma Almeida
 
CONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRA
CONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRACONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRA
CONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRAValéria Vanessa
 
Cultura negra / Afro-Brasileira
Cultura negra / Afro-BrasileiraCultura negra / Afro-Brasileira
Cultura negra / Afro-BrasileiraNiela Tuani
 
Identidade do negro no brasil
Identidade do negro no brasil Identidade do negro no brasil
Identidade do negro no brasil CmteAlyne
 

Mais procurados (20)

Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiro
Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiroTrabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiro
Trabalho sobre influencia da africa no espaço brasileiro
 
Salvador uma cidade Afrodescendente
Salvador uma cidade AfrodescendenteSalvador uma cidade Afrodescendente
Salvador uma cidade Afrodescendente
 
Contribuição da cultura africana no brasil
Contribuição da cultura africana no brasilContribuição da cultura africana no brasil
Contribuição da cultura africana no brasil
 
Contribuição africana
Contribuição africanaContribuição africana
Contribuição africana
 
Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro BrasileiraCultura Afro Brasileira
Cultura Afro Brasileira
 
História local dos afro descendentes
História local dos afro descendentesHistória local dos afro descendentes
História local dos afro descendentes
 
Cultura afro descendente
Cultura afro descendenteCultura afro descendente
Cultura afro descendente
 
Video mariane afro
Video mariane  afroVideo mariane  afro
Video mariane afro
 
Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileiraCultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira
 
Africanidade
AfricanidadeAfricanidade
Africanidade
 
InfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
InfluêNcia Da Cultura Africana No BrasilInfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
InfluêNcia Da Cultura Africana No Brasil
 
Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro BrasileiraCultura Afro Brasileira
Cultura Afro Brasileira
 
Arte Afro Brasileira PóS
Arte Afro Brasileira PóSArte Afro Brasileira PóS
Arte Afro Brasileira PóS
 
CONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRA
CONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRACONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRA
CONTRIBUIÇÃO DOS AFRICANOS PARA A CULTURA BRASILEIRA
 
Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira
 
Cultura negra / Afro-Brasileira
Cultura negra / Afro-BrasileiraCultura negra / Afro-Brasileira
Cultura negra / Afro-Brasileira
 
Africanidade
AfricanidadeAfricanidade
Africanidade
 
Htpc cultura africana
Htpc  cultura africanaHtpc  cultura africana
Htpc cultura africana
 
Identidade do negro no brasil
Identidade do negro no brasil Identidade do negro no brasil
Identidade do negro no brasil
 
Cultura negra
Cultura negraCultura negra
Cultura negra
 

Semelhante a Africanidades e linguagens

Atividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fundAtividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fundAtividades Diversas Cláudia
 
Atividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fundAtividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fundAtividades Diversas Cláudia
 
As religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostila
As religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostilaAs religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostila
As religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostilaFátima Brito
 
As religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostila
As religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostilaAs religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostila
As religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostilaMODER85
 
As religiões de matriz africana e a escola apostila
As religiões de matriz africana e a escola apostilaAs religiões de matriz africana e a escola apostila
As religiões de matriz africana e a escola apostilaCarmen Prisco
 
Presenças africanas
Presenças africanasPresenças africanas
Presenças africanasprimeiraopcao
 
Cultura afro-brasileira----religiões.pptx
Cultura afro-brasileira----religiões.pptxCultura afro-brasileira----religiões.pptx
Cultura afro-brasileira----religiões.pptxBrendaBosi2
 
Os nossos ancestrais africanos
Os nossos ancestrais africanosOs nossos ancestrais africanos
Os nossos ancestrais africanosdbsbritto
 
A influê (1).pdf
A influê (1).pdfA influê (1).pdf
A influê (1).pdfabnermaday
 
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdfRaizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdfMaria Claudia F.Graca
 
Salvador, cidade mais negra do Brasil
Salvador, cidade mais negra do BrasilSalvador, cidade mais negra do Brasil
Salvador, cidade mais negra do Brasilgrupo102017
 
Trab. socio miscigenação cultural brasileira
Trab. socio miscigenação cultural brasileiraTrab. socio miscigenação cultural brasileira
Trab. socio miscigenação cultural brasileiraMinguimingui
 
Grupo da Raiane 2ºA
Grupo da Raiane 2ºAGrupo da Raiane 2ºA
Grupo da Raiane 2ºAJoão Víctor
 
A língua portuguesa que falamos é culturalmente negra - revista de história
 A língua portuguesa que falamos é culturalmente negra  - revista de história A língua portuguesa que falamos é culturalmente negra  - revista de história
A língua portuguesa que falamos é culturalmente negra - revista de históriaveraff
 

Semelhante a Africanidades e linguagens (20)

Atividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fundAtividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fund
 
Atividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fundAtividades os povos africanos topico 4 historia fund
Atividades os povos africanos topico 4 historia fund
 
As religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostila
As religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostilaAs religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostila
As religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostila
 
As religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostila
As religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostilaAs religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostila
As religiões-de-matriz-africana-e-a-escola apostila
 
As religiões de matriz africana e a escola apostila
As religiões de matriz africana e a escola apostilaAs religiões de matriz africana e a escola apostila
As religiões de matriz africana e a escola apostila
 
Cultura africana
Cultura africanaCultura africana
Cultura africana
 
Presenças africanas
Presenças africanasPresenças africanas
Presenças africanas
 
Cultura afro-brasileira----religiões.pptx
Cultura afro-brasileira----religiões.pptxCultura afro-brasileira----religiões.pptx
Cultura afro-brasileira----religiões.pptx
 
Resam
ResamResam
Resam
 
áFrica 2012
áFrica 2012áFrica 2012
áFrica 2012
 
Consciêncianegraoficina
ConsciêncianegraoficinaConsciêncianegraoficina
Consciêncianegraoficina
 
Os nossos ancestrais africanos
Os nossos ancestrais africanosOs nossos ancestrais africanos
Os nossos ancestrais africanos
 
20171030120022
2017103012002220171030120022
20171030120022
 
A influê (1).pdf
A influê (1).pdfA influê (1).pdf
A influê (1).pdf
 
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdfRaizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
 
Salvador, cidade mais negra do Brasil
Salvador, cidade mais negra do BrasilSalvador, cidade mais negra do Brasil
Salvador, cidade mais negra do Brasil
 
Cultura Afrodescendente.pptx
Cultura Afrodescendente.pptxCultura Afrodescendente.pptx
Cultura Afrodescendente.pptx
 
Trab. socio miscigenação cultural brasileira
Trab. socio miscigenação cultural brasileiraTrab. socio miscigenação cultural brasileira
Trab. socio miscigenação cultural brasileira
 
Grupo da Raiane 2ºA
Grupo da Raiane 2ºAGrupo da Raiane 2ºA
Grupo da Raiane 2ºA
 
A língua portuguesa que falamos é culturalmente negra - revista de história
 A língua portuguesa que falamos é culturalmente negra  - revista de história A língua portuguesa que falamos é culturalmente negra  - revista de história
A língua portuguesa que falamos é culturalmente negra - revista de história
 

Mais de Kingston8GB

Mais de Kingston8GB (12)

Fenicios
FeniciosFenicios
Fenicios
 
Fenicios
FeniciosFenicios
Fenicios
 
Escravidão no brasil
Escravidão no brasilEscravidão no brasil
Escravidão no brasil
 
Pantanal
PantanalPantanal
Pantanal
 
Tupi e Guarani
Tupi e GuaraniTupi e Guarani
Tupi e Guarani
 
Buracos na camada de ozonio
Buracos na camada de ozonioBuracos na camada de ozonio
Buracos na camada de ozonio
 
Verbo to be
Verbo to beVerbo to be
Verbo to be
 
Auracárias e campos
Auracárias e camposAuracárias e campos
Auracárias e campos
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Caatinga
Caatinga Caatinga
Caatinga
 
verbo to be
verbo to beverbo to be
verbo to be
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 

Último

Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinhaMary Alvarenga
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 

Último (20)

Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinha
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 

Africanidades e linguagens

  • 1. Trabalho: História Alunas: Manu ,Caliane ,Karina g e Gabi Professora: Geanini 7º II
  • 2. Africanidades e linguagem : O tráfico trouxe para o Brasil de quatro a cinco milhões de africanos.Segundo alguns autores,dentre eles Yeda Pessoa de Castro ,os grupos africanos são originários de duas grandes regiões: a Bantu e a Sudanesa. Para o Brasil ,vieram diversas línguas ,pelo fato da capitura dos negros na África ter cido fgeita em várias regiões e não só em uma . Logo ,tivemos ,no país , falantes de vários troncos linguísticos e de diversas etnias africanas . Embora ,como estratégia de controle ,os africanos fossem forçados a aprender a língua do colonizador. Em aguns estados brasileiros ,existem hoje grupos que mantiveram elementos do falar das línguas africanas. E , em Santa Catarina ,a presença de palavras africanas no vocabulário também é observado .
  • 3. Palavras africanas no vocabulário catarinense :  Banzo- Tristonho  Cambada- bando, corja  Cafundó – lugar longe  Calombo – galo ,hematoma  Marimbondo – vespa  Mazanza – abobalhado ...
  • 4. Línguas e palavras africanas em outros usos ,espaços e sentidos :  Andu- leguminosa  Capanga – Bolsa pequena  Gandaia – Farra  Gogó – Pomo de adão  Maluca – sem juízo  Mandinga – Feitiço , Buxaria ;  Nhô – Senhor  Nhora – Senhora  Sinhá – Pronome reduzido de senhora  Sinhô – Pronome reduzido de senhor  Teteia – Beleza  Etc …..
  • 5. Palavras expressões africanas em outros usos ,espaos e sentidos a) Expressoẽs africanas para designar afeto  Cafuné – Ato de coçar a cabeça de alguém para acarinhar ou fazer dormir  Manha – choro ou recamo de alguém para conseguir o que quer  Manhoso – aquele que faz ou utiliza-se de manha; birra  Nana – de ninar  Nanar – forma infantilizada para dizer ou fazer dormir
  • 6. Gostos e sabores afro-brasileiros : As formas como as sociedades tratam a comida fazem parte do seu universo histórico-cultural. Estudar a história do alimento poderá revelar importantes contribuições étnicas, culturais,sociais e religiosas. Os africanos, trazidos para o Brasil na condição de escravos,foram forçados a reiventar sua culinária,na medida em que, desterritorializados,não puderam trazer consigo os elementos principais de sua cultura alimentar. Muito foi adaptado com o que encontraram no Brasil,e parte foi recriada quando os colonizadores troxeram alimentos do continente africano para o país.
  • 7. Artes Na televisão,cinema e música,destaca-se nacionalmente a catarinense Neusa Borges.Nascida em Florianópolis, em 8 de março de 1941