SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Pintura
corporal
A pintura corporal indígena
Uma das mais importantes expressões da cultura indígena é a
pintura corporal.
Em nosso país os indígenas estão presentes em diversos
lugares, com muitas características iguais, mas cada um com
sua história e cultura diferentes. Essa é a maior riqueza: a
diversidade.
Dentre as diversas formas de mostrar a cultura indígena, uma
muito predominante é a pintura corporal. As pinturas
corporais são alguns dos traços culturais mais conhecidos.
As tintas para as pinturas tradicionais são feitas das mais
diversas formas. A mais conhecida é preparada através do
jenipapo (fruta muito apreciada pelos povos indígenas). Ele é
retirado verde e seu líquido é extraído e, em contato com a
pele, esse líquido se transforma em uma tinta preta que se
fixa na pele por até duas semanas. É interessante lembrar que
essa tinta não sai sem que se passe no mínimo uma semana.
Como a tinta usada é feita? O
que ela significa?
Existem etnias que usam a semente de Urucum, que solta
uma tinta vermelha na pele, há etnias que usam barro e
também outras formas de tinta especificas para as pinturas
corporais que, às vezes, são feitas de uma forma especifica
para cada grupo – por exemplo, a pintura usada nas crianças
é diferente da usada por adultos, ou ainda etnias que os
homens têm uma pintura distintas das mulheres.
O processo de preparação da tinta consiste em ralar a fruta
com semente e depois misturá-la com outros pigmentos,
como o carvão, para diversificar as cores.Nos dias comuns a
pintura pode ser bastante simples, porém nas festas, nos
combates, mostra-se requintada, cobrindo também a testa, as
faces e o nariz. A pintura corporal é função feminina, a
mulher pinta os corpos dos filhos e do marido. Cada etnia
tem sua própria marca e se alguma outra utilizar a mesma,
uma luta entre as aldeias pode ocorrer.
A Preparação
A pintura corporal para os índios tem sentidos diversos, não
somente na vaidade, ou na busca pela estética perfeita, mas
pelos valores que são considerados e transmitidos através
desta arte. Os significados dessas pinturas são os mais
variados já que cada etnia tem suas próprias representações e
simbologias. Por exemplo: Temos pinturas que são utilizadas
em comemorações, outras são para os rituais sagrados, há
aquelas que demonstram os sentimentos, desde os mais
felizes até quando estamos revoltados e indignados.
A pintura corporal
A pintura, feita com tintas criadas a partir de jenipapo, carvão
ou urucum, tem como objetivo diferir os povos, determinar a
função de cada um dentro da aldeia e até mostrar o estado
civil. Algumas índias utilizam esse método, por exemplo,
para “dizer” que estão interessadas em encontrar um
parceiro.
O importante é saber que cada povo tem suas pinturas
próprias e cada uma dessas pinturas tem um significado
único, de acordo com a expressão cultural de cada um desses
povos.
A pintura corporal indígena
Pintura Corporal - Cultura indígena

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015
Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015
Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015Denilson Parreira Dos Reis
 
Plano de curso arte 5º ano
Plano de curso arte   5º anoPlano de curso arte   5º ano
Plano de curso arte 5º anoMary Alvarenga
 
avaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docx
avaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docxavaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docx
avaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docxNayanaNayllah
 
Texto arte indigena
Texto arte indigenaTexto arte indigena
Texto arte indigenaLaís Paiva
 
Apostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental IApostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental IEliane Sanches
 
Avaliação para o 7º ano
Avaliação para o 7º anoAvaliação para o 7º ano
Avaliação para o 7º anoAndreza Andrade
 
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013Fabiola Oliveira
 
Arte- Cores secundárias.pdf
Arte- Cores secundárias.pdfArte- Cores secundárias.pdf
Arte- Cores secundárias.pdfMary Alvarenga
 
9º ano avaliação de arte 1º bimestre
9º ano avaliação de arte 1º bimestre9º ano avaliação de arte 1º bimestre
9º ano avaliação de arte 1º bimestreFabiola Oliveira
 
6º ano diferenciação figurativo e abstrato
6º ano diferenciação figurativo e abstrato6º ano diferenciação figurativo e abstrato
6º ano diferenciação figurativo e abstratoFabiola Oliveira
 
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
   Grafite - Arte nas paredes e nos muros   Grafite - Arte nas paredes e nos muros
Grafite - Arte nas paredes e nos murosMary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015
Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015
Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015
 
Plano de curso arte 5º ano
Plano de curso arte   5º anoPlano de curso arte   5º ano
Plano de curso arte 5º ano
 
Prova de arte1 9 ano
Prova de arte1 9 anoProva de arte1 9 ano
Prova de arte1 9 ano
 
avaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docx
avaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docxavaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docx
avaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docx
 
Texto arte indigena
Texto arte indigenaTexto arte indigena
Texto arte indigena
 
Plano de Aula Tarsila do Amaral
Plano de Aula Tarsila  do AmaralPlano de Aula Tarsila  do Amaral
Plano de Aula Tarsila do Amaral
 
Apostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental IApostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental I
 
PROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENAPROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENA
 
Sequência Didática ÁGUA
Sequência Didática   ÁGUASequência Didática   ÁGUA
Sequência Didática ÁGUA
 
Avaliação para o 7º ano
Avaliação para o 7º anoAvaliação para o 7º ano
Avaliação para o 7º ano
 
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
 
Gabarito: Atividade de Artes: Monocromia, isocromia e policromia – 3º ano do ...
Gabarito: Atividade de Artes: Monocromia, isocromia e policromia – 3º ano do ...Gabarito: Atividade de Artes: Monocromia, isocromia e policromia – 3º ano do ...
Gabarito: Atividade de Artes: Monocromia, isocromia e policromia – 3º ano do ...
 
Arte- Cores secundárias.pdf
Arte- Cores secundárias.pdfArte- Cores secundárias.pdf
Arte- Cores secundárias.pdf
 
9º ano avaliação de arte 1º bimestre
9º ano avaliação de arte 1º bimestre9º ano avaliação de arte 1º bimestre
9º ano avaliação de arte 1º bimestre
 
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLOAVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
 
6º ano diferenciação figurativo e abstrato
6º ano diferenciação figurativo e abstrato6º ano diferenciação figurativo e abstrato
6º ano diferenciação figurativo e abstrato
 
A arte africana
A arte africanaA arte africana
A arte africana
 
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
   Grafite - Arte nas paredes e nos muros   Grafite - Arte nas paredes e nos muros
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
 
Apostila patrimonio cultural
Apostila patrimonio culturalApostila patrimonio cultural
Apostila patrimonio cultural
 
Cores secundárias
Cores  secundáriasCores  secundárias
Cores secundárias
 

Semelhante a Pintura Corporal - Cultura indígena

Semelhante a Pintura Corporal - Cultura indígena (7)

Influência Indígena-Pintura
Influência Indígena-PinturaInfluência Indígena-Pintura
Influência Indígena-Pintura
 
Aula 1 ef - artes
Aula 1   ef - artesAula 1   ef - artes
Aula 1 ef - artes
 
A cor nas Artes Visuais.pdf
A cor nas Artes Visuais.pdfA cor nas Artes Visuais.pdf
A cor nas Artes Visuais.pdf
 
Arte indígena brasileira
Arte indígena brasileiraArte indígena brasileira
Arte indígena brasileira
 
Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
 
Curso de Teoria das Cores - Parte 1/3
Curso de Teoria das Cores - Parte 1/3Curso de Teoria das Cores - Parte 1/3
Curso de Teoria das Cores - Parte 1/3
 
Apostila cor 6o ano 2019
Apostila cor 6o ano 2019Apostila cor 6o ano 2019
Apostila cor 6o ano 2019
 

Mais de Raquel Hemanuelly (8)

Leonardo da vinci
Leonardo da vinciLeonardo da vinci
Leonardo da vinci
 
Proteinas
ProteinasProteinas
Proteinas
 
Antigo egito
Antigo egitoAntigo egito
Antigo egito
 
Febre Amarela
Febre AmarelaFebre Amarela
Febre Amarela
 
Cultura indígena
Cultura indígena  Cultura indígena
Cultura indígena
 
Tráfico de pessoas
Tráfico de pessoasTráfico de pessoas
Tráfico de pessoas
 
Atletismo
AtletismoAtletismo
Atletismo
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis - Dst
Doenças Sexualmente Transmissíveis - DstDoenças Sexualmente Transmissíveis - Dst
Doenças Sexualmente Transmissíveis - Dst
 

Último

Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 

Último (20)

Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 

Pintura Corporal - Cultura indígena

  • 2. A pintura corporal indígena Uma das mais importantes expressões da cultura indígena é a pintura corporal. Em nosso país os indígenas estão presentes em diversos lugares, com muitas características iguais, mas cada um com sua história e cultura diferentes. Essa é a maior riqueza: a diversidade. Dentre as diversas formas de mostrar a cultura indígena, uma muito predominante é a pintura corporal. As pinturas corporais são alguns dos traços culturais mais conhecidos.
  • 3. As tintas para as pinturas tradicionais são feitas das mais diversas formas. A mais conhecida é preparada através do jenipapo (fruta muito apreciada pelos povos indígenas). Ele é retirado verde e seu líquido é extraído e, em contato com a pele, esse líquido se transforma em uma tinta preta que se fixa na pele por até duas semanas. É interessante lembrar que essa tinta não sai sem que se passe no mínimo uma semana. Como a tinta usada é feita? O que ela significa?
  • 4. Existem etnias que usam a semente de Urucum, que solta uma tinta vermelha na pele, há etnias que usam barro e também outras formas de tinta especificas para as pinturas corporais que, às vezes, são feitas de uma forma especifica para cada grupo – por exemplo, a pintura usada nas crianças é diferente da usada por adultos, ou ainda etnias que os homens têm uma pintura distintas das mulheres.
  • 5. O processo de preparação da tinta consiste em ralar a fruta com semente e depois misturá-la com outros pigmentos, como o carvão, para diversificar as cores.Nos dias comuns a pintura pode ser bastante simples, porém nas festas, nos combates, mostra-se requintada, cobrindo também a testa, as faces e o nariz. A pintura corporal é função feminina, a mulher pinta os corpos dos filhos e do marido. Cada etnia tem sua própria marca e se alguma outra utilizar a mesma, uma luta entre as aldeias pode ocorrer. A Preparação
  • 6. A pintura corporal para os índios tem sentidos diversos, não somente na vaidade, ou na busca pela estética perfeita, mas pelos valores que são considerados e transmitidos através desta arte. Os significados dessas pinturas são os mais variados já que cada etnia tem suas próprias representações e simbologias. Por exemplo: Temos pinturas que são utilizadas em comemorações, outras são para os rituais sagrados, há aquelas que demonstram os sentimentos, desde os mais felizes até quando estamos revoltados e indignados. A pintura corporal
  • 7. A pintura, feita com tintas criadas a partir de jenipapo, carvão ou urucum, tem como objetivo diferir os povos, determinar a função de cada um dentro da aldeia e até mostrar o estado civil. Algumas índias utilizam esse método, por exemplo, para “dizer” que estão interessadas em encontrar um parceiro. O importante é saber que cada povo tem suas pinturas próprias e cada uma dessas pinturas tem um significado único, de acordo com a expressão cultural de cada um desses povos. A pintura corporal indígena